Revista GGN

Assine

Não existe respeito em São Paulo

De DoLaDoDeLá

Não existe amor em SP

 


do SINTUSP(*)

Na madrugada do dia 31 de outubro, centenas de policiais militares com cavalaria, cachorros e viaturas da Rota invadiram a comunidade São Remo - vizinha à USP, que existe há mais de 40 anos e, onde moram mais de 13 mil pessoas - arrombando casas de trabalhadores muitos dos quais funcionários efetivos e terceirizados da USP.

Uma companheira, funcionária da USP, que teve sua porta arrombada, pelos coturnos dos soldados, pediu o mandado judicial e recebeu dois tapas, no rosto, de um policial que gritava: - está aqui!. Em várias outras casas, os policiais quebraram móveis, eletrodomésticos e, quando os moradores protestaram dizendo que eram trabalhadores, ouviram dos policiais que quem mora na favela e não paga IPTU é bandido.
 
Todas as entradas e saídas da São Remo foram fechadas, os trabalhadores que imploravam para que os deixassem sair, pois entravam no serviço às 7 horas, ouviram a mesma frase: - quem mora junto com bandido que mata polícia, é bandido também, e deve ser mandado embora do emprego mesmo.

A creche da comunidade, que funciona no Circo Escola, foi intimada pelos policiais a fechar e quando alguém argumentou que precisava comunicar aos pais das crianças, ouviu como resposta: - fecha já.

É bom lembrar que a comunidade São Remo está sendo ameaçada de despejo, pelo reitor da USP, já há algum tempo, o que já motivou manifestação de protesto em frente à reitoria, com muitas centenas de pessoas, organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores da USP, Associação dos Moradores do Jardim São Remo, DCE da USP, com apoio da Adusp.

O 16º Batalhão da PM, construído em terreno da Universidade de São Paulo, fica ao lado da comunidade São Remo e da própria USP.
Lembramos ainda que a USP contratou, sem concurso público, 3 coronéis da PM para comandar a Guarda Universitária e está militarizando o campus.
A PM de São Paulo, que está agindo em toda a grande São Paulo de forma semelhante ao que fez na comunidade São Remo, está integrada ao crime organizado ou, recebendo dividendos do tráfico e roubo de todas espécies.
É só recordar de quantos policiais militares estão sendo presos em flagrantes nos roubos com explosão de caixas eletrônicos dos bancos, usando dinamites do exército.
Nessa guerra aberta e não declarada, tem polícia e milícias de ambos os lados, bandidos fardados e à paisana e, a maior parte das vítimas são trabalhadores, jovens e crianças, que nada têm a ver com o crime ou a repressão.

* Sugestão de Boris Vargaftig
Sem votos
25 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+25 comentários

É pois o correto é invadir o terreno alheio e não pagar impostos. o certo é montar barraquinha na calçada e os cidadãos andarem na rua. o certo é mamar na teta do governo em troca de voto. ----- estamos perdidos. CADA POVO TEM O POLITICO QUE MERECE!!!!

 

FORÇA RODAS! O INFERNO É CONTIGO, IRMÃO!

 

Aí STF, apliquem o domínio de fato no Alckmin e pena nele! Ops, mas tucano já tem pena né? Só não têm pena do povo...

 

Fascismo. Puro e simples.

 

Violência: a forma como os policiais se auto-destroem

 

A vida de policial é muito difícil. Uma grande parcela deles desenvolve problemas psicológicos graves. Alcoolismo, consumo de drogas, depressão, problemas sérios com esposa e filhos, etc. Comparado com o resto da sociedade, os policiais tem mais problemas psicológicos. Já tratei de vários deles, e aprendi muito sobre alguns comportamentos que os destroem. Sugiro que leiam o texto abaixo, depois coloco minha experiência: "Na madrugada do dia 31 de outubro, centenas de policiais militares com cavalaria, cachorros e viaturas da Rota invadiram a comunidade São Remo - vizinha à USP, que existe há mais de 40 anos e, onde moram mais de 13 mil pessoas - arrombando casas de trabalhadores muitos dos quais funcionários efetivos e terceirizados da USP.

