newsletter

O estranho buraco no prédio do ABC

Por A. Alvaro Guedes

Foi um meteoro que atingiu prédio no ABC?

Estranho - um furo do teto até o subsolo, com uma forma circular, a ferragem das armações das lages cortadas como o impacto de algo muito veloz - como uma bala de arma de fogo num bloco de isopor.

Do JT - 26/09/2011

‘Bola de fogo’ mata 1 e fere 7

(Foto: Leo La/EFE) Casas e comércio foram destruídas

“Uma bola de fogo que vinha do céu”. Esta foi a descrição dos moradores de Monte Grande, distrito do município de Esteban Echeverría, na Grande Buenos Aires, sobre a luz que ofuscou dezenas de pessoas às 2 horas da madrugada desta segunda-feira.

Na sequência, escutaram uma forte explosão. Ao sair de suas residências, assustados, viram que duas casas e um estabelecimento comercial haviam sido arrasados. A explosão matou Silvia Espinoza Infante, de 43 anos, além de ferir outras sete pessoas. “Parecia uma cena de bombardeio”, explicaram os moradores.

Três automóveis estavam de ponta-cabeça, cobertos de escombros. A onda expansiva da explosão quebrou e rachou vidros em um raio de 400 metros. Nos minutos seguintes à explosão – segundo depoimentos dos moradores – os automóveis não funcionavam.

Durante a tarde, as autoridades ainda não haviam sido encontrados uma explicação para a explosão. No entanto, astrônomos argentinos não descartavam que poderia tratar-se de um pequeno meteorito do tamanho de uma bola de futebol ou de um televisor.

Incógnita

A divulgação de duas fotos amadoras que mostravam de forma difusa o clarão da “bola de fogo” no céu aumentou as especulações sobre o caso. Por precaução, as autoridades enviaram uma equipe para medir os níveis de radiação. “É uma incógnita”, declarou Lucia Sendon, diretora do Planetário de Buenos Aires. “Seria necessário encontrar algum vestígio, se isto fosse o resultado de um meteorito. As probabilidades de que uma coisa assim aconteça são baixas…mas existem”.

Outras hipóteses indicavam que poderia ser o resto de algum satélite espacial ou de outro tipo de “sucata espacial”. “No entanto, não deveriam ser restos do satélite americano que caiu na madrugada do sábado sobre o Oceano Pacífico, já que isso ocorreu 48 horas antes da explosão em Esteban Echeverría”, sustentou Mariano Ribas, coordenador de astronomia da mesma instituição.

A hipótese de uma explosão de gás na parte interna das casas foi descartada, já que os botijões que estavam dentro das residências estavam intactos entre os escombros. “Não foi uma explosão de gás”, sustentou o chefe do corpo de bombeiros, Guillermo Pérez.

O prefeito de Esteban Echeverría, Fernando Grey, visitou ao lugar do acidente poucas horas depois da explosão. “Não quero entrar em hipóteses”, respondeu quando os jornalistas lhe perguntaram sobre a possibilidade de um meteorito ou um satélite. “Mas, posso dizer que foi uma desgraça”, afirmou, enquanto caminhava ao lado dos escombros.
Ariel Palácios, de Buenos Aires

Do Opinião de Notícia 24/06/2010

Meteorito: Pedra do espaço cai sobre casa de agricultor carioca

Americanos dizem ser um meteorito. Há 19 anos não era descoberto um objeto desse tipo no Brasil.

Uma pedra que pode ser um meteorito apareceu dentro da casa de um agricultor no município de Varre-Sai, no Noroeste Fluminense, no último sábado, 19. O material ainda será analisado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas norte-americanos já afirmam se tratar de um objeto do espaço.

A análise foi feita por meio de uma fotografia. A pedra seria um condrito, um tipo rochoso que mantém intactas as mesmas características que tinha antes de chegar à Terra. Há 19 anos que um meteorito não é descoberto no Brasil.

O agricultor Germano da Silva, que encontrou a pedra, contou que um grande clarão apareceu no céu. “Vi umas nuvens cor de rosa rodando, deu uma explosão e clareou tudo, depois foram mais três explosões menores”, conta ele.

O meteorito encontrado tem 12 centímetros de diâmetro e pesa 600 gramas.

Média: 5 (3 votos)
69 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+69 comentários

     Adorei o comentário da Vera...Mas não é estranho.O X37-B é equipado e confirmado como arma dos americanos.Os canhões de iôns,foram publicados em sites, como  O Inovação Tecnológica.Simples!!! Na Fazenda Tonini,na cidade de Itamaraju-BA,o cafezal ,foi queimado por uma luz forte ,vinda do céu.

 

Acho que alguém colocou uma piscina de plástico, daquelas de 2.000 litros, na laje da cobertura, e deu no que deu !

