Revista GGN

Assine

A diminuição do número de católicos

Por anarquista sério

Interessante e instigante esta coluna sobre o assunto do post.

Da Folha

Revolução quase silenciosa

Hélio Schwartsman

SÃO PAULO - Dados do IBGE mostram que a proporção de católicos no Brasil continuou caindo entre 2000 e 2010 e que, pela primeira vez, verificou-se também uma redução em seu número absoluto. Isso tudo era mais ou menos esperado. A questão que intriga os especialistas é saber se há ou não um fundo do poço, um piso abaixo do qual os católicos não despencam.

E uma análise dos números de 2010 sugere que não. No ainda inédito artigo acadêmico "A dinâmica das filiações religiosas no Brasil entre 2000 e 2010", os demógrafos José Eustáquio Diniz Alves, Luiz Felipe Walter Barros e Suzana Cavenaghi mostram que a população evangélica tem proporcionalmente mais mulheres e jovens, e menos idosos. Isso significa que apenas pelo efeito da inércia demográfica, ou seja, mesmo que não houvesse novas conversões, o rebanho evangélico já cresceria mais do que o católico.

Mais interessante ainda, o texto mostra que o colar da região metropolitana do Rio de Janeiro, excluída a capital, funciona como uma espécie de "eu sou você amanhã" para o Brasil. O que ocorre nessa área em termos de religião acaba se repetindo no país 20 ou 30 anos depois.

E, olhado para esse conurbado, verificamos que os católicos são só 39%, enquanto os evangélicos já chegam a 34%. Mantidas as tendências atuais, no Brasil, até 2030, os católicos serão menos de 50% e, até 2040, deverá haver empate entre as filiações de católicos e evangélicos. Detalhe importante: os católicos caem com mais rapidez onde é maior a pluralidade de denominações. Ou seja, diversidade gera diversidade.

Ao que tudo indica, o Brasil caminha para um feito relativamente raro na história das nações, que é o de mudar sua religião hegemônica. E deve fazê-lo sem derramamento de sangue ou autos de fé. Só não será uma revolução silenciosa, brincam os autores, porque evangélicos não costumam respeitar a lei do silêncio.

Sem votos
18 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+18 comentários

O que acho disto tudo?


Está aumentando o número de protestantes mas também deve estar aumentando


muito o número daqueles que não tem sequer Deus.


Pois se asiim não fosse não aumentaria tantos os crimes bárbaros que vemos todos os


dias.


Se a gente não encontrar Deus em nossos corações não vamos encontrá-lo em Igreja nenhuma.

 

Em minha família tem todas as religiões, católicos, evangélicos e espíritas, eu sou Católico. O que percebo é que o mundo dos evangélicos vem mudando muito. Já existe um numero razoável de evangélicos não praticantes. Tenho uma sobrinha evangélica, nascida na sua religião, que vai se casar em Novembro com um Católico e está previsto um baile. Tenho um irmão que se converteu a uma igreja evangélica e já não pratica a sua doutrina. Conheço várias pessoas que vão a diversas igrejas e não possuem uma como sua, mas se declaram evangélicos.

 

Franklin.

O foco das matérias sobre religião, em função da divulgação dos dados do Censo, dá uma perspectiva histórica para o período 1980-2010, mas não fala muito em aspectos qualitativos.

- evangélicos (para simplificar, os neopentecostais, considerando os demais tradicionais como simplesmente "protestantes") crescem por conversão de ex-católicos, isso é óbvio, mas há um recorte de classe também. Isto é, principalmente nas classes E/D/C. O que ocorre no colar da RMRJ não ocorrerá nos bairros de maior renda média do município do RJ. Não há nada que autorize essa extrapolação de "empate" em 2040. Mas é bem possível, por outro lado, considerar 35% (para evangélicos) como perspectiva de longo prazo para todo o Brasil. Daqui até esse momento os crescimentos serão progressivamente menores por década.

- ainda que na mesma denominação que há 30 anos, o pensamento é muito menos conservador hoje. Evangélicos da Assembleia de Deus em 1980 não podiam ter TV em casa. Nem era recomendado ler jornais... Hoje a própria igreja disputa espaço para alugar na programação de TV. Várias denominações abrem mão de dogmas como vestimenta diferente entre os gêneros, restrição ao consumo de álcool. Do mesmo modo que os católicos dos anos 1980 não eram tão dogmáticos como os dos anos 1950. O fenômeno dos "não-praticantes" vai aparecer entre evangélicos também.

