newsletter

Navio argentino está retido em Gana

Libertad presa por dívida 

Do Vermelho Não

A fragata Libertad da Armada Argentina está retida em Gana. O navio escola foi impedido de deixar o porto em Tema por ordem judicial. O arresto foi pedido pelo fundo abutre NML Capital. Para a liberação do navio é preciso depositar uma fiança de US$ 20 milhões. Coisa que o governo argentino se negou a fazer.

Exigem pagamento no valor de US$  284 milhões mais juros pelos títulos argentinos que possuíam. Os abutres não aceitaram a renegociação da dívida imposta no início da década passada pelo governo durante a maior crise econômica vivida pelo país. O impasse até o momento resultou nas demissões do chefe da marinha, o almirante Carlos Alberto Paz, e da diretora de inteligência da arma, Lourdes Puente Oliveira, dentre outras autoridades.



Está é uma história repleta de humilhações, ganância e mau cheiro. Humilhação da República Argentina. Um navio militar retido em um porto do quarto mundo e não tem a menor condição de fazer com que retorne por meios próprios. A rainha K. é a responsável direta por esta página vergonhosa. A arrogância e os rompantes da suprema mandatária dentro das fronteiras são mais fracos que miados fora delas. Recorreu aos países que possuem marinheiros nesta viagem para obter apoio diplomático. Brasileiros, chilenos, uruguaios, venezuelanos, peruanos, sul-africanos e pasmem: bolivianos e paraguaios. Junto com os argentinos estes também estão retidos desde 02 de outubro. Os credores "gentilmente" ofereceram aos hóspedes à força na aprazível nação africana o repatriamento às suas custas.

NML Capital é um dos muitos fundos abutres que existem no planeta. Sua única missão é o lucro pelo lucro. Sua existência não produz um único prego, um grão de cereal ou que quer que seja. Especulação pura e simples. Apenas a reprodução do dinheiro, sem nenhuma preocupação com os efeitos dos seus "investimentos" no mundo real. A ganância desenfreada.

O mau cheiro exala da Corte Superior de Comércio de Gana. Embora tenha perdido várias ações judiciais em muitos países nenhum tribunal, seja ele americano, inglês, suíço, etc, determinou a apreensão de bens pertencentes à Argentina. Até chegar ao excelentíssimo Richard Agyei-Frimpong. Ele prontamente atendeu ao pleito e determinou o apresamento do buque. A justiça de Gana reeditou as velhas cartas de corso. Mais uma vez os beneficiários diretos são verdadeiros piratas. A ganância vence em Gana.

 

Sem votos
13 comentários

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+13 comentários

Acho que deveríamos enviar alguns ministros do STF para Gana, em comitiva chefiada por JB, GM, Fux, Rosa Weber, Collor, assim resolveríamos dois problemas: ficaríamos livres dos espetáculos midiáticos e os ganeses receberiam a nata das natas do Judiciário.

 

    Este acontecimento é por demais podre, com sérias suspeitas de suborno, que levaram a queda do comandante da marinha argentina, e hj. do chefe da inteligãncia naval.


     Pois apesar desta viagem anual de instrução, comumente classificada nos meios navais com "diplomacia de intercambio", já levava meses, e o ARA Libertad (Q2), é um veleiro conhecidissimo mundialmente, inclusive tendo recentemente participado de visitas a portos norte-americanos, europeus, basta dizer que há um mês atrás, estava em Lisboa, para um desfile naval.


      O mais interessante é que nenhum porto ganês encontrava-se listado na rota do ARA Libertad, suspeita-se que ele lá fundeou, alegando alternativa, por que militares argentinos já sabiam que tal fato ocorreria, portanto teriam sido subornados.


      Este veleiro fabricado em na década de 50, remodelado em meia-vida na década de 80, não vale nem mesmo 20% da divida reclamada, mas sua importancia histórica e o conceito que representa na Armada Argentina, é imenso.

 

junior50

"não vale nem mesmo 20% da divida reclamada, mas sua importancia histórica e o conceito que representa na Armada Argentina, é imenso":

ABAIXO A IMPORTANCIA HISTORICA!  AFUNDEM ESSA PORCARIA AGORA E JA!

 

abusando dos remedios de novo não é mesmo????

 

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

 Arresto, no Cód. Civil Brasileiro, o navio é considerado um bem imóvel

 

Seção I 
Do Arresto 


 Art. 813. O arresto tem lugar: 

I - quando o devedor sem domicílio certo intenta ausentar-se ou alienar os bens que possui, ou deixa de pagar a obrigação no prazo estipulado; 

II - quando o devedor, que tem domicílio: 

a) se ausenta ou tenta ausentar-se furtivamente; 

b) caindo em insolvência, aliena ou tenta alienar bens que possui; contrai ou tenta contrair dívidas extraordinárias; põe ou tenta pôr os seus bens em nome de terceiros; ou comete outro qualquer artifício fraudulento, a fim de frustrar a execução ou lesar credores; 

III - quando o devedor, que possui bens de raiz, intenta aliená-los, hipotecá-los ou dá-los em anticrese, sem ficar com algum ou alguns, livres e desembargados, equivalentes às dívidas; 

IV - nos demais casos expressos em lei. 

