Revista GGN

Assine

Bradesco fechou 2012 com lucro de R$ 11,38 bi

De O Globo

Lucro do Bradesco sobe 3,2% em 2012 a R$ 11,38 bilhões

  • Foi o quarto maior da história dos bancos, segundo a Economatica
  • Carteira de crédito da instituição cresceu 11,5%

RONALDO D'ERCOLE

SÃO PAULO - O Bradesco abriu a temporada de balanços dos bancos com lucro líquido de R$ 11,38 bilhões em 2012, uma alta de 3,2% sobre o ano anterior. Trata-se do quarto maior da história dos bancos no Brasil, segundo a consultoria Economatica, mas mostra uma desaceleração. Em 2010, o crescimento ante 2009 havia atingido impressionantes 25%, o que correspondeu a um lucro de R$ 10,02 bilhões. Em 2011, o resultado foi de R$ 11,028, uma alta de 10%.

O maior lucro da história foi registrado pelo Itaú Unibanco que, em 2011, divulgou R$ 13,83 bilhões. Já na segunda posição, está o lucro do Banco do Brasil com R$ 12,68 bilhões, no mesmo ano. O terceiro maior lucro é o Itaú Unibanco no ano de 2010 com R$ 11,70 bilhões. A consultoria lista os maiores lucros anuais nominalmente, sem ajuste pela inflação.

O baixo crescimento da economia e a persistência do elevado níveis da inadimplência restringiram o crescimento da operações de crédito do Bradesco em 2012, com impacto no lucro e na rentabilidade. A rentabilidade medida pelo retorno sobre o patrimônio líquido recuou de 21%, em dezembro de 2011, para 19,2%.

— O ideal seria que ficássemos no patamar de 220%, mas a queda reflete o processo de redução das taxas de juros e dos spreads no país. É uma mudança de patamar, mas extremamente sustentável e em níveis elevados e apropriados ao custo do capital no país — disse o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi.

O banco informou ainda um lucro líquido de R$ 2,893 bilhões no quarto trimestre de 2012, alta de 6,1% sobre igual período do ano anterior. Em bases recorrentes, o lucro ajustado do segundo maior banco privado do país foi de R$ 2,918 bilhões, 5,3% maior na relação anual e pouco abaixo da previsão média de analistas ouvidos pela Reuters, que apontava para lucro recorrente de US$ 2,95 bilhões.

Na ponta dos empréstimos, o Bradesco viu sua carteira total crescer 11,5%, fechando dezembro com saldo de R$ 385,5 bilhões. O desempenho está abaixo do crescimento entre 13% e 17% das últimas projeções do banco, que já haviam sido revistas para baixo ao longo de 2012. E levou o banco a novamente perder market share no mercado de crédito, em que os bancos públicos (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) foram novamente muito agressivos. Nos 12 meses até dezembro, a fatia do Bradesco no mercado de crédito brasileiro encolheu de 12% para 11,2%.

— Nosso crédito está adequado no seu crescimento, abaixo do que o mercado cresceu, cerca de 16,7% em 2012, mas tem adequação à multiplicidade do PIB no ano passado — disse Trabuco, em teleconferência.

Sobre o fato de o governo estar novamente pressionando os bancos privados a acelerarem as concessões de crédito como forma de empurrar os investimentos e a economia este ano, Trabuco ressaltou a importância do papel anticíclico que os bancos privados têm desempenhado nos últimos anos, mas disse que o Bradesco continuará dosando seus empréstimos às suas condições de capitação de recursos.

— Quando se compara banco público com privado tem que se levar em conta as estratégias, as condições de prazo e custos de captação de funding, que são diferentes — ressaltou. — Os bancos públicos fazem seu papel anticíclico, que é muito louvável, os privados têm limitações de custos e prazos para crescer de forma tão acelerada. Não tem nada a ver dizer que os bancos privados colocaram o pé no freio por causa da inadimplêencia.

As projeções do Bradesco para a ampliação de crédito variam de 13% a 15%, conservadoras se comparadas à década passada, quando cresciam acima de 20%.

A área de seguros, previdência e capitalização do Bradesco foi responsável por 31,1% do lucro líquido ajustado do banco no ano passado. Essas operações tiveram lucro anual de R$ 3,587 bilhões, com crescimento de 12,1% em relação a 2011. Para este ano, a previsão do Bradesco é de que os prêmios de seguros aumentem entre 12% e 15%.

O crescimento menor refletiu a combinação de baixa atividade econômica do Brasil e elevação dos calotes, o que levou os bancos do país a serem mais prudentes na concessão de crédito. O índice de inadimplência do Bradesco, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias em relação à carteira total, ficou em 4,1%, estável na base sequencial, mas 0,2 ponto percentual maior que no final de 2011.

Sem votos
10 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+10 comentários

Coitados dos clientes do Bradesco. O lucro do Bradesco é o prejuízo deles...

 

Quer dizer então que o Presidente Lula fez o certo ao "bombar" o BB e CAIXA.

E um certo povinho dizendo que o presidente estava promovendo o comunismo no Brasil.

Então tem mais gordura para queimar? Juros e tarifas continuam elevadas.

 

O Estado é mãe da multilicação do BRADESCO. Se o governo desmamar os bancos privados, o Brasil  terá crescimento chines.

 

Uma ideia ou intuição dita de modo próprio pode servir de via de acesso em direção a percepção metafísica do ser e o quanto no universo ele é capaz de constituir por si mesmo para tal transcendência existencial.

