Revista GGN

Assine

A ombudsman da Folha e o Twitter

OMBUDSMAN

SUZANA SINGER - [email protected] @folha_ombudsman

O ATAQUE DOS PÁSSAROS 


A manchete de domingo desencadeou uma onda anti-Folha no Twitter, que o jornal ignorou 


A FOLHA VEM se dedicando a revirar vida e obra de Dilma Rousseff. Foi à Bulgária conversar com parentes que nem a candidata conhece, levantou a fase brizolista da ex-ministra, suas convicções teóricas e até uma loja do tipo R$ 1,99 que ela teve com uma parente no Sul. Tudo isso faz sentido, já que Dilma pode se tornar presidente do Brasil já no primeiro escrutínio que disputa.

Mas, no domingo passado, o jornal avançou o sinal ao colocar na manchete "Consumidor de luz pagou R$ 1 bi por falha de Dilma".

O problema nem era a reportagem, que questionava a falta de iniciativa do Ministério de Minas e Energia para mudar uma lei que acabava por beneficiar com isenção na conta de luz quem não precisava.

Colocar uma lupa nas gestões da candidata do governo é uma excelente iniciativa, mas dar tamanho destaque a um assunto como este não se justifica jornalisticamente.

Foi iniciativa de Dilma criar a tal Tarifa Social? Não, foi instituída no governo Fernando Henrique Cardoso. É fácil mexer com um benefício social? Não, o argumento de que faltava um cadastro de pobres que permitisse identificar apenas os que mereciam a benesse faz muito sentido. Existe alguma suspeita de desvio de verbas? Nada indica.

O lide da reportagem dava um peso indevido ao que se tinha apurado. Dizia que a propaganda eleitoral apresenta a candidata do PT como uma "eficiente gestora", mas que "um erro coloca em xeque essa imagem". Essa tem que ser uma conclusão do leitor, não do jornalista.

Uma manchete forçada como a da conta de luz, somada a todo o noticiário sobre o escândalo da Receita, desequilibrou a cobertura eleitoral. Dilma está bem à frente nas pesquisas de intenção de voto e isso é suficiente para que se dê mais atenção a ela do que a seu concorrente, mas, há dias, José Serra só aparece na Folha para fazer "denúncias". Nada sobre seu governo recente em São Paulo. Nada sobre promessas inatingíveis, por exemplo.

Os leitores perceberam a assimetria. Durante a semana, foram 194 mensagens à ombudsman protestando contra o noticiário, mas o maior ataque ocorreu no Twitter, a rede social simbolizada por um pássaro azul, que reúne pessoas dispostas a dizerem o que pensam em 140 caracteres. Até quinta-feira passada, tinham sido postadas mais de 45 mil mensagens anti-Folha.

CRIATIVIDADE

 Os internautas inventaram manchetes absurdas sobre a candidata de Lula: "Empresa de Dilma forneceu a antena para o iPhone 4", "Dilma disse para Paulo Coelho, há 20 anos: continue a escrever, rapaz, você tem talento!", "Serra lamenta: a Dilma me indicou o Xampu Esperança" e "Errar é humano. Colocar a culpa na Dilma está no Manual de Redação da Folha".

O movimento batizado de #Dilmafactsbyfolha virou um dos assuntos mais populares ("trending topics") do Twitter em todo o mundo, impulsionado, em parte, pela militância política -segundo levantamento da Bites, empresa de consultoria de planejamento estratégico em redes sociais, 11 mil tuítes usaram um #ondavermelha, respondendo a um chamamento da campanha do PT na rede. Até o candidato a governador Aloizio Mercadante elogiou quem engrossou o coro contra o jornal.

Mas é um erro pensar que apenas zumbis petistas incitados por lideranças botaram fogo no Twitter. O partido não chegou a esse nível de competência computacional.

Na manada anti-Folha, havia muito leitor indignado, gente que não queria perder a piada, além de velhos ressentidos com o jornal.

Não dá para desprezar essa reação e a Folha fez isso. Não respondeu aos internautas no Twitter e não noticiou o fenômeno. O "Cala Boca Galvão" durante a Copa virou notícia. No primeiro debate eleitoral on-line, feito por Folha/UOL em agosto, publicou-se com orgulho que o evento tinha sido um "trending topic". Não dá para olhar para as redes sociais apenas quando interessa.

