newsletter

As desculpas de Gurgel

 

Ao não encaminhar as denúncias contra o senador Demóstenes Torres ao STF, o Procurador geral Roberto Gurgel permitiu a eleição de Demóstenes, de Marconi Perillo, atrapalhou as investigações na Operação Monte Carlo e deu uma sobrevida à organização criminosa.

Entre os seus críticos encontram-se:

1. Petistas, indignados com seu empenho contra Antonio Palocci e sua benevolência para com Demóstenes e que pretendem intimidá-lo no julgamento do mensalão.

2. Policiais experientes, sem nenhuma relação com o petismo, como Paulo Lacerda, que não aceitaram as explicações do procurador - de que não encaminhou as denúncias para permitir maiores investigações. Tivesse encaminhado a denúncia, as investigações sobre Demóstenes e outros intocáveis teriam sido aprofundadas.

3. Setores que se indignaram com as armações na Satiagraha - e que se colocaram contra estrelas do petismo que também torpedeavam a operação.

Ao tomar a parte pelo todo, atribuindo as críticas exclusivamente ao primeiro grupo, Gurgel falseia os fatos e demonstra que tem lado - o que compromete mais ainda sua imagem.

Que Merval Pereira recorra a esses argumentos falseadores, entende-se. Que o próprio Gurgel os encampe, é vergonhoso para o MPF.

Sem votos
88 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+88 comentários

Nassif, Boa Noite ! O Gurgel NÃO ARQUIVOU o processo ... Concorda que se ele tivesse agido de má-fé, ele PODERIA ter arquivado o processo ?! Naquele momento, agindo dessa forma, não atrapalhou o andamento das investigações !!! Isso não é destacado em sua matéria !!! 

 

Nassif,

Importante diferenciar as coisas. O Gurgel não deixou de encaminhar a denúncia, deixou de pedir a abertura de inquérito. É isso que é grave. A denúncia é o momento em que a pessoa é efetivamente acusada de praticar um crime e, se recebida, passa a responder a um processo criminal. Foi o que aconteceu com o mensalão: houve denúncia, o Supremo decidiu receber a denúncia e agora o que se espera é o julgamento da ação criminal. Para denunciar, de fato, tem de ter elementos suficientes. É muitas vezes prudente aguardar maior investigação antes de se proceder à denúncia.

O problema é que o Demóstenes, por ter foro privilegiado, somente pode ser investigado se houver autorização do Supremo. Ou seja, o que o Gurgel fez foi inviabilizar a investigação. A desculpa de que não havia elementos não cola por isso. Se não havia elementos para denunciar, certamente havia elementos para investigar mais. Sem a autorização do STF, o inquérito não pode investigar o Demóstenes, só o Carlinhos Cachoeira. Como os dois estavam para lá de enrolados, fica difícil investigar um sem apurar nada sobre o outro. Só que aí o que acontece é o seguinte: a investigação pode ficar comprometida por conta da ofensa à prerrogativa de foro. É a tese que o Kakay, advogado do Demóstenes, já levantou. Essa tese só foi viabilizada porque o Gurgel não pediu a abertura de inquérito ao STF. Resumo da ópera: não apenas o Demóstenes não foi investigado, como o maior argumento da defesa dele surgiu a partir da inércia do Gurgel. Isso é muito grave e merece defesa.

E aí vem a diferença final. Quando são os outros que não querem comparecer a uma CPI, é porque querem esconder alguma coisa. Quando é o Gurgel ou o Civita, é perseguição. Perfeita definição de democracia essa.

 

Só gostaria de saber por que o Sr. Gurgel engavetou o caso Vegas/ Cachoeira em 2009 se uma juíza e um delegado tinham pedido p/ investigar o caso... Acho que a casa caiu p/ o Sr. Gurgel. Este senhor fez do MPF um órgão fraco e subordinado. Nosso país não pode aceitar isso.

 

 

Se as pessoas que formam o ministério público tiverem vergonha na cara deverão pedir pra ele sair, pois ele está mais pra cúmplice dessa quadrilha do que para servidor público responsável por combatê-la.

