newsletter

Pular para o conteúdo principal

O desgaste do DEM, por obra de Demóstenes. E o futuro?

Do UOL / Eleições 2012

Após desgaste com saída de Demóstenes, DEM mira eleições de olho em possível fusão

Maurício Savarese

Do UOL, em Brasília

A oitava bancada da Câmara dos Deputados. Apenas quatro senadores. Somente uma governadora de Estado. Dois escândalos de corrupção recentes. Ex-todo-poderoso do Congresso, ainda sob o nome de PFL (Partido da Frente Liberal), o Democratas passa por uma crise de representatividade. Às vésperas de uma eleição municipal, que poderia redimir a legenda, não faltam integrantes mais ansiosos por uma eventual fusão com o aliado PSDB do que por crescer nas urnas. 

O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), um dos raros expoentes do DEM sem vínculo com famílias tradicionais, deixou o partido “com rumo frouxo” –nas palavras de um dos seus dirigentes. Pego em conversas suspeitas com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, o senador tinha expectativas de ser candidato a presidente em 2014, o que poderia ajudar o partido a retomar dias melhores no Congresso por conta da exposição nacional.

....

   CONHEÇA A HISTÓRIA DO DEM, SEUS FIGURÕES E NÚMEROS

  • Arte UOL

    Clique na imagem e navegue pelo infográfico

 

Agora, admitem membros do DEM, o cenário mais provável é de tentativa de fusão com o PSDB após as eleições municipais. “A diferença deve ser na forma”, disse um parlamentar da legenda que não quis se identificar. “Se o [deputado federal] ACM Neto ganhar a eleição em Salvador, se José Serra se eleger prefeito com um vice nosso, o cenário é um. Se isso não acontecer, as condições devem ser mais difíceis. Quando um partido fica muito maior que o outro, as condições para quem entra são piores.”

Para Luciano Dias, do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos (Ibep), os escândalos de Demóstenes e do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda –envolvido no esquema do mensalão do DEM–, deixaram a sigla “com uma marca difícil de apagar em tão pouco tempo”. “A justificativa de que o DEM expulsa seus corruptos não serve nas eleições. É uma estratégia errada na qual o partido apostou há tempos. E está pagando agora. As pessoas querem saber de gestão”, disse.

Dez frases de Demóstenes Torres, antes e depois da crise  

Foto 1 de 10 - "É intolerável sob qualquer critério que o presidente utilize a estrutura funcional do Congresso para cometer crimes", afirmou o senador ao criticar o colega Renan Calheiros, acusado de cometer irregularidades, em 2007 Mais 09.out.2007 - Lula Marques/Folhapress

Foto 2 de 10 - "Defendo sempre a expulsão sumária", disse o senador Demóstenes Torres sobre o então governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, envolvido em 2009 no escândalo do mensalão do DEM Mais 23.jun.2009 - Lula Marques/Folhapress

Foto 3 de 10 - "O presidente da República, na realidade, é o pizzaiolo, e a pizza vem sendo servida pelos senadores do Conselho de Ética", afirmou Demóstenes sobre o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e as pressões que fez para evitar a saída do presidente do Senado, José Sarney, em 2009 Mais 02.set.2009 - Sergio Lima/Folhapress

Foto 4 de 10 - "A imagem do Senado, hoje, é a de um pau de galinheiro", disse o senador Demóstenes sobre a crise envolvendo o então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em 2007 Mais 18.jul.2007 - Joel Silva/Folhapress

Foto 5 de 10 - "Realmente, os políticos estão perdendo a vergonha na cara", disse Demóstenes Torres em 2007 ao criticar o colega Renan Calheiros (PMDB-AL) Mais 12.jul-2007 - Uéslei Marcelino/Folhapress

Foto 6 de 10 - "Aqui não é Fla x Flu, é uma Casa de leis", disse Demóstenes Torres ao trocar farpas com o senador Pedro Simon (PMDB-RS) sobre a candidatura do senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) à presidência do Senado Mais 14.out.2008 - Sergio Lima/Folhapress

Foto 7 de 10 - "Podem me grampear à vontade, não vão encontrar nada, isso não vai me intimidar", afirmou Demóstenes Torres ao subir na tribuna do Senado para se defender das acusações sobre relacionamento com Carlinhos Cachoeira Mais 6.mar.2012 - Lula Marques/Folhapress

