Revista GGN

Assine

Cidade submersa no Triângulo das Bermudas

Por Valdez Araujo

Antiga cidade submersa é encontrada no Triângulo das Bermudas

Do Voz da Rússia

No fundo do oceano, na área do Triângulo das Bermudas, um grupo de cientistas canadenses descobriu uma cidade perdida.

Ao largo da costa de Cuba, um robô submarino tirou as fotografias das ruínas de edifícios, quatro pirâmides gigantes e um objeto parecido com estátua de uma esfinge.

Especialistas sugerem que os edifícios pertencem ao período pré-clássico do Caribe e da história da América Central. A antiga cidade podia ser habitada por uma civilização semelhante aos habitantes de Teotihuacán (cidade fantasma de cerca de 2000 anos, localizada a 50 km da cidade do México).

Triangulo de Bermudas, cidade submergida

DESCOBERTAS RUÍNAS DE CIDADE SUBMERSA NA MISTERIOSA REGIÃO DO TRIÂNGULO DAS BERMUDAS

Do The History Channel

Uma busca conduzida pelos canadenses Paul Weinzweig e Pauline Zalitzki encontrou vestígios do que pode ser uma cidade submersa ao norte da costa leste de Cuba, no Triângulo das Bermudas, área também apelidada de Triângulo do Diabo por causa de desaparecimentos não esclarecidos de aviões e barcos na região.


Com a ajuda de um robô, os investigadores encontraram ruínas a 700 metros de profundidade e não demorou muito para que os achados fossem vinculados ao mito de Atlântida ou Atlantis, um continente mencionado pelo filósofo grego Platão, que teria existido há aproximadamente 10 mil anos e que teria sucumbido diante de um terremoto, uma erupção vulcânica ou uma inundação.

As imagens obtidas pelos especialistas permitem visualizar com nitidez construções arquitetônicas que só poderiam ter sido feitas pelas homens, como monólitos com inscrições e pirâmides, uma delas de vidro. De acordo com os cientistas, estas ruínas poderiam ser de um período pré-clássico da história do Caribe e da América Central.

 


Média: 4 (4 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+43 comentários

porfavor não tem como ser verdade olhem o tamanho das pirâmides, como a luz da camera chegou tão longe?   ta vamos acreditar que seja infravermelho, olhem o sombreamento a face direita das construções esta eecura, isto seria o encontrar os dvds  de moisés, essa equipe seria mais famosa que lorde cárter, porquê ninguém os conhece?

 

Essa imagem está muito clara para ser o fundo do mar, se Atlantida existir, e as teorias estiverem certas, o ser humano ainda será incapaz de acessa-la até que a tecnologia nos permita enviar seres humanos para comprovar isso ao fundo do mar, ou robôs que aguentem a pressão do fundo do oceano. Eu acredito em Atlantida, mas também sei pensar.

 

eu acredido que isso seja verdade pois  julios gabriel verne tambem descreveu essa ilha e julios gabriel verne tambem acreditava que um dia poderia existir um meio de telecomunicaçao atraves de uma maquina ele preveu o foguete eu digo e repito eu acredito

 

Acho perfeitamente normal encontrar tais ruinas,afinal a terra e muito velha uma ancia por aqui devem ter passado varias civilizaçoes inclusive extraterrestres tambem essa cidade se for real o que esta na foto deve colocar  as ruinas do mexico peru e ontras muito mais antigas do que dizem os cientistas dezenas de milhres de anos com certeza e ate mais

 

Impossível não é. No último período glacial, cujo máximo foi por volta de 20.000 anos atrás, o nível dos mares ficaram mais de 120m metros abaixo dos atuais por vários milhares de anos.

No que é considerado como o período histórico, o homem saiu do nível tecnológico da pedra lascada e chegou ao ponto em que tem a capacidade de destruir totalmente a vida no planeta. Em alguns milhares de anos civilizações tem tempo de sobra para erguerem-se e desaparecer. É razoável supor que de tempos em tempos (milhares em milhares de anos) o gelo vem apagando tudo de cima para baixo, com as geleiras destruindo as edificações dos polos em sentido ao Equador nos períodos de diminuição das temperaturas, e o mar, por sua vez, vai destruindo e inundando as urbes litorâneas cada vez que as temperaturas vão ascendendo.

http://www.eeescience.utoledo.edu/Faculty/Krantz/Va_Coast_figures/Fig09....

