newsletter

Pular para o conteúdo principal

Clipping do dia

As matérias para serem lidas e comentadas.

Sem votos
78 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+78 comentários

Texto muito bom da irmã do blogueiro

 

DEBATE ABERTO

O segredo do poder de José SerraO ex-prefeito chegou tarde para disputar as prévias do PSDB, conseguiu adiá-las e pode ser o candidato referendado por bases que reclamam fundamentalmente do fato de que, sob o seu domínio, não tiveram nem vez, nem voz no partido.

José Serra chegou tarde na disputa pela legenda do PSDB à prefeitura paulistana: antes de declarar suas intenções, foram sete meses de disputa interna entre os quatro pré-candidatos tucanos (José Anibal, Bruno Covas, Ricardo Tripoli e Andrea Matarazzo), que percorreram os 48 diretórios zonais da capital e fizeram debates regulares com filiados do partido. Mesmo que vença a disputa com os candidatos que sobraram – Bruno Covas e Andrea Matarazzo abriram mão de suas candidaturas em favor de Serra –, o ex-prefeito terá de lidar com bases políticas que, pela tradição tucana pós-Covas, estavam alijadas até agora das decisões partidárias, e pela primeira vez na última década foram chamadas a debater e decidir uma candidatura.

Os relatos dos efeitos da disputa interna sobre uma base até então
desmotivada são unânimes em apontar que as prévias foram um sopro de vida num partido altamente hierarquizado e sem vida interna fora dos seus quadros institucionais. Da participação da militância, tucanos levaram também a informação de que há um desconforto explícito com o distanciamento de Serra. O cacique tucano esteve no centro da política tucana paulista praticamente por toda a última década , mas trabalhou em isolamento completo em relação ao partido. À sua volta, formou-se um partido paralelo, o dos “serristas”, que sempre se sobrepôs e manobrou as decisões do PSDB.

O primeiro vice-presidente municipal, João Câmara, um dos que se revoltaram com as manobras feitas pelo grupo serrista na reunião da Executiva, segunda-feira, que conseguiram o adiamento da consulta, do dia 4 para o dia 25 de março, acha que Serra é a personificação do mal no partido: “O Serra historicamente é sinônimo de desagregação do PSDB nacional, estadual e municipal”, vocifera. Outro integrante do partido acha que, pior do que Serra, são os serristas. O método do grupo mantém o partido em crise permanente,
para dentro, e para fora expressa “posições elitistas, antipáticas e arrogantes”, às quais atribui a rejeição enorme atingida pelo tucano nas últimas pesquisas de intenção de voto.

Serra aceitou participar das prévias porque não existia mais caminho de volta. Em outros tempos e outras circunstâncias, teria conseguido manobrar internamente para que os quatro pré-candidatos renunciassem em seu favor. E, se as mesmas bases que no processo de escolha interna reclamam da marginalização de uma militância histórica, ligada à formação do partido, consagrarem o ex-prefeito como candidato, seguramente o PT terá uma enorme contribuição nessa decisão.

No imaginário tucano, a ação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa é uma estratégia de “aniquilamento” do PSDB nacional que, se abatido em seu último reduto, São Paulo, estaria condenado ao fogo do inferno. A ameaça de que o PT use uma eventual vitória na disputa pela prefeitura da capital paulista para destruir a hegemonia tucana no Estado torna Serra, o político com mais recall do partido, uma alternativa. Numa situação de ameaça extrema, a tendência do partido, provavelmente, será a de não correr o risco de lançar um nome novo na praça, mas apostar num candidato conhecido, e torcer para que os recursos de marketing político sejam eficientes para vencer a rejeição dos eleitores.

Ainda assim, o fato de o grupo de Serra ter passado como um trator sobre uma Executiva que praticamente já tinha acordado o adiamento das prévias marcadas para o dia 4 por uma semana, obrigando-a a engolir um adiamento de pouco mais de um mês (de 4 para 25) pode ser o sinal de que o ex-prefeito não está tão seguro de que possa nadar de braçada nas prévias, sem tempo suficiente para reverter simpatias já conquistadas pelos candidatos José Anibal e Ricardo Tripoli, mesmo contando com o apoio de Bruno Covas e Andrea Matarazzo, que se retiraram da disputa. E também que o grupo do ex-prefeito sabe que não conseguirá esvaziar o processo de escolha, o que o beneficiaria.

Segundo pesquisa feita internamente pelo partido, com uma amostra de 773 dos 19.500 filiados, 89% têm a intenção de votar. Nessas eleições, se vencer as prévias, Serra estará obrigado a sorrir e cumprimentar eleitores potenciais em dose dupla: primeiro, dentro do seu partido; depois, nas ruas da maior cidade da América Latina.

 

(*) Colunista política, editora da Carta Maior em São Paulo.

http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=5504

 

alexandre toledo

Pensei que ele tivesse abandonado o crime”“Pensei que ele tivesse abandonado o crime” Foto: Divulgação Não é piada. Foi isso o que disse o senador Demóstenes Torres (DEM/GO), um dos principais moralistas do Congresso, sobre suas relações com Carlinhos Cachoeira, o mais destacado mafioso brasileiro; o bicheiro dava até presentinhos ao senador

02 de Março de 2012 às 20:42

247 – Ex-delegado, o senador Demóstenes Torres (DEM/GO) se especializou nos últimos anos em posar como eterno paladino da ética, pronto a assinar qualquer pedido de CPI e a prestar declarações a todo órgão de imprensa disposto a repercutir escândalos de corrupção. Até aí, tudo bem. Esse é o papel democrático da oposição. O que não se sabia – e se sabe agora – é que Demóstenes Torres é amigão do peito do bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso ontem na Operação Monte Carlo da Polícia Federal. Questionado sobre suas relações com o Don Corleone brasileiro (leia mais aqui), Demóstenes soltou uma pérola: “Pensei que ele tivesse abandonado a contravenção e se dedicasse apenas a negócios legais”.

Não, Demóstenes.

Impossível. O Brasil inteiro sabia das atividades ilegais de Carlinhos Cachoeira. Especialmente em Goiás, onde ele administrava uma rede de cassinos ilegais. O que o Brasil não sabia – e sabe agora – é que Cachoeira dava as cartas no governo de Goiás, nomeando delegados e técnicos de várias áreas do governo (leia mais aqui).

O que o Brasil também não sabia – e sabe agora – é que Cachoeira dava presentinhos ao senador mais moralista da República. No casamento do senador, o presente dado pelo bicheiro foi uma cozinha completa. “Sou amigo dele há anos. A Andressa, mulher dele, também é muito amiga da minha mulher”, declarou Demóstenes.

Além de desmoralizar o senador goiano, a Operação Monte Carlo também pode arruinar a carreira política do governador Marconi Perillo, do PSDB, que entregou a segurança pública do seu estado a um dos maiores contraventores do País.

 

 

Do Terra

 

Ciclistas protestam após atropelamento e morte na Paulista
02 de março de 2012  14h05  atualizado às 14h28

  1. Notícia
  2. Fotos

 Oslaim Britto/Futura Press

O acidente ocorreu por volta das 9h45 de hoje e o grupo, identificado com o Massa Crítica, se dirigu ao local com bicicletas para protestar
Foto: Oslaim Britto/Futura Press

ComentarUm grupo de ciclistas fez um protesto nesta sexta-feira e cobrou mais "respeito e segurança" nas ruas de São Paulo após um atropelamento e morte na avenida Paulista, próximo ao cruzamento com a rua Pamplona, no centro da cidade. O acidente ocorreu por volta das 9h45 de hoje e o grupo, identificado com o Massa Crítica, se dirigu ao local com bicicletas. Eles foram carregados pela Polícia Militar (PM). À noite, a partir das 19h, os ciclistas planejam um ato em homenagem à vítima."A reunião foi para cobrar respeito e mostrar que a situação está começando a ficar inviável devido à falta de respeito de motoristas de ônibus e taxistas", afirmou uma das integrantes do Massa Crítica, identificada como Luiza Dias Lamas. Os bombeiros chegaram a enviar viaturas de resgate ao local do acidente, mas foi constatada a morte antes do socorro. Tanto a idade quanto a identidade da vítima ainda eram desconhecidos, segundo a corporação.

"As pessoas que estavam lá comentaram que o motorista furou o sinal e atropelou a garota", disse o ciclista Guilherme Silva. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o acidente ocorreu no lado direito da avenida Paulista, onde existe uma faixa preferencial para ônibus.

Os ciclistas marcaram para a noite desta sexta-feira uma homenagem à vítima. O grupo sairá da praça do Ciclista, próximo ao cruzamento da avenida Paulista com a rua da Consolação, por volta das 19h. Na semana que vem, o Massa Crítica fará a 1ª Bicicletada Extraordinária Nacional para protestar contra a violência no trânsito.

 

 

Gilberto .    @Gil17

(Nassif, esse artigo é a validação lá fora da posição diplomática brasileira sobre a Crise do Irã, e a importância e peso do Patriota e do Brasil na questão - ninguém aqui repercutiu isso? Ou eu não vi?)
O importante discurso do ministro Patriota (Brasil-Irã)

 

Por Mark Weisbrot (do Center for Economic and Policy Research), na Folha de S. Paulo

 

É vital que países sigam o exemplo do Brasil e se manifestem antes de uma guerra contra o Irã começar

 

Na semana passada, o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, fez uma declaração corajosa e muito importante sobre a ameaça crescente de um ataque militar ao Irã. Ele pediu ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que desse seu parecer sobre a legalidade de um ataque contra o Irã, como vem sendo ameaçado.

 

“Às vezes ouvimos a expressão “todas as opções estão sobre a mesa”", disse. “Mas algumas são contrárias às leis internacionais.

 

“
As pessoas que continuam a afirmar que “todas as opções estão sobre a mesa”, aludindo ao Irã, incluem várias autoridades dos EUA e de Israel e, o que é mais importante, o próprio presidente Obama.

 

E todo mundo sabe o que querem dizer quando afirmam que “todas as opções estão sobre a mesa”: eles se reservam o “direito” de bombardear o Irã se não conseguirem o que querem por meios não militares, incluindo sanções econômicas.

 

Mas tal ação seria de fato “contrária à lei”, como Patriota sugeriu. Na realidade, é um crime muito grave segundo as leis internacionais e representa uma violação clara da Carta das Nações Unidas (artigo 2).
A simples ameaça de recorrer à força militar contra outro Estado-membro da ONU -o que Obama e o governo israelense já fizeram- já é uma violação da Carta da ONU.

 

Aqui nos EUA, a mídia — especialmente as maiores emissoras de TV e rádio — vem produzindo propaganda de guerra sobre a “ameaça” vinda do Irã, em um replay virtual do que antecedeu a invasão do Iraque em 2003.

 

O Congresso, liderado pelo lobby neoconservador e pelo Aipac (lobby pró-Israel), vem fazendo pressão para cortar as soluções diplomáticas.
 Uma resolução submetida ao Senado americano no momento incentivaria uma ação militar contra o Irã por simplesmente possuir a “capacidade” de produzir uma arma nuclear — algo que o Brasil, a Argentina, o Japão e outros países com programas pacíficos já possuem.

 

E tudo isso a despeito do fato de o Irã atender às demandas do Tratado de Não Proliferação Nuclear, incluindo as inspeções exigidas, e de não ter demonstrado nenhuma intenção de violar o tratado.

 

A visão consensual das 16 agências de inteligência dos EUA, segundo o “New York Times”, é que “não há prova concreta de que o Irã decidiu construir arma nuclear”.
É vital que os países que estão interessados em manter a paz e um mundo regido por tratados e diplomacia internacionais, em vez da força, se manifestem, como o Brasil fez, antes de uma guerra começar.

 

A declaração de Patriota é muito importante. Há muito mais que pode ser feito. O Brasil poderia trabalhar com os Brics e com a Unasul para conseguir mais declarações e compromissos. Esses grupos, ou seus países-membros, poderiam anunciar como reagiriam a um país que lançasse um ataque militar não provocado contra o Irã.

 

Por exemplo, poderiam comprometer-se a retirar seus embaixadores desse país, a romper relações diplomáticas e a rever suas relações comerciais, com a possibilidade de sanções econômicas seletivas.
Para prevenir outra guerra desnecessária e suas atrocidades inevitáveis, o esforço vale a pena. (Tradução de Clara Allain)

 

 

Nassif, por que uns podem tudo e outros não podem nada? Será porque uns seriam "amigos dos donos da lei"? Seria (assim) a constatação do uso global da (nossa conhecida) prática de "Aos amigos tudo - aos inimigos, a lei" - mas a pecha de "culturalmente atrasados" é só nossa, viu?Eita, complexo de vira-latas...

O "Passe Livre" da Arábia Saudita (e ninguém parece se importar)

Por Serge Halimi, No Le Monde Diplomatique (via Counterpunch)

O retrospecto da Arábia Saudita não é melhor que o do Irã, quando se trata do respeito pelos direitos humanos. No entanto, a comunidade internacional sempre consegue esquecer a monarquia Wahhabi. Poderia esta estar ligada à posição da Arábia Saudita como principal país produtor de petróleo e aliado confiável dos EUA?

A Arábia Saudita pode intervir no Bahrein, esmagar os protestos democráticos lá, executar 76 pessoas em 2011 (incluindo uma mulher acusada de "bruxaria"), ameaçar com a execução um blogueiro que postou uma “conversa imaginária” com o Profeta no Twitter, condenar ladrões com sentenças de amputação, anunciar que o estupro, a sodomia, o adultério, a homossexualidade, o tráfico de drogas e a apostasia são passíveis de pena de morte lá e ninguém - exceto o Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos - parece se importar. O Conselho de Segurança da ONU, o G-20 (do qual a Arábia Saudita é membro) ou o Fundo Monetário Internacional (cujo diretor recentemente visitou Riyadh e expressou sua satisfação com o "papel importante" da nação árabe no apoio à economia global): nenhum deles parece se importar.
Esta monarquia ainda se recusa a permitir que as mulheres andem de carro - a menos que acompanhadas pelo marido ou motorista - ou a participar nos Jogos Olímpicos. E esta última (violação de pelo menos dois princípios da Carta Olímpica) não tenha causado muita confusão. Se o Irã tivesse sido culpado de tal apartheid sexual, amplos protestos internacionais teriam sido organizados e divulgados.
O primeiro-ministro tunisiano Hamadi Jebali deu outro exemplo do tratamento preferencial concedido automaticamente para a monarquia saudita. Jebali, que pertence a um movimento ferozmente reprimido pelo ex-presidente Zine el-Abidine Ben Ali, elogiou seus anfitriões sauditas em uma de suas primeiras visitas oficiais ao exterior. No entanto, Riyadh (que apoiou o clã de Ben Ali até o amargo fim) se recusa a extraditá-los e oferece um refúgio seguro para as suas finanças. Dinheiro do Golfo (saudita) também ajuda a incentivar o comportamento impertinente dos salafistas na Tunísia e o financiamento de canais de TV que espalham a interpretação medievalista do Islã.
Em janeiro de 2008, o presidente francês Nicolas Sarkozy afirmou que a Arábia Saudita ", encorajada por Sua Majestade, o Rei Abdullah", promove uma "política de civilização". Quatro anos depois, este país cheio de corrupção é o maior defensor do modelo de mundo árabe islâmico, sunita e ultra-conservador. Anciãos de Riyadh - que vêem os protestos de jovens sauditas como uma "nova forma de terrorismo" - só se preocupam com os direitos dos povos quando eles podem ser usados como arma contra regimes "radicais" (leia-se xiitas) de seus rivais regionais. O “reinado” ainda acha que vai ser protegido contra protestos populares por gastar (apenas) uma gota de suas receitas de petróleo em serviços sociais, desprezando a maioria sunita e jogando-a contra os 10% a 20% de xiitas e estimulando seus ressentimentos na parte oriental do país - e o medo do Irã. A indulgência internacional da monarquia saudita é um conforto.(link: http://www.counterpunch.org/2012/03/02/saudi-arabias-free-pass/)

Serge Halimi é diretor do Le Monde Diplomatique. Ele já escreveu vários livros, incluindo um sobre a imprensa francesa, Les nouveaux chiens de garde e outro na esquerda francesa, no século 20 - Quand la gauche essayait - ambos são belas obras. Ele pode ser contatado pelo Serge.Halimi @ monde-diplomatique.fr

Notes: 
( 1 ) Princípio 4 dos Princípios Fundamentais do Olimpismo afirma: "Cada indivíduo deve ter a possibilidade de praticar desporto, sem discriminação de qualquer tipo." Princípio 6 diz: "Qualquer forma de discriminação com relação a um país ou uma pessoa em razão de raça, religião, política, sexo ou de outro modo é incompatível com a pertença ao Movimento Olímpico ".
Este artigo aparece no excelente Le Monde Diplomatique, cuja edição em língua Inglês pode ser encontrado em mondediplo.com. Este texto completo aparece por acordo com Le Monde Diplomatique. Características CounterPunch dois ou três artigos de LMD cada mês.

