newsletter

Assinar

O medo da Veja

Por foo

Comentário ao post "A capa da Veja"

Eu li o artigo da Veja, e só tenho uma observação: a Veja quer enterrar a CPI, custe o que custar.

O caso Cachoeira pega diretamente o senador Demóstenes Torres (DEM/Goiás), o governador Marconi Pirilo (PSDB/Goiás), o deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB/GO) e o editor-chefe da revista Veja, Policarpo Jr.

A primeira reação da mídia, diante do escândalo, foi tentar envolver todo mundo: Agnelo (PT/DF), Protógenes (PCdoB/SP), e a construtora Delta -- que, segundo a imprensa, "faz negócios com o Governo Federal" -- convenientemente omitindo o fato de que a Delta faz negócios com todas as esferas do governo, em diversos estados, inclusive São Paulo!!!

Notícias recentes da Folha, do Estadão, e da Globo, dizem que a CPI preocupa a Dilma e setores do PT; quando os mais preocupados, obviamente, devem ser o DEM e o PSDB.

Mas vamos assumir que as acusações sejam verdadeiras, e que Agnelo, Protógenes, e o próprio Governo Federal estejam envolvidos no escândalo. Este seria, sem dúvida nenhuma, o maior escândalo da história recente do país. Maior do que o mensalão, que segundo a Veja foi "o maior escândalo de corrupção da história do país". 

A Veja não quer investigação, e usa todos os artifícios que têm à sua disposição para isso: apela para a PT-fobia, para o "risco para a liberdade de expressão", para a imagem de Hitler e Mussolini... nenhum recurso é deixado de lado no objetivo de demonstrar, por A+B, que a CPI será péssima para o Brasil.

Vamos a alguns trechos do artigo (em negrito, intercalado com meus comentários):

"Com o julgamento do mensalão pelo Supremo a caminho, os petistas lançam uma desesperada ofensiva para tentar desviar a atenção dos crimes cometidos por eles no que foi o maior escândalo de corrupção da história brasileira"

Mas quem está fazendo "uma desesperada ofensiva para desviar a atenção dos crimes cometidos" é a própria Veja. (Apenas como exemplo, além dos mais de 200 telefonemas entre Policarpo e Cachoeira, agora temos evidências de que a gravação do Hotel Nahoum -- naquela fatídica capa contra "o poderoso chefão" José Dirceu -- foi feita pelo bicheiro.)

E a Veja continua, dizendo que "o PT espera desmoralizar na CPI todos que considera pessoal ou institucionalmente responsáveis pela apuração e divulgação dos crimes cometidos pelos correlegionários no mensalão — em especial a imprensa."

A imprensa não precisa do PT para se desmoralizar. Ela tem feito isso por conta própria.

"Esse truque funcionou na União Soviética, funcionou na Alemanha nazista, funcionou na Itália fascista de Mussolini, por que não funcionaria no Brasil?". E responde: "Bem, ao contrário dos laboratórios sociais totalitários tão admirados por petistas, o Brasil é uma democracia, tem uma imprensa livre e vigilante"

O Brasil é uma democracia, e a liberdade de imprensa não está sob ameaça. Qualquer um pode escrever o que quiser, e sites na internet começam a dar furos em tempo real -- antes mesmo que as revistas possam chegar às mãos dos assinantes. Isso não significa que a imprensa possa se associar ao crime, ocultar a existência de uma quadrilha por 8 anos em troca de informações privilegiadas, obtidas de maneira ilegal, e promover membros desta quadrilha a "mosqueteiros da ética".

O delírio prossegue: "Uma CPI dominada pelo PT e seus mais retrógrados e despudorados aliados é o melhor instrumento de que a falconaria petista poderia dispor — pelo menos na impossibilidade, certamente temporária para os falcões, de suprimir logo a imprensa livre, o Judiciário independente e o Parlamento."

Aqui a Veja deixa bem claro -- na sua opinião, a CPI é um instrumento para suprimir a imprensa livre, o judiciário independente, e o parlamento. É um instrumento para transformar o Brasil em um ditadura. É uma simplificação grosseira -- como outras que aparecem no artigo -- com o objetivo de causar um mal-estar com relação à CPI.

A essa altura o leitor típico de Veja deve estar pensando: "esta CPI é um perigo!"

"Enquanto o triunfo final não vem, os falcões petistas vão se contentar em usar a CPI para desmoralizar todos os personagens e forças que ousem se colocar no caminho da marcha arrasadora da história, que vai lançar ao lixo todos os que atacaram o PT e, principalmente, seu maior líder, o ex-presidente Lula."

O mais curioso, de acordo com a tortuosa lógica da Veja, é que -- mesmo que a rede de corrupção de Carlinhos Cachoeira seja "suprapartidária", isto é, envolva diretamente o PT -- esta CPI seria de interesse do partido.

"Lula viu na CPI a oportunidade política de mostrar que todos os partidos pecam. Que todos são farinha do mesmo saco e, por isso mesmo, o mensalão não seria um esquema de corrupção inaudito, muito menos merecedor de um rigor maior por parte do Judiciário e da sociedade. Para os petistas, apagar a história neste momento é uma questão de sobrevivência."

Questão de sobrevivência? A presidenta Dilma tem o maior índice de aprovação de toda a história do país, superando até mesmo o Lula; a oposição está desorientada; a própria Veja diz que o PT estaria caminhando rumo ao poder absoluto. Por que esta seria uma "questão de sobrevivência"? O artigo da Veja não consegue manter-se auto-coerente; a única coisa que está perto de se extinguir é a credibilidade da revista.

"É tamanha a ânsia de Lula e dos mensaleiros para enterrar o escândalo que, se preciso, o PT rifará o governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz, que também aparece no arco de influência dos trambiques da máfia do jogo."

É tamanha a ânsia da Veja para enterrar a CPI que, se preciso, deixará o petista Agnelo Queiroz livre, junto com Cachoeira, Demóstenes, Pirilo, Leréia, e, é claro, o editor-chefe da revista, Policarpo Jr.

Para defender Policarpo, sem citar o seu nome, a revista diz: "A oportunidade liberticida que apareceu agora no horizonte político é tentar igualar repórteres que tiveram Carlos Cachoeira como fonte de informações relevantes e verdadeiras com políticos e outras autoridades que formaram com o contraventor associações destinadas a fraudar o Erário."

É uma simplificação grosseira. Policarpo Jr. fez muito mais do que apenas usar Carlos Cachoeira como fonte. Ele usou e foi usado. Durante mais de 8 anos, em mais de 200 telefonemas gravados e reuniões presenciais, Policarpo Jr ajudou a promover os interesses da quadrilha, enquanto a quadrilha satisfazia os interesses da Veja.

A Veja sabia das relações de Demóstenes com Carlinhos Cachoeira, e nunca falou nada. Ou melhor: enalteceu Demóstenes, chegando ao ponto de dizer que ele era um dos "mosqueteiros da ética" do senado. A Veja também ajudou a melar uma CPI contra Cachoeira em 2004. Em troca, Cachoeira foi responsável por inúmeros "furos" da revista, em gravações ilegais que envolviam terceiros. 

