Revista GGN

Assine

40 sugestões de leitura

Da Revista Bula

40 livros para ler antes de morrer 

Car­los Wil­li­an Lei­te  |  [email protected]@revistabula

Depois da polêmica sobre os Livros Para Morrer Antes de Ler, convidei leitores, amigos do Fa­cebook, e seguidores do Twitter — escritores, jornalistas e professores — à responder a pergunta inversa. Se aqueles eram os piores livros (Para Morrer Antes de Ler), quais seriam os melhores (Para Ler Antes de Morrer)? Cada participante poderia indicar entre um e dez livros de autores, de todas as épocas, brasileiros ou estrangeiros, tendo como critério principal o gosto pessoal, não importando se um determinado livro era canonizado ou desconhecido, descartável ou duradouro. Discutível como todas as listas de melhores, esta também não pretende ser abrangente e provavelmente se tivesse sido, ou for feita em outra ocasião,  o resultado seria diferente. Ela apenas reflete a opinião, do momento, dos participantes convidados. E os livros citados por eles, bons ou ruins, trazem em comum o fato de tê-los inspirado. E como escreveu Harold Bloom: “Todo mundo tem ou deveria ter uma lista de obras que lhe serviriam de companhia numa ilha deserta.” Abaixo, em ordem de aleatória, os 40 livros escolhidos, sem repetir autores. 

Guerra e Paz
Liev Tolstói
 

On the Road
Jack Kerouac
 

Grande Sertão: Veredas
Guimarães Rosa
 

As Viagens de Gulliver
Jonathan Swift
 

Dom Quixote
Miguel de Cervantes
 

Robinson Crusoé
Daniel Defoe 
 

Em Busca do Tempo Perdido 
Marcel Proust
 

Moby Dick
Herman Melville
 

O Processo 
Franz Kafka
 

Livro do Desassossego
Fernando Pessoa
 

Os Irmãos Karamázov
Fiódor Dostoiévski
 

Coração das Trevas
Joseph Conrad
 

A Divina Comédia 
Dante Alighieri
 

Hamlet
William Shakespeare
 

Memórias Póstumas de Brás Cubas
Machado de Assis
 

Pergunte ao Pó
John Fante
 

Cem Anos de Solidão 
Gabriel García Márquez
 

 A Montanha Mágica
Thomas Mann
 

O Complexo de Portnoy
Philip Roth
 

O Som e a Fúria 
William Faulkner
 

Folhas de Relva
Walt Whitman
 

Os Miseráveis
Victor Hugo 
 

1984
George Orwell
 

Desonra
J. M. Coetzee
 

O Homem Sem Qualidades
Robert Musil 
 

Orgulho e Preconceito 
Jane Austen 
 

Ulisses
James Joyce
 

A Terra Desolada 
T.S. Eliot
 

Apanhador no Campo de Centeio
J. D. Salinger
 

O Príncipe
Maquiavel
 

Os Sertões
Euclides da Cunha 
 

O Velho e o Mar
Ernest Hemingway
 

Ficções
Jorge Luís Borges
 

Histórias de Cronópios e de Famas
Julio Cortázar
 

Madame Bovary 
Gustave Flaubert
 

Odisseia 
Homero
 

Meridiano de Sangue 
Cormac McCarthy
 

Fausto 
Goethe
 

Lolita 
Vladimir Nabókov

O Tempo e o Vento 
Erico Verissimo

Média: 1.7 (3 votos)
36 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+36 comentários

O livro "A Terra Devastada" pode ser comprado aqui http://www.travessa.com.br/A_TERRA_DEVASTADA/artigo/9dff9f70-3e24-419a-a99d-2128f559988b

 

Faltaram:

Comédia da vida privada

As onze mil varas

A história de O

Com o diabo no corpo

As mil e uma noites

Passos perdidos

Um artista da fome

Johnny vai à guerra

Pequenos poemas em prosa

Uma estada no inferno

A linguagem dos pássaros

Cântico dos cânticos

Eclesiastes

Vidas secas

Com a morte na alma

A peste

Dois perdidos numa noite suja

Esperando godot

A trágica história do doutor Fausto (na inacreditável versão de Christopher Marlowe)

Rubayat

A balada do mar salgado

Casa de bonecas

O ateliê de Giacometti

Contos D'Escárnio/Textos Grotescos

Felicidade clandestina

Maus

poemas de Joyce Mansour (não conheço tradução de obra integral)

Minima moralia

Mitologias

na minha limitada opinião, pra limitar a lista

 

 

 

 

 

ah, nao vale...

nao tem nenhum da serie vaga-lume, pelo menos do Marcos Rey (sozinha no mundo, um cadaver ouve radio, etc).

e a Tia Agatha, com Mr. Poirot?Gostei da lista, pois nos lembra que temos que ler mais.