 

Brasil aguarda posição mexicana sobre acordo automotivo

BRASÍLIA, 2 Mar (Reuters) - O governo brasileiro aguarda uma resposta do México para concluir a negociação de revisão do acordo automotivo que vigora entre os dois países desde 2002, disse à Reuters o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira. 

O Brasil, que ameaça romper o pacto depois de um déficit de US$ 1,7 bilhão sofrido com o acordo em 2011, quer ampliar a exigência de conteúdo local mexicano para as importações do parceiro comercial, além de um sistema de cotas para as exportações de veículos do México ao país. O país também cobra a inclusão de veículos pesados nos novos termos. 

"A bola está com eles", afirmou Teixeira nesta sexta-feira, argumentando que a revisão do acordo não deve ser interpretada como uma medida protecionista por parte do governo brasileiro.

"É uma questão de agregação de produção local. Isso é bom para o México e é bom para o Brasil", disse Teixeira, evitando dar mais detalhes sobre as dicussões e afirmando que espera a resposta do governo mexicano nos próximos dias. 

O secretário de economia do México, Bruno Ferrari, afirmou na quinta-feira que as negociacões podem ser finalizadas na próxima semana e que o país está disposto a renegociar o acordo "sob termos de reciprocidade". 

Segundo Brasília, para exportar veículos ao México via acordo o Brasil atende uma exigência de conteúdo local nos automóveis de 60 por cento, enquanto a exigência mexicana para seus exportadores é de 30%. 

do UOL

 

"[...]Devia era, logo de manhã, passar um sonho pelo rosto. É isso que impede o tempo e atrasa a ruga.[...]" - Mia Couto

A lenda da queda da desigualdade

Por: Clovis Rossi| 13 de febrero de 2012 no Blog do El Pais.

Não sei se foi discutido por aqui, mas deixo a dica para os comentaristas que dominam economia.

Não consegui colocar os gráficos, mas o link segue no final do texto.

O debate, em El País.com, sobre os "pés de barro" do emergente Brasil provocou inúmeras menções à obscena desigualdade social, uma chaga aberta permanentemente no país.
O pior é que, nos últimos anos, houve uma insólita coincidência entre economistas liberais e os ex-esquerdistas do PT para decretar que a desigualdade estava diminuindo. Pura mistificação.
O que pode estar eventualmente diminuindo, mesmo assim muito pouco, é a desigualdade entre assalariados. A verdadeira obscenidade, que é diferença de renda entre capital e trabalho, não foi tocada. Provavelmente até piorou.
Comecemos pela coincidência: os primeiros a falar em redução da desigualdade foram economistas liberais, que se opunham às teses econômicas que o Partido dos Trabalhadores defendeu a vida toda, até chegar ao poder federal. Aí, o próprio líder máximo do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, admitiu que o que defendia antes não passava de "bravatas".
Tanto no governo Lula como no de sua afilhada e sucessora Dilma Rousseff foram adotadas políticas pró-mercado, para alívio e alegria dos economistas ortodoxos.
Já os raros economistas que continuaram à esquerda, como Reinaldo Gonçalves, professor titular de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, não se alegraram nem um pouco. Escreveu Gonçalves:
"Com raras exceções, essas políticas limitam-se a alterar a distribuição da renda na classe trabalhadora (salários, aposentadorias e benefícios) sem alterações substantivas na distribuição funcional da renda, que inclui, além do salário e das transferências, as rendas do capital (lucro, juro e aluguel)".
Esse é o xis da questão. Todos os estudos que apontam para a queda da desigualdade referem-se apenas à salários. Também o índice de Gini, a mais conhecida medida da desigualdade, contabiliza apenas salários.
Mas os economistas liberais não enfatizam esse ponto em suas pesquisas - e os jornalistas compramos a versão abrangente de "queda na desigualdade", sem acrescentarmos "entre salários".
O fato é que não há elementos para fazer a comparação entre ganhos do capital e ganhos dos salários. As únicas indicações são as pesquisas em que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) pergunta ao entrevistado quanto ele ganha. É só você mesmo fazer um teste: se lhe fizerem esse tipo de pergunta, você responderá automaticamente qual é o seu salário - e apenas o seu salário.
Vai omitir, de boa fé, eventuais ganhos com aplicações financeiras, porque simplesmente não se lembra, não lhe vem a cabeça.
Quem tem elevados rendimentos provenientes de lucros, juros, aluguéis e aplicações financeiras em geral, tende a omitir de propósito tais rendimentos, com medo do Fisco, sentimento natural e inescapável no mundo todo. Ou, então, no Brasil, com medo da criminalidade.
Um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas), organismo oficial, chegou a detectar 90% de sub-declaração de rendimentos nesse tipo de levantamento.
Fica claro, pois, que quem vive de salário declara o que ganha. Quem tem também outras rendas ou vive delas não declara o total, de boa ou má fé. Então, torna-se impraticável afirmar que houve queda na desigualdade, a não ser entre assalariados.
Por quê os economistas liberais põem em letra pequena que a queda na desigualdade está limitada aos salários? Minha suspeita: ao demonstrar que houve queda da desigualdade, sem especificar qual delas, fica implícito que as políticas que vêm sendo adotadas desde o governo Fernando Henrique Cardoso, continuadas por Lula e agora por Dilma, não precisam ser modificadas, uma vez que estão mexendo na ferida da iniquidade social.
Ou, posto de outra forma, os petistas não precisam voltar às suas velhas teses "Robin Hood", de tirar dos ricos para dar aos pobres, porque essa transferência já estaria ocorrendo sem precisar mexer na renda dos ricos.
Essa mistificação provavelmente esconde um aumento na desigualdade da renda "lato sensu". Basta saber que no ano passado o governo federal dedicou 5,72% do PIB brasileiro ao pagamento de juros de sua dívida. Já o Bolsa Família, o programa de ajuda aos mais pobres, consumiu magro 0,4% do PIB.
Resumo da história: para 13.330.714 famílias cadastradas no Bolsa Família, vai 0,4% do PIB. Para um número infinitamente menor, mas cujo tamanho exato se desconhece, vão 13 vezes mais. O economista João Sicsú, também da Universidade Federal do Rio de Janeiro, chegou a calcular em apenas 1 milhão de famílias o número de detentores de títulos públicos, generosamente remunerados pelo governo.
Fábio Barbosa, então presidente da Federação Brasileira de Bancos, contestou o número em conversa informal comigo. Mas não tinha ideia de qual seria o número correto. Mesmo que seja cinco vezes maior que o calculado por Sicsú, teríamos a seguinte equação: 13 milhões de famílias, os pobres entre os pobres, ganham 0,4% do PIB; 5 milhões de famílias, de classe média alta ou ricas, ganham 5,72% do PIB.
Se isso é distribuição de renda, é dos pobres para os ricos, uma observação feita, aliás, por um antigo membro da primeira equipe de Lula, o professor Carlos Lessa, então presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
Observação repetida faz pouco por Silvio Caccia Bava, editor de Le Monde Diplomatique Brasil e coordenador geral do Instituto Pólis: "Desde o final da década de 1990 o Brasil vem transferindo anualmente de 5% a 8% do PIB para os ricos, por meio principalmente dos juros, amortizações e refinanciamentos da dívida pública interna. Quem compra títulos do governo brasileiro tem o maior rendimento do mundo! Quarenta e cinco por cento do orçamento geral da União, algo como R$ 635 bilhões em 2010, remuneram esse investimento. Isso sem falar nos R$ 116,1 bilhões de isenções tributárias/redução de impostos para os ricos e suas empresas. Para ter uma comparação, R$ 7,5 bilhões foram destinados em 2011 para o saneamento básico, num país onde 45% dos municípios não coletam esgoto".
Mas, atenção, não confundir redução da desigualdade, que não houve, com redução da pobreza, que houve, sim, como mostra o gráfico abaixo. Ou seja, o Brasil não caiu no pior dos mundos, ao contrário, por exemplo, de países como os Estados Unidos, em que os ricos têm ficado cada vez mais ricos e, os pobres, cada vez mais pobres. Nestes trópicos, os ricos continuam enriquecendo espetacularmente mas os pobres não estão ficando mais pobres. A distância entre eles é que continua igual - ou maior.

http://blogs.elpais.com/algo-mais-que-samba/2012/02/a-lenda-da-queda-da-...

 

Por esta eu não esperava:

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2012/03/roger-waters-reitera-apoio-argentina-sobre-malvinas.html

 

Roger Waters reitera apoio a Argentina sobre MalvinasEle falou sobre assunto em entrevista ao canal chileno Televisión Nacional.
Ex-Pink Floyd começou turnê pela América do Sul e passa pelo Brasil. 

Da Ansa

  AFP)O cantor Roger Waters durante apresentação em
Berlim, capital alemã (Foto: AFP)

O músico britânico Roger Waters, ex-integrante da banda Pink Floyd, reiterou hoje acreditar que "as [Ilhas] Malvinas deveriam ser argentinas".

Waters disse, em entrevista ao canal chileno Televisión Nacional de Chile, que não se sente orgulhoso do passado colonial de seu país que, "durante 150 anos ou mais", atuou como "um império".

O músico encontra-se no Chile para dois shows onde apresentará o disco "The Wall", de 1979, na íntegra. O álbum é considerado por especialistas como um dos mais importantes do rock and roll. Ele ainda realizará nove apresentações na Argentina e quatro no Brasil.

O britânico se reuniu com a líder do movimento estudantil chileno Camila Vallejo e com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, nos últimos dias.

 

Em entrevista à Band, José Serra comete gafe e chama o Brasil de "Estados Unidos do Brasil". Vídeo sem edição ou cortes:

http://www.youtube.com/watch?v=qJzhP0EVpGI

 

Está com problemas? Procure a igreja. Está nela, a solução de todos os “males”.

Rede TV! vende horário nobre para R.R. Soares

Por Janaina Nunes | Em Off – 8 horas atrás

 



Marcelo de Carvalho admitiu que Rede TV! passou por uma crise séria, terá cortes em seu elenco e ainda enfrentará algumas dificuldades, mas parece que aos poucos as coisas vão se acertando, principalmente com uma "ajudona" do bispo R.R. Soares. A grade da emissora mudou. Agora, às 21h30 vai ao ar um programa da Igreja Internacional da Graça de Deus, que pertence ao bispo. Ele pegou o lugar que era do jornal "Rede TV News" e um pedaço do "Superpop", que, quando exibido, entrará na grade às 22h30. Ou seja, o líder religioso está no cobiçado (e caro) horário nobre.

Às 12h, a emissora tem ainda um programa da Igreja Mundial do Poder de Deus, que pertence ao pastor Valdemiro Santiago.  Isto é, a venda de horários para as igrejas está salvando a Rede TV!. Em tempo: os diretores da emissora disseram que não há mais nenhum salário atrasado no canal. De fato, o pagamento dos atrasados ocorreu horas antes do início da coletiva de imprensa que anunciou a contratação de Rafinha Bastos.



 

Clipping do Dia (www.cloudnews.com.br)

Cruz Vermelha deve entrar hoje em Homs
Governo de Assad autorizou ontem a ajuda humanitária, depois de a ONU aprovar uma resolução recomendando a medida

Itamaraty critica suspensão de compra de aviões brasileiros pelos EUA - Aqui Acontece
O governo brasileiro foi surpreendido pela decisão da Força Aérea dos Estados Unidos de suspender a compra de 20 aviões Super Tucano da Embraer e considera a medida um retrocesso para a relação entre os dois países na área de defesa.

Petrobras inicia produção em águas americanas
Navio-plataforma BW Pioneer é o primeiro do tipo FPSO a produzir óleo na região do Campo de Cascade, na costa americana do Golfo do México

Windows 8 Consumer Preview atinge a marca de 1 milhão de downloads ... - Olhar Digital
Números foram divulgados pela equipe do Building Windows 8 no Twitter. Versão beta mostra o que podemos esperar do sistema operacional Ao que parece, a versão de testes do novo Windows 8 agradou a muita gente na internet. De acordo com o Twitter do ....

BC anuncia nova medida para conter ingresso de dólares no Brasil - Midiacon
A diretoria colegiada do Banco Central se reuniu de forma extraordinária nesta quinta-feira (1) e decidiu adotar uma nova medida para tentar conter o ingresso de dólares na economia brasileira, fator que pressiona para baixo a cotação da moeda ...

21 mil políticos com contas reprovadas
Depois da aprovação da Ficha Limpa, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mudou na quarta-feira (29) uma interpretação jurídica e decidiu barrar a candidatura de 21 mil políticos que tiveram as prestações de contas desaprovadas em eleições anteriores.

ONU quer que comunidade internacional reaja à violência na Síria
BRASÍLIA - A alto comissária da Organização das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, cobrou nesta sexta-feira (2) da comunidade internacional "responsabilidade urgente" em relação à onda de violência na Síria.

Samsung comercializa 20 milhões de unidades do Galaxy S II - iMasters
Ontem, a Samsung revelou que o Galaxy S II superou a marca de 20 milhões de unidades vendidas em todo o mundo. O gadget, que foi lançado em abril de 2011, é o primeiro da empresa a portar um processador de dois núcleos. Ele possui tela de 4,3 polegad...

Dólar opera em alta após medida do BC sobre exportações
O dólar operava em alta ante o real nesta sexta-feira, após o Banco Central anunciar na noite de quinta-feira limitações ao financiamento de exportações, em mais uma tentativa de conter a valorização do real. Às 9h15 (de Brasília), ...

Vinte e cinco dos 27 países da UE assinam Pacto de Estabilidade fiscal
Vinte e cinco dos 27 países da União Europeia, com exceção de Grã-Bretanha e da República Tcheca, assinaram nesta sexta-feira em Bruxelas o Pacto de Estabilidade fiscal, destinado a equilibrar as contas públicas para evitar futuras crises de dívida, ...

PMDB protesta contra hegemonia do PT
Deputados do principal aliado petista no governo assinaram manifesto protestando; no texto, que será entregue ao presidente nacional do partido, Valdir Raupp, e ao vice-presidente da República, Michel Temer, ele demonstram incômodo diante do esforço ...

Desemprego na zona do euro atinge recorde - Diário de S.Paulo
Os índices referentes ao desemprego nos 17 países da zona do euro atingiram um percentual recorde de 10,7% em janeiro, superando os 10% registrados em dezembro de 2011. Nos dez países restantes da União Europeia (UE), a taxa de desemprego em janeiro ...

Ipea indica bom desempenho do mercado de trabalho em 2011
Desaceleração da atividade econômica exigem “posição cautelosa” para próximos meses

 

Quando se perde a vergonha na cara, fala-se qualquer coisa.

Serra apoia Dilma contra Aécio, diz Kassab ao PT

FÁBIO BRANDT
DE BRASÍLIA

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, revelou nesta quinta-feira (1) uma conversa constrangedora para o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD). O diálogo, segundo o petista, ocorreu no primeiro semestre de 2011, quando Kassab ainda não tinha escolhido apoiar o rival do PT, José Serra (PSDB), na eleição municipal de 2012.

Leia a transcrição da entrevista de Rui Falcão à Folha e ao UOL
Veja galeria de fotos da entrevista de Rui Falcão

Na ocasião, afirmou Falcão, Kassab declarou: "Para a [presidente] Dilma, a melhor coisa que poderia acontecer é o Serra prefeito de São Paulo. Porque se tiver Dilma e Aécio [Neves, do PSDB], Serra é Dilma [na disputa presidencial de 2014]".

Rui Falcão falou sobre o assunto no "Poder e Política - Entrevista", programa do UOL e da Folha conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília.

     

A revelação de Falcão pode ser interpretada como represália a Kassab, que negociou aliança com o PT, mas mudou para o lado do PSDB quando Serra decidiu se candidatar. O presidente petista, no entanto, considera o prefeito sincero. "[Kassab] reafirmava: 'Com o governador Serra candidato a prefeito eu vou apoiá-lo, devo lealdade a ele'", relatou Falcão.

Na entrevista, Rui Falcão disse que o PT continua favorável à descriminalização do aborto, mas que os deputados do partido não propõem mudanças na lei atual (que criminaliza o aborto) porque têm outras prioridades no Congresso.

Ele também falou sobre a criação de uma agência reguladora do setor de comunicações, proposta defendida pelo partido. Ele afirmou que a regulação não representa "censura" nem ao "controle de conteúdo da mídia escrita", mas se voltaria a TVs e rádios -que são concessões estatais. "É provável que nos próximos meses ou semanas esse projeto venha à consulta pública [sobre o assunto]", afirmou.

