newsletter

As críticas contra o Bolsa Família: a estupidez sem limites

Atualizado às 16:32

Reli a matéria de O Globo e aceito as críticas de alguns comentaristas: fui excessivamente duro com o economista da FGV, por culpa de uma leitura apressada do artigo. O repórter saiu com a incumbência de levantar declarações sobre o aumento da natalidade com o aumento do valor da BF. Recebeu a incumbência do aquário do jornal, fez a pergunta e os economistas - incluindo o André Portella - deram respostas satisfatórias, que foram reproduzidas pelo repórter. A única maluquice da matéria foi a pauta original.

Motivo pelo qual modifico o comentário tirando as críticas injustas contra o André Portela.

Ampliação do Bolsa Família poderia incentivar natalidade apenas se valor fosse maior, dizem analistas - O Globo

Ampliação do Bolsa Família poderia incentivar natalidade apenas se valor fosse maior, dizem analistas

Publicada em 19/09/2011 às 22h39m
Alessandra Duarte (duarte@oglobo.com.br) e Carolina Benevides (carolina.benevides@oglobo.com.br)

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Teresa Campello em foto de André Coelho

RIO - Uma ampliação natural para um programa que beneficia mulheres - as responsáveis, nas famílias, por receberem o dinheiro do Bolsa Família -, e em linha com reajustes ao programa já feitos este ano. Mas o benefício extra de R$ 32 a grávidas e mulheres que estejam amamentando também pode levar no futuro, caso esse valor extra aumente com o tempo, a um risco potencial de estímulo à natalidade. Economistas e pesquisadores do Bolsa Família ouvidos pelo GLOBO dizem que a ampliação anunciada nesta segunda-feira tem o efeito positivo de levar mais recursos para uma fase essencial do desenvolvimento da criança, a primeira infância. Para alguns, o efeito negativo potencial, que seria o estímulo para que famílias pobres tenham mais filhos para receber o benefício, poderia vir apenas se houvesse aumento expressivo dos R$ 32.

NOVIDADES: Bolsa Família terá benefícios para grávidas

Professor da Escola de Economia da FGV-SP, André Portela fala de "aspectos positivos e potencialmente negativos" da ampliação:

- O positivo é que se trata do aumento de renda de um programa com boa focalização, que vai especificamente para famílias muito carentes. Sendo ampliado para, por exemplo, mulheres que amamentem, é um dinheiro a mais que vai para uma fase importante da vida da criança - diz. - Agora, o risco negativo potencial é se criar um incentivo ao aumento da natalidade, e isso poderia contribuir para a continuidade das condições de pobreza daquela família. No entanto, nenhum estudo feito até hoje apontou que o programa leve a aumento de fecundidade. Além disso, se o valor começasse a subir, poderia até passar a ser um atrativo e levar a esse estímulo, mas, como é hoje, é baixo para isso.

- É uma ampliação em linha com as duas mudanças deste ano: o reajuste e o aumento do limite máximo de três para cinco filhos. Dar ênfase às crianças é louvável. Estudos mostram que a primeira infância é estratégica, e que qualquer benefício traz efeitos permanentes. Por outro lado, pode ser que o benefício aumente a fecundidade. Mas é importante não haver bloqueios ideológicos por conta disso ou já sair dizendo que o benefício pode incentivar a ter mais filhos. O tempo e os dados vão mostrar os custos e os benefícios da ampliação - diz Marcelo Neri, professor da FGV-RJ.

Do conselho do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets) e ex-presidente do IBGE, o sociólogo Simon Schwartzman não vê risco de a ampliação levar as famílias a terem mais filhos, justamente pelo baixo valor.

