Revista GGN

Assine

A Primavera de Manaus

Ao longo desta série, vocês conhecerão em detalhes um episódio ilustrativo do Brasil contemporâneo, juntando de um lado jovens tuiteiros, de outro o pacto entre o coronelismo mais atrasado e as grandes redes de comunicação, em um dos mais podres sistemas políticos brasileiros: o do Amazonas.

Entenderão o cerne do poder político dos coronéis regionais, a parceria com o governo federal, para obter o apoio dos três senadores de cada estado, e com as grandes redes de comunicação, para terem acesso às verbas estaduais.

Saberão da hipocrisia daqueles que, no sudeste, criticam o atraso político em outras regiões, mas sustentam esse anacronismo por interesses muito objetivos.

Conferirão que não existem idiossincrasias nas relações políticas e midiáticas: Amazonino é do PDT de Leonel Brizolla; Tiradentes da CBN da família Marinho.

Os capítulos já disponibilizados:

1. Twitteiros versus coronéis da selva.

2. A fonte de poder dos coronéis regionais.

3. As primeiras represálias ao movimento.

4. O radialista que amava Roberto Carlos.

5. A invasão do posto de saúde.

6. A suspensão com base em um documento falso.

7. O terror no jogo político do Amazonas.

8. A perseguição da CBN ao médico que a processava.

Média: 3 (2 votos)
93 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+93 comentários

Nassif, parabéns por postar a situação do que é a política dos coronéis do Amazonas!

Continue, vamos mostrar a realidade. O Jornaleiro fica louco com você,pois a credibilidade dele e da CBN Manaus está quase na lama!

Pra quem não sabe, o Jornaleiro é inconformado, pois o verdadeiro dono da CBN, o atual prefeito Amazonino, perdeu a eleição em 2004.Logo, foram 4 anos sem dinheiro "entrando fácil". O Coronel de barranco(Amazonino), ganhou a eleição em 2008 por se juntar a um vice que alavancou sua candidadura, pelo fato da maioria dos votos serem de pessoas menos esclarecidas. O Vice na época tinha um programa de TV, típico sensacionalista e digamos teatral.Mais um controle da mídia massificadora!

Pra quem não sabe este é o retrato de alguns políticos no Amazonas, e o Jornaleiro da CBN Manaus(a rádio que troca notícia)apoia o Amazonino, porque ele que o fez cre$cer!

Acontece Nassif, que quando você posta algo sobre o caso Bianca, o Jornaleiro fica irritado, pois sabe que aos poucos está sendo desmascarado!

Ainda bem que o Dial Up do meu rádio não sintoniza a CBN Manaus.E digo mais, ainda bem que tenho parabólica, pois tá vindo por aí a tal de TV Tiradentes(alianadora de mentes fracas) e não aguentaria ligar a TV no canal aberto e ver o cinismo do Jornaleiro!

Pois, bem, os leitores deviam fazer a sua parte e boicotar a CBN de Norte a Sul do País. Lembrando que a CBN é integrante das Organizações Globo(apoiou a Ditadura Militar) de Alienação!

 

De inocente, TODOS os políticos não tem nada. Isso é fato!

Eu disconfio que uma Lei de Meios NÃO INTERESSA ao Governo Federal. Não que isso seja assim tão difícil de ser conseguido [sei que é], o ponto central não é esse. Apesar de não ser impossível [dicícil, não impossível], o que pega, no caso, é exatamente isso que o Nassif disse: VOTO! APOIO! Nada mais.

O Governo pensa: "para que fazer uma lei, criando inúmeras concessões públicas e enfraquecendo as vias de enriquecimento dos nossos colaboradores, se estes deixarão de votar conosco?"

É mais fácil encontrar a agulha no palheiro que desfazer este emaranhado de benesses e apoio "irrestrito". QUEM PRECISA DE ALGUNS VOTOS DO SUL/SUDESTE, se Governa-se com votos de rincões espalhados pelo NORDESTE/NORTE/CENTRO-OESTE?

O Governo faz os cálculos, e percebe que agradar a uma parcela do SUL/SUDESTE NÃO VALE A PENA! A conta não fecha, após fazer tal Lei de Meios.

Hoje, tem-se a insatisfação de alguns, com o apoio de muitos. Após, o Governo terá que negociar MUITO MAIS para ter o mesmo apoio que tem hoje.

VOCÊ: TOMARIA QUAL VIA? [FÁCIL RESPONDER, NÃO? - A NÃO SER QUE QUEIRA FICAR 4 ANOS LÁ E NUNCA MAIS VOLVAR, E VER A LEI SER DINAMITADA]

 

Contratos com empresas públicas complicam a situação do presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante Junior.

do blog: http://pererecadavizinha.blogspot.com/

 São complicadíssimas as acusações contra o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante Junior, na ação popular ajuizada por dois advogados paraenses (leia a íntegra aqui: http://diganaoaintervencao.com/oabpa/wp-content/uploads/2011/11/A%C3%A7%C3%A3o-Popular-contra-Ophir.pdf), na qual se pede que devolva aos cofres públicos R$ 1,5 milhão que teria recebido irregularmente através de licenças remuneradas do cargo de procurador do Estado, que já duram 13 anos e que seriam ilegais.
  
