newsletter

As obras da Odebrecht em Cuba

Quanto há algumas semanas, na visita da Presidente Dilma à Cuba, foi anunciada a obra da Odebrecht no porto de Mariel em Cuba, eu pensei que era uma estranha situação, visto que a Odebrecht era grande empreiteira na Florida e era obvio o conflito em operar na Florida e em Cuba.

Não deu outra. Os congressistas cubanos em Washington querem uma retaliação á Odebrecht, que há vinte anos tem obras em Miami, por ela agora ter obras em Cuba. Caiu a ficha e a situação é evidentemente complicada.

Do Capitol Hill Cubans

How Odebrecht Abets Castro's Repression

Brazilian President Dilma Rousseff is heading to Cuba this afternoon, but has already made it clear that she will not meet with pro-democracy activists -- nor criticize the Castro regime's repression.

Why?

Because her trip is on behalf of the Brazilian construction company Odebrecht and its multi-million dollar expansion of the Port of Mariel. 

Moreover, she will sign a new agreement with the Castro regime to help Odebrecht revitalize Cuba's sugar sector. 

Thus, any criticism of the Castro regime's brutal repression could jeopardize Odebrecht's business interests in Cuba.

Meanwhile, Miami-Dade County's Mayor and Commission continue to funnel billions worth of Cuban-American taxpayer money to Odebrecht.

Absolutely shameful.

Sem votos
20 comentários

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+20 comentários

 


Andre Araujo,


Sei não, mas pareceu-me que a sua frase: "Caiu a ficha e a situação é evidentemente complicada" está incompleta. Não custava nada você deixa explícito que a ficha caiu para você e completar que a situação é evidentemente complicada para os cubanos de Miami.


Clever Mendes de Oliveira


BH, 10/03/2012

 

Money, yes sir...

Tanto faz 1 milhões de dólares pagos por americanos ou por brasileiros construirem em Cuba...

 

E que pais os EUA proibem de comerciar com Cuba? O Brasil, por exemplo tem bom comercio com Cuba, o Canadá e a Espanha tambem. Qualquer pais que quiser pode comerciar com Cuba.

Comentário de Andre Araujo  em 15/09/2011 no post CUBA DIZ QUE O EMBARGO GEROU DANO DE US$ 975 BI

 

No habsburgo dos outros é refresco.

E qual é a dúvida?

 

 Dúvida?  Muito pelo contrário, a cada comentário seu  passo a ter mais certezas.

 

No habsburgo dos outros é refresco.

Não tem cubanos em Miami.... Só Gusanos e Gusanitos...

 

ANTIFA!

  Mas André, o embargo não era bobagem ?

 

Pedestrianismo intelectual é uma das epidemias mais difundidas do planeta, simplificar questões complexas, tira-las do contexto, reduzir tudo à sua escala mais simples, ao nivel do rodapé, ai tira-se conclusões, bordões,  clichês, fica tudo facil, pronto para slogans, palavras de ordem, demandas simples, cafézinho com pão de quijo, tudo bem lambão.

O embargo continua em vigor mas foi atenuado a partir de 2000 por exclusões de setores como alimentos e turismo.  O que eu disse e repito:  Se o embargo fosse abolido hoje pouco mudaria para Cuba porque Cuba não tem divisas para comprar bens e serviços nos EUA. O que Cuba faria sem o embargo, compraria o que nos EUA? Com que dinheiro?  Cuba  pode comprar e vender o que quiser no mundo inteiro , menos nos EUA,

nem porisso em Cuba existem produtos importados da Europa ou carros japoneses, simplesmente porque Cuba não tem recursos ou credito para comprar esses produtos.