A Folha deveria retomar o equilíbrio na sua cobertura eleitoral e abrir espaço para vozes dissonantes. O apartidarismo -e não ter medo de crítica- sempre foram características preciosas deste jornal.

 

Média: 4.8 (22 votos)
72 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+72 comentários

Parece o 'Coroné' Miranda, da PM de Minas Gerais (tempo do Juscelino governador), quando o Lacerda foi fundar o 'clube da lanterna' em Juiz de Fora, e os petebistas locais fundaram o 'clube do tomate'. O 'coroné' gritava, meio bêbado, 'tentando separar' os dois grupos: "Cêis pode dá vaia purquê a lei permeite, mais faz favô de num tampá calhau" - e choviam tomates. "Os amigos do moço ficam do lado de lá, os do Riani pro lado de cá!" - Lacerda teve que abandonar o palanque, pois não conseguiu fazer o discurso...

 

Deviamos fazer uma campanha em massa pela internet, escrever aos anunciantes de veja e ameaça-los de boicote,por estamparem suas marcas em uma  publicação tão sórdida.Por que todos sabemos que empresa nenhuma quer ter sua marca associada a deliquentes.

 

Dilma disse para Paulo Coelho, há 20 anos: continue a escrever, rapaz, você tem talento. 

Ehehe, essa frase era minha. 

 

Nassif, vc vai lembrar do embate entre o Paulo Francis (então, articulista dominical da Folha)  e o primeiro ombudsman do jornal, Caio Túlio Costa. Foi um "tour-de-force" feroz nas páginas do jornal, que só terminou com a intervenção da direção. Francis o tachou de "bundsman", então...Que eu me lembre, foi o mais qualificado: consolidou as regras de sua atuação (o cargo era novo na imprensa nacional, não havia internet, eram outros tempos) frente à Direção de Redação e à diretoria do jornal. Se ele era bom e levou uma "varada" também da direção - porque as polêmicas com Francis primeiro e Ivan Lessa depois o desgastaram a ponto de ele optar pela não-continuação no cargo - , imagina o que espera a Singer...

 

Otarinhos gostam de bibelôs, que adornam suas salas,  sem nenhuma praticidade.

 

“Contra ratos não há argumentos.” (Palmério Dória)

Vai tomar uma bronca daquelas do Serra. Será considerada a culpada pela derrota acachapante que o Zé vai levar. Se eu fosse ela estaria preocupado.

 

A folha não está preocupada com seus assinantes. A Secretaria de Educação do Estado de  São

Paulo, juntamente com a do município são seus grandes clientes. Os jornais são comprados sem

licitação e são distribuidos nas escolas públicas. Portanto os maiores assinantes da Folha são

o PSDB e o DEM. 

 

O que mais me intriga nisso tudo é a capacidade de alguém acreditar que iiso muda alguma coisa na Folha. O "show" crítico da Folha continua. Só mais uma coisa: a ombudsman dizer que a Folha é um jornal crítico já é demais. Besteirol não é sinônimo de crítica. Oque é isso?

 

O aquário da Folha já esqueceu o assunto, uma vez que seu ato já surtiu o efeito esperado: Serra estampou a 'denúncia' em sua propaganda eleitoral. Tudo o mais é irrelevante.

 

Interessante ela se referir a "zumbis petistas", desqualificando uma iniciativa só porque parte de um militante partidário. A velha mídia demoniza os partidos e a política.

Tempos atrás um conhecido jornalista recebeu e-mails de protesto contra uma ofensa que ele dirigira a Lula. Mas ele retrucou dizendo algo como: "não vou levar esses e-mails em consideração pois vieram de pessoas que são simpatizantes do PT, portanto não é uma opinião isenta". Ou seja, só valem as opiniões daqueles que não têm opinião.

 

_____________________________

Roberto Locatelli

Profissional de computação gráfica, modelador digital

Para ofensas malcriadas, respostas malcriadas: Zumbi petista é a p. q.  p., pertencente a manada, pertencente a manada é seu pai que possui cascos. Convocação: Vamos todos os leitores dos blogs “sujos” inundar a net e desconstituir o PIG.