Ainda mais grave que esse suposto afastamento irregular do trabalho, para se dedicar à OAB – uma questão que ganhou manchetes nacionais - é a acusação de que o escritório de Ophir mantém contratos com empresas públicas do mesmíssimo Estado do Pará, para o qual trabalha ou deveria trabalhar. E o fato, por incrível que pareça, é, sim, verdadeiro.O escritório de Ophir, que tem hoje o nome de “Cavalcante, Pereira e Advogados Associados”, firmou dois contratos, neste ano, com a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), um organismo da administração indireta.O primeiro, no valor de mais de R$ 35 mil por três meses, para orientar a Cosanpa nas negociações do acordo coletivo de trabalho, foi ainda aditivado em mais 11 horas, ou quase R$ 5 mil.Veja nos diários oficiais dos últimos 26 de maio (página 14, caderno 3) e 12 de julho (página 10, caderno 1): O segundo contrato com a Cosanpa, no valor de R$ 76.800,00 para um ano, está publicado no Diário Oficial de 27 de setembro (página 6, caderno 2):Em ambos os casos, os contratos foram firmados a partir de carta convite, que é a mais simples entre as modalidades licitatórias.Mas o escritório do presidente nacional da OAB também manteve contrato com a Enasa (Empresa de Navegação da Amazônia), uma sociedade de economia mista pertencente ao Governo do Estado, cuja liquidação se arrastou durante anos.O contrato entre a Enasa e o escritório de Ophir foi firmado em 2004, ou seja, no primeiro governo do tucano Simão Jatene, com um valor de quase R$ 6.500,00 por mês, e teve por base também uma carta convite.O quarto aditivo a esse contrato está publicado no Diário Oficial de 06 de março de 2008 (página 10, caderno 3): E, ao que parece, a contratação prosseguiu nos anos de 2009 e 2010, conforme se pode depreender de duas atas de assembléias realizadas pela Enasa, nas quais aquele escritório, chamado na  época  Cavalcante& Pereira Advogados Associados S/C, foi representado por Thales Eduardo Rodrigues Pereira, um dos sócios de Ophir e igualmente procurador do Estado.As atas estão publicadas nos diários oficiais de 09 de dezembro de 2009 (página 10, caderno 3) e de 30 de abril de 2010 (página 1, caderno 5).Veja aqui: http://ioepa.dominiotemporario.com/2009/12/09/09.12.Executivo.03.pdfE aqui: http://ioepa.dominiotemporario.com/2010/04/30/30.04.Executivo.05.pdfElas são interessantíssimas, já  que até mostram Thales, e o escritório dele e de Ophir,  na mesmíssima mesa de negociações em torno da liquidação da Enasa, da qual também participou a Procuradoria Geral do Estado (PGE).Diz um trecho de uma das atas, na qual Thales Pereira figura como representante da Assessoria Jurídica da Enasa:  “Pedindo a palavra, o Procurador do Estado, Sr. Graco Ivo disse que com a liquidação e extinção o Estado assumirá todo o passivo e ativo da ENASA. Com a sucessão não significa que se pode alterar a prorrogação da extinção. Com a palavra o Sr. César Queiroz diz que no período de transição o Escritório Cavalcante & Pereira Advogados Associados S/C e PGE, devem, em harmonia, realizar esta transição com tranqüilidade, repassando todos os processos para a PGE”. E eis um trecho da segunda ata:“Passando ao item “9”: Solicitar esclarecimento à EXECUTA, quanto aos procedimentos contábeis pós liquidação. O Sr. Thales Pereira informa que a EXECUTA está desobrigada deste compromisso, face Rescisão do Contrato devido à extinção da empresa. Com a palavra o Sr. Graco Ivo diz que a PGE assumirá todo o trabalho decorrente da extinção e, quanto à EXECUTA disse que se não houver alguém apto no Estado a arcar com esta responsabilidade (prestação de contas) deverá ser avaliada a prestação desses serviços pela EXECUTA, no que o Sr. Carlos Lima se prontificou a prestar esses serviços como Pessoa Física. O Sr. Graco Ivo disse que o Estado avaliará os serviços contábeis necessários à efetiva liquidação da empresa, o que é feito habitualmente em processos de liquidação”. Qual o problema de tais contratos?O problema é que a Procuradoria existe justamente para representar  judicial e extrajudicialmente o Estado do Pará, além de prestar-lhe consultoria jurídica, conforme o artigo 187 da Constituição paraense. Isso está, aliás, no site da própria PGE:http://www.pge.pa.gov.br/?q=node/42A Lei Complementar nº 041, de 29 de agosto de 2002, também transcrita no site (clique em Institucional e, depois, em Competência) diz que compete à PGE, inclusive, expedir orientações jurídicas também às entidades da administração indireta, naqueles casos que envolvam relevante interesse público.É certo que Ophir Cavalcante Junior afirmou à Folha de São Paulo que o escritório dele “é legal, desde que  não atue contra o Estado”. Veja aqui:http://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/11/ophir-cavalcante-junior-debaixo-de-bala.htmlMesmo assim, fica a dúvida: se Ophir e Thales já recebem remuneração como procuradores, para atuar em defesa do Estado do Pará, como, então, podem manter contratos para a defesa de organismos estaduais, ainda que pertencentes à administração indireta? E,  especialmente, como podem ter sentado do outro lado do balcão, no caso da liquidação da Enasa?Não há qualquer dúvida de que Ophir e Thales são procuradores do Estado.No Quadro de Antiguidade dos Procuradores, publicado pela PGE no Diário Oficial do último 26 de julho (página 6, caderno 1) consta que ambos ingressaram na carreira em maio de 1988 e que ambos foram guindados à Classe Especial da Procuradoria em 29 de agosto de 2002.Veja aqui: Também não há qualquer dúvida de que ambos são sócios no escritório Cavalcante e Pereira.Está no site do escritório (http://cavalcantepereira.adv.br/sobre.html ).

Veja aqui:Também não há dúvida de que o presidente nacional da OAB, apesar de permanecer há 13 anos em licença remunerada da PGE, não se afastou de seu escritório: na página do Tribunal de Justiça do Pará, Ophir Filgueiras Cavalcante Junior figura como advogado em 48 processos, apenas na região de Belém.Veja aqui: Ophir advoga em processos ajuizados em todos os anos desde 1996, à exceção de 2001.Num deles, protocolado agora em julho, Ophir e Thales atuam numa causa de mais de R$ 1 milhão, em defesa do Hospital Saúde da Mulher.Em outro, de 2004, época em que foi firmado o contrato com a Enasa, Ophir atua num processo da AGF Brasil Seguros contra o Instituto de Previdência da Assembléia Legislativa, o Ipalep.Aqui:E mais: também não há dúvida de que o pai do presidente da OAB, Ophir Filgueiras Cavalcante, é o consultor geral do Estado, ou seja, o sujeito que orienta juridicamente o governador, e que também ocupou a Consultoria entre 1995 e 2006, durante os 12 anos ininterruptos de governos tucanos. Veja aqui a nomeação dele no diário oficial do último 06 de janeiro (página 1, caderno 1):

 
E aqui o currículo de Ophir ( o pai) no qual consta o exercício da Consultoria do Estado naquele período:http://www.conferenciaoabsc.com.br/ophir.pdfE mais: um cidadão chamado Thales Eduardo Rodrigues Pereira, ou seja, com o mesmíssimo nome do sócio do presidente nacional da OAB, figurou na lista de assessores especiais II nomeados pelo governador Simão Jatene, em janeiro deste ano. A nomeação desenfreada de assessores especiais pelo governador Simão Jatene, que foi objeto de uma série de reportagens exclusivas da Perereca, acabou, inclusive, ganhando repercussão nacional. Aqui: http://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/02/jatene-nomeia-filhas-de-desembargador.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/02/assessores-especiais-ja-sao-411-so-os.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/02/farra-dos-assessores-especiais-consome.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/02/um-3x4-de-romulo-maiorana-prantera-o.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/02/maiorana-com-assessoria-especial.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/jarbas-vasconcelos-presidente-da-oab.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/cnj-abre-sindicancia-para-apurar.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/as-assessorias-especiais-promiscuidade.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/oab-ingressa-na-justica-para-demissao.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/oab-aciona-cnj-contra-nepotismo-na.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/farra-das-assessorias-especiais-de.htmlhttp://pererecadavizinha.blogspot.com/2011/03/mulher-de-desembargador-do-tje-tambem.htmlE veja aqui a nomeação especificamente do cidadão de nome Thales Eduardo Rodrigues Pereira para assessor especial II, publicada no diário oficial de 11 de janeiro deste ano (página 1, caderno 1):Veja, ainda, que esse mesmo Thales foi exonerado do cargo de assessor especial II a contar do último 21 de julho, na esteira da reestruturação desses cargos. Mas foi nomeado, também a contar de 21 de julho, como assessor jurídico (um DAS 5) na Consultoria Geral do Estado, que é comandada, como já se viu, pelo pai do presidente nacional da OAB.Está tudo no primeiro caderno do Diário Oficial de 04 de agosto; a nomeação de Thales para a Consultoria, que é reproduzida abaixo, na página 7, caderno 1: Na Ação Popular, o que se alega é que a OAB não seria uma associação de classe – e a lei só admitiria tal licença remunerada para o exercício de cargos de representação classista.No entanto, diz ainda a ação, mesmo que a OAB venha a ser considerada um órgão de representação classista, ainda assim a lei só permitiria uma renovação de tal licença – e não quatro, como no caso de Ophir.O processo está na Justiça e deve demorar, uma vez que ações populares acabam, sempre, no Supremo.Mais grave, porém, parecem ser esses contratos entre o escritório de Ophir e organismos estaduais, ainda que da administração indireta.Um procurador de Justiça ouvido pela Perereca disse acreditar que tais contratos não são legais: “Isso não é correto, não pode ser. Se ele (Ophir) é do Estado, como pode prestar serviços ao próprio Estado? Isso é muito mais sério e comprometedor (do que a licença remunerada). Ainda mais que tem pagamento, não é sem ônus”.Já um advogado que trabalha com Direito Administrativo, e que não está metido nas disputas internas da OAB paraense, também acredita que o caso é, no mínimo, “controvertido”.E indaga: “A pergunta que você tem de fazer é a seguinte: Ele (Ophir) pode fazer um contrato com o Governo? Se não, então não pode também fazer um contrato com a administração indireta”.Outro problema é que o afastamento da PGE talvez não seja o único de Ophir Cavalcante Junior. Em currículos que circulam na internet, consta que ele é, também, professor da Universidade Federal do Pará.A Perereca vai tentar ouvir o presidente nacional da OAB.Postado por Ana Célia Pinheiro às 21:05 19 comentáriosLinks para esta postagem

 

 

 

 

Nassif,

Favor reunir em uma post todos as matérias sobre esse assunto.

 

 

 

 

 

 

 

nass

 

Esse é um caso típico para o MPF, não dá para confiar nas autoridades locais que, certamente, nada farão. Aliás, esse radialista provavelmente controla as autoridades locais.