- Há estudos que já mostraram que o programa diminuiria um pouco a carga de trabalho das mulheres beneficiárias, mas, no caso de gestantes e mulheres amamentando, se isso ocorrer, pode até ser visto como positivo. Mas não há pesquisa que tenha apontado maior número de filhos por causa do benefício. Se fosse um salário mínimo... Mas R$ 32 vão é dar uma folga para a família comprar um pão - diz Schwartzman. - O importante é que as contrapartidas, as exigências feitas às famílias, como realização de pré-natal, continuem.

- Olha, R$ 32 não fazem ninguém engravidar, não vejo como incentivo. A população hoje é essencialmente urbana e ter um filho sai muito caro. Mesmo que sejam quatro ou cinco crianças recebendo o Bolsa, não vale a pena. Creio que o dinheiro faça com que a mulher se sinta mais segura na gravidez e amamentação, e que sirva para que o Estado tenha de assegurar o acesso ao pré-natal, por exemplo, que já é uma contrapartida do programa - completa Marcel Guedes Leite, economista da PUC-SP, que já realizou diversos estudos sobre o Bolsa Família. - Além disso, como o benefício é entregue à mãe, é mais provável que seja usado para melhorar a alimentação.

Clique aqui para acompanhar no Twitter

Sem votos
67 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+67 comentários

me desculpe mas acho  que pessoas estão exagerando nas critica ,eu suponho  isso que não deveria ter tantas regras na bolsa familia mesmo sendo  justo  as condições mas tem vezes que tem familias que precisam muito  como  eu  e minhas filhas que a bolsa familia veio  numa otima hora para nós todos ,eu acho errado  uma coisa tem crianças que vevem 24 por 48 nas escolas e quase não recebem ou bloqueia por motivo  nenhim minhas sobrinhas recebem  mas sempre bloqueia e elas quase nem sai da escola tem que dormi  na escola ou  no medico  viver  assim pra poder receber assim complica muitas pessos que vão com olhinhos brilhando  pra receber chega na hora ou ta bloqueado  ou descumpriu  regras mas como  assim se minhas sobrinhas não falta vou mandar a frequências dlas são  100% e fala que não existe isso e de mas  obrigda e fique com deus teria como  vcs desbloqueia o cartoes delas obrigada fique com deus  grata shirlei b fernandes .

 

Sem nenhum pesquisador por perto, só a sua volta no dia a dia, qualquer pessoa de bom senso pode ver a necessidade de programas com a finalidade de ajudar crianças em situação de miséria.

 Como diminuir o sofrimento de uma família com pai ou mãe desempregado? E regiões miseráveis onde o trabalho é escasso e outras tragédias que deixam as crianças vulneráveis, o que fazer para ajudar?

Há uns 15 anos, uma moça que trabalhou em minha casa, vivia ela e as irmãs desesperadas com a  mais nova, as 03 tinham um, dois filhos no máximo cada. A que não trabalhava e estava envolvida com álcool e drogas,  levava a cada ano um filho para a avó criar. Essa menina com menos de 20 anos já tinha alguns filhos e não existia bolsa família. As irmãs eram obrigadas a dividir seus parcos salários com seus filhos e a prole inteira da mais nova, pois, necessitavam deixar suas crianças com a avó para irem ao trabalho.

Conheço uma família de 06 irmãs, cinco tiveram no máximo 03 filhos cada, a que tinha uma vida totalmente desorganizada com um marido alcoólatra teve uma carreira enorme de filhos.

Ninguém com a vida razoavelmente organizada sai por aí tendo filas de filhos sem condições de criar  e as crianças não podem morrer de fome pelo azar de ter nascido em uma família em qualquer uma dessas situações.

O Bolsa Família é uma questão de humanidade. Ela é uma pequena ajuda para minimizar tragédias como a dessas crianças. É um programa que deve existir sempre. Ninguém em sã consciência deixa de querer melhorar de vida por uma migalha dessas. Isso é discurso de nazista que acha que os fracos devem ser dizimados.