Uma companheira, funcionária da USP, que teve sua porta arrombada, pelos coturnos dos soldados, pediu o mandado judicial e recebeu dois tapas, no rosto, de um policial que gritava: - está aqui!. Em várias outras casas, os policiais quebraram móveis, eletrodomésticos e, quando os moradores protestaram dizendo que eram trabalhadores, ouviram dos policiais que quem mora na favela e não paga IPTU é bandido".  Continue lendo Quero discutir esta triste situação sob a ótica da saúde mental dos policiais.  Qual a origem social destes policiais: a mesma das pessoas que eles agrediam livremente. Eles desqualificam estas pessoas, que poderiam ser seus parentes, amigos ou filhos. Cria-se um condicionamento mental: a agressividade deve ser direcionada para aqueles que são como eu - um "lixo".  Agressividade mais auto-desqualificação atua na mente destes profissionais gerando alta dose de ansiedade e angústia.  Quem treina para usar a agressividade em um momento da vida, aprende a gerar a agressividade em todos os momentos. É como diz uma frase atribuída a Nietzsche: "a pessoa belicosa em momentos de paz briga com ela mesma".  Atribuo grande parte do sucesso dos tratamentos que fiz com policiais ao descondicionamento da agressividade dirigida às pessoas mais humildes. É a melhor forma deles aprenderem a não cultivar as várias formas de agressividade na vida cotidiana. Policial deve ter autoridade. Sem isso, não há como trabalhar. Outra coisa é o autoritarismo, que é o primeiro incentivo para a perda de controle na hora do trabalho e em outros momentos. Todo policial deve ser treinado para ser educado, firme e delicado. É a melhor forma de controle do stress e a melhor forma de gerar um vínculo positivo com as pessoas (o que facilita seu trabalho). Não existe contradição entre ter autoridade e ser educado, firme e delicado. A primeira passo é se defender. O policial de índole agressiva, que se auto-desvaloriza, costuma se colocar em risco. Vou dar um exemplo: o policial para um carro. Vai até a porta e manda o sujeito sair do carro, intimida, etc. Se o sujeito tiver uma arma nem dá tempo dele reagir. Ele acha que sua postura agressiva o protege, mas é o oposto. O policial que gosta de si faz assim: para o carro e, se protegendo, manda o sujeito sair do carro. Ao ter certeza que não há risco para si, manda delicadamente o sujeito virar de costas, para ser revistado educadamente. São várias proteções anti-stress: se defender, ser delicado, ser educado, etc. A autoridade deve ser preservada, sem ela não há serviço bem feito. Este mecanismo de PROTEÇÃO MENTAL é extremamente importante para toda a sociedade. Principalmente para os mais pobres, que sofrem mais abusos e para a polícia e seus familiares. Seria muito mais fácil capturar bandidos se a população tivesse um laço mais profundo com a polícia. Haveria uma rede de informação muito mais eficiente. Seria mais fácil capturar estes assassinos que tem matado policiais, aqui no estado de SP. Todos sairiam ganhando, pois onde a educação, a delicadeza e o respeito prevalecem é mais fácil de trabalhar - justamente porque o stress diminui muito e a racionalidade/eficiência aumenta. Esta filosofia tem sido vitoriosa em vários casos que atendi. Uma vida melhor para os policiais, suas famílias e mais eficiência no combate ao crime. Todos somos seres humanos e todos merecemos viver bem, felizes e satisfeitos. O respeito e o controle da agressividade é parte fundamental desta conquista. O que você acha? Comente, sua opinião é muito bem vinda. Fonte: Psicologia Racional  http://www.psicologiaracional.com.br/2012/11/policiais-auto-detroem.html  

 

Qualquer cidadão de bem repudia este comportamento autoritário da polícia, mas por que não citaram no texto que foi encontrado um QG do tráfico no local, que contava inclusive com um tunel que desembocava dentro da USP, tunel este que servia tanto para a comercialização de drogas quanto para o trânsito e fuga dos traficantes?

 

Vejam o absurdo, uma policia descreditada, que anda de braços dados com o crime, invadindo casas de trabalhadores que já não tem nada. Porque não vão preender os colarinhos brancos, vereadores, deputados que não servem para absolutamente nada a nãoi ser atrapalhar e há anos roubam a população sem lhes dar o que garante a constituição: educação de qualidade, saude de qualidade, oportunidades. Agora querem o extermínio dos pretos e pobres. Eu penso que é hora dessa gente responder pela prática de crimes contra a humanidade. 

 

"A PM de São Paulo, que está agindo em toda a grande São Paulo de forma semelhante ao que fez na comunidade São Remo, está integrada ao crime organizado ou, recebendo dividendos do tráfico e roubo de todas espécies".

acho que depois disso não dá pra levar o texto a sério...

 

Ontem houve uma batida, digo Operação conjunta da PM/PC aqui em SP.,  deixando histéricos os apresentadores dos programas policiais da tarde, e mostravam que a policia educadamente ia entrando, pedindo licença, verificando documentos, mostrando a comunidade , á impressão que dá é que filmam e mostram o que interessa...

 

Essa é a polícia do cristão Opus Dei Geraldo Aikimico.

 

Caco

talvez a policia da Bahia que ficou meses em greve por causa do governo petista pudesse ensinar como se faz ser respeitada?

talvez a policia mais corrupta do Brasil, a do Rio pudesse mostrar como funciona a lei do Cabral-Delta ?