 

 

Por que a menção gratuita ao Sudeste? 

 

 

Às vezes, nos podemos fazer a diferença. Yes, we can!

Veja esta matéria retirada do blog do Mário Marcos de Souza (http://mariomarcos.wordpress.com/)

Havaiano canta o hino dos Indignados na frente de ObamaPosted on novembro 16, 2011

Diante dele estavam 21 presidentes no jantar de encerramento do poderoso Apec, o Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, inclusive o principal deles, o norte-americano Barack Obama. Todos esperavam pelo show de Makana, um popular guitarrista e cantor havaiano, que em 2009 já se apresentara na Casa Branca. Então, aconteceu.

Makana aproximou-se do microfone, no salão principal do Hotel Koa Hale. O estabelecimento fica em um parque de 30 hectares em frente à praia Waikiki, controlado pelo Departamento de Defesa dos EUA, no qual foram instalados mais de três quilômetros de cercas exclusivamente para o encontro.

Ali, diante de Obama, Hu Jintao, da China, Susilo Bambang Yudhoyono da Indonésia, o primeiro-ministro Stephen Harper, do Canadá, e mais inúmeros chefes de Estado, na noite do último domingo, Makana abriu seu paletó (foto) e mostrou a mensagem na camiseta branca que vestia por baixo:

- Occupy With Aloha – um título que combina o lema dos Indignados com a saudação no idioma do povo havaiano que fala de paz e amor.

A maior surpresa viria em seguida.

Makana passou a cantar Somos a Maioria, canção de protesto composta por ele e que virou uma espécie de Hino dos Indignados (veja logo abaixo os vídeos da apresentação e do clipe da música), o movimento que resiste apesar da forte repressão policial nos Estados Unidos.

- No início, eu estava preocupado, mas achei estranho ficar com medo de cantar uma música que eu havia escrito especialmente para aquelas pessoas – explicou Makana.

Não apenas isso.

Ele cantou a mesma música durante 45 minutos e repetiu o refrão umas 50 vezes, quase aos gritos:

Vamos ocupar as ruas, vamos ocupar os tribunais, vamos ocupar os gabinetes de vocês, até que cumpram a vontade da maioria, não dos poucos.

 Pelo programa, Makana apresentaria apenas música instrumental, mas ele decidiu fazer sua parte, em um dos locais com mais segurança no mundo durante quatro dias.

Na frente dele, lembra o havaiano, os presidentes se mexiam nas cadeiras, desconfortáveis, principalmente Obama – para quem a música era claramente dirigida.

Afinal, tinham escolhido uma área isolada e protegida do Havaí por causa dos violentos protestos enfrentados na Coreia do Sul, Austrália, Peru e Japão, que rejeitaram sediar o fórum.

Nos dias que antecederam o encontro, dezenas de famílias foram transferidas e milhões de dólares gastos em segurança, incluindo US$ 700 mil investidos em armas para controlar eventuais multidões. Só esqueceram do cantor da festa.

Alguns dos versos da canção de Makana (em tradução livre) falam assim:

Chegou o momento de gritarmos com raiva/contra os que nos encerraram em uma jaula/para roubarem o valor do nosso trabalho/

Nosso governo não está à venda/

 Os bancos não merecem o socorro/

 Não premiaremos os que fracassaram/

 Não desistiremos enquanto não vencermos/

 Ocuparemos as ruas/

 ocuparemos vossos escritórios/

 ocuparemos os tribunais/

 até que vocês trabalhem para a maioria, e não para uns poucos/

 - Estava nervoso, assustado, pensava nas consequências, mas também aproveitei muito – disse Makana, depois do jantar.

Enquanto Makana, 33 anos, cujo nome real é Matthew Swalinkavich, cantava e incomodava os presidentes, pelo menos 400 manifestantes marchavam em direção ao local do jantar para protestar – mas foram barrados pelos seguranças.

Na mesma hora, a polícia americana reprimia manifestantes em quatro Estados e preparava a desocupação nada pacífica da praça que deu origem ao movimento de protesto em Nova York. Pelo menos 200 manifestantes foram presos – e o acesso à praça agora está proibido.

Assista então ao vídeo de Makana no jantar:

 

E veja agora o clique da música, que virou hino dos Indignados:

 

Publicado em Gente | Com a tag 6 comentários

 

Nassif, pelamordedeus, pára de escrever brizolla com dois L. respeita o cara pô...

 

Interessante, os paulistas tão politizados e  inteligentes vivem há 20 anos comendo nas mãos do PSDB, o partido dos coronéis.Já a região que tem "preguiça mental', composta por 9 estados, apenas 3 pemanece com a direitona, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Ceará, Sergipe e Piauí são PT ou PSB. Já o Sudeste, região próspera onde estão localizados os brasileiros  "pensantes" estão na direitona até hoje.Será o reverso da medalha?

 

"Só merece a liberdade e a vida quem luta por elas cada dia." Goethe

Nassif, parabéns pelo post e pelo detalhamento da pesquisa. 

Imagino que, em maior (será possível?) ou menor grau, esse tipo de situação aconteça em outros pontos do país, e não apenas no Amazonas. Em pleno século 21, é desalentador! E acho difícil que isso se resolva apenas pela via judicial (muito lenta, cheia de firulas, com punições incertas e brandas...) ou por uma Lei de Medios (se sair, sabe-se lá que grau de eficácia teria...) ou mesmo por ambas simultaneamente.

Precisaria algo mais... só não sei o quê...

 

Nassif, 

 

este será o terceiro comentário. 

 

Quero saber se recebeu os dois primeiros em resposta ao Jotave. Se não recebeu envie ao email a resposta, por favor.

 

Olá Nassif,sou estudante de Ciências Sociais e estou pesquisamdo matérias para meu TCC que penso em fazer sobre a relação midia e poder em que o coronelismo tradicional dará espaço ao novo tipo de coronelismo,o eletronico ou  midiático.Gostaria de saber se vc irá dá continuidade a esse caso,vai ter outros capitulo e se vc pode autorizar para eu retirar alguns trechos de sua matéria para ser utilizados em meu trabalho?Abraços

 

Esse é o tipo de matéria que a gente copia e salva no nosso PC.

O que fiz ontem, as 7-8 postagens sobre o caso. 

 

Caro Nassif

Lá elegem os Sarneys por que a mídia é deles, aqui se elegem Alckmins, Aécios, Kassabs, pelo mesmo motivo, a mídia é deles.

Saudações

 

Prezados Sr, com o perdão da palavra, mas nós nordestinos e nortistas, SÓ TOMAMOS NA TARAQUETA , e o pior, diariamente, isso acontece quando pegam o nosso petroleo para refinar no sudeste e sul, quando pegam os nossos minério para abaster industrias do sudeste e do sul, quando pegam o nosso ICMS, e ainda nos ofende, nos coloca como cidadão de 2º classe!.

 

Nassif

 

Segue abaixo alguns dados para que se possa entender como é fácil ser “coronel” no Amazonas.

 

O Amazonas representa, em torno, de 1,8% do PIB nacional. O PIB do município de Manaus é o 4º do país. O PIB do interior do Estado é insignificante quando comparado a Manaus. As prefeituras do interior vivem das transferências federais e estaduais

A população do Estado é formada por, aproximadamente, 3,2  milhões de pessoas. Assim distribuídos: 2,00 milhões em Manaus e 1,2 milhões no interior do Estado. 60% da população vive na capital, e o restante, 40%, no interior do Estado.

Aqui um dado interessantíssimo: a distribuição dos depósitos à vista:

Manaus tem 92% dos depósitos à vista do Estado e o interior tem 8% dos depósitos à vista.

Isso significa que 60% da população vive na capital com 92% da moeda à disposição e 40% da população vive no interior com 8% da moeda à disposição. No interior, praticamente, vive-se de escambo!!!