Foto 8 de 10 - "Não faço parte nem compactuo com qualquer esquema ilícito, não integro organização ilegal nem componho algo do gênero", disse o senador Demóstenes Torres (GO), então no DEM, em seu microblog Twitter durante as acusações sobre seu envolvimento com Carlinhos CachoeiraMais 27.mar.2012 - Sergio Lima/Folhapress

Foto 9 de 10 - "Nada fiz para envergonhar o Senado", disse o senador sobre a atual crise que enfrentaMais 21.mar.2012 - Sergio Lima/Folhapress

Foto 10 de 10 - "Diante do pré-julgamento público que o partido fez, comunico a minha desfiliação do Democratas", disse o senador ao anunciar sua desfiliação do DEM Mais 20.mar.2012 - Lula Marques/Folhapress


A saída de Demóstenes fez os principais líderes do Democratas repetirem o discurso feito na época de Arruda. “O partido não está acuado, está aliviado”, disse o presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), nesta semana. “Os outros escondem debaixo do tapete. Veja o PT com o mensalão. Nós temos coragem de lidar de frente. Todo integrante que for pego em atos ilícitos será expulso. Pagaremos esse preço.”

Oficialmente, Maia não admite a fusão com o PSDB. Caso ela aconteça, o novo partido teria 80 deputados –menos apenas do que o PT. Pode não ser o suficiente diante de uma avassaladora base aliada da presidente Dilma Rousseff, mas pode criar um grupo mais coeso na tentativa de retomar o Palácio do Planalto em 2014.

Em 2011, em sua convenção nacional, o PSDB incumbiu Serra de liderar um processo que pode levar a fusão dos tucanos com o DEM e com o PPS, mais à esquerda. Desde então o projeto não evoluiu, à espera das eleições municipais deste ano.

AS ESCOLHAS DE DEMÓSTENES

OPÇÕES  PRÓ  CONTRA
Renunciar ao mandato Sai do foco político, o que pode aliviar as enxurrada de denúncias contra ele Pode ficar inelegível até 2027 por conta da Lei da Ficha Limpa, perde o foro privilegiado no STF e passa a responder criminalmente na Justiça de Goiás
Perder o mandato por infidelidade partidária Sai do foco político, mas mantém a imagem de ter lutado por seu cargo até o final. Neste caso, não é enquadrado na Lei da Ficha Limpa, com isso, pode ser eleito já em 2014 Perde o foro privilegiado no STF e passa a responder criminalmente na Justiça de Goiás. O Senado, porém, pode decidir continuar o processo de cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar. Seria algo incomum, mas não inédito
Licenciar-se do mandato Sai do foco político por 120 dias, mantém o foro privilegiado e espera que as denúncias esfriem com a aproximação das eleições municipais Continua respondendo processo no Conselho de Ética do Senado e, se cassado, pode ficar inelegível até 2027
Responder ao processo no Conselho de Ética do Senado Mantém a imagem de que lutou pelo cargo e, mesmo que condenado no conselho, ainda pode escapar da cassação no plenário do Senado, onde a votação é secreta Continua no foco político e, se condenado, pode ficar inelegível até 2027 por conta da Lei da Ficha Limpa
Renunciar e assumir o cargo de procurador de Justiça de Goiás Sai do foco político e, mesmo perdendo o foro privilegiado no STF, passaria a responder às denúncias no Tribunal de Justiça de Goiás, foro mais qualificado que a Justiça comum Pode ficar inelegível até 2027 por conta da Lei da Ficha Limpa
  • Fonte: "Folha de S.Paulo" e "Blog do Fernando Rodrigues"

 

Declínio antecipado

O professor Cláudio Couto, da FGV (Fundação Getúlio Vargas), acredita que o declínio do Democratas já estava previsto desde antes dos escândalos. “Isso é ruim para o cenário político brasileiro. Falta uma direita orgânica, porque a que temos é a patrimonialista, que é predadora do Estado e vai do PMDB para a direita. O DEM poderia ocupar esse espaço. Mas não ocupa”, afirmou.

O partido que já teve o senador Marco Maciel (PE) como vice-presidente da República hoje sofre para emplacar um companheiro de chapa na provável composição com Serra para buscar a prefeitura de São Paulo. Em 2008, a sigla perdeu quase 40% dos seus prefeitos, ficando com 501. Depois do surgimento do PSD (Partido Social Democrático), criado por sua ex-estrela, o prefeito paulistano Gilberto Kassab, esse número ficou em 395, segundo dados da Frente Nacional dos Prefeitos.