Já pensou se o Bradesco tivesse a mesma política de gestão de riscos do Estado de São Paulo ou da boate Kiss?

Qual seria o passivo judicial dele? O do Estado de São Paulo deve ser do tamanho da folha de pagamento (ninguém sabe direito quanto é). Já pensou o Bradesco com um passivo maior do que a folha? Ou que esse lucro ai?

O Bradesco quebraria. O Estado de São Paulo nos quebra.

 

 "A rentabilidade medida pelo retorno sobre o patrimônio líquido recuou de 21%, em dezembro de 2011, para 19,2%".  Estou comovido com esta brutal redução. Gostaria de saber qual a participação das tarifas neste lucro astronômico deste representante do oligopólio bancário brasileiro.

 

"A rentabilidade medida pelo retorno sobre o patrimônio líquido recuou de 21%, em dezembro de 2011, para 19,2%."

Mantendo o ritmo...

Patrimônio líquido = 100 em 2011 - 119,2 em 2012 - 142,0 em 2013 - 169,3 em 2014 e 201,88 em 2015.

Em 2011

Itaú: R$ 14,6 bilhões

Banco do Brasil: R$ 12,1 bilhões

Bradesco: R$ 11,2 bilhões

Santander: R$ 7,7 bilhões

Os quatro maiores bancos: R$ 45,6 bilhões. Apenas estas quatro empresas tiveram lucros equivalentes a 1,1% do PIB do Brasil naquele ano.

O milagre da multiplicação. A atuação dos bancos serve apenas para drenar os recursos produtivos em direção aos bolsos dos seus controladores.

Quando a sociedade irá se conscientizar que o atual sistema financeiro é um câncer. Ou extirpamos ele ou ele a nós...

 

 

 


Quase 2 bilhões de lucro numa empresa privada.


  O que diria Chavez sobre o seu ''bolivarismo'' a respeito disso?


    E quando chegar o lucro do Itaú?


    Se Chavez estiver vivo ,ele se mata.


          De raiva.


       E não estou falando sobre um dos 3 sobrinhos do Pato Donald:


        Huguinho.....

 

Alguém que fale economês pode me explicar isso aqui?
É real?!

  1. Notícia

Comentar1

A taxa de juros para financiamento de veículos automotores varia de 5,79% a 77,95%, segundo relatório divulgado pelo Banco Central (BC). A menor taxa de juros para este tipo de operação de crédito foi encontrada na Goldcred, enquanto a maior foi no Banco Azteca do Brasil. As taxas foram avaliadas no período de 9 a 15 de janeiro.

Com o menor juros do mercado para a aquisição de veículos, segundo o BC, a Goldcred apresentou taxa de 0,47% ao mês. Na sequência aparecem Banco Gmac, com 0,51% ao mês, e BMW Financeira, com 0,77%. Na outra ponta da tabela, aparecem o Banco Azteca do Brasil, com 4,92% ao mês, Omni S.A., com 4,66% ao mês, e Santana S.A., com 4,60% ao mês.

Confira as taxas de juros ao ano para financiamento de veículos no País:

PosiçãoInstituiçãoJuros ao ano1Golcred5,79%2Banco Gmac6,29%3BMW Financeira 9,64%4Banco PSA Finance Brasil10,56%5CIA CFI RCI Brasil11,75%6Banco Mercedes-Benz13,49%7Banco Fidis15,39%8Banco Volvo Brasil15,94%9Banco do Brasil16,35%10Caixa Econômica Federal17,32%11Financiamento Alfa S.A.17,4612Aymore17,8813Banco Volkswagen18,30%14Bradesco18,58%15Itaú Unibanco18,58%16Santander18,72%17Banco Banestes19,28%18HSBC Finance19,99%19Banco Toyota do Brasil19,99%20Banco Fiat19,99%21Banco do Estado do Rio Grande do Sul20,13%22Bradesco Financiamentos20,27%23Banco J Safra20,41%24Banco Rodobens21,70%25Banco Itaucard23,29%26Portoseg S A CFI25,34%27BRB-CFI26,53%28BV FInanceira27,27%29Mercantil Brasil Fin28,93%30Banco Honda29,54%31Banco Maxinvest30,15%32Sul Financeira31,37%33Banco Yamaha Motor35,44%34Banco Pecunia36,23%35Banco A J Renner36,71%36Sorocred CFI39,94%37Finansinos41,09%38Finamax47,64%39Banco Daycoval50,58%40Banco Ficsa67,65%41Portocred70,17%42Santana S.A.71,55%43Omni SA72,73%44Banco Azteca do Brasil77,95%


http://economia.terra.com.br/carros-motos/bc-juros-para-financiar-veicul...

 

O mercado não gostou. Principalmente das previsões para 2013.

As ações do Bradesco caíram mais de 3% e puxaram Itaú e Brasil prá baixo também

 

Prender manifestante mascarado é fácil, quero ver é prender político ladrão que foi desmascarado.

Mercado é instrumento neutro que dá o valor de algo. No caso das bolsas o valor futuro delas.

Sombrio, muito sombrio.

Por outro lado, os bancos que sabem melhor do que ninguém como estão suas situações, não arriscam e reificam suas posições monetárias sempre que podem.

Não é à toa que são donos de muitas minas e ilhas por este Brasil afora.

 

Follow the money, follow the power.