Mas a Veja prossegue com a seguinte lição sobre a ética jornalística:

"Os petistas acham que atacar o mensageiro vai diminuir o impacto da mensagem. Pelo que disse Marco Maia, eles vão tentar mostrar que obter informações relevantes, verdadeiras e de interesse nacional lança suspeita sobre um jornalista. Maia não poderia estar mais equivocado. Qualquer repórter iniciante sabe que maus cidadãos podem ser portadores de boas informações. As chances de um repórter obter informações verdadeiras sobre um ato de corrupção com quem participou dele são muito maiores do que com quem nunca esteve envolvido. A ética do jornalista não pode variar conforme a ética da fonte que está lhe dando informações. Isso é básico."

Se Cachoeira tivesse feito gravações de suas conversas com Demóstenes e Pirilo, isto estaria dentro da ética jornalística.

Mas Cachoeira fez gravações contra terceiros -- pessoas que não estavam envolvidas com eles. Para citar um exemplo, hoje sabemos que as filmagens no Hotel Nahoum foram obra da quadrilha. A reportagem de capa de Veja foi ironicamente intitulada "O Poderoso Chefão".

A Veja tinha acesso ao verdadeiro "chefão" -- e nunca falou nada.

A Veja teve acesso a todas as informações sobre a máfia de Goiás e nunca denunciou o esquema.

Durante 8 anos a Veja usou e foi usada por Carlinhos Cachoeira. E é por isso que estão com medo.  Mas não é só isso:

"Motivo mesmo para uma CPI seria investigar os milionários repasses de dinheiro público que o governo e suas estatais fazem a notórios achacadores, chantagistas e manipuladores profissionais na internet. Fica a sugestão."

A Veja está com medo porque não controla mais a informação. Se a CPI sair, não haverá como filtrar as informações.

Viva os blogs sujos!

Viva a internet!

Sem votos

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+114 comentários

Já fui assinante da maldita revista.

Hoje sou assinante da revista saúde.

E agora, recebo mais de cinco email por dia, com oferta de assinatura da "OIA"..

São ofertas de arrepiar, saí quase de graça (que custa caro).

A revista está fazendo de tudo para ter ao menos um público fiel: o assinante, que ficará preso por um ano ou dois. PRESO a uma revista que destila mentira, e reportagens interesseiras.

É desespero puro.

Itabuna-Ba., 21-04-2012

 

Antigamente considerava a Revista Veja parcial e desqualificada. Suas matérias sempre se fincaram no denuncismo e num ódio desmedido contra os governos e governantes petistas. Agora eu entendo as razões. Ela tem se misturado aos bandidos, verdadeiras quadrilhas do crime organizado e tem atacado quem quer varrer esses criminosos do Brasil, a Polícia Federal das eras Lula e Dilma!

 

E a Veja "perdeu" !

A CPI  vai sair, e vai acabar com esta revistinha de 1/2 tijela, que jamais mediu esforços, para desestabilizar as gestões petistas e o governo democrático que o PT, implantou no Brasil.

Se no desenrolar das investigações, "sobrar" algum dano a qualquer político petista, esse é o preço de uma investigação que se propõe séria.

 

Os poderosos  vieram na escuridão, e destruiram a única rosa do meu jardim; Depois vieram novamente às escondidas, e destruiram todas as minhas roseiras, porem jamais conseguirão impedir, a chegada da primavera.

Nassif, olha só o que Jorge Amado escreveu sobre um “empresário de jogos” no final dos anos sessenta, no Livro “Dona Flor e seus Dois Maridos”.  Porreta esse nossos grande escritor, um visionário (ou será que é sempre assim?):

 (Capítulo 14) No apartamento de Zulmira, no regaço da cabrocha, na bem-aventurança de seus fartos seios, Pelancchi Moulas (o nosso Carlinhos Cachoeira!!!) ouvia o relatório do professor Máximo Sales: a bacia-e a mesa da roleta, desmontadas peça por peça, sujeitas a todos os testes, não revelaram vício ou defeito, nenhum sinal de bandalheira.- Eu já sabia ... É inútil ... - gemeu o pobre rei. Ali, naquele endereço conhecido apenas de uns poucos, escondia-se o grande homem, o dono da cidade, o chefe do governador, fugindo aos chatos e ás aporrinhações. Em seu escritório ("Pelancchi Moulas, empresário"), era um desfile permanente, da manhã à noite: indivíduos de variada espécie, comissões de todo tipo, cada qual com sua lista, sua carta, seu pedido, seu problema, seu aleijão, sua vigarice. Vinham todos em busca de dinheiro. Dinheiro para construir igrejas, comprar sinos, contribuições para hospitais e obras-pias, para asilos de velhos e reformatórios de crianças, ajuda para caravanas de estudantes ao sul e ao norte do pais.Jornalistas e políticos, ávidos, insaciáveis, necessitando todos eles de um dinheirinho para salvar a pátria, a moral cristã, a civilização, e o regime, da tenebrosa e fatal causa da subversão e do ateísmo. Literatos com planos de revistas e originais de livros: "o senhor é amigo da cultura, das letras e das artes, da poesia; é o próprio Mecenas redivivo" (Pelancchi tinha vontade de dizer: "Mecenas é a puta-que-os-pariu"; em vez disso soltava uma pelega de vinte ou de cinqüenta, conforme fôsse o mordedor um jovem gênio ou um velho sonetista). Reformadores, moralistas, católicos, protestantes,esotéricos, todos os que combatiam os maus costumes e a anarquia, o perigo comunista e o amor-livre, o iníquo abandono das regras da gramática portuguesa (o pronome oblíquo a iniciar as frases), e o escandaloso decote dos maiôs nas praias (exibindo tudo, até as vísceras). A Associação das Mães de Família em Permanente Vigília contra o Álcool, a Prostituição e o Jogo, sendo as mães de família principalmente Antônio Chinelinha, no começo de sua carreira promissora; a Sociedade Protetora das Missões na Oceania; a Campanha contra o Analfabetismo, do Major Cosme de Faria; a Devoção de São Genaro e o Clube Carnavalesco das Alegres Morenas do Cabula. Enfermos de todas as enfermidades, da lepra ao câncer, da bubônica ao beribéri, da doença de Chagas à doença de São Guido, e os batalhões de cegos, de pernetas, de cotós, sem falar nos malucos e naqueles que vinham pedir dinheiro, pura e simplesmente, sem nenhum pretexto, com a cara mais limpa desse mundo.Pelancchi descansava de tudo isso no apartamento e nos seios de Zulmira, refúgios agora mais que nunca preciosos: só neles cabendo o medo pânico a acometê-lo, a dominá-lo. Ali ouvia os seus auxiliares: relambórios, baboseiras. http://pt.scribd.com/doc/6734530/Dona-Flor-e-Seus-Dois-Maridos-Jorge-Amado

 

 

Aqui em Curitiba inventaram uma novidade para o próximo jogo Atletiba: o jogo de uma só torcida. Não pode entrar no estádio nenhum torcedor do time adversário, só do time da casa.

Pombas, Luis, seu blog virou isso: só tem um lado, o lado vermelho. Falar mal de uma revista parece-me uma infantilidade. A Veja não apenas ajudou a derrubar seis ministros absolutamente ladrões do governo Dilma, como também deixou na linha de tiro o nefasto Pimentel. Esses caras já estavam sendo investigados, meu amigo, e pelos órgãos do próprio governo.