 

eu  conheço , este  prédio  ,  é  imovel  bem construído ,  e este  buraco em todas  as  lajes , é  muito estranho e nada natural , eu  estava  próximo do local  quarta feira por voltas das19,30 horas , tudo isto aconteceu em  2 segundos , o que aconteceu não é nada natural .

 

vamos perguntar a os maias... ou a nasa,infelismente nao sabemos de nada.

 

é  verdade , eu estava  próximo do prédio ,localizado na rua Indico  , 30  centro de São Bernardo , devo dizer  que o prédio é  bem e com todas as normas de segurança , o fato ocorreu por voltas  19,30 horas de quarta feira  dia  8/02/2012 ,  em  2 segundos tudo aconteceu , vindo abaixo 12 lajes (sólidas) e  o formato do furo , é como se fosse do tatusão do metro, emfim  o fato merece maiores estudos , foi muito incrivel, Vandel  

 

 Alguém poderia explicar os danos no prédio? Infiltração?? Quer dizer que os escombros da cobertura tiveram massa e velocidade suficiente  para perfurar o andar abaixo daquela forma quase circular? E todos andares subsequentes foram perfurados da mesma maneira, mesmo somando os escobros de cada um deles na queda?? Digo perfurados, porque temos seções de lages redondas no local? Havia a mesma infiltração eecorrendo por todos os andares e nada foi notado antes do "desabamento"? Será queali havia alguma parte do prédio, algum duto, que foi modificado, como uma lixeira, por exemplo. A planta da construção será verificada. Infiltração? Caixa d'água? Não teriam deixado vestígios, umidade, nas bordas de cada andar e impregnada nos destroços que se acumularam no térreo? Lixo espacial orbita a terra e teria que cair em ângulo acentuadamente agudo em relação à Terra, não? Teriam deixado vestígios também ao longo dos andares. A não ser que fosse um objeto extramamente maciço como um meteorito metálico! Um siderito de uns 50 cm explicaria a trajetória e os danos? Alguém notou alguma bola de fogo no céu? Seria possível a fachado do prédio e as vidraças das janelas, ali tão próximas, ficarem intactas com o delocamento de ar? A energia cinética não provocaria uma explosão quando do choque lá no térreo. Foi paulatinamente desacelerado por cada andar? E a cratera? Um mini-Tunguska? 

 

Não sei o que causou esse buraco no edifício, mas já ví uma BOLINHA DE PAPEL causar um estrago tão estranho quanto esse....

 

Alan Carvalho

Não vão achar vestígios de nada. Nem de meteoro, nem de bombas, nem de caixa dágua, nada. Já pensaram em HARPP? Os "manos" do Norte adoram brincar de "deuses" e isso não vai acabar bem. Tô esperando a "explicação" dos "especialistas".

 

Já vi gente indo mais longe... que tem projeto HAARP envolvido nisso... Enfim coisas estranhas mesmo,  no caso da Argentina ninguém mais falou, sobre esse buraco da Guatemala, por lá há material no solo à base de calcário que pode formar "abatimentos" como o que ocorreu em Cajamar SP, mas nunca ouvi falar que algum que tenha feito um poço perfeito tipo esse mas sei lá... lna Guatemala já teve um outro buraco e esse sim tinha caracteristicas de ser abatimento, mas até hoje essa história está confusa. Voltando a esse caso de São Bernardo ... aí tem coisa... sem duvida que a resposta está "enterrada" embaixo...

 

 

 

Vamos por partes:

 Teoria da conspiração

Como aconteceu algo parecido na argentina podemos supor que a Inglaterra começou a lançar mísseis contra os que se posicionaram contra a atracação de navios das Falklands.

Astronomia

Como caiu um meteorito de 12 cm (que se encontra na UFRJ), na mesma ocasião, e que fez um estrago danado na casa do agricultor no noroeste do RJ, podemos supor que a terra está atravessando uma área com resíduos cósmicos.

Engenharia

Um prédio que está de pé há mais de 30 anos e se desmancha caprichosamente nesta configuração  é muito estranho.

Tecnologia

Se restos de satélite americano caíram, na mesma ocasião no Pacífico podemos supor que partes se desprenderam e podem ter atingido estas regiões.

 A órbita de objetos que caem do espaço exterior é elíptica. Porém, contudo, todavia só a análise do fundo poderá dizer o que foi. O interessante e que não apareceu nenhum Instituto, ONG, Universidade, Órgão de Classe interessado em analisar o fundo do buraco... Estamos só por conta das especulações...

 

 

Especulação, por especulação, que tal um pulso de energia (sonora, luminosa, etc...) hyper coerente e concentrada, não deixaria vestígios  e teria necessariamente uma trajetória absolutamente linear, dissipando-se de forma imperceptível em um ambiente poroso, como o solo.