 

A diminuição da pobreza não ocorreu apenas por causa do bolsa família, o progrma contribuiu para que ocorresse esse fato. Mas não é o fato. Ocorreu tambem com o aumento real do mínimo, com o aumento real dos salários e com a diminuição do desemprego e subemprego. Mas o fim tá longe, logo o BF tem que continuar, sempre exgndo a contrapartida.

 

O preconceito de classe social não têm limites.

Quanto um contribuinte pode deduzir do imposto de renda por dependente??????????

Quando o Estado transfere migalhas para os que vivem em situação de pobreza os homens de fino trato, educados e cheirosos alinham doutos argumentos para mostrar os efeitos danosos disso.

Quietinhos, esse mesmos seres desprezíveis acham a coisa mais natural (e justa) serem eximidos de pagar imposto de renda porque tem dependentes, porque escolhem pagar serviços de saúde privados, porque escolhem pagar escola privada.

É a sindrome de Brás Cubas olhando para o Almocreve.

Até os vermes vão se intoxicar comendo dessas carnes.

 

Muito, muito bom, Paulo César!

Vermes, sim!

 

Já foi o tempo em que os casais tinham muitos filhos para deles obter renda e ou segurança na velhice.

O fenomeno de redução das taxas de natalidade é irreversivel.

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:"Tabela normal";
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:"";
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:"Calibri","sans-serif";
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:"Times New Roman";
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:"Times New Roman";
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

Em menos de duas gerações, a taxa de natalidade no Brasil recuou de 6,3 (1960) para 1,8 (2006). Recuo equivalente ao da China sem o rígido controle lá imposto.

 

No Brasil, a transformação da sociedade rural-agrícola para urbano-industrial, mesmo sem políticas de controle de natalidade, ou efetivas ações do Estado no sentido de limitar, o número de filhos por mulher despencou mais de 70% em duas gerações.

 

 O problema é que a redução se deu de modo diferencial quando considerada a condição econômica das famílias: nas famílias ricas a taxa gira ao redor de 1% tornando-se crescente na razão direta da pobreza. O entendimento desse comportamento diferencial passa por três variáveis- querer, saber e poder.

 

Querer diz respeito à decisão da mulher de limitar o tamanho da prole. É a essência do planejamento familiar. Esse querer está diretamente relacionado às expectativas com relação ao futuro dos filhos. Embora não única, a causa preponderante de querer limitar é o custo de formação do filho; particularmente observável nas camadas de renda média.

 

Saber é conhecer os métodos e técnicas de controle de natalidade, entendendo seus alcances, eficácias e aceitação. Pílula, camisinha, Ogino-Knaus,aborto, fazem parte do conhecimento necessário para quem quer limitar a prole.

 

Poder é ter capacidade de utilizar a técnica conhecida e aceita. É ter dinheiro para comprar a pílula, camisinha, ou abortar em clínica decente e clandestina.

 

Os inter-relacionamentos dessas variáveis definirão, no interior do Estado, as políticas de educação, saúde, comunicação necessárias ao reequilíbrio da taxa diferencial, sob pena de agravamento das tensões distributivas de renda.

As políticas sociais do governo já são um bom começo. Resta amplia-las. E não serão  32 reais por cabeça que mudarão o curso da história.

 

 

 

 

Não foi nada não. Só algo da ordem "Mulheres que complicam a vida". 

 

Tudo é política. Porque não aumentou o valor, sem precisar aumentar o número de filhos? Os urbanoides deveriam andar pelas roças e verem mulheres com um penca de rebentos. Ingenuamente vão acreditar que é um estímulo sim, e toque a parir e colocar filhos no mundo.

 

  Rsrs... definitivamente o embate mais brigado não faz parte do seu estilo, Nassif. Na rara oportunidade em que você deixou o cavalheirismo de lado ocorreu de ter se enganado!

  Se alguém já não disse: seu estilo é extremamente necessário para a construção de pontes entre opostos. O contrafogo, que eu vejo como essencial (infelizmente) para moderar o instinto animal do PIG et caterva, esse é melhor ficar a cargo de gente de outra estirpe - não exatamente melhor ou igual a sua.

