Revista GGN

Assine

Uma comparação entre as economias do México e do Brasil

Vou separar aqui prá guardar:

Como é simples enganar o senso comum... Mas aqui não, violão!, por Diogo Costa, no post "A comparação entre os PIB do México e Brasil"

 

Há modo mais sutil de enganar inocentes úteis ou desavisados de plantão? Há modo mais subreptício de fantasiar dados para ocultar que a produção material real do Brasil é quase o DOBRO da produção material do México?

 

Pelo critério da "Paridade do Poder de Compra", pasmem, a Índia tem um PIB maior do que o PIB da Alemanha e do Japão! Não é algo absolutamente incrível?! 

 

Voltemos ao caso de Brasil e México. Para que não surjam infundadas acusações sobre as fontes possivelmente "ideologizadas" de pesquisa, trago os dados do CIA The World Factbook de 2013. Vamos comparar e desmistificar:

 

Produto Interno Bruto para 2013:

 

-Brasil: US$ 2.190 trilhões;

-México: US$ 1.327 trilhões.

 

Produto Interno Bruto para 2013 (Paridade do Poder de Compra):

 

-Brasil: US$ 2.422 trilhões;

-México: US$ 1.845 trilhões.

 

Nota-se, portanto, que o PIB brasileiro é 65% MAIOR que o PIB mexicano. Se levarmos em conta a "Paridade do Poder de Compra", o PIB brasileiro é 31% MAIOR que o PIB mexicano. Passemos agora ao exame do PIB per capita, também conhecido como renda per capita.

 

PIB per capita para 2013:

 

-Brasil: US$ 10.800;

-México: US$ 11.000.

 

PIB per capita para 2013 (Paridade do Poder de Compra):

 

-Brasil: US$ 12.000;

-México: US$ 15.300.

 

Todos os dados apenas corroboram o fato de que a renda per capita do México é similar a renda per capita do Brasil no critério nominal (da produção real de bens e serviços) e um pouco superior pelo critério fantasioso da "Paridade do Poder de Compra" (critério pelo qual a economia da Índia, pausa para rir, é maior do que a economia da Alemanha e do Japão...).

 

No mais, apenas sensos comuns há muito divulgados pelos neoliberais. O primeiro deles se refere ao processo de industrialização. O México tem mais de 80% da sua corrente comercial atrelada aos EUA e foi inundado por maquiladoras de todos os tipos após a assinatura do NAFTA. O NAFTA dizimou a indústria mexicana e rebaixou o nível dos salários.

 

Agora, o segundo senso comum que tem a ver com as exportações. Em primeiro lugar, o Brasil não é um servo dos EUA, ou seja, não tem, nunca teve e nunca terá mais de 80% de sua corrente de comércio feita com os norte-americanos. Ainda bem! Outro ponto é que o Brasil exporta, como proporção do PIB, mais do que os EUA. Repito, o Brasil exporta, como proporção do PIB, mais do que os EUA!

 

Um país continental como o Brasil tem que fazer justamente o que os norte-americanos fizeram há décadas atrás, que é a criação de um pujante e diversificado mercado interno de massas. É isto que fará com que o Brasil não fique refém das incertezas dos fluxos comerciais internacionais, suportando melhor as crises cíclicas do capitalismo.

 

É isto que permitirá ao Brasil (junto com a diversificação dos parceiros comerciais) não ficar refém de nenhum país do mundo, como o México é hoje dos EUA. E é isto que está sendo feito no Brasil, para o bem de nossas gentes, desde o ano de 2003.

 

Média: 4 (2 votos)
2 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Gabriel Augusto
Gabriel Augusto

Não vi fontes nem nada, quero

Não vi fontes nem nada, quero saber de onde o autor tirou que o Pib paridade per capita da Índia é maior que o da Alemanha e Japão.

Seu voto: Nenhum
imagem de Fernando Eduardo
Fernando Eduardo

Caro Policarpo Se o assunto

Caro Policarpo

Se o assunto for transporte, sugiro que andes de metro na Cidade do México e depois ande no metro de São Paulo e verás que o Brasil está 100 anos na frente do méxico.

Abraços,

Fernando

 

Seu voto: Nenhum
imagem de Carlos Policarpo Jr
Carlos Policarpo Jr

Vá viajar e depois tire suas conclusões

Digo Costa, 

Muito melhor e mais eficaz que esses seus números é você fazer o seguinte.

Tire 90 dias para viajar e trabalhar, sim, isso mesmo, viajar e trabalhar. Explico.

Viaje por 60 dias pelo Brasil, de carro ou ônibus, porque nas viagens terrestres conhecerá muito mais a realidade do que em viagens aéreas. Faça o mesmo no México, mas por ser um país menor, viaje por 30 dias. 

Durante essas viagens, faça um diário de viagem, vá anotando as características dos lugares, infraestrutura, das pessoas, culinária e tudo mais que você observar e vivenciar. 

Sabe qual será a sua surpresa? 

Verá que o México está digamos, uns 20 anos na frente do Brasil em praticamente todos os níveis de desenvolvimento. Verá que o mexicano tem no geral (massa da população) um poder de compra e qualidade de vida superior a massa da população brasileira. Verá que as estradas de todo o México são iguais e NAO piores que as estradas do estado de São Paulo. Vivenciará que a população do México é muito mais preparada para a globalização e tem uma infraestrutura para turismo internacional que faz a do Brasil parecer uma piada. Verá que boa parte dos mexicanos fala inglês. 

Enfim, se puder investir 90 dias nesse projeto, aprenderá que a vida na prática e bem diferente da vida teórica de números, estatísticas e análises frias de tais dados. 

Se for uma pessoa perpicaz, poderá aproveitar essa sua vivência e fazer um livro, dar palestras ou simplesmente agregar valor em seu blog e atividade comercial. No mínimo ganhará uma experiência de vida e tanto. 

Boa viagem e sucesso!

Abraços,

Policarpo Jr 

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.