A tecnologia tem avançado muito no campo dos meta-materias que teoricamente podem concentrar energia luminosa e sonora para tal proeza, por outro lado, temos estas novas lanternas com lâmpada CREE LED que são verdadeiros holofotes de bolso movidos a três pilhas AAA, vai saber a tecnologia militar por onde anda nos dias de hoje.

 

Follow the money, follow the power.

Movie Spy Gear Could Become Reality Using Plasmonic Metamaterials

 

 

 

Posted by: Sarah

 

 

 

We’ve all seen it- that classic spy movie where the hero scales walls using a suction cup-like device. A more futuristic take on large suction cups is the use of smaller, gecko-like pads that are lighter, faster, and easier to use. Much spy gear was once thought impossible, but now, in today’s modern world devices out of movies can actually be created. Scientists in the UK have designed a material, called a plasmonic metamaterial, that has the potential to stick to smooth surfaces and let go on demand. The material has not actually been built and tested yet but if it works it could be used to create the artificial “gecko toes” seen in spy movies.

According to Physorg.com, a metamaterial is “a new class of artificial materials which derive their properties from carefully engineered, nanostructured building blocks rather than from their chemical composition.” The explanation went on to say that metamaterials could one day be used to make a multitude of things, from high-powered microscopes, advanced sensors, and improved solar cells, to computers run on light instead of electricity and invisibility cloaks. Now that’s a lot of potential!

This plasmonic metamaterial functions by making plasmons, or quantized oscillations of electron density that occur in a conductor, by shining light on a conducting material. This makes parts of the conductor positively charged and others negatively charged. If another surface, like a wall, is too close to the conductor there will be a strong attraction. The conductor has to be just right, however, not just a flat metal film.

Nikolay Zheludev and a team at the University of Southampton modeled a 2-D plasmonic metamaterial made up of a thin film of evenly spaced gold structures which acted as resonators. The team then simulated the metamaterial’s behavior when it was just tenths of a nanometer away from a nonconductive surface, specifically looking at what would happen if light was fired behind the metamaterial and traveled in between the two surfaces. The simulated results showed that the pressure of the light would bring them together, feeling a net attractive force. The attraction turned out to far stronger than expected, and would have to be strengthened by more than just the pressure of the light.

Zheludev explained that, “When you illuminate such a metamaterial structure with light, a lot of electromagnetic energy is trapped in the vicinity of the structure. We are talking about a distance that is less than the wavelength of light, so the density of trapped electromagnetic energy can become very high; and when you bring this structure close to the surface of something else, this trapped energy is affected by the presence of this other material. And in physics, a change in energy is always associated with a force.

The team has calculated that the net force holding the metamaterial to the surface would be enough to overcome the downward pull of gravity on the metamaterial, in theory, mimicking a gecko’s toe. Zheludev did warn that before we can produce these gecko toes, there must be a more efficient way to make plasmonic materials on a large scale. He believes that eventually this advancement will become possible.

After talking about forces and energy in class, I understand a lot more about this article. I do still have questions regarding plasmons. I decided to piece together the definition, starting with the word “quantized”. Wikipedia defines the word “Quantization”, stating it as “the process of explaining a classical understanding of physical phenomena in terms of a newer understanding known as quantum mechanics.” Oscillation is a “repetitive variation of some measure about a central value (often a point of equilibrium) or between two or more different states.” So plasmons are essentially the repetitive variation of electron densities that are measured in a conductor and explained through quantum mechanics!

My next question is on the application of the adhesive properties of this plasmonic metamaterial. Could it not be used to create super adhesive for industrial-sized parts, or even for green solutions, like solar panels, which can be hard to install in areas? Perhaps there could be stronger bungee cords, ropes, or ties to prevent accidents and keep people safer. While spy-like gecko toes would be fun- expensive- and possibly useful I believe other applications of this metamaterial would be more beneficial. I hope that someday we can develop the proper technology to produce and expand on this model.

Works Cited

Wogan, Tim. “Plasmonic metamaterials could make ‘gecko toes’.”Physicsworld.com. Physics World, 24 Jan. 2012. Web. 6 Feb. 2012.

“Plasmonic metamaterials: From microscopes to invisibility cloaks.”Physorg.com. PhysOrg.com, 21 Jan. 2011. Web. 6 Feb. 2012.

Wikipedia.org. Wikipedia, 2001. Web. 6 Feb. 2012.

ShareThis Create a free edublog to get your own comment avatar (and more!) 

 

Follow the money, follow the power.

Que bom, algumas pessoas também estão questionando essa fato...

