Revista GGN

Assine

Vamos descomemorar! 17 de abril de 2016. Um ano do golpe de estado. Uma ano de infâmia.

Dia 17 de abril de 2016 não será conhecido apenas como a data do golpe de estado mas também como o dia da infâmia.
Infâmia porque decorrido 1 ano da palhaçada proporcionada pela câmara dos deputados fica claro quem é quem nesta história toda.
Sabemos que a presidenta Dilma é uma pessoa extremamente honesta, justa e zelosa pelas coisas públicas.
Que, mesmo após meses de tortura psicológica a que foram submetidos os “delatores” pelo indigno juiz Sérgio Moro, ninguém, repito ninguém, ousou acusa-la de algo ilícito. Só citações.
Que combateu a corrupção com coragem.
Que não se curvou às chantagens de Eduardo Cunha e Michel Temer.
Que ela e a presidenta da Petrobrás Graça Foster estancaram a roubalheira na empresa.
Que deu todo o suporte disponível à PF nas investigações.
Que não censurou a imprensa.
Que não interferiu no MPF e na escolha do PGR.
Que nunca desceu ao nível de seus detratores.
Essa é a Dilma Rousseff.
Aí restou aos canalhas difamá-la. Geralmente é o que fazem os covardes diante de alguém com essa postura de vida.
Tentaram desconstruir sua imagem. Humilhá-la de todos os modos. Foi chamada de vaca, puta, gerentona, safada, incompetente, analfabeta, burra e etc. Adesivos e piadinhas correram soltas.
Mas, mesmo diante desse quadro, esta magnífica mulher não esmoreceu e lutou – e continua lutando – para recuperar, além de sua imagem, o que a maioria dos brasileiros lhe concedeu: a legitimidade para governar.
Pelo outro lado temos os golpistas.
Pessoas despossuídas de caráter, ou de um quê de responsabilidade com a nação. Psicopatas com interesses escusos.
Formaram a quadrilha: a mídia, os procuradores, o PGR, o judiciário, a PF, a OAB, os deputados federais, os senadores, os governadores, os partidos políticos, as igrejas, FIESP e empresários.
A mídia mentiu, manipulou, amplificou e fabricou factoides. Criou, semeou e espalhou o ódio contra a presidenta, contra o PT e contra os políticos de um modo geral. Incentivou as manifestações fascistas.
O PGR Janot, os procuradores (capitaneado pelo procurador com nome de xarope) e os delegados não encontraram indícios ou provas contra Dilma ou contra o Lula. Aí apelaram para suas convicções e seus PowerPoints.
O congresso, que aprovou o impeachment fraudulento, de cada 10 parlamentares, 7 estão envolvidos em corrupção, segundo o JB.
O judiciário, espetacularizado pelo Moro, vaza seletivamente, prende sem prova, tortura o sujeito até o cara delatar. E não pode ser qualquer delação. Tem que ser contra a Dilma ou o Lula. Se for tucano… não vem ao caso.
A OAB apoiou o golpe de estado. Agora fala em convocar uma nova constituinte. Hipócritas! O que restou de nossa constituição cidadã tem que ser preservada. E não mais vilipendiada. A organização de advogados deveria lutar pelo estado de direito. É sua obrigação. Mas não! Quer é por um fim em tudo.
Os partidos políticos e os governadores que aí estão só tem razão de ser por causa da democracia. E o que fazem? se unem desavergonhadamente para acabar com a democracia.
A FIESP financia manifestantes e grupelhos fascistas para dar caráter popular ao golpe. Não olham o próprio rabo. Dentro da federação há corruptos e corruptores.
Odebrecht e Globo se juntam para dar o golpe.
Odebrecht disponibiliza 50 milhões de reais ao então presidente da câmara dos deputados Eduardo Cunha. Motivo: subornar os parlamentares para aprovarem o impeachment.
Eis o que sabemos até o momento.
Comparem quem é Dilma e quem são os golpistas. Quanta diferença, não é mesmo?
Sem sombra de dúvidas, essas pessoas envolvidas neste ato vil do golpismo podem ser chamadas tranquilamente de bandidos. Criminosos da pior espécie que há.
Vamos descomemorar esse dia. E aqueles que pedem diretas, nova constituição, diálogos com golpistas estão erradas.
Temos uma cidadã honesta. Já legitimada pelas eleições de 2014 dando sopa.
Querem voltar a estabilizar o país antes que seja tarde demais? Pois eis a solução: STF anule o golpe. Reconduza Dilma Vana Rousseff ao cargo de presidenta. É o certo a ser feito.
A presidenta foi impedida de continuar a governar o país por corruptos, ladrões, escroques, espiões, entreguistas e hipócritas. Nenhum desses personagens têm moral para depor quem quer que seja, ainda mais a presidenta.
Está nas mãos do STF o futuro do país.
Ou será que teremos que adicionar mais um membro ao bando de golpistas?

Imagens

Sem votos

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.