 

A base governista tem que seguir em frente, porque a velha mídia tá indo pra cima porque está sentindo que o pior pode acontecer.

 

Eita que esse Blog tá bom! Se depender do povo daqui, esse PGR não abre a boca mas nem pra fazer oração! Parabéns, pessoal!

Diogo Costa e José Carlos, vcs são o dez!!!!!!!!!!!!!!

 

Roberto Gurgel, além de sósia de Jô Soares, também é humorista


Se tivesse que definir o Zeitgeist (clima intelectual e cultural do mundo em uma determinada época) de nosso tempo, diria que vivemos a era da hipocrisia e da desfaçatez. E tal fenômeno não é afeito só ao Brasil, mas ao mundo, à época em que vivemos.

Os Estados Unidos, por exemplo, inventam que um país milenar do Oriente possui “armas de destruição em massa”, mesmo que só tenha o petróleo de que a potência precisa, e, assim, invadem-no, matam populações civis como moscas e continuam posando como nação de super-heróis.

Aqui abaixo do equador, uma casta de vigaristas depõe um presidente legitimamente eleito, fecha o congresso e, depois que o golpe fracassa, acusa o presidente reconduzido ao poder pelo povo de ser “ditador” apesar de suas vitórias eleitorais serem inquestionáveis.

Perto disso tudo, pode parecer menos grave a hipocrisia e a desfaçatez que imperam no país, mas nem tanto. Nas últimas vinte e quatro horas pudemos ver que não fazemos feio em disputas desse tipo. Basta ver o show humorístico do mais fidedigno sósia do humorista Jô Soares já encontrado.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, deu sentido ao termo caradurismo. Como tem sido amplamente veiculado, ele teve nas mãos todos os indícios de que Carlinhos Cachoeira e Demóstenes Torres dirigiam uma organização criminosa e sentou em cima das provas.

Por conta disso, a CPMI do Cachoeira quer convocá-lo a depor para explicar por que agiu assim. O movimento por sua convocação cresce entre governistas e oposicionistas. Mas foi só após o depoimento do delegado da Polícia Federal Raul Souza na última terça-feira que esse sentimento cresceu.

O delegado deixou claro que o procurador-geral da República poderia ter agido há quase três anos contra Cachoeira e companhia limitada e nada fez. A ele se juntaram oposicionistas como o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). E, claro, os membros governistas da CPMI.

Só para ilustrar o caso, Lorenzoni, do De-mo-cra-tas, declarou que “Ele [Gurgel] está sem defesa” porque “Estava com a bomba atômica na mão [relatório contra Demóstenes] e nada fez”.

Isso não impediu que o humorista mor da República declarasse que os que querem convocá-lo a se explicar agem assim porque estariam “com medo” de sua atuação no inquérito do mensalão, como se Randolfe ou Lorenzoni estivessem envolvidos no caso.

Para que refletir que confrontá-lo obviamente seria o caminho mais curto para enfurecê-lo, gerando o risco de uma vingança de sua parte na condução do processo?

Alguns dirão que pior ainda é a mídia dizer que a Veja não fazia parte do esquema Cachoeira apesar de as escutas da PF mostrarem o contrário, ou seja, que o bando a usava, por exemplo, para derrubar funcionários do governo que atrapalhavam a construtora Delta e, em troca, o contraventor municiava a publicação com denúncias contra o mesmo governo.

Pois eu digo que o quadro humorístico de Gurgel é ainda mais hilariante. Os políticos e a imprensa fazem jogo político, não se espera desses atores a postura que se espera do chefe de uma instituição como o MPF, alguém que tem por dever constitucional fazer exatamente o contrário do que fez.

Jô Soares já pode até tirar umas férias e colocar Gurgel em seu lugar que, muito provavelmente, ninguém notará a diferença. Talvez até achem o procurador-geral mais engraçado.

http://www.blogcidadania.com.br/2012/05/roberto-gurgel-alem-de-sosia-de-...

 

Triste é ver toda a mídiaPIG se esmilinguir num bote salva-vidas: o brindeiro Gurgel.

Que fim ...

Um amigo tem um vira-latas lindo chamado Sadam.