Eu moro em Santo André e desde a notícia e das primeiras imagens pensei: - que coisa estranha, parece que algo que caiu do céu, ou seria correto dizer, do espaço?! Mas ninguém leva muita fé nisso, mas eu acredito que pode ser sim...e como escrito na postagem, parece um buraco de bala...como diriam os técnicos de medicina legal, um "ferimento" limpo, que não estragou tecidos, partes ao lado do impacto...sei lá, acredito que possa ser algo como um meteorito sim, pois é algo mais comum do que muitos pensam, só não é divulgado nas mídias a não ser que causem grandes estragos.

Abraços...

 

já falei mihares de vezes pro superhomem parar de beber, mas o cara não leva jeito, que droga!!!

vou conversar com ele de novo.

 

A vida é curta demais para se beber cerveja barata!!

 Frede69

O que eu ouvi falar mas NÃO TENHO 100% DE CERTEZA é que o buraco foi feito pela estrutura de fixação de um cofre. Parece que a tal estrutura cedeu puxando o teto e todos os outros andares.

 

 

Olhem nos cantos da parede... a laje q colapsou é um quadrado - olhem as vigas em volta - nos cantos sobrou laje fazendo uma diagonal pequena. Eu percebi q não tem ferragem projetada pra fora dessas vigas, o armador pode ter amarrado as ferragens da laje na viga fazendo um L de cabeça pra baixo. O q não segura nada - teria q ver uma foto de cima pra baixo - o buraco parece redondo mas é octogonal, os cantos não foram amarrados nos pilares e como a trama é ortogonal, fica uma sobra mesmo ali nos cantos fazendo uma diagonal pequena. Nessas condições, se uma laje colapsar por inteiro - força aplicada totalmente no centro dessa laje - e bater na de baixo de modo exato o q vai acontecer é o q se viu, uma quantidade de movimento crescendo linearmente em cada batida. Falo isso baseado na foto q vejo, teria q ver uma foto de cima pra baixo.

 

A ferragem da lage está toda cizalhada na interface da com a viga (numa análise leviana da foto). É uma foto bem estranha. Um um objeto tipo caixa d'agua circular só repetiria sua forma, se muito, na lage de apoio. O ET de varginha de mãos dadas com o macunaima construtor? Murphy na veia? Uma ruptura típica de laje? Acho que a perícia não vai muito além disto.

 

Na hipótese de ser um objeto não usual como um meteoro ou um artefato balístico, será que a mída mainstreem publicaria a verdade?

Qual é o tipo de notícia que não se noticia por provocar pânico e convulsão social fora das expectativas dos donos do poder?

Imaginar que se publica tudo, na minha humilde opinião, é extrema ingenuidade, qual os limites das redações? por favor, alguém que já trabalhou em jornal ou TV pode dar uma dica?

 

Follow the money, follow the power.

Será que isso;

http://www.zeit.de/wissen/2012-01/rosat-weltraumschrott

Wenn es Satelliten und Raketen regnet

Der deutsche Satellit Rosat hätte beim Absturz beinahe Peking getroffen. Wie groß die Gefahr durch Weltraumschrott ist, und was Forscher tun, um sie zu minimieren.

 

m ein Haar hätte der deutsche Satellit Rosat Peking getroffen. Diese Meldung vom Wochenende wirft erneut die Frage auf: Wie groß ist das Risiko, von Weltraumschrott getroffen zu werden? Eine Analyse des Kontrollzentrums der europäischen Raumfahrtagentur Esa in Darmstadt hatte ergeben, dass der am 23. Oktober abgestürzte Satellit Rosat in Chinas Hauptstadt eingeschlagen wäre, wenn er sich nur wenige Minuten länger in der Luft gehalten hätte.

Glück im Unglück, könnte man sagen. Und genau auf dieses Prinzip setzen die Raumfahrttechniker, die es immer wieder mit alten Satelliten oder Raketenstufen zu tun haben, die zur Erde zurückkommen. Ein Blick auf die Landkarte oder aus dem Flugzeugfenster macht indes deutlich, dass besiedelte Gebiete eine viel kleinere Fläche ausmachen als Wüsten, Wälder und vor allem Meere. Dementsprechend klein ist die Gefahr, dass ein Mensch durch die Trümmer zu Schaden kommt. Im Fall von Rosat lag die Wahrscheinlichkeit dafür bei 1 zu 2.200. "Solche Analysen beziehen sich auf alle sieben Milliarden Menschen der Erde", sagt Heiner Klinkrad, Experte für Weltraumschrott bei der Esa. "Das individuelle Risiko eines Einzelnen ist weitaus geringer und viel kleiner als andere Risiken des täglichen Lebens." Die Statistik gibt ihm recht. Bisher ist kein Fall belegt, wo kosmischer Schrott einen Menschen traf.

