Revista GGN

Assine

“O SUS que não se vê”

 trabalhadora e usuária do SUS

Este mês a Revista Radis da Fiocruz publicou excelente matéria intitulada: “O SUS que não se vê” que trata de mostrar o real tamanho e abrangência do Sistema Único de Saúde. O ensaio se baseia em dados colhidos por pesquisa do IPEA, publicados em fevereiro. Segundo tais dados cerca de 34% da população afirma nunca ter utilizado o SUS e também revelam um dado curioso: o sistema de saúde brasileiro é mais bem avaliado por aqueles que costumam utilizá-lo. Partindo de tais dados a publicação propõe algumas discussões interessantes que desmistificam equívocos e preconceitos relacionados à idéia que a maioria de nós faz do nosso sistema público de saúde. 
O primeiro, e possivelmente o maior equívoco deles, é acreditar ser possível que algum brasileiro não seja usuário do SUS. O sistema faz parte do dia a dia de todos nós, mesmo que, às vezes, de maneira invisível. Utilizamos o SUS ao almoçarmos em um restaurante e ao adquirimos produtos alimentícios e medicamentos, por exemplo, pois todas as ações de vigilância sanitária são atribuições do SUS. As campanhas de vacinação para controle e erradicação de doenças, propagandas e campanhas educativas para prevenção de doenças e agravos à saúde, pesquisa e produção de medicamentos e terapêuticas, além de acesso a tratamentos de alta complexidade, especialmente aqueles que não interessam ao sistema privado, são algumas das ações do SUS que a maioria desconhece. Sendo assim, ao contrário do que se imagina, o SUS não se limita aos atendimentos oferecidos nos postos de saúde ou hospitais públicos, sua abrangência é de tal proporção que é impossível que algum brasileiro possa dizer que nunca tenha utilizado o sistema. 
Quando discute o nível de satisfação dos brasileiros com o SUS a pesquisa é ainda mais reveladora: o índice de satisfação do brasileiro é maior entre os que se dizem usuários do sistema, enquanto que o percentual dos que o consideram ruim ou muito ruim é maior entre os que afirmam não fazerem uso dele. Partindo desta constatação a matéria abre uma discussão importante sobre a influência da mídia na opinião da população a respeito do SUS. A revista denuncia uma “má vontade” da grande imprensa para com o SUS, na medida em que se interessa preferencialmente por relatos e imagens de pessoas afetadas pelas falhas do sistema, ao mesmo tempo em que não atribui ao mesmo as ações que dão certo e os indicadores positivos resultantes de tais ações. 
O SUS é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo, invejado por outros países como os EUA, por exemplo. Tem um programa de imunização de doenças que é um sucesso, sendo o responsável pela erradicação de várias delas. O impacto do SUS na redução da mortalidade infantil é indiscutível. O Brasil tem um sistema de tratamento e prevenção de HIV/aids exemplar e é o sistema público que mais faz transplantes e hemodiálises no mundo todo, incluindo a manutenção de uma rede de doadores com excelência em tecnologia. Grande parte das intervenções de alta complexidade, especialmente aquelas que não são de interesse do sistema privado, por serem muito dispendiosas, ficam a cargo do SUS. A Farmácia Popular não beneficia apenas os que têm acesso à medicação gratuita, ao impulsionar a expansão do mercado, promove também a queda dos preços para os demais consumidores. Essas são algumas das informações positivas a respeito do SUS que são pouco divulgadas na mídia, ou quando são divulgadas não são atribuídas como ações do SUS. 
A matéria defende que essa propaganda negativa do SUS se deve, em parte, por uma orientação ideológica neoliberal, cujo interesse é sustentar o discurso de que o público não funciona. Seduzida por tal discurso a classe média vem cada vez mais procurando pelos planos de saúde, acreditando que desta maneira não precisará utilizar o SUS e reforçando uma idéia que precisa perder força: a de que “o SUS é para os pobres”. 
Sabe-se, no entanto, que a cobertura dos planos de saúde se dedica basicamente a consultas e exames ou tratamentos de baixo custo, ou seja, aqueles procedimentos que trazem mais lucros para as seguradoras. Os demais, por necessitarem de maior abrangência ou complexidade, e que obviamente os planos não cobrem por serem muito caros, ficam a cargo do SUS. Para se ter uma idéia, segundo o Ministério da Saúde, há uma estimativa de que cerca de 20% dos usuários de planos de saúde se utilizam dos serviços hospitalares do SUS, o que equivale a um custo que pode chegar a 1 bilhão por ano, custo que não é ressarcido ao SUS pelas seguradoras.
A idealização do SUS tem raízes numa concepção de saúde integral, solidária, humanitária, democrática e que não seja objeto das leis do mercado. Esse diferencial já seria suficiente para defendermos o SUS como patrimônio nacional, estabelecendo com ele uma noção maior de pertencimento e agregando-lhe o valor que realmente merece. Entender que “o SUS é nosso” se faz fundamental para militarmos em sua defesa, a fim de lhe garantir financiamento adequado e melhoria na qualidade de seus serviços e ações. Por isso, se lhe perguntarem se você é usuário do SUS não se envergonhe em dizer que sim. O Brasil agradece.

