newsletter

A influência da velha mídia na opinião pública

Por AlexRio

Comentário no post "A briga de Veja com os fatos e as #hashtags"

O que fica claro até para quem tem pouca percepção dos fatos, é que VEJA e seus demais congêneres - veículos de comunicação conservadores - da chamada grande imprensa, há muito não tem qualquer relevância ou influência política perante a opinião pública. E isto, sem dúvida, é motivo de muita raiva e frustação para seus ideólogos, editores, jornalistas e bate-paus - e eles sabem disso, são pessoas inteligentes.

Desde 2001 que a revista, principalmente ela, faz uma campanha implacável - e muitas vezes de tão baixo nível nos termos usados - contra Lula e o PT que chega a assustar leitores mais sensatos, e nada consegue. 

Lula elegeu-se debaixo de pau da Veja em 2002. Reelegeu-se em primeiro turno em 2006 debaixo de pau da Veja, ainda mais por causa do mensalão - com a revista pedindo em chamada de capa o seu impeachment -  e deixou o governo quatro anos depois, debaixo de uma popularidade de mais de 80% e com o país elevado a um prestígio internacional que jamais teve em toda sua história.

Lula fez um governo assim tão melhor que outros? Não sei, mas pior não fez, e foi tratado como uma sarna, uma lepra, uma anta analfabeta por um de seus mais hidrófobos opositores. Como se tudo se resumisse a isso.

Neste ínterim, fim de governo de Lula  e campanha presidencial do sucessor , Veja faz uma campanha monumental contra Dilma Rousseff e viu-se novamente derrotada com a eleição da ex-guerrilheira da VAR-Palmares para a Presidência da República. Mulher, socialista e ex-guerrilheira urbana de extrema-esquerda. O povo se lixou para o prontuário policial dela. É humilhação demais, não?  Passa então a bater constantemente na nova presidente petista e amarga um 67% de popularidade para a dita cuja numa pesquisa encomendada ao IBOPE por empresários, depois de um ano de governo, algo que nem o antecessor conseguiu.

É desmoralização demais. Creio que o tom altamente raivoso e até assustador com que a revista - e seus principais articulistas e blogueiros - hoje defende seus pontos de vista e interesses, e a maneira como bate no governo, vem daí. Um profundo ódio e uma profunda frustação ao entender - porque são inteligentes - que se tornaram completamente irrelevantes como formadores de opinião (acrescente-se à VEJA seus congêneres da grande midia conservadora).

É hoje um veículo de comunicação que vive num mundo próprio de fantasia, completamente dissociado da maioria da nação. Tranformou-se numa espécioe de dinossauro beócio, onde seus principais colunistas chamam de vagabundos e vigaristas aqueles que tentam se expressar contra seus pontos de vista e pede censura na Internet ao mesmo tempo em que se ouriça com a possibilidade imaginária de que a 'imprensa livre' seja amordaçada no Brasil.

O Cruzeiro e a Manchete acabaram com mais dignidade que isso. Saudades da Realidade.

PS Para a turma da direita que palpita por aqui : não sou petista, nem socialista, nem nunca votei em Lula na vida. Sou burguês e capitalista.  Mas não sou mesquinho.

Sem votos
30 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+30 comentários

Vocês estão subestimando o poder da mídia de direita. De fato, a principal função dessa mídia é a de martelo de bife: ela "amacia" a "esquerda" oportunista, no governo, estabelecendo os limites além dos quais não ela ousa ir.


Por exemplo, por que o PT não apresentou um projeto, no Congresso, revogando a lei da anistia? Por que o governo ou a sua base não apresentaram uma nova proposta de lei de imprensa, de direito de resposta? Por que não apresentaram uma lei de regulamentação dos abusos da mídia? Por que rifaram taõ facilmente um ministro como assim que a mídia disseminou as calúnias sem uma prova sequer?


Além disso, ela influencia amplas camadas da pequena burguesia, que é a massa de manobra de todo golpismo burguês, como vimos na ascensão do nazismo, no Chile de Allende e no golpe de 1964.


O povão, evidentemente, não lê a revista VEJA e é pouquíssimo pautado por ela. Esse papel de ponta de lança da propaganda ideológica da burguesia no seio do povão está a cargo da Rede Globo (não tenho ideia clara com que grau de eficácia: isso daria uma boa pesquisa, aliás, altamente necessária - alguém sabe de algum estudo científico já efetuado nesse sentido?). 