A seguir, trechos em vídeo da entrevista de Rui Falcão. Mais abaixo, vídeo com a íntegra da entrevista. A transcrição completa também está disponível.

 

Tiririca vai varrer todos eles do mapa.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

"O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que o Rio de Janeiro tinha, em 2008, 3% apenas de cobertura de saúde básica no Rio de Janeiro.

"O Rio vai chegar ao final de 2012 com 50% de cobertura de saúde básica. Mas esse esforço não é totalmente percebido no IDSUS 2012", apontou. "Se fosse avaliado em 2011, ele já estaria acima da média nacional."

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/03/rio-e-capital-com-pior-avaliacao-do-atendimento-do-sus-diz-governo.html

 

01/03/2012 15h03- Atualizado em 01/03/2012 15h31

Rio é capital com pior avaliação do atendimento do SUS, diz governoMinistério da Saúde divulgou nesta quinta novo índice de avaliação do SUS.
Vitória, com nota 7,08, é única capital a atingir meta estipulada pelo governo. 

Tai NalonDo G1, em Brasília

 

O Rio de Janeiro é a capital brasileira com a pior avaliação em relação aos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aponta o índice de desempenho lançado nesta quinta (1º) pelo Ministério da Saúde. A capital com melhor desempenho é Vitória (ES).

Com nota 4,33 no Índice de Desempenho do SUS (IDSUS), que pretende avaliar o desempenho de acesso e qualidade dos serviços oferecidos pelo SUS no país,o Rio de Janeiro fica atrás de Belém (4,57), Maceió (5,04) e Brasília (5,09) (veja ranking abaixo).

Capitais (Grupo 1)IDSUS 2012Vitória7,08Curitiba6,96Florianópolis6,67Porto Alegre6,51Goiânia6,48Belo Horizonte6,40São Paulo6,21Campo Grande6,00São Luís5,94Recife5,91Natal5,90Salvador5,87Teresina5,62Manaus5,58Cuiabá5,55João Pessoa5,33Fortaleza5,18Brasília5,09Maceió5,04Belém4,57Rio de Janeiro4,33Fonte: Ministério da Saúde

Com pontuação que vai de 0 a 10, as aferições do IDSUS 2012 levaram em conta dados sobre saúde básica, ambulatorial, hospitalar e de emergência repassados pelos municípios a bases de dados nacionais (IBGE, Ipea, entre outros) entre 2008 e 2010.

Ao gerar a nota, o ministério leva em conta o acesso aos serviços do SUS e se esses serviços são prestados em sua totalidade. Esses critérios, ponderados, resultam na nota final (veja os critérios no final deste texto).

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que o Rio de Janeiro tinha, em 2008, 3% apenas de cobertura de saúde básica no Rio de Janeiro.

"O Rio vai chegar ao final de 2012 com 50% de cobertura de saúde básica. Mas esse esforço não é totalmente percebido no IDSUS 2012", apontou. "Se fosse avaliado em 2011, ele já estaria acima da média nacional."

Grupos
Ao ranquear os municípios, o ministério os dividiu em seis grupos de acordo com perfis socioeconômico e de estrutura de saúde - no Grupo 1, por exemplo, estão os 29 municípios mais ricos e com estruturas mais complexas; no Grupo 6, as 2.183 menores cidades e com os serviços mais básicos e de baixa complexidade.

O Rio é, também, o município com a menor pontuação entre todas as cidades do Grupo 1, que inclui algumas que não são capitais. Belém, Maceió e Brasília também têm as piores notas entre todos os municípios desse mesmo grupo.

Técnicos do Ministério da Saúde avaliam que problema comum aos grandes centros é a dificuldade de acesso aos serviços do SUS, ou seja, os usuários não conseguem sequer ser atendidos - filas e desistências são comuns nesses locais. Esse quesito tem peso maior na nota final do IDSUS.

No caso do Rio, porém, eles afirmam que as dificuldades são relacionadas sobretudo à existência de áreas isoladas pela violência urbana.

Paulo de Tarso Ribeiro de Oliveira, diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS, diz que agentes do Programa Saúde da Família tinham dificuldade de chegar a essas localidades. "Apenas 15% da população do Rio tinha acesso ao atendimento básico de saúde", disse.

Vitória, em contrapartida, é a única capital brasileira com índice acima de 7,0 - considerado pelo Ministério da Saúde a meta a ser alcançada pelo SUS nacionalmente. É também a cidade com a melhor colocação no ranking de todas as cidades do Grupo 1.

"Vitória é uma cidade rica, com enorme infraestrutura de saúde, mas tem 300 mil habitantes. Na comparação com capitais maiores, sai na frente", justificou Paulo de Tarso.

EstadosIDSUS 2012Santa Catarina6,29Paraná6,23Rio Grande do Sul5,90Minas Gerais5,87Espírito Santo5,79Tocantins5,78São Paulo5,77Mato Grosso do Sul5,64Roraima5,62Acre5,44Alagoas5,43Rio Grande do Norte5,42Bahia5,39Sergipe5,39Piauí5,34Pernambuco5,29Goiás5,26Maranhão5,20Ceará5,14Distrito Federal5,09Mato Grosso5,08Amapá5,05Amazonas5,03Paraíba5,00Rio de Janeiro4,58Rondônia4,49Pará4,17

Demais capitais
As capitais de Tocantins, Roraima, Rondônia, Sergipe, Acre e Amapá fazem parte do Grupo 2, de cidades ainda grandes, mas com estrutura de saúde menos complexa. Entre elas, Palmas teve nota 6,31, ficando em primeiro lugar. É seguida por Boa Vista (5,76), Rio Branco (5,56), Aracaju (5,55), Porto Velho (5,51) e Macapá (5,10). Nenhuma delas, no entanto, consta da lista dos dez municípios melhor avaliados segundo o IDSUS.

Estados
O Pará aparece com a pior avaliação entre os estados, segundo o IDSUS 2012. Com 4,17, fica atrás de Rondônia (4,49) e Rio de Janeiro (4,58).

Das capitais, apenas o Rio aparece com índice inferior ao da média do estado. Cidades grandes como São Gonçalo, Niterói, Nova Iguaçu e Duque de Caxias, todas do Grupo 2, também tiveram baixo desempenho. Receberam notas 4,18, 4,24, 4,41 e 4,57, respectivamente.

No Pará, além de Belém, aparecem entre os municípios com mais baixo desempenho Ananindeua (4,50), no Grupo 2, e Paraubepas (3,89) e Marabá (3,84), no Grupo 3. No Grupo 4, dos dez municípios com pior avaliação, oito são paraenses.

O topo de ranking reúne os três estados do Sul. Santa Catarina apresenta o melhor desempenho entre os estados brasileiros, com nota 6,29. Paraná fica em segundo lugar, com 6,23, e o Rio Grande so Sul, em terceiro, com 5,90.

Em Santa Catarina, além de Florianópolis, com a quarta colocação entre as cidades do Grupo 1, com 6,67, aparecem no alto do ranking Chapecó (7,35), Tubarão (7,04) e Itajaí (7,01), no Grupo 2, e Santo Amaro da Imperatriz (7,68) e Angelina (7,42), no Grupo 3. O governo considera desempenho acima de 7,0 como a meta a ser alcançada pelo SUS nacionalmente.

No Paraná, além de Curitiba (6,96), destacam-se Campo Largo (6,79), Pranchita (7,41) e Virmond (7,93). Só no Grupo 6, dos dez municípios mais bem conceituados, quatro são paranaenses. São Fernandes Pinheiro (7,76), Rio Bonito do Iguaçu (7,68), Pinhal de São Bento (7,54) e Guamiranga (7,51).

 Editoria de Arte/G1)

 

Operários e empresários: Chega de exportar empregos!

Centrais e empresários alertam para os riscos da desindustrialização

Em reunião nesta segunda-feira (27), as cinco maiores centrais sindicais brasileiras – CUT, Força Sindical, UGT, CTB e CGTB –, treze entidades empresariais, os sindicatos dos metalúrgicos do ABC, São Carlos e São Paulo, além da Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM) da CUT, decidiram reivindicar do governo federal medidas urgentes para salvar a indústria nacional.

“Queremos sensibilizar o governo que a indústria atravessa uma situação tão difícil que é necessário agir forma rápida, tão depressa como aconteceu no enfrentamento da crise econômica mundial de 2008, se não quisermos que a o problema aumente”, destacou o vice-presidente Rafael Marques, que representou o Sindicato no encontro.

As medidas emergenciais para a retomada da produção que trabalhadores e empresários desejam foram colocadas em um manifesto com o título “Grito de alerta em defesa da produção e do emprego brasileiros”, que também descreve a má situação da indústria atravessa.

“O Brasil vive um bom momento na economia, mas sua indústria passa por uma crise”, alertou Rafael. “Entre as principais causas estão os juros altos, a alta carga tributária, o câmbio valorizado, a guerra fiscal que favorece importações e o aumento indiscriminado de importações”, citou o dirigente.

Nesta terça (28), o mesmo grupo de centrais e entidades patronais participa de audiência com o presidente do Senado, José Sarney, com o objetivo de cobrar a votação da lei que disciplina a guerra fiscal nos portos brasileiros e que seria uma das medidas solicitadas para alavancar a indústria.

Movimento prepara novos atos

Desde o ano passado, trabalhadores e empresários se reúnem para enfrentar a ameaça da desindustrialização no Brasil. Para provar que este perigo existe, basta lembrar que na década de 1980 esse setor representava 27% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil e pode chegar ao final deste ano a menos de 15%.

Com a meta de superar esta ameaça, já foram realizados encontros como o seminário Brasil da Indústria, do Diálogo e do Emprego e mobilizações na Via Anchieta e em São Carlos, que levaram milhares de metalúrgicos às ruas.

Além das reuniões, estão programadas manifestações por todo o País, para alertar a opinião pública sobre a situação atual da indústria brasileira e o fechamento de postos de trabalho que a crise no setor representa.

http://www.viomundo.com.br/denuncias/cut-chega-de-exportar-nossos-empreg...

 

Como astro, 'Chui' Zizao chega ao Timão e garante: 'Vocês vão gostar'Jogador usará Zizao na camisa, mas pede para ser chamado de Chui, seu apelido. Antes da apresentação, tambores e até 'leões' chineses

Por Carlos Augusto Ferrari e Daniel Romeu - Globo Esporte São Paulo

   Carlos Augusto Ferrari/Globoesporte.com)Zizao recebe a camisa 200, em homenagem ao início
da imigração chinesa (Foto: Globoesporte.com)

Apresentar jogadores no Parque São Jorge é uma raridade no Corinthians. A sede social só é usada em ocasiões especiais, como aconteceu nas chegadas dos pentacampeões Ronaldo e Roberto Carlos. Nesta quinta-feira, o Timão fez festa para receber um jogador que, talvez, sequer atue em partidas oficiais, mas que traz consigo um ambicioso plano de marketing e de expansão da marca alvinegra. Chen Zhizhao é o primeiro dos milhões de chineses que o clube tenta atrair para seu bando de loucos.

A apresentação do novato foi um evento: globos vermelhos, 'leões' chineses, percussão típica. O jogador pode não ser craque, mas teve a recepção de um. Ele recebeu das mãos do presidente Mario Gobbi a camisa 200, em homenagem aos dois séculos de imigração chinesa ao Brasil.

O jogador usará na camisa apenas o nome Zizao - forma aportuguesada de Zhizhao para facilitar leitura. Na segunda-feira, quando chegou ao clube, o atacante foi chamado dessa forma. O Timão chegou a lançar em seu site oficial uma enquete para determinar qual alcunha seria gravada nas costas do uniforme. Chen estava vencendo até o início da manhã desta quinta, mas Zizao acabou sendo o escolhido. No entanto, na coletiva, o jogador pediu para ser chamado de Chui, seu apelido.

- Eu sei que o Corinthians foi o último time que Ronaldo atuou. Conheço o Corinthians, um dos clubes mais populares do Brasil. Sobre meu desempenho, acho que vocês vão gostar - afirma o jogador.

Chui admite que não esperava uma festa tão grande em sua chegada.

- Fiquei realmente surpreso. Por ser chinês, isso é uma novidade no Brasil.

 

Ideia do departamento de marketing, a contratação de um chinês teve também o aval da diretoria de futebol. Com a ajuda de empresários, o clube recebeu inúmeros DVDs para analisar qual opção se encaixaria melhor nas necessidades do "bom e barato". Além de jovem, Zhizhao agradou aos dirigentes pela boa técnica e por não precisar de um grande investimento, já que o Nanchang Hengyuan aceitou emprestá-lo por duas temporadas - até o fim de 2013.

saiba mais

- Vir um jogador chinês para o Corinthians já seria o suficiente para uma grande festa. Mas a turma do futebol é tão exigente que queríamos um cidadão que saiba jogar futebol. E conseguimos. Vocês terão grandes alegrias com o Zizao. Ele tem gingado brasileiro e empenho de chinês. Essa festa é muito mais que a simples chegada de um talento. É a explicitação do nosso compromisso com a China - afirma o vice-presidente alvinegro, Luis Paulo Rosenberg.

Apesar de estar inscrito no Campeonato Paulista, Zhizhao passará por um cuidadoso processo de adaptação e condicionamento físico. Ele terá um tradutor à disposição, inclusive durante os treinos no CT Joaquim Grava. Como disputou apenas partidas de futsal no último ano por estar em litígio com sua ex-equipe, ele precisará de um trabalho específico para melhorar a forma. Ele também terá de enfrentar o crivo do técnico Tite, que já adiantou que não aceitará interferências no trabalho.

Vocês terão grandes alegrias com o Zizao."Luis Paulo Rosemberg

Enquanto Zhizhao terá poucas chances de brigar pela vaga em um concorrido ataque, hoje com nada menos que oito opções, o Corinthians tenta enxergar à frente. Nos últimos meses, a diretoria vem tendo frequentes conversas com pessoas do governo chinês na tentativa de abocanhar uma fatia de um dos mercados mais sólidos do planeta e que, recentemente, começou a investir pesado no futebol. Membros do consulado chinês em São Paulo estiveram presentes à apresentação do jogador.

Mais do que ser conhecido na Ásia, o clube tem como ideia criar um intercâmbio de profissionais e atleta com o país, visando também a criação do “Corinthians-China”, uma filial voltada para a descoberta de novos talentos e desenvolvimento do esporte. Recentemente, o Timão apresentou o “Corinthians-Santa Fé”, braço argentino do projeto.

Zhizhao é o quarto jogador asiático a ser contratado pelo Corinthians. Em 1929, o clube trouxe o libanês Nasi Felippe, apelidado de Amendoim”. Outro libanês, conhecido apenas como Adnan, chegou ao Timão em 1965. Mais próximo, o japonês Koich Hashimoto vestiu a camisa alvinegra entre os anos de 93 e 94.

 Marcos Ribolli )Corinthians preparou uma super produção para o reforço chinês (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Links PatrocinadosMédico do Sono - SP

 

do Blog de Cosme Rimoli

O marketing rasteiro e caipira do Corinthians. O clube ficou de joelhos para um garoto só por ser chinês. Foi uma festa digna do Terceiro Mundo…

comentarios-icon(75) Comentários »

divulgacao O marketing rasteiro e caipira do Corinthians. O clube ficou de joelhos para um garoto só por ser chinês. Foi uma festa digna do Terceiro Mundo...
Ele passou 2011 jogando futebol de salão...

Sem time para atuar.

Havia entrado em litígio com a diretoria do Nanchang Hengyuan.

A equipe que estava na Segunda Divisão da China.

Chen Zhizhao é um jogador insignificante.

A direção do Corinthians sabe disso.

Mesmo assim o contratou por dois anos.

E o tratou melhor do que na apresentação de Ronaldo.

Fez do Parque São Jorge um ridículo salão de festa oriental por ambição.

Ambição de quem se acha mais esperto do que os outros.

Como se mostrando algumas belas orientais...

E algumas fantasias de dragões o dinheiro chinês desabaria em cascata.

O alegado golpe de marketing foi na verdade um ato teatral patético.

De fundo de quintal.

O marketing natural trazido por Ronaldo não será repetido.

E muito menos superado artificialmente com uma jogada tão rasteira.

Vale a pena recordar 25 de julho de 2011.

O então diretor de marketing, Luis Paulo Rosenberg revelou seu plano maquiavélico.

O Corinthians havia sido eliminado da Libertadores.

Estava sem Ronaldo.

Andres Sanchez não quis mudar os estatutos e continuar.

A Hypermarcas já começava a mandar sinais de desinteresse em continuar gastando R$ 37 milhões com a camisa do clube.

Rosenberg precisava aprontar alguma.