O Amazonas, praticamente, não tem estradas que fazem interligação entre suas cidades e entre o Estado e os demais Estados da Federação. O suprimento das cidades do interior do Estado é feito, quase que completamente, pela cidade de Manaus, através de transporte fluvial. MANAUS É UMA GRANDE ILHA, somente é acessada por transporte aéreo e fluvial. Manaus não tem ligação terrestre com os demais Estados da Federação, com exceção de Rondônia. Tudo isso faz com que não haja entropia, não há troca com os demais Estados da Federação.

EM MANAUS, E POR EXTENSÃO NO AMAZONAS, VIVI-SE EM UM AQUÁRIO!!!

QUEM TEM A MIDIA NAS MĂOS FAZ O QUE QUER POR LÁ. SE JÁ FAZEM NO RESTANTE DO PAÍS, IMAGINA ENTĂO COMO AGEM NO AMAZONAS.

 

 

Vieira Junior

 

Nassif

 

Segue abaixo alguns dados para que se possa entender como é fácil ser “coronel” no Amazonas.

 

O Amazonas representa, em torno, de 1,8% do PIB nacional. O PIB do município de Manaus é o 4º do país. O PIB do interior do Estado é insignificante quando comparado a Manaus. As prefeituras do interior vivem das transferências federais e estaduais

A população do Estado é formada por, aproximadamente, 3,2  milhões de pessoas. Assim distribuídos: 2,00 milhões em Manaus e 1,2 milhões no interior do Estado. 60% da população vive na capital, e o restante, 40%, no interior do Estado.

Aqui um dado interessantíssimo: a distribuição dos depósitos à vista:

Manaus tem 92% dos depósitos à vista do Estado e o interior tem 8% dos depósitos à vista.

Isso significa que 60% da população vive na capital com 92% da moeda à disposição e 40% da população vive no interior com 8% da moeda à disposição. No interior, praticamente, vive-se de escambo!!!

O Amazonas, praticamente, não tem estradas que fazem interligação entre suas cidades e entre o Estado e os demais Estados da Federação. O suprimento das cidades do interior do Estado é feito, quase que completamente, pela cidade de Manaus, através de transporte fluvial. MANAUS É UMA GRANDE ILHA, somente é acessada por transporte aéreo e fluvial. Manaus não tem ligação terrestre com os demais Estados da Federação, com exceção de Rondônia. Tudo isso faz com que não haja entropia, não há troca com os demais Estados da Federação.

EM MANAUS, E POR EXTENSÃO NO AMAZONAS, VIVI-SE EM UM AQUÁRIO!!!

QUEM TEM A MIDIA NAS MĂOS FAZ O QUE QUER POR LÁ. SE JÁ FAZEM NO RESTANTE DO PAÍS, IMAGINA ENTĂO COMO AGEM NO AMAZONAS.

 

Vieira Junior

 

Oi, Nassisf, a título de sugestão, se você colocar neste post os links para as partes, fica mais fácil para as pessoas lerem tudo.

 

Jotave, espero que tenha percebido que carater tem este Ronaldo. O que é lícito , moral, tem qualidade não presta, é esgoto. 

O que é criminoso ele ve como perfeito ao seu "sistema" . 

O sujeito é advogado ? duvido. Quero ver sua prova. (infelizmente no site da OAB do Amazonas não tem como acessar os inscritos e saber a partir de quando) e quero ler suas provas na escola. Depois que o cara adulterou e mentiu em documentos (isto está documentado em Tribunais) dizendo ter segundo grau ...sem comprovação !!! nada melhor do que fazer um levantamento de todo seu histórico.

 

Quanto ao seu parente nos finais do julgamento! Foi condenado sim !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Infelizmente, em domiciliar...............pois como não tinha ficha corrida(por falta de fiscalização e idade, e por ser "doente acabou sendo uma prisão domiciliar.

Que maravilha !!!!!!

 

 

 

Mais um do "está dizendo" vira uma quadrilha.

___

Jotave, vai-te um exemplo

conheça/leia o que  presta ao Ronaldo Tiradentes" em caráter" e licitude" !!

Uma matéria e uma decisão em liminar

0/03/2004 - 21h29

PM apreende munição e prende comerciantes em Minas Gerais

PUBLICIDADE

 PAULO PEIXOTO

da Agência Folha, em Belo Horizonte

 

A Policia Militar de Minas Gerais prendeu nesta terça-feira (9) duas pessoas suspeitas de tráfico de armas e munição na cidade de Ipanema, na região leste mineira. Com elas a PM encontrou cerca de 21 mil cartuchos de diversos calibres.

 

Foram presos em flagrante os comerciantes José Isaac Tiradentes, 65, e Gercílio Alves de Souza, 82. Este, ao ser preso, passou mal e foi internado no Hospital de Ipanema, onde está sob escolta policial.

 

A PM recebeu uma denúncia anônima e abordou Tiradentes em uma caminhonete. Na delegacia de Caratinga, onde ele está preso, o comerciante disse, segundo a polícia, que as munições foram adquiridas por meio de um traficante de armas que vive no Paraguai. As munições seriam vendidas na Bahia.

 

A PM chegou a Souza por causa de dois cheques em poder de Tiradentes. Na residência dele, a PM encontrou mil cartuchos calibre 22, vinte e cinco cartuchos plásticos calibre 32 e outros vinte e cinco calibre 36. A Agência Folha não conseguiu falar com os dois acusados.

 

____________________

 

Superior Tribunal de Justiça

HABEAS CORPUS Nº 36.654 - MG (2004/0095466-0)

 

IMPETRANTE : RONALDO LÁZARO TIRADENTES

IMPETRADO : PRIMEIRA CÂMARA CRIMINAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

PACIENTE : JOSÉ ISAAC TIRADENTES (PRESO)

 

DECISÃO

 

Acusado de vender em proveito próprio, no exercício de atividade

comercial, acessórios e munições, sem a necessária autorização, José Isaac Tiradentes foi condenado a cinco anos e dois meses de reclusão, no regime inicial semi-aberto ( Lei 10.826/2003, art. 17 c/c CP, art. 65, III).

 

Negando-lhe o direito de recorrer em liberdade, recomendou o Juiz de 1º grau que fosse mantido no estabelecimento prisional em que se encontrava recolhido, em face da ausência de estabelecimento adequado ao cumprimento de sua pena.

 

Em Habeas Corpus , impetrado junto ao Tribunal de Justiça do Estado

de Minas Gerais, foi requerido o direito de recorrer em liberdade.

Indeferido o pleito, veio esta nova impetração, em substituição ao

recurso ordinário próprio, no qual o impetrante, ressaltando os bons antecedentes de José Isaac, pede a concessão da ordem liminarmente, a fim de que o paciente seja transferido imediatamente "para o regime semi-aberto e sua respectiva conversão em prisão domiciliar."

Compete ao órgão colegiado, no momento oportuno, analisar o mérito da impetração. Ante o seu caráter satisfativo, indefiro o pedido liminar.

 

Solicitem-se as informações.

Após juntadas, ao MPF.

Publique-se.

Brasília (DF), 05 de julho de 2004.

MINISTRO EDSON VIDIGAL

Presidente

 

Documento: 1323538 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJ: 03/08/2004

 

Grande Nassif, parabéns pela reportagem, esta ótima. Gostaria portanto de deixar claro que não são todos os Amazonenses que participam desta palhaçada do Sr. Ronaldo Tiradentes e do Prefeito Amazonino. Somos solidários a Drª Bianca. O tema do título é bem sugestivo, precisamos redirecionar os nosso objetivos e fazer valer a nossa cidadania. Em nome dos Amazonenses, queria agradecer essa reportagem esclarecedora. Vou fixar em algum lugar de grande movimento, com letras garrafais uma faixa escrita "A PRIMAVERA DE MANAUS"

 

  Estou lendo todas as postagens. É fantástico, friso novamente, NASSIF, a importância do seu "site" ou blog para manisfestação e divulgação de informações ricas como esta luta injusta que ocorre em Manaus. 