 

Concordo, como disse um comentarista acima, a óia é deglutida pelos "formadores de opinião", (dentistas, ginecologistas, proctologistas, urolugistas... que amontoam seus exemplares em salas de espera... pequenos e médios empresários (sufocados pelo "terror tributarista" do Estado), alpinistas sociais que acham o máximo dizer que estiveram em Orlando no último mês... mas que não sabem onde fica a nascente do Velho Chico) , aquele cara (ou dama) que tem nojo da carga tributária mas que provavelmente não tem a mínima noção de como funciona o Estado, nem nunca usou o SUS ou uma Escola Pública.

A Globo tenta adestrar o exército de reserva desse povo, os peões do jogo, o cidadão que ama o Flamengo, o Corinthians, a Beija Flor e a Mangueira exatamente porque desde os 5 anos de idade foram os únicos motivos de brasilidade que  a emissora martela na sua cabeça, a outra vertente atual são os "heróis e heroínas" do BBB e as sandices travestidas de seriedade do Faustão e do casal do JN, são milhões de pessoas sujeitas a esse bombardeio diário.

Eles têm sim, ainda, seu poder de influência, não me iludo quanto a isso.

 

Não podemos nos esquecer que Veja/globo/fsp e estadão são a linha de frente do INSTITUTO MILLENIUM, a casa teórica desta ultra-direita que não quer acabar com a dicotomia Casa Grande & Senzala. Eles dão a PAUTA para centenas/milhares de tvs, rádios e jornais das demais capitais e cidades do interior do país. E isso pesa, meu amigo... Povão realmente IGNORA a existencia do lixo Veja. Mas a porcariada lá impressa entra em seus ouvidos, na sua cabeça por outros e variados meios. Toda essa midia falando do governo federal corrupto, de que politica é safadeza, só tem gente desonesta... pregando contra a "Voz do Brasil", etc.

O que SALVA é a - até aqui - competente condução da economia pelo governo Federal. Temos que torcer muito para que o governo Dilma não perca a mão nesta área, senão...

 

Na quarta-feira de Cinzas tive que ir à João Pessoa-PB fazer uns exames médicos, depois fui ao supermercado Extra com minha mulher para umas comprinhas, na entrada do supermercado acesso do estacionamento tinha um mesa com tres jovens oferecendo Veja grátis a quem estivesse entrando por este acesso, a revista que circulava naquela semana era recebida no ato e quem se cadastrsse receberia a revista por seis meses grátis.

Não parei para ouvir a conversa dos jovens, mas minha mulher deu atenção e ganhou uma revista, mas não deixei que ela fizesse o cadastro para receber a revista por seis meses, pois gritei para todos que passavam "A VEJA VIROU PANFLETO DO PSDB E POR ISSO QUE VOCES ESTÃO GANHADO AGORA, POIS HOJE É PROPAGANDA POLÍTICA PARTIDÁRIA".

E ainda não tinha estourado o caso Carlinhos Cachoeira,hoje vejo quem banca essa propaganda toda.

 

 

Pesquisadora da PUC: O anti-jornalismo de Veja

http://www.rodrigovianna.com.br/radar-da-midia/pesquisa-da-puc-veja-se-transformou-no-maior-fenomeno-de-anti-jornalismo.html

 

Como sempre a VEJA falando mal do PT. Tudo isso por que Serra os comprou como aliados.  A VEJA metendo o ferro no Lula e na Dilma, eles que forão e são os melhores governantes que este país já teve.

Com Serra no meio é só sujeira! 

 

É isso mesmo cara, é o q todos nós achamos e por isso concordamos com o seu texto. A grande maioria dos brasileiros está nem aí pra revista e nem pra Folha e nem pro q pensa a globo. A galera quer é resultado prático, é ver comida no prato, carteira assinada e um salário decente, o resto é balela e encheção de linguiça dos Sardenbergs da vida que não fazem a menor idéia do  Brasil real.

 

lilana lima

 "...são inteligentes..." , claro, para compactuar  com a violação do código penal em dezenas de artigos.

 

Osvaldo Ferreira

 Este foi o artigo mais sensato que eu ja li na internet até hoje, em referencia a midia com o PT.

