Revista GGN

Assine

Globo deve explicação à sociedade matogrossense

Por Mauro segundo 2


Nassif, talvez essa aqui te interesse: Globo grava reportagem sobre corrpução na assembléia de mato grosso, que não vai ao ar no Fantástico...que na edição local, segundo o manifesto de uma ong contra a corrupção, é recheada de propaganda...da assembléia de mato grosso:


A Rede Globo de Televisão e o repórter Eduardo Faustini devem uma explicação à sociedade matogrossense. Ong Moral quer saber por que o Fantástico escondeu reportagem sobre Geraldo Riva.



O Movimento Organizado pela Moralidade Pública e Cidadania, mais conhecido como Ong Moral, divulgou nesta quinta-feira o seguinte comunicado:


http://paginadoenock.com.br/a-rede-globo-de-televisao-e-o-reporter-eduar...


CARTA ABERTA À REDE GLOBO DE TELEVISÃO


O Movimento Organizado pela Moralidade Pública e Cidadania – Moral, vem manifestar seu apoio à campanha da Rede Globo com denúncias sobre corrupção apresentadas no programa Fantástico.


A importância desse tipo de denúncia vem compensar a falta de atividade legislativa no país, onde em todos os níveis não existe fiscalização dos atos do executivo. Assim, as propinas azeitam as milionárias campanhas políticas e as trocas de favores por cargos são tão comuns que o povo vive desesperançado.


No estado de Mato Grosso a grande mídia faz um silêncio pavoroso quando o assunto são as denúncias de quem ordena despesas para campanhas publicitárias que são um escândalo. Só a Assembléia legislativa em 2010 usou de 18 milhões do erário para comprar o silêncio da maioria dos veículos.


Por isso vimos pedir que a Rede Globo esclareça ao povo de Mato Grosso e do Brasil, porque em dezembro de 2010 deixou de levar ao ar uma reportagem feita pelo "repórter sem rosto" Eduardo Faustini sobre os processos que envolvem o presidente da Assembléia Legislativa, deputado José Riva, acusado pelo Ministério Público de desviar, em valores atualizados, cerca de meio bilhão de reais dos cofres públicos.


O repórter da Globo, acompanhado de um militante da Ong Moral, com veículo locado pela entidade, foi a Campo Verde onde entrevistou os contadores que montaram as empresas fantasmas. No cemitério em Várzea Grande filmou o túmulo do homem que depois de morto assinou cheques recebidos da Assembléia. O repórter conversou com promotores que promoveram as ações e reuniu-se também com um grupo de dirigentes do Moral, quando as informações foram complementadas.


Porém, na noite do domingo quando todos sentaram à frente da televisão para assistir a reportagem do Fantástico, o que se viu foram quatro inserções de propaganda da Assembléia Legislativa e nada sobre as acusações ao deputado. A reportagem nunca foi ao ar.


O repórter Faustini passou a não atender as ligações em seus telefones, não dando nenhuma explicação para o silêncio da Rede Globo ante as graves denúncias. Enquanto os boatos nos meios jornalísticos e políticos davam conta que a negociação do silêncio envolveu a soma de 10 milhões de reais.


Não acreditando nos boatos, a direção da Ong Moral enviou uma carta ao Diretor de Jornalismo da emissora no Rio de Janeiro, Carlos Henrique Schroder, sem obter resposta. A falta de esclarecimento é um desrespeito inclusive aos profissionais sérios do jornalismo desta emissora que atuam em todo o país.


Como é sabido, o deputado José Riva responde a mais de cem processos, entre ações civis públicas e ações penais, que patinam nos meandros do nosso Poder Judiciário. Para se manter no comando do legislativo local por 17 anos, gasta em média 1,5 milhão de reais por mês com propaganda, emprega fantasmas e loteia favores para acomodar a maioria do seus pares calados e acovardados.


A Rede Globo de Televisão e o repórter Eduardo Faustini devem uma explicação à sociedade matogrossense. O melhor seria a apresentação a reportagem guardada, cujo assunto continua atual. Se aqui em nosso estado uma reportagem sobre corrupção, carregada de provas robustas foi engavetada, quantas mais pelo Brasil terão o mesmo destino?


Cuiabá, 30 de março de 2012.


Assinam os diretores da Ong Moral:


Ademar Adams


Cláudio Fim


Roberto Vaz da Costa


Gilmar Brunetto

Sem votos
14 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+14 comentários

É o que eu também pergunto: Por que? Por que? Por que... a reportagem não foi exibida pela Globo?