 

outros textos:

http://ritadecassiadeaalmeida.blogspot.com/

Imagens

Sem votos
43 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+43 comentários

Problemas na saúde: Novo Conceito em Saúde Pública Preventiva. Veja mais em: www.enfermagem3g.blogspot.com

 

Seria o o  Brasil , juntamente com a Inglaterra, os únicos países com o acesso realmente universal a um sistema de atendimento de saúde? (não questiono nem comparo a qualidade entre modelos).

 

Não é possível, acho que estamos vivendo no mundo da lua...
-Corredores servindo de UTI em “todo” Brasil;
-Gente morrendo sem atendimento pelas calçadas;
-Atendimento superficial, aviltante e sem nenhum fundamento médico;
-Famílias em desespero sendo despojadas de todas as suas economias por terem que buscar atendimento na rede privada...
E muito pior, comentantes pedindo a volta da CPMF...
Ah não é possível... Eu não li isso...

 

 

Não é possível, acho que estou vivendo no mundo da lua...

Vocês aí de cima... Não veem noticiários?

Corredores servindo de UTI?

Gente morrendo sem atendimento pelas calçadas?

Nunca viveram o desespero de parentes adoecidos que não puderam pagar um plano de saúde?

Famílias em desespero sendo despojadas de todas as suas economias por ter que buscar atendimento na rede privada...

Que volte a CPMF, vocês merecem...

 

Quem se interessou pelo texto vai se interessar também pela votação da EC 29 que cria o financiamento para o SUS. Informaçãoes no link

http://www.saudecomdilma.com.br/index.php/2011/05/22/domingueira-regulamentacao-da-ec-29-no-senado/?utm_medium=twitter&utm_source=twitterfeed

O SUS é nosso!

 
 

Meus mais sinceros agradecimentos a Rita de Cassia e a Nassif que nos brindaram pelo texto e sua divulgação. É brilhante,e por isto nunca seria visto na nossa mídia tradicional. Isto é, com interesses inescapaveis dos donos, de anunciantes particulares e da manifesta posição doutrinária da grande imprensa, que só valoriza a iniciativa privada.

 

Cara de Cássia de Araújo Almeida:

Ótimo comentário que, aparentemente longo, na verdade é resumido, tal a complexidade que envolve o assunto SUS.

Pelo que pode ser lido dos colegas comentaristas, hoje o sistema atende satisfatoriamente à maior parte da população brasileira, existindo lacunas de atendimento aqui e ali.

O progresso apresentado na qualidade do atendimento universalizado é uma dos legados mais importantes do governo de Lula, que, mesmo tendo tido a contribuição da CPMF surrupiada pela oposição inconsequente- num ato que retirou dos atendidos pelo sistema quantia superior a 30 bi, conseguiu manter e aprimorar a qualidade de um setor historicamente ineficiente.