Ele sempre brinca quando a gente se encontra aqui nas ruas da Pompéia:

"Só compro o Estadão. O Sadam não consegue fazer cocô em outro jornal"

 

 

Nos últimos dias, as organizações globo fizeram importantes lances: o editorial defendendo Civita, em O Globo, e a defesa de Gurgel, primeiro com Heraldo Pereira, e depois com o prórpio Gurgel entrevistado na rede Globo. 

O mensalão não é a bala de prata da oposição, mas a única bala. Seu efeito já foi analisado por Marcos Coimbra e pode assim ser resumido: se não fez efeito na época, não será agora que fará. A oposição política e midiática preparava uma grande cobertura para o julgamento. Uma super produção. A realidade tramou contra isso, jogando a CPMI do Cachoeira no centro do palco. Esta CPMI atrapalha os planos da oposição por vários motivos:

1- chama atenção do público, roubando a cena que eles queriam que fosse protagonizada pelo mensalão.

2- Destroi um personagem midiático importante, o Sen. Demóstenes. Sua opinião seria requisitada frequentemente e se beneficiaria pelo destaque recebido.

3- O PSDB, devido a Perillo, e o DEM, com Demóstenes, foram atingidos em cheio. Atacar o PT do mensalão, não é tão eficaz, quando o público pode fazer rápida associação entre os partidos de oposição e Cachoeira. Não é o jogo de ganha e perde, como queria a mídia, mas de perde e perde.

4- A Veja está sob ataque. Com ela, os métodos da mídia passaram a ser alvo de questionamento. O vale tudo que devem repetir no julgamento do mensalão perde força.

5- O procurador da República, o homem que seria a grande estrela do mensalão, a acusar os petistas, foi colocado em posição vunerável.  Com a queda de Demóstenes, Gurgel ocuparia a posição do cavaleiro da armadura dourada da mídia. Se ele se enfraquece, a mídia perde seu heroi.

O editorial de o Globo tentou proteger um companheiro de batalha, a Veja. A cobertura dada a Gurgel desvela a aposta alta que oposição coloca no mensalão e, com a entrevista, Gurgel antecipa que  está fechado com a oposição midiática.

A sequência de fatos obrigou a oposição e Gurgel a tomarem posição antes do planejado. Agora, com o guizo no gato, o jogo fica mais claro. Deveremos observar uma escalada da radicalização.  

 

Gurgel, Procurador Geral da República? Na verdade um prevaricador safado que sentou em cima do processo que poderia ter evitado a reeleição de Demóstenes Torres. Gurgel sentou-se em cima do processo contra Demóstenes, a partir da Operação Vegas, da PF. Fora Gurgel, vc não merece está nesse cargo,  o Brasil é 6a. economia do mundo, não é um pais qualquer, cai fora

 

<< O procurador-geral Roberto Gurgel explicou que a decisão de deixar o inquérito parado foi uma estratégia para impedir que os acusados tomassem conhecimento da investigação.
Ele também disse que parece estar havendo uma tentativa de imobilizá-lo.>>
Se houve tentativa de imobilizá-lo, ela foi bem sucedida. O manteve imóvel por dois anos.

 

Caro Nassif

Fala-se muito, em relação ao sr. Gurgel, nos indícios de prevaricação por OMISSÃO em 2009. Entretanto, indícios de prevaricação por AÇÃO estão também presentes no seu comportamento, agora em 2012, no seu encaminhamento "forçado" do inquérito 3430 ao SFT para investigar Demostenes.

Como publicado na internet (https://docs.google.com/file/d/0B94I8m9jP6ScdUdweFBRdy0zLTQ/edit), no item 44 deste seu relatório, o sr. Gurgel pede ao STF, como principal providência, a quebra de sigilo bancário de Demostenes APENAS no período de 01/07/2010 a 31/01/2012. O absurdo desta "AÇÃO" do sr. Gurgel pode ser visto no gráfico, onde se vê que ele descarta totalmente a Operação Vegas. Compreenda-se, e aceite-se, que o sr. Gurgel fosse INCAPAZ de ver indícios contra Demostenes em 2009, apenas com os dados da operação Vegas. Agora, tenha paciência, com os resultados da operação Monte Carlo, é INACEITÁVEL que, em 2012, o sr. Gurgel VENHA FAZER DE CONTA que continua sem ver nada na operação Vegas, e que, espertamente, NÃO INCLUA a quebra de sigilo deste período.