 

 

 

Foto de uma das figuras mais asquerosas do país: Ovotavinho Frias Filho.

Aqui aparece ao lado do pai daquela tal de Verônica, aquela que quebrou o sigilo bancário de 60 milhões de brasileiros. Detalhe: Esse crime está comprovado!

Re: A ombudsman da Folha e o Twitter
 

A Folha está tão desmoralizada que nem sua ombudswoman, que tem se caracterizado por enorme  condescendência com o jornal dos patrões, está pretendendo ser solidária na ridicularização sofrida pelo jornalão no Twitter, talvez até com o risco de não ter seu contrato renovado. Não quer entrar nessa fria dos Frias, com o perdão do trocadilho meio batido, patrões sem autoridade moral e credibilidade, que colaboraram com os torturadores durante a "ditabranda". 

 

tudo prá inglês ver.

não temam por suzana, que é singer, mas de alto escalão na FSP.

Mas a pergunta que não cala, onde anda o excelente Mário Magalhães?

Último ombudsmas DE FATO E DIREITO da FSP...

 

Mestre Hitchcock tinha previsto que isto ia mesmo acabar acontecendo:

http://www.facebook.com/video/video.php?v=1058377629647

 

 

Mas a Folha não está nem aí para sua ombudsman (ou seria ombudswoman?). Hoje essa manchete ganha de qquer outra que inventaram lá no twitter:

 

Painel: Dilma disparou telefonemas quando soube de acusações contra Erenice Guerra

 

Informada de que a nova edição da revista "Veja" traria acusações contra Erenice Guerra, Dilma Rousseff, embora "em recesso" pelo nascimento do neto, disparou pessoalmente, entre quinta e sexta, alguns telefonemas na tentativa de aferir o grau de encrenca a envolver sua sucessora na Casa Civil, informa o "Painel" da Folha, editado por Renata Lo Prete (íntegra somente para assinantes do jornal e do UOL).

Segundo a revista, Erenice teria atuado para viabilizar negócios nos Correios intermediados por uma empresa de consultoria de propriedade de seu filho Israel Guerra. Ela teria se encontrado quatro vezes, fora da agenda oficial, com o empresário Fábio Baracat, ex-sócio da MTA Linhas Aéreas, que atua com transporte de correspondências.

Depois dos encontros com Erenice, intermediados por Israel Guerra, a MTA, de acordo com a "Veja", teria conseguido contratos no valor total de R$ 84 milhões com os Correios --destes, R$ 5 milhões foram para a empresa.

 

"Mas é um erro pensar que apenas zumbis petistas incitados por lideranças botaram fogo no Twitter."

E é mais um erro, conduzido pelo preconceito, chamar militâncias politizadas de "zumbis".

 

"Ou o Brasil acaba com a mídia canalha, ou a mídia canalha acaba com o Brasil"

só posso dizer que tenho muita pena do seu pai

o grande economista de esquerda Paul Singer

uma excelente pessoa

ele certamente despreza a fossa do tukanistão

e está sendo chamado de animal pela própria filha

pistoleira de aluguel do oktavinho "ditabranda"

 

Ou o Brasil acaba com os juízes e políticos corruptos ou os juízes e políticos corruptos acabam com o Brasil. Alguém aí sabe para que servem a Polícia Militar e o Senado?

Bem que alguem podia fazer um movimento no twitter chamado #vejaesuasnoticiasdeverdade, e colocarmos todas as possiveis noticias que a veja pode publicar ate o dia das eleiçoes de forma a mudar a preferencia do eleitorado, afinal a veja fica semanas sem noticias BOMBASTICAS e de repente aparece com uma para tentar indignar o povo, algo praticado ha tempos.

 

Entende-se o desespero dos tais grupos de mídia do eixo RIio-Sãopaulo.Só o  Serra poderá salvá-los da falência.Os jornalões estão condenados a desaparecer e sem um parceiro no governo essa derrota é certa.Basta ver o que acontece nas escolas públicas de São Paulo.Assinaturas de jornais e revistas dos chamados jagunços de defesa de Serra.Por que não se encontra outras publicações mais críticas ao PSDB?Apesar que são quase nenhuma,salvo poucas exceções como a revista Carta Capital que semanalmente dar furos na velha e vendida mídia.