 

Vou contar uma coisa: meu pai me deixou de "herança" uma biblioteca inteira, formidável...

Porém, na minha adolescência, ele me ensinou uma fórmula para "aprender" a gostar de leitura. Ele me disse: "Pegue a lista com as 10 maiores obras estrangeiras de literatura e leia todas; depois, pegue a lista dos 10 maiores autores estrangeiros e faça o mesmo. Da mesma forma, faça uma lista para obras e autores nacionais, não deixando de ler nenhum - deu certo comigo", ele arrematou.

E comigo deu certo também. As listas podem variar um pouco, mas devem ser somente uma amostra, uma referência para ser trocada entre nós. Vou citar algumas obras (que lembro) para complementar tal lista:

- Volta a Matusalém, de Bernard Shaw;

- Cândido ou o Otimismo, de Voltaire (Micrômegas tb vale);

- O Aleph, de Jorge Luis Borges;

- O Paraíso Perdido, de John Milton;

- O Inferno de Dante;

- Apologia de Sócrates (as três - de Platão, Antístenes e Xenofonte);

- As Mil e Uma Noites;

- Alexandre e César, de Plutarco (TODAS as obras de sua série Vidas Paralelas valem, mas esta é fantástica);

- O Alquimista, de Paulo Coelho (só os iniciados sabem a importância desse livro);

- As Veias Abertas da América Latina, de Eduardo Galeano;

- Declínio e Queda do Império Romano, de Edward Gibbon;

- Operação Cavalo de Tróia 1, de J.J. Benítez (o primeiro é revelador do Jesus q eu sempre imaginei - alegre, feliz, eclético, universal);

- O Livro de Urantia, autor não conhecido (quem tiver olhos, que veja - quem tiver ouvidos, que ouça...);

- Assim Falou Zaratustra, de Frederick Nietszche (Para Além do Bem e do Mal, O Nascimento da Tragédia no Espírito da Mùsica, Homem e Super-Homem - tudo dele é muito bom e muito difícil, tb);

- O Processo, de Franz Kafka (e A Metamorfose - se possível, ilustrada!).

Ufa, agora já deu! Abs.

P.S.: Há referências consagradas que no meu entender pouco valem, hoje: A Ilíada e A Odisséia (Homero), obras dos filósofos gregos pré-Socráticos, várias das obras de Shakespeare, tudo isso são atualmente escritos reinterpretados (reescritos pessimamente) do original texto em língua arcaica, já em desuso. O mesmo ocorre com os livros sagrados: O Livro dos Mortos (egípcio), Enuma Elish e A Epopéia de Gilgamesh (sumérios), o Zend Avesta (persa e zoroastrista), o Rig Veda (todos os vedantas) e os Upanishads (brâmanes e pré-hindus), o Tao Te King e Os Analectos (chineses, o último sendo de Kung Futzu/Confúcio). E, porque não, igualmente o Pentateuco ou Torah judaica (Velho Testamento com Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Duteronômio), a Bíblia cristã (que adiciona os Evangelhos) e o Corão (Al Quran). TODOS precisam de daguerreótipos para serem entendidos - e grande parte do sentido original nas releituras é/foi deturpado imensamente...

 

Sugiro Os Lusíadas e Crime e castigo de Dostoiévski!

Obs.: Alguns dos livros indicados não merecem o destaque!

 

Cadê o livro do Merdal, o imoral? E a "Subtração sem Resto" do brilhante FHC?

 

  

"Grande Sertão: Veredas
Guimarães Rosa"

 

Nunca li Guimarães Rosa, mas está na minha lista desde que li sobre quando ele era prefeito duma cidade, alguém voi avisar que o PAI dele precisava de uma favor "especial", e ele refutou dizendo:

 

"Prefeito não tem pai"

 

Deveriam gravar em pedra isso no gabineta da Presidência, Congresso, repartiçoes,etc....

 

"PREFEITO NÃO TEM PAI"

                              GUIMARÃES ROSA

 

 

Aff, provando que não li nem um nem outro, quem disse a frase acima foi GRACILIANO RAMOS...