- não necessariamente evangélicos são mais conservadores que católicos. Há denominações que falam abertamente em aborto e uniões homoafetivas. Sem contar que a ordenação de mulheres é evidência de um menor machismo. E dogmas como virgindade, não-contracepção e indissolubilidade do casamento são muito menos presentes. O discurso anti-LGBT de algumas denominações (especialmente Vitória em Cristo) é de ocasião e um aproveitamento de espaço para (por exemplo) Malafaia aparecer (uma espécie de neomessianismo). A tradicional Assembleia de Deus (da qual Malafaia veio), como vemos pelo discurso de Marina Silva, aceitaria sem objeções aborto e união homoafetiva se sancionados por plebiscito. Não há uma guerra santa em curso (como em países islâmicos que querem reinstituir a Sharia), mas há um oportunismo temporário também.

- há uma tendência universal e de longo prazo de quanto maior a escolaridade menor a aceitação incondicional do que pastores ou padres falam. Eles passam a ser uma referência, mas não o dogma. Essa crença atual de que as pessoas votam conforme o que o pastor manda será superada, as pessoas passarão a votar de acordo com os interesses sócio-econômicos e de classe. Há também uma tendência de longo prazo a redução da religiosidade absoluta (crescimento do ateísmo ou agnosticismo) como de crescimento da espiritualidade individual (abandono dos interlocutores padres e pastores no exercício da fé individual.)

- muito do sucesso nas conversões das últimas décadas veio de mecanismos de autoajuda, como dar preferência de emprego a pessoas da mesma igreja, comprar em estabelecimentos comerciais idem. Isso evidentemente tem limites que serão dados pela própria realidade econômica.

 

"Se você pode sonhar, você pode fazer" - Walt Disney

é o brasil ficando plural e as pessoas tendo liberdade de dizer o que são e que pensam

 

Du Moreto

Essa diversidade religiosa é própria da sociedade de consumo.

 

Dados do Censo Demográfico 2010, divulgados nesta sexta-feira (29), mostram que a população que se autodeclara espírita tem os melhores indicadores de educação e renda em relação às demais representações religiosas no país.


 

Espíritas no Brasil



  • 31,5%
    têm nível superior

     



  • 15%
    têm ensino fundamental incompleto

     



  • 1,8%
    não têm instrução

     



  • 1,4%
    não são alfabetizados

     


Os espíritas têm a maior proporção de pessoas com nível superior (31,5%) e os menores índices de brasileiros sem instrução (1,8%) e com ensino fundamental incompleto (15%). Apenas 1,4% das pessoas que se declararam adeptas desse grupo religioso não são alfabetizadas.

 

Espíritas têm os melhores indicadores de educação e renda, revela Censo.


Hanrrikson de Andrade
Dados do Censo Demográfico 2010, divulgados nesta sexta-feira (29), mostram que a população que se autodeclara espírita tem os melhores indicadores de educação e renda em relação às demais representações religiosas no país.

Os espíritas têm a maior proporção de pessoas com nível superior (31,5%) e os menores índices de brasileiros sem instrução (1,8%) e com ensino fundamental incompleto (15%). Apenas 1,4% das pessoas que se declararam adeptas desse grupo religioso não são alfabetizadas.

Espíritas no Brasil



  • 31,5%
    têm nível superior

     



  • 15%
    têm ensino fundamental incompleto

     



  • 1,8%
    não têm instrução

     



  • 1,4%
    não são alfabetizados

     


De todas doutrinas, na minha opinião, o Espiritismo se mostra a mais sensata, pois entende que  Fé e Ciência não se anulam mas se complementam.


Talves por isso se explique os dados acima do Censo.


Aos Ateus radicais e ácidos que por aquí também se manifestam, antecipo-lhes em dizer que respeito suas convições e não busco embates filosóficos ou de crenças; pois  não tenho pretensão nenhuma além de colocar minha opinião pessoal sobre o tema.


Saudemos a diversidade deste blog!!

