Revista GGN

Assine

Na Noruega, uma outra visão da aplicação da Justiça

Sugerido por José Carlos Lima

Neste momento em que um réu Delúbio Soares perde o direito de trabalhar e consequentemente ao regime ao qual fora sentenciado(semi-aberto), convém ler este artigo que demonstra o quanto a nossa elite tem uma mentalidade escravocrata, daí que não veremos experiência como esta por aqui pelo menos nos próximos 100 anos:

O presídio de segurança mínima na Noruega

Sugerido por Sanzio

Da Revista Samuel

Conheça a prisão-clube que está mexendo com o sistema penal europeu

Afrouxando as algemas, o presídio de baixa-segurança da ilha de Bastoy, na Noruega, conseguiu alcançar a menor taxa de reincidência criminal do mundo 


Condenado por homicídio toma banho de sol no lado de fora dos aposentos onde vive, na prisão norueguesa

À disposição dos 120 moradores da ilha norueguesa de Bastoy, há quadra de tênis, campo de futebol, saunas, câmara de bronzeamento artificial, sala de cinema, estúdio musical e uma biblioteca. Os quartos são mobiliados e equipados com TV a cabo. O trabalho na fazenda, na colheita, na lavanderia, na balsa ou na pesca rende cerca de 57 coroas norueguesas (ou 20 reais) por dia para cada um. Ao contrário do que se imagina, no presídio com a menor taxa de reincidência da Europa não há celas, armas, cassetetes ou câmeras de monitoramento; apenas uma regra: nada de álcool, drogas e violência.

Bastoy é um dos únicos quatro presídios de baixa-segurança do mundo. Na ilha, os apenados — que durante as noites têm apenas cinco guardas para vigiá-los — fazem tudo do que a criminologia moderna os privou. Os ex-assassinos, ex-ladrões e ex-traficantes trabalham, estudam, se divertem, se exercitam e tomam sol. Aqui, o prefixo “ex” não é por mera generosidade, e sim pela baixíssima taxa de reincidência criminal. Apenas 16% dos que cumpriram pena em Bastoy voltam ao crime; no Brasil, o índice supera os 70%. O êxito do “corretivo” aplicado na ilha já faz com que a Noruega pense em expandir o modelo, iniciativa que causa arrepios nos penalistas mais rígidos e revanchistas.


Único presídio-ilha da Noruega, Bastoy e está a alguns quilômetros do continente e abriga 120 presos

“Bastoy faz exatamente o oposto dos presídios convencionais, onde os presos são trancafiados sem qualquer tipo de responsabilidade pessoal, alimentados e tratados como animais”, diz o diretor da prisão. No cargo desde 2007, o psicoterapeuta (especializado na escola da Gestalt) Arne Nilsen já trabalhou em presídios ingleses e passou mais de dez anos no Ministério da Justiça norueguês antes de mudar-se para a ilha. Para ele, é preciso olhar as punições com um sentimento menos vingativo e repressor. “Privar uma pessoa da sua liberdade por um certo período já é um castigo suficiente em si, sem que seja necessário precarizar as condições do presídio”, disse Nilsen, ao jornal inglês The Daily Mail.

Ao contrário dos modelos mais rígidos, o sistema penal norueguês não prevê nem pena de morte nem prisão perpétua, e o tempo máximo que um cidadão pode passar na cadeia é de 21 anos (no Brasil, são 30). Assim, a sociedade norueguesa é obrigada a se conformar com o fato de que a maioria dos prisioneiros, por mais hediondos que tenham sido seus crimes, vai ser libertada mais dia, menos dia.

Além de exercitar a convivência social dos condenados, as tarefas de trabalho também ajudam a gerir o modelo de negócios da ilha. “Bastoy é na verdade a prisão mais barata da Noruega”, defende Nilsen. Com a força de trabalho dos presos, Bastoy precisa contratar menos funcionários e ainda assim consegue produzir parte da sua comida e do seu combustível. Para ajudar a fechar as contas, medidas “sustentáveis” como o uso de energia solar e restrição da circulação de automóveis diminuem os custos.

No vídeo abaixo, em noruguês, conheça um pouco mais de Bastoy:

Rotina

Bjorn Andersen é um sociólogo e pesquisador de 52 anos que chegou a Bastoy após passar três anos em um presídio comum, condenado por tentativa de homicídio. Casado há mais de duas décadas e pai de cinco filhos, Andersen agrediu a esposa, após ouvir que ela havia comprado um apartamento e estava para fazer a mudança. “Eu surtei e a ataquei”, diz ele, balançando a cabeça.

