newsletter

O porte de armas de fogo no Brasil

Nassif, mais uma vez, estamos nadando em achismos.

Mais uma vez, estamos atacando fantasmas. Está se atribuindo ao plebiscito do desarmamento a tragédia de ontem.

Tenho profunda convicção que, de cada mil, apenas um tem a mais vaga noção de como funciona a venda e registro de armas de fogo no Brasil.

De cada mil, talvez um, quem sabe, tenha lido a lei que regulamenta a matéria.

Vamos lá:

1) pra começo de conversa, se a arma usada era roubada, de alguém que morreu a mais de 18 anos, então essa arma não seria influenciada pelo referendo do desarmamento.

2) O Estatuto do Desarmamento continua em vigor (o referendo foi para determinar o banimento de armas de fogo, apenas), e este é extremamente rigoroso para dar o registro de arma, que é diferente de porte. Porte é quase impossível de um cidadão comum ter, então nem vou me alongar nisso. Vou tratar só do registro, que permite que a pessoa tenha a arma em casa, não que saia com ela na rua.

Voui3) Vou informar como funciona, HOJE, o registro e porte de armas. Este registro e porte de arma é regulado pelo Estatuto do Desarmamento(http://pqp.vc/2ulj) e Decreto 5.123/2004. Na prática, nenhum aventureiro tem condições de registrar uma arma, muito menos um doido varrido. Primeiro, porque é caro; segundo, porque é necessário uma série de procedimentos burocráticos. Não é uma coisa rápida. Controla-se a venda de armas e de munições; o Brasil não é EUA, onde é mais fácil comprar armas que álcool.

Vamos lá. Me dei ao trabalho de ler a lei e decreto que todos dizem que mataram as crianças, mas que quase ninguém leu:

O interessado em adquirir uma arma de fogo tem de fazer o seguinte:

1) Ir na Polícia Federal, declarar a efetiva necessidade de uso da arma, pedido este tem de ser fundamentado, e que será avaliado;

2) apresentar certidões negativas de antecedentes criminais fornecidas pela Justiça Federal, Estadual, Militar e Eleitoral e de não estar respondendo a inquérito policial ou a processo criminal;

3) apresentar documento comprobatório de ocupação lícita e de residência certa;

4) comprovar capacidade técnica e aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo.

4.1.) A capacidade técnica tem de ser dada por instrutor de armamento e tiro credenciado pela Polícia Federal e  atestar que o requerente conhece da conceituação e normas de segurança pertinentes à arma de fogo; conhece  o funcionamento básico dos componentes e partes da arma de fogo; e que sabe usar da arma de fogo - demonstrando em estande de tiro credenciado pelo Comando do Exército.

4.2.) A aptidão psicológica é dada por psicólogo da própria Polícia Federal, não de terceiros.

5) o requerente tem de ser maior de 25 anos.

Se alguém me diz que o atirador, que tinha uma arma roubada de uma pessoa cara que morreu a 18 anos (antes do estatuto, antes do plebiscito); que não tinha a idade mínima de 25 anos; que não tinha condições psicológicas, que não tinha REGISTRO DE ARMA, que essa pessoa é a prova de que o referendo é culpado, me desculpe, mas não me convence.

Sem votos
88 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+88 comentários

sou totalmente 100% contra o porte de armas alem de que mais armas no mundo é mais violencia mais crimesmais roubos e mais assassinatos.

 

sou totalmente 100% contra o porte de armas alem de que mais armas no mundo é mais violencia mais crimesmais roubos e mais assassinatos.

 

É realmente um absurdo esse assunto ainda estar em pauta. Gostaria de saber o porque não discutimos com o mesmo fervor a falta de qualidade do sistema de saúde pública, a falta de qualidade na educação, os salários abusivos dos "fazedores de leis", a miséria que assola o sertão nordestino, a prostituição de menores de idade, a corrupção escancarada que corre solta por ai???? Todos esses problemas juntos matam muitoooo mais que armas compradas legalmente. Por que o governo não levanta a mão do poder para combater o tráfico, o mercado negro de armas e drogas? Eu mesmo respondo. POR QUE É MUITOOO DÍFICIL e deve ir contra o interesse de muitos em Brasilia, é muito mais fácil tirar o direito de propriedade do cidadão de bem, aquele que paga impostos (muitoos), tem residência fixa e trabalha para sustentar esse governo pesado, caro, ineficiente e ineficaz.