Você é bem informado, sabe muitíssimo bem que quem derrubou Palocci foi a turma do José Dirceu. Ou será que a Veja sabia dos 20 milhões da fortuna de Palocci de outra fonte que não fosse José Dirceu? Ora, somos burros mas nem tanto.

Você é um grande jornalista, e eu já lhe sugeri uma investigação que vai arrasar esses imbecis que ainda sonham com o comunismo: por favor, diga-nos onde anda hoje e quanto tem de grana o famigerado Lulinha, o filho do homem. Essa sim será a reportagem de sua vida. 

 

A Veja está desesperada. Sua credibilidade está na latrina.

 

"Mas quem está fazendo "uma desesperada ofensiva para desviar a atenção dos crimes cometidos" é a própria Veja" Nassif


E podemos acrescentar mais Nassif: E o JN de Ali Kamel está sendo o grande porta-voz dessa cortina de fumaça!  

 

Boa noite.Vc nao acha que esta ficando muito pessoal esse caso da veja.
Como bom jornalista que vc e deveria colocar todos no mesmo saco PT,PSDB,DEM
tudo esta contaminado.

 

               

              Bem feito pra VEJA que tanto cutucou o PT e agora chegou a hora dela. Tomara que não haja silêncio!!!!!   CPI já. doa a quem doer e que doa bem na Veja...

 

Eles estão vindo pra cima, pois sabem que muitos dos seus leitores, aliás a grande maioria, acreditarão em suas versões. Sobretudo os alienados assalariados de classe média e média alta de SP que saem por aí "vomitando" as bobagens que estes bandidos travestidos de jornalistas escrevem na Veja. 

 
Re: O medo da Veja
 

Nosso repórteres conseguiram uma gravação inédita com um empresário do ramo da espionagem que revela o modus operandi do esquema de venda de matérias tóxicas e ilegais produzidas por integrantes da revista Veja. De um lado da linha, os repórteres de Veja responsáveis pela matéria. Do outro, um jornalista do alto escalão da organização — que identificaremos aqui apenas como "editor" — acompanhado por um indivíduo designado aqui apenas como "RC", mas que, possivelmente, se trata de um dos figurões da editora. Preservamos o áudio original — já devidamente atestado pelo perito Ricardo Molina — e pedimos desculpas aos nossos leitores por reproduzir um certo vocabulário vulgar. Seguem os principais trechos da gravação:

 

Editor: Tô tomando um uísque aqui com o RC. Olha, essa pauta foi decidida com o RC  e a cúpula. Nós demos a capa da Dilma e eles vem com CPI. Vai se f…, então. Nós vamos vender a idéia que a CPI do Cachoeira, as 200 escutas da gente com o Cachoeira, e o cacete, é uma manobra para esconder o julgamento do Mensalão. Aí aproveitamos e fazemos pressão para condenar o Dirceu. É para detonar. E se sobrar para gente na CPI, nós podemos dizer que é mentira, vingancinha do PT. Passa o título aqui para eu discutir com o RC…

Querem apagar os crimes do mensalão

Editor: Este é aquele mesmo que eu te passei?

Reporter: É…

Editor: Então tá aprovado. Então segue, já detonando, entendeu? Você e essa sua mania de fazer "direitinho"… Aí fica aquela bosta… 

Com o julgamento do mensalão pelo Supremo a caminho, os petistas lançam uma desesperada ofensiva para tentar desviar a atenção dos crimes cometidos por eles no que foi o maior escândalo de corrupção da história brasileira

Editor: Gostei do "desesperada ofensiva". A deles, não a nossa… Então cita logo o Stalin no início da matéria. O RC adora. É aquele papinho pré queda do muro, entendeu? Já ligamos o PT ao comunismo aqui. Vamos aterrorizar a classe média!

Josef Stalin, o ditador soviético ídolo de muitos petistas, considerava as ideias mais perigosas do que as armas e, por isso, suprimiu-as, matando quem teimava em manifestá-las. O PT até que tenta se arejar, exercitar certo pluralismo, mostrar respeito às leis e conduzir as instituições do país que ele governa não como propriedade particular do partido, mas reconhecendo-as como conquistas da sociedade brasileira. Mas basta uma contrariedade maior para que o espírito de papai Stalin baixe e rasgue a fantasia democrática dos petistas parcialmente convertidos ao convívio civilizado. 

Editor: Gostei de papai Stalin! Hahaha. Se quiser usar Trotsky, Lenin… Põe qualquer russo aí. Hahaha! O leitor nem sabe a diferença… Hehehe. Tem que vender que eles são comunas domesticados, cara! Então segue aí!

A contrariedade de agora é a proximidade do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da maior lambança promovida pelos petistas com dinheiro sujo, que produziu o escândalo entronizado no topo do panteão da corrupção oficial brasileira…

Editor: RC, esta frase é minha. Entronizado, tipo trono, entendeu! E Panteão! É para a matéria parecer épica… O leitor adora frase difícil, fica se achando inteligente, hehehe!

...o escândalo entronizado no topo do panteão da corrupção oficial brasileira com o nome de mensalão. Sussurre esse nome aos ouvidos de um petista nos dias que correm e ele vai reagir como se uma buzina de ar comprimido tivesse sido acionada a centímetros de seus tímpanos. A palavra de ordem emanada do Diretório Nacional sairá automaticamente: "Isso é invenção da oposição e da imprensa!".

Editor: Troca "diretório nacional" ou "executiva" por "Comitê Central", Hahaha. Tipo Partidão Soviético! E no texto abaixo, não esquece de usar Stalin de novo. Hahaha… E aquele negócio de "formigas guiadas por feromônios", que é muito bom! Hahaha. 

RC: … (inaudível)

Editor para RC: Feromônio é um negócio de cheiro ou perfume que atrai outro bicho, RC. É para chamar os Petistas de robozinhos, entendeu? 

Editor: Olha, o RC adorou. Pode usar!

A palavra de ordem emanada do Comitê Central sairá automaticamente: "Isso é invenção da oposição e da imprensa!". 

Como formigas guiadas por feromônios, os militantes de todos os escalões, de ministros de estado aos mais deploráveis capangas pagos com dinheiro público na internet… 

Editor: acho que o leitor não vai entender quem são os "capangas", mas deixamos nosso recado para os blogs sujos… Chupa, PHA, hehehe! Segue!

…vão repetir disciplinadamente o mantra de que o mensalão "foi uma farsa". Ele vai ser martelado sobre os cinco sentidos… 

Editor: Boa! Martelado, lembra a foice e o martelo, né RC? Do caralho martelar! Mantra também é bom. Podia até ser idéia minha…

Editor: O RC está perguntando se não são seis os sentidos.

Repórter: Que eu saiba são cinco...

Editor: É que ele viu um filme que chama "O Sétimo Sentido".

Repórter: Não, o filme é "O Sexto Sentido".

Editor: Tem certeza?

Repórter: Tenho. "Sétimo Sentido" foi uma novela da Globo.

Editor: Tá, deixa então cinco. Segue!

Ele vai ser martelado sobre os cinco sentidos dos brasileiros na tentativa de apagar os crimes cometidos pelos petistas e, seguindo a cartilha stalinista, fazer valer as versões sobre os fatos, transmutar culpados em inocentes e, claro, apontar bodes expiatórios como responsáveis pelas próprias misérias morais que eles infligiram ao país, a si próprios e a sua reputação, firmada quando na oposição, de paladinos da ética. 