Por outro lado, o sr. Gurgel, angelicalmente, também NÃO QUER SABER de quebras de sigilo telefonico e fiscal de Demostenes EM NENHUM PERÍODO. Decerto acha que o torpe senador só fala bobagens ao Nextel, e que outros aparelhos não mostrariam nada interessante. Apesar de saber o sr. Gurgel, como sobejamente noticiado na revista VEJA, que o varão de Plutarco do DEM foi vítima de grampos ilegais, alguns sem aúdio, no período da operação Vegas.

Essas e outras estranhezas do relatório 3430 do sr. Gurgel decorrem do item 10, onde ele inocenta penalmente Demostenes, mesmo sob as luzes incandescentes da Monte Carlo, e em pleno 27/03/2012:
            "10. Os diálogos captados nos autos do Inquérito n. 042/2008, muito embora não mostrassem fatos que pudessem ser enquadrados em um tipo penal para efeito de autorizar a imediata instauração de inquérito, já revelavam que os vínculos entre eles extrapolavam a ética exigida de um Parlamentar."

Espera-se de um Procurador-Geral da República que seja o maior defensor da Sociedade. Seria este o caso ?

 

Re: As desculpas de Gurgel
 

Francisco de Assis

Canalha, moleque, ... é o mínimo que se pode qualificar esse sujeito. Com esta atitude ele acaba de provar que não foi por negligência, incompetência ou qualquer outro motivo, não, foi por cumplicidade, por acobertamento do crime organizado. Se tivesse o mínimo de decência renunciaria imediatamente ao cargo. Por pior que seja este país, este sujeito não é digno de ocupar a direção da Procuradoria Geral da República. Que os seus pares tenham o mínimo de respeito por esta país e exijam a sua renuncia imediata, é o que espera o povo brasileiro. 

 

O mervalismo tá fazendo escola. Qual a preocupacao do Collor com o mensalao? Do Radolfe Rodrigues do PSOL? O PSOL é partido de oposicao, aliás o único partido de expressao da esquerda que é oposicao. Rodrigues é senador de primeiro mandato, nem sonhava em ser senador em 2005. Gurgel está perdido e perdeu a razão. Seu dever seria o de dar explicacoes, e nao de estimular teorias da conspiracao. Pessosas da justiça trabalham com fatos e nao com teorias. Assim deveria ser sua conduta. 

 

No mesmo sentido, imaginem se a única coisa que se soubesse de Demostenes fosse a cozinha presenteada pelo contraventor-- se os grampos nao tivesse sidos captados--, a gritaria da oposicão-mídia contra a convocao do catão do Cerrado para depor à CPI seria absurda. Viria o Merval com as mervalices dizendo  que tudo nao passava de um golpe para desmoralizar o senador mais atuante da oposicão bem no julgamento do mensalão. E que nao teria nenhum indício contra ele, apenas uma relacao de amizade que nao configuraria nada demais( a esta hora, Demostenes estaria rindo da cara deles, como riu da cara dos senadores que o defenderam)

 

A CPI serve justamente para "pegar" aqueles que sao suspeitos ou os que ainda nem vieram à luz, se fosse para pegar só os que já estão "pegos" nao  se precisaria de CPI. Não seria Comissão Parlamentar de INQUÉRITO. Assim Chamaríamos as meninas do Jo e o proprio para entrevistar DADA e compamnhia. Carlinhos Cachoeira vai à CPI para ajudar a "pegar" os que cometeram malfeitos e ainda estao encobertos, já que ele mesmo já está "pego" e nao precisa "pega" a si próprio.

 

É por isso que Policarpo, Civita e Gurgel, inocentes ou cupados, têm que ir à CPI. A Democracia é para todos!

 

O Roberto Gurgel praticamente já confessou o seu malfeito, se houvesse uma explicação plausível para ter sustado a investigação ele já a teria dado.