PS. Também não sou PT.

 

Nova Mídia, Velha Mídia, Pequena Mídia. Onde se encontra o autor deste post? A repulsa que os admiradores do governo tem contra as "denúncias"  do PIG é  desproporcional  ao seu poder de influência? Os 7 ministros suspeitos de malfeitos foram "denunciados" pela Nova Mídia?

A Velha mídia vai acabar em todo mundo não somente no Brasil.Uma Nova Mídia também "golpista" surgirá porque a sociedade como um todo , poder econômico no meio, dará continuidade a dialética do enfretamento ao poder estabelecido pelo Estado.Esta Nova Mídia que ora observamos é um caldeirão em efervescência, não esperem eterna subserviência, o futuro nos aguarda, dias melhores virão. Por enquanto, a única certeza é que Marx está morto.

 

 


 O que leio de ''velha mídia'' neste blog é uma grandeza.


      Mas o que é nova mídia?


       Tirante o fato de publicar o meu azedume sempre contrário a política deste blog,não consigo captar aonde a suposta nova mídia está atuando.


         Tirar ,num contexto apenas, textos daqui e dali como pincelar escritas, seria essa a nova mídia?


           Istoé,época são citadas numa página em mais de 50 escritas.Da Veja,nenhuma.


          Carta Capital tbm escreve de um lado só.


             No meu entender,nova mídia seria opiniões diferentes pro mesmo assunto- inclusive pra casos marcantes.Se editor fosse,contrataria duas tendências diferentes pra cada assunto polêmico.


             O único lugar que vejo isso é nos sábados na F S P -página 3 mum assunto específico.Isso deveria ser todos os dias em todas suas páginas.


           Voltando: Aonde eu posso ler a ''nova mídia''?


             Ela não existe.É um fantasma que povoa os sonhos do blogueiro.Ou uma ilusão.


            Aqui mesmo é opinião do blogueiro e comentaristas do mesmo lado.


                     Tbm não serve como exemplo.


    

 

"A media já não é o espelho da sociedade e nem informa corretamente as pessoas sobre os fatos, existem sim para vender e vender e vender.

E porque é que tanta gente continua a achar que  X ou Y  seja importante? A insanidade disto,se tirarmos as posições e o dinheiro dessas pessoas, o que resta? Pessoas tacanhas e mesquinhas, totalmente desinteressantes."

Comentários do poeta e filósofo holandês Rob Riemen que caem como uma luva na mídia tupiniquim que se acha imprensa e em seus donos que se acham intocáveis e os donos da verdade.

 

Na classe média tradicional a velha mídia ainda dá o tom sim. Vejo na minha própria família. 

 

Sim, a Veja tem certo controle da classe média, mas o principal ainda é a classe alta e classe média alta.

 

Há pouco tempo, por exemplo, o próprio Civita falou em entrevista que o público alvo da revista é composto por essas classes mais altas - o que é perfeitamente explicável, já que ela defende grandes corporações, "comércio livre", vai contra o Estado (tributos) e é altamente elitista, culturalmente falando.

 

A Veja tem um ar de "coisa chique", dos ricos. E é isso que atrai boa parte da classe média: a necessidade de distinção, aquela vontade de se "afastarem da patuleia, da massa fedida". É o alienado de classe média que não ganha nem 3 salários mas quer conversar e se portar como um empresário que dirige BMWs.

 

Até entendo alguém da classe alta ler e defender a Veja, afinal, ela defende os interesses dos mais ricos e coloca-se contra os desfavorecidos. Agora, alguém de classe média ou inferior citando a publicação é tão coerente quanto um negro gay que é racista e adora o KKK.

 

A oportunidade que a opinião pública brasileira tem de finalmente mudar a correlação de forças na luta contra o poderoso aparelho de manipulação que se tornou a grande imprensa do país é única e sem precedentes.

Esta luta não é recente e acentuou-se de forma escancarada desde o fim da ditadura militar. Meios como a Veja passaram da manipulação pura e simples ao ataque ideológico desprovido de qualquer escrúpulo e ética, baseado na mentira, no forjar de fatos e inclusive no escárnio de quem ou o quê revelasse alguma reação. A aliança com o crime organizado é apenas um detalhe no caso Cachoeira.