 

 

 

"o nível dos mares ficaram" foi dose pra leão. Desculpem aí. Evidentemente o nível dos mares ficou...

 

Vejo a Atlântica como uma construção mitológica de Platão, e como gosto da mitologia como fonte de conhecimento, tudo bem, que venham essas mentiras, cabe a mim filtrar, alias, uma das...já que da ciência não podemos abrir mão, foi assim lá no começo, vide mitologia grega, que era usada para explicar o mundo, as tragédias, as histórias de vitórias e derrotas, os desastres naturais, as desavenças entre pais e filhos, tudo bem, que venham essas mentiras que, a par das falcatruas que existem por trás, não deixam de nos ensinar, cabe a nós acionar o filtro de segurança

 

 

...spin

 

 

History e Natgeo estão brigando pela matéria mais tosca (lembram da sereia?). É por isso que não tenho tv a cabo... pagar por isso? No way!

 

Alessandro D(Usa GNU/Linux)

 

Voces repararam que à esquerda na foto tem uma pirâmide meio destruida (aliás, bem destruída).. Nào teria sido a sede do STF desta "Atlântida"??

 

Na realidade a cidade parece muito bem... exceto a sede do que suponho ter sido o STF antigo, o restante parece estar em bom estado de conservação rsrs

Observem que o tal "cataclismo" deixou o restante da cidade intacto rsrs . Bem, talvez não tenha havido cataclismo algum... Foi simplesmente pelo mesmo caminho de sampa e acabou alagada por aguas lúgubres.... Issa bizarrice e sampa me lembram um poema, que reproduzo traduzido abaixo: A Cidade no  Mar (de Edgar Allan Poe). Observem a semelhança.....

Olhai! a Morte (PSDB) edificou seu trono
numa estranha cidade solitária (SAMPA)
por entre as sombras do longínquo oeste.
Lá, os bons, os maus, os piores e os melhores,
foram todos buscar repouso eterno.
Seus monumentos, catedrais e torres
(torres que o tempo rói e não vacilam!)
em nada se parecem com os humanos.
E em volta, pelos ventos olvidadas,
olhando o firmamento, silenciosas
e calmas, dormem águas melancólicas.

Ah! luz nenhuma cai do céu sagrado
sobre a cidade, em sua imensa noite.
Mas um clarão que vem do oceano lívido
invade dos torreões, silentemente,
e sobe, iluminando capitéis,
pórticos régios, cúpulas e cimos,
templos e babilônicas muralhas;
sobe aos arcos templos magníficos, sem conta,
onde os frios se enroscam e entretecem
de vinhedos, violetas, sempre-vivas.

Olhando o firmamento, silenciosas,
calmas, dormem as águias melancólicas.
Torreões e sombras tanto se confundem
que é tudo como solto nos espaços.
E a Morte, do alto de soberba torre,
contempla, gigantesca, o panorama.
Lá, os sepulcros e os templos se escancaram
mesmo ao nível das águas luminosas;
mas não pode a riqueza portenhosa
dos ídolos com olhos de diamante,
nem das jóias que riem sobre os mortos,
tirar as vagas de seu leito imóvel;
pois, ai! nem leve movimento ondula
esse imenso deserto cristalino!
Nem ondas falam de possíveis ventos
sobre mares distantes, mais felizes;
ondas nào contam que existiram ventos
em mar de menos espantosa calma.

Mas, vede! Um frêmito percorre os ares.
Uma onda... Fez-se ali um movimento!
e dir-se-ia que as torres vacilaram
e afundaram de leve na água turva,
abrindo com seus cumes, debilmente,
um vazio nos céus enevoados.
As ondas têm, agora, luz mais rubra,
as horas fluem, lânguidas e fracas.
E quando, entre gemidos sobre-humanos,
a cidade submersa for fixar-se no fundo,
o Inferno, erguido de mil tronos,
curvar-se-á, reverente.

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=223#ixzz2AVnI0EZr 
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

 

O achado é de 2001. Não foi badalado até hoje porque não convenceu.