Pena que a Dilma esteja com as mãos amarradas, se ela fizesse alguma coisa agora seria acusada de tentar proteger os envolvidos no suposto Mensalão da Mídia.


Depois do julgamento, vamos ver se ele continua no cargo, particularmente eu duvido.

 

A Presidenta Dilma Rousseff só pode destituí-lo do cargo depois que a maioria absoluta dos senadores votarem pelo seu impedimento. É o Senado que tem que dar o primeiro passo...

 

Diogo Costa

Acusou o golpe, assumiu o partido e apontou os patrões.

 

O Gurgel tem o dom da premonição - em 2009 ele engavetou as investigações da Operação VEGAS, já antevendo que a Operação MONTE CARLO seria deflagrada dois anos depois. O Cara de pau prevaricador tem que explicar se bebeu das águas da Cachoeira de Goiás. E não foi só ele: contou com a cumplicidade da esposa - Claudia Sampaio - Subprevaricadora da República.

 

Ele provou que lê assiduamente a revista de esgoto veja, é mais um ventriloco do PIG.

 

mensalão, gurgel, mensalão, dantas, mensalão, gilmar, mensalão, globo, mensalão, eterna mulher de um dos gêmeos agora com o outro...

mas o que será que stf pensa sobre o mensalão, alguém já sabe?

do pt, do dantas, do cachoeira do demóstenes???

eu continuo pensando não sei o que do mensalão

 

Pois eu penso desde o início, e agora com muito mais convicção ainda, que o "mensalão" é a maior farsa da história política do Brasil. Por isso há essa disputa titânica da oposição e da mídia venal sobre esse processo, eles não querem justiça alguma, tampouco condenar todos réus do processo. O que eles pretendem é condenar José Dirceu, única e exclusivamente José Dirceu e com isso incriminar política e eternamente Lula e seu governo.

 

O "mensalão" é uma farsa grotesca, construída pela quadrilha máfio-midiático-parlamentar para derrubar o governo Lula. É a Carta Brandi do século XXI.

 

Diogo Costa

há tempos que penso da mesma forma...

acredito que é por aí também, como você colocou

coisa é muito mais séria...............bem...veremos................mas se continuar assim, nunca

sempre desconfio quando a globo fica a favor de alguém, não é à toa que faz

e faz apenas pra enrolar a coisa toda, deixar o cara na pressão, todos na pressão

repare que Veja praticamente já passou..................e retaliar Gurgel, MP, só beneficia demóstenes

globo é mulher de gêmeos, um sai e o outro entra, e Veja que é bom neca

que ninguém se esqueça dos 300 que o Lula falou

e das quarenta e tantas entidades fantásticas do senado que mudam de opinião assim de repente

normal? alguém acredita que não sabiam de nada?

é a individualidade...basta uma marcar bobeira e todos se safam

pior que não é a primeira vez que acontece, com esta mesma pressão

e com as mesmas decepções de nossa parte.................

reparem como as decepções são selecionadas pela globo

 

O que é preciso descobrir é a razão pela qual o PGR fingiu de morto nesse caso. O que ele tinha a ganhar? 

 

Perdido em seus argumentos Roberto Gurgel também perdeu todas as condições que se exige de um Procurador-Geral da República para o exercício do cargo.

Ao politizar sobre o depoimento do delegado da Polícia Federal na CPI do crime organizado comandado por Carlinhos Cachoeira, atribuindo sua convocação a petistas e ao julgamento do “mensalão” o Procurador fragilizou-se ainda mais.

Até parlamentares da oposição – dos mais a direita - cobram explicações convincentes do Procurador-Geral:

 “Ele [Gurgel] está sem defesa. Não há argumento: ele estava com a bomba atômica na mão [relatório contra Demóstenes] e nada fez” – do Deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Não há explicações legais para a inércia do Procurador-Geral nesse caso. Fosse um servidor público de pouca ou nenhuma envergadura estaria agora respondendo, no mínimo, a processo disciplinar por prevaricação.

Não há dúvida de que Roberto Gurgel precisa se explicar. Até em respeito a seus pares e a instituição.

 

 

Perfeito Ana!