Bisher wurde noch kein Mensch von Teilen aus dem All getroffen

Doch das kann sich ändern. Immerhin treten pro Jahr zwischen 60 und 100 Tonnen Raumfahrtteile wieder in die Erdatmosphäre ein, wovon je nach Bauweise etwa ein Drittel die heiße Rückkehr übersteht und irgendwo aufschlägt. Darauf zielt das erste von mehreren Verfahren, mit denen Fachleute die Gefahr verringern wollen. "Man versucht heute bei der Konstruktion eher Werkstoffe mit geringer Schmelztemperatur zu verwenden, etwa Aluminium", sagt Klinkrad. Es schmilzt und so bleibt weniger Material übrig, das gefährlich werden kann.

Eine andere Idee, die gerade diskutiert wird, sind Servicesatelliten, die defekte Sonden einfangen und entweder in einen höher gelegenen "Friedhofsorbit" hieven oder gezielt zum Absturz bringen. Letzteres passiert übrigens schon heute mit Raumfrachtern wie dem ATV, das Material zur Internationalen Raumstation bringt und Monate später, gefüllt mit Stationsmüll, absichtlich in ein verkehrs- und bevölkerungsarmes Gebiet im Südpazifik gelenkt wird.

"Wir machen uns diese Gedanken nicht nur, um die Erde zu schützen, sondern auch, weil es im Orbit immer voller wird", sagt Klinkrad. 6.300 Tonnen Raumfahrtmaterial schwebten dort und es werde immer mehr. "Das bildet die Nahrung für Kettenreaktionen, deren Anfänge wir vielleicht schon sehen", sagt er und erinnert an die Kollision von zwei Satelliten im Februar 2009. Durch Zusammenstöße entstehen immer mehr Bruchstücke. "Das kann dazu führen, dass bestimmte Höhenbereiche in Zukunft nicht mehr nutzbar sind, weil zu viel Schrott umherfliegt", sagt Klinkrad. Vor allem die Zone zwischen 800 und 900 Kilometern, wo Fernerkundungs- und Wettersatelliten kreisen, sei gefährdet. Darum versuche man nun Missionen so zu planen, dass am Ende genügend Treibstoff bleibt, um die Satelliten auf Absturzkurs zu bringen. Damit Platz für neue Satelliten wird.

Erschienen im Tagesspiegel

(TRADUÇÃO- com goooooogle tradutor, desculpe a preguiça, mas acho que já dá para entender do que se trata);

Se estiver chovendo foguetes e satélites

 

O Rosat satélite alemão deixaria de funcionar quase bateu Pequim. Como é grande o perigo de detritos espaciais, e que os pesquisadores fazer para minimizá-los.

 

 

 

Por um fio de cabelo teria feito o satélite alemão Rosat Pequim. Esta mensagem de fim de semana novamente levanta a questão: Como é grande o risco de ser atingido por lixo espacial? Uma análise do centro de controle da Agência Espacial Europeia ESA em Darmstadt descobriu que em 23 Rosat satélite caiu em outubro embarcou na capital chinesa seria se ele tivesse mantido a poucos minutos no ar por mais tempo.

 

Bênção disfarçada, você poderia dizer. E só para colocar este princípio, os técnicos espaciais, que têm uma e outra vez a ver com satélites antigas e estágios de foguetes que voltam à terra. Um olhar sobre o mapa ou a partir da janela do avião, no entanto, deixa claro que a áreas povoadas área muito menor tornar-se como desertos, florestas e especialmente dos oceanos. Assim, é pequeno o risco de que uma pessoa entra no meio dos escombros a danos. No caso de Rosat a probabilidade foi para um 1 em 2200. "Estas análises referem-se a todos os sete bilhões de pessoas na Terra", diz Heiner Klinkrad, especialista em detritos espaciais na ESA. "O risco individual de um indivíduo é muito menor e muito menor do que outros riscos da vida quotidiana." As estatísticas provam que ele estava certo. Até agora, nenhum caso se prove, onde um homem encontrou sucata cósmica.

 

Até agora, nenhum homem de peças tiradas do espaço

 

Mas isso pode mudar. Depois de tudo, ocorrem todos os anos 60-100 toneladas de peças aeroespaciais volta para a atmosfera, dependendo da concepção do que cerca de um terço do retorno quente é longo e acessos em algum lugar. Em seguida, os primeiros alvos de vários métodos que permitem aos profissionais para reduzir o risco. "Tentámos hoje nos materiais de construção tendem a utilizar baixa temperatura de fusão, tal como o alumínio," diz Klinkrad. Ele derrete e continua a existir menos material que pode ser perigoso.