Art. 814. Para a concessão do arresto é essencial: 

I - prova literal da dívida líquida e certa; 

II - prova documental ou justificação de algum dos casos mencionados no artigo antecedente. 

Parágrafo único. Equipara-se à prova literal da dívida líquida e certa, para efeito de concessão de arresto, a sentença, líquida ou ilíquida, pendente de recurso, condenando o devedor ao pagamento de dinheiro ou de prestação que em dinheiro possa converter-se. (Lei 10.44/02) 

Art. 815. A justificação prévia, quando ao juiz parecer indispensável, far-se-á em segredo e de plano, reduzindo-se a termo o depoimento das testemunhas. 

Art. 816. O juiz concederá o arresto independentemente de justificação prévia: 

I - quando for requerido pela União, Estado ou Município, nos casos previstos em lei; 

II - se o credor prestar caução (art. 804). 

Art. 817. Ressalvado o disposto no art. 810, a sentença proferida no arresto não faz coisa julgada na ação principal.

Art. 818. Julgada procedente a ação principal, o arresto se resolve em penhora. 

Art. 819. Ficará suspensa a execução do arresto se o devedor: 

I - tanto que intimado, pagar ou depositar em juízo a importância da dívida, mais os honorários de advogado que o juiz arbitrar, e custas; 

II - der fiador idôneo, ou prestar caução para garantir a dívida, honorários do advogado do requerente e custas. 

Art. 820. Cessa o arresto: 

I - pelo pagamento; 

II - pela novação; 

III - pela transação. 

Art. 821. Aplicam-se ao arresto as disposições referentes à penhora, não alteradas na presente Seção.

 

Fundo abutre, tucano, etc.

E daí?

O fundo é dono do crédito e não aceitou a renegociação unilateral argentina, um direito seu reconhecido por TODOS tribunais.

O arresto, uma consequência.

A vida é assim, cheia de abutres.

 Vivem na Argentina, Brasil, Somália, EUA.. etc.

Não fossem os abutres argentinos, à época, e a Argentina não seria alvo de outros, hoje.

Novela é na Globo.... a Carminha vai.... sei lá, mas vai!

 

Jorge,

Desde que Cristina Kirchner interveio na YPF, dando um basta àquele assalto praticado durante anos por um grande grupo espanhol, a imprensa internacional não a deixa sossegada, só divulgando notícia ruim sobre a Argentina.

A mesma imprensa que noticia o sequestro desta fragata jamais fez menção aos navios europeus, carregados de lixo hospitalar, radioativo e industrial, para lançá-los no mar territorial da Somália. Foi esta irresponsabilidade européia que deu origem aos piratas da Somália, uma das mais interessantes tergiversações da imprensa mundial nos últimos anos.   

Em minha opinião, esta atitude do governo de Gana, talvez a primeira no gênero nos últimos 30 anos, pode estar sendo incentivada por um ou mais de um governo estrangeiro, pois o conceito de globalização se aplica a tudo e “o mar não tá prá peixe” para muitos países, quem sabe para algum (ou mais de um) que possa se considerar prejudicado pelo governo argentino neste momento. As declarações do rei caçador na época da Repsol servem como exemplo.

Outra possibilidade para o bloco de notícias ruins é a atuação da quadrilha do Clarin, às vésperas de ver seu reinado escafeder-se pelas mãos da presidenta.

Um abraço 

 

será que estão sabendo na argentina, afinal de contas a lei dos medios e muito vaga!!!!

 

"A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela." MAX FRICH

Blaya e seu inefável gorilismo. Essa notícia já é velha e foi noticiada por tudo que é jornal, desde, obviamente, o Clarin até o Página 12 e El Argentino. Há muitas coisas erradas em Argentina, más neste caso a Cristina não tem culpa nenhuma. Na realidade a única culpa deve ser do pessoal da armada, devidamente demitido. Aonde já se viu um país com dificuldades gastar dinheiro em viagens intercontinentais com um navio que apenas deveria servir de museu ?

Qual é o aprendizado em marinha de guerra que um marinheiro de um veleiro pode aproveitar para um moderno navio de guerra ? Nenhum. 

Como argentino, espero que os marinheiros sejam devidamente repratiados e o navio seja devidamente afundado no porto de Gana, assim os reclamantes (e o juiz subornado) tem alguma dor de cabeça com as autoridades de Gana para a remoção do lixo resultante.  

 

      Apenas suborno ou até traição ?


      A rota do ARA Libertad (Q2) esta disponivel no site da armada argentina, e sabedores da possibilidade de ações judiciais, o navio passou por apenas portos da América do Sul, Portugal (Lisboa), Espanha (Cadiz e Las Palmas), na Africa: Senegal, Tema (Ghana), Luanda, Africa do Sul, Brasil, Argentina.


       O comandante foi informado da possivel intervenção caso aportasse em Tema, devendo portanto passar ao largo de Gana e dirigir-se diretamente a Luanda, mas ou ignorou a ordem ou não a recebeu, tanto que hj. o chefe da inteligência naval da armada argentina foi demitido e será investigado por sua atitude.

 

junior50

Quanto a Corte Superior de Comércio de Gana exportemos alguns magistrados para que eles possam ter a dimensão da verdadeira "justiça"!


 

no popular isso é conhecido como SEQUESTRO