Editor: Boa. Gostei disso aí. Miséria moral. Bolsa Miséria Moral... O PT não é mais aquele… Hahaha! Segue com a CPI.

Esse processo perverso de reescrever a história está em curso em Brasília, em pleno século XXI. Sua mais recente iniciativa é a iminente instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista do Congresso Nacional, a primeira do governo Dilma Rousseff. O objetivo declarado — e desejável — da CPI é elucidar os limites da atuação no mundo oficial do contraventor Carlos Cachoeira, que explorava o bingo ilegal em Goiás e se encontra trancafiado em presídio de alta segurança. 

Repórter: Aqui vou aliviar o Demóstenes. Vou usar só "acusado".

Editor: Se tem que por o nome dele, põe, mas não detalha, entendeu? E não fala do Policarpo, pelo amor de Deus!

Repórter: Tá...

Acusado de receber dinheiro para defender os interesses do contraventor no governo e no Legislativo, o senador Demóstenes Torres, do DEM, está a caminho de perder o mandato. Razões para uma investigação republicana, portanto, não faltam. O problema está nos objetivos subalternos da CPI, que os petistas e seus aliados mal conseguem esconder nas conversas: criar um fato novo e, assim, desviar o foco da atenção da opinião pública do julgamento do mensalão. Eles esperam que as investigações produzam imagens…

Editor: Aí é que vai ferrar

Repórter: O quê?

Editor: A gente! Segue!

Eles esperam que as investigações produzam imagens que ajudem a demonstrar a tese central do presidente Lula sobre o mensalão, a de que o PT fez apenas o que todo partido político sempre fez. Esperam também criminalizar jornalistas para quem Carlos Cachoeira serviu de fonte sobre o que ia nos subterrâneos da corrupção no mundo oficial em Brasília, terreno que ele frequentava com especial desenvoltura.

Editor: Não se prolongue demais. Vamos dizer que essa CPI, as conversas do Policarpo é, no fundo, uma vingança do PT contra a revista, contra a gente, que denunciou o mensalão. No próximo parágrafo, mantém aquela idéia do Lula. Falar que ele não sofreu um impeachment por pouco, de tão fortes que eram as provas. Suja o Lula. 

Em resumo, o PT espera desmoralizar na CPI todos que considera pessoal ou institucionalmente responsáveis pela apuração e divulgação dos crimes cometidos pelos correlegionários no mensalão — em especial a imprensa. Por quê? Principalmente porque o esquema de compra de apoio parlamentar pelo governo do PT começou a ser desbaratado em 2005, após uma reportagem de VEJA mostrar um funcionário dos Correios cobrando e recebendo propina em nome do PTB. Depois disso, o presidente do partido, o ex-deputado Roberto Jefferson, revelou ao país que parlamentares recebiam dinheiro na boca do caixa para votar com o Planalto. O chefe do esquema era o então ministro da Casa Civil José Dirceu…, 

Editor: Chama o Dirceu de "chefe da quadrilha" de novo… Ou melhor, o RC está falando para deixar "esquema"! Dá menos trabalho para o jurídico…

…que vivia repetindo o bordão segundo o qual não fazia nada sem o conhecimento do presidente Lula. Tanto a CPI dos Correios quanto a Procuradoria-Geral da República deixaram claro que parte do dinheiro que financiou o mensalão saiu dos cofres públicos. Durante as investigações, o então marqueteiro de Lula, Duda Mendonça, admitiu ter recebido dólares por fora, no exterior, por serviços prestados na campanha do presidente. Foi tão grave e acintosa a agressão dos petistas às leis brasileiras no mensalão que, tecnicamente, o presidente Lula poderia ter sofrido um processo de impeachment. 

Editor: Gostei de "tecnicamente"! Dá credibilidade à nossa opinião.

Seu mandato foi preservado por falta de apetite da oposição e pelo cálculo, que se mostraria redondamente equivocado, de que Lula definharia no poder, sangrando pouco a pouco em consequência do mensalão. 

Editor: É… Não foi falta de apetite e esforço nosso. O pôrra do Lula só ficava mais popular…

Nada disso ocorreu. Lula deu uma magnífica volta por cima, reelegeu-se, fez a sucessora e saiu do Palácio do Planalto da mesma forma que entrou — nos braços do povo.

Editor: "Braços do povo"? Vai tomar no… Pôrra, não era para escrever o que eu falei!

Editor: Peraí, o RC está dizendo para deixar assim, para parecer que nós não implicamos tanto com o Lula. 

Editor (quase inaudível): Tá certo RC! Você sabe tudo! 

Editor: Segue!

Agora o fantasma do mensalão volta a ameaçar a hagiografia do líder petista — e a ordem de cima é atropelar quaisquer escrúpulos para preservar Lula. 

Editor: Que pôrra é essa de Hagiografia?

Repórter: É tipo biografia divina. É para parecer que Lula quer parecer um santo…

Editor: Tá bom! Pode caprichar no vocabulário. Culto o cara, né RC? Hahaha. O RC falou que vai transferir você pra cultura…

Repórter: Para TV Cultura? 

Editor: Pode ser. Vamos falar com o careca… Hehehe!

"A bancada do PT defende uma CPI para apurar esse escândalo dos autores da farsa do mensalão. É preciso que a sociedade organizada, movimentos populares, partidos políticos comprometidos com a luta contra a corrupção, como é o PT, mobilizem-se para impedir a operação-abafa e para desvendar todo o esquema montado por esses criminosos, falsos moralistas que se diziam defensores da moral e dos bons costumes", declarou Rui Falcão, deputado paulista, presidente nacional do PT. A forma cristalina pela qual Falcão explica os objetivos do partido na CPI parece a transcrição perfeita de uma cartilha de propaganda soviética.

Editor: E a história de cartilha é legal… Afirma de novo os crimes para não deixar dúvidas… Mas faz parecer que é o Rui Falcão que está admitindo. 

Dado que os companheiros cometeram crimes no mensalão e que esse fato é devastador para o partido que no passado empunhou a bandeira da ética para vencer a antipatia e a desconfiança da classe média brasileira, vamos tentar mudar a percepção da realidade e acionar os companheiros para ver se cola a ideia de que o mensalão foi uma armação cujos responsáveis, vejam só que coincidência, estão todos orbitando em torno de um contraventor cujas atividades vão ser investigadas por uma CPI.

Editor: Tá sem "aspas" a última parte?

Repórter: Está! Claro! Mas usei "vamos" nessa parte, como se fosse ele.

Editor: Perfeito. Faz daquele jeito que eu te falei, aproveita agora e põe totalitarismo, fascismo e nazismo no texto de novo. Hehehe.

A lógica política de Falcão é irretocável — até certo ponto. Esse truque funcionou na União Soviética, funcionou na Alemanha nazista, funcionou na Itália fascista de Mussolini, por que não funcionaria no Brasil? Bem, ao contrário dos laboratórios sociais totalitários tão admirados por petistas, o Brasil é uma democracia, tem uma imprensa livre e vigilante,...

