newsletter

Assinar

"Destino", curta metragem de Salvador Dali e Walt Disney

Enviado por Gilberto Cruvinel

O pintor espanhol Salvador Dali e o animador americano Walt Disney  se reuniram em 1945 e resolveram juntar fantasia e habilidades para criar um curta metragem com música do compositor mexicano Armando Dominguez.

Dali e John Hentch fizeram os esboços e desenhos de "Destino". A crise ecônomica provocada pela segunda guerra fez com que Walt Disney abandonasse o projeto, porém Hentch executou uma animação teste de 18 segundos para que  no futuro, o projeto fosse retomado.

Dali e Disney

O destino não se esqueceu de "Destino" e, em 1999, o sobrinho de Walt Disney, Roy Edward decidiu restaurar o projeto. Os estúdios Disney em Paris foram utilizados para a realização do curta-metragem. Com produção de Baker Bloodworth e direção de Dominique Monfrey, uma equipe de 25 animadores de dedicou a decifrar os esboços enigmáticos de Dali e Hentch auxiliados pelo diário da esposa de Dali, Gaia. Resultou um curta-metragem com elementos da animação clássica ajustados pela computação gráfica.

.........................................

baseado em texto de Laura Corchia

da Restaur Ars

 

 

Média: 5 (1 voto)
3 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de agincourt
agincourt

surrealistas

Quem diria...

A proposta do Surrealismo era mudar a percepção do mundo.

Terminou ilustrando maços de cigarros e fazendo desenho pra Disney.

...

Para uma avaliação das pretensões da arte no século XX e do que delas restou, recomendo a excelente série de dez documentários intitulada O CHOQUE DO NOVO, apresentada pelo falecido crítico de arte Robert Hughes.

Segue o primeiro episódio: O PARAÍSO MECÂNICO.

https://www.youtube.com/watch?v=hZebvZD1Fcw

Seu voto: Nenhum
imagem de Igra
Igra

conquista

"Ostra feliz não faz pérola." R.A.

Seu voto: Nenhum
imagem de altamiro souza
altamiro souza

confesso que prefiro a

confesso que prefiro a parceria dali-buñuel, cão andaluz,

final da década de vinte, se não me engano,

parceria que mantém a força das obras de dali, a

violencia inerente a ela, goste-se ou não...

e não essas lagrimas aíi que mais parecem novela mexicana....

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.