Revista GGN

Assine

O nosso capitalismo é dependente do Estado

Por ArthurTaguti

Comentário ao post "Os caminhos de Dilma para a governabilidade"

O interessante da discussão sobre as planilhas dos ônibus é que se tocou na ferida do nosso capitalismo. Este capitalismo tão dependente do Estado como o nosso.

O grande empresariado brasileiro não teria muito fôlego sem a ajuda do Estado não. Exploração de serviços e administração de bens que competem basicamente ao Estado, com taxas de retorno altíssimas, tudo muitas vezes financiado pelo Bndes.

Por isto que o governo federal não pode dar de ombros e pensar que a discussão do MPL não tem relação nenhuma com este novo pacote de concessões.

Em curto prazo pode até trazer crescimento econômico imediato (com as óbvias recompensas eleitorais), mas e a longo prazo? A população vai segurar outro abacaxi, como ocorre com os pedágios das rodovias federais e estaduais, com os serviços de Telecom e o transporte público municipal?

O exemplo dos serviços de telefonia móvel e internet nos mostra que as agências reguladoras não estão conseguindo impedir que concessionárias tenham margens de lucros altíssimas às custas do usuário.

As manifestações de junho mostraram que a população está fatigada com a entrega de serviços públicos essenciais a empresários, promovendo concessões lesivas a economia e ao interesse nacional. Está na hora do Estado retomar estes investimentos em infraestrutura, e livrar o usuário destas tarifas abusivas que pesam, e muito, no seu bolso.

Não dá pra aguentar mais esse empresariado que vive de Bndes e concessões públicas. Eles que aprendam um pouco o que é capitalismo e o que é risco do negócio.

Sem votos

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.