A imagem mostrada pelo History Channel pode muito bem ser uma montagem, visando explorar o tema. Há imagens de 2001 na internet, da suposta descoberta, que não se parecem nada com isto, até porque são imagens de sonar, não fotografias. Não seria a primeira, nem a última vez que programas do History Channel fazem isso, quem acompanha o canal deve saber sobre as incríveis "descobertas" citadas como verdadeiras pelo canal (dissecação de um dragão achado na Romênia, asseveração de que os judeus eram os hicsos que subjugaram o Egito antigo, etc.).

A própria notícia aqui veiculada é sensacionalista, dado que as ruínas não estão no Triângulo das Bermudas, mostrado no mapa, mas bem longe dele, na ponta oeste de Cuba:

Re: Cidade submersa no Triângulo das Bermudas
 

A Atlantida não seria na Ilha de Creta...,?

 

 

...spin

 

 

Maquete ou não, os dinossauros sumiram a 60 milhões de anos e alguns resquícios de "homem" datam de 4 milhões, mais ou menos. Mesmo assim, há um vácuo de quase 50 milhões de anos que podem ter ocorrido muita coisa neste Planeta. Podem ter axistido civilizações que apareceram e se foram. O ser humano atual pode ser fruto de engenharia genética.

 

é muito complicado explicar pra pessoas o verdadeiro significado de milhões de anos.... quando a maioria tenta imaginar, no máximo um algarimo numérico vem a sua cabeça, ou o próprio nome por extenso. Milhões de anos é algo que voce tem que ficar alguns minutos refletindo pra entender, e perceber que a história humana tem o tempo de existência, comparado ao tempo do planeta "habitável", como se fosse uma pessoa diante de mil estádios lotados do maracanã, cada estádio com 60 mil pessoas. É uma insignificancia tamanha, que é extremamente normal o ser com sua arrogância natural, que grita sua própria existência como o marco da era do universo, se iludir e achar que seu tempo é o ápice da história do planeta, e nenhuma civilização mais avançada jamais pisou nesse solo. Na era da informação a ignorância é uma escolha, e a verdade absoluta é uma estupidez.

 

Ah rsrsrs Bem, o ser humano pode ter sido inventado por um Jênio!! rsrsr Acho que a invenção não deu muito certo.... e os piores vão prá área do Direito rsrsr

 

Tenho um netinho de 3 anos. Ate le quando viu a imagem disse que era um desenho do "caiaio"...

Vamos parar com tanta besteira gente!

 

 

 

Continuando as administraçoes tucanas, sampa tem o mesmo destino...

 

Teria

 

Grazzie a Dio!!!

Espero que o turco vença essa e evite que Sampa desapareça num super temporal e na barbárie...

 

Trata-se, na verdade, da cidade perdida chamada sanonpalon, destruída pelo seu próprio criador e faraó, agora múmia, o tutukanon serranon. Acho que é muita obsessão.

 

Tem pirâmide e tudo o mais ! O history channel, cuja proposta básica seria até legal, transformou-se num balaio cascateiro daqueles. Raros são os programas que prestam, como a série sobre a Revolução Mexicana, ainda que cm muitas lacunas, e o programa sobre a desconhecida e triste "Guerra do Pacífico", entre os vizinhos Chile, Bolívia e Peru. Mas o resto é de uma indigência constrangedora! Safa !

 

Nāo sei se é verídico, tem que dar uma pesquisada. Possível, sim. Mas percebi que as pessoas só acreditam se a notícia sair no PIG (Daqui ou de Lá).

 

Claro. A grande imprensa pode ser partidária, mas não deixa de noticiar algo relevante, se for politicamente neutro, depois de checar as fontes.

 

"Se você pode sonhar, você pode fazer" - Walt Disney

O History Channel é estremamente sensacionalista. Seus pontos de vista são bem preconceituosos e rasos. Já ouvi uma historiadora mexicana dizendo que lá não tem nenhum tipo de investigação séria. Adoram divulgar mitos. É nisso que se apegam. Por que isso dá audiência.