 

Qualquer um pode se enganar, mas pior, muito pior, é a arrogância e a soberba de não reconhecer o erro. Parabéns Nassif, é assim que se faz.

 

E a mídia continua alimentando as cabecinhas de ameba deslumbradas e nossa elite mão de vaca.

A ultima é a de um jantar muito chique para brasileiros muito mais chiques,   do tipo huck e guanaes, realizado na biblioteca de Nova York (sim, porque são cultos e do mundo) organizado por uma socialite brasileira.

Esperava-se 2 milhões em contribuições de caridade. Chegaram a 600 mil. Dá pra entender. O champanha está pela hora da morte.

 

Se,por acaso,o valor do Bolsa Família fosse maior,um salário mínimo,por exemplo,em pouco tempo nenhum podre receberia mais o benefício.Provavelmente,alguns jornalistas do PIG seriam candidatos a recebê-lo,além de Senadores,Deputados,Vereadores,CCs,e todos os apaniguados do Brasilzão de guerra!

 

Hehehehehehe "O Golpe" (é só reler o editorial de 02 de abril de 64) não é de brincadeira!

Sinceramente, gente decente deve evitar dar entrevistas aos panfletos do PIG. Se não quiser ver suas palavras transformadas em montículos de m. A menos que acredite em sereias, sacis, branca de neve. Perderam toda e qualquer noção de vergonha na cara.

 

O Bolsa Família está funcionando e ajudando milhões de brasileiros que antes da chegada do Lula e da Dilma, não tinha nada pra comer e se vestir. Ficar falando com intenções de sacanear o Bolsa Família é muito escroto. Vamos falar de assunto muito mais importante, que é arrumar muito dinheiro para resolver, de vez, a questão da saúde pública de muitos milhões de brasileiros.

 

"Ficar falando com intenções de sacanear o Bolsa Família é muito escroto":

Eh AGENDA MUNDIAL da DIREITA.  Nao tem necessariamente a ver com o Bolsa Familia em si.

AGENDA MUNDIAL.

DA DIREITA.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Um parêntese. Tem uma meia-dúzia de infiltrados no blog que acham que somos lambe-botas, clube do Bolinha e outras coisas mais. Não poderíamos ter lado, não devemos apoiar o governo, pois isso é coisa de gente tendenciosa. Temos que ser contra o governo, sempre! Essa meia-dúzia acha que nós não somos críticos. Só quem não conhece o Nassif pra vim postar idiotices como essas por aqui. Nós somos críticos sim, mas temos LADO! Eu pelo menos tenho. E acho que todo mundo aqui também tem. E o Nassif também. E é o lado do governo de Lula e agora de Dilma. Foi por esse lado que lutamos ano passado. Os trolls da vida podem vir aqui quanto quiserem. Mas que saibam que aqui é um blog com lado, sim senhor. Se não gostam assim, caiam fora...

 

Calma, nenê.

 

Se esses homens soubessem o quanto é dificil parir um filho não falariam tantas bobagens. E ficar grávida durante 9 meses? E acordar de noite quando o bebe chora? E cuidar de uma criança? Nenhuma mulher se disporia a ficar grávida para receber a miséria do bolsa família daqui a 7 anos.

 

Vera Lucia Venturini

 

Meses atrás, minhas duas gatas deram à luz oito lindos gatinhos. Como sou sócio de uma associação pró-animais, os levei para serem doados através dessa ONG, e me exigiram que castrasse as duas gatas mães, para poder doar os bichanos. Foi o que fiz.

 

 

"levei para serem doados através dessa ONG, e me exigiram que castrasse as duas gatas mães":

Sim, mas ongs nao tem mae, sao todas filhas de putas.  O que voce ta sugerindo que eu nao entendi, Stanis?!?!  Castracao pra bolsa-familiares?