Confesso me enquadrar em seu comentário, pois não utilizo o sistema por um misto de burrice $$$, comodismo e, porque não, complexo de vira-latas rsrs

Você corretamente cita que o nosso sistema de saúde pública dá de dez no sistema americano, mas é fato que a qualidade deste sistema ainda se encontra abaixo daquele que é oferecido por diversos países, notadamente os escandinavos e o francês, cabendo aqui uma importantíssima ressalva- nenhum deles atende um terço da população aqui atendida, e quantidade expressiva é sinônimo de grandes dificuldades, logo, ponto para o nosso.

Sobre a qualidade e conquistas do SUS, por aqui nem sempre reconhecidas (aqui, o complexo de vira-latas) ou bem compreendidas, a colega Aracy mandou bem, ao disponibilizar o arquivo da revista The Lancet.  

Um abraço   

 

Na realidade é um artigo para leigos , com muito idealismo. Precisamos aprofundar a discussão , e um fator importante é saber como se da a composição das tabelas de valores paga aos hospitais pelos serviços ( internação , exames complementares e etc ). O ministério da saúde tem dados precisos do custo per capta de todos os procedimentos do sus , sua auditoria impõe certos pacotes , tabelas e cortes que causam verdadeiro tsunami financeiros pelos hospitais do Brasil. É preciso abrir um grande discussão com  a sociedade para esclarecimento , ouvir todos .

 

Nassif , amigos

O problema do SUS são as filas de espera por tratamentos e cirurgias , e a falta de organização , mas os profissionais de lá  , na sua maioria , são de ótimo nível . O governo tem de investir mais , e o retorno da CPMF seria bem vindo ! Chega de demagogia desse pessoal que fala contra o único imposto de verdadeira abrangência e que pega não só o pequeno , mas ( principalmente ! ) o tubarão também ! Eu sou isento para falar disso , pois , como empresário , só saí ganhando , particularmente , com o fim daquele tributo , e veria com bons olhos a sua volta , com alguns pequenos ajustes ( não taxaria gastos feitos com produtos de 1a. necessidade , como alimentação básica , por ex. ).

Para terminar , tive um filho acidentado há 2 semanas e que necessitou de uma cirurgia delicada , tudo feito a contento e com muita competência pelo SUS , pouco ou nada diferenciando dos caríssimos planos de saude à disposição de tantos brasileiros desvalidos .

 

Bom... NÃO é em TODA cidade que faz um ATENDIMENTO bom... NÃO é TODA cidade que faz um ATENDIMENTO ruim.

Se minha secretária pudesse falar...

 

A revista The Lancet lançou em maio uma Edição especial (http://www.thelancet.com/series/health-in-brazil) sobre a saúde no Brasil e o Sistema Único de Saúde, com diversos artigos de pesquisadores (em sua maioria) brasileiros, dos principais centros de pesquisa em saúde pública do país.

Recomendo especialmente o artigo "O Sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios", dos professores Jaimilson Paim, Claudia Travassos, Celia ALmeida, Lygia Bahia e James Macinko. O artigo revisita toda a história da saúde pública no país, desde a Colônia, e dá uma overviwe dos maiores problemas e desafios do sistema, especialmente de sua relação com o setor privado.

 Há versões dos textos da Lancet em português e em inglês e ainda uma entrevista com Laura Rodrigues, professora de epidemio da London School of Tropical Medicine http://www.thelancet.com/series/health-in-brazil

 

Coitada da minha mãe, é uma azarada. Só se o Sus funciona pra certos casos e outros não.Imagine,marcar uma USG para Setembro!!!!!, só pode ser descaso, falta de sensibilidade e pouco caso com o paciente .Uma endoscopia eles nem sabem quando poderão fazer . Saúde pública, SUS, tudo isto é caso de polícia. Tudo falido.Detalhe: sempre foi assim. Deixaram a medicina privada tomar conta,agora já era.

 

Olá.

 

O SUS precisa de um financiamento permanente para poder prestar um serviço cada vez melhor

para a população!

CPMF já......chega de política rastaqüera !!!!! Do quanto pior melhor !!!!

Oposição sem idéias.

 

O fato é que eu parei de pagar plano privado de saúde quando fiz 55 anos.

Recebi uma cartinha informando que o meu aniversário era para ser chorado, pois a virada dos 55 anos fazia o preço do plano passar de cerca de 800 reais por mês (já bem caro!) para mais de 1.000 reais. Mandei à merda!