De segunda a sexta-feira, Andersen é responsável por acordar tomar café e embalar o seu almoço, antes das 8h30, horário em que entra no trabalho. Como os presos, ele é liberado às 14h30 e o “jantar” é servido logo em seguida. A partir daí, todos têm até as 23h para fazer o que bem entenderem. Andersen aproveita para terminar a dissertação que estava concluindo antes de ser preso.


A casa acima abriga a biblioteca da ilha; das 15h às 23h presos podem consultar o acervo e fazer outras atividades

Entre os 70 funcionários (35 guardas) que compõem a equipe, Bastoy oferece aos presos enfermeira, dentista, fisioterapeuta e uma creche para crianças. Pelo menos uma vez por semana, todos podem receber uma visita de até três horas. “Encontros íntimos” também são permitidos e prisioneiros com filhos pequenos podem passar um dia inteiro com suas namoradas e companheiras.

As restrições ao álcool, às drogas e às condutas violentas são claras e inflexíveis. Se alguém quebrar as regras, Bastoy conta com duas celas escondidas e fechadas, com portas de ferro e sem janela especialmente para os infratores aguardarem a transferência de volta para os presídios comuns. Segundo um dos presos, já faz mais de dois anos desde que foi habitada pela última vez, quando um dos condenados foi pego com bebida no quarto.

 

Média: 5 (4 votos)
12 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Um post que tem que com este assunto

Juiz não crê em ressoscialização

http://www.jornalggn.com.br/noticia/%E2%80%9Cressocializacao-com-pena-minima-e-utopia%E2%80%9D-diz-juiz

Seu voto: Nenhum

 

...spin

 

 

Lá na Noruega a Justiça se

Lá na Noruega a Justiça se faz com inteligência e bom senso, com o objetivo de se alcançar bons resultados, ou seja, a recuperação do indivíduo e a privação da liberdade para evitar danos à sociedade.

Aqui em nosso país o que estamos vendo é a prática do sadismo, o castigo, a vingança. Aqui não existe a preocupação em se recuperar o indivíduo e a privação da liberdade em muitos casos é para evitar que adversários políticos mais inteligentes sejam tirados de cena à força.

Aqui, a sede de vingança e a vontade de castigar é tanta que querem privar o preso até de uma alimentação melhor. Não basta a privação da liberdade. É preciso que comam mal, durmam mal, não recebam visitas de familiares. Mas só isso não satisfazem os sádicos.  Eles gostariam que o castigo fosse maior ainda.  O que eles não sabem é que nada os deixará satisfeitos, porque no fundo o que sentem, no caso dos petistas presos, é inveja.  E o que invejam de José Dirceu é sua inteligência, sua dignidade, e tudo o que ele fez por esse país, coisas que muitos desses que o julgaram não terão nunca, não importa o que façam contra ele.  

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Demarchi

imagem de DUDE
DUDE

CADÊ A CUT?

Todos sabem que Delúbio foi um dos fundadores da CUT.

E é claro que a injustiça que ele vem sofrendo nas mãos da mídia e do judiciário, que a acompanha, é terrível.

Penso que a mesma injustiça que se praticava antes da CUT existir. Ele corrigiu e muito a situação calamitosa que o trabalhador enfrentou neste País.

Ora, cadê a CUT neste episódio?

Ela precisa mostrar a cara. Mostrar que não concorda com esta injustiça.

Por que não fazer um protesto pacífico?

Ainda somos livres, ou não somos?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Perseguição

A mídia faz parte do aparato que leva o povo a pensar como a elite escravista quer, é responsável por esse ódio que se alastrou no pais, aqui uma explicação do pessoal da CUT sobre a perseguição contra o Delúbio

Seu voto: Nenhum

Grato, Spin F

imagem de Calvin
Calvin

A vantagem do PT no poder é

A vantagem do PT no poder é agora se preocupar com coisas que atacava: condição de prisão de autoridades (ou alguém acha que se Maluf estivesse preso haveria essa comoçãotoda?), responsabilidade com gastos, projetos populistas, etc.

Seu voto: Nenhum (6 votos)

O "mensalão" não existiu

A comoção ocorre pq as prisões efetuadas naquele fático Dia da Proclamação da República da Rede Globo foram decorrentes de um flagrante erro judicial, justiça boa é justiça justa, o que não foi o caso do julgamento do mentirão, o mensalão não existiu, saiba mais

http://lexometro1.blogspot.com.br/2014/01/coletanea-de-artigos-sobre.html

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Grato, Spin F

imagem de josé adailton
josé adailton

Os humanos e a santa hipocrisia

No momento em que um figurão é condenado é que surgem com mais intensidade as vozes mostrando as "injustiças sociais"  do nosso sistema penitenciário. Li apenas o primeiro parágrafo do post e já fiquei com aquela velha impressão de que há muita gente sem ter o que fazer. O "sugestor" do post e o autor deste comentário são 2 bons exemplos.