 

ref:

http://www.istoe.com.br/reportagens/182142_EM+CASA+COM+GRACILIANO

 

aqui os ebooks livres

http://www.openculture.com/free_ebooks

http://www.openculture.com/freeaudiobooks

 

Essas listas eu sempre considero difíceis, porque são mais notáveis pelas ausências do que pelas obras presentes nelas Como deixar de fora alguns livros como Vinhas da Ira (John Steinbeck), Relações Perigosas (Choderlos de Laclos) ou A República de Platão? E porque escolher a Montanha Mágica, de Thomas Mann, e não escolher Morte em Veneza, do mesmo autor?

 

Essas listas embutem mais pedantismo, se não mentira, do que realmente um genuíno gosto literário. Homero,  James Joyces e o nosso Guimarães Rosas são autores dificílimos, mas que todo mundo arrola como leitura obrigatória e prazerosa. 

Na realidade, tem muita gente boa por aí se valendo, tal qual o falecido Paulo Francis, dizem, de resenhas e das "orelhas" dos livros para depois sair cantando de Oto Maria Capeaux, este sim, um bambam no assunto.

Hoje com a internet todo mundo é, ou será, um erudito por quinze minutos (paráfrase de famosa projeção feita por  Andy Warhol).

 

E´apesar de ão acreditar no velhinho faltou aí o pai de todos os livros, a Bíblia. Tem de tudo, romance, aventura e muita sacanagem. O segundo na ordem é o Cem Anos de Solidão, só depois de ler é que eu entendi a América Latina. 

 

Remindo Sauim

Cadê o Bukovski?

Qualquer lista sem o Bukovski não terá o meu respeito.

 

Essas listas são uma maneira que o Homem usa para enganar a morte.

Na verdade, queremos fazer uma lista de livros para não morrer sem terminar de ler. 

E tome ''Guerra e Paz'', ''Os Sertões'', Bíblia...só livros alentados, pura malandragem.

Ningúem lista ''As idéias brilhantes de José Serra'', ''Opiniões Isentas Do Pig'', ''Rubens Barrichello:Minhas vitórias''...

 

 


Felipe R.


  Vc me encorajou.Como sou muito manjado a criticar tudo,senti vergonha em escrever o que vc escreveu.


    Tbm li todos e um montão que falta ,por exemplo:Franz Kafka e Stendhal são obrigatórios em quiasquer listas.No caso de Kafka( com um livro na lista) poderiamos escolher qualquer outro por um escrito por brasileiros.


       Discordo sobre a poesia. Tivemos e temos,mais tivemos do que temos, magníficos poetas que não ficam devendo nada pra nenhum estrangeiro.

 

Gilead

Gilead de Marilynne Robinson é uma autobiografia ficcional do reverendo John Ames, um velho pastor congregacional na pequena e isolada cidade de Gileade, Iowa, que sabe que está morrendo de uma doença cardíaca. Ames explica que ele está escrevendo um relato de sua vida para seu filho de sete anos de idade, que terá poucas memórias dele.

 

Li todos, tirando a parte de poesia e o lixo brasileiro (amo o Brasil, mas literatura nacional, nem torturado).

 

Li, a maioria. Acrescentaria um sensacional da jornalista americana Jean P. Sasson, Princesa, é a história real da vida das mulheres árabes por trás de seus negros véus. Recomendo. O 1808, do Laurentino Gomes, é um livro que todo brasileiro deveria ler, para entender melhor o que é o nosso Brasil.

 

Pode ser medíocre o texto  para quem é leitor assíduo ou intelectual, mas para um país onde  a média de leitura é meio livro por ano, se torna uma reportagem de reflexão e de conhecimento. Ao menos foi isso que senti qdo li a reportagem. Fiz um levantamento do que tinha lido e o que não tinha lido, além de conhecer outros autores,mas o mais interessante foi descobrir que,  quanto mais leio, mais simples eu tenho que ser. 

 

"Só merece a liberdade e a vida quem luta por elas cada dia." Goethe

Eu acho válidas as listas, que ninguém conhece tudo, nem mesmo os assim chamados clássicos.

Na lista acima há vários títulos que nunca li e outros que sequer ouvi falar.

Acrescento um que considero uma obra-prima:

"As Memórias de um Médico", do Dumas Père.