Fiz inscrição no Posto de Saúde do bairro, a Vila Mariana, em São Paulo. Só me arrependo de não ter feito isso antes – bem antes! Paguei plano de saúde durante décadas. Tenho na memória todas as dores de cabeça que me fizeram passar.

Tá certo que, dizem, o posto da Vila Mariana é um tanto fora da média, para melhor. Sorte minha, uai! Aqui, eu NUNCA fui atendido com atraso! Mentira! Teve um dia em que o ortopedista atrasou cinco minutos...

Tenho feito tudo o que se mostra preciso fazer. Claro, o posto não é chique. Tem aquela arquiterura de repartição pública, com decoração quase toda feia de cartazes com recomendações e alertas sobre tuberculose, vacinação, avisos etc.

Tem problemas também: falta informatização (tudo é anotado em papelinhos...) e não se pode marcar consultas pela internet. Contudo, para aquelas de rotina, que estão vinculadas à necessidade de renovar a prescição de medicamentos de uso continuado, eu nem preocupo: o pessoal do posto liga, apresenta as datas e horários possíveis. Eu escolho o dia e a hora. E parte dos medicamentos que uso é fornecido pelo SUS.

Em resumo, aqueles 1.000 reais que iriam para o plano privado e mais o que eu economizo com remédios, agora entram literalmente na rubrica farra: eu torro tudo em aeromodelos, vinhos, livros, regabofes e inconfessáveis em geral.

Isso é que é chique e coisa de primeiro mundo: alavancar a economia com meu bem-estar!

 

O governo não dorme, o governo é uma lesma em coma, nada que a população precisa saber vem de algum setor de comunicação do governo, vem sempre da ' velha mídia' e depois é só chorar na cama que é lugar quente. Talvez em 2014 a lesma reaja mas será tarde demais.

 

Eu concordo em partes com essa matéria,

Concordo no sentido que é impossivel alguém nunca ter usado e que o sistema é abrangente, e o mais interessante publico, sem custos (algo inexistente na maioria dos paises de primeiro mundo)

Como a amiga comentou, não adianta nada o sistema ser maravilhoso na teoria e não ter fiscalização devida.

Moro no Bairro Matão, na cidade de Sumaré, e as vezes que precisei do posto de saúde, fui mal atendido, isso quando fui atendido (uma vez a enfermeira que iria fazer curativo no meu pé, foi embora pela porta do fundo do posto), minha avó foi diversas vezes consultar, e não tinha médico, e os funcionários não suberam informar quando teria, Gente estou falando de Sumaré, cidade vizinha de Campinas, que tem industrias como Honda, 3M e Pirelli e de um bairro com mais de 60 mil pessoas. Imaginem lá no agreste? ou no Xingu como é ? Na minha experiencia que eu tive até hoje e vejo alguns dos meus familiares ter, é uma vergonha! Então não vem com essa história de midia não. Porque isso acontece e acontecem muito, convido qualquer um de vocês a vim ao posto de saúde de Sumaré para ser atendido, tenho certeza que vão mudar de opinião.

 

Por incrivel que possa parecer, aqui em casa são dois idosos e dois jovens. Usamos o sistema SUS sempre. Alías, num desses atendimentos, o médico praticamente "acertou" o receituário, após ter passado por varios médicos particulares. Concluo que, somente a sua experiência prevaleceu sobre os seus colegas. Se observarmos bem, os planos de saude particulares estão bem piores que o sistema SUS. Na classe "A" quando o atendimento é bom/ótimo há disputas financeiras e burocraticas. Fico indignado é com a campanha "detonada" pela imprensa nacional.Amanhã ou segunda-feira, o JN recomeçará essa campanha. 

