Revista GGN

Assine

A questão do transporte em Curitiba

Por Marco Antonio L.

Do Valor

Cidade-modelo no transporte público rendeu-se ao carro

Por Marli Lima | De Curitiba

Se, no passado, a fama do sistema do transporte curitibano rompeu fronteiras, nos últimos anos tornou-se alvo de críticas por parte da população, que cada vez mais tem optado pelo uso do automóvel nos deslocamentos. Em 2002, por exemplo, o índice de motorização na cidade estava em 2,1 habitantes por veículos, agora está em 1,4. Em dezembro foi criada a Secretaria Municipal de Trânsito.

Os congestionamentos cresceram e a opção de metrô, que já foi abordada em campanhas anteriores e atualmente tem até parte do financiamento garantido pelo governo federal, voltará a ser tratada, especialmente no que diz respeito ao modelo, se deve ser suspenso ou enterrado. O incentivo ao uso de bicicletas também vai ser defendido, especialmente por Greca.

"Hoje estamos longe de ser modelos", diz a professora do Departamento de Transporte da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Márcia Pereira. Ela argumenta que o preço da passagem de ônibus não oferece atrativo para o cidadão deixar o carro em casa. Ela defende o estímulo ao pedestre e o ciclista, acrescenta. "A situação aqui está tão complicada quanto em outras capitais. Está mais do que na hora de Curitiba ter metrô, mas não para substituir o atual modelo e sim para complementá-lo."

A necessidade de melhorar o transporte público estará nos discursos dos candidatos à sucessão curitibana que começa oficialmente neste fim de semana com o término das convenções.

O prefeito Luciano Ducci (PSB), que era vice do atual governador Beto Richa (PSDB) e herdou o cargo, vai disputar a vaga com o ex-prefeito, Rafael Greca de Macedo (PMDB), o ex-deputado federal, Gustavo Fruet (PDT), e o atual Carlos Roberto Massa Junior, o Ratinho Junior (PSC).

Além do transporte, a violência também promete polemizar a campanha, a despeito de ser um tema da alçada estadual.

O Mapa da Violência 2012, feito pelo Instituto Sangari, mostra que o número de homicídios mais que duplicou na última década. A cidade pulou da 20ª posição em violência, em 2000, para a 6ª colocação, em 2010, ficando atrás apenas de Maceió, João Pessoa, Vitória, Recife e São Luís.

Algumas propostas para mudar o quadro começaram a aparecer. Ratinho fala, por exemplo, em melhorar a iluminação e as calçadas e na criação da academia da guarda municipal. Fruet propõe a ampliação do efetivo da guarda municipal e diz que é preciso ter ousadia no combate às drogas e no tratamento de usuários.

Luciano Ducci (PSB), passou os últimos dias dando explicações sobre seu patrimônio e chegou a entregar cópias do seu Imposto de Renda ao Ministério Público, para livrar-se de suspeitas de enriquecimento repentino. Ele é dono de fazendas e mora em apartamento de luxo, mas afirma que os bens são herança de sua esposa.

Muita coisa ainda vai ser decidida nos próximos dias, como nomes de alguns vices e o fechamento de alianças, mas o cenário atual já permite a visualização de tendências. "Pela primeira vez em muitos anos é possível enxergar a possibilidade de a disputa não ficar polarizada entre os herdeiros dos ex-governadores Jaime Lerner e Roberto Requião", opina o cientista político Adriano Codato, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Desta vez, a presença desses grupos não está tão clara. Ducci pode ser apontado como representante do "lernismo", pois trabalhou com dois de seus herdeiros - o ex-prefeito Cassio Taniguchi e Beto Richa. Greca também foi aliado de Lerner, quando estava na prefeitura. Mas só conseguiu sua aprovação na convenção do fim de semana porque teve o apoio de Requião.