 

Precisa ser muito bem verificado... Assim, em uma primeira olhada, parece uma maquete. Depois, uma cidade no fundo de areia do oceano, como mostra a imagem, não sei não. Precisa ser comprovada a veracidade da matéria e dessa pesquisa no local.

 

A foto é muito estranha! Tem uma profundidade incrível, permitindo que detalhes difíceis de acreditar que tenha sido feita no oceano e na escala de uma cidade. Parece mesmo uma maquete.

 

Ô, Nassif, pára com isso. Que bobagem! Assim os ingênuos de plantão não resistem...

 

Gente,

teria o afundamento ocorrido logo no final da grande administração do nosso mais preparado jênio Çeha?

É o que se diz.

Fui.

 

A resposta à sua pergunta é não. Como se sabe, o afundamento da Atlândida Bandeirante ocorreu durante o mandato do vice prefeito que ficou no lugar do prefeito quando este renunciou ao cargo para concorrer à presidência da Grécia Antiga. Platão (ou Aristóteles, sei lá) não se esqueceu de mencionar isso, ele deixou o fato de fora de propósito porque ficou revoltado quando um assessor do sujeito andou espalhando umas inverdades sobre Sócrates pelas ruas de Atenas se passando pelo próprio.

 

Vestígios de cidades desaparecidas  têm sido encontrados ao longo do tempo.

Não sei porque causa estranheza nos céticos.

 

Não a 700 m de profundidade.

 

É que essa aí não seria uma cidade qualquer, Ribeiro. Seria "a", ou parte de "a lendária Atlântida" desaparecida sob as águas que, na mitologia judaica se transforma no grande dilúvio e cujo assunto também está ligado a lendas de variados povos pelo mundo afora, de uma época pre-Portugal. O fantástico é, não somente fascinante como necessário à mente humana. A Cidade de Deus, de Santo Agostinho, a grosso modo falando; porém há muita forçação de barra, interesseira economicamente ou não.

Que venham notícias do próximo capítulo.

 

Considerando que o "La Nacion", apontado como fonte no "The History" http://seuhistory.com/noticias.html, retirou o link;

Considerando que apareceu também no site http://teoriadaconspiracao.org/discussion/967/atlantida-encontrada-no-triangulo-das-bermudasss;

E que em inglês não aparece em nenhum grande jornal conhecido, mas aqui:

http://www.disclose.tv/news/Underwater_Pyramid_Structures_Found_Near_Western_Cuba/86076

com um parágrafo que diz:

"They found sphinxes, stones that arranged like Stonehenge, and a written language engraved on the stones. ... The U.S. government discovered the alleged place during the Cuban missile crisis in the sixties, Nuclear submarines cruising in the Gulf (in deep sea) met pyramid structures. They immediately shut down the site and took control of him and the objects, in order that it will not come to Russians hands."

Eu fiquei achando que a notícia é montagem...

 

"Se você pode sonhar, você pode fazer" - Walt Disney

Gunter, o History Channel tem três finalidades:

1. Provar que somos descendentes de aliens;

2. Destruir o mundo;

3. Fazer propaganda anticomunista.

 

Esse canal é um horror. O pior é que muitos crêem que se trata de História aquilo que, na verdade, é ficção. A maior parte de seus programas são montagens, simulações, especulações. Raramente tem alguma coisa real, comprovadamente histórica. Mesmo os programas de leilões e casas de penhores, que andam muito em evidência, são forjados.

Programação de hoje:

14h Caos
15h Boys Toys
16h A Melhor Oferta
16h30 Estradas Mortais: Alasca
20h Alienígenas do Passado
22h Os Super-Humanos de Stan Lee
23h Decifrando Milagres

 

kkkk, sou fan do TRATO FEITO, de verdade! Rsss...

 

L U L A      2 0 1 8   !

Montagem da mais tosca.

Não existe possibilidade de se tirar fotos submarinas desta distância, e a grandes profundidades.