 

Outra idéia que está sendo discutido são serviço de satélite, as sondas de captura e do defeito de elevação ou em uma "órbita cemitério" maior ou trazer direcionados para falhar. O último aconteceu hoje com a forma como o cargueiro espacial ATV como o material para a Estação Espacial Internacional e leva meses depois, cheio de lixo da estação, é deliberadamente dirigido para uma área de tráfego e da população pobre no sul do Pacífico.

 

"Fazemos essas idéias não só para proteger a terra, mas também porque está sempre cheio em órbita", diz Klinkrad. 6.300 toneladas de material flutuante espaço lá e ele será sempre mais. "Esta é a cadeia alimentar de reações cujos inícios podemos vê-lo", diz ele e aponta para a colisão de dois satélites em fevereiro de 2009. Por colisões sempre produzem mais fragmentos. "Isso pode levar a certas faixas de altura no futuro já não são utilizáveis porque muito lixo voando por aí", diz Klinkrad. Em particular, a zona de 800-900 km, onde teledetecção e órbita satélites tempo, está em risco. Então agora nós tentamos planejar missões para que o final é combustível suficiente para levar o satélite para Crash Course. Abrir caminho para novos satélites.

 

Apareceu no espelho diariamente

 

 


 

Tem a ver com isso;

http://www.agora.uol.com.br/mundo/ult10109u981448.shtml


 

Bola de fogo cai e mata um na Argentina

 

Folha de S.Paulo

 

Uma misteriosa explosão, que segundo testemunhas ocorreu após uma bola de fogo cair do céu, matou uma mulher e feriu oito pessoas na madrugada de ontem na região metropolitana de Buenos Aires. As causas para o acidente são investigadas.

 

A explosão ocorreu às 2h da manhã num bairro de Esteban Echeverría, cidade da grande Buenos Aires, a cerca de 30 km da capital.

 

Duas casas, um armazém e alguns veículos foram destruídos. Estilhaços foram lançados a dois quarteirões do local.

 

A vítima foi identificada como Silvia Espinoza, uma peruana de 43 anos que morava em uma casas destruídas. Dois oito feridos, seis estavam internados ontem.

 

Segundo o astrônomo Mariano Ribas, não há antecedentes de cometas ou meteoritos que tenham caído na Argentina.

 

Especialistas descartam que o acidente tenha sido provocado por alguma estrutura do satélite da Nasa, que caiu no sábado no oceano Pacífico.

 

Para Ricardo Casal, ministro de Segurança do governo da província de Buenos Aires, não "está descartada nenhuma versão" sobre o episódio, que ontem mobilizou o país, pela suspeita de se tratar de algo sobrenatural.

 

Peritos, contudo, trabalham com a hipótese de explosão provocada por um vazamento de gás. Bombeiros encontraram garrafas que, segundo eles, eram improvisadas para fazer funcionar um forno de pizza.

 

“O que me amedronta, não é o grito dos maus, mas o silêncio dos justos” Martin Luther King

Teria sido uma bola de golfe?

A 6 de Fevereiro de 1971, o astronauta Alan Shepard, da Apollo 14, tornou-se no primeiro humano a jogar golfe na Lua.

 

Claramente é o resultado de uma conspiração terrorista tucana contra o reduto petista do ABC ;-)

 

Hum... Novidades no G1:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/02/terminam-buscas-no-predio-...

Segundo isso estariam fazendo reformas na laje do prédio, então o problema teria sido causado por problemas na laje e acumulação de peso encima da mesma (entulhos?)

Têm aqui no blog algum engenheiro que possa dizer se uma laje dessas cederia tão fácil assim se tivesse problemas de infiltração e/ou peso de entulho encima? E se as lajes abaixo aguentariam - ou se deveriam aguentar - o impacto da laje acima quando ela cedeu?

 

Caro Daniel

Era comum à época da construção do prédio do ABC utilizar uma determinada área interna do prédio, para a montagem de uma torre com elevador para transporte vertical de materiais para os andares superiores. Essas lajes eram concretadas posteriormente, após a retirada do elevador, já no final da obra, devido a isso, é comum a corrosão das ferragens e mesmo a ancoragem fica sempre prejudicada nestes trechos, além disso, o concreto por dificuldade de lançamento nos andares superiores não acompanha a qualidade do anteriormente executado. Deve-se considerar ainda que concreto novo, não adere sem um devido tratamento, em um concreto velho (lançado a mais de 90 dias).

Nota-se pela característica do prédio en questão não há espaço para monta cargas externos.

Alerto

Caso minha tese esteja correta, ou seja, a laje o trecho que desabou , foi utilizado como monta carga na época da construção, outras lajes do mesmo prédio correm o mesmo risco, uma vez que um prédio daquelas dimensões teria no mínimo de três a quatro monta cargas.

 

Toda laje tem um limite de carga que pode ser colocada sobre ela, me lembrei agora de um shopping na china que teve problemas com os equipamentos de ar condicionado colocados no terraço, eles eram muito pesados, não localizei o link.