Editor: O RC tá caindo de rir por aqui. Tá dizendo que quem paga a conta da imprensa livre é o careca do Morumbi… Então vamos vender mais assinaturas pro Governo Paulista, hahaha!

…um Congresso eleito pelo voto popular e um Judiciário que, apesar de fortemente criticado recentemente, tem demonstrado independência e vigor doutrinário. 

Editor: Só quem tem vigor doutrinário lá é o Gilmar, hehehe…

Isso significa que para o delírio de Falcão se materializar é preciso neutralizar as instâncias democráticas, calando-as ou garantindo que a estridência radical petista supere as vozes da razão e do bom-senso.

Editor: Gostei dessa parte. Agora vamos insistir na idéia que o PT quer acabar com a imprensa livre, para definitivamente instituir um Estado Totalitário. Tive uma idéia genial que vocês podem usar no texto. Uma derivação de Rui Falcão: Os falcões do PT. Não é boa?

Repórter: Eu tinha te falado…

Editor: A idéia é minha, RC, os falcões do PT… Do caralho, não é?

Repórter: ...

Uma CPI dominada pelo PT e seus mais retrógrados e despudorados aliados…

Editor: aí é melhor não citar o nome de ninguém para não se comprometer. Deixa o leitor imaginar uns monstros...

Uma CPI dominada pelo PT e seus mais retrógrados e despudorados aliados é o melhor instrumento de que a falconaria petista poderia dispor — pelo menos na impossibilidade, certamente temporária para os falcões, de suprimir logo a imprensa livre, o Judiciário independente e o Parlamento, fósseis de um sistema burguês de dominação que está passando da hora de ser superado pelo lulopetismo…, 

Editor: Tá bacana, "fósseis de um sistema burguês" parece planfeto estudantil dos anos 80. Esse negócio de falar como se fossem eles é bom. Já tá pegando o estilo do titio Reinaldo…

…essa formidável invenção tropical diante da qual empalidecem todos os demais arranjos político-sociais do mundo atual. Mas, enquanto o triunfo final não vem, os falcões petistas vão se contentar em usar a CPI para desmoralizar todos os personagens e forças que ousem se colocar no caminho da marcha arrasadora da história, que vai lançar ao lixo todos os que atacaram o PT e, principalmente, seu maior líder, o ex-presidente Lula.

Editor: Lança aquela história do Dirceu com o Lula que eu inventei. Fala que rolou um almoço e o Lula jurou, coisa e tal… É grampo sem áudio, hehehe!

Não por acaso, a estratégia que a falconaria petista está executando disciplinadamente em Brasília saiu da cabeça de Lula. Em novembro de 2010, a menos de dois meses do término de seu segundo mandato, o então presidente recebeu o ex-ministro e deputado cassado José Dirceu para um café da manhã no Palácio da Alvorada. À mesa, Lula prometeu a Dirceu, o mais influente quadro da engrenagem petista, que lançaria uma ofensiva para desmontar "a farsa do mensalão" tão logo deixasse o cargo. Não era bravata. 

Editor: Tenta fazer aquelas ligações dos mensaleiros com o Supremo. Fala do Genuíno e do Jobim. Vamos botar dúvidas sobre o processo.

Conforme prometido, essa cruzada para abafar o maior escândalo de corrupção da história recente do país começou a se materializar em pequenos movimentos. Foi ela que levou à eleição do petista João Paulo Cunha, um dos 36 réus no processo do mensalão, para a presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara em 2011, o que garantiu a ele uma posição privilegiada para dialogar com a cúpula do Poder Judiciário. Foi ela também que resultou na nomeação do petista José Genoíno, outro réu no processo, para o cargo de assessor especial do então ministro da Defesa, Nelson Jobim, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), justamente a corte que julgará o caso.

Repórter: Tá bom assim? Tá parecendo que tem conexão a história toda...

Editor: Pera aí que o RC foi mijar…

Repórter: …

Editor: Você tá comendo a gostosa da editoria de Saúde?

Repórter: … Quem?

Editor: Te mando embora, hein, ô viado. Aquela mina lá é minha… Respeita a hierarquia! O RC voltou. Faz uma retrospectiva do mensalão na sequência. Fala da operação Monte Carlo. Dá a entender que está sendo manipulada pelo PT.

O esquema: O então deputado Roberto Jefferson contou ao Congresso como o governo do PT criou o mensalão, o esquema de suborno de parlamentares que era operado pelo publicitário Marcos Valério. As revelações provocaram decepção e choro de alguns parlamentares petistas, ameaçaram a continuidade do governo Lula e resultaram no processo que acusa 36 pessoas de crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, evasão de divisas e lavagem de dinheiro

 

Esses dois movimentos da reação capitaneada por Lula foram costurados nos bastidores. Fizeram parte de uma estratégia silenciosa destinada a reabilitar publicamente as estrelas petistas envolvidas até o pescoço com os desvios de dinheiro público para abastecer o caixa partidário. 

Repórter: Dá para falar isso antes do julgamento no Supremo? 

Editor: Dá sim, do jeito que está, podemos perder o mensalão, mas ficamos com o caixa 2.

Repórter: Então, tá...

Uma tática deixada de lado na semana passada, quando o PT partiu para uma espécie de vale-tudo a fim de varrer para debaixo do tapete o esquema de compra de apoio parlamentar que funcionou durante o governo passado. A estratégia evoluiu para o uso da Operação Monte Carlo da Polícia Federal, que deu origem à CPI. A ação da PF desbaratou um esquema de exploração de jogos ilegais comandado por Carlinhos Cachoeira e revelou uma rede suprapartidária de políticos envolvidos com ele. Além do senador Demóstenes, as investigações atingiram o governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, desafeto de Lula desde que declarou, em 2005, que alertara o então presidente da existência do mensalão.

Editor: Esse Lula é vingativo, pôrra! Hahaha…

Lula viu na CPI a oportunidade política de mostrar que todos os partidos pecam. Que todos são farinha do mesmo saco e, por isso mesmo, o mensalão não seria um esquema de corrupção inaudito, muito menos merecedor de um rigor maior por parte do Judiciário e da sociedade. Para os petistas, apagar a história neste momento é uma questão de sobrevivência. Seus caciques sustentam que, com a aproximação da data prevista para o julgamento do mensalão e diante da hipótese de uma condenação, não há o que perder na arriscada aposta em tentar menosprezar a inteligência das pessoas, zombar das autoridades que investigaram o caso durante anos, impor constrangimentos aos ministros do Supremo que se preparam para julgar o processo. 

Editor: Só quem menospreza e zomba é a gente, né RC?

Editor: Fala que o Lula vai queimar o Agnelo. Envolve o Agnelo mesmo.

É tamanha a ânsia de Lula e dos mensaleiros para enterrar o escândalo que, se preciso, o PT rifará o governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz, que também aparece no arco de influência dos trambiques da máfia do jogo.

Editor: Agora a Lei de Médios, O PT quer censurar a imprensa. Que tão botando agente na parede. Fala que a história do Cachoeira é um tipo de censura.

Lula e os falcões petistas viram também abrir-se para eles a retomada de um antigo, acalentado e nunca abandonado projeto de emascular a imprensa independente no Brasil. Os projetos de censura da imprensa que tramitaram no PT foram derrotados não por falta de vontade, mas porque o obscurantismo cobriria a imagem do Brasil de vergonha no cenário mundial. Surge agora uma oportunidade tão eficiente quanto a censura, com a vantagem de se obter a servidão acrítica da imprensa sem recorrer a nenhum mecanismo legal que possa vir a ser identificado com a supressão da liberdade de expressão. 