Tiraram fotos é de um aquário, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

 

è mentira mesmo.

ultimo paragrafo do wikipedia

Marine Geologist Manuel Iturralde called for more samples before drawing conclusions about the site, saying "We have some figures which are extremely unusual but nature is much richer than we think." Estimating that it would have taken 50,000 years for such structures to have sunken to the depth at which they were said to be found, he said "50,000 years ago there wasn't the architectural capacity in any of the cultures we know of to build complex buildings." A specialist in underwater archaeology at Florida State University added "It would be cool if they were right, but it would be real advanced for anything we would see in the New World for that time frame. The structures are out of time and out of place."[4]

The Foundation for Ancient Research and Mormon Studies denounced the discovery as heretical and discouraged any further investigation of such archaeology, predicting that the city would turn out to be a natural phenomenon.[6]


 

Vamos ver se as imagens se aproximam da descrição feita por Platão:

Também havia florestas abundantes de onde se extraía a madeira e campos que alimentavam pessoas e animais domésticos e selvagens. Havia um grande número de elefantes na ilha Atlântica e outros variados tipos de animais, de lagos e montanhas, rios e planícies. [Os atlânticos possuíam também deliciosas] ... fragrâncias, perfumes, extraídos de raízes, ervas, flores e frutas. [Havia pomares ... e templos, palácios, portos, docas. Os palácios no interior da cidadela eram construídos com um templo, dedicado a Cleito e Poseidon no centro, extremamente inacessível e rodeado de ouro; foi o lugar onde nasceram os dez príncipes e onde eram realizados rituais anuais... Todo o exterior do templo era coberto de prata, e os pináculos [torres] de ouro. O interior do templo era de mármore decorado com ouro, prata e orichalcum... estátuas de ouro, como a do próprio deus [Poseidon] em sua carruagem de seis cavalos alados, cercado de Nereidas e golfinhos... Do lado de fora, rodeando o templo, havia vinte estátuas de ouro, representando os príncipes e suas mulheres... Havia fontes de água quente e fria... Havia muitos templos dedicados a muitos deuses... jardins e lugares para o laser. Alguns somente para os homens... [e havia haras, pistas para cavalos]... As docas estavam sempre repletas de naus trirremes e armazéns por onde circulavam mercadores de todo o mundo... ?

O TEXTO DE PLATÃO TERMINA ABRUPTAMENTE

fonte: http://livro-esoterico.blogspot.com/2009/12/fragmento-de-timeu-e-critias...

 

 

Atlântida seria uma ilha de extrema riqueza vegetal e mineral. Não só era a ilha magnificamente prolífica em depósitos de ouro, prata, cobre, ferro, etc., como ainda de oricalco, um metal que brilhava como fogo.


Os reis de Atlântida construíram inúmeras pontes, canais e passagens fortificadas entre os seus cinturões de terra, cada um protegido com muros revestidos de bronze no exterior e estanho pelo interior. Entre estes brilhavam edifícios construídos de pedras brancas, pretas e vermelhas.

 



Tanto a riqueza e a prosperidade do comércio, como a inexpugnável defesa das suas muralhas, se tornariam imagens de marca da ilha.

 

 

Pouco mais se sabe de Atlântida. Segundo Platão, esta foi destruída por um desastre natural (possivelmente um terremoto ou maremoto) cerca de 9000 anos antes da sua era. Crê-se ainda que os atlantes teriam sido vítimas das suas ambições de conquistar o mundo, acabando por ser dizimados pelos atenienses.
Outra tradição completamente diferente chega-nos por Diodoro da Sicília, em que os atlantes seriam vizinhos dos líbios e que teriam sido atacados e destruídos pelas amazonas.
Segundo outra lenda, o povo que habitava a Atlântida era muito mais evoluído que os outros povos da época e, ao prever a destruição iminente, teria emigrado para a África, sendo os antigos egípcios descendentes dos atlantes.

 

 


Na cultura pop do séc. XX, muitas histórias em quadrinhos, filmes e desenhos animados retratam Atlântida como uma cidade submersa, povoada por sereias ou outros tipos de humanos subaquáticos.
Teorias e hipóteses sobre sua existência
O tema Atlântida tem dado origem a diferentes interpretações, das cépticas às mais fantasiosas. Segundo alguns autores mais céticos, tratar-se-ia de uma metáfora referente a uma catástrofe global (identificada, ou não, com o Dilúvio), que teria sido assimilada pelas tradições orais de diversos povos e configurada segundo suas particularidades culturais próprias. Consideram também que a narrativa se insere numa dada mitologia que pretendia explicar as transformações geográficas e geológicas devidas às transgressões marinhas.