 

Quanto a globo levou nessa para fazer o que mais sabe, omitir.

Quantos balcões de omitir ou não existem na globo, veja, folha................................

Deve dar uma grana boa.

 

rede globobo de televisão é aonde reside o perigo!

tv globobo é a imagem do cão! 

 

Explicação ao Mato Grosso?

Só?

Merece mesmo é um tribunal capaz de condenar crimes como lobotomia coletiva e outros menos cotados como a fabricação descarada de notícias.

 

uma homenagem à belíssima foto da "garotada da cinelandia no rio".

Que sejam afastados de nós todos os silêncios sobre os torturadores mas também aqueles seletivos da grande mídia.

Re: Globo deve explicação à sociedade matogrossense
 

A Rede Globo não faz jornalismo... Faz chantagem!

 

Na mosca!

 

Nassif, talvez essa aqui te interesse: Globo grava reportagem sobre CORRUPÇÃO na assembléia de mato grosso, que não vai ao ar no Fantástico...

 

Não havia entendido, até verificar uma incoordenação entre os meus indicadores direito e esquerdo ao catar milho no teclado, onde o "p" saiu antes do "u". Obrigado pela relevante contribuição ao debate, caro Bruno.

:-P

 

"Enquanto os boatos nos meios jornalísticos e políticos davam conta que a negociação do silêncio envolveu a soma de 10 milhões de reais".

Algumas perguntas mórbidas: como foi a divisão dessa grana entre o  pessoal da Globo? Quem  ficou com a parte do leão? O felizardo pretende declarar este "extra" ao imposto de renda?

É... O Brasil é, sem dúvida, uma terra de oportunidades.

 

se a ong depende do fantástico póde fechar as portas que nem deveriam estar abertas provavelmente com ajuda da própria grobo que repassa parte do bôlo do silêncio.

 

Editorial da Grande Mídia.

Os jornalões, revistões e televisões, frente à sórdida campanha de difamação que estão sofrendo por alguns setores inconformados com a defesa que fazemos da democracia, veem a público esclarecer o seu pensamento por meio deste editorial.

Os meios de informação alternativos tentam desestabilizar o país porque não sabem conviver com aqueles que fazem jus a usar um bom perfume francês, e por isso nós os chamamos de esgoto, perfumes que são comprados por trabalhadores honestos quando não conseguem ganhá-los de brindes por favores prestados e que são os fieis frequentadores das nossas páginas.

Nesta tentativa de desestabilizarem o país atingem nossos meios tradicionais de informação inventando mentiras e fazendo achaques, baseados em informações passadas por fontes suspeitas e sem aprofundamento nas averiguações, na busca da verdade, se importando tão somente a atacar a reputação dos nossos colaboradores.

Quando defendemos o não uso de algemas nos mais ricos estamos apenas zelando pela idoneidade moral, por sabermos, antecipadamente, da inocência e dos bons costumes do banqueiro, da empresária e dos dois políticos que deram origem à decisão do STF contra as algemas, por acreditar que os nossos financiadores são pessoas decentes, que suam e trabalham para sustentarem aqueles que são preguiçosos e não quiseram estudar e trabalhar para se tornarem igualmente ricos.

Achincalham nossos jornalistas quando estes retratam que “o presidente Lula é o responsável pelos engarrafamentos nas cidades por ter popularizado o automóvel pelo crédito, ou o outro que fez um simples comentário em “off” que vazou e que ele demonstrava uma real preocupação com os lixeiros afirmando que “ que merda, dois lixeiros desejando felicidades, do alto de suas vassouras, ou mesmo quando alguns comentaristas afirmaram que o Brasil atravessava um “tsunami”. Esses colaboradores ao defenderem claramente o que nós pensamos e o que pensa os nossos financiadores foram impiedosamente massacrados pelos blogs sujos, quando tiveram a intenção de proteger os nossos cidadãos nos seus direitos de ir e vir prejudicados pelos engarrafamentos provocados pelos carros daqueles que deveriam ir à pé para o seu trabalho para a sua própria saúde já que malhar faz bem à saúde. Sobre o “tsunami”, também fomos mal interpretados pois a nossa intenção era demonstrar que a crise no mundo poderia atravessar o oceano e atingir os nossos financiadores.