Usar um fato isolado para trazer o assunto á tona é típico da politicagem brasileira que se usa de qualquer artefato para gastar dinheiro público e desviar a atenção do povo para assntos pouco relevantes. Sabe quanto custaria um plebiscito? R$ 400 milhões de reais. Sabe quantos hospitais podem ser construído e equipados com isso? Quantas escolas podem ser construídas? Quantas pais de familias podem ser qualificados para sustentar sua família???

Por favor brasileiros, acordem e olhem para o lado. Vamos agir para que o nosso país não seja afundado por estes que, infelismente , escolhemos para nos representar.

Eu como brasileiro e como cidadão estou cansado de tanta politicagem no país da desigualdade social, da corrupção, da injustiça, dos salários milionários aos políticos, dos altíssimos impostos, da falta de infra-estrutura básica, da desordem,  da violência causado por BANDIDOS que não compram armas em lojas e não gastam mais de R$ 2000,00 para adquirir uma arma dentro da lei e muito mais!

Peço que por favor ACORDEM!!!!!

 

 

O tal "desarmamento" alimentou os bandidos com mais armas. Basta ver as notícias, milhares de armas entregues ao Estado foram vendidas e entregues para criminosos. O Brasil é um dos países com leis mais rígidas sobre registro e posse de armas de fogo, mas como tudo aqui, não se fiscaliza a lei. A Inglaterra proibiu a posse de armas e desde então o número de residências invadidas, estupros e mortes por facas disparou, enquanto isso as quadrilhas de lá continuam com seus revólveres e pistolas. O plebiscito sobre o desarmamento já foi feito, a GRANDE maioria da população repudiou a idéia de não poder se defender adequadamente. Fazer outro plebiscito é golpe, pura e simplesmente. Sugiro que façamos antes uma consulta popular sobre a pena de morte, ou, melhor ainda, sobre o fechamento do Senado Federal (essa inutilidade que consome bilhões por anos).

 

Aos que só criticam e falam abobrinhas, aproveitando de uma trajédia que abalou o pais.
Aos que ficam a todo custo tentando desarmar o pessoal de bem, pai de família e cidadão
que enfrenta um vasto e burocrático processo para se comprar uma arma legalizada na loja,
creio que vocês não vivem no mesmo mundo que eu vivo não. Como vcs querem usar de um argumento "trajédia" para desviar o foco e culpar o cidadão de bem? Ou quem sabe, culpar as Armas?
Me digam um coisa... No atentado de 11 de setembro, alguém culpu os aviões?

Pensem em como arrancar de vez as armas das mãos dos traficantes. Pensem em como assegurar o direito de ir e vir de um trabalhador, pai de família. Pois eu não ando mais de vidros abertos, eu não saio a determinada hora, pois mesmo sendo policial, eu não me sinto seguro em determinadas situações, pensem em priorizar a educação de nossas crianças, em combater a corrupção, em proteger nossos jovens das drogas, ao mesmo tempo, fazendo que se cumpra a punição ao marginal que vende drogas na porta dos colégios. Pois está sendo priorizado a construção de presídios, enquanto estamos tendo uma queda em quantidades de escolas construídas/desativadas.

Outro fato que notei no texto acima...

Deveria ser exposto claramente o seguinte: Para cada 18 armas ILEGAIS apreendidas, uma vida é salva...

Pessoal, revejam o conceitos de vcs em relação as armas de fogos, pois homem MAL, não precisa de uma arma de fogo para destruir uma, ou milhares de vidas, já o homem de BEM, precisa da mesma para defender sua vida, ou a de seus entes queridos.

Fiquem na paz de Deus.

 

Prezado LEN. Torço de coração para que você nunca seja pego em uma situação de risco a sua própria vida, ou a de alguém que você ame, que nunca seja surpreendido em seu apto, casa, lar por um individuo armado e onde mesmo sendo uma pessoa super calma e de bom caráter, o amigo tenha que intervir, para salvar a sua vida, ou pelo menos, tentar deter o agressor até a chegada da polícia ou de algum tipo de ajuda.

 

Sabe, eu tenho 7 anos na polícia civil, não preciso ficar aqui defendendo o direito a legítma defesa de cidadão comum, pois o estado me garante o direito, para que eu tenha meios meus para defender a mim mesmo e a quem quero bem. Mas o caso é, que nestes 7 anos, já vi coisas abomináveis, á vi coisas cavernosas, mas os ultimos acontecimentos que ando presenciando, estão conseguindo superar tudo de mais ruim que já vi até hoje. O pior de tudo que depois que as vítimas morrem e viram estatísticas, não me recorde de ter visto nenhum morto voltar a vida para reinvidicar seus direitos não.

