newsletter

EUA: as campanhas políticas e os hábitos televisivos

No iG

Nos EUA, propaganda política se adapta a mudanças de hábitos televisos

Comitê de campanha de Mitt Romney busca persuadir eleitores que assistem à televisão online veiculando comerciais na internet

The New York Times 03/04/2012 07:02

O comitê de campanha do pré-candidato republicano Mitt Romney acredita ter encontrado uma solução para veicular sua propaganda política aos eleitores que assistem à televisão online: encontrar essas pessoas na internet e passar os comerciais ali mesmo.

Influência: Ted Kennedy ajudou a moldar carreira política de Mitt Romney

Em Wisconsin, que realiza sua primária republicana na próxima terça-feira, potenciais eleitores cuidadosamente selecionados verão dois comerciais de Romney em seus navegadores. Um deles mostrará uma mensagem positiva elogiando as credenciais econômicas e de negócios do candidato. O outro é um anúncio criticando Rick Santorum como um político tradicional de Washington, capaz de comprometer suas crenças mais fundamentais.

Foto: AP

Ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney é o favorito para conquistar a nomeação do partido

O comitê de Romney e uma equipe de analistas de comportamento online passaram 18 meses vasculhando dados sobre os hábitos de navegação de dezenas de milhões de usuários de computadores para criar um banco de dados ricamente detalhado de potenciais apoiadores do candidato.

Em vez de comprar anúncios em sites específicos, a campanha de Romney vê maior valor na compra da audiência - que permanece anônima, identificada apenas por um código numérico - que é construída através de uma cuidadosa análise e modelagem do comportamento online.

"Somos agnósticos em relação ao site e voltados a um só público", disse Zac Moffatt, diretor digital da campanha de Romney. "Não me importa que site estão usando. Eu estou em busca de uma única audiência."

Impulso

A campanha começou a identificar os potenciais eleitores que têm grande probabilidade de votar em Romney, mas precisam de um pouco mais de persuasão. Em Wisconsin, essas pessoas verão os anúncios na rede com a mensagem positiva sobre a liderança econômica de Romney, mas não aquele que zomba de Santorum.

O grupo que o comitê designou como aquele que pode ser persuadido foi montado através de uma pesquisa online com milhares de eleitores sobre sua filiação partidária e posições sobre as principais questões políticas. A partir dessas respostas, a empresa de estratégia de campanha digital Targeted Victory reduziu o grupo de pessoas que interessariam à campanha: 18 anos ou mais, com tendências republicanas e uma grande insatisfação com o atual governo.

Usando o histórico de navegação na internet de pessoas que se encaixam nesse perfil, a Lotame, uma empresa de análise de audiência contratada pelo comitê, usa algoritmos para encontrar outros usuários que possam ter os mesmos sentimentos políticos com base em seus históricos de navegação.

Ao longo do caminho, a campanha de Romney aprendeu algumas características comuns de seus partidários. Eles tendem a gostar de fazer questionários online em sites de notícias e entretenimento. Eles gostam de compartilhar fotos. E eles estão interessados em temas como tecnologia, literatura, reformas domésticas e filhos.

iG explica: Entenda como funcionam as eleições americanas

Mas é igualmente importante saber se uma mensagem não será levada em consideração. Nesse caso, a campanha descobriu certas características que tendem a ser associadas com pessoas que não respondem a anúncios de Romney. Por exemplo, o seu comportamento online mostra que elas estão interessadas em vídeo e jogos de casino, boliche, artes marciais e jazz.

*Por Jeremy W. Peters

Sem votos
3 comentários

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+3 comentários

As primarias tem HORAS de cobertura diaria, nem precisa propaganda.

 

Acho que ele eh o candidato perfeito pros EUA.  Ainda nao tem favela suficiente por aqui.

Que nao reste duvidas:  so um favelado intelectual e politico sairia catando pedacos de personalidades e comportamentos pra agradar...  vide Serra e a ultima eleicao brasileira.

Pessoalmente?  Eu quero que ele me beije a bunda -meu comportamento favorito, adooooro quando politico me beija a bunda, especialmente se for lunatico de direita...  Vou me comportar "evangelico" na internet daqui pra frente so pra esperar esse beijo...  (eh a maneira mais facil e rapida)

Mas tem que ser na bunda.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

(sinto muito por quem nao entendeu mas nao tem traducao:  "beijar bunda" que dizer "puxar saco")

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.