A sigla, que na reeleição do presidente Fernando Henrique Cardoso somava 105 deputados, derreteu para 84 na votação de 2002. Quando Luiz Inácio Lula da Silva foi reeleito presidente, em 2006, encolheu para 65 parlamentares na Casa. Ao longo do segundo mandato do petista no Palácio do Planalto, chegou a 56 –muitos deles migraram para siglas satélites do governismo como PR, PTB, PP e PMDB. 

Quase três décadas atrás, os fundadores do Democratas militavam no autointitulado “maior partido do Ocidente”, a Arena (Aliança Renovadora Nacional, sigla de sustentação do Regime Militar). Na fase democrática, a legenda tinha o vice-presidente e, em 1998, era a maior do Congresso, com 105 deputados e 18 senadores.

Sem votos
7 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+7 comentários

Como diz o outro, vamos combinar...

Partido q acha q pode fazer uma dobradinha "Filhinha do Garotinho + Filhinho do César Maia" para prefeito do Rio de Janeiro perdeu um pouco o senso de realidade...

Sai nas pesquisas iniciais com algum recall mas na hora do vamos ver, não dá nem para sindicatura de prédio no leblon...

O ruim dessa viagem dos caras é q a única mercadoria de valor q sobra para a oposição é mesmo o já conhecido berro de "isca!!" contra qq progresso social. E nessa promiscuidade entre eles e a grande imprensa decadente o "isca" fica o tempo todo no alto-falante, atrapalhando as perspectivas de melhora do país. 

Tem uns por aí q jogam esse jogo conscientemente. Ainda q soe pomposo, é bom lembrar q a História não os perdoará.

 

O 247 acaba de confirmar: o esquema do cachoeira chegou ao STF, ou melhor na mesa do GM.


Exclusivo: ação chegou ao gabinete do ministro Gilmar Mendes, do STF, no mesmo dia em que o contraventor foi preso; magistrado deve se pronunciar sobre recurso contra legalização dos caça-níqueis em Goiás; réus são a Gerplan, de Cachoeira, e o Estado de Goiás, no qual governador Marconi Perillo decretou o resgate da videoloteria à legalidade

http://brasil247.com/pt/247/poder/52503/Gilmar-avalia-processo-estratégico-para-Cachoeira.htm


 


 

 

"ação chegou ao gabinete do ministro Gilmar Mendes, do STF, no mesmo dia em que o contraventor foi preso; magistrado deve se pronunciar A FAVOR DA legalização dos caça-níqueis em Goiás"...

Ja nao resta sombra de duvida, alias.

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Alguem pode esclarecer o caso de renuncia, por favor?  O texto diz:

"Pode ficar inelegível até 2027 por conta da Lei da Ficha Limpa, perde o foro privilegiado no STF e passa a responder criminalmente na Justiça de Goiás":

Alguem antes de ontem disse que ele nao perde foro prililegiado por causa do trabalho dele na justica, e alem disso quem vai ser responsavel pelo processo contra ele eh o irmao dele (ou coisa parecida).

Esperando mais explicacoes...

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

ivan

ele tem, como senador, foro privilegiado no STF.

Renunciando e assumindo o seu cargo no MP de Goiás, ele passa a ter o foro privilegiado dos integrantes deste órgão, que é o Tribunal de Justiça de Goiás.

 

As estratégias previsíveis:

1) Sumiço da mídia, vide José Agripino, nos últimos dias nem no RN é mais citado, e a mídia do Rio Grande do Norte é simplesmente uma das mais safadas de todo o Brasil, as famílias proprietárias de jornais e TV's (Maia, Alves, Rosados) se comportam como verdadeiras facções mafiosas, lá o pacto de silêncio pra manter os feudos é levado às últimas consequências;

2) A tática gradativa do camaleonismo, quem sabe uma mudança de discurso e de foco, uma guinada, por ex., para o "desenvolvimento ecologicamente sustentável" ao invés dessa hipócrita cruzada anti-corrupção;

3) Sacramentada a fusão, se houver, um nome que nem de longe lembre tucanos ou araras azuis, lembremos que a linha de tempo resumida da sigla dos DEMOcratas é: UDN - ARENA - PDS - PFL - DEM, quem tem menos de 30 anos dificilmente liga o nome ARENA, e seu papel histórico de sustentação política da ditadura militar, a personagens como Demóstenes ou Bonhausen;

 

País da piada pronta : o maior corrupto da atualidade se gabando de ter assinado a CPI da corrupção. Vi no Conversa Afiada e trouxe pra cá :

http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/04/08/cerra-assinou-demos...

http://www.demostenestorres.com.br/

cpi