 

Pense um pouco nisso ok meu caro.

Minha mão, costuma dizer... É melhor você ter uma arma e não precisar , do que precisar e não ter...

 

Abç

 

A coisa mais sensata que eu li hoje sobre a tragédia no Rio de Janeiro foi escrita pelo Reinaldo Azevedo. Daí já se vê o nível do absurdo que predomina na maioria das manifestações a respeito dessa coisa inominável, que foi o massacre de crianças praticado por um doente mental. Os primeiros a chafurdarem no sangue dos inocentes foram os prosélitos do desarmamento, capitaneados pelo Ministro José Eduardo Cardoso. 

É impressionante a quantidade de asneiras que diz essa gente, que decidiu, sabe-se lá com que intenção e patrocinada sabe-se lá por quem, extinguir o direito à legítima defesa no Brasil. "Vamos retomar a campanha do desarmamento para impedir que fatos como esse se repitam", prega um safado qualquer, e imediatamente repercute em tudo quanto é veículo de mídia. Isso é um desrespeito com as vítimas. Uma pesquisa rápida no Google remete a dezenas de massacres cometidos com facas, facões, machados e outros tipos de instrumento. Vamos proibir, também, a fabricação de facas, facões, machados, enxadas, pás, etc? Ou, talvez, exterminar as árvores, já que pedaços de pau também podem virar armas? Quem sabe cobrir o país com uma camada de areia de 04 ou 05 metros, já que pedras também servem como armas?

Se houvesse naquela escola um homem, digno desse nome, com uma arma e a coragem suficiente para defender inocentes, essas crianças teriam sido salvas. E, ao final, foi um homem com uma arma que evitou que houvesse muito mais vítimas. Armas são ferramentas, tanto quanto uma chave de fenda, um pé de cabra ou um bisturí. Na mão certa, servem para coisas boas. Na errada, para produzir desgraças. Essa demonização das armas é uma falácia, um engodo, destinada a produzir uma legião de cordeiros, prontos para o sacrifício. O que, aliás, já produziu, basta ver as manifestações contra armas de fogo em todo canto.

Em que porcaria de sociedade vivemos, na qual as pessoas renunciam ao direito de defender-se a si próprias e a suas famílias, em nome de um pretenso humanitarismo que só existe na mente dos ingênuos ou idiotas?   

 

Caro Rei, o seu estilo (ou simplesmente nonsense) é único. Vc acha mesmo que iria nos  pregar uma peça, hein! Da próxima vez tente colocar menos "safados" e "idiotas" no texto, quem sabe aí vc consiga passar despercebido e pensemos, talvez, se tratar de um texto de mais um papagaio de pirata alimentado pela sua revistinha... Saudações.

 

 

Esse Blog esta cheio de achar!

Um que acha que os outros estão achando demais, consegue ter todo esse espaço no Blog.

Eu votei contra e sou contrario ao porte de armas!

Certamente não vou ter esse texto publicado!

Minha posição não esta em consonância com os interesses de empresas de armamentos!

 

Prezado Nassif

Armas não foram feitas para serem usadas para defender-se de  assaltos de surpresa de criminosos .Quanto a estes , não existe defesa a não ser a rendição E A POSTERIOR PRISÃO DOS MESMOS PELA POLÍCIA.A posse de armas como totalmente  desnecessária   é o argumento   daqueles que pregam  o banimento geral do porte de armas civis, e é  impregnadas de Defesa do Patrimônio pelo suposto uso de armas de fogo .

Armas Civis também possuem um poderoso significado político de assegurar, ao menos simbolicamente , a  independência de Direitos Individuais dos cidadãos, inclusive  na dissuação de Policiais e Militares  Bandidos e assediadores morais!. (lembrem-se de Colt, o inventor  do revólver Colt-"O Colt 45 igualou os homens  nos seus conflitos!") .

É claro que é uma das tragédias da Democracia Representativa, o risco de desatinos por parte de cidadãos de bem . Mas como beber demais , fumar, comer comida Junk food, ser corrupto, ser exemplar,portar uma arma branca, um cachorro pitbul sem fucinheira para multilar ou até matar  desafetos , uma chave de fenda, venenos, ácidos, gargalos de garrafa, pedras,aprender  golpes letais de lutas marciais  , etc.. É DE LIVRE ESCOLHA DOS CIDADÃOS O CAMINHO A SER  ESCOLHIDO .O IMPORTANