Revista GGN

Assine

A estreia de Luiz Roberto Barroso

Deixo para os amigos juristas explicarem.

Antes da posse, o Ministro Luiz Roberto Barroso analisou a AP 470 como ponto fora da curva, devido à severidade das penas e à falta de atenção para com os direitos individuais dos réus.

Em evento da OAB, fez um enorme elogio à coragem de Ricardo Lewandowski de ser uma voz solitária contra o efeito-manada.

Em sua primeira intervenção no julgamento, no entanto, fez uma longa peroração condenando as manobras protelatórias de quem pediu os embargos, como se o julgamento fosse normal, corriqueiro, com os réus tendo direito a um segundo juizo.

Na sua primeira intervenção na corte, fez sociologia de irmão da estrada, com as alusões à "esperteza" dos brasileiros.  

Haverá um Barroso antes e outro depois de empossado? A esperteza macunaímica do brasileiro terá se imposto?  Falando na sequencia de Celso e Marco Aurélio de Mello, sequer tangenciou  a defesa de Lewandowski.

Sem votos

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.