 

Mauri PEREIRA

"zumbis petistas", "O partido não chegou a esse nível de competência computacional", e depois vêm falar em apartidarismo? Além do que, dizer que "o apartidarismo e não ter medo de crítica- sempre foram características preciosas deste jornal" é, na melhor das hipóteses, de uma ignorância crassa. Qualquer um com um mínimo conhecimento da história do Brasil nos últimos 50 anos sabe que essa visão da Folha é muito mais uma ficção criada pelo departamento de marketing do jornal que realidade. 

 

Esse truque de ter "ombudsman" já caiu no descrédito total. A Falha insiste em posar de moderninha, descolada, independente, isenta, blá, blá, blá... mas se transformou no oposto do que apregoa.

Comprometida até a raiz com Serra e os demotucanos, e aliada a sua irmã gêmea, a (in)veja, pratica panfletagem descarada e não jornalismo,  A "ombudsman" é mera figura decorativa, que dá "uns pitos" de vez em quando e fica tudo por isso mesmo. Serve para satisfazer a sede de justiça de alguns leitores mais críticos, que insistem em ler o jornaleco e ainda por cima cobrar alguma coerência ou imparcialidade.

Hoje a Falha continua fazendo exatamente (ou até pior) o que a "ombudsman" criticou. Amanhã  provavelmente será ainda pior. Não sejamos ingênuos. Meu conselho aos que ainda não cancelaram suas assinaturas é: não pecam mais tempo e dinheiro.

 

ou seja, é a cara da elita paulistana. 

 

A Folha oscila entre o golpismo e o humorismo, e a coluna da ombusdman mostra essas duas faces do jornal. Ao escarafunchar a vida de Dilma nos mínimos detalhes e transformar qualquer um, por mais irrelevante que seja, em escândalo, está praticando golpismo disfarçado de jornalismo. Acaba por virar alvo de chacota, como no caso descrito pela ombudsman.

Suzana Singer vem se revelando uma das melhores jornalistas a ocupar a função de ombudsman na atual fase do jornal, apesar de ter que pagar o tributo a quem lhe paga o salário, ao dizer que o apartidarismo sempre foi uma característica do jornal, o que nunca foi verdade. Ou ao usar palavras sutís e eufemismos para descrever a óbvia manipulação em favor do candidato do jornal, como ao dizer que "tudo isso faz sentido", "é uma excelente iniciativa" mas "o jornal avançou o sinal" e "desequilibrou a cobertura eleitoral".

Não vai aqui nenhuma crítica à ombudsman, ao contrário. Vendo as transformações - para pior - por que passaram os estrelados colunistas do jornal é de se admirar sua coragem, ainda mais quando se leva em conta o poder de censura que Serra exerce sobre o mesmo.

Excetuando Clovis Rossi e Eliane Cantanhede, que são umbelicalmente ligados ao PSDB por vínculos familiares, os demais jornalistas e colunistas parecem um bando de tarefeiros de prontidão. Dos que importam salvam-se apenas, com algumas ressalvas, Janio de Freitas e Mônica Bégamo.

 

Muito estranho que em época eleitoral essa matéria tenha passado... o reporter Ricardo Westin não tem medo de perder o emprego?

12/09/2010 - 07h58

São Paulo boicota vitrines federais na saúde


RICARDO WESTIN

DE SÃO PAULO

http://www1.folha.uol.com.br/poder/797384-sao-paulo-boicota-vitrines-fed...

 

francamente, gostaria de aventar outra possibilidae. esse negócio de ombudsman é uma forma de legalizar a marmelada. ao longo dos anos que efeito esse cargo criou p aperfeiçoar a linha editorial da folha? para melhor ,evidentemente. esse cargo legitima a molecagem (estou usando um eufemismo) pq dá uma capa de legitimidade...'olha como eles são capazes de fazer autocrítica'. na prática, nada muda. ao contrário o jornal fica pior a cada dia. sou assinante do jornal há mts anos (sou um pecador e masoquista), acompanhei a passagem de vários desses profissionais pela função e nunca me iludi com essa pompa. o q essa moça está falando aí, embora verdaderio, vai surtiir o msm efeito de sempre, ou seja, nenhum.