 

     Paguei por trinta anos a Medial  quando fiquei doente depois de uma semana internado foi feito o diagnostico de Hepatite C o convenio me deixou na mao por sugestao de um medico do Convenio procurei o Sao  Paulo (federal) que  estabilizou meus Problemas e me encaminhou para a lista deTransplantes passei tambem pelos Hospital das Clinicas e Dante Pazzanezi  ESTOU VIVO E TRANSPLATADO A 9 ANOS  SEMPRE FUI ATENDIDO COM DIGNIDADE PELO SUS  e claro que ja peguei filas e demoras nos postos de Saude e Pronto Socorros  mas a MELHOR ANALISE DE SAUDE PUBLICA QUEM TEM E O GRANDE DOUTOR  JATENE 

 

O governo tam´bem dorme no ponto. O povo não conhece o que o SUS faz por que o governo não divulga. O SUS fica escondido nos gabinetes de Brasilia e nada mais.

Ninguem vai conhecer o que o governo não divulga.

Parabéns Rita de Cassia, pelo artigo. Eu tb sou usuário do SUS e com muito orgulho.

 

Atenir, a questão é que o governo divulga mais na Internet. Sou profissional de saúde e não dou conta de acompanhar o grande número de dados e páginas disponíveis no Portal da Saúde. Acesso o portal semanalmente na seção para profissionais e gestores, e abram-se páginas e mais páginas; é uma riqueza de conteúdo incrível. Procuro uma informação e sempre acabo encontrando outras 200 interessantes. Para o cidadão, então, nem se fala. Mas quem tem acesso à banda larga para aproveitar isto? Muito pouca gente. Assim, a divulgação em massa acaba ficando por conta das campanhas no rádio, TV e cartazes, e a oposição ainda critica o Ministério da Saúde por gastar verba publicitária. Confira o conteúdo do Portal da Saúde:

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/default.cfm

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1743

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1391

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1392

http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/flash/cartilha_dengue.html

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=1095

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/area.cfm?id_area=156

 

Cara,Aracy você como profissional da saude poderia me esclarecer!

Sou úsuaria do SUS na cidade de São Paulo,Vou repetir o que disse no meu primeiro comentario

em momentos criticos, exemplo meu pai precisou de uma cirurgia de revascularização, o atendimento  do Sus foi de se orgulhar.

Mas atualmente com as OSS administrando os postos de saúde, aqui é o Santa Marcelina,o que ocorre uma consulta se faz com enfermeiro outra com o médico,tanto para o pré natal ,quanto para atendimento pediátrico.Isso é legal? é adimíssvel ?Com todo respeito ao profissional de enfermagem,mas enfermeiros não prescrevem remedios e nem fornecem guias para um especialista.É algo que faz sentido na quetão de saude ou é apenas um engodo?

 

Olá, Eliane. A lei do ato médico envolve questões delicadas ao tentar estabelecer o que seria de atribuição exclusiva dos médicos. Tem pontos muito discutíveis, especialmente em relação à participação das enfermeiras obstetrizes na assistência ao parto.

É rotina do SUS oferecer a pré- e a pós-consulta de enfermagem, ou seja, os pacientes passam com enfermeira ou técnica de enfermagem antes e depois do atendimento médico. Já procurou a diretoria clínica da unidade de saúde onde você é atendida  para esclarecer essa dúvida? Acredito que esse seja o melhor caminho. Muita saúde para você.

 

Dia 10/05/11, em plena aula numa Faculdade, tive um mal súbito. Encaminhei-me para o Serviço de Urgência do IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Estaduais de Minas, eu estava sendo acometido de um AVC, fui socorrido.....Estou em recuperação em casa, mas minha surpresa foi que ao comprar os remédios, Hipertensivos...., fui surpreendido pela atendente na Farmácia que tais remédios eram GRÁTIS, que a Presidente Dilma baixara portaria tornando-os sem ônus para o Paciente, Gastaria 600 reais, afinal, é a primeira vez que precisei de remédios....O SUS e sua Farmácia Popular, estão de vento em poupa e mais.....os demais remédios só paguei 10% do valor.Sentir-me mais Cidadão. Parabéns ao SUS. de Belo Horizonte.

 

Minha mãe precisou do SUS para fazer alguns exames emergenciais,mas o SUS só tinha possibilidades de fazê-los para Agosto/Setembro.Tive que utilizar a medicina particular. O SUS é um engodo.

Vá marcar uma consulta no SUS,no mínimo seis meses para a frente. Muitas vezes o médico nem aparece. Ai são mais 6 meses.