A diferença é que agora, com o evento da internet,  a resistência popular manda a resposta de forma simultânea e consequente. A era digital representa uma uma luta de vários fronts para o PIG. Por um lado a queda cada vez maior de audiência, de telespectadores, de leitores bem como a falta de adaptação e sem saber reagir aos novos tempos para sobreviver comercialmente.  Por outro lado um público crítico, vigilante, barulhento e em pé de igualdade como meio de informação e mobilização.

A atual peleja entre esta opinião pública dinâmica e ativa contra a aristocracia mediática pode ser um divisor de águas entre o passado e o futuro da própria informação no Brasil.  Não se pode deixar de passar a limpo, de desmascarar de uma vez por todas o que se convencionou chamar de PIG.  É preciso utilizar de todos os meios de pressão para trazer a público a simbiose histórica desta malígna máquina de corromper e ludibriar no caso específico do escândalo do Cachoeira, porque ele traz em seu ventre todos os níveis do poder, legislativo, judiciário e executivo,  bem como instituições públicas e privadas, desnudando a promiscuidade corrupta e criminosa dos que hipocritamente ainda têm a petulância de fingir possuir moral.    Qualquer condescendência com este escândalo máfio-midiático representará um retrocesso difícil de ser revertido.

 

Crise de Cosciencia, um bom Sinal.

 

"Reelegeu-se em primeiro turno em 2006 "

Lula foi eleito em segundo turno.

 

Seria um retrado do Brasileiro médio, que vêm se interessando pela política, era meio apático e foi literalmente empurrado pela Veja aos braços do Lula, PT, Dilma e o Governo Federal?

Meus votos para presidente, primeiro e segundo turno

1-Mario Covas, Branco (Achava Lula um radical-como Regina Duarte, " eu tinha medo", kkk-, Collor um fake, quase votei em Brizola no primeiro turno-voto "útil"- para evitar que Lula fosse ao segundo turno contra Collor, porque nesse último eu não votaria)

2)- FHC

3) -FHC

Aí, três dias depois da eleição, veio aquela maxi do dólar...pensei...êpa, o que é isso?!! Me pareceu estelionato eleitoral.  Comecei a me interessar mais por política. Vieram o apagão, a inflação combinada com congelamento de salários, os escândalos, a baixaria (chamando os aposentados de " vagabundos",  a empáfia contra a oposição-quem critica estava de "nhénnhénnhén", era "atrasado", etc".

A partir daí:

4)Lula

5) Lula

6) Dilma.

Eu até gostava da Veja, aí comecei a estranhar termos como " energúmeno" na revista...nos blogs, "patifes", " petralhas"...as acusações a qualquer um que pense diferente deles. Caramba, eu nunca fui petista, de repente, por discordar de algumas coisas, comecei a vestir determinadas carapuças: "peraí, esse 'energúmeno', esse 'quadrilheiro', esse 'imbecil', isso  aí foi para MIM!!"

Notem que nunca fui petista. Mas a Veja está conseguindo me transformar, se não num petista de carteirinha, num anti-veja, anti-psdb, anti-dem radical, antí-mídia RADICAL!! Tenho raiva de quem se aproxime deles, tenho raiva de quem eles elogiem, e adoro quem os enfrenta!! Quanto mais eles batem no Governo Federal, mais eu finco trincheira na sua defesa. Isso me impede até de enxergar os defeitos no governo. Batem tanto, e tão frequentemente, que se e quando baterem certo, eu não vou acreditar, e vou defender o governo até no que ele errar!!! Vejam a que loucura eles me levaram!!!

Sirva de lição: eu mesmo cobro do governo um enfrentamento mais firme dessa imprensa bandida e desta oposição oportunista, vivo chamando o PT de frouxo por não enfrentá-los mais contundentemente...não sei se sou o melhor conselheiro...muitas vezes o excesso de agressividade e a intolerância tem efeito inverso ao pretendido. Afastam de quem se quer aproximar, aumentam as resistências ao invés de angariar aliados.  Eu que era fã de Mario Covas e votei duas vezes em FHC, hoje, graças a gente como Serra, a própria empáfia de FHC, Roberto Freire, aquele outro de Manaus, o outro do Paraná, tenho hojeriza ao partido...só os vejo acusando, acusando, acusando....nem notam que são parecidos (guardadas às proporções) ao PT radical que era contra tudo e todos no início da década de 80, e por isso não ganhava nada (nem meu voto). Com o agravante que o PT, àquela época, pelo menos era honesto nas suas críticas.