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Isso resume bem o (des)governo tucano no nosso estado. É desalentador. Gostaria MUITO que a polícia fizesse nos Jardins, em Higienópolis e no Palácio dos Bandeirantes a mesma coisa que faz em favelas e comunidades carentes. Uma vezinha só.

 

DILMA DE VOLTA E ELEIÇÕES GERAIS PARA ESSE CONGRESSO GOLPISTA!

DIRETAS JÁ É CHANCELAR O GOLPE!

se quer ser processado porque usa nick e não seu nome real?

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

É assim... policiais que agem desse modo, quando bandido executa, bandido vira justiceiro.

 

E vcs acham que é só em SP no RS e a mesma coisa e o governador Tarso Genro se faz de "nem é comigo".

 

A guerra civil foi deflagrada em São Paulo pela polícia militar, contra negros, favelados e gente simples que moram em regiões  afastadas dos bairros nobre da capital. As mortes de policiais quando não estão de serviço foi a resposta do crime organizado (PCC) aos abusos cometidos por  autoridades, como por exemplo extorsões,  execuções sumárias, espancamentos e torturas que  acontecem com muita frequência na grande São Paulo.  Mais da metade dos presos em flagrante, ou suspeito de praticar crimes,  antes de chegar ao distrito policial são humilhados, espancados e torturados pela polícia militar, quando não executam sumariamente o acusado e depois registram a ocorrência como resistência a prisão.  


No  discurso o governador  do estado e secretário de segurança pública,  procuram camuflar o que vem acontecendo, dizendo que nas estatísticas o índice de homicídio em SP baixou; que a polícia está no caminho certo, fazendo um bom trabalho prendendo  bandidos e suspeitos de fazer parte de grupos responsáveis por atentados contra a polícia. 


Mas na prática o que acontece de verdade é que grupos de extermínios muito bem articulados e com armas de grosso calibre estão agindo nas regiões onde policiais estão sendo mortos. Ou seja,  cada vez que um agente do estado abatido fora do serviço,   várias pessoas indefesas são executadas  em resposta  ao crime organizado, como aconteceu em 2006, cujos assassinatos naquele  período até hoje não foram solucionados, até  porque  o governo do estado, secretaria de segurança pública e poder judiciário não têm interesse em investigar e punir um agente público que faça parte de grupos de extermínio que estão agindo livremente em SP.  

 

P A T E T A!

texto retrô do companheiro funcionario da USP e de uma babaquice sem fim, a PM invadiu um local onde criminosos se misturam com trabalhadores e somente vagabundos de esquerda não tem vergonha em defender esses bandidos e ofendendo os trabalhadores dizendo de bandidos são tabalhadores!

esse sintusp foi contra a policia quando iniciou o combate da venda de drogas na USP e agora novamente reclama quando a policia ataca a base dos traficantes, não seria de se perguntar porque tanto ze-lo e defender esse grupo?

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Ja que voce ja conhece a historia inteira, quais sao OS NOMES dos bandidos que se misturarm com trabalhadores, dos TRABALHADORES que se misturaram com bandidos, dos PMS que nao se misturaram com bandidos, e A COR DA PELE DE TODOS ELES?

 

A guerra que existe é contra os pobres, entre traficantes e policiais o que se tem é um acerto de contas.

 

ué, mas foi só o STF condenar donos de bancos, de agencias de publicidade, presidentes e lideres de partido e ministro que vcs petistas questionaram o direito do STF de condenar esse tipo de gente!!!!  afinal e para prender todos os criminosos ou somente os criminosos que vcs deciderem que devem ser presos?

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Quem nao reagiu esta vivo.

 

A SOLUÇÃO PARA ESSAS MAZELAS ESTÁ NO VELHO

Conselheiro Acácio diria, segundo o Nassif: 

"O PSDB precisa de idéias novas, ainda que vindas de pessoas idosas, que substituam as idéias velhas de velhos de todas as idades que dominam o partido".

Ou seja, só o mofo salva.

 

Vencendo vem FHC

 

Se o acontecido foi como relatado , estamos muito mal de escola de formação de cabos e soldados , alias de educação familiar tambem, o respeito e a boa formação vem do lar .     Ninguem pode chegar batendo desacatando assim , tem algo muito errado ai , mesmo que fossem bandidos , a forma de agir não é esta.  Nem se imagina que pessoas preparadas para manter a ordem pública tenham atitudes tão radicais , ou nossa sociedade esta profundamente doente ou isto tudo é uma grande farça .     

 

Vivemos uma guerra não declarada entre milicias, bandidos e policiais corruptos em São Paulo.

No meio disso tudo fica a população menos assistida.

 

"Não existe testemunha tão terrível, nem acusador tão implacável quanto a consciência que mora no coração de cada homem." Políbio

A populacão não fica no meio disso tudo. Fica à margem , tomando tiro perdido . 

Quem fica no meio , olhando tudo com cara de otário , é o Governador , uma verdadeira rainha da Inglaterra !