 

Pena que a aplicação de suas verbas não tenha a fiscalização devida. O desvio dos recursos do SUS enriquece secretários de saúde em milhares de municípios do Brasil e só se compara à sangria que se faz nos recursos da Educação. E aí como posso me orgulhar se vejo a vergonha do péssimo atendimento nos hospitais, as filas humilhantes nos postos de saúde, o caos que nos cerca para qualquer lado que olhemos? Um sistema só é suficientemente bom quando ele consegue se defender dos ataques externos ou internos, evitar que suas partes sejam utilizadas em proveito de poucos espertalhões. Sem isso, não adianta o SUS ser bonito, o resultado será sempre pífio.

 

Exemplo desses desvios (matéria de 16/05/2011):

PF prende 59 por desvios na saúde; 6 são presos no PR

Além do Paraná, os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia são alvo da ação da Polícia Federal

Seis pessoas foram presas no Paraná em uma operação contra fraudes em licitações para a compra de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS), na manhã desta segunda-feira (16). A ação foi desencadeada pela Polícia Federal e pela Controladoria-Geral da União (CGU). Os mandados de prisão no estado foram cumpridos em Santa Helena, São Mateus do Sul, Agudos do Sul e Ventania. A PF cumpriu ainda um mandado de busca e apreensão na sede da prefeitura de Matinhos, no litoral do Paraná. Todos os mandados no Paraná já foram cumpridos.

Além do Paraná, os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia são alvo da operação da PF. No total, são 64 mandados de prisão e 59 deles foram cumpridos, de acordo com informações do balanço da PF divulgado no fim da tarde desta segunda. Foram 25 no Rio Grande do Sul, seis no Paraná, três em Santa Catarina, 18 no Mato Grosso, seis no Mato Grosso do Sul e uma em Rondônia. Dentre os investigados, 30 servidores públicos municipais já foram presos e três estão foragidos. Outros três investigados ligados às empresas também estão sendo procurados. Todos os 70 mandados de busca emitidos foram cumpridos.

Segundo a PF, os investigados atuavam no desvio de verbas públicas destinadas pelo Governo Federal para a compra de medicamentos por prefeituras. Os remédios deveriam ser distribuídos entre as populações carentes.

A assessoria de imprensa da prefeitura de Matinhos informou que os documentos apreendidos estavam relacionados com a compra de medicamentos e as licitações feitas no município. As primeiras informações da prefeitura davam conta de que a PF apreendeu documentação da gestão de 2005-2009 e também da atual.

Leia mais: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1126331

 

Concordo plenamente com a Rita, quando ela informa que os usuários de planos particulares, quando o procedimento é mais complexo e caro, os mesmos terminam apelando para o SUS. Tenho uma amiga que por mais de 20 anos pagou um plano de saude particular e agora já na terceira idade precisou fazer uma cirurgia complexa e de alto risco, e diante da recusa do seu plano de saude, apelou para o SUS, foi otimamente atendida, operada por médicos competentes e hoje, graças ao Deus Desconhecido, recuperou sua saude. E esta pessoa era uma dos milhões de criticos ao SUS e hoje fala de "boca cheia" que está viva graças a ele. E este é somente um dos inúmeros casos mais ou menos iguais, que eu tenho conhecimento. Eu sou filiado ao UNIMED e posso afirmar sem medo de cometer qualquer tipo de injustiça; o atendimento médico desta empresa , pelo menos no ambulatório, é pior do que o do SUS. A maioria são médicos jovens e recem formados, enfrentam uma carga horária sobrecarregada, quando estão atendendo no hospital são forçados a atender consultas normais entercaladas com a correria do atendimento no pronto socorro, quando chegam pessoas vítimas de todos os tipos de acidentes. Não é por nada que os médicos contratados pelos planos de saúde sempre estão insatisfeitos e ameaçando greves plenamente justificadas, pois pelo que eu sei, eles recebem mais ou menos 15 reais por consulta.

 

                                                           AlceuCG.