 

 

Alguma nova arma disparada por algum satélite desajustado?

Alguma parte do lixo espacial?

Alguma carga que caiu de avião?

Um meteorito?

Tudo pode ser levado em conta se não encontrar vestigios de:

Má conservação das estruturas...

Material de baixa qualidade usado na última laje...

Cálculo estrutural falho...

É bom procurar com no lado humano PRIMEIRO!

 

 

Amigo, você é muito inteligente, pois ACERTOU logo na primeira opção, você está correto quanto diz que foi uma arma ultrasecreta que fez o buraco circular, parabens! Acesse o site LIBERTAR.IN, e descubra outras verdades.

 

Acho que nas lajes foram utilizadas telas de galinheiro. 

 

Confirmado, foi um meteoro. Igual a este:

Re: O estranho buraco no prédio do ABC
 
Re: O estranho buraco no prédio do ABC
Re: O estranho buraco no prédio do ABC
 

isso é só uma ilusão de óptica, o buraco não é circular e as lajes que cairam foram as delimitadas pelas colunas.

 

O post confunde as pessoas. A foto não é da explosão de Monte Grande, distrito do município de Esteban Echeverría. A explosão Esteban Echeverría foi em três casas. A foto pode ser vista aqui. O sujeito que disse ter fotografado o meteorito no céu foi indiciado por falso testemunho. A reportagem do Clarín pode-se ler aqui. Neste caso foi um forno de pizza e um botijão de gás os principais suspeitos (pelo menos estes, destroçados, foram recolhidos, na ocasião pelos bombeiros).

 

Verdade?

 

E no caso deste prédio do ABC teria sido uma reforma ou uma caixa dágua colocada em lugar errado mesmo.

 

considerando a fraca fiscalização, aliada à corrupção como regra;


considerando a busca do lucro facil (lucro, logro, engano);


considerando que a impunidade impera no país, não duvido de "imperícia", se é que me faço entender... 

 

"considerando a fraca fiscalização, aliada à corrupção como regra"

Não fala isso aqui não... São Bernado é prefeitada por Luiz Marinho, futuro ungido de Lula para o Governo do Estado...

Você vai arrumar confusão...

 

Querem saber o que foi?

Perguntem ao Cyro, o Zorro Gay

Re: O estranho buraco no prédio do ABC
 

Será o fim do mundo Tucano? Uma espécie de Absinto Tucano? Uma punição dos céus por Pinheirinho?

 

Ion de Andrade é médico, professor universitário e autor do livro a Hipótese da Revolução Progressiva

Meteoro? Haha, é cada uma...

 

Tá bom viu..

E esse meteoro iria descrever uma trajetória muito precisa de noventa graus como se apresenta ali.?

Ele poderia estar a apenas um metrinho da "face" do prédio e aí ninguém teria dúvida, pois destruiria sua fachada..

Mas o engraçado é que não está..

E ninguém vê um cacete de pedra desse tamanho que despenca do céu.?

Me ajuda aí..

 

Não precisa ser uma "pedra enorme", depende também da velocidade. Um objeto pequeno em alta velocidade pode causar tanto estrago quando um objeto grande em baixa velocidade (ok, é uma simplificação grosseira mas a idéia é essa).

 

A hipótese do meteoro é tão estapafúrdia que não vou nem insistir..

 

 

"estapafúrdio" é descartar uma possibilidade sem dar nenhuma razão racional para tal. E fica ainda pior quando você mostra não saber sequer 10% do assunto para já sair descartando possibilidades e ofendendo quem resolve apresentá-las.

 

Deixa de ser bobo e de imaginar bobagens..

Um buraco tão perfeitinho igual aquele teria que ser causado por um metero aí com seus um metro e meio ou dois de diâmetro..

E não por uma pedra com 30 ou 40 centímetros igual vc pretende..

E uma coisa desse tamanho não cai do sai sem brilho ou soltando fumaça..

Provavelmente também "chamuscaria" a laje, os ferros e a estrutura..

Seja um pouco razoável..

 

Prezado, qualquer pessoa de bom-senso quando é confrontado com uma teoria de terceiros pondera sobre ela e se acredita que está incorreta dá uma razão racional para tal. Quando simplesmente diz que "não é assim e cabou, jumento", você mostra ser só mais um ignorante que não faz a menor idéia do que o outro está falando e que se ofende com incrível facilidade ao ouvir algo diferente do que você quer.

Cresce, vai?

