Revista GGN

Assine

Tang é multada em R$ 1 milhão por informação enganosa no rótulo

do Idec

Tang é multada em R$ 1 milhão por informação enganosa no rótulo

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) multou a empresa Mondelez Brasil Ltda., fabricante da marca Tang, em R$ 1 milhão por publicidade enganosa nas embalagens dos produtos. No rótulo frontal dos refrescos constava a expressão "sem corantes artificiais", proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

A punição foi aplicada no início de julho deste ano, mas o processo começou em março de 2012, quando a Anvisa informou o problema à Senacon. A Mondelez chegou a recorrer, alegando que estava trabalhando com corantes naturais. Porém, os órgãos ponderaram que a expressão “sem corantes artificiais” não pode ser utilizada, pois não há critérios específicos definidos para o uso do termo.  

Além disso, segundo a nota técnica divulgada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública sobre o caso, a Anvisa afirma que na composição do refresco eram utilizados corantes inorgânicos e corante caramelo, que não são ingredientes considerados naturais. Portanto, a informação contida na embalagem poderia induzir o consumidor a engano quanto à natureza do produto. 

De acordo com Flavio Siqueira, advogado do Idec, as informações que constam nos rótulos dos produtos alimentícios são fundamentais para garantir o direito à livre escolha, por isso uma informação enganosa no rótulo é um grande obstáculo para a alimentação saudável. 

“O papel de órgãos como a Anvisa e a Senacon são essenciais para garantir o direito à informação e demais direitos a todos os consumidores”, afirma. 

Atenção aos ultraprocessados 

De acordo com a definição do Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, refrescos em pó pertencem à categoria de produtos ultraprocessados, que não são recomendados como parte de uma alimentação adequada  e saudável.

Os utlraprocessados possuem um número elevado de ingredientes (sobretudo com nomes pouco familiares), passam por diversos processos químicos e, portanto, perdem as características básicas de um alimento.

No caso dos refrescos em pó, além dos aditivos químicos, o excesso de açúcar contido neles contribui para o aumento de peso, cáries, diabetes e diversos outros problemas de saúde.

Média: 4.8 (4 votos)
4 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Claro que sou contra os

Claro que sou contra os genocídios, os parricídios e os crimes de lesa-humanidade.

Mas o que enche o saco mesmo é essa musiquinha de elevador.

Ah, se o único ou pelo menos o mais grave crime que a indústria química comete contra o consumidor fosse esse pozinho...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de alvaro f
alvaro f

Em breve vem a anistia da multa

É só esperar que logo se consegue a anistia da multa por meio de um novíssimo instrumento legal. 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Fabio !
Fabio !

Multa desnecessária

Trouxa quem consome essas porcarias !

Seu voto: Nenhum
imagem de anarquista sério
anarquista sério

O mesmo está acontecendo com

O mesmo está acontecendo com azeites extra virgens.

Que de virgem só tem o rótulo.

Não li que nenhum deles foram multados;

  E é montão,inclusive de marcas famosas.

 Pena que não guardei a matéria.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.