Até porque seu sonho é ser presidente corintiano.

Fez alguns contatos com pessoas ligadas a Nike.

Queria um jogador chinês no Corinthians.

Os contatos começaram no final de maio.

Quando acertou, revelou, feliz, o que viria a ser realidade hoje.

"Estou trazendo um moleque da seleção chinesa.

É ruim de bola, o desgraça... (risos).

Mas não faz mal.

Nossa, a chinesada vai saber que tem um chinês jogando no Brasil,

Vai pagar os tubos para passar o jogo na TV local.

E vai comprar camiseta do Corinthians com o nome do cara.

Ling, Shing, Ling...

Tenho que apelar, já que não ganhei a Libertadores."

Esse era e é o conceito de Rosenberg.

"Ling, Shing, Ling..."

Ele acredita que apenas por ter um chinês na reserva da reserva do Corinthians, o mundo de Mao vai parar.

Uma enorme bobagem, típica de um economista posando de publicitário.

Tite ficou irritadíssimo quando soube de toda essa ópera bufa.

O Corinthians já disputará a Libertadores mais do que pressionado.

É a competição que o clube nunca venceu.

Precisa de reforços de verdade.

Treinar forte, ter toda a atenção voltada para o torneio.

Mas graças a Rosenberg, terá um jogador de segunda divisão chinesa no elenco.

E com direito a tradutor, para cima e para baixo.

Tite já avisou que se ele não tiver condições, não ficará nem no banco de reservas.

Se for mesmo a 'desgraça' que Rosenberg antevia, jura que não perderá tempo com ele.

Perdido com tanta pompa para o fraco futebol que possui, o jovem chinês não disfarçava o seu desconforto.

Procurava apenas fazer o que lhe mandavam.

Nunca imaginou tamanha festa por seu futebol.

Nem foi cogitado por um time grande chinês.

Nunca imaginaria que acabaria servindo como isca...

Isca de um clube brasileiro ao dinheiro de investidores do seu país.

Mas para ele, o que vier é lucro.

Estava jogando futebol de salão na China.

Hoje teve uma apresentação digna de um grande craque do futebol mundial.

Com direito à foto da apresentação do primeiro novo jogador do novo presidente.

Mario 'futebol é business' Gobbi estreava terno e gravata novos.

E dava feliz a camisa 200 ao chinês 'Chiu'.

Ele e Rosenberg posavam e falavam como homens de visão.

Se sentem 'Marcos Polos' contemporâneos.

Dirigentes que usaram a rota da seda para chegar à China atual.

E contratar um garoto de 23 anos pelo seu passaporte chinês.

Posam de sábios, piscam para os amigos.

Mas na verdade não passam de ingênuos caipiras.

E expõem o Corinthians a um dos seus maiores constrangimentos.

Se a China quiser investir no futebol brasileiro fará por valer a pena.

Pela força midiática do clube mais popular da cidade mais rica da América Latina.

Não pelo orgulho de ver um chinesinho perdido em um time de Terceiro Mundo.

Não é dona de uma das economias mais agressivas do planeta por acaso.

A festa de hoje no Parque São Jorge foi mentirosa, vergonhosa.

E antes de tudo, oportunista.

Como somos subdesenvolvidos...

 

do ESTADAO.COM

'Guardam-se vidas'

 

Proteção contra invasões do MST ou abrigo para o fim do mundo, os bunkers se espalham pelo solo brasileiro

 

18 de fevereiro de 2012 | 21h 35

 

 

 

 

IVAN MARSIGLIA, JUNDIAÍ, SP

 

Não é exatamente lugar-comum dizer que o paulista Wagner Hebling é um empreendedor de olho no futuro. Nascido em Rio Claro, no berço de uma família conhecida de dentistas, há dois anos ele pôs o diploma de odontologia de lado e trocou as obturações por perfurações mais profundas. Wagner constrói abrigos de proteção subterrâneos, resistentes a assaltos, rebeliões, guerras nucleares ou catástrofes ecológicas. "Eu procurava alguma coisa que fosse diferente e promissora", conta ele, na sede de sua empresa, a Bunker Brasil - pioneira no atendimento de um público-alvo de todo tipo de desgraças.

 'A procura praticamente dobrou em 2012’ - Clayton de Souza/AEClayton de Souza/AESenso de oportunidade. Wagner (em 1º plano) e o sócio: 'A procura praticamente dobrou em 2012’

 

Aos 41 anos, tanto Wagner quanto seu sócio, o gerente comercial José Roberto Cravo, paulistano de 56 anos formado em biologia que também optou por um meio de vida mais rentável, concordam: 2012 tem sido "um ano especial" no ramo que inauguraram. Embora ambos tenham horror a relacionar seu recém-descoberto nicho de mercado às profecias em torno do fim dos tempos - que estaria, acreditam alguns, agendado no calendário Maia para o próximo 21 de dezembro -, não puderam deixar de notar um incremento significativo nos negócios. "A procura praticamente dobrou", contabiliza José Roberto, ressaltando que a iniciativa se mostrou viável bem antes do, por assim dizer, boom de 2012.

 

Foi em 2010, depois de percorrer sites e contatar empresas que fazem fortuna com esse tipo de edificação nos Estados Unidos e na Europa, que Wagner colocou na rede o seu www.bunkerbr.com praticamente sem estrutura, entocado em casa. Em menos de uma semana, o telefone tocou pela primeira vez. Meses depois, já alugava com o sócio um pequeno escritório, trocado em meados do ano passado por outro maior, no segundo andar de um prédio comercial no centro de Jundiaí.

 

Na nova sede, têm a conveniência de estarem a poucos degraus da empresa de engenharia que desenha os projetos executivos e toca as obras dos abrigos e do escritório de importação e exportação, que traz - sobretudo dos EUA e da Suíça, países líderes nesse tipo de tecnologia - equipamentos como filtros de ar atmosférico, portas de aço revestido, baterias de longa duração e alimentos liofilizados ou com grande prazo de validade.

 

Não se trata de um mero puxadinho de emergência. Um bunker básico com 75 m², feito para acomodar uma família de seis a oito pessoas, não sai por menos de R$ 300 mil. Já para os subterrâneos de alto padrão, bem equipados e imunes a bombardeios e contaminação por radioatividade, agentes químicos ou armas biológicas, o céu é o limite: excedem facilmente o R$ 1 milhão. Além de quartos, banheiros e cozinha, alguns têm salas de estar e de lazer. Podem estar a vários metros abaixo do nível do solo e têm sistemas elétrico, hidráulico e de comunicação por telefone, internet e rádio independentes dos da residência principal.

 

Os empresários dizem ter construído, mobiliado e entregue, prontos para morar, três abrigos - dois em São Paulo e um no Paraná. Mas trabalham atualmente em outros 60 projetos espalhados pelo País, na maior parte dos casos em cidades do interior, um deles planejado para acomodar confortavelmente 110 pessoas de uma mesma comunidade. "A área urbana é a menos indicada para a permanência em caso de desastre", explica Wagner. "E também para esse tipo de construção, por questões técnicas e de privacidade do cliente." A discrição é a alma do negócio de proteção de vidas: pouca gente quer exibir as entranhas de seu patrimônio ou seus temores mais íntimos à curiosidade pública.

 

O bunker do best seller. Quem se exibiu - fora do Brasil, diga-se - foi o escritor Paulo Coelho em novembro do ano passado, ao abrir seu apartamento na Suíça para o programa de Ana Maria Braga. No melhor estilo Caras, desceu de elevador com ela e o câmera do Mais Você os 100 metros de subsolo no edifício onde mora, na cidade de Genebra. "Olha a porta, puro concreto armado", diz o mago no vídeo, que pode ser visto no YouTube. "Mas guarda-se o quê aí?", pergunta a apresentadora. "Guardam-se vidas", ri o mago, "Isso se chama paranoia suíça. Estou te dando as boas-vindas a um abrigo antiatômico!"

 

Seja por paranoia ou por previdência, abrigos nucleares são coisa séria na terra onde se refugia nosso maior best seller. O país é o único no mundo capaz de acomodar sua população inteira em bunkers em caso de ataque ou uma nova guerra mundial. Segundo informações do site SwissInfo, da Sociedade Suíça de Radiodifusão, em 2006 já havia cerca de 300 mil bunkers em residências e edifícios comerciais e 5.100 abrigos públicos, com capacidade total para 8,6 milhões de pessoas (na sequência vêm Suécia e Finlândia, com 7,2 e 3,4 milhões de lugares protegidos, respectivamente 81% e 70% da população). Isso porque desde 1963 a Lei Federal Suíça sobre Proteção Civil obriga proprietários a construir refúgios em todos os prédios novos.

 

Os primeiros bunkers da Europa remontam à 2ª Guerra Mundial, mas sua produção ganhou impulso e sofisticação no pós-guerra. A despeito da diplomacia sempre cautelosa de Genebra, havia naqueles anos de Guerra Fria o temor generalizado de uma hecatombe nuclear. Uma campanha lançada na época tinha como slogan: "A neutralidade não dá garantias contra a radioatividade". Em 2005, um projeto apresentado no parlamento suíço tentou suspender a obrigatoriedade por considerá-la "uma relíquia do passado", que encarecia enormemente as construções. Mas o governo manteve a política, alegando a existência de novas ameaças, como o terrorismo, as catástrofes naturais e as epidemias.

 

Nos EUA, onde a indústria de construção de abrigos de proteção para tornados é grande na área rural, um comercial de TV da Fema, a agência governamental de prevenção de catástrofes, causou polêmica entre os que criticam a chamada "cultura do medo" no país. Com imagens de uma família e seu pertences voando dentro de casa, uma narração sombria entoava frases do tipo: "E se a vida, da maneira que você a conhece, virar de cabeça para baixo?" No fim da propaganda, a inscrição www.ready.gov leva o temeroso internauta americano a um site que o ensina desde manter um kit de sobrevivência com mantimentos, água e remédios sempre à mão até dicas de "como tomar conta de seu pet em caso de desastre".

 

Temporada no fim do mundo. A iniciativa privada, como seria de se imaginar, não deixou passar as oportunidades financeiras trombeteadas pelos profetas de 2012. A empresa Terravivos oferece vagas para uma temporada de conforto no fim do mundo em bunkers coletivos ao custo de US$ 75 mil por pessoa. Depois do tsunami que varreu o Japão em março do ano passado, com direito a vazamento de radiação da usina de Fukushima, o CEO da Terravivos, Robert Vicino, declarou ter recebido centenas de pedidos de reservas - confirmadas apenas mediante o pagamento de um depósito de US$ 5 mil. Na Espanha, uma reportagem da BBC registrou a criação do autodenominado "Grupo de Sobrevivência da Espanha 2012", com 180 associados que exigem das autoridades um "lugar ao solo".

 

O Brasil, recém-chegado ao posto de sexta economia do mundo, não poderia ficar atrás no ramo do empreendedorismo apocalíptico. Tem, no entanto, suas peculiaridades. Um fazendeiro encomendou um bunker depois de ver sua propriedade invadida duas vezes por sem-terra. Para se proteger, diria o poeta, debaixo da terra que não queria ver dividida. Outro, inspirado quem sabe na abertura para visitação do famoso bunker de Tessin, no norte da Alemanha - que chegou a ser ocupado por 300 militares em 1945 -, imagina criar um "bunker temático" para receber hóspedes de sua pousada interessados em experiências, digamos, mais profundas.

 

Wagner e José Roberto confessam que, apesar do adiantado da hora até 21 de dezembro, ainda não providenciaram seus bunkers pessoais. "Estamos juntando recursos para isso", diz o gerente, abrindo um sorriso. Com o final do ano anunciando cada vez mais trabalho, os dois acham que é hora de ganhar, e não de gastar dinheiro. Para descansar, como diz o ditado, eles têm o sono eterno.

 

Sonia Racy

 

 

 

Toma lá…

 

02.março.2012 01:10:16

 

Esquentou bem a briga entre controladores do PanAmericano e Adalberto Salgado Júnior, credor de R$ 400 milhões em CDBs pré-fixados a taxas atípicas – mas legais.

 

Advogados de Salgado Júnior acabam de entrar com pedido na Corregedoria da PF, pedindo instauração de inquérito contra André Esteves e outros diretores do ex-banco de Silvio Santos. Motivo? Fraude processual e gestão fraudulenta.

 

…dá cá

 

Trata-se de reação a pedido de Esteves, também na PF, contra o pagamento dos CDBs, sob a acusação de que Salgado Júnior teria participado da fraude contábil perpetrada pelos ex-diretores do banco. A PF não indiciou o mineiro, e a estratégia policial naufragou.

 

Agora, Esteves quer negociar com o credor. “Lá em Juiz de Fora, a gente age de outro jeito. Sou sincero: hoje, não compraria ações de André Esteves”, disse Salgado Júnior, em rara declaração à imprensa.

 

Com a palavra, Esteves.

Orelha quente?

 

02.março.2012 01:09:16

 

Bruno Covas foi “ouvido” no restaurante Paralelo, segunda, falando gatos e lagartos de Serra. Para quem quisesse ouvir.

 

da TRIBUNA da INTERNET

quinta-feira, 01 de março de 2012 | 14:47Exemplo de Eliana Calmon já se faz sentir e Gilmar Mendes denuncia que primeira instância não funciona

Carlos Newton

É impressionante o bem que a ministra Eliana Calmon está fazendo à Justiça brasileira. Em entrevista ao repórter Felipe Seligman, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, admitiu que o país necessita fazer “uma reforma completa do sistema de Justiça criminal”, reconhecendo que a primeira instância do Judiciário “não funciona” no país.

Mendes disse que o Judiciário de primeira instância tem sérios problemas estruturais. “Falta defensor, falta juiz, falta promotor”, afirmou, denunciando que existem “4 mil homicídios sem inquérito [policial] abertos em Alagoas” e “mil crimes” contra a vida prestes a prescrever na comarca de Jaboatão dos Guararapes, próximo a Recife.

“É necessário fazer uma reforma completa do sistema de Justiça Criminal”, assinalou,  ao comentar o caderno “A Engrenagem da Impunidade”, publicado pela Folha no último domingo. As reportagens revelaram que falhas e omissões cometidas por juízes, procuradores da República e policiais federais estão na raiz da impunidade de políticos que têm direito a foro privilegiado no Supremo.

Segundo a legislação, ministros, senadores e deputados federais, entre outras autoridades, só podem ser processadas e julgadas no STF.

Mendes disse que temas “extremamente complexos” dão origem a “soluções simples e, em geral, erradas”, numa referência à proposta de extinção do foro privilegiado.

“Recentemente o grande jornal Folha de S.Paulo publicou uma matéria sobre o funcionamento do foro privilegiado. E logo alguns apressados chegaram à conclusão: o foro privilegiado funciona mal, logo funciona bem o primeiro grau. Certo? Não. Errado. Não funciona bem o primeiro grau também no país.”

Entre as reportagens publicadas pelo jornal, havia uma entrevista com um colega de Mendes no STF, o ministro Celso de Mello, na qual ele defendia a supressão “pura e simples” do foro especial.

Mello observou que o foro para senadores e deputados federais, que representam a imensa maioria dos processos hoje em andamento no STF, só foi criado em 1969, durante a ditadura militar.

As principais entidades representativas de juízes e procuradores da República e a corregedora do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), Eliana Calmon, já defenderam a extinção do foro. Ela disse que o mecanismo “é próprio de ‘república das bananas’”

 

da TRIBUNA da INTERNET

quinta-feira, 01 de março de 2012 | 16:27Industrial do Amazonas retruca tolices do secretário da Fazenda de São Paulo, Andrea Calabi

Andrea Calabi, Não tive o prazer de conhecê-lo, meu nome é Wilson Périco e estou presidente do Centro da Industria do Estado do Amazonas, e muitos de nossos associados têm atividade industrial tanto no Amazonas quanto em São Paulo e em outros Estados do País, motivo pelo qual lhe escrevo.

Recebemos uma materia reputando à sua pessoa afirmações a respeito da atividade das industrias instaladas na Zona Franca de Manaus e muito nos surpreende tais afirmações como “maquilagem” ou que o Amazonas ofereça “obstáculos” a atração de novos investimentos no Estado de São Paulo.

Não creio que tenha tido a oportunidade de visitar nosso Estado e conhecer as atividades desenvolvidas pelas industrias instaladas na Zona Franca de Manaus, o que nos permite entender o porquê de afirmações descabidas tenham sido feitas por sua pessoa.

Não acredito também que conheça a política de admistração da atividade industrial aplicada no País, que exige o cumprimento do Processo Produtivo Básico (PPB) para que os produtos fabricados na Zona Franca e para os produtos inseridos na tal Lei de Informática, possam ser beneficiados com os incentivos fiscais federais, inclusive, no caso no produto em pauta, esses incentivos são identicos para todo o território nacional pois é considerado produto de informática, talvez a diferença seja que as exigencias de cumprimento desse PPB podem não tera  mesma severidade em São Paulo do que em Manaus.