 

 

Enviei mensagem para a CBN, para a Diretora Executiva de Jornalismo, Sra. Mariza Tavares, que respondeu-me ter confiança na justiça do Amazonas para resolver os eventuais excessos nos conteúdos produzidos por sua afiliada local. Reproduzo minha mensagem e a resposta da CBN:

 

De: Marcio Ferreira

Para: Ouvidoria - Radio CBN

Enviada em: sábado, 12 de novembro de 2011 11:10

Assunto: Marcio Ferreira envia mensagem para Fale Conosco CBN

Mensagem:

Já enviei mensagem antes, mas repito, ante o embaraçoso silêncio da CBN. Moro em Niterói, no Rio de Janeiro, e sou apenas um dos que deixaram de ouvir a CBN pela perda de credibilidade da imprensa praticada por essa rádio, decorrente de sua escabrosa atuação em Manaus. O caso da médica Bianca Abinader, que alcançou repercussão nacional, principalmente no Rio e em São Paulo, envergonha a imprensa brasileira. É incrível como a poderosa Rede Globo, muito maior que um simples jornalista, permite que essa perseguição prossiga com sua cumplicidade. Que o jornalista o faça por conta próprio, até entendo. Agora, a Rede Globo deixar essa coisa vil ir ao ar, sob as ondas de sua rádio, e também em blog da CBN, isso é ridículo. Não sou especialista em marketing, mas não preciso ser, para compreender o efeito daninho que isso está causando à CBN. Tomara alguém de juízo tome a decisão de por fim a essa demonstração de covardia pública. Tomara vocÍ s voltem a fazer um jornalismo de verdade.

 

de Mariza Tavares

Diretoria Executiva de Jornalismo - SGRSP [email protected]

para Marcio Ferreira <[email protected]>

data 13 de novembro de 2011 06:34

Assunto: Marcio Ferreira envia mensagem para Fale Conosco CBN

enviado por cbn.com.br

Caro Marcio, temos certeza de que a Justiça amazonense saberá decidir exemplarmente a respeito de eventuais excessos nos conteúdos locais produzidos pela afiliada.

 

Louvo  a iniciativa e perspicácia do Nassif. Mas gostaria que desnudasse também o Sr. Artur Virgílio, que se acha o paladino da moral, bons costumes e defensor do modelo da Zona Franca. De antemão alerto que o ex senador que liderou a campanha a favor da sonegação, o fim da CPMF, sempre estava, e está, ao lado do que é mais retrógrado e interessado à manutenção das benesses do Estado, seja no âmbito federal ou estadual - seu filho é deputado estadual. Apoiou o modelo do sr. Serra quando (Serra) ministro do planejamento incentivou algumas industrias instaladas em Manaus para que se tranferissem pra São Paulo, se não no todo, pelo menos em parte, causando prejuízo no setor empregatício e que gerasse dividendos eleitorais ao tucano. Artuir não tem chance nenhuma contra a quadrilha instalada no Amazonas. Poderia ser, e quem sabe é, uma luz no começo do túnel. Quando tudo estiver às claras, com sua intervenção Nassif, possamos vislumbrar melhores dias. Abs. 

 

Mil vivas à iniciativa.

Já havia chegado a hora de um jornalista de respeito botar o dedo na cara desses marginais travestidos de políticos.

Morei naquela terra e sei de perto tudo que acontece. É de chorar de joelhos...

De Amazonino Mendes a Arthur Virgílio, nenhum deles vale o que come. O Amazonino é um crápula que, até bem pouco tempo, mandava "dar um jeito" nos opositores.

Artur Virgílio fez a maior privatização de portos de água doce do planeta. E, claro, tudo foi parar nas mãos da família dele, comandado por filhos, sobrinhos e o diabo. Tudo que passa por Manaus via água, cai no bolso do maldito. E como lá só tem água...

Desvios de verbas de ajuda aos índios era uma rotina nervosa. Nunca chegava até nós o material completo, mesmo sabendo que saira da origem redondinho. Faltava tudo, mesmo o governo federal bancando o que desconhecia. Trabalho benemérito naquelas bandas é enxugar gelo dia e noite. Só contando com suor extenuante e muita reza braba.

Se vocês soubessem então das orgias sexuais desses políticos... E lá todo mundo "meio que sabe" que adoram meninas novas, dizem até o local das orgias, coisa de filme mesmo. Também são dados à jogatina, perdem milhões. Sodoma e Gomorra em plena selva...

O povo em geral, que tem pouco acesso às rotas de fuga - estudo, acesso à internet, decantação de notícias, noticiários impressos que não sejam de esgoto, etc - fica refém desses bandidos. A própria selva, gigantesca e isolada, faz com que esses desmandos sejam fáceis de serem cometidos.

O povo de lá é simples e maravilhoso, beiram mesmo à ingenuidade, mereciam coisa melhor pra lhes governar.

Mexer com esses políticos de lá é sempre perigoso, Nassif. Lá o cangaço corre solto via mídia, portanto fique atento que virá chumbo grosso.

O melhor é não viajar pra lá enqto rolar reportagens e, se o fizer, não comunique a ninguém. O negócio é mesmo doido naquelas bandas, lance de faroeste.

Parabelizo tua inicativa e rogo por sua segurança.

Vamos dar um basta a esses vendilhões da selva.

 

 

 

Tudo isso tem um nome: a falta de uma lei que puna com rigor (altas indenizações) toda vez que alguem for ferido em sua honra, como no caso dessa médica. Se esse reporter e essa rede de comunição já tivessem sido condenados a pagar gordas indenizações, eles já teriam parado com essa insanidade e partiriam ao encontro dos fatos ou da verdade, isso é que interessa, é resto é balela.

 

No dia que a vítima for um parente bem próximo de uma figura relevante da República aí vão começar a pensar em regulamentar a mídia.

Ou seja, depois que a porta for arrombada mil vezes, e a última for a da casa do ministro, vão tentar colocar uma tranca.

 

Jorge Leite Pinto

 Quanta a sua observação idiota , chamo-lhe a atenção para o fato de que  uso subliminar do crime organizado, no Rio de Janeiro , pelo Sr Leonel Brizola , durante o seu governo no Rio de Janeiro ,  e o consequente  crescimento que o mesmo teve desde então (olha agora o problemão de ter que dominar-se a mega favela da Rocinha!) ;nunca foi esclarecido e  sempre foi um forte indício das ambições  ditatoriais deste político Brasileiro  (já falecido!) .

Quanto ao PDT dos dias presentes , basta recordar-lhe que Lupi em Italiano significa Lobo!.

 Na política  partidária Brasileira, meu "ilustre" (sic) J LPinto - você é certamente um real  personagem do filme "O Sol de Parador" , pelo seu Polianismo intelectual . Não existem líderes políticos  impolutos (e nunca existiu!) na história da República Brasileira !. Somente "palhaços" irresponsáveis ,especialmente quando travestidos de revolucionários Fascistas . Mais Bizarros ainda , quando acham-se revolucionários    "de Sierra Madre dos Pampas" , revolucionários de esquerda  estes sendo nada mais  que a outra face da mesma moeda  dos Generais, conforme Presidências de Coalizão e Federativos Tortos dos dias de hoje "esbofeteiam"  continuamente , através da mídia ,a face (esta sim, a grande maioria impoluta!), dos cidadãos brasileiros  apartidários , como este contribuinte que lhe replica!.

 

"Não existem líderes políticos  impolutos (e nunca existiu!) na história da República Brasileira !. Somente "palhaços" irresponsáveis ,especialmente quando travestidos de revolucionários Fascistas".

Tenho minhas dúvidas. Pelo menos em Minas Gerais, nós temos sim líderes políticos absolutamente impolutos.  Invoco a favor da minha tese o fato de que a não menos impoluta, eficiente e investigativa imprensa mineira, a despeito dos seus ingentes esforços, não encontrou qualquer aspecto negativo que pudesse macular a biografia e a administração dos tucanos que nos governaram nos últimos nove anos.

 

 

****Importante*******Leiam essa entrevista do Nem, sobre o Lula**************

Ídolo “Meu ídolo é o Lula. Adoro o Lula. Ele foi quem combateu o crime com mais sucesso. Por causa do PAC da Rocinha. Cinquenta dos meus homens saíram do tráfico para trabalhar nas obras. Sabe quantos voltaram para o crime? Nenhum. Porque viram que tinham trabalho e futuro na construção civil.”