Agora, as correntes mais tradicionais encontraram novos desafiantes. "Há uma terceira força que corre o risco de ser viável, que é o candidato do PT, que não é petista", acrescenta Codato, citando Fruet, um ex-tucano que não encontrou espaço no partido pra tentar a prefeitura, foi para o PDT e ganhou o apoio do PT mesmo depois de ter sido um dos maiores críticos do mensalão. Ao contrário de anos anteriores, o PT não terá candidato próprio em Curitiba e o interesse maior do partido está em viabilizar-se para o governo em 2014.

Os ministros Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, e Paulo Bernardo, das Comunicações, atuaram pessoalmente para derrubar a candidatura petista e sacramentar o nome de Fruet. Se ele for eleito, Gleisi poderá ter apoio para enfrentar Richa daqui a dois anos, quando o tucano deve buscar a reeleição. "A eleição de 2012 vai ser mais disputada que as outras", diz o cientista político Sérgio Braga, da UFPR. Segundo ele, se há quatro anos Richa conseguiu ser eleito com facilidade agora seu candidato tem três fortes opositores.

Na conta de Braga, além de Fruet e Greca, entra Ratinho Junior, que chegou a ser sondado para ser vice tanto de Ducci como de Fruet, mas optou por testar as urnas. Com 31 anos de idade, ele é o candidato mais jovem - Ducci está com 57, Greca tem 56 e Fruet, 49 - e tem dinheiro e o apoio do pai, o apresentador de televisão Carlos Roberto Massa.

Tanto Codato como Braga acreditam na ocorrência de segundo turno em Curitiba. Os números, até agora, confirmam isso. Pesquisa divulgada em abril pelo Ibope, a única até o momento, mostrou Fruet com 26% das intenções de voto, seguido de Ratinho (24%), Ducci (16%) e Greca (7%). Num segundo turno entre os dois primeiros, haveria empate técnico no limite da margem de erro de três pontos para mais ou para menos - 42% a 36% para Fruet. Caso a disputa ficasse entre Fruet e Ducci, o pedetista venceria com 46% dos votos, contra 27% do atual prefeito.

Por enquanto, duas mulheres vão sair como vices - o PT indicou Mirian Gonçalves para Fruet e Greca terá como vice uma colega de partido, Marinalva Silva. Ducci escolheu o deputado federal Rubens Bueno (PPS). Ratinho ainda não definiu.

Os discursos que serão usados na campanha já começaram a ser demonstrados em entrevistas. Ducci vai dizer que tem trabalho para terminar (ele só assumiu em 2010). Greca tem repetido que é o mais experiente. Fruet e Ratinho vão bater na oportunidade de renovação.

Sem votos
12 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+12 comentários

O sistema de transporte de Curitiba, gerenciado pela Urbs - Urbanização de Curitiba S/A, vive em constante evolução. O sistema atual começou a ser implantado em 1974 com um histórico de evolução que o mantém, 40 anos depois, como diferencial no transporte uma vez que, embora o BRT (Bus Rapid Transit) já tenha sido copiado em mais de 100 cidades mundo afora, Curitiba mantém uma rede de transporte, com integração que permite trocar de ônibus, de qualquer linha, em qualquer tempo, pagando apenas uma passagem. Está integração é unica, não existe qualquer outra cidade no mundo com uma malha que de fato tenha integração com todo o sistema de transporte. 

 Curitiba sempre inova, em 2009 foi inagurado o sexto eixo de transporte da Capital, que em seguida foi implantado o BRT Pinheirinho/Carlos Gomes, o famoso ligeirão, maior ônibus do mundo. O eixo boqueirão na avenidade Marechal Floriano Peixoto, é outro corredor que foi totalmente transformado, para receber o Ligeirão, veículo de 28 de comprimento, com capacidade para 250 passageiros, e que tem parada somente em Terminais e na região central, dimunuindo o tempo na viagem. Antes da transformação do corredor boqueirão as estações tubo ficavam paralelas, impossibilitando a ultrapassagem de outro veículo, hoje as estações são desalinhadas, ficando uma distante da outra, possiblitando agora a ultrapassagem, são soluções simples, que nasceram em curitiba e que só existem aqui.