Acredite-me, aqui cumprimos 100% do que determina a legislação e se a tal “maquilagem”, se acontece em algum lugar do Pais, esse lugar não é Manaus. Talvez no mais novo Estado com atividade industrial do Brasil, o Paraguai, e esse é um problema que temos em comum.

Muito nos surpreende, também, que o Estado do Amazonas seja vitima de ataque, da ira e de afirmações inverídicas por ter buscado na Justiça o cumprimento da lei e por ter tido acatada essa solicitação, que comprova que quem estava a margem da legalidade era e é o Estado de São Paulo e não o Amazonas.

Por outro lado, entendo que a falta de conhecimento a respeito da realidade vivida e enfrentada pelas industrias da Zona Franca de Manaus o leve a a manifestar-se da forma como o fez, muitas vezes a ignorancia sobre determinados assuntos nos faz cometer equivocos, e acredito esse ser um grande exemplo disso.

Não concordo com a guerra fiscal entre os Estados por atração de investimentos que ja estão feitos no território nacional, para mim a guerra fiscal é o canibalismo economico pois não se traduz em melhoria nenhuma para a economia do País, mas sim para o agravamento das desigualdades regionais.

Acredito que, ao inves dessa rusga sem propósito entre os dois Estados, deveriamos estar somando esforços para trabalharmos junto ao governo federal, pela preservação e fortalecimento da atividade industrial do Pais, mais que isso, a preservação dos empregos gerados por essa atividade, que é o que fortalece nossa economia; e que isso seja feito dentro da legalidade para um crescimento socio-economico menos desigual de todas as regiões do País.

Convido-o a visitar nosso Estado e visitar as empresas do Pólo Industrial de Manaus, em data que melhor lhe convier, para que conheça o que aqui se faz, de verdade, para que possa ter melhor embasamento para expressar seus comentários e opinião sobre o que e como se industraliza no Amazonas e para que possamos, juntos, buscar o que é melhor para a industria no Brasil.

Wilson Périco, presidente do Centro da Indústria do Amazonas

 

Especial

1 de março de 2012   |   Imprimir este texto Imprimir este texto    |  Enviar por email Enviar por email  | 

Acordo de Previdência Social: uma vitória da comunidade brasileira

Portal Web News


Entra em vigor o acordo previdenciário entre Brasil e Japão


Diretores do Ministério da Previdência do Brasil estiveram apresentando os pontos do acordo para a comunidade

Em maio de 2005 o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou o Japão e durante o encontro com a comunidade brasileira na expobusiness realizada em Nagoya (Aichi), anunciou que o governo brasileiro iria buscar fazer um acordo previdenciário com o Japão, beneficiando os brasileiros que trabalham no país.

Após anos de discussões técnicas entre os dois países e ajustes, finalmente, a partir de 1° de março de 2012, o acordo entra em vigor.

Diretores do Ministério da Previdência Social do Brasil estiveram realizando palestras no Japão para orientar a comunidade sobre o acordo previdenciário entre os dois países.

Benedito Adalberto Brunca, Diretor de Benefícios e Rogério Nagamine Costanzi, Diretor do Departamento do Regime Geral de Previdência Social, participaram das negociações com os técnicos do governo japonês, que começaram em 2006, até a aprovação e assinatura do acordo em 2010.

Fizeram apresentações na Embaixada do Brasil em Tóquio e nos Consulados em Nagoya (Aichi) e Hamamatsu (Shizuoka) sobre os termos do acordo, além de esclarecer dúvidas.


Em Nagoya, os representantes do Ministério da Previdência responderam diversas dúvidas em evento de três horas

Nagamine falou sobre os principais objetivos e regras do acordo. “O acordo amplia a proteção social das pessoas, facilitando o acesso a benefícios previdenciários pela totalização de períodos do Brasil e Japão, evitando assim que contribuições sejam perdidas e evita a bitributação” disse Nagamine.

Por lei, para aposentadoria por idade no Brasil é exigido o mínimo de 15 anos de contribuição e idade de 65 anos para homens e 60 anos para mulheres; no Japão é necessária a contribuição por 25 anos. Agora, pessoas que fizeram contribuições ao INSS no Brasil podem somar o tempo que contribuíram ao Shakai Hoken do Japão e conseguir sua aposentadoria.

Os interessados podem entregar o formulário de solicitação de benefícios nos escritórios de Pensão (Nenkin Jimusho) mais próximo ou no Brasil nos postos do INSS. Os formulários estão em japonês e português.

Brunca lembrou sobre outros benefícios para contribuintes da previdência, além da aposentadoria por idade e por invalidez, como pensão por morte e outros que ainda poderão ser negociados e que ainda não fazem parte deste acordo.

Um importante detalhe é sobre quem resgatou ou pretende resgatar as contribuições do shakai hoken no Brasil.

Quem já resgatou, perdeu direito de contar o período e os valores, mesmo se contribuiu mais de três anos no Japão (tempo máximo permitido pela lei japonesa para resgate). “As pessoas devem avaliar bem se vale a pena, porque este tempo que contribuiu no Japão pode fazer diferença para antecipar a aposentadoria, mesmo que seja um tempo mínimo” alertou Brunca.

As pessoas poderão receber os benefícios no Brasil ou no Japão, conforme sua opção. Mas deve-se ficar atento aos detalhes sobre os pagamentos de benefícios do INSS para quem quer receber no Japão: a remessa do valor é feita a cada dois meses, porém é descontada uma taxa de 25% do valor de cada remessa.

As pessoas devem buscar o máximo de informações, já que a situação para conseguir a aposentadoria e receber os benefícios gera muitas dúvidas e deve ser avaliado caso a caso.

Informações:

http://www.brasemb.or.jp/portugues/community/consulates.php

Formulários:

http://www.previdencia.gov.br/conteudoDinamico.php?id=1258

Disque Nenkin: 0570-05-1165 (em japonês)

http://www.nenkin.go.jp/english/index.html

 

tecmundo.com.br

Magnata russo deseja implantar cérebros humanos em robôsBatizado de Avatar, projeto ambicioso visa criar uma consciência humana imortal


Por Maria Luciana Rincon Y Tamanini em 1 de Março de 2012

Dmitry Itskov, magnata russo da área de tecnologia, apresentou recentemente um projeto que mais se parece com um daqueles livros de ficção científica: batizado de “Avatar”, a ideia é desenvolver robôs capazes de hospedar cérebros humanos e manter sua consciência ativa para sempre.

Lançado há um ano, o projeto emprega 30 pesquisadores, que Itskov financia com o dinheiro do próprio bolso. Depois da recente apresentação realizada em Moscou, o magnata espera atrair cientistas de todo o mundo que desejem colaborar com as pesquisas.

De acordo com Itskov, “este projeto estará indicando o caminho para a imortalidade”, e ele acredita que “esta é uma nova estratégia para o futuro, para a humanidade”.

Projetos semelhantes

A DARPA, agência norte-americana que trabalha com projetos de pesquisa avançada de defesa, já havia surpreendido ao apresentar um sistema, também batizado de “Avatar”, que utilizará robôs bípedes e semiautônomos para substituir soldados nos campos de batalha. Entretanto, os planos de Itskov, que precedem as pesquisas norte-americanas, parecem ir mais além.

O projeto é ambicioso e está dividido em fases:

  • Primeira fase: deve ocorrer dentro de poucos anos e prevê o desenvolvimento de robôs capazes de ser operados pela mente humana. Essa tecnologia já se encontra em desenvolvimento, e um estudo realizado em pacientes humanos do hospital John Hopkins já está utilizando implantes cerebrais para controlar membros artificiais, por exemplo.
  • Segunda Fase: deve ocorrer dentro de 10 anos e prevê o transplante da mente humana para uma mente robótica. Após essa etapa, seria realizada uma espécie de “upload” de informações, que transferiria o conteúdo do cérebro humano a um cérebro robótico novinho em folha.
  • Última fase: deve ocorrer dentro de 30 anos e prevê o desenvolvimento de corpos holográficos, que seriam capazes de hospedar a consciência humana.

Até o momento, não existe nenhuma tecnologia que permita a criação de consciências humanas holográficas, nem podemos afirmar que algum dia será possível criá-las. Mas, como o próprio Itskov afirmou, “se você empregar toda a sua energia em algo, poderá fazer com que se torne realidade”. Será?


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/mega-curioso/20085-magnata-russo-deseja-implantar-cerebros-humanos-em-robos.htm#ixzz1nw51KsUP

 

Política de privacidade do Google causa polêmicaA comissária de Justiça da Europa, Viviane Reding, pediu à empresa que suspenda as novas normas

REDAÇÃO ÉPOCA COM AGÊNCIA EFE

   inShare

A nova política de privacidade do Goole entrou em vigor nesta quinta-feira (1º). A partir de agora, cada usuário vai ter uma única conta válida para todos os serviços, como o YouTube, o Gmail e o Google +. Todas as informações cadastradas serão compartilhadas entre esses serviços. Segundo o Google, a mudança vai facilitar a vida dos usuários, mas essa nova política está causando polêmica.

A comissária de Justiça da Europa, Viviane Reding, pediu à empresa que suspenda as novas normas de privacidade. Segundo as autoridades da Comissão Europeia, as normas de privacidade não cumprem com a legislação de proteção de dados. O Japão pediu ao Google que use com cuidado os dados coletados dos usuários.

Em um comunicado oficial, o Google afirmou que não mudou seus princípios de privacidade existentes nem o modo de tratar a informação pessoal compartilhada fora da empresa. Segundo o Google, a política trará vantagens ao usuário. "Não venderemos os dados pessoais e continuaremos usando nossa segurança para manter a informação segura".

A decisão do Google de aplicar essa nova política de privacidade pode ser vista como uma tentativa de evitar processos na Justiça, como o que o Facebook enfrentou. A rede social foi acusada de enganar os consumidores quanto à privacidade de seus dados.

AS

 

 

quinta-feira, 1 de março de 2012 Governo | 17:23Brizola Neto ganha força junto ao PlanaltoCompartilhe: Twitter 

O deputado Brizola Neto (PDT-RJ) estava que era só alegria, ontem à noite no restaurante Piantella de Brasília.

Somente ele e o deputado Marcos Medrado (PDT-BA), no partido, votaram pela aprovação na Câmara do Fundo de Previdência Complementar do Funcionalismo Público (Funpresp).

Com isso, Brizolinha e Medrado tornaram-se os únicos entre os deputados pedetistas em condições de assumir o comando do Ministério do Trabalho.

 

Vaticano expõe documentos valiosos de seu Arquivo SecretoAtas do processo contra Galileu e carta sobre separação de Henrique 8º estão entre as 100 peças selecionadas para exposição em Roma

iG São Paulo | 29/02/2012 20:00

As atas do processo contra Galileu Galilei, a excomunhão de Lutero, o sumário do julgamento do pensador e filósofo Giordano Bruno e a causa matrimonial de Henrique 8º aberta pela Santa Sé estão entre os documentos valiosos parte do Arquivo Secreto Vaticano expostos pela primeira vez ao público.

Cerimônia: Papa Bento 16 transforma brasileiro em cardeal

No total, mais de 100 documentos originais foram selecionados, por ocasião dos 400 anos de criação desses arquivos secretos, pelo papa Paulo 5. Os documentos que vão do século 8 ao século 20 são exibidos na exposição "Lux in arcana. O Arquivo Secreto Vaticano se Revela", que inaugurada na quarta-feira nos Museus Capitolinos de Roma.

"Lux in arcana" (Luz em Enigmas) é apresentada pelos 400 anos da fundação do arquivo pelo papa Paulo 5 em 1612. Entre os documentos, destacam-se as atas do processo de Galileu Galilei (1616-1633), que contêm todos os papéis desse julgamento recolhidos pela Congregação do Santo Ofício, além da carta dos membros do Parlamento inglês ao papa Clemente 7 sobre a causa matrimonial de Henrique 8º, de 1530. O pergaminho assinado por 83 parlamentares, entre lordes e membros da Câmara dos Comuns, pedia a anulação do casamento do rei com Catarina de Aragão.

Outro documento exibido é o Dictatus Papae de Gregorio 7 (1073-1085), que consiste em 27 propostas ditadas por esse papa sobre a supremacia dos pontífices. O sumário do julgamento do pensador e frade dominicano Giordano Bruno, condenado à morte pela Inquisição e queimado em Roma em 1600, será também estará exposto em Roma.

 

 

Na exposição será possível ver também uma carta feita com crosta de bétula enviada por Pierre Pilsemont, chefe da tribo de índios americanos de Ojibwe, conhecidos também como chippewa, ao papa Leão 13, na qual o chama de "grande mestre das orações, que faz as funções de Jesus" e o agradece por ter enviado preces à sua tribo.

A bula da destituição de Frederico 2º (1245), o primeiro documento sobre deposição de um imperador por um papa, no caso Inocêncio 4, também fará parte da mostra, além de arquivos referentes à Segunda Guerra Mundial.

O Arquivo Secreto Vaticano, o maior e mais internacional do mundo, conserva em seus vastos depósitos documentos de 12 séculos distribuídos em quilômetros de estantes. O material selecionado ficará exposto nos Museus Capitolinos até 9 de setembro.

veja as fotos no link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/vaticano-expoe-documentos-valiosos-...

 

Marcos GutermanEstados Unidos, Zeitgeist01.março.2012 22:04:33Um lar para velhinhos gays

A cidade de Nova York vai abrir um asilo só para idosos homossexuais. Será o primeiro do gênero nos EUA.

O prefeito Michael Bloomberg disse considerar que o modelo de centro que abriga idosos sem nenhum tipo de distinção é ultrapassado, porque grupos como os homossexuais têm necessidades próprias de sua condição. Segundo a prefeitura, os idosos homossexuais têm sido vítimas de preconceito nos asilos tradicionais.

 

de O GLOBO Juiz admite ter mandado e-mail racista contra Obama Mensagem trazia piada de mau gosto insinuando bestialismo por parte da mãe do presidentePublicado: 1/03/12 - 17h04Atualizado: 1/03/12 - 18h09

HELENA, Montana — O juiz americano Richard Cebull pediu desculpas publicamente por ter encaminhado a amigos um e-mail com uma piada envolvendo bestialismo e a mãe do presidente Barack Obama, mas disse que o incidente não fora motivado por racismo, e sem por sua antipatia ao presidente.

Cebull encaminhou a mensagem a partir do computador de seu gabinete em Montana a outras seis pessoas no dia 20 de fevereiro, segundo notícia do jornal “Great Falls Tribune” publicada na quarta-feira. Ele disse ao jornal que seu irmão havia lhe enviado a mensagem, que ele encaminhou a “velhos amigos” e conhecidos. O juiz acrescentou um prefácio: “Normalmente eu não envio ou encaminho essas coisas, mas, mesmo para os meu padrões, esta foi boa”.

O juiz pediu desculpas e reconheceu que o conteúdo do e-mail era racista, mas disse ao jornal não se considerar um racista:

- A única explicação que posso dar é que não sou fã do nosso presidente, mas isso realmente passou dos limites. Eu não enviei a mensagem por ela ser racista, o que de fato era, mas por ser contra Obama – disse Cebull, que não atendeu a outros veículos de comunicação.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, recusou-se a comentar o caso em seu encontro com a imprensa nesta quinta-feira e disse não saber se o presidente tomara conhecimento do incidente.

Um dos destinatários do e-mail o encaminhou a outra pessoa, que também repassou, até que ele chegou à caixa de mensagens de uma repórter do “Great Falls Tribune”. O juiz Cebull se disse surpreso que seus amigos tenham repassado a mensagem com o nome dele escrito.

- Foi um assunto privado e, para dizer o mínimo, um péssimo juízo da minha parte – afirmou.



 

Da Serie "  Como azedar o dia de Ivan Moraes em Union-NJ - EUA e de Todos Brasileiros do Bem."

Vou subir um comentario de leitor para entenderem o silencio da midia, na epoca e, agora:

========================================================================

Mauro Silva

Comentado em: Edmar Moreira, dono do castelo e conselheiro do presidente - Estadao.com.br

1 de Julho de 2009 | 18h49

EDMAR É CUNHADO DA MIRIAM LEITÃO FALTOU ACRESCENTAR NO CURRÍCULO DO EDMAR (O DEPUTADO DO CASTELO) QUE ELE É CUNHADO DA MIRIAM LEITÃO. ISSO MESMO, AQUELA AGOUREIRA QUE FICA TORCENDO CONTRA O BRASIL E VATICINANDO O CAOS, SEMPRE TORCENDO PELO PIOR NO BOM (?) DIA BRASIL DA GLOBO.