 

Eu tinha um chefe que fazia reuniões, que conversava e  que escutava todo mundo, mas nunca, nunca considerou nada. Ele sempre estava certo e com a razão!

Abraços a todos

Alex

 

"O apartidarismo -e não ter medo de crítica- sempre foram características preciosas deste jornal."

 

Eu não entendi direito essa última parte... o que ela quis dizer? Ela quis fazer uma piada irônica, não foi?

 

Bem que eu desconfiei daquela mala direita me oferecendo receber a Veja de S. Paulo grátis por 20 dias, justamente no período eleitoral.

Re: A ombudsman da Folha e o Twitter
 

Mas é um erro pensar que apenas zumbis petistas incitados por lideranças botaram fogo no Twitter. O partido não chegou a esse nível de competência computacional.

Na manada anti-Folha, havia muito leitor indignado, gente que não queria perder a piada, além de velhos ressentidos com o jornal.

Impressionante a imparcialidade e a educação fina da ombundaswoman da Falha...

Além do trecho já destacado pelo Martins Andrade.

Folha. Não dá pra não rir.

 

Coitada! Assim que acabar o mandato de "Ombudsman" vai para o olho da rua.

 

Manchete principal de hoje na Folha: "Filho de braço direito de Dilma atua como lobista".

Acho que a onbudsman já tem assunto para a coluna do próximo domingo.

 

Dona Suzana tomou chá de bom senso, foi ?

Essa frase: "um erro coloca em xeque essa imagem". Essa tem que ser uma conclusão do leitor, não do jornalista.

Nas matérias parciais do jornal só o que vemos é isso, jornalistas concluindo e induzindo o leitor a acreditar em mentiras.

Outra: Na manada anti-Folha, havia muito leitor indignado, gente que não queria perder a piada, além de velhos ressentidos com o jornal.

Sou um ex-leitor indignado, não quis perder a piada e tenho o ressentimento de quem foi assinante por 12 anos e fiquei orfão. Sem contar que o jornal deveria estampar na capa diariamente que apoia o candidato da oposição.

 

Dona Suzana tomou chá de bom senso, foi ?

Essa frase: "um erro coloca em xeque essa imagem". Essa tem que ser uma conclusão do leitor, não do jornalista.

Nas matérias parciais do jornal só o que vemos é isso, jornalistas concluindo e induzindo o leitor a acreditar em mentiras.

Outra: Na manada anti-Folha, havia muito leitor indignado, gente que não queria perder a piada, além de velhos ressentidos com o jornal.

Sou um ex-leitor indignado, não quis perder a piada e tenho o ressentimento de quem foi assinante por 12 anos e fiquei orfão. Sem contar que o jornal deveria estampar na capa diariamente que apoia o candidato da oposição.

 

A ombudsman está pregando no deserto. Nada vai mudar. É a Folha. Partidária.

 

Zumbi petista uma ova! Eleitores conscientes e revoltados a vergonhosa cobertura da Folha. Não se questiona se o jornal escrever a verdade por mais dura que seja. O que revolta é a invenção de fatos, a mentira pura e simples, o partidarismo doentio.

 

Essa expressão infeliz, "zumbi petista", ela poderá depois comentar com o pai Paulo e o irmão André.

O ponto é que se ombudsman em jornal fosse vital os outros jornais também teriam. Mas parece algo "nice to have".

Agora, vamos lembrar, além do conteúdo de cada jornal e qualidade de equipe de articulistas, a própria gestão empresarial do grupo. A FSP parece bem melhor sucedida na internet (uol), na área editorial (livros da Publifolha) e no jornalismo (Agora, Valor) que seu primo político OESP (Estadão). Também tem seu próprio instituto de pesquisa (Datafolha).

O Estadão é bem melhor jornal (na minha opinião) que a FSP. Mas o Jornal do Brasil era ainda melhor...

Assim, ainda que fale muito mais bobagens que o Estadão, acho que a FSP, como grupo, sobreviverá mais tempo e melhor.