 O eixo norte é o novo corredor que receberá o Ligeirão, assim como no boqueirão todas as estações tubo estão sendo desalinhadas. E em no próximo ano será inagurado o 7º corredor  do transporte coletivo a Linha Verde Norte. É importante ressaltar que os eixos que circulam o Ligeirão, além da faixa de ultrapassagem, possuem um dispositivo implantado no asfalto, que ao se aproximar  o semáfaro abre o automaticamente para a passagem do ônibus.

Estas são ações que implementam o sistema de transporte da Capital, que está sempre em evolução. A nova proposta apresentada é o Hibribus, um ônibus com dois motores, um elêtrico e outro a biodiesel 100% soja. A Linha verde faz jus ao nome, todo os ônibus que circulam no corredor são totalmente sustentaveis. Curitiba é a única cidade da América Latina a ter uma frota em operação regular com ônibus movidos exclusivamente a biodiesel, sem mistura de óleo mineral.

São inumeras as próximas inovações para a implementação do sistema, e com algumas já licitadas.

Curitiba é modelo em Transporte Público Sustentável, somente em 2011 a Urbs, gerenciadora do sistema de transporte fez 113 apresentações, para delegações de outros estados  e  diversos países, como,  Iraque, Marrocos, Turquia, Coréia, Sudão, Botswana, Quênia, Estados Unidos, França, India, Alemanha, Argentina, Peru, Colômbia, Japão, México, Equador e Itália

 

Morei em Curitiba, por dois anos, 2006/2007 e, nesse periodo, o transporte público era sofrível; até o básico ( transporte de crianças p/ escola ) tinha que ser feito de carro. No período em que morei lá quem não tinha carro, tinha moto e, depois das 24h, quem não tivesse carro, dependia da boa vontade dos vizinhos. O mais engraçado é que o pessoal de lá ( que usava carro ) dizia sempre, nosso transporte é o melhor do Brasil.

 

Morei em Curitiba de 1993 a 2007. Durante todo esse período (e até hoje) a cidade é governada pelo Lernismo. Lerner se mandeve (e seus sucessores) com o papo da sua passagem como prefeito, na época da modernização urbana. Ele foi governador do Paraná e se envolveu até o pescoço com a privatização e o caso Banestado. Não elegeu sucessor (Requião foi governador por dois mandatos seguidos), mas graças ao conservadorismo local, foi eleito Richa governador. Pior para o estado, pior para a cidade. Desde 2007 eu quase não passava por lá (ainda que meus pais lá morem, mas quando ia, passava aos fins de semana, não enfrentava o caos da semana). No início do ano, quando precisei visitar a cidade durante a semana, o baque:

Trânsito caótico, coisa que não via há muitos anos, desde a última visita a São Paulo. Enfim, sempre fui critico quanto ao fato de largarem o transporte público ao deus dará ...

 

Cá entre nós, com o governo dando incentivos para as montadoras, deve ser para venderem mais, nada a estranhar o aumento do número de carros. Mas fazer com que estados e municípios invistam em transporte de massas , impedir (há como? ) especulação imobiliária, melhorar leis de uso e ocupação de solo, etc., isso já são outros quinhentos.

 

Ou seja, a culpa é do Governo Federal. E eu que pensava que estávamos sozinhos em São Paulo, com essas idéias.

 

Curitiba encontra-se numa encruzilhada de dá gosto. Enquanto estiver nas mãos da tucanada eleita por um povo fortemente atucanado , não tem jeito. Quanto as questões de transporte, não adianta ter um sistema razoavel, em comparação com as outras grandes cidades, mas com, principalmente, ônibus sem o menor conforto. O resultado disso é, como reflexo da melhoria de renda do brasileiro de um modo geral, os atucanados preferem o carro em detrimento de um sistema de transporte apenas razoavel.

Quanto a escolha do futuro prefeito, O Ducci é o capacho do playboy tucaninho, o Ratinho Jr. é o testa de ferro de um gande insvestimento familiar, o Fruet é o algoz de ontem, hoje arrependido convenientemente e, o que seria o melhor de todos, o Greca é o capacho do Requião, a quem atacava quando estava do outro lado (leia-se Lerner). Logo...o que nos resta? Em quem confiar?