Quanto à Odebrecht nos EUA, não houve restrição, há um grupo de cubanos que está pressionando para que a empreiteira não possa trabalhar em Cuba e nos EUA ao mesmo tempo,  esse é um problema interno americano, eles dão obra publica para quem quiserem dentro de seu territorio, ninguem pode obriga-los a aceitar empreiteira estrangeira, aceitam se quiserem, aqui no Brasil não tem empreiteira estrangeira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Andre Araujo (sábado, 10/03/2012 às 17:18),


Não tinha visto uma definição bem a propósito de "Pedestrianismo intelectual". Enfim gostei da sua definição.


Agora não sei se você reparou que você fez exatamente o contrário. Falta só arranjar um bom nome para a sua ação. Algo que deve ir de "despedestrianismo intelectual" até "avionismo intelectual" ou "maionesismo intelectual".


Clever Mendes de Oliveira


BH, 10/03/2012

 

Nem embargo nem bloqueio, essas coisas "non eczistem", é tudo fruto da cabecinha dos pés rapados da esquerdolândia.

 

A Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff não violou regras da boa educação, muito menos, não agrediu posturas consagradas pela diplomacia internacional de respeito à soberânia do País que visitava.

O articulista, ainda preso a um Estados Unidos do Brasil que não mais existe, reclama, sacando a velha cantilena anti-comunista, muito em voga nos anos 60:

“Assim, qualquer crítica à repressão brutal do regime de Fidel Castro poderia prejudicar os interesses comerciais da Odebrecht em Cuba.”

Evidente, tal afirmação deve ser creditada a um certo mofo, ranço persistente e sempre presente nas repetitivas, longas e, desinteressante ladainhas da direita. Na verdade, a presidenta Dilma não se furtou em tratar de direitos humanos. Apenas, escolheu alvejar os pés de barro da hipocrisia norte-americana, falando sobre o centro clandestino de torturas mantido pelos norte-americanos na própria ilha de Cuba.

O Estado terrorista em que se transformou aquela grande nação, por conta da acelerada entropia moral. É o que leva a sucessivos governantes estadunidenses usarem com inaudito despudor o verbete democracia apenas como retórica para ornar, maquiar seu marketing sovado tentando mascarar suas ações criminosas.

Realmente, concordo que isso é absolutamente vergonhoso. Especialmente para os entes que se submentem a praticar esse jogo de cartas marcadas.

Orlando

 

"(...)congressistas cubanos em Washington(...)"

 

Leia-se:  LOBISTAS DA MÁFIA DE MIAMI e PARCEIROS DOS TERRORISTAS e ASSASSINOS PROFISSIONAIS hospedados pelo Departamento de Estado, pelo FBI e pela CIA.

 

Era de esperar. Menos par aqujeles quje diziam quje embargo era mito, que nao existia.

 

Que haveria protestos e mimimi no império pelo fato de a construtora tupinambá estar atuando na ilha era mais esperado do que um rádio falar.

 

 

Nada que o $$$$ não resolva......

 

Re: As obras da Odebrecht em Cuba
 

No habsburgo dos outros é refresco.

De tes to  cubanos de Miami.  Eles sao embarassantes.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Fico me perguntando o que papo rolou no encontro que houve dias atrás entre o AA e um espião da CIA. Ele(AA) afirmou que o espião era aposentado, até parece que estes vermes se aposentam. Será que entrou na pauta a visita de Dilma a Cuba, pelo jeito o AA está prestando "ótimos serviços" aos "Estados Unidos do Brazil."

 

 Spin

Meu caro, não existe ""espião"" da CIA, é um serviço de inteligencia, tem organaograma transparente, a maioria dos funcionarios são burocratas e não agentes de campo, os aposentados se empregam  na economia de mercado para reforçar o orçamento, quem trabalhou lá não fala coisa alguma sobre a organização, como é tipico de americanos, falam do business de hoje, tornam-se até chatos, não fazem fofoca nem em almoços e jantares.

 

"tornam-se até chatos, não fazem fofoca nem em almoços e jantares":

Verdade, fofoca era especialidade do ex-embaixador.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.