CRIME – 11/11/2011 22h27 – Atualizado em 12/11/2011 17h32
Meu encontro com Nem

RUTH DE AQUINO
http://revistaepoca.globo.com/tempo/noticia/2011/11/meu-encontro-com-nem.html

Era sexta-feira 4 de novembro. Cheguei à Rua 2 às 18 horas. Ali fica, num beco, a casa comprada recentemente por Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, por R$ 115 mil. Apenas dez minutos de carro separam minha casa no asfalto do coração da Rocinha. Por meio de contatos na favela com uma igreja que recupera drogados, traficantes e prostitutas, ficara acertado um encontro com Nem. Aos 35 anos, ele era o chefe do tráfico na favela havia seis anos. Era o dono do morro.

Queria entender o homem por trás do mito do “inimigo número um” da cidade. Nem é tratado de “presidente” por quem convive com ele. Temido e cortejado. Às terças-feiras, recebia a comunidade e analisava pedidos e disputas. Sexta era dia de pagamentos. Me disseram que ele dormia de dia e trabalhava à noite – e que é muito ligado à mãe, com quem sai de braços dados, para conversar e beber cerveja. Comprou várias casas nos últimos tempos e havia boatos fortes de que se entregaria em breve.

Logo que cheguei, soube que tinha passado por ele junto à mesa de pingue-pongue na rua. Todos sabiam que eu era uma pessoa “de fora”, do outro lado do muro invisível, no asfalto. Valas e uma montanha de lixo na esquina mostram o abandono de uma rua que já teve um posto policial, hoje fechado. Uma latinha vazia passa zunindo perto de meu rosto – tinha sido jogada por uma moça de short que passou de moto.

Aguardei por três horas, fui levada a diferentes lugares. Meus intermediários estavam nervosos porque “cabeças rolariam se tivesse um botãozinho na roupa para gravar ou uma câmera escondida”. Cheguei a perguntar: “Não está havendo uma inversão? Não deveria ser eu a estar nervosa e com medo?”. Às 21 horas, na garupa de um mototáxi, sem capacete, subi por vielas esburacadas e escuras, tirando fino dos ônibus e ouvindo o ruído da Rocinha, misto de funk, alto-falantes e televisores nos botequins. Cruzei com a loura Danúbia, atual mulher de Nem, pilo-tando uma moto laranja, com os cabelos longos na cintura. Fui até o alto, na Vila Verde, e tive a primeira surpresa.
LOGÍSTICA A Rocinha é uma das maiores favelas do Rio. Entre os bairros ricos da Zona Sul e a Barra da Tijuca, é um ponto estratégico para o crime (Foto: Genilson Araújo/Parceiro/Ag. O Globo)LOGÍSTICA
A Rocinha é uma das maiores favelas do Rio. Entre os bairros ricos da Zona Sul e a Barra da Tijuca, é um ponto estratégico para o crime (Foto: Genilson Araújo/Parceiro/Ag. O Globo)

Não encontrei Nem numa sala malocada, cercado de homens armados. O cenário não podia ser mais inocente. Era público, bem iluminado e aberto: o novo campo de futebol da Rocinha, com grama sintética. Crianças e adultos jogavam. O céu estava estrelado e a vista mostrava as luzes dos barracos que abrigam 70 mil moradores. Nem se preparava para entrar em campo. Enfaixava com muitos esparadrapos o tornozelo direito. Mal me olhava nesse ritual. Conversava com um pastor sobre um rapaz viciado de 22 anos: “Pegou ele, pastor? Não pode desistir. A igreja não pode desistir nunca de recuperar alguém. Caraca, ele estava limpo, sem droga, tinha encontrado um emprego… me fala depois”, disse Nem. Colocou o meião, a tornozeleira por cima e levantou, me olhando de frente.

Foi a segunda surpresa. Alto, moreno e musculoso, muito diferente da imagem divulgada na mídia, de um rapaz franzino com topete descolorido e riso antipático, como o do Coringa. Nem é pai de sete filhos. “Dois me adotaram; me chamam de pai e me pedem bênção.” O último é um bebê com Danúbia, que montou um salão de beleza, segundo ele “com empréstimo no banco, e está pagando as prestações”. Nem é flamenguista doente. Mas vestia azul e branco, cores de seu time na favela. Camisa da Nike sem manga, boné, chuteiras.

– Em que posição você joga, Nem? – perguntei.

– De teimoso – disse, rindo –, meu tornozelo é bichado e ninguém me respeita mais em campo.

Foi uma conversa de 30 minutos, em pé. Educado, tranquilo, me chamou de senhora, não falou palavrão e não comentou acusações que pesam contra ele. Disse que não daria entrevista. “Para quê? Ninguém vai acreditar em mim, mas não sou o bandido mais perigoso do Rio.” Não quis gravador nem fotos. Meu silêncio foi mantido até sua prisão. A seguir, a reconstituição de um extrato de nossa conversa.
Acho que em menos de 20 anos a maconha vai ser liberada no Brasil. Já pensou quanto as empresas iam lucrar? ”
Nem, líder do tráfico

UPP “O Rio precisava de um projeto assim. A sociedade tem razão em não suportar bandidos descendo armados do morro para assaltar no asfalto e depois voltar. Aqui na Rocinha não tem roubo de carro, ninguém rouba nada, às vezes uma moto ou outra. Não gosto de ver bandido com um monte de arma pendurada, fantasiado. A UPP é um projeto excelente, mas tem problemas. Imagina os policiais mal remunerados, mesmo os novos, controlando todos os becos de uma favela. Quantos não vão aceitar R$ 100 para ignorar a boca de fumo?”

Beltrame “Um dos caras mais inteligentes que já vi. Se tivesse mais caras assim, tudo seria melhor. Ele fala o que tem de ser dito. UPP não adianta se for só ocupação policial. Tem de botar ginásios de esporte, escolas, dar oportunidade. Como pode Cuba ter mais medalhas que a gente em Olimpíada? Se um filho de pobre fizesse prova do Enem com a mesma chance de um filho de rico, ele não ia para o tráfico. Ia para a faculdade.”

Religião “Não vou para o inferno. Leio a Bíblia sempre, pergunto a meus filhos todo dia se foram à escola, tento impedir garotos de entrar no crime, dou dinheiro para comida, aluguel, escola, para sumir daqui. Faço cultos na minha casa, chamo pastores. Mas não tenho ligação com nenhuma igreja. Minha ligação é com Deus. Aprendi a rezar criancinha, com meu pai. Mas só de uns sete anos para cá comecei a entender melhor os crentes. Acho que Deus tem algum plano para mim. Ele vai abrir alguma porta.”

Prisão “É muito ruim a vida do crime. Eu e um monte queremos largar. Bom é poder ir à praia, ao cinema, passear com a família sem medo de ser perseguido ou morto. Queria dormir em paz. Levar meu filho ao zoológico. Tenho medo de faltar a meus filhos. Porque o pai tem mais autoridade que a mãe. Diz que não, e é não. Na Colômbia, eles tiraram do crime milhares de guerrilheiros das Farc porque deram anistia e oportunidade para se integrarem à sociedade. Não peço anistia. Quero pagar minha dívida com a sociedade.”

Drogas “Não uso droga, só bebo com os amigos. Acho que em menos de 20 anos a maconha vai ser liberada no Brasil. Nos Estados Unidos, está quase. Já pensou quanto as empresas iam lucrar? Iam engolir o tráfico. Não negocio crack e proíbo trazer crack para a Rocinha. Porque isso destrói as pessoas, as famílias e a comunidade inteira. Conheço gente que usa cocaína há 30 anos e que funciona. Mas com o crack as pessoas assaltam e roubam tudo na frente.”

Recuperação “Mando para a casa de recuperação na Cidade de Deus garotas prostitutas, meninos viciados. Para não cair na vida nem ficar doente com aids, essa meninada precisa ter família e futuro. A UPP, para dar certo, precisa fazer a inclusão social dessas pessoas. É o que diz o Beltrame. E eu digo a todos os meus que estão no tráfico: a hora é agora. Quem quiser se recuperar vai para a igreja e se entrega para pagar o que deve e se salvar.”