Teoria do antigo continente
Há ainda a versão, como a defendida pelo cientista brasileiro Arysio Nunes dos Santos, segundo a qual Atlântida seria nada mais do que o nome grego para uma civilização ancestral, que teria sido descrita com diferentes nomes nas mais diversas culturas. Para Arysio, a Atlântida supostamente real ficaria próxima à Indonésia e diversos povos do mundo, como os gregos, hindus e tupis, seriam descendentes dos atlantes. Ainda, segundo essa teoria, diversas descobertas científicas como a criação de determinadas culturas agrícolas e do cavalo, seriam tributárias dos atlantes; e a causa da submersão da cidade/continente e do dilúvio teriam sido devidas a uma bomba atômica.

 

 

Teoria de Tântalis
Alguns pesquisadores acreditam que a Atlântida, nome derivado do deus Atlas, é uma releitura grega da antiga cidade, também perdida, de Tântalis, nome derivado do deus Tântalo. A lenda de Tântalo seria essencialmente a mesma de Tântlis, sendo tântalo uma releitura lídia de Atlas. A Atlântida então, segundo essa versão, nada mais seria que a versão grega da antiga capital da Lídia, Tântalis, conhecida também como Sipylus, que se localizava nas terras de Arzawa, situada na costa ocidental da Anatólia. Segundo escritos antigos e autores clássicos, a cidade antiga de Tântalis sucumbiu, devido a um grande terremoto que despedaçou o monte Sipylus, afundando, após isso, nas águas que brotaram de Yarikkaya, uma ravina profunda, transformando-se no lago Saloe. Durante o século XX, o lago Saloe, último vestígio de Tântalis, foi esvaziado sem cerimônia para abrir mais espaço para a agricultura.

Teoria da Antártida
Na década de 1960, o professor Charles Hapgood, tentando entender como ocorreram as eras glaciais, propôs a teoria de que o gelo que se acumula nas calotas polares provocaria um peso suficiente para que o polo terrestre se deslocasse sobre a superfície da Terra, carregando outro continente para o polo e causando uma era glacial nesse lugar. Segundo essa teoria, uma parte dos Estados Unidos já teria se tornado o pólo norte e a Antártida já teria se localizado mais acima no Oceano Atlântico, entre a Argentina e a África. Se valendo dessa teoria, o polêmico jornalista britânico Graham Hancock propôs que o continente perdido de Atlântida seria, nada mais, do que a Antártida antes do último período glacial, quando estaria mais alta no Oceâno Atlântico, e as cidades Atlântidas, por sua vez, estariam em baixo de grossa camada de gelo, tornando impossível sua investigação arqueológica.

Essa teoria seria ainda confirmada por uma mapa, o mapa dos antigos reis dos mares, feito por Piri Reis no século XVI, baseado em mapas antigos, que mostra um estranho formato para a América do Sul, que seria não a América do Sul, mas sim a Antártida na sua localização não polar. Essa teoria é aceita por alguns, porém não pelos estudiosos atuais que afirmam que o peso dos pólos não seria suficientemente grande para fazer mover os continentes na superfície da Terra, e, ainda, descobriram que o mapa de Piri Reis é realmente o mapa da América do Sul, porém, tendo como referência a cidade do Cairo, o que deu um formato diferente ao continente. Ainda, fotos de satélite tiradas a partir da cidade do Cairo, comprovaram que o formato da América do Sul, vista do Cairo, é como o mostrado no mapa. Outro problema encontrado com esse mapa é que sem o gelo a Antártida teria um formato diferente do que o mostrado, já que o nível da água subiria e deixaria aquele continente com várias ilhas.

 

 


Teoria extra-terrestre
Uma das mais polêmicas teorias sobre a Atlântida foi proposta recentemente pelo pesquisador Prof. Ezra Floid. Partindo do desenho de cidade circular descrito por Platão, Floid propõe que Atlântida se tratava de uma gigantesca nave espacial, um disco-voador movido à hidrogênio, hidromagnetismo, com uma usina central de Hidro-Forças, chamada de Templo de Poseidon: um imenso OVNI descrito por muitas culturas como "A Ilha Voadora" (citada em Viagens de Gulliver), relacionada com a Jerusalém Celestial descrita na Bíblia, à Purana Hindu que desce do Céu, o Disco Solar dos Astecas, Maias, Incas e Egípcios.