Quando apoiamos Collor, mesmo manipulando informações, a nossa intenção era a de que ele fizesse “uma limpa” nos marajás, para que sobrassem apenas uns poucos e que com isso seríamos beneficiados com ainda mais verbas que sobraria no caixa do governo. Com mais verbas poderíamos aumentar a nossa penetração levando as nossas informações corretas para um maior número de leitores. Não podemos aumentar a nossa distribuição gratuita pois já estamos no “limite da irresponsabilidade”. Ao invés disso ele nos traiu, quando não quis aumentar o nosso caixa e por isso o derrubamos. Tudo feito para garantir a democracia dos meios de comunicação já que nós, sendo monopólio de informações, deveríamos deter toda a verba do governo e como o apoiávamos deveríamos ter o nosso caixa aumentado. Afinal, é de conhecimento público que “uma mão lava a outra”.

Quando apoiamos FHC foi porque acreditamos que um acadêmico, que fala francês fluentemente, nos governaria bem melhor do que um reles torneiro mecânico, além do que, qual a imagem que teriam nossos financiadores, empresários governados por um homem rude, da plebe. O mundo poderia pensar que nossos financiadores e a grande imprensa eram incompetentes para manipular a mente da sua população e o resultado das eleições. Seria uma grande vergonha.

Mais recentemente, nos criticaram porque não divulgamos satisfatoriamente a desocupação de Pinheirinho e os processos no judiciário sobre a lei da “ficha limpa” e a competência do CNJ. Aqui, os blogs sujos cometem uma intolerância, característica deles ao contrário do que exercemos, e um desconhecimento da nossa linha já que não fazemos matérias sensacionalistas. Para que levarmos ao conhecimento público uma carnificina provocada apenas contra uma comunidade invasora de terreno alheio e estimada a apenas 6.000 á 9.000 moradores. Como demonstrar que os nossos financiadores estavam envolvidos nesta remoção? Estão querendo muito, né? Os problemas brasileiros são muitos e não poderíamos deixar faltar espaço para a divulgação de matérias que interessam ao nosso ideal e a dos nossos financiadores. Em relação à “ficha limpa” e ao julgamento da competência do CNJ, esses são assuntos que interessam apenas aos nossos leitores que já estão satisfeitos com a proteção que recebem desses envolvidos, portanto não nos caberia alertar a sociedade sobre essas problemáticas.

Outra má fé dos blogs sujos e seus seguidores é quando comentam que não nos preocupamos senão com os nossos leitores e financiadores. Isso é outra grande farsa. O que pensamos e divulgamos é que o Brasil sempre esteve muito bem. A grande imprensa, que representamos, continua de grande qualidade. O Brasil há muito está entre as dez maiores economias do mundo. Temos a maior Transamazônica do mundo. Temos a maior ponte Rio – Niterói do mundo. Temos a maior hidrelétrica de Itaipu do mundo. E tudo isso realizado nos governos militares. Por isso apoiamos a “ditabranda” que foi um movimento democrático vencedor e que defendeu apenas que o Brasil continuasse grande e não fosse destruído pelos “comedores de criancinhas”, comunistas e terroristas, sabotadores da nossa tão boa vida adquirida desde os tempos de colônia.

Recentemente nos acusaram de não dar repercussão as denúncias contra os senadores Demóstenes e Agripino, mais a verdade é que nossos opositores não sabem que esses que fazem parte de uma elite muito pequena é que alimentam os nossos veículos com mentiras sensacionalistas e sustentam as nossas vendagens obrigando os governos que fazem parte de suas siglas a comprarem nossos jornais e revistas como acontece, por exemplo, em São Paulo, que é de conhecimento de todos. Eles são nossos sustentadores, por isso damos visibilidade aos seus pensamentos, que coadunam com os nossos, e ignoramos tudo o que se refere aos seus possíveis desvios de conduta.

Por isso somos contra qualquer tipo de mudanças.

Isso é o que pensamos, e é o editorial da nossa grande imprensa.

http://assisprocura.blogspot.com.br/2012/02/editorial-da-grande-midia.html

 

Bravo! Bravo! Bravo!

O Professor Hariovaldo, o grande mestre, fazendo escola...

 

Nunca acontecera nada com a globo. o ibope ,instituto desacreditado em varios paises diz que ela é a lider e . politicos do pt inclusive à temem ,nao existe concorrente ,nada vai acontecer ,ja foram tantos escndalos e nada