 

Como usuaria do Sus eu nunca tinha parado, para refletir sua abrangencia,lembrando dos atendimentos que tive em momentos mais criticos o Sus é de se orgulhar,o que percebo que suas falhas e conteção de atendimento esta diretamente ligada a prefeitura.Não é pegação no pé,o atendimento postos municipais aqui em São paulo pioraram,desde que o Kassab relegou sua administraçao para a chamadas Oss,que no caso é o Santa Marcelina.

Minha primeira gravidez em julho de 2007 pré natal pelo SUS uma  consulta por mês,exames de sangue e urina,só nao fiz o Ultrasson,por que não aguentei esperar pois o que mata é demora então fiz no particular é um exame de valor baixo.

Minha segunda Gravidez atualmente,pré natal no mesmo posto agora administrado pela Os Santa Marcelina.Para começar as consultas não são só com medico agora esta assim um consulta com enfermeiro outra com o medico,quando fui buscar o resultados do exame ja com a consulta marcada cade os exames desapareceram,isso é geral de quase todas as mamães tinha acontecido a mesma coisa,fora  os prontuarios que tambem somem.marcação de consulta tirando o meu caso que é pre natal é  só daqui 3 meses,e são consultas sem complexidade com clinicos ou pediatras,ah com os pediatras esta do mesmo jeito uma consulta com enfermeiro e outra com o médico.

Caso tenha algum amigo médico ou que trabalhe na area da saúde aqui no blog ,poderia me esclarecer se é admissivel, é legal,qual a vantagem de se fazer consultas com enfermeiros,dado que enfermeiros não prescrevem remédios e até aonde eu seu não podem pedir encaminhamentos para exames ou especialistas.Na minha visão é apenas uma redução de custo

com o salario de um médico você contrata 2 enfermeiros.

 

Sem dúvida falta a conscientização de que todos somos usuários do SUS em algum momento de nossas vidas. Apesar dos problemas que precisam ser corrigidos, o atendimento universal de saúde oferecido pelo SUS é motivo de orgulho para os brasileiros.

 A Universidade Aberta do Brasil (UAB) oferece cursos de especialização gratuitos para profissionais de saúde, à distância e com encontros  presenciais em polos espalhados pelo País, organizados por universidades públicas e supervisionados pelo MEC. Ela se propõe a formar gestores qualificados para o SUS, capacitando-os para  lidar com questões econômicas - incluindo o financiamento público da saúde - e administrativas. Para quem quiser conhecer a UAB e o curso de gestão em saúde:

http://mecsrv70.mec.gov.br/webuab/

http://portaluab.unifesp.br/cursos/gestaosaude

http://www.uab.fmb.unesp.br/proposta_pedagogica.asp

 

Ainda sobre a saúde pública no Brasil, um relatório importante sobre as conquistas do SUS, publicado pela revista médica The Lancet (em português). O arquivo pdf vai abaixo.

 

Precisei fazer exames (não tenho plano de saúde) aqui em Betim - sangue, urina, eletrocardiograma - em 30 dias fiz tudo. Enfrentei algumas filas mas nada absurdo. É verdade que exames mais complexos são mais demorados e que a saúde, como disse o ministro Temporão antes de sair, é subfinanciada. É auspicioso ver defesa de nosso sistema de saúde - o mais democrático do mundo.   

 

Pois é Walden, aqui em Florianopolis é assim: exame de sangue, urina etc você consegue um encaminhamento com 20 dias. Já um eletrocardiograma demora em torno de dois meses e se você desgraçadamente precisar de um ultrasom, esqueça! Estou desde 14 de março esperando por um encaminhamento e até hoje nada! Fui informado no posto que tem pacientes em situação de URGENCIA esperando por um simples ultrasom ha NOVE MESES e até hoje nada! E olha que Florianopolis não é nenhum capital pobre não... 

Lamentavelmente é o que acontece com o Programa Brasil Sorridente. Nesse caso em especial é uma tragédia! O cidadão que depender do programa perde os dentes por falta de atendimento, pois a demora é SECULAR! Para se ter uma idéia, na cidade de Joinville que é o 3º maior polo industrial do sul do Brasil. A região produz 18,9% (valor adicionado fiscal) do PIB global do estado de Santa Catarina, com uma população de  515.250 habitantes em 2010, segundo fontes do IBGE, tem atendendo a toda população do municipio DOIS, VOU REPETIR DOIS ESPECIALISTAS em endodontia contratados pela prefeitura para atender ao programa Brasil  Sorridente e a toda população do municipio.