 

O Enen e o Prouni provocará mudança nestes números já já.

 

 Os padres precisam se aproximar mais das crianças evitando que elas, mais tarde, se afastem da Igreja.

 

Vc tem algo a dizer sobre pedofilia na Igreja Católica?

 

num tá meio forçada essa analise, pois alguns anos atras dizia que a Universal seria muito maior, e hoje perdeu quase 1/5 dos seus fieis.  Acho que e apenas mais um querendo aparecer falando de previsões que usam o metodo cientifico da cigana da praça!

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

É preciso ler melhor os números para além das coisas mais aparentes e ver as tendências. O crescimento de evangélicos que na outra década havia sido de 110%, agora foi de 40%, ou seja reduziu quase dois terços, indicando que o crescimento galopante está parando e que tende a estacionar, como teólogos evangélicos sérios já preveem.

Outra tendência forte é o aumento dos sem religião. O crescimento de evangélicos não é proporcional à queda de número de católicos.

Há muitas diferenças entre os evangélicos, por exemplo, a Universal do reino de Deus perdeu porcentagem e número absoluto de fiéis. Há uns poucos anos, quando a a Universal crescia aceleradamente, quem pensava que isso iria acontecer? Ou seja as mudanças são inexoráveis.

Outro dado relevante é o aumento da quantidade de evangélicos não praticantes e sem ligação com igreja alguma. Agora além dos católicos não praticantes já temos evangélicos não praticantes também.

Também sob o guarda-chava "evangélicos" há muitas diferenças, os evangélicos tradicionais, saídos da Reforma, Luteranos, presbiterioanos, metodistas; os petencostais, os neopentecostais, os bola de neve e bispas sônias.

 

 

Logo, logo, as igrejas pentecostais ou "neo-evangélicas" passarão do crescimento exponencial para o crescimento vegetativo - aliás, eu pensava que isso já estaria ocorrendo. Talvez seja registrado melhor no censo de 2020.

O número crescente de evangélicos não-praticantes poderá significar uma menor presença de apóstolos, bispos e pastores, na representação política. As eleições de 2014 poderão indicar tal tendência.

Em termos proporcionais, creio que nos últimos 30 anos, o segmento que mais cresceu foi daqueles que se definem "sem religião" (ateus incluídos). 

 

Os ataques entre uma igreja evangélica e outra, já são uma demonstração de como está difícil para esse pessoal ganhar mais espaço.

O tiro de misericórdia seria acabar com o aluguel de horário nas TVs, que infelizmente não passou de balão de ensaio.

 

o predomínio

das in certezas divulgadas por qualquer regilião

de cairá

quando a educação além de

ensinar a repetir e passado

e antecipar garantia de  futuro 

agregar atenção

pra invenção

e pra observar do lugar onde está

sem generalizar

localizada visão 

 

 

Esqueceu de falar da presença de ateus...por que do jeito que vai os evangélicos estão mais para idade média do que salvação pacífica.

 

alexandre A. moreira

Espinosa:

 

 “Para de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo  mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Para de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que você mesmo construiu e que acredita ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Para de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro!

Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais dizer a mim como fazer meu trabalho?

Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

Para de me pedir perdão, não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por ser como tu és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja tua guia.

Amado meu, esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre, não há prêmios nem castigos, não há pecados nem virtudes, ninguém leva um placar, ninguém leva um registro.

Tu és absolutamente livre para criar na tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.

E se há, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não, Eu vou te perguntar, Você gostou?... Divertiu-se? O que foi o que você mais gostou? O que você aprendeu?

Para de crer em mim, crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que você acredite em mim, quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Para de louvar-me, Que tipo de Deus ególatra você acredita que Eu sou?

Me aborrece que me louvem, me cansa que me agradeçam. Você se sente grato? Demonstrá-lo cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que você está aqui, estás vivo, e este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações?

Não me procures fora, não me acharás. Procura-me dentro... aí estou, batendo em ti.

Espinosa.

 

 

"Brasil caminha para um feito relativamente raro na história das nações, que é o de mudar sua religião hegemônica. E deve fazê-lo sem derramamento de sangue ou autos de fé":

Verdade, os evangelicos salvam a melhor parte pra mais tarde.