Editor: Aqui, supressão de liberdade de expressão, só pagando… Hehehe!

Não por coincidência, na semana passada a Executiva Nacional do PT divulgou uma resolução pedindo a regulamentação dos meios de comunicação diante "da associação de parte da imprensa com a organização criminosa da dupla Cachoeira-Demóstenes". Dando sequência à diretriz do comitê central do partido, o comissário Marco Maia…, 

Editor: Comissário… Hehe! Já tem o organograma inteiro do Partido Comunista Soviético neste texto, hahaha… Boa!

…o comissário Marco Maia, presidente da Câmara, complementou: "Todas as informações dão conta de que há uma participação significativa de alguns veículos de comunicação nesse esquema montado pelo Cachoeira. A boa imprensa, que está comprometida com a informação e a verdade, vai auxiliar para que a gente possa fazer uma purificação, separar o joio do trigo".

Editor: Fala da história do Policarpo, mas não cita o nome dele, entendeu? Fala no plural. "Repórteres". Fala de Stalin de novo, totalitarismo x economia de mercado. Aterroriza de novo!

A oportunidade liberticida que apareceu agora no horizonte político é tentar igualar repórteres que tiveram Carlos Cachoeira como fonte de informações relevantes e verdadeiras…

Editor: Relevantes e verdadeiras! Relevantes e verdadeiras! Relevantes e verdadeiras! Hehehe. Tô repetindo para ver se eu acredito! Repete lá fim de novo!

…com políticos e outras autoridades que formaram com o contraventor associações destinadas a fraudar o Erário. A nota da Executiva Nacional do PT e a fala do comissário Maia traem o vezo totalitário daquela parte do PT que não tem a mínima noção do papel de uma imprensa livre em uma sociedade aberta, democrática e que tenha como base material a economia de mercado. Papai Stalin ficaria orgulhoso dos pupilos. 

Editor: Hahaha. "Papai Stalin"! Titio Reinaldo Azevedo fazendo escola… Esta história da "economia de mercado" é meio forçada, mas depois de tanta merda… Não esquece de juntar o Sarney e Collor no texto.

Repórter: Está na sequência:

Caberá a eles agora, aos "tropicastalinistas" do PT auxiliados pelos impolutos José Sarney e Fernando Collor, "purificar" a imprensa, decidir qual é a boa e a ruim, o que é joio e o que é trigo nas páginas dos órgãos de informação e apontar que repórteres estão comprometidos com a informação e a verdade. Alguém com mais juízo deveria, a bem do comissário Maia, informá-lo de que quando governos se arvoram a "purificar" seja o que for — a população, a imprensa ou a literatura — estão abrindo caminho para o totalitarismo. Quem diria, comissário, que atrás de óculos modernosos se esconde uma mente tão arcaica.

Repórter: Hahaha. Já viu os óculos do Maia? Ridículo!

Editor… Fffff...

Editor: Para finalizar, justifica a revista,  mas sem citar o nome de ninguém. Compara com "delação premiada". Pode ser um bom caminho. Segue:

Os petistas acham que atacar o mensageiro vai diminuir o impacto da mensagem… 

Editor: Que merda é essa de mensageiro, caralho? É Jesus?

Repórter: Somos nós…

Editor: Ah, tá... Bem que podia colocar Jesus no texto…

Repórter: O quê?

Editor: Deixa para lá. Se sobrar espaço, fala de Judas, Jesus e o escambau. Entendeu?!

Repórter: Tá...

Os petistas acham que atacar o mensageiro vai diminuir o impacto da mensagem. Pelo que disse Marco Maia, eles vão tentar mostrar que obter informações relevantes, verdadeiras e de interesse nacional… 

Editor: Relevantes e verdadeiras! Relevantes e verdadeiras! Relevantes e verdadeiras! Hehehe. 

...lança suspeita sobre um jornalista. Maia não poderia estar mais equivocado. Qualquer repórter iniciante sabe que bandidos…

Editor: "Bandido" não, pôrra! Quer me fuder? E o repórter iniciante é você, haha!

…Qualquer repórter iniciante sabe que maus cidadãos podem ser portadores de boas informações. As chances de um repórter obter informações verdadeiras sobre um ato de corrupção com quem participou dele são muito maiores do que com quem nunca esteve envolvido. A ética do jornalista não pode variar conforme a ética da fonte que está lhe dando informações. Isso é básico. Disso sabem os promotores que, valendo-se do mecanismo da delação premiada, obtêm informações valiosas de um criminoso, oferecendo-lhe em troca recompensas como o abrandamento da pena. 

Editor: O RC tá dizendo que nós já demos recompensas demais pro Cachoeira, Hehehe… Segue!

Esses são conceitos de difícil digestão para os petistas acostumados a receber do comitê central as instruções completas sobre o que devem achar certo ou errado, bom ou ruim, baixo ou alto. 

Editor: Aí eu prefiro a história do Feromônio… Hahaha… Mas é sempre bom repetir!

Fora da bolha ideológica, porém, a vida exige que bons jornalistas…

Editor: Estes somos nós...

Fora da bolha ideológica, porém, a vida exige que bons jornalistas falem com maus cidadãos em busca de informações verdadeiras. Motivo mesmo para uma CPI seria investigar os milionários repasses de dinheiro público que o governo e suas estatais fazem a notórios achacadores, chantagistas e manipuladores profissionais na internet. Fica a sugestão.

Editor: Chupa, Nassif e o escambau!

Repórter: É…

Editor: Ótimo. Já aprendeu a nossa cartilha. Vou deixar você assinar esta. Só vamos passar a matéria pro Zé para ver se ele aprova. O RC gostou, não para de rir por aqui. Vou tomar mais um uísque com ele e já desço para fechar…

Repórter: …

 

Obs: Esta, assim como a matéria de Veja, é uma história de ficção. Qualquer semelhança com a realidade, terá sido mera coincidência.

 

 

Na Inglaterra o jornal de Murdoch caiu por conta de grampos. E aqui? O que virá?

 

Meu... A Veja está acuada, desesperada! Isso é bom, pq mostra que tem culpa no cartório! O que é bom nisso tudo é o último trecho, o do ataque à blogosfera suja. O Pig não controla mais a informação! Nada será maquiado ou enfatizado de acordo com a conveniência´sem passar pelo olhar clínico dos blogueiros. Os blogs sujos hj tem papel importantíssimo na democratização da informação! A Monte Carlo não vai morrer e Veja vai pagar pela associação com o crime organizado! Assim espero!

 

Acho que agora é hora de desmascarar esta revistinha de quinta categoria que sempre trabalhou para os poderosos.Com a internet teremos a chance de enterrar de vez esta porcariada que esta revistinha e outros grandes orgãos de imprensa divulgam.Eles nunca se conformaram de perder o poder.Vamos usar a força da internet para derrubar de vez estes bandidos.Vamos todos lutar para que a CPI faça uma investigação rigorosa desta cambada.