Esse senhor não está à altura do cargo que ocupa...

Dá um desanimo tremendo observar nosso judiciário carregando certos "entulhos" infinitamente, haja paciência e chá de camomila para não se estressar.

 

" Se o discurso controla mentes, e mentes controlam ação, é crucial para aqueles que estão no poder controlar o discurso em primeiro lugar." Teun A. Van Dijk

Vergonhoso... e patético!

 

O Gurgel, de procurador, virou maestro da banda do PIG.

 

O PGR e o STF são instâncias políticas e têm lado, o atual procurador está do lado dos perdedores, têm de sair, quem sabe na próxima eleição ele volte. Não pode é comprometer a credibilidade e governabilidade de uma Nação, fazer birra é quando não prejudica o País, se causar danos não vai segurar a barra.

Pede prá sair.

 

Follow the money, follow the power.

"Ele [Gurgel] está sem defesa. Não há argumento: ele estava com a bomba atômica na mão [relatório contra Demóstenes] e nada fez.Deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), após delegado da PF dizer na CPI que o procurador-geral Roberto Gurgel recebeu as denúncias contra Demóstenes em 2009, mas não abriu inquérito." - Olha só quem diz isso é alguém da oposição e não estava escrito em nenhm blog "sujo", mas é a frase do dia de um blog "limpinho" , isto é, o do Noblat. Será que o Onyx está com medo do julgamento do mensalão?

 

Até Gurgel está complicado?

Só nas ruas se garantirá a prisao da máfia...

 

Mais uma batata pra assar.

A fogueira vai arder até o dia amanhecer.

Êta, forrô bão !

 

 O que este sr deveria é explicar( tentar) a sociedade o porque de ter sentado em cima de um inquerito já com todas as peças prontas. E ,não vir a tv confrontar o Congresso com uma desculpa rastaquera. Vergonhoso?! É pouco... é muito pouco!!!!!!!!

 

Caro Nassif, pelas declarações do sr. Gurgel, hoje à noite na tv, trata-se de um desqualificado. O Ministério Público não pode ser uma instituição particular, em que decisões possam ser observadas no âmbito familiar.

 

A entrevista do "GURGEL", na minha opinião é uma confissão de culpa do elemento, por quem passo a não ter o menor respeito. ( daí o linguajar! )

 

 

Fora, Gurgel !

 

Vergonhosa a atuacao. E isso prova que Lula e Dilma agiram mal escolhendo esse procurador. Deveriam ter ignorado a lista. Agora ele mostrou a cara, definitivamente.

 

@DanielQuireza

Gurgel está no cargo desde 2009 e, com a aprovação, continua como procurador-geral até 2013. O mandato de Gurgel à frente da PGR terminou no último dia 22.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/954110-gurgel-e-reconduzido-ao-cargo-...


 

 

O  procurador    gurgel  fez  sua  opção  preferencial  pelo  cinismo  e  o  embuste.  Pronunciou-se  claramente  com  viés  político-partidário,  demonstrando  apreço  pela  facção demotucanapepessista. 

  Merece  o  caminho  do  olho  da  rua.

 

Abaixo frase do dia publicada no BlogdoNoblat, e a pergunta que fica é: Onyx Lorenzoni, deputado pelo DEM, faz parte dos mensaleiros petistas?

 

Ele [Gurgel] está sem defesa. Não há argumento: ele estava com a bomba atômica na mão [relatório contra Demóstenes] e nada fez.

Deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), após delegado da PF dizer na CPI que o procurador-geral Roberto Gurgel recebeu as denúncias contra Demóstenes em 2009, mas não abriu inquérito.

 

A outra possibilidade (segundo o blindeiro) é que o deputado, e outros favoráveis à convocação, estejam sendo "influenciados" pelo PT. Tenho certeza que o deputado Lorenzoni vai adorar as implicações.

 

A guerra não é mais dissimulada... Os fatos? Não significam mais nada.

Sinceramente acho que está passando da hora de aparecerem os de bom senso (eu disse os de bom senso e não aqueles que fazem acordos espúrios que geram as costumeiras pizzas).