Ídolo “Meu ídolo é o Lula. Adoro o Lula. Ele foi quem combateu o crime com mais sucesso. Por causa do PAC da Rocinha. Cinquenta dos meus homens saíram do tráfico para trabalhar nas obras. Sabe quantos voltaram para o crime? Nenhum. Porque viram que tinham trabalho e futuro na construção civil.”

Policiais “Pago muito por mês a policiais. Mas tenho mais policiais amigos do que policiais a quem eu pago. Eles sabem que eu digo: nada de atirar em policial que entra na favela. São todos pais de família, vêm para cá mandados, vão levar um tiro sem mais nem menos?”

Tráfico “Sei que dizem que entrei no tráfico por causa da minha filha. Ela tinha 10 meses e uma doença raríssima, precisava colocar cateter, um troço caro, e o Lulu (ex-chefe) me emprestou o dinheiro. Mas prefiro dizer que entrei no tráfico porque entrei. E não compensa.”

Nem estava ansioso para jogar futebol. Acabara de sair da academia onde faz musculação. Não me mandou embora, mas percebi que meu tempo tinha acabado. Desci a pé. Demorei a dormir.

 

Nassif!

Venho lendo a série e fazendo alguns comentários, mas lamento que o post tenha vindo no início de um longo feriado quando a maioria se desconecta de tudo. Diante disso, e pela relevância do seu conteúdo, sugiro que permaneça no topo pelo menos por umas 24 horas além do feriado.

 

Amazonino é uma raposa. Seu ingresso no PDT é recente (data de setembro deste ano) e foi feito de olho nas eleições futuras. Ele sabe que o PT nacional prioriza alianças com o PDT e quer ter Lula e o PT como seus cabos eleitorais. Por causa desse ingresso, Mário Frota, um forte nome do PDT, bateu asas e voltou ao PSDB, de onde ele saira há uns 15 anos mais ou menos juntamente com Jeferson Peres, por causa da conivência do governo FHC com a corrupção. Mário Frota levou ao ninho tucano, os melhores quadros do PDT amazonense. Depois de todos esses anos como adversários no plano nacional, Mário Frota uniu-se de novo a Arthur Virgílio, que, apesar da famosa truculência, é um nome bem mais tragável do que Amazonino. AVISO AOS NAVEGANTES: SE O PT ALIAR-SE A AMAZONINO, ASSINARÁ O SEU ATESTADO DE ÓBITO ÉTICO E POLÍTICO.

 

Nassif, e Natal? Aqui duas oligarquias Alves (do ministro Garibaldi Alves e do primo e deputado federal Henrique Alves) e Maia (do senador José Agripino Maia e do filho e deputado federal Felipe Maia) mandam no Estado há 40 anos. Elas são donas de rádios, emissoras de televisão, jornais, agências de publicidade. 

Atualmente as duas famílias estão politicamente unidas e o Estado à deriva.  Estudo realizado pelo Centro de Estudos da Opinião Pública, da Universidade de Campinas (Unicamp) coloca o Rio Grande do Norte no ranking de corrupção. O estudo cita entre as causas o controle do Estado pelas oligarquias e falta de uma imprensa independente.

Mais detalhes aqui 

http://www.ailtonmedeiros.com.br/estudo-poe-rn-no-ranking-da-corrupcao/2011/11/07/

 

Segundo pesquisa do Instituto Ethos MINAS GERAIS está em primeiro lugar no ranking de ' alto risco de corrupção' ao lado do Pará e Maranhão por não contar com imprensa livre e apartidária e ter órgãos de controle como MPE e TCE aparelhados por conchavos políticos.

Minas Avança! 

 

Só para informar a fonte do trecho reproduzido:

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/governo-ernesto-geisel/governo...

 

"Pacote de Abril - Prevendo uma vitória da oposição nas eleições de 1978, Geisel fechou o Congresso por duas semanas e decretou em abril de 77 o "Pacote de Abril", que alterava as regras eleitorais: as bancadas estaduais da Câmara não podiam ter mais do que 55 deputados ou menos que seis. Com isso, os estados do Norte e do Nordeste, menos populosos, porém mais controlados pela Arena, garantiriam uma boa representação no Congresso, contrabalançando as bancadas do Sul e Sudeste, onde a oposição era mais expressiva, e o número de eleitores era muito superior"qu

Rifando a União para o atraso, acabou por indiretamente rifar os Estados mais adiantados, que ficaram à mercê do jogo troglodita praticado na "superior instância". No Brasil, a guerra também não descambou em secessão (ao menos por ora) mas se distinguiu pelo fato de, ao contrário do que ocorreu nos EUA, ter o lado mais atrasado sido o vitorioso.

 

Prezado Chico Pedro

"Qualquer assesor da Presidente acha-se no direito de gritar em público : " Só saio à bala!" .

Vergonha!, vergonha! , vergonha! .

A Máfia parece ser   a Patroa da Governança do Brasil!.

Ás armas da República ! Camâra  Federal!)."

------------------------------------------------------------------------------------------------------

Deixe-me apresentar as minhas opiniões , corroboradas através de fatos noticiados pela mídia , sobre o "Federalismo Torto" ou "Presidencialismo de Coalizão" .

Sobre Federalismo Torto :

1-Quando cálculos realistas mostram que o Estado do Rio de Janeiro tera que devolver aos outros Entes federativos, um total de um bilhão e meio de reais em 2012  , e um possível total de de 23 bilhões de reais até 2020, Vem a "molecagem" de anunciar-se que as perdas serão de 125 bilhões ! (até 2020) . Certamente presencia-se uma tentativa mentirosa de esquivar-se as discussões e manter o injusto status quo inaceitável da presente situação .

2-A criação de uma comissão especial para debater o que já foi debatido e votado! (a emenda Ibsen!) .Tudo para postergar , por mais 40 sessões, a votação do Projeto Vital Rego .DEVE-SE PORTANTO BUSCAR IMEDIATAMENTO O VETO À EMENDA IBSEN , NA ÍNTEGRA E SEM SUBSTITUTIVO !.

Sobre Presidencialismo de Coalizão ("Italinização da República") :

3- Quer-se , nefastamente aos interesses da Nação, criar-se impedimentos artificiais a votação acima citada , para vilmente negociar-se instrumentos de governos passados que somente aumentam o "fogo da crise econômica E da moralidade pública" !.Refiro-me a ignóbil e "ditatorial" DRU!.

4-Em situação gravíssima de insolvência de  crise externa no Mundo (agora ate a China!), o Governo tem a ousadia de autorizar  aumentos de endividamentos para 6 Entes Federativos !.

O programa FX-2 paece ser mais importante do que jogar dinheiro fora em pagamentos de pensões de Funcionários Públicos estaduais e Municipais Fluminenses , que é como efetivamente o Estado do Rio de Janeiro gasta os suados e parcos Royalties de todos os Brasileiros .

5-Qualquer assesor da Presidente acha-se no direito de gritar em público : " Só saio à bala!" .

Vergonha!, vergonha! , vergonha! .

A Máfia parece ser   a Patroa da Governança do Brasil!.

Ás armas da República ! Camâra  Federal!).

 

Iniciativa muito bacana e que merece muitos elogios. Acho que o Blog tava precisando de algo do tipo que tira o foco de notícias absolutamente banais.

Apenas sugiro - visto já o primeiro texto a respeito do assunto - uma explicação mais "didática" do que viria a ser esse "federalismo torto". Ou o "presidencialismo de coalizão".

Quem sabe recorrer a períodos históricos ou comparações.

 

Graças ao Serra, toda as compras feitas no NORDESTE o imposto de ICMS  vêm para São Paulo, só o estado do PIAUÍ perde por ano mais de 70 milhões . Juntando os nove estados, o NORDESTE dá para São Paulo quase 1 milhão de reais em ICMS por ano!!.

 

Sua visão está distorcida. O ICMS deve ser cobrado pelo Estado Produtor ou pelo Estado Consumidor?

Pense antes de responder... O Piauí pode produzir mais do que consome...