O que eu acho mais grave em tudo isso é o fato de que as deliberações das CONFERENCIAS MUNICIPAIS, que nunca teem o APOIO DOS MINISTÉRIOS PUBLICOS [pelo menos eu nunca vi um promotor em uma] são ignoradas pelas gestões. É como se as conferencias fosse apenas para comprir um protocolo de gestão e que a voz da comunidade, seus anseios e deliberações não fossem sequer relevantes. Isso tem acontecido, creio,  em todo Brasil. Infelizmente.

 

Que estranho, aqui no hospital onde eu trabalho em Belo Horizonte, eu consigo um ECG, ultrassom, exames laboratoriais de toda natureza e até TC (tomografia computadorizada) sem o menor problema. E para o espanto geral até no mesmo dia. Basta solicitar. E digo mais, é um hospital público de referência em muitos atendimentos na capital. Em alguns hospitais particulares por exemplo não há profissionais na minha especialidade.

 

Puxa!!! Parece aquelas matérias com quadrado em volta da folha na VEJA!

 

O SUS é um tesouro nacional sim. O problema que as vezes atropela essa grande ação são os gestores municipais. Eles LITERALMENTE DETONAM com os propósitos do SUS.  As gestões na ponta normalmente e com rarismas excessões é PÉSSIMA!

 

O SUS é um orgulho nacional, sem nenhuma sombra de dúvidas!

 

E se o SUS terminásse de um dia para o outro, como ficaria a questão da saúde pública no Brasil? Como era a prestação de serviços de saúde antes da criação do SUS em 1990? Alguém ainda se lembra do antigo INAMPS, que só atendia quem contribuísse para a Previdência Social?

 

Pois bem, o SUS é um dos melhores sistemas de saúde pública do mundo inteiro, mas tem que ser permanentemente aperfeiçoado e financiado. Algumas ações deveriam ser implementadas rapidamente para dar maior eficácia e abrangência ao SUS:

 

-Cobrança legal do ressarcimento ao SUS pelas seguradoras que se utilizam do sistema sem pagar um centavo sequer.

 

-Regulamentação da Emenda 29.

 

-Fim da DRU (Desvinculação de Receitas da União), que contingencia 20% dos recursos, em especial os da saúde. O governo federal recentemente acabou com o contingenciamento de 20% do orçamento (DRU) para os recursos vinculados à educação.

 

Viva o SUS!!!

 

Diogo Costa

Sou um destes usuários.

Considero excelente os serviços prestados se compararmos com o do sitema privado.

As críticas que possa haver contra o sistema público não são menores que as que podemos dirigir ao sistema privado.

 

Excelente artigo da trabalhadora e usuária do SUS. Tenho familiares que hoje estariam mortos não fosse a excelência dos tratamentos que o SUS lhes propiciou. Uma boa campanha de esclarecimentos à população acerca do Sstema Único de Saúde seria benvinda.

A grande mídia procura destruir o SUS diuturnamente. Ficam à caça de problemas, muitas vezes gerados por pessoas e instituições que nada têm a ver com o SUS, para procurar implodir esse magnífico serviço prestado pelo Estado brasileiro. Luta! É preciso lutar contra o PIG, fazer com que mostre a realidade, aquela que desvenda e esclarece a maravilha que é esse serviço. O SUS.

 

Grande matéria.

Concisa e esclarecedora.

A dona Rita de Cassia de Araujo poderia

vir mais vezes aquí.

 

Sou um destes usuários.

Considero excelente os serviços prestados se compararmos com sitema privado.

As críticas que possa haver contra o sistema público não são menores que as que podemos dirigir ao sistema privado.

 

Como profissional de saude, concordo com a visão do artigo que como disse o SUS é visto parcialmente . Ele sendo bem executado a saude estaria muito bem obrigado.Estudem-no sem preconceito.Profissionais mais novos olhem com carinho e não deixem de se enganar pelo canto da sereia.

 

Nassif gostei do texto, já copiei e mandei para alguns, que detonam o SUS.