 

Pessoal, por favor, vamos postar mensagens "esclarecedoras" no site da Veja (https://plus.google.com/118384548964424199851/posts/JcQQf6dE9Fh) porque os reacionários, os anestesiados e os escravocratas brasileiros estão falando os maiores absurdos por lá.

 

Sempre soube e sempre ouvi dizer que não deveria acreditar em mais de 50% das notícias dos jornais e revistas, mas diante de mais essa da "revista Óia" e da "redebobo", acho melhor voltar a ler tio patinhas e estórias da carochinha pelo menos lá os malvados e malvadas se dão mal.

Duro é que esses ladrões são tão burros que se eles dividissem mais esse bolo eles teriam um povo mais competente em produzir dividendos e eles se beneficiariam muito mais. Não quero mais corrupção, quero menos impunidade. Justiça cega. 

Bando de Macunaímas, heróis sem caráter.

Com CPI quem será o Relator se a câmara tem mais bandido do que presídio de segunda linha.

ACORDA POVO

ELEIÇÕES ESTÃO CHEGANDO.

 

 

 

Nassif,

Sem comentários. Você é o cara, ou melhor, o jornalista.

A veja é o escarro da pior especie de imprensa golpista que o país já teve.

Como diz a música de Paulo César Pinheiro, é uma "hemoptise do canal do mangue".

Esse Policarpo é um reles bandidinho enfatiotado que se achava acima do bem e do mal e agora foi pego com a boca na botija, em plena quaresma.

Cadeia nessa corja! CPI da Privataria já! CPI do Cachoeira já!

 

No momento que bati olho na capa da Veja, saltou aos olhos a verdade: que a Veja modeu a chumbada.

É nítido, explícito, que a revista trabalha para interesse próprio. É evidente que a capa lembrando do mensalão em plena semana do Caso Demóstenes/Cachoeira é uma tentativa desesperada de doutrinar seus leitores.

E ao ler a reportagem, e lendo as delirantes alusões a regimes totalitários de Hitler, Mussolini e Stálin, ficou muito claro que a revista perdeu a vergonha de vez, e partiu para o ataque puro e simples (o que não é bem novidade).

Não sou o maior fã do governo Lula, mas fico muito mais aborrecido com esse jornalismo safado revestido de imprensa livre.

 

 

 Poderiam, pelo menos por respeito aos leitores que restaram, caprichar mais nos textos e na retorica de salão. 

 

 

A CPI da VEJA podia convocar os anunciantes da mesma porque eles acabam financiando a espionagem, a falta de ética jornalística, o uso de meios ilícitos.Bastaria uma duas boas perguntas como: Você concorda com estes métodos adotados pela Veja? Se sim, qual o sua ligação. Se não, porque anuncia?

 

Ainda não li essa análise explícita aqui: para mim, com essa capa, a Veja entregou o jogo, só faltou o subtítulo: "O mensalão começou mesmo com armação nossa junto ao Cachoeira... Fomos nós sim que fizemos e temos orgulho disso!"

E eu que estava cético quanto a essa hipótese da CPI melar o mensalão, nunca pensei que Veja mesmo puxaria esse assunto em sua capa... Acredito que foi uma tentativa muito mal-sucedida de contra-informação!  Eles estão mesmo sentindo o baque...

 

A chamada de capa da Veja  "Mensalão: a cortina de fumaça do PT para encobrir o maior escândalo de corrupção da história do país" é uma  esdrúxula reação da revista e seus chefões privatas ao processo de desmoralização pública a que estão submetidos.
O leitor da revista está atônito: afinal, qual é o maior escândalo: Privataria Tucana, Castelo de Areia, Satiagraha, Monte Castelo? 
Afinal, como a líder do PiG sonegou nos últimos quatro meses informações que o Brasil inteiro comentou, seus leitores ouviram "sem querer" de meios alternativos, notícias sobre os escândalos que lidam um mafioso, Cachoeira, a impolutos ícones da revista, como Demóstenes, hoje destruídos por fatos noticiados em outros meios, e não na revista que assinam.
Tomou conhecimento, por outros meios, do desmascaramento da farsa montada a partir de 200 telefonemas entre o mafioso e o editor-chefe da VEJA, Policarpo Jr.
Soube da farsa das gravações dos vídeos feitos por Cachoeira para incriminar José Dirceu e Lula via Valdomiro Diniz com o jogo ilícito.
Descobriu que o vídeo famoso do Marinho-ECT-PTB foi armado pelo mafioso, e que o próprio denunciador do escândalo deflagrado por este vídeo, Roberto Jefferson, negou na sua defesa no STF a existência do famoso "mensalão do PT" e que tudo não passou da "mais pura invenção da sua cabeça".
O leitor de VEJA recorreu ao livro do jornalista investigativo Amaury Jr, que tantas matérias publicou na sua revista, para saber sobre a "Privataria Tucana, o maior esquema de desfalque aos cofres públicos na história das democracias ocidentais".
Para se manter informado sobre a corrução, corruptos e corruptores, os leitores de VEJA terão que cancelar a assinatura e mudar de revista...

 

Eu conheço bem a fonte, que nasce na Cachoeira e faz chuá no Tietê.
Nessa fonte está escondida, o segredo desta vida que o PiG Paga pra não vê.
“Êta” fonte mais estranha, que mistura merda e lama e leva pra TV.

 

E são caudalosas suas correntes, que regam os infernos PiGuentes.

A notícia não pode ser bela, pois os Demos da terra, bebem dela.

Aqui se está chamando as criaturas que desta lavagem se fartam mesmo
às escuras

 

Ainda é de noite.

 

 

Nassif, o artigo é a expressão da mais pura verdade. mas além da Veja e Globo, há outros veículos que chegam inclusive a fazer ameaças, como é o caso do recém lançado na net, o 247.

Participei do 1º Encontro dos Blogueiros Progressistas de Goiás, e o jornalista responsável pelo site estava lá para falar do seu empreendimento.

Questionei-o sobre as pretenções do site, se seria um veículo a favor da mídia democrática ou se seria apenas mais um opoertunista, com o crescimento da blogosfera.

Pois veja a capa da revista eletrônica do 247 e me diga se há ou não uma certa tendencia pro-veja (sua escola) e os demotucanos. http://brasil247.com/pt/247/poder/53990/Palco-da-CPI-ser%C3%A1-tomado-por-raposas-pol%C3%ADticas.htm

 

Acho que cada um de nós que escreveu um comentário, deveria fazer a sua parte divulgando de forma criatriva toda m. envolvendo a alta imprensas brasileira. Vamos meter a boca no trombone.

 

O próprio paladino da moralidade, sua Exc. o Senador da República Federativa do Brasil, sr. Demostenes, tratava, com todo respeito, o capo de CHEFE.

 

Acho que a revista veja, começa enxergar que o feitiço vai virar contra o feiticeiro. Assim desmascarando a veja que prega a " ética " acima de tudo!

 

 A Globo, mas sorrateira, faz lobotomia coletiva, a Veja, mais agressiva no tocante a todos os interesses do partidão de Dona Judith e seus parceiros, faz decaptação mesmo... arranca pra fora o o resto do pouco de cerébro que qualquer vivente racional, que seja seu assinante ou leitor fiel, possa ter após anos e anos esperando avidamente a sua próxima edição.