Sendo Atlântida uma missão colonizadora, ela teria estado em muitos pontos da Terra, pois se locomovia e se instalava em regiões; este teria sido o motivo pelo qual sua presença ora é imaginada no Mediterrâneo, ora na Indonésia, ora no Atlântico, nos Pólos e nos Andes: Atlântida seria a mesma nave descrita na epopéia dos Sumérios. Segundo esta teoria inovadora do professor Ezra Floid, Atlântida não teria submergido catastroficamente, mas intencionalmente, como parte do projeto colonizador que seu povo realizava no planeta. Após permanecer algum tempo no fundo do mar como cidade submarina, o disco-voador atlante teria usado também a hidroenergia de emersão para lançar-se diretamente no espaço sideral, provocando com sua massa e seu arranque poderoso uma enorme onda circular de tsunami no oceano onde estaria oculta. Os sobreviventes deste tsunami, após a tragédia, teriam julgado que Atlântida havia afundado. No entanto, os atlantes apenas teriam voltado para seu sistema natal.

 


Hipóteses sobre a localização geográfica
Há diversas correntes de teóricos sobre onde se situaria Atlântida, e sobre quem teriam sido seus habitantes. A lenda que postula Atlântida, Lemúria e Mu como continentes perdidos, ocupados por diferentes raças humanas, ainda encontra bastante aceitação popular, sobretudo no meio esotérico (não confundir com os antigos continentes que, de acordo com a teoria da tectónica de placas existiram durante a história da Terra, como a Pangéia e o Sahul).

Alguns teóricos sugerem que Atlântida seria uma ilha sobre a Dorsal Oceânica que - no caso de não ser hoje parte dos Açores, Madeira, Canárias ou Cabo Verde - teria sido destruída por movimentos bruscos da crosta terrestre naquele local. Essa teoria baseia-se em supostas coincidências, como a construção de templos em forma de pirâmide na América, semelhantes às pirâmides do Egito, fato que poderia ser explicado com a existência de um povo no meio do oceano que separa estas civilizações, suficientemente avançado tecnologicamente para navegar à África e à América para dividir seus conhecimentos. Esta posição geográfica explicaria a ausência concreta de vestígios arqueológicos sobre este povo.

Alguns estudiosos dos escritos de Platão acreditam que o continente de Atlântida seria na realidade a própria América, e seu povo culturalmente avançado e coberto de riquezas seria o povo Chavín, da Cordilheira dos Andes, ou os olmecas da América Central, cujo uso de ouro e pedras preciosas é confirmado pelos registros arqueológicos. Terremotos comuns nestas regiões poderiam ter dado fim a estas culturas, ou pelo menos poderiam tê-las abalado de forma violenta por um período de tempo. Através de diversos estudos, alguns estudiosos chegaram a conclusão que Tiwanaku, localizada no altiplano boliviano, seria a antiga Atlântida. Essa civilização teria existido de 17.000 a.C. a 12.000 a.C., em uma época que a região era navegável. Foram encontrados portos de embarcações em Tiwanaku, faltando escavar 97,5% do local.

Para alguns arqueólogos e historiadores, Atlântida poderia ser uma mitificação da cultura minóica, que floresceu na ilha de Creta até o final do século XVI a.C. Os ancestrais dos gregos, os micênicos, tiveram contato com essa civilização culturalmente e tecnologicamente muito avançada no início de seu desenvolvimento na Península Balcânica. Com os minóicos, os micênicos aprenderam arquitetura, navegação e o cultivo de oliveiras, elementos vitais da cultura helênica posterior. No entanto, dois fortes terremotos e maremotos no Mar Egeu solaparam as cidades e os portos minóicos, e a civilização de Creta rapidamente desapareceu. É possível que as histórias sobre este povo tenham ganhado proporções míticas ao longo dos séculos, culminando com o conto de Platão.