Deputado do castelo livra-se de inquérito

 

Os ministros do Supremo Tribunal Federal consideraram que a ação contra Edmar Moreira não poderia ter andamento porque o crime do qual o parlamentar era acusado já prescreveu

 

01 de março de 2012 | 19h 34

 

 

 

 

Mariângela Gallucci, de O Estado de S.Paulo

 

BRASÍLIA - Conhecido como o "deputado do castelo", Edmar Moreira conseguiu se livrar de um inquérito no qual era suspeito de crime de apropriação indébita de contribuições previdenciárias. De acordo com a acusação, ele e uma sócia da empresa F. Moreira Empresa de Segurança e Vigilância Ltda teriam deixado de recolher aos cofres da Previdência Social contribuições previdenciárias descontadas dos salários dos empregados.

Veja também:
link RELEMBRE: Deputado contruiu castelo medieval em Minas Gerais

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitaram nesta quinta-feira, 1º, um recurso da defesa do ex-parlamentar, alegando que a ação não poderia ter andamento, já que teria ocorrido a prescrição. Por ter completado 70 anos, Edmar Moreira tem o benefício de uma prescrição mais rápida.

 

Edmar Moreira, dono do castelo e conselheiro do presidente

 

01 de julho de 2009 | 18h 17

   

 

 

 

Não foi por excentricidade que o deputado Edmar Moreira decidiu construir um castelo em estilo medieval em São João Nepomuceno, na Zona da Mata de Minas, a cerca de 250 quilômetros a sudeste de Belo Horizonte. De acordo com informações de políticos que o conhecem bem, o castelo foi construído para ser transformado num bem montado cassino assim que o jogo fosse legalizado no Brasil. 

 

documento Fac-símile: 'Estado' publica matéria sobre o caso em 1993

 

 

Celso Junior/AE - Edmar Moreira é acusado de mau uso da verba indenizatória

 

As obras do castelo tiveram início no final dos anos 80 e avançaram pelo início dos 90, justamente quando havia no governo e no Congresso intenso debate sobre a legalização dos jogos no País. Edmar, um capitão aposentado da PM de Minas Gerais, rico, dono de empresas na área de segurança e transporte de valores, percebeu a oportunidade de ganhar muito dinheiro no futuro. Entrou para a política por intermédio do amigo Itamar Franco, que na época estava no PRN de Fernando Collor, pelo qual seria eleito vice-presidente na eleição de 1989 que levou Collor ao poder.

 

Edmar candidatou-se em 1990 a deputado federal. Eleito, integrou a pequena bancada "collorida", que teve como líder o então deputado Renan Calheiros (PRN-AL), hoje senador, que há um ano e meio teve de renunciar à presidência do Senado por suspeita de ter usado dinheiro de uma empreiteira para pagar a pensão de uma filha fora do casamento.

 

Como a legalização do jogo nunca foi aprovada, Edmar Moreira ficou com um mico na mão. Afinal, não são muitas as pessoas que têm dinheiro para comprar um castelo. E aquelas que têm os valores necessários nem sempre querem um castelo medieval no Brasil, localizado justamente no interior de Minas. Mesmo assim ele pôs o castelo à venda, agora com o nome de Castelo Mona Lisa.

 

A construção é gigante. Seu conjunto arquitetônico foi inspirado em castelos europeus, com área de 192 hectares, nas quais se destacam lagos, reservas e parques. É composto de 12 torres, sendo a principal com oito andares. Do lado de dentro há 36 suítes com hidromassagens. Tem também salões de festas, ginástica, jogos, eventos diversos, reuniões, piscinas, saunas, lagos para prática de pescaria, estrutura para campos de golfe, jardins e áreas de relaxamento. Enfim, tudo para abrigar pessoas que quisessem ficar dias num cassino gastando o dinheiro. Só que o cassino nunca pôde ser aberto.

Edmar Moreira, dono do castelo e conselheiro do presidente

 

01 de julho de 2009 | 18h 17

 

 

 

 

 

Reprodução - Castelo Mona Lisa

 

O Mona Lisa foi construído na Fazenda Luzitana, no distrito de Carlos Alves, que fica a 18 quilômetros de São João Nepomuceno. Quando edificou o castelo, Edmar Moreira logo quis mudar o nome do povoado de Carlos Alves para Santa Bárbara, a santa de sua devoção. No passado, o lugar tivera o nome da santa. Mas prefeitos adversários o trocaram para Carlos Alves só para espicaçar o deputado.

 

Nos últimos tempos, a família de Edmar Moreira voltou a ter poderes em São João Nepomuceno. A atual prefeita é Edmea Moreira, irmã dele, reeleita em novembro. Ela foi eleita pelo PSDB, numa chapa pouco comum, que teve como candidato a vice o petista José Maria Sampaio. Um grande cassino.

 

Verba indenizatória

 

Outra denúncia contra Moreira dá conta de que ele teria utilizado R$ 245,6 mil de sua verba indenizatória em serviços de segurança particular, justamente seu ramo de atuação. O dinheiro é destinado a gastos com o mandato no Estado do parlamentar. A verba indenizatória é de R$ 15 mil mensais e, normalmente, os deputados pedem ressarcimento de gastos com combustíveis, consultoria, impressos e aluguel de escritório. Em 2008, o parlamentar do DEM utilizou com serviço de segurança R$ 140 mil.

 

Por essa denúncia, Moreira responde a processo por quebra de decoro no Conselho de Ética e, se condenado, pode ter o mandato cassado.

 

O deputado Edmar Moreira (DEM-MG) também tem feito parte do Conselho da República desde os anos 90. O colegiado foi criado pela Constituição de 1988 para assessorar a Presidência em situações de dificuldades extremas. Mas, para azar de seus membros, o conselho praticamente só se reuniu nos últimos anos quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva organizou solenidade de posse de algum novo integrante.

 

Em 2005, durante a crise política provocada pelo escândalo do mensalão, partidos da base governista defenderam a ideia de que o conselho se reunisse para discutir o assunto e assessorar o presidente sobre a melhor posição a adotar. A proposta, porém, não vingou e o encontro não ocorreu.

 

Lula tem pedido intervenções e sugestões desses conselheiros. Nas três últimas vezes em que deu posse a algum membro, pediu que eles "chamassem a atenção do presidente" a fim de encontrar soluções "para os problemas graves do Brasil", como afirmou no dia 10 de março de 2004, durante a solenidade que marcou uma das posses de Moreira no conselho.

 

Sempre indicado pela Câmara dos Deputados, Moreira já bateu figuras ilustres da vida nacional na eleição para o posto. Em dezembro de 2001, a Câmara tinha direito a indicar dois novos membros para o conselho e o deputado mineiro foi o mais votado, com 229 votos. Chegou à frente, por exemplo, do jurista Evandro Lins e Silva (113 votos), que também foi eleito, da fundadora da Pastoral da Criança e irmã do cardeal d. Paulo Evaristo Arns, Zilda Arns (94 votos), e do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral Walter Costa Porto (58 votos).

 

 

 

O relator que 'se lixa'

 

O ex-corregedor recebeu apoio de um "amigo" estratégico no Conselho de Ética. O relator do processo de quebra de decoro parlamentar, Sérgio Moraes (PTB-RS), deixou claro que não vê razão para condenar o colega. Moraes encampou a tese de Moreira de que não cometeu nenhuma irregularidade no uso da verba indenizatória e pôs em dúvida os argumentos da comissão de sindicância da Corregedoria, que apontou indícios de uso do recurso público em benefício próprio.

 

O relator também mostrou que não está preocupado com a má repercussão de uma absolvição prévia, sem sequer ter começado a investigação do caso. "Estou me lixando para a opinião pública", afirmou Moraes aos jornalistas. "Até porque parte da opinião pública não acredita no que vocês escrevem. Vocês batem, mas a gente se reelege."

Um dos argumentos de Sérgio Moraes em defesa de Edmar Moreira é que os parlamentares que abusaram da cota de passagens não foram investigados, enquanto o ex-corregedor "foi jogado no fogo".

 

 

 

Substituição

 

Apesar de relutar, Sérgio Moraes foi destituído do cargo pelo presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA). Em seu lugar, assumiu Nazareno Fonteles (PT-PI). Um dia após a troca, Moraes recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar voltar para a relatoria do processo. Na ação entregue ao STF, que tem pedido de liminar, Moraes afirma que a substituição do relator foi um ato antidemocrático e ilícito.

 

Absolvição ou pena alternativa

 

Fonteles apresentou relatório pela cassação de Moreira e foi derrotado por nove votos a quatro e uma abstenção, no Conselho de Ética da Câmara. O presidente do Conselho José Carlos Araújo (PR-BA) deverá nomear um relator para fazer o voto vencedor: ou a absolvição ou uma pena alternativa. A sugestão é de suspensão das prerrogativas regimentais por seis meses, punição que impede o deputado de fazer discursos em plenário, de integrar a Mesa Diretora e de relatar projetos.

 

(Com Marcelo de Moraes e João Domingos, de O Estado de S. Paulo)

 

 

01/03/201220h12

STF livra ex-deputado Edmar Moreira de inquérito por apropriação indébita

Débora Zampier
Da Agência Brasil, em Brasília

  • Leonardo Costa/Estado de Minas

    Vista aérea do Castelo Monalisa, em São João do Nepomuceno, interior de Minas Gerais, que pertencia a Edmar Moreira. Na década de 80, Moreira construiu o castelo, inspirado nas construções europeias

    Vista aérea do Castelo Monalisa, em São João do Nepomuceno, interior de Minas Gerais, que pertencia a Edmar Moreira. Na década de 80, Moreira construiu o castelo, inspirado nas construções europeias

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu hoje (1º), por unanimidade, arquivar inquérito contra o ex-deputado Edmar Moreira por apropriação indébita de contribuições previdenciárias. O político ficou conhecido por ter um castelo de R$ 25 milhões no interior de Minas Gerais registrado em nome dos filhos.

Segundo a denúncia do MPF (Ministério Público Federal), feita em 2007, Edmar Moreira deixou de repassar ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) as contribuições previdenciárias dos funcionários de sua empresa de segurança. De acordo com o MPF, o fato ocorreu entre 1997 e 1998, resultando na apropriação ilegal de R$ 384 mil, valor sem correção.

No recurso julgado hoje, os ministros arquivaram o inquérito por entender que o político não poderia ser punido mesmo se pegasse a pena máxima para o crime, que é de cinco anos. Nesse caso, a prescrição ocorreria em 12 anos a partir do fato, e como Edmar Moreira tem mais de 70 anos, a prescrição cai pela metade.

O inquérito contra a esposa do político, que também é investigada, será baixado para a Justiça de primeiro grau.

 

Para Serra, 'é óbvio' que governo vai se mexer por HaddadPara ele, "seria surpreendente" se o governo federal não agisse para impedir uma aliança entre PSDB e PSB em São Paulo

AE | 01/03/2012 20:51

O pré-candidato do PSDB e ex-governador de São Paulo, José Serra, avaliou hoje como natural a mobilização do Palácio do Planalto em torno da candidatura do pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. Após reunião com a bancada estadual do PSDB, na Assembleia Legislativa de São Paulo, Serra ressaltou que o tempo vai mostrar os meios pelos quais o governo federal irá utilizar para alavancar a candidatura do petista em São Paulo.

Leia também: Candidatura de Serra mostra 'falha' do PSDB, diz The Economist

"É óbvio que o governo federal vai se mexer, isso está dentro do previsto", afirmou o pré-candidato. "Agora, a maneira como fazer, isso o tempo vai mostrando", acrescentou. O ex-governador de São Paulo recebeu nesta tarde o apoio de 21 dos 22 deputados estaduais do PSDB à sua pré-candidatura no processo de prévias tucanas, marcado para o dia 25 de março.

A presidenta Dilma Rousseff anunciou ontem o nome do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), também bispo da Igreja Universal, como o novo ministro da Pesca. Com a indicação, o Palácio do Planalto estaria tentando blindar Haddad de ataques religiosos, bem como viabilizar uma aliança entre PT e PRB na sucessão da Prefeitura de São Paulo, com a eventual desistência da pré-candidatura do ex-deputado federal Celso Russomanno.

Leia também: Serra recebe apoio da bancada tucana na Assembleia de SP

Em conversa com jornalistas nesta tarde, Serra avaliou ainda que "seria surpreendente" se o governo federal também não agisse para impedir uma aliança entre PSDB e PSB em São Paulo. Isso porque o PSB integra a base de apoio da presidenta Dilma Rousseff (PT), mas, em São Paulo, compõe a administração do governador Geraldo Alckmin (PSDB). "Seria surpreendente se eles fizessem o contrário, isso faz parte", disse o ex-governador.

O líder do PSDB na Assembleia Legislativa de São Paulo, Orlando Morando, que participou da reunião, disse que a indicação do senador Marcelo Crivella para o Ministério da Pesca só irá se confirmar como uma intervenção do governo federal se o ex-deputado federal Celso Russomanno deixar a corrida eleitoral.

Debate

Serra disse que não foi comunicado pela direção municipal do PSDB sobre o pedido feito pelos demais pré-candidatos do partido para a realização de, pelo menos, dois debates antes da realização da eleição interna. Em carta aberta, José Aníbal e Ricardo Trípoli, que são pré-candidatos, criticaram o adiamento do processo de prévias, do dia 4 para 25 de março.

Leia também: Ao formalizar candidatura, Serra nacionaliza disputa em São Paulo

Segundo Serra, a sua estratégia na pré-campanha é visitar os diretórios zonais do PSDB na capital paulista. O pré-candidato tucano antecipou que já projeta a sua equipe de campanha e avaliou como excelentes nomes o deputado estadual Orlando Morando, o secretário estadual da Cultura, Andrea Matarazzo, e o secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas. Os dois últimos abriram mão da pré-candidatura em favor de Serra.

 

PúblicosLá fora29.fevereiro.2012 21:39:11Três porquinhos fervem lobo e são presos na Inglaterra

 

O que um título desses faz em um blog sobre transparência? Foi o jeito que achamos para chamar sua atenção para o sensacional comercial em que o jornal britânico The Guardian promove seu modelo de jornalismo aberto à participação dos leitores. Veja aqui. (Daniel Bramatti)

 

 

A propaganda eh um policia-ladrao "dramatico", uma graciiiiinnnhhaaaaa!

http://www.guardian.co.uk/help/insideguardian/2012/feb/29/open-journalis... (em ingles)

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

CuriocidadeAchados Paulistanos, Personagens01.março.2012 23:11:49Os filhos do ano bissexto

O Hospital São Luiz, que tem uma das maternidades mais concorridas da cidade, realiza entre 20 e 30 partos todos os dias. Ontem, o São Luiz registrou apenas oito.  É que as mães preferem dar à luz em outros dias, evitando o dia 29 de fevereiro. “Geralmente, as cesáreas são marcadas para o dia 1º de março”, conta a assessora de imprensa do hospital, Juliana Andrade. “A mesma coisa acontece com bebês que nascem perto de alguma sexta-feira 13”.

A jornalista Adriana Mampin, nascida no dia que só existe em anos bissextos, acha a atitude imprópria: “O bebê tem que nascer no momento mais adequado para vir ao mundo, não em uma data específica”, reclama. Com 36 anos, ontem ela comemorou seu aniversário no dia certo pela oitava vez – nos anos com 365 dias, a festa acontece em 28 de fevereiro. Adriana diz que não costuma ter problemas por nascer na data. “Só me irrita um pouco a mania de redes sociais, como o Facebook, de mudar minha data de aniversário para 28 de fevereiro”, afirma.

O Blog do Curiocidade fez um levantamento em outras maternidades paulistanas. A Cruz Azul, no Cambuci, teve dez partos na quarta-feira. Na Maternidade Santa Helena, o número foi quase igual: 11 bebês. O Hospital da Luz, em seus dois endereços, somou nove partos. A Maternidade Santa Catarina contabilizou  três.  O Hospital San Paolo, em Santana, registrou ontem um parto. A assessoria de imprensa do hospital chegou a enviar um release com a informação do nascimento do bebê Heitor Sousa Amaral Silva. Heitor nasceu com problemas cardíacos e deve passar por cirurgia no próximo sábado, mas seu quadro é estável.

(Com colaboração de Míriam Castro)

 

http://sul21.com.br/jornal/2012/02/reu-assume-cargo-de-delegado-usando-t...