 

A "justiça" da Casa Grandese manifesta: "pra trás, vergonha na cara!" Sujeitinho cara de pau!

 

Por que a globo tem tanto medo da CPI? Qualquer ser com 2 neurônios vê que essa entidade (e seus capachos) está agindo de forma muita tresloucada ultimamente.

 

Usar mensalão como álibi para não ser investigado por associação a quadrilha de carlinhos cachoeira é a estratégia da revista veja.

Que coincidência, não?

 

E as organizações globo tentando impedir que mais um suspeito vá depor na CPI. rsrs

As organizações globo não eram contra a corrupção?

Por que agora querem impedir que suspeitos de corrupção e envolvimento com o crime organizado vão depor na CPI? O que a globo quer esconder?

O que a rede globo não consegue mais esconder é que considera seus telespectadores imbecis.

 

 

É vergonhoso -  ele PRECISA SAIR!

 

Sim, gurgel é um dos culpados de goiás ter Perillo como governador, esta figura não se elegeria se o povo tivesse tido acesso ao que a Pf já sabia até então.O governador e o bicheiro (Editorial)

O Estado de S.Paulo

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, fez o que devia ao atender ao pedido do governador tucano de Goiás, Marconi Perillo, para que abrisse uma investigação sobre as suas relações com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Pela simples razão de que, ao aumentarem os indícios de proximidade entre o político e o bicheiro, aumentou também, aparentemente, o distanciamento entre o primeiro e a verdade dos fatos.


No começo de abril, numa longa entrevista ao Estado, Perillo admitiu ter tido "algum tipo de relação ou de encontro com o Carlos Ramos, como empresário". Não com o empresário de jogos ilícitos e traficâncias por atacado, mas com o dono de uma fábrica de medicamentos.

Nessa condição, o governador o recebeu em palácio. Ele não alegou ignorância das outras atividades do empreendedor, mas disse ter acreditado quando dele ouviu, ao se encontrarem por acaso numa festa, que tinha se regenerado.

Passadas duas semanas daquela entrevista, Perillo se viu obrigado a fazer algo que pode lembrar a proverbial entrega dos anéis para salvar os dedos. Perguntado sobre a influência do bicheiro na sua administração, reconheceu que ela existiu "em relação a algumas áreas do trabalho do Estado, mas de forma isolada, muito pequena", apressando-se a ressalvar: "No governo, não. (Cachoeira) nunca ousou fazer qualquer solicitação em relação à atividade dele".

Se ousou ou não ousou, a CPI mista do Congresso terá condições de esclarecer, ao ir além das descobertas da Polícia Federal, no curso das operações Vegas e Monte Carlo. Mas, na esteira dos vazamentos de gravações policiais autorizadas, três membros do governo goiano, nelas citados, perderam os seus empregos: a chefe do gabinete de Perillo, o procurador-geral do Estado e o presidente do Detran.

O caso deste último, Edivaldo Cardoso, torna mais curiosa e mais curiosa, como diria Alice, a do país das Maravilhas, a versão de que era apenas periférico e esporádico o envolvimento de Cachoeira com os negócios públicos de Goiás. Numa gravação de 2 de março do ano passado, logo no início, portanto, do mandato de Perillo, o contraventor cobra do chefe do Detran a parte do leão que lhe tocaria por ter apoiado o tucano.

Leia mais em O governador e o bicheiro

 

Ele [Gurgel] está sem defesa. Não há argumento: ele estava com a bomba atômica na mão [relatório contra Demóstenes] e nada fez.

Deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS),

 (via blog do Noblat)

Conclusão: segundo a tese do Gurgel, o DEM também está com medo do mensalão. Patético.

 

DESESPERO!

 

Gurgel perdeu a compostura e piorou mais a sua situação. Adotou a tese da revista veja de que a CPMI é cortina de fumaça para desviar o foco do mensalão, não duvido que seja a próxima capa da semana. Lamentável!

 

gaúcho, diz o ditado que rei morto, rei posto. Mal o demóstenes saiu o gurgel assumiu a vaga dos "mosqueteiros da ética". triste brasil, 6a. economia do mundo com uma ratazanas do porte do gurgel e, prá completar, a esposa