 

"Tudo me é lícito mas nem tudo me convém" Contra o Preconceito e a Discriminação, o repúdio e a Lei.

Um fato político não abordado: a partir deste ano o psdb perdeu o poderoso vereador joão claudio derosso, presidente da câmara por mais de uma quinze anos e ex-membro da guarda pretoriana de beto richa. ele havia se desfiliado do partido devido a um escândalo envolvendo verbas publicitárias (sempre elas....) e esta semana peredeu o cargo para uma suplente do psdb. Depois de muitos anos a política curitibana volta a ver uma possibilidade de oxigenação.

 

além de explicar o patrimônio, devia explicar porque o bairro em volta do seu luxuoso apartamento está sendo reurbanizado, como se a cidade já estivesse perfeitamente arrumada. 

o pior é que não avisaram a sanepar das obras do asfalto novo na volta da moradia do alcaide e recém feito o asfalto já ostenta diversos remendos. a cara dos nossos governantes.

ah, ontem vieram de novo cortar a grama de minha calçada. de novo, porque a outra vez foi na última eleição.

as vezes acho que nós curitibanos merecemos o governo de M que temos aqui, entra ano sai ano e sempre o mesmo grupo dominando a cidade.

acompanhei a derrocada do sistema após conhecê-lo no auge. 

agora o que acontece é só o descaso. 

 

A vida é curta demais para se beber cerveja barata!!

A folha é contra a corrupção no pt, no psdb não!!!

 Frede69

Visitei Curitiba constantemente, onde meus filhos moravam com minha ex-mulher, nos últimos quatro anos! Para quem conheceu Curitiba há vinte anos, foi um show de horrores a questão do transporte público. Eles moravam num bairro chamado Água Verde, e quando precisavam pegar ônibus para qualquer lugar, muitas vezes sequer conseguiam entrar, de tão lotados os ônibus.

Em diversos bairros, o transporte público INEXISTE a partir da meia-noite, um óbvio absurdo numa capital desse porte. Infelizmente, comparando às outras capitais, a atual Curitiba certamente está entre as piores nesse quesito, e eu, inconformado com o que via, ao questionar junto a amigos curitibanos sobre o porque da decadência, do caos que tinha se transformado, o desconforto impingido à população, a resposta vinha unânime: a omissão escabrosa, criminosa, do ex-prefeito Beto Richa, muitos amigos falando claramente que provavelmente ele não quis enfrentar o pequeno grupo que controla o transporte público na cidade, inclusive por ter recebido polpudas verbas para sua campanha eleitoral.

O caso, é que um prefeito que em quatro anos não melhora absolutamente NADA setor tão essencial para o cotidiano dos cidadãos, comprova, na minha opinião, duas características pessoais/administrativas lamentáveis: INCOMPETÊNCIA e INSENSIBILIDADE COM A POPULAÇÃO!

Não consigo compreender como um sujeito desses ainda ganha para governador....

 

O transporte de curitiba é ruim sim, e caro.  Mas caras como o Beto Richa se elegem por que, como já disse um certo filósofo "cada povo tem o governo que merece". Além de não surgirem nomes interessantes como alternativa, o Richa era o candidato dos conservadors. Por que o Serra ganhou tantas vezes em SP se nunca fez nada de bom? E não duvido nada que ganhe denovo.

O bairro água verde é um dos melhores de Curitiba, existem casos bem piores que esse :)

 

Não sei como pude viver 48 anos sem ler uma resposta como a sua, Maicon. Quer dizer que o Beto Richa se elege porque cada povo tem o governo que merece? Isso é o máximo de pensamento que vc consegue articular?

 

Não fui eu que "articulei" esse pensamento. Mas pelo nível da sua resposta, dá pra ver que você se acha bem melhor do que quem o "articulou":

“Cada povo tem o governo que merece”           Charles de Secondat,Baron de la Brède et de Montesquieu(1689-1755)