Sul21. Um veículo para quem quer saber

 

Política

29/02/12 | 18:48

 

 

Réu assume cargo de delegado usando tornozeleira em AL

 

Da Redação

 

Beneficiado por um habeas corpus e usando uma tornozeleira eletrônica por ordem da Justiça, o ex-deputado Francisco Tenório (PMN-AL) assumiu nesta quarta-feira (29) o posto de delegado-adjunto da delegacia de acidentes de trânsito de Maceió. Réu em dois processos nos quais é acusado de homicídio, o ex-deputado retomou o cargo de delegado de carreira da Polícia Civil alagoana quatorze dias após deixar a prisão.

 

Até início de fevereiro de 2011, Tenório estava licenciado da Polícia Civil para exercer mandato eletivo como deputado federal. Um dia após deixar o cargo de deputado, o delegado foi preso preventivamente pela acusação de participar da morte do ex-policial militar conhecido como Cabo Gonçalves, em 1996. Tenório nega a acusação.

 

Tenório não se reelegeu em 2010, ficando na suplência de sua coligação. No dia 16 de fevereiro, o ex-deputado foi solto, beneficiado por um habeas corpus dado pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. A 17ª Vara Criminal de Maceió, onde tramita outro processo em que Tenório é acusado do homicídio do ex-pistoleiro Cícero Belém, determinou o uso da tornozeleira. Com o dispositivo, o delegado não pode deixar Maceió sem autorização da Justiça nem circular pelas ruas depois das 20h.

 

Nesta quarta, o “Diário Oficial” de Alagoas publicou a portaria designando-o para a função de delegado-adjunto. Durante o período em que esteve preso, ele recebeu salário como delegado da Polícia Civil.

 

Com informações da Folha de S. Paulo

 

do SUL 21

Democratas de Canoas divulga nota em apoio ao Clube MilitarDivulgação / Democratas Canoas

Presidente do DEM em Canoas, coronel médico ressalta as "tradições patrióticas" do Clube Militar do Rio de Janeiro | Foto: Divulgação / Democratas Canoas

O diretório do partido Democratas (DEM) de Canoas divulgou na terça-feira (28) uma nota em apoio ao Clube Militar – entidade que reúne integrantes da ativa e da reserva do Exército e divulgou uma nota criticando a presidente Dilma Rousseff (PT). O presidente do DEM de Canoas, coronel médico da reserva Aluizio Gonçalves, escreveu um texto apoiando o “Clube Militar do Rio de Janeiro, com tradições patrióticas marcadas na sua trajetória” e “desaprovando a conduta autocrática da Presidência da República ignorando a Lei nº 7.524 de 17 de Julho de 1986, interferindo antidemocraticamente, ferindo a liberdade de expressão do Militares da Reserva; tudo sob o olhar de seus Comandantes que permanecem inertes perante tanta provocação”.

Seminário debate regulação da comunicação pública

Em parceria com a Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e pelo Direito à Comunicação com Participação Popular (Frentecom), a Secretaria de Comunicação Social da Câmara Federal vai promover, entre os dias 21 e 23 de março, o Seminário Internacional Regulação da Comunicação Pública . O evento busca discutir o aperfeiçoamento da legislação do setor no Brasil, de forma a assegurar a pluralidade de ideias e opiniões nos veículos de comunicação e o pleno exercício do direito à liberdade de expressão. Entre outros temas, serão debatidos o financiamento e a gestão dos recursos; a regulação dos conteúdos; o controle social e a infraestrutura. Participarão da abertura do seminário o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS); o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP); o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo; e a Ministra da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas. As propostas discutidas serão consolidadas em um documento oficial, aprovado pelos participantes ao final do evento.

Carlos Zarattini será o relator do projeto da divisão dos royalties do petróleo

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP) será o relator do projeto de lei que altera a divisão dos royalties e a participação especial da exploração de petróleo entre os estados. Zarattini foi indicado hoje para a relatoria pelo presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS). Maia já manifestou que sua intenção é colocar a matéria em votação na segunda quinzena de março. O projeto, de origem do Senado, trata da divisão da renda da exploração do petróleo. Se na votação na Câmara, o texto for alterado ele retornará para nova apreciação dos senadores.

Reprodução

Encontro entre Pochmann e Rui Falcão preparou terreno para decisão sobre candidatura, que deve ocorrer até o dia 8 de março | Foto: Divulgação / PT

Marcio Pochmann deve ser candidato do PT à prefeitura de Campinas

Atual presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcio Pochmann reuniu-se com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, nesta quinta-feira (1º). O encontro discutiu a possibilidade crescente de Pochmann ser o candidato petista à prefeitura de Campinas (SP). Pochmann, que é professor licenciado da Unicamp, afirmou que “estuda a possibilidade” e que uma decisão sobre sua candidatura deve ser tomada até o próximo dia 8. O doutor em economia conta com o apoio do ex-presidente Lula e destacou-se como principal nome para disputar a prefeitura de Campinas, após o atual presidente da CUT Artur Henrique afastar-se da disputa interna. No momento, Campinas é governada interinamente pelo presidente da Câmara, Pedro Serafim Júnior (PDT), depois que o prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) e o vice Demétrio Vilagra (PT) foram cassados sob acusação de participarem de fraude em licitações. Uma nova eleição para a prefeitura deve ocorrer em abril, com o escolhido permanecendo no cargo até a posse do prefeito eleito em outubro deste ano.

Câmaras de Vereadores receberão kits com computador em 48 municípios gaúchos

A senadora Ana Amélia (PP-RS), por meio da Secretaria Especial do Interlegis do Senado Federal, irá destinar kits com computador e impressora multifuncional para 48 municípios gaúchos. Os equipamentos serão enviados às Câmaras Municipais de Vereadores. A confirmação ocorreu nesta quinta-feira (1º). Os computadores e impressoras irão auxiliar e agilizar o trabalho e o atendimento às demandas nas casas legislativas contempladas.

Chávez avisa que se prepara para “levantar voo como um condor”

Depois de ser submetido a uma cirurgia para a retirada do segundo tumor na região pélvica, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, reapareceu na quarta-feira (29) à noite na rede social Twitter. Em sua mensagem, Chávez saudou os venezuelanos, informando que estava em Havana, Cuba. Não houve informação se o tumor retirado é maligno. Porém, o presidente avisou que não fará novo tratamento quimioterápico e radioterápico caso seja confirmado câncer. ”Muito boa noite, meus queridos compatriotas! Aqui estou, levantando voo como o condor. Envio todo o meu amor supremo. Viveremos e venceremos”, disse Chávez.

Chico Alencar qualifica Lei Geral da Copa como “Estado futebolístico de exceção”

O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) discursou por cinco minutos na comissão especial que analisa a Lei Geral da Copa do Mundo de 2014 na Câmara dos Deputados. O parlamentar não integra o colegiado, mas pôde se expressar na reunião que ocorreu na terça-feira (28). Chico Alencar disse que o Brasil já possui ordenamento jurídico necessário para a realização e qualificou a Lei Geral da Copa como um “Estado futebolístico de exceção”. Para o deputado, a medida é uma submissão do país às pressões da Fifa. “A Fifa quer impor seu reinado de negócios durante a Copa”, criticou, acrescentando que “na realidade, o que se quer é suprimir direitos para assegurar monopólios”. O deputado também criticou os investimentos públicos para a garantia de um evento que é privado. “Os gastos extraordinários com estádios não condizem com as reais necessidades da população”, observou.

 

http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/

 

   Rio, 2 de março de 2012

 

Enviado por Fernando Moreira-01.03.2012|19h16mDiretora causa polêmica ao dizer que alunos gays vão para o inferno

Bullying contra estudantes gays é um problema grave em vários países. Só que em uma escola dos EUA a principal responsável pelo bullying é ninguém menos que a diretora!

Dorothy Bond, que dirige a Haywood High School, em Brownsville (Tennessee), provocou ira e controvérsia ao afirmar que alunos gays vão para o inferno!

De acordo com a ABC, em uma reunião com estudantes, Dorothy ameaçou alunos gays que demonstrassem afeição em público com suspensão de 60 dias ou expulsão, nos casos mais graves.

A estudante Amber Wittiemore denunciou a diretora:

"Ela me disse para não beijar a minha namorada. 'Vocês não são bem-vindas em Haywood'."

Esta não é a primeira vez em que a diretora se mete em polêmica. Ela já ameaçou tomar medidas disciplinares contra alunos que não baixassem a cabeça durante as orações e afirmou a estudantes grávidas que "a vida delas acabara".

Em tempo: Maryland se tornou o oitavo estado americano a permitir o casamento gay.

 

Opera MundiCOMÉRCIO28/02/2012 - 08h27 | Monica Yanakiew/Agência Brasil | Buenos AiresChineses avançam no mercado interno da Argentina e competem com redes de hipermercadosCerca de 20 novos supermercados são abertos por chineses a cada mês no país 

 

Na Argentina, os chineses avançam cada vez mais no mercado interno e na competição por espaços. Há pelo menos 10 mil supermercados chineses em todo o país, que têm cartão de crédito próprio e disputam clientes com as redes de hipermercados estrangeiras. A concorrência muda os hábitos dos consumidores argentinos, que têm optado pelo chamado supermercado chinês em vez dos hipermercados.  

“O boom dos supermercados chineses na Argentina coincidiu com o aumento do número de imigrantes da China e a mudança de hábitos de consumo no país”, disse à Agência Brasil  o presidente do Conselho Consultivo da Câmara de Comércio de Donos de Supermercados Chineses, Miguel Angel Calcete.

“Nas famílias modernas, o pai e a mãe trabalham e não têm tempo para ficar horas fazendo compras nos grandes supermercados. [Essas famílias] preferem comprar o que precisam para o dia no chinês da esquina, que tem de tudo um pouco e fica aberto até tarde”, explicou Calcete.

Para os chineses, os pequenos supermercados são negócios de simples administração pois, entre outros aspectos, os responsáveis não precisam falar espanhol para vender seus produtos. No caso, o cliente pega o que deseja comprar na prateleira e paga pelo produto.

A facilidade tem permitido que cerca de 20 novos supermercados sejam abertos a cada mês na Argentina. De acordo com os especialistas, cada investidor chinês aplica, em média, 200 mil dólares para se estabelecer e movimenta até 3,5 mil dólares por dia. A capital argentina, Buenos Aires, é o principal foco das atenções dos investidores chineses.

No entanto, nos últimos dois meses, esses investidores decidiram avançar em direção às cidades que têm cerca de 50 mil habitantes. O comércio cresceu tanto que os donos de supermercados chineses decidiram criar um fundo para financiar um cartão de crédito próprio destinado aos aposentados e clientes das classes C e D. Segundo eles, essas pessoas não têm acesso fácil a empréstimos bancários.

O cartão de crédito chinês cobra juros inferiores a 26%, a taxa de inflação anual, medida por consultoras privadas. “Para mim é muito mais prático ir ao supermercado chinês do que a um grande supermercado. Eu gasto menos tempo, compro o que preciso para o dia e ainda tenho um cartão de crédito [que é mais] barato [do que o convencional]”, disse à Agência Brasil a contadora Graciela Tomasini.

Ting Lei, filho de imigrantes chineses em Buenos Aires, disse que os chineses encontraram um nicho no Mercosul (bloco formado pela Argentina, pelo Brasil, Uruguai e Paraguai). “O Mercosul está reduzindo importações da China, mas os chineses na Argentina aprenderam a fazer negócios”, disse.

 

Opera MundiAMÉRICA DO SUL01/03/2012 - 09h31 | Renata Giraldi/Agência Brasil | BrasíliaArgentina aciona UE para debater soberania das Malvinas na ONUDiscussão ocorre às vésperas dos 30 anos da Guerra pelas Ilhas 

 

O governo argentino, comandado por Cristina Kirchner, acionou a UE (União Europeia) para avaliar o impasse envolvendo argentinos e britânicos em relação ao domínio das Ilhas Malvinas – chamadas de Falklands pelos britânicos. Para os argentinos, o assunto deve ser debatido na Assembleia Geral das Nações Unidas. A discussão ocorre às vésperas de completar 30 anos da disputa pela soberania das ilhas por argentinos e britânicos.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores da Argentina, a iniciativa de levar o debate para a ONU (Organização das Nações Unidas) é uma maneira de verificar eventuais violações de resoluções impostas pelo organismo, além da exploração dos recursos naturais.

Nesta quarta-feira (29/02), o governo britânico convocou o encarregado de negócios argentino em Londres, Osvaldo Mársico, para pedir explicações sobre a proibição de entrada de dois navios da Grã-Bretanha no Porto de Ushuaia, na Argentina.

De acordo com informações de diplomatas britânicos, o representante do país em Buenos Aires irá manifestar formalmente sua preocupação, uma vez que há orientações para empresas argentinas não importarem mais produtos da Grã-Bretanha.

Há duas semanas, a Argentina apresentou nas Nações Unidas uma queixa formal contra a militarização dos britânicos na região das Malvinas.

*Com informações das agências públicas de notícias da Argentina, Telam, e de Portugal, Lusa.

 

TSE pune Dilma, Lula e o PT por propaganda irregular

 

Partido perdeu o direito de veicular programa que iria ao ar no dia 24 de maio

 

01 de março de 2012 | 23h 06

 

 

 

 

Agência Estado

 

BRASÍLIA - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, na noite desta quinta-feira, 1, punir a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT por terem utilizado em 2010 um espaço destinado à propaganda partidária para promover a candidatura da petista à Presidência da República.

 

O PT perdeu o direito de veicular o seu programa partidário deste semestre, que estava previsto para ir ao ar no dia 24 de maio. O partido também foi multado em R$ 25 mil. Já Dilma e Lula terão de pagar cada um R$ 5 mil.

 

Pela legislação eleitoral, a propaganda partidária deve ser usada pelas legendas para veiculação ideias. Não para promover a candidatura de políticos. Para a campanha de candidatos existe a propaganda eleitoral, que é veiculada no rádio e na televisão nos meses anteriores ao pleito.

 

 

Mercadante quer usar pré-sal para pagar piso nacional de professores

 

Ministro da Educação sugere vincular 30% dos recursos do petróleo para pagar o piso de R$ 1.451

 

01 de março de 2012 | 22h 59

 

 

 

 

Rafael Moraes Moura, de O Estado de S. Paulo

 

BRASÍLIA - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta quinta-feira, 1, que a vinculação de recursos do pré-sal para a educação pode ajudar Estados e municípios a arcar com o novo valor do piso nacional dos professores, que foi reajustado para R$ 1.451 por mês.

 

“Precisamos fortalecer o repasse de recursos de educação para Estados e municípios, e o melhor caminho é o pré-sal. Se vincularmos pelo menos 30% dos recursos do pré-sal para educação, ciência e tecnologia, nós teremos como sustentar uma melhora significativa em todo o sistema educacional pelo menos por uma década”, defendeu Mercadante durante o programa Bom Dia, Ministro.

 

Mercadante disse que o Ministério da Educação (MEC) sabe das dificuldades de Estados e prefeituras de garantir o pagamento desse valor, mas afirmou que as “dificuldades não podem levar ao retrocesso”.

 

“Se quisermos ter educação de qualidade no Brasil, vamos ter de continuar recuperando o piso, para que os jovens que estão na universidade se motivem a ser professores”, afirmou. Ele também pediu que os professores evitem greves prolongadas que prejudiquem os estudantes.

 

Enem. Mercadante voltou a defender que as redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passem por mudanças no critério de correção, garantindo mais objetividade e segurança aos alunos. Conforme o Estado informou anteontem, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do MEC que cuida do Enem, discute internamente mudanças na correção das redações. O Inep deve comunicar nas próximas semanas as alterações que serão feitas, válidas já para a edição 2012 do exame, marcada para 3 e 4 de novembro.

 

Uma das possibilidades é, no caso de discrepância das notas do primeiro e do segundo corretor, a redação ser levada a uma banca com três especialistas.

 

Outra medida em estudo é diminuir de 300 para 200 a diferença de pontos que leve à terceira revisão. “Vamos mudar os critérios de correção, porque a redação sempre tem um caráter subjetivo. Quanto menor a dispersão das notas, quanto mais objetividade e segurança nós dermos aos alunos, melhor para a valorização do Enem.”

 

de O GLOBO

Sarkozy se refugia em bar para escapar de protesto Presidente francês estava em campanha no sul do país quando foi hostilizadoPublicado: 1/03/12 - 15h19Atualizado: 1/03/12 - 15h38  

BAYONNE – Centenas de manifestantes furiosos vaiaram o presidente francês, Nicolas Sarkozy, forçando-o a se refugiar em um bar protegido por policiais antimotim, durante um evento de campanha na região basca no sul do país.

Os agentes de segurança cercaram o Bar du Palai, onde Sarkozy se refugiara nesta quinta-feira para escapar de manifestantes que o hostilizaram ao longo de toda a visita a Bayonne. O presidente afirmou que o protesto fora organizado pelo rival Partido Socialista e, dentro do bar cercado, denunciou o que classificou como “a violência de uma minoria e seu comportamento inaceitável”.