Agora andam requentando aquele comercial de 1987 que contava a trajetória populista de Hitler e de seu sucesso inicial com a economia.

Vira e mexe alguém lembra ou busca associar a popularidade de líderes de regimes totalitaristas com Lula. Isso é de um primarismo atroz.

Ao contrário de líderes populistas, como Vargas, Perón, Franco, etc., Lula nunca precisou aparecer em selos, cédulas, fotos em escolas e repartições, nome em obras públicas.

Ao contrário de ditaduras e sistemas de partidos únicos, nunca precisou da imprensa a favor (ou manietada.)

A popularidade de Lula é bem genuína e se alguém compará-lo a Roosevelt, Gandhi ou Mandela acho que vai acertar bem mais. 

 

 

"Se você pode sonhar, você pode fazer" - Walt Disney

Ótima também a ilustração do Fido Nesti, que acompanha a coluna: http://twitpic.com/2nrk28

 

     Tadinha da Folha...viu os erros e colocou alguém pra consertar...Mas na próxima ediçaõ faz outra manipulação...é bom o pessoal ficar esperto...o pito só veio depois da indignaçaõ popular.

 

A Suzana tenta disfarçar, fingindo-se de ombudsman ao comentar a onda no twiter. Mas sempre termina com uma ressalva, defendendo ou desculpando o jornal. E hoje, ainda chama os que discordam da linha facciosa da folha de manada!  

josé  maria de souza

 

A mocinha Suzana quase se mostrou independente. Mas o "DNA folhista" falou mais alto, não falha: "... NA MANADA ANTI-FOLHA anti-folha...", viram? Eu nunca vi "manada" de cientistas, políticos, juizes, NEM DE JORNALISTAS, SÓ DE ANIMAIS. A usar esse "coletivo" pra designar quem criticou a atitude do jornal, melhor ignorar os protestos, como deve ter mandado o tal Otavinho! Não vejo nada a elogiar, no 'pito' da "jornalista"?.

 

Manchete importante da Folha hoje : "Filho do irmão da vizinha de fundo da lojinha de 1,99 da Dilma faz lobby".

Ou seja, a "budswoman" fala e a caravana continua passando...

 

Rapaz! Descobrimos que existe vida inteligente na redação da Folha! Pelo menos UMA jornalista lá dentro pensa! Eu já estava achando que as únicas pessoas inteligentes de lá fossem os funcionários de fora da redação...

 

Primeiramente: FORA TEMER! E pra encerrar: FORA TEMER!

ran ran

 

Agora é vez da Veja. Vejam este twitter: REVISTA VEJA: Não compre. Se comprar, não abra. Se abrir, não leia. Se ler, não acredite. Se acreditar, relinche

 

Zurrar seria um verbo mais correto neste caso.

 

'A Folha deveria retomar o equilíbrio na sua cobertura eleitoral e abrir espaço para vozes dissonantes. O apartidarismo -e não ter medo de crítica- sempre foram características preciosas deste jornal.'

 

A ombudsman é uma piadista, não?

 

"Zumbis petistas"? Que tal jornalistas vampiros da folha? Combina com o visual do Serra, segundo o Macaco Simão.

 

Nem na funcao de ombudsman, deixam de destilar o preconceito ... "zumbis petistas". Do jeito que as coisas estao, vejo mais "zumbis jornalistas". Quanto ao termo "manada" anti-folha ... que coisinha ruim, reacionária...

 

Pessoal,

esse cargo de ombudsman da Folha é semelhante ao da Rainha da Inglaterra, ou seja, não serve para coisa nenhuma. Antes da Suzana, que dificilmente pega pesado, quantos outros que ocuparam a mesm função não chamaram a atenção sobre a cobertura parcial da Folha no processo eleitoral? E aí, qual foi foi o resultado prático?

Frias e seus sabujos, muitos dos quais com salários de dois dígitos, não devem nem ler o texto da ombudsman. Se lêem, com certeza dão risada e falam entre si: a gente faz o que quer, apoia o candidato que nos interessa, arrebenta com o governo Lula e ainda dá trabalho para esses ombudsman fazerem uns textinhos que ajudam a vender nossa imagem como um jornal plural e aberto a críticas. Pura balela.