Mas aviso aos navegantes para preparar as férias de verão porque são mais de 5 mil páginas.

É isso.

 

Também acho que toda lista, dessa área especialmente, é tremendamente pessoal. Agora, como tem clássico chato nessa ai. Na minha idade, com um mais de 50, tem que me dar prazer de ler, senão...

 

O Som e a Fúria  não é o melhor de Faulkner, e uma lista sem Voltaire é triste, Zadig ou Candido tem lugar aí; Admiravel Mundo Novo é falta sentida , e nunca devemos esquecer de Dickens


No mais é uma boa lista

 

Este negócio de lista não esta com nada.Tem prosa e poesia misturada aí. Deixar os poetas Ezra Pound, Baudelaire, Verlaine, Rimbaud, Goethe, Schiller, Maiakovski, João Cabral fora da lista é um crime. Entre os romancistas incluir Jane Austen e não citar Emile Brontee, também não está com nada. De romancistas que me lembro e que é impossível não lê-los estão Balzac, Edgar Alan Poe, Hermann Hesse, Scott Fitzgerald, Virginia Wollf, Lampedusa, Gorki, Tchecov, Carlos Fuentes,Ítalo Calvino, Saramago, Graciliano e outras dezenas de escritores que preenchem maravilhosamente a nossa vida além de lançarem luzes sobre nossa espécie e civilização.
Acho que é mais indicado selecionar 40 escritores por escola literária para lermos. Certo que não conseguiremos ler pois se na pequena lista acima já tem vários que eu não li. Mas pelo menos não se comete injustiças com alguns genios da literatura.

 

Vera Lucia Venturini

´E isso ai Vera. Esse negocio de lista é para Revista NOVA, é coisa bem mediocre, que tem gosto pela leitura já lei muito mais de 40 livros e não precisa de listas.

 

Essas listas são apenas opiniões pessoais. Cada um de nós pode fazer sua propria lista. Ninguem pode ler dezenas de  milhares de livros então a seleção atende ao foco de interesse de cada um.

 

Concordo Andre.

Mas voce que talvez seja o maior leitor do blog faca sua lista e divulgue aqui para nos.

 

É o que está dito no texto introdutório à lista.

 

Nossa!  Sou estou surpreso que ja li 13 deles!

 

 


Eu vou indicar dois pra morrer antes de ler.


  Na margem do rio Pedra eu sentei e chorei( eu tbm chorei depois de ler.De raiva!!)


      Veronika decide morrer( eu tbm desejei morrer de tédio e literatura abaixo da linha da cintura depois que li esse livro)


        Então, erm 1998 abandonei sumariamente o arqueiro que vive em castelo e é da A B L ( QUE HORROR) pra todo o sempre.


        Paulo Coelho poupa o público ao não publicar um único livro desde 2006.


     A galera agradece.

 

FALTOU AI, a Biblia, que queiram ou nao, é uma referencia... e

A ARTE DA PRUDENCIA, de Baltazar Gracian, que deveria ser

obrigatório nas escolas, e também, A ARTE DA GUERRA, com

adaptação de James Clavel, que é excelente... mas gosto não se

discute né mesmo (ou se discute?? eu penso que sim, deveria ser

discutido...)

 

Faltou também a Playboy e os catecismos de Carlos Zéfiro.

 

Recomendar a bíblia é a mesma coisa que recomendar uma religião. Aí teria que colocar também o corão, sutras, tradições orais,  etc...

Fora os textos apócrifos....

 

Cada religioso vai dizer que o SEU livro é mais bem escrito...

 

E se colocassem os livros religiosos, iam implicar com a ORDEM da lista, mesmo sendo não-numerada...

 

 

Certamente não leste a dita cuja

Os livros históricos, até segundo macabeus, são sensacionais

Os sapienciais são impressionantes

A parte mais fraquinha é o novo testamento

Tudo isso levando em conta os enfoques histórico, literário e sociológico

Sem religião nem fé

Sugiro ler pelo menos a versão luterana e a chamada Bíblia de Jerusalém

PS: sou ateu não praticante

 

Quantos? Eu li 14 e assisti mais 11 no cinema.

 

Muito boa a lista. Não li todos eles, mas muitos. E temos autores nacionais figurando... Nada de produção recente.

 

"A Terra Desolada" ("The Waste Land") não é um livro. É uma poesia escrita por T.S. Eliot e amplamente revista, emendada e corrigida por Ezra Pound.