Uma formulação moderna da história da Atlântida e dos atlantes foi feita por Helena Petrovna Blavatsky, fundadora da Teosofia. Em seu principal livro, A Doutrina Secreta, ela descreve em detalhes a raça atlante, seu continente e sua cultura, ciência e religião. Existem alguns cientistas que remetem a localização da Atlântida a um local sob a superfície da Antártica.

A localização mais recente foi sugerida pela imagem obtida com o Google Earth por um engenheiro aeronáutico e publicada no tablóide The Sun, mostrando contornos que poderão indicar a construção de edifícios numa vasta extensão com dimensões comparáveis ao País de Gales e situado no Oceano Atlântico, numa área conhecida como o abismo plano da Ilha da Madeira.

http://www.ondehomenssetornamdeuses.com.br/pag03_atlantida.htm

 

 

...spin

 

 

  O Voz da Rússia não é o site mais confiável do mundo... e com essas "imagens", não sei não.

 

mesmo porque a Voz da Rússia, a verdadeira, é Anna, a Voz da Rússia - vida e obra de Anna Akhmátova, de Lauro Machado Coelho. Editora Algol, 2008, R$. 120,00.

buenos

nos fins justificam os meios o post anunciado fake com suspeita de fraude pela máfia russa teve serventia para divulgar e vender boa poesia e literatura...russa!

a vida levada a sério, vestida de bermuda e havaianas, é cheia de correlações triangulares pela cidade submersa no crime sem lei...


 

"Não há segredo que o tempo não revele, Jean Racine - Britânico (1669)" - citação na abertura do livro Legado de Cinzas: Uma História da Cia, de Tim Weiner. 

Não é a primeira vez. Outra cidade submersa - desta vez na costa oeste de Cuba - já havia sido encontrada em 2001: http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/americas/1697038.stm

Friday, 7 December, 2001, 10:01 GMT 'Lost city' found beneath Cuban watersA team of explorers working off the western coast of Cuba say they have discovered what they think are the ruins of a submerged city built thousands of years ago.

Researchers from a Canadian company used sophisticated sonar equipment to find and film stone structures more than 2,000 feet (650 metres) below the sea's surface.

They say they still do not understand the exact nature of their discovery, and plan to start a thorough analysis of the site - off the tip of the Guanahacabibes Peninsula - in January.

Advanced Digital Communications is one of four firms working in a joint venture with President Fidel Castro's government to explore Cuban waters, which hold hundreds of treasure-laden ships from the Spanish colonial era.

Robot scanner

The explorers first spotted the underwater city last year, when scanning equipment started to produce images of symmetrically organized stone structures reminiscent of an urban development.

 


It's a really wonderful structure which really looks like it could have been a large urban centrePaulina Zelitsky In July, the researchers returned to the site with an explorative robot device capable of highly advanced underwater filming work.

The images the robot brought back confirmed the presence of huge, smooth blocks with the appearance of cut granite.

Some of the blocks were built in pyramid shapes, others were circular, researchers said.

They believe these formations could have been built more than 6,000 years ago, a date which precedes the great pyramids of Egypt by 1,500 years.

"It's a really wonderful structure which really looks like it could have been a large urban centre," ADC explorer Paulina Zelitsky told the Reuters news agency.

"However, it would be totally irresponsible to say what it was before we have evidence."

 

See also:
20 Sep 01 | Sci/Tech
Atlantis 'obviously near Gibraltar'07 Jun 01 | Middle East
Spectacular finds of lost city revealed04 Jun 00 | Americas
Explorer finds lost city03 Jun 00 | Middle East
Divers find Pharaohs' lost cityInternet links:
Cuban Government
The BBC is not responsible for the content of external internet sitesTop Americas stories now:
Bush vows action after scandals'White supremacists' on trial in BostonWorldCom chiefs refuse to testifyCanada blazes send smoke southPentagon team to examine bomb errorHundreds mourn LA airport victimsNew hope for Aids vaccineTexas pleads for more flood aidLinks to more Americas stories are at the foot of the page.
 

 

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

Isso tá com cara de pegadinha. A matéria já existe desde 2009. e muito pouco foi falado a respeito desde então.

 

O que eles estavam procurando no fundo do Triângulo das Pernudas, o alto nível da campanha do jênio?