O conservador Sarkozy, que anunciou sua candidatura à releição no dia 15 de fevereiro, está atrás do socialista François Hollande nas pesquisas de opinião para o pleito de abril.

veja o video:Bayonne - sarkozy arrive sous les hués du Peuple

http://youtu.be/NuGStz7cCGo




 

infomoney.com.br

Sabesp assina acordo de US$ 440 mi no Japão para combater a perda de água    
23 de fevereiro de 2012 • 18h30 Por: Viviam Klanfer Nunes  

SÃO PAULO - A diretora-presidente da Sabesp, Dilma Pena, assinou na última quarta-feira (22), em Tóquio, no Japão, um contrato no valor de US$ 440 milhões com a agência de fomento do governo japonês, a Jica. Para o financiamento a Sabesp vai pagar, em contrapartida, US$ 240 milhões.

Os recursos do financiamento serão usados para ampliar e acelerar os investimentos do Programa Corporativo de Redução de Perdas de Água da Sabesp, que tem como meta reduzir as perdas de água. O objetivo é que o percentual de perda passe de 25,6% para até 15% no fim desta década. Segundo a Sabesp, a média brasileira é de 37%, e a do Japão, referência mundial no assunto, é de 3%.

Redução das perdas
“A redução das perdas é prioridade para a Sabesp, a fim de que seja garantida a segurança do abastecimento na Região Metropolitana de São Paulo”, afirmou Dilma. A presidente ainda destacou que essa região conta com baixa disponibilidade hídrica, ou seja, a relação entre a quantidade de água disponível para abastecimento e o número de habitantes.

Além disso, a Região Metropolitana de São Paulo concentra cerca de 20 milhões de habitantes, ou seja, 10% da população brasileira, em uma área de 8.051 quilômetros quadrados. A disponibilidade hídrica é de apenas 146 mil litros por habitante ao ano, volume muito inferior aos 2,5 milhões de litros anuais recomendados pela ONU (Organização das Nações Unidas). O valor é inferior ao de regiões do Nordeste e do deserto do Saara.

A Sabesp ainda informou que a rede de abastecimento de água na região em questão tem 32,7 mil km de extensão, aproximadamente uma viagem de ida e volta de São Paulo ao Japão. Para verificar a existência de vazamentos, toda a rede tem de ser percorrida e avaliada.

Em 2011 a Sabesp vistoriou 47,4 mil km de redes. Em média, cada centímetro da rede é pesquisado a cada oito meses, em busca de vazamentos não visíveis, que não afloram na superfície, mas que podem ser detectados com uso de tecnologia adequada. Além de pesquisas e reparos, são trocados preventivamente por ano 195 mil ramais – as redes menores que levam a água da rua até os imóveis. As ações da Sabesp permitiram reduzir as perdas de 32%, em 2006, para os atuais 25,6%.

Índice de perdas
O índice de perdas é calculado pelo volume de água produzido para abastecimento público menos o volume faturado (consumido e pago). As perdas são classificadas em físicas, que são aquelas decorrentes de vazamentos na rede de abastecimento, e de faturamento, aquelas ocasionadas por fraudes, os chamados “gatos”, e por submedição – falhas em hidrômetros.

A composição do total das perdas da Sabesp é de 16,64% para as perdas físicas e de 8,96% para as perdas de faturamento.

As principais ações planejadas pela Sabesp até 2016 com esse fortalecimento do Programa de Perdas são:

  • Troca de 875 mil ramais prediais (ligação de água da rua até o hidrômetro). Representa 12% do total de ramais da Sabesp
  • Substituição de 1,6 mil hidrômetros (22% do total)
  • Troca de 674 quilômetros de redes de água. A Sabesp tem um total de 65.960 km de redes (em todo o estado de São Paulo)
  • Pesquisa de vazamentos invisíveis por meio de geofones – tecnologia de detecção por meio de escuta noturna de barulho de jatos de água abaixo do nível do solo. Serão pesquisados 150 mil km de redes, o que significa percorrer toda a rede existente por mais de duas vezes

“Esse conjunto de ações resultará na redução de 1% das perdas por ano, o que equivale à quantidade de água necessária para atender a 300 mil pessoas”, declarou a diretora-presidente. Por fim, a Sabesp destacou que os investimentos até 2016 serão de R$ 1,9 bilhão. Do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) virão R$ 715 milhões, da Jica, virão R$ 770 milhões, e a Sabesp vai arcar com R$ 430 milhões.

 

Opera MundiOpera MundiAMÉRICA DO SUL01/03/2012 - 19h34 | Ansa | BrasíliaDitadura: argentina pede a Interpol captura de repressor preso no BrasilPreso é suspeito de participar de sequestro de pianista brasileiro em 1976 

 

A Argentina solicitou à Interpol a captura de Claudio Vallejos, suspeito de participar do sequestro do pianista Francisco Tenório Cerqueira e acusado de ser um dos torturadores do período da ditadura militar. A informação é de uma fonte diplomática argentina.

Vallejos foi membro dos serviços de inteligência da Marinha argentina e participou do centro de repressão instalado na Escola de Mecânica da Armada, conhecido como ESMA. Cinco mil militantes contrários à ditadura “desapareceram” no local ou foram assassinados.

Francisco Tenorio Cerqueira foi seqüestrado em 1976, quando realizava apresentações junto a Vinicius de Moraes em Buenos Aires. Em declarações à imprensa brasileira em 1968, Vallejos admitiu ter matado 30 pessoas e torturado outras várias, e deu a entender que esteve vinculado com o desaparecimento do pianista.

Claudio Vallejos, de 53 anos, radicado no Brasil há quase três décadas, foi preso por fraude. Ele ficou no presídio de Xanxeré, em Santa Catarina, de 4 de janeiro até a última segunda-feira (27/02), quando foi levado para o presídio de Lages, no mesmo estado. A Justiça da Argentina quer agora iniciar o processo de extradição de Vallejos.

Luiz Brandielli, da administração do presídio de Xanxeré, afirmou nesta quinta-feira (1º/03) que Vallejos disse, informalmente, que esteve envolvido no desaparecimento do pianista. “Ele [Vallejos] me disse duas coisas: que presenciou o sequestro e também que o pianista foi assassiando. Não me deu o nome dos que mataram o músico, e voltou a dizer que matou 30 pessoas ou mais e que torturou. Conversamos na sexta-feira passada aqui na prisão”, relatou Brandielli.

Leia mais

Conheça nossa página no Facebookcomentários 

Mais recomendadas no Facebook

Acompanhe o Opera Mundi

 

Opera MundiOpera MundiPOLÊMICA01/03/2012 - 11h12 | Thassio Borges | Redação Nas Filipinas, revista é acusada de racismo após retratar negras como "sombras"Após as críticas, a revista trocou a capa que gerou a polêmica 

 

A revista filipina FHM Philippines  foi acusada de racismo após estampar na capa da edição de março uma modelo oriental que “emerge” entre mulheres negras sob o título “saindo das sombras”. Após uma série de críticas de leitores em redes sociais, a publicação alterou a imagem e deixou apenas a modelo Bela Padilla sob um fundo escuro com a declaração “Eu quero emergir com o meu próprio nome”.

A capa original gerou diversas reclamações na página oficial da revista, a mais popular do país entre o público masculino, no Facebook. “Sério, vocês não perceberam o quão racista esse conceito era?”, questionou um usuário da rede social.

Divulgação

A capa que gerou polêmica foi logo substituída

As críticas fizeram com que a empresa responsável pela revista pedisse desculpas publicamente. “Mesmo em nossa busca para atingir capas ousadas, vamos nos esforçar para sermos mais sensíveis”, declarou em comunicado a editora, que publica outras 20 revistas no país.

Logo após a polêmica, a revista passou a tratar o assunto como um incidente que já havia sido contornado. Ainda em sua página, a FHM Philippines enalteceu a participação da modelo Bela Padilla em um jornal da emissora britânica BBC.

Questionada a respeito da capa, Padilla afirmou que ficou tão surpresa quando os leitores quando viu a publicação pela primeira vez. A modelo, no entanto, salientou que a intenção da imagem era ressaltar entre o público filipino “a minha transformação, de uma menina para uma mulher mais velha”.

Divulgação

Nova capa traz apenas a modelo Bela Padilla

A modelo disse ainda que algumas das modelos negras que aparecem na capa ao seu lado são na verdade mulheres filipinas pintadas. “É necessário ler a matéria para entender a foto. Na verdade, são filipinas pintadas e que não representam as mulheres negras”.

Questionada pela jornalista britânica Mishal Husain se o fato das mulheres terem sido pintadas não seria ainda mais ofensivo, a modelo afirmou que “quando eu vejo alguém negro, eu não penso imediatamente em uma raça, por isso não vejo como ofensivo”. Apesar disso, as críticas contra a revista no país continuam.

“É triste que a imagem seja sobre Bela emergindo de suas ‘inibições’. Mas pense bem, porque as inibições de uma garota branca aparecem entre um grupo de garotas negras? Porque destacar um dos corpos em detrimentos dos outros”, criticou Katrina Stuart Santiago em um artigo para o site filipino GMA News Online.

Leia mais

Conheça nossa página no Facebook

 

Do Yahoo Notícias

Tiririca se chama de "prefeito do povão"  

De acordo com reportagem do "Congresso em Foco", o deputado Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP) já é saudado como “prefeito” por colegas de Câmara. Deputado mais votado do país, Tiririca já se coloca como uma realidade na disputa eleitoral de São Paulo.


O sucesso nas urnas nas eleições de 2010 (1,3 milhão de votos, recorde histórico) já é considerado nos bastidores. E, ao que parece, o tom da campanha para a Prefeitura deve seguir o da Câmara e pender para o popularesco.

“‘Prefeito do povão’. O slogan é esse mesmo”, entusiasmou-se Tiririca, depois de cumprimentado pela deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) com um tratamento peculiar. “Prefeito!”, disse a parlamentar, recentemente acusada de receber propina no esquema de corrupção no Distrito Federal.

o Congresso em Foco conversou por alguns instantes com o deputado Tiririca, que disse não considerar impossível impor derrota a nomes como José Serra, pré-candidato do PSDB, e Fernando Haddad, o nome do PT para a corrida eleitoral. Afinal, lembra, recebeu 1,3 milhão de votos em outubro de 2010. Antes de adentrar o cafezinho do plenário, o parlamentar disse que a decisão não é dele.

“Vamos ver. O povo é que, na verdade, vai decidir isso. Mas, se acontecer [a indicação dele pelo PR], vamos bater de frente nisso aí”, disse Tiririca. “Como deputado, eu não queria isso, não. Mas, se ficar decidido, e o povo quiser… O povo é que vai dizer”, acrescentou, repetitivo e reticente, dizendo-se também “muito feliz” e prestigiado pela hipótese da candidatura.

 

"Congresso em Foco conversou por alguns instantes com o deputado Tiririca, que disse não considerar impossível impor derrota a nomes como José Serra, pré-candidato do PSDB, e Fernando Haddad":

Verdade, ele nao imporia derrota nenhuma.  Serra e Haddad seriam esmagados por Tiririca.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

PHA processa Globo, Folha
e penduricalhos do PiG

Publicado em 01/03/2012



 


 


 


O Dr Cesar Marcos Klouri, advogado de Paulo Henrique Amorim, tomou nesta quinta-feira, 1o de março de 2012, as medidas para processar judicialmente instituições e articulistas diante do que publicaram sobre o acordo celebrado entre Paulo Henrique Amorim e Heraldo Pereira de Carvalho (clique aqui para ler “a verdadeira conciliação entre Paulo Henrique Amorim e Heraldo Pereira de Carvalho”).


Os processados judicialmente serão:


O Globo


O Globo online


G1


Folha


UOL


Estadão online


Band


Blog do Noblat


Jornal do Commercio de Recife


A Tarde da Bahia


Reinaldo Azevedo


247


Demétrio Magnoli


E Conjur, membro destacado do Sistema Dantas de Comunicação.


Paulo Henrique Amorim

 

Do UOL
01/03/201223h34
Obama: apoio dos EUA a Israel é 'sacrosanto'

AFP
Nova York, EUA, 1 Mar 2012 (AFP) -O presidente Barack Obama qualificou nesta quinta-feira de "sacrosanto" o apoio dos Estados Unidos a Israel e destacou a necessidade de ajudar os israelenses a manter sua "superioridade militar" regional, quatro dias antes de receber o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Obama, que participou de uma reunião em Nova York para arrecadar fundos de campanha visando as eleições presidenciais de novembro, citou a mudança geopolítica causada pelas revoltas populares no mundo árabe a partir do início de 2011.

"Um dos nossos objetivos a longo prazo nesta região é assegurar que o compromisso sacrosanto que temos com a segurança de Israel não se traduza apenas em proporcionar a capacidade militar necessária, mas sim em permitir que tenha a superioridade militar necessária em uma região muito perigosa".

 

1 de março de 2012 às 16:30 - No Vi O Mundo
Mark Weisbrot: O importante discurso do ministro Patriota

Brasil-Irã


29 Fev 2012


por Mark Weisbrot, do Center for Economic and Policy Research, na Folha de S. Paulo


É vital que países sigam o exemplo do Brasil e se manifestem antes de uma guerra contra o Irã começar


Na semana passada, o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, fez uma declaração corajosa e muito importante sobre a ameaça crescente de um ataque militar ao Irã. Ele pediu ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que desse seu parecer sobre a legalidade de um ataque contra o Irã, como vem sendo ameaçado.


“Às vezes ouvimos a expressão “todas as opções estão sobre a mesa”", disse. “Mas algumas são contrárias às leis internacionais.


“
As pessoas que continuam a afirmar que “todas as opções estão sobre a mesa”, aludindo ao Irã, incluem várias autoridades dos EUA e de Israel e, o que é mais importante, o próprio presidente Obama.


E todo mundo sabe o que querem dizer quando afirmam que “todas as opções estão sobre a mesa”: eles se reservam o “direito” de bombardear o Irã se não conseguirem o que querem por meios não militares, incluindo sanções econômicas.


Mas tal ação seria de fato “contrária à lei”, como Patriota sugeriu. Na realidade, é um crime muito grave segundo as leis internacionais e representa uma violação clara da Carta das Nações Unidas (artigo 2).
A simples ameaça de recorrer à força militar contra outro Estado-membro da ONU -o que Obama e o governo israelense já fizeram- já é uma violação da Carta da ONU.


Aqui nos EUA, a mídia — especialmente as maiores emissoras de TV e rádio — vem produzindo propaganda de guerra sobre a “ameaça” vinda do Irã, em um replay virtual do que antecedeu a invasão do Iraque em 2003.


O Congresso, liderado pelo lobby neoconservador e pelo Aipac (lobby pró-Israel), vem fazendo pressão para cortar as soluções diplomáticas.
 Uma resolução submetida ao Senado americano no momento incentivaria uma ação militar contra o Irã por simplesmente possuir a “capacidade” de produzir uma arma nuclear — algo que o Brasil, a Argentina, o Japão e outros países com programas pacíficos já possuem.


E tudo isso a despeito do fato de o Irã atender às demandas do Tratado de Não Proliferação Nuclear, incluindo as inspeções exigidas, e de não ter demonstrado nenhuma intenção de violar o tratado.


A visão consensual das 16 agências de inteligência dos EUA, segundo o “New York Times”, é que “não há prova concreta de que o Irã decidiu construir arma nuclear”.
É vital que os países que estão interessados em manter a paz e um mundo regido por tratados e diplomacia internacionais, em vez da força, se manifestem, como o Brasil fez, antes de uma guerra começar.


A declaração de Patriota é muito importante. Há muito mais que pode ser feito. O Brasil poderia trabalhar com os Brics e com a Unasul para conseguir mais declarações e compromissos. Esses grupos, ou seus países-membros, poderiam anunciar como reagiriam a um país que lançasse um ataque militar não provocado contra o Irã.


Por exemplo, poderiam comprometer-se a retirar seus embaixadores desse país, a romper relações diplomáticas e a rever suas relações comerciais, com a possibilidade de sanções econômicas seletivas.
Para prevenir outra guerra desnecessária e suas atrocidades inevitáveis, o esforço vale a pena.


Tradução de CLARA ALLAIN


PS do Viomundo: Israel dispõe de algumas centenas de artefatos nucleares. Índia e Paquistão, ambos da esfera de proteção dos Estados Unidos, também dispõem da bomba. Já a Coreia do Norte não pode. Deu para perceber a hipocrisia ou precisa dizer mais? Nós podemos ter a bomba, diz Washington. Na mão “deles”, é arma de destruição em massa. Faz sentido, já que o Saddam Hussein jogou aquelas bombas em Nagasaki e Hiroshima.