Seu voto: Nenhum (8 votos)

This comment has been deleted.

Seu voto: Nenhum

Grato, Spin F

Achei os assassinos do filho de Thor!

Caro Adailton, assim meio cansado terminei cometendo alguns erros de ortografia, vi agora, depois que a publicação já saiu do destaque do portal,  como não foi possível fazer a correção(ortográfica) tive qe remover o comentário mas o mesmo pode ser lido aqui

http://www.josecarloslima.blogspot.com.br/2014/02/achei-os-assassinos-do-filho-de-thor.html

Seu voto: Nenhum

Grato, Spin F

imagem de josé adailton
josé adailton

Iguais

As pessoas estão cansadas de saber que o nosso sistema penitenciário, cujos detentos são chamados de educandos(eufemismo ou escárnio?)  está muito aquém de algo que possamos chamar de digno.Alguns dizem que as nossas cadeias são escolas da criminalidade, além de outros depreciativos.Talvez se houvesse um aumento de prisões de crápulas da elite da sociedade , supostamente pela sua influência sócio econômica,  o nível de qualidade da hospedagem prisional poderia se tornar  condigno com o objetivo real das penas impostas aos infratores da população carcerária do andar de baixo.

Seu voto: Nenhum
imagem de Paulo Andrade de Sousa
Paulo Andrade de Sousa

Sobre o retorno de Delúbio para o regime fechado

O juiz Bruno Ribeiro, garoto de recado de Barbosa atendeu a ordem de Barbosa que, em dia de fúria por causa da queda da acusação de formação de quadrilha que era imputada injustamente aos réus, como ocorreu da outra vez, o ministro deve ter mandado um SMS para o juiz fazer o seriço, e vejam só o motivo gravíssimo: Os presos da cela, que são vários e não apenas os petistas, estariam com uma frigideira na cela, o que seria um privilégio, mesmo se sabendo que todos os demais presos tem direito a tal frigideira, a midia, Barbosa e o juiz filho de um rato do mensalão do DEM devem ter uma rede de informantes na Papuda para informar em tempo real até os puns soltos por cada petista...rss... É essa a mentalidade mesquinha dessa elite podre! OAB desmente notícias e diz que não há "regalias' para presos no CPP, no blod do Zé Dirceu:

Com base em supostos depoimentos, em diz-que-diz, em ouvi dizer, a imprensa vem noticiando que os réus petistas condenados na AP 470 têm recebido “regalias”. Esses supostos privilégios existem somente em relatos de reportagens e até agora não foi apontado qualquer outro indício mostrando sua existência. Pelo contrário.

Ontem a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) fez uma vistoria no Centro de Progressão Penitenciária (CPP), onde estão Delúbio Soares e outros que cumprem pena no regime semiaberto. O mesmo local onde parte da mídia destacou, com base em um alegado relato de um interno, que há privilégios para os petistas.

E qual foi a conclusão da OAB? Não há privilégio algum. E os jornais deram essa informação? Não. Com exceção de um curto parágrafo no final de uma reportagem do Estadão que tenta reforçar a ideia de que há privilégios.

Ao jornal, o advogado Alexandre Queiroz, da Comissão de Direitos Humanos da OAB, disse que os condenados foram autorizados a ter uma frigideira e um liquidificador, regalias que os demais condenados que cumprem pena no presídio também já possuem.

Ou seja, está aí com todas as letras: não há privilégios. Mas os jornais não se interessam pela informação.

Nem tampouco se interessam por ouvir o advogado de Delúbio. Arnaldo Malheiros confirmou ontem que não há regalia alguma. “Tem essa história da feijoada, que é uma fantasia. De fato, os companheiros de cela dele compraram na cantina uma costela de porco em lata, misturaram com a xepa e chamaram de feijoada. Nem foram eles, o pessoal do mensalão. Foram os outros presos da mesma cela. Mas como é comum nas cadeias, é tudo coletivo. O que é de um é de todos. Não houve feijoada nenhuma nem tem a menor condição de fazer”, disse.

Aproveitamos e recomendamos a leitura do artigo de Fernando Brito “Vergonha, uma Justiça dirigida pela imprensa”

http://www.zedirceu.com.br/oab-desmente-noticias-e-diz-que-nao-ha-regalias-para-presos-no-cpp

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Marcelo de Sousa Nascimento
Marcelo de Sousa Nascimento

O "salve" do Barbosa para sua rede de justiceiros

É verdade, os presos passaram a ser presos do Barbosa e não do Estado brasileiro, como disse o advogado de Delúbio, eles(apenados) viraram reféns nas mãos de ensandecidos, isso é fato

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.