 

EDIT:

Ahh... tirou o "jumento"? Bom, como eu expliquei para outro comentarista, se for um meteoro ele não precisa ser "enorme" para causar esse estrago, dado que a velocidade também conta. Um objeto pequeno em alta velocidade pode fazer tanto estrago quanto um objeto grande em baixa velocidade, dado que no final das contas a força do impacto é (nota: exemplo simplista) resultado da massa do objeto vezes a velocidade dele. E ao contrário do que Holywood sugere nos filmes, um meteoro pode vir de qualquer ângulo.

E eu pensei inicialmente em problemas de estrutura como o jornal já colocou, mas TODAS as lajes dos andares do prédio quebrarem da mesma forma, e com um buraco até no teto? Isso sugere um objeto grande que ou estava encima do teto e que afundou levando tudo junto (talvez uma caixa de água?), ou algo que caiu  encima com velocidade suficiente para levar junto tudo que tinha pela frente.

E concluindo, o que estou colocando é uma HIPÓTESE, não estou estupidamente querendo ser aqui o "dono absoluto da verdade" como os jornais adoram fazer. E como hipótese, só saberei se é um fato quando resolverem limpar os escombros para tentar achar o que foi que caiu encima do prédio.

 

Jumento,

O que vc não quer é justamente aceitar uma hipótese racional.

Vc quer a sua crença - aquela de que foi um meteoro.

Insistirá nela. Por quê.?

Porque é sedutora, incrível, fantástica..

.

Dei TRÊS explicações para NÃO SER um meteoro.

MESMO ASSIM vc insiste. E insiste com o quê.? Com o NADA.

Ou melhor, com o fato do buraco ser arredondado..

Vou repetir, mas dessa vez TENTE se opor A MINHA EXPLICAÇÃO:

.

Há infinitas possibilidades de ângulo para a queda do meteoro do ABC..

Mas por que caiu em noventa graus ou muito próximo de noventa graus.?

Coincidência.?

.

Um pedra muito pequena em altíssima velocidade não causaria um buraco daquele tamanho..

Então porque ninguém a viu se brilha e ao entrar na atmosfera terrestre também "solta fumaça"..?

.

Um objeto desse tipo tem temperaturas altíssimas..

Então porque não queimou nada..?

.

Ainda ou acrescentar uma QUARTA de lambuja..:

Não seria razoável pensar na existência de uma cratera ao invés de uma pilha de entulhos..?

.

E AÍ..???

 

A primeira foto é do prédio de São Bernardo?

 

É só juntar os fatos e temos um modus operandi claro:

- SBC: onde Lula mora. Quem sabe se no RJ não foi a mesma coisa?

- PM na Bahia

- Pinheirinho: estupro, desapropriação decidida sem alinhamento com outros poderes etc.

- USP

- Cracolândia

- denuncismo de ministro, misturando fatos com suspeição

a turma da sabotagem acha que não dá mais para contar com o PIG, então está mudando o modo de agir. Mas o problema deles é que a forma como o fazem (desrespeito, ilegal, irresponsável, contando com a impunidade e com nossa ignorância) fica muito clara a "estratégia" logo logo. O povo não é bobo. O problema é que estes caras têm dinheiro, quem sabe até apoio de fora, portanto tem grana para fazer estragos, ceifar vidas etc. Até hoje o 11 de setembro não foi devidamente explicado e foram milhares de vidas ceifadas.

A lógica da guerra, em qualquer lugar do mundo, não pode imperar. Ela é violenta, desrespeitosa, ilegal, desumana, covarde.

Para mim, todos estes fatos estão ligados e tem nome, rg e endereço. Quem está por trás destas ações é do mal, sem dúvida alguma.

Mas nosso Brasil lindo e trigueiro há de vencer, pois somos muito mais do que isto. Aqui tem uma civilização se fortalecendo e não a barbárie e a lama que estes subseres pensam que podem espalhar no ventilador.

 

Alô Vera

Seu texto era para ser irônico e eu perdi a piada ou você está mesmo delirando?

Na segunda hipótese, faltou incluir os Templários, o ET de Varginha e o caso Brunona sua teoria conspiratória. E que tal a crise do Ronaldinho antes da final da Copa na França?

 

Acho que não é ironia Jorge. De vez em quando bate a paranóia em alguns, e, a teoria da conspiração rola solta aqui nesse espaço. É que o pessoal precisa de um inimigo pra chamar de seu. As vezes é divertido, outras vezes ridiculo.

 

Não pode ser caixa d'água com aventam pois não existe encharcamento. E Imaginem o peso que deveria ter esta caixa para fazer este buraco simetrico até o chão. Além do mais não se vê tubulações de água próximo ao buraco.


Como podemos ver pela foto abaixo a hipótese mais provável é de algo de formato redondo vindo diretamente de cima.


O que poderia ser?


 

Buraco no alto do prédio em SBC
 

"Como culpar o vento pela desordem feita, se fui eu que esqueci as janelas abertas?"