 

 


"Motivo mesmo para uma CPI seria investigar os milionários repasses de dinheiro público que o governo e suas estatais fazem a notórios achacadores, chantagistas e manipuladores profissionais na internet. Fica a sugestão."


 


VEM CHUMBO QUENTE DO PIG POR AÍ, NASSIF...

 

Realmente,a Veja é caso de saúde pública.E o pior é que está entrando no ramo da educação.Imaginem o estrago que vai fazer nas cabeças dos meninos,se nos adultos consegue tornar verossímeis as mais estapafúrdias ideias.E as estatais,atacadas diuturnamente por sua editoria,continuam alimentando a hidra,despejando anúncios em suas páginas.

 

Que revista podre! Quanta manipulação! Esse ódio ao PT acabará por levar essa revista ao total descrédito e finalmente à falência. O povo brasileiro nãoné burro!

 

Capa da Veja: A confissão.

Haja pé. 

 

Creio que tem muita coisa referente a MÍDIA encoberto, se apertar vai aparecer coisas terríveis, isso não pode parar, tem que investigar tudo, o Brasil precisa ser passado a Limpo.

 

Sei não, mas a coisa quando chega ao ponto que chegou não tem volta. Ainda mais que a CPI vai querer saber tin tin por tin. Parece que o Murdoch Civita será obrigado a depor nesta CPi e depois fechar esta apócrifa InVeja.

 

Que tragédia mais hilária é essa fornada da Veja, gente!

Tudo não passa de uma confissão de que sentiu o golpe de suas peraltices.

Pelo jeito, estão literalmente no Inferno de Dante

 

Me parece que quem escreveu essa matéria foi o Prof. Hariovaldo. Os 2 jornalistas que assinam só "incorporaram" o Exu ghost-writer que, aliás, está quietinho, sumido....

 

SÓ UMA PERGUNTA: Por que essa defesa exacerbada ao PT?

 

O artigo da veja é uma confissão de desespero. A coisa deve ser ainda mais suja do que já ficou claro pelas denúncias do Nassif e os trechos de gravações que conhecemos. Só mesmo no banco dos depoentes e depois no dos réus, Dom Bob Civita, Policarpo, Rei do Esgoto et caterva poderão ajudar a esclarecer os fatos e a limpar esta página tenebrosa do Jornalismo brasileiro. 

Dane-se se houver alguém do PT no esquema do bicheiro. O Brasil e a Democracia são maiores do que essas figurinhas marginais.

 

Antonio Barbosa Filho

A mídia golpista está tentando envolver o Protógenes no escandalo para tira-lo da CPI , ela sabe que com o Deputado Protógenes na CPI não vai ficar pedra sobre pedra , e a investigação vai ser profunda !

 

Excelente, Foo!!! Parabéns e obrigado!!!

 

José Antônio

Essas matérias da Veja, não são para os leitores, são para os ministros do STF fundamentarem suas decisões. Cada um dos 11, devem ter comprado, pelo menos, duas. Uma para recortar e colar nos autos e outra para guardar para mostrar aos netinhos, em caso de questionamentos futuros.

 

KKKKKKK!! Excelente! Eu acrescentaria mais um exemplar que servirá para forrar as gaiolas dos curiós!

 

O medo da Veja deveria ser "o medo de Civita", aquele que está por trás da trama toda.

 

Vale repetir aqui...

Re: O medo da Veja
 

Isso é uma reportagem ou um editorial?! Foi escrito a quatro mãos (patas, se preferirem), Reinaldo Azevedo e professor Hariovaldo!?

Foo, se me permite, faço também uns adendos aos chiliques em negrito da Veja

"Com o julgamento do mensalão pelo Supremo a caminho, os petistas lançam uma desesperada ofensiva para tentar desviar a atenção dos crimes cometidos por eles no que foi o maior escândalo de corrupção da história brasileira"


O que é uma deseperada ofensiva? A abertura da CPI para investigar relações de um bicheiro com agentes públicos? E que já causou a expulsão de um senador de seu partido? A abertura de processo pelo procurador-geral contra o mesmo senador? A válidade das provas decidida por um ministro do Supremo? E porque todos os partidos assinaram a CPI, inclusive tucanos e demos?

Tudo isso é uma deseperada ofensiva de petistas?

E a atenção do país está voltada para onde mesmo? Para o mensalão ou para o dupla Demostenes & Cachoeira? Atenção inclusive de toda a imprensa.

"Enquanto o triunfo final não vem, os falcões petistas vão se contentar em usar a CPI para desmoralizar todos os personagens e forças que ousem se colocar no caminho da marcha arrasadora da história, que vai lançar ao lixo todos os que atacaram o PT e, principalmente, seu maior líder, o ex-presidente Lula."

Seria o Cachoeira um desses personagens?

"É tamanha a ânsia de Lula e dos mensaleiros para enterrar o escândalo que, se preciso, o PT rifará o governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz, que também aparece no arco de influência dos trambiques da máfia do jogo."


Essa parte é uma reclamação. "Pô nós oferecemos poupar o Agnelo em troca de enterrar a CPI e vocês não toparam? Sacanagem" 

"Motivo mesmo para uma CPI seria investigar os milionários repasses de dinheiro público que o governo e suas estatais fazem a notórios achacadores, chantagistas e manipuladores profissionais na internet. Fica a sugestão."


A sugestão é para o Alvaro Dias e ACM neto. "Vão botar o nosso chefinho para depor, então vamos criar a CPI dos blogs sujos, para botar o Nassif para depor"

Será que eles não percebem que escancararam que a CPI pega eles em cheio? Nunca vi uma admissão de culpa tão clara e cristalina. Mais que isso só se o Civita adimitesse: Eu me associei ao Cachoeira para derrubar o governo do PT

 

Juliano Santos

"Uma CPI dominada pelo PT e seus mais retrógrados e despudorados aliados é o melhor instrumento de que a falconaria petista poderia dispor — pelo menos na impossibilidade, certamente temporária para os falcões, de suprimir logo a imprensa livre, o Judiciário independente e o Parlamento."


Professor Hari anda fazendo escola pelo jeito.

 

A revistinha se acha tão genial que sapecou um trocadilho com o nome do presidente do PT. Parece coisa de imortal (desde que o imortal seja o Mer..al)

 

Porque estas denúncias apareceram agora?

Obviamente há interesse do PT em se defender no julgamento do mensalão e colher frutos nas próximas eleições. O que ocorre é que o enfoque de Veja é diferente. Não há a intenção de vingança somente de PT.

No decorrer do denúncismo de Veja foi-se criando uma esteira de desafetos culpados e inocentes. Achar que não haveria retorno é tolice principalmente porque Veja destruiu a reputação das principais instituições do Brasil.

Envolveu falsamente e atacou ministério público, judciário, policia federal, presidência da república e partidos.

Poupou apenas PSDB e seus financiadores. Chegou a hora do retorno.

Veja vai fazer muito barulho tentando envolver o PT porém explica-se ai o porque da antecedência das eleições. Ela vai ladrar mas com a CPI e com o inquérito correndo, as coisas vão clarear e desembocar em plena eleição. DEM e PSDB estão ferrados.

 

Sem contar os inimigos do próprio PSDB, acuados por causa do "moinho destruidor de reputações". Duvido que percam a chance. Vão afundar abraçados.