 

 

Isso não é  uma questão de "visão equivocada" , isso é fato, quando José Serra participou da Assembléia Constituinte, com o consentimento de boa parte da bancada nordestina, legislou em favor de São Paulo, o sistema tributário Brasileiro tem que ser justo para todos, o que não pode é um estado pobre; como é o Piauí , uma região pobre; como é o NORDESTE, mandar quase um 1 bilhão para o estado de SP. E não por acaso, como São Paulo não produz energia e nem petróleo, os dois únicos que ficaram na constituição como cobrança no destino são energia e petróleo.

 

 

Nassif.

Estou trabalhando aqui em Manaus e o jogo é pesado. Para vc ter uma ideia, o cargo da república mais importante aqui é o do general que ocupa a região militar. Esse, em uns dos seus "manuais secretos" feito pela ESG tem um capítulo especial sobre como não deixar a Amazônia ser "vendida".

O Amazonas é outro "Brasil", uma espécie de Texas querendo ser anexado, só faltando patrocinador. Lugar rico, com um povo amistoso mas com uma elitizinha de última categoria. Tem deputado estadual se elegendo desde 1973 seguidamente para vc ter uma ideia. Alguma coisa tem que ser feita e acho que seria um  espécie de investimento federal massivo no desenvolvimento da região, mas sob controle do governo federal. Uma mudança de cenário tal como ocorreu em Pernambuco por exemplo precisava ocorrer por estas bandas, tipo aparecer uma nova elite política progressista que revirasse de pernas para o ar o existente.

Quem não se lembra do falecido Gilberto Mestrinho que governava o Amazonas mas morava em Ipanema? Igualzinho ao queridinho do Aécio, mesmo modelito político, foi duas vezes governador de Minas mas morava na zona sul do Rio depois de seu "expediente".

O choque é o desenvolvimento, um lugar que tem uma zona industrial que produziu 35 bi no ano passado não pode ter uma turma atrasada desta no controle do aparelho de estado. O problema é que a maioria das empresas aqui instaladas são "maquiadoras" de produtos importados de seus países de origem, se beneficiando de renúncia fiscal e do enorme mercado consumidor brasileiro, eles não estão nem aí para influenciar no quadro politico, desde que deixem eles em paz com seus lucros. Lucros esses que não são investidos na região, siquer um patrocínio de um time de futebol eles fazem. Samsung, Honda ou qualquer outra dessas não investem um tostão no social, tipo melhorias para a cidade e para seu querido povo. O que fazem é aparecer como "politicamente corretos" para "inglês" ver. Os grandes empresários locais, tem como principal esporte "o acúmulo descarado de capital", querem que as coisas continuem como estão, mesmo que se vá para o caixão no final da vida com 500 milhões de reais, acumulados durante todo o ciclo de vida. Essa mesquinharia pode até dar nome de rua, mas o povo amazonense merece uma elite mais progressista, com senso social e modernizador.

Vamos ao estádio de futebol que está sendo construído para abrigar no máximo 4 jogos da copa do mundo, depois vai servir para quê? Imagine se o mesmo dinheiro fosse investido em um polo industrial que viesse a atrair empresas para atender a enorme demanda de encomendas da Petrobras no pré - sal e quem sabe no futuro, na exploração das enormes reservas de gás que existem aqui e no petróleo também inexplorado (só um otário não vai acreditar que não há petroleo em quantidade e em qualidade no Amazonas, todos os países que fazem fronteira com ele tem enormes quantidades do ouro negro, só pra citar a Venezuela como exemplo).

Esse é o desafio de governo, por exemplo do novo governador, que independente da fé politica pode fazer o que o Eduardo Campos fez em Pernambuco, sucatear todo o coranelismo politico existente e despontar para o cenário da politica nacional como um reformador. Volto a falar, independente da matriz e do credo político, o atual governador pode ser uma alavanca para mudar esse cenário, desde que faça como sua agenda a radical opção pelo desenvolvimento regional. Ter um sósia do "Fernando Bezerra" como articulador de um polo como foi o de Suape para a região metropolitana de Manaus.

Para concluir, não existe mágica de ter uma infraestrutura de 1º mundo e uma superestrutura de 4º que só aumentam as diferenças sociais. Para um "pibão de 35 bi" tem que ter uma superestrutura politica que suporte o desenvolvimento contínuo da região. Para que a próxima vinda da presidenta por exemplo, não seja para dar mais bolsas famílias a povo, devido ser a região o polo mais "adiantado" da miséria. Falam que isso se chama "planejamento estratégico", nas falas do "mundo Yuppie do sul maravilha, mas a luta contra o atual estado de coisas na região passa por um radical modelo de desenvolvimento que combine progresso com uma destribuição mais igualitária de renda.

Saudações Manauaras.

 

Nassif, estamos do seu lado, sempre !

 

Para robustecer os argumentos do post, seria interessante que informações consistentes e consequentes sobre Ronaldo Tiradentes fossem fornecidas pelos internautas.

Sabe-se quase nada sobre os antecedentes desse testa de ferro.

 

Pelo que li em post anterior aqui no blog, Nassif, a decisão judicial que concedeu a liminar para a Dra. Bianca permanecer no cargo revela que, ao menos, o Poder Judiciário não está contaminado pelas arbitrariedades do feudalismo político e midiático do AM. É importante também acompanhar o processo nas instâncias superiores, caso chegue até lá.

 

  Não à toa temos no Brasil um 2o., um 3o., um 4o. (na prática) graus de jurisdição. Não sempre, mas as decisões em 1a. instância em geral são mais técnicas que as superiores, de Tribunais onde os mais influentes conseguem "facilidades", os mesmo Tribunais nos quais se chega mais por estratagemas políticos que por mérito. Fosse o Supremo Tribunal Federal subitamente ocupado apenas por magistrados tecnicamente escolhidos, surgiria um 5o. grau de jurisdição. 

  Não é dos meios convencionais que surgirá uma alternativa séria ao sistema feudal brasileiro. Em certo grau, não fosse o fluxo de ideias vindas do estrangeiro, de lutas lá possíveis com antecedência (direitos humanos, democracia, etc), teríamos muito menos espaço de oposição a esse sistema em constante autoalimentação há séculos. O tal homem cordial é o resultado de um grupo dominante com pouquíssima oposição interna ou externa e uma população completamente marginalizada, durante muito tempo de número insuficiente para construir movimentos de massa em um território tão extenso e chacinada sempre que se dispôs a pensar diferente.

  Não à toa um partido como o PT, surgido de um autêntico movimento de massas tão logo um governo inimigo da população perdeu respaldo externo e justificativa interna, foi na medida do possível combatido E cooptado. Não há caminho de volta, então estamos apenas no começo.

 

Prezado André,

Muito cuidado com essa análise. Nesse caso as autoridades locais podem ser cooptadas ou mesmo não quererem criar atritos com os poderes locais. Há cidades em que o juiz é amigo pessoal do prefeito, do dono da rádio, quase sempre todos moram na mesma rua. Em São Paulo, há o caso da juíza pró-veja da Vara de Pinheiros.

A nosso ver, a melhor solução jurídica para esse caso seria a intervenção do Ministério Público Federal.

 

 

Boa análise.

Na primeira instância ainda algumas pessoas conseguem se representar por sim mesmas (sem advogado), e não é difícil, é só dizer a verdade!

Já nas outras instâncias, apenas pessoas com dinheiro conseguem contratar caros escritórios de advocacia para ter que evitar o constrangimento de ter que mentir diante de um Juiz.

 

 

 

 

Perfeita analise, André.

 

Perfeito mesmo.  Bis dois ao quadrado!

So adiconaria, quanto a "Não à toa temos no Brasil um 2o., um 3o., um 4o. (na prática) graus de jurisdição", que se o judiciario continuar a se degradar vai haver uma 5a instancia e 6 instancia e 7a instancia sim.  Isso sai de graca.

Esse eh o segredo:  SAI DE GRACA PRA QUEM TEM DINHEIRO E PODER.  Eh pra quem nao tem dinheiro e poder que isso sai caro.  Nem assim os ricos vao ser taxados aa altura por arruinarem o Brasil --pois compraram os politicos pra construir esse sistema podre.