Isso não significa, é óbvio, que não se deva ir a fundo na CPMI do Cachoeira e expôr as vísceras da revista bandida. Não precisam xingar nem ofender ninguém: basta expor os fatos, no gaso os grampos do PJ.

 

 Já passou da hora de livrarmos o Brasil deste lixo.

 

Juro, queria ter também esse salutar otimismo... mas vejo tanta gente, inclusive bem próximo a mim na familia e no trabalho, querendo conversar comigo sobre as bobagens que dizem o Faustão e o Casal Certinho do JN.

 

É verdade. Mas vejo também muitas pessoas reclamando da mídia quanto ao seu bairrismo em relação ao futebol, principalmente de quem? Goebbels, claro.

 

"tanta gente, inclusive bem próximo a mim na familia e no trabalho, querendo conversar comigo sobre as bobagens que dizem o Faustão e o Casal Certinho":

Use a palavra certa, Joao Maria, use e abuse:  espionagem.  Da proxima vez peca alguem pra te dizer qual assunto importante para o futuro dos brasileiros foi apoiado pela rede golpe.  Ninguem vai achar sequer um deles.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

A bem da verdade, olhando num plano geral, todas as investidas da imprensa foram por agua abaixo.

Mesmo com o cai cai de ministros, uma perseguição da mídia baseadas em informações de um bicheiro, o governo Dilma tomou corpo e força ate difíceis de acreditar.

Saindo da politica e indo para a área economica, TODAS as apostas da mídia, repito TODAS, deram com burros nágua. toda catástrofe anunciada não aconteceu, todo conselho se mostrou errado, todo o mau agouro transformou-se em sucesso.

A mídia está de dar pena. Não acerta uma.

 

Ligaram na ninha casa oferecendo: a Gazeta de Ribeirão Preto e a Veja, grátis por dez meses; Na casa da minha irmã começou a ser entregue a Veja no nome do meu cunhado falecido ha uns três anos.

  No comercio, este tipo de promoção, é feita com artigos que já saíram de moda.

 

Todo dia o sistema anti-spam daqui do trabalho filtra pelo menos um e-mail oferecendo assinatura de Veja. Tem seis domínios diferentes registrados no anti-spam, a gente bloqueia um e a Abril cria outro, pra burlar o soft.

Toda semana eles mandam folheto comercial pra minha casa. Ligam de três a quatro vezes por mês. Perturbam a paciência, e olha que eu já cancelei minha assinatura há uns dez anos. É uma xepa desgraçada!

 

- A população em geral não sabe o que está acontecendo, e nem mesmo sabe que não sabe (Noam Chomsky)

Será que o PSDB banca essas doações?

abçs

 

Com a palavra: a Policia Federal e as mais de 200 ligacoes telefonicas entre Policarpo e Cachoeira em 2009, véspera das eleições presidenciais onde o Serra visitou líderes religiosos em Goiania em companhia do Perillo e do Demostenes.

 

A velha mídia na contramão da História.

Moderno Dicionário Cachoeira

http://agenorbevilacquasobrinho.blogspot.com.br/2012/05/moderno-dicionario-cachoeira.html

#DicionárioCachoeira

 

 O amigo foi traído pela memória. Em 2006 teve segundo turno. graças á armação dos aloprados, de forma que o PIG ainda (de)forma opinião.

 realmente não formam opinião. deformam desopiniões. Não são irrelevantes mas caminham a passos largos para a mais absoluta irrelevância.

 Q se lasque esse jornalixo. 

 

..."são pessoas inteligentes." Não sei se o autor está a supestimar ou a ser condescendente.

Sem ironia, o fato é que se crê ainda em alguma influência das velhas corporações, ao menos em razão de sua grande audiência em  rádio e TV e largas tiragens de exemplares (mesmo com uma fraude aqui e outra ali para faturar o singelo anunciante).

Sem esquecer que muitos que vagam pela Internet são também conservadores, pagos ou mal pagos, além de...

Sendo pequeno-burguês e mero projeto de capitalista, de que me adiantaria ser mesquinho?

 

Perplexidade aflita diante da perspectiva caótica