Te admiro muitissimo, mas acho que esse eh o comentario mais chocante que eu ja vi da sua "caneta".

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Ivan me desculpe o atraso para responder. Como vc disse ONGs não tem mãe. A esquerda não ficará eternamente no comando, pois a política, como dizia Ulisses Guimarães, é um pendulo, vai e volta. Aposto que tão logo que os "outros" pegarem o poder, isto que vc entendeu irá acontecer.

 

Sem puxar saco, gostaria de saber se existe caso no jornalismo brasileiro de alguem mais digno ao reparar um erro do que o Nassif...

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

A minha tese é uma variante da sua, Nassif:

A mídia é o refúgio do intelectual vaidoso e medíocre

 

Juliano Santos

Desculpa, Nassif, mas li e reli a matéria e não vi nenhum dos analistas expressar opinião enfática alegando que a medida estimulará o aumento da natalidade. Todos advertiram não haver estudo comprovando tal tese.

Não sei não, mas achei que você pegou pesado demais dessa vez.

 

Interessante, nos textos do Nassif o Andre Araujo e o Blaya se fingem de mortos. Nem um piu.

 

Confissão e Impressão ou "A vida como ela é"

Caros navegantes,

Tenho a impressão, faz algum tempo, que para o Brasil evoluir como nação e ser menos desigual, menos sub-desenvolvida, digamos, para citar a frase oficial, na linha de "Um país rico é um país sem pobreza", é necessário romper com a mediocridade da intelectualidade, acadêmica ou não. Explico com um exemplo. Em 2008, ainda morava no tio sam, assistia um evento online da USP, Junho/2008: Colóquio 2010-2020: um Período Promissor para o Brasil?, o título mostra a importância do assunto, era inverno aqui e o sol queimava no hemisfério norte, mas o clima entre os palestrantes era de visível efevervescência e euforia, o motivo que ainda não sabia, era que a USP tinha acabado de ser classificada na posição 130, numa lista de "classificação do norte", entre as universidades globais. A intuição para uma provocação foi instantánea, não tive dúvida, criei uma frase curta e elogiosa no início ( na minha visão, o homenageado do evento merecia, José Goldemberg), mas tinha um contra-ponto do meio para o final,  literalmente, uma isca para ser mordida, devido a empolgação ao "falso brilhante", comentei em seguida a notável euforia dos presentes, disse que continuávamos sendo uma sociedade que vislumbra o "Deus do norte", as "idéias do norte", e agora, pasmado, "a lista do norte". O coordenador da mesa leu no evento online, e o clima mudou completamente em segundos. Tempos depois chequei nos vídeos da videoteca do IEA-USP, claro, foram editados. Censura sim, meus caros, e as mudanças? Bem, isso leva mais tempo."A vida como ela é".

Sds,

 

 

Menino de Engenho - engenharia de idéias e laços sociais. “A leitura do mundo antecede a leitura da palavra”. Quem sou e de onde vim?: http://www.advivo.com.br/blog/oswaldo-conti-bosso/quem-sou-e-de-onde-vim

Com a intenção apenas de ajudar, eu recomendo ao GLOBO entrevistar o mesmo Ispcialista para que ele defenda a seguinte tese: salários maiores fazem as pessoas lerem mais jornal. Ganham o ispcialista ao aparecer, os trabalhadores e O GLOBO com o aumento do número de leitores.

 

Foi muito engraçado quando descobri que uma pessoa que chamava o BF de "Bolsa Vagabundagem" era financiada pelo "Minha Casa, Minha Vida".

 

Concordo com o Paulo, Nassif.Achei que o professor foi muito claro ao dizer que um benefício de 32 reais nunca geraria este problema,mas sim, se ao invés de 32,fosse 320.

Mas mesmo diante dessa situação,é bastante questionável uma vez que certamente eles não subirão a valores tão significativos e segundo, pq apesar dos ganhos,a familia sabe que um filho representa despesas bem maiores do que o valor adicional do benefício.Ou seja, isso é um chute puro,da mesma natureza dos que dizer q bolsa familia estimula a vagabundagem

 

Também achei a matéria bem equilibrada. Na verdade é até espantoso em se tratando de "O Globo".

Pela manchete da reportagem conclui-se que com o valor atual do bolsa família, não há o incentivo à natalidade. Para mim foi um interpretação adequada em relação ao posicionamento dos analistas.

Além disso, pelo que compreendi, todos os analistas foram favoráveis ao bolsa família.

Sinceramente não consegui achar no texto algo que pudesse comprovar a afirmação abaixo:

"Abra os microfones ou as manchetes para um intelectual oportunista que maneje o discurso desejado. É a maneira mais fácil de conseguir um conteúdo estúpido."

 

"Ampliação do Bolsa Família poderia incentivar natalidade apenas se valor fosse maior, dizem analistas"

Nassif, esta pertence aquela série do Alberto Porém: "Se minha mãe fosse homem eu teria dois pais".

 

E esta besteira foi repetida no Bom Dia Brasil. Uma ameba desidratada tem mais conteúdo do que os manuscritos dos comensais da Globo.

 

"Ciro Gomes, o problema dessas bolsas é que o pobre antigamente via uma chuvinha e já corria prá plantar sua macaxeira...agora, fica sentado em casa porque ganha vale isso, vale aquilo..."

"Essa bolsa escola é quase uma esmola e o povo vira massa de manobra dos políticos"....

Sabe qual "ameba" disse isso? LULA! Vídeos no youtube.

 

Nais um que pegou o virus do PIG ...

Contestualize a frase do Lula meu amigo...

 

10 reais que o FHC dava era mesmo esmola...

 

alexandre toledo

Há um certo consenso na classe dominante quando o assunto é assistencialismo que não seja para ela.

Homero Sanchez, apesar de todo brilhantismo, acreditava que um maior aumento no salário minimo provocaria crescimento populacional.

Não duvido, o povo é ingênuo demais.

Como não duvido que um Proer aumente a poupança dos muito ricos, desviada do consumo nacional.

É uma escolha.

 

A Alemanha está pagando para suas mulheres terem filhos. Não é de todo ruim que o bolsa família aumente e aumente nossa natalidade. O país está envelhecendo e precisamos de equilíbrio.

 

Ora, Nassif. Não seja injusto. Se não fosse esta mídia, como ficaríamos informados das seguintes verdades:

a) O maior problema do país é a corrupção, que só existe no Governo Federal, em governos do PT e aliados deste;

b) A inflação está a ponto de explodir, devido ao corte de meio ponto na taxa de juros pelo BC;

c) O maior problema do país é a educação, mas é preciso cortar os gastos públicos.

d) O maior problema do país é a saúde, mas é preciso cortar os gastos públicos.

e) O maior problema do país é a segurança, mas é preciso cortar os gastos públicos.

f) São Paulo tem as melhores estradas do País porque lá o governo não foi populista e aceitou privatizar as estradas entregando-as a empresas que cobram pedágios caríssimos, tendo por isso conseguido duplicar, melhorar e manter aquelas estradas.

g) Não existe racismo no Brasil

h) ... etc.?????

 

Nassif,

 

você pegou pesado com o André Portela. Ele falou em risco potencial. Se não há estudo mostrando esse efeito, também não há mostrando o contrário. Então, essa variável deve sim ser monitorada.

Acho que você não leu o artigo direito e deve se retratar.

 

 

 

A manchete poderia ser: "Analistas vêem risco de estímulo à natalidade se valor pago a gestantes e nutrizes subir de 32 para 3.200 reais ao mês!"

 

 

Mas  a  melhor  coisa  do  globo  de  hoje,  20,  é  o  artigo  do  colunista/analista/especialista    arnaldo  jabor  em  que  o  ex-cineasta sugere  que  a  Presidenta  Dilma  tucanou e  êle  tá  alegrinho  com  isso..A  lúcia  hipólito  deve  estar  nervosa...Imaginem  a   juditn   brito!!

 

Está na hora dos blogueiros sujos se reunirem e relançarem o FEBEAPÁ - Festival de Besteiras que Assola o País, expondo as idiotices que o PiG insiste em publicar. Ontem mesmo o UOL divulgou com força uma manchete dizendo que o aumento do IPI para importados iria beneficiar a indústria automobilística do México...

 

No Brasil a única proposta política da Oposição é o golpe.

Nassif:

A cada dia que se passa você se supera... como um bom vinho de guarda...

 

José Antônio

Nassif:

Alguém (um troll, possivelmente) se sentiu incomodado com o meu elogio a você e tascou uma estrelinha somente. Dos pecados humanos, a inveja e o ciúme, ocupam um lugar de honra.

Um abraço,

 

José Antônio

 

Então eu ponho mais quatro estrêlas para este seu comentário .

 

 

                 Um abraço !

 

" A injustiça que se faz a um, é uma ameaça que se faz a todos." - Barão de Montesquieu

 

E eu mais  cinco estrelinhas.

 

Mas Nassif, a maldade ficou mesmo por conta da Globo. O Portela fez uma análise razoável, apenas veio a tona um pedacinho de uma planilha que esta alojada em sua cabeça, em um cantinho, e ele ainda usou o "se".

 

@DanielQuireza

Po Nassif, nem tanto.

Ele cita um risco negativo "potencial".....

E os outros dois concordam com a existência de risco, desde que o valor suba muito........

O erro não foi do professor, e sim do jornal, ao explicitar isso no título da matéria, mesmo sendo um risco longinquo e potencial caso houvesse um aumento muito grande.............

Para mim estamos diante de um caso típico e recorrente de título sensacionalista com texto que o desmente............

 

 

 Também Acho uma bobagem essa história de aumentar a quantidade de filhos porque o BF permite atender agora a cinco ou inves de tres. Ninguem tem filhos pensando em beneficio de governo. Muito menos neste valor.

Mas tem um questionamento que o Senador Demostenes fez outro que achei interessante e talvez merecesse uma análise mais acurada dos estatisticos/economistas/sociologos de plantão.

Questionava o Senador basicamente o seguinte: Considerando que nesses 8 anos houve sensível  diminuição da pobreza e da miséria ( parece não haver dúvida quanto a isso...) e que o Bolsa Familia atende justamente os muito pobres, por que o programa continua do mesmo tamanho?

   Ou estará diminuindo o quantidade de assistidos?

  Com a palavra os que gostam de números....

 

 

Pernambuco falando para o mundo!

Não sou especialista em nada, nem em números.

Mas creio que o progema vem aumentando.

Provavelmente algumas pessoas vem saindo, outras vem entrando e ele vem aumentando.

Nada demais, tudo certo com o programa.

Sinceramente não entendi o tom do questionamento. O que ele quis dizer ou insinuar com isso, voce entendeu ?

Lembrando que devemos sempre respeitar a opinião e os questionamentos de todos mas vindo do Demóstenes, aquele mesmo do grampo sem aúdio, é bom tomar cuidado viu.

 

@DanielQuireza

 

 

 O Programa vem aumentando????

 A Clientela vem crescendo????

 Bem, de onde surgem esses pobres necessitados?

Ou o programa não era tão abrangente como deveria ser ou a diminuição da pobreza não foi tão grande assim...

 Isso porque parece não haver duvida que o tamanho do programa está relacionado ao tamanho da pobreza.

 Mais pobres, maior o programa. Menos pobres, menor o programa!

 Esse foi o questionamento do Senador!

 Ah... mas ele é do DEM, não vale nada !( Não sei como ainda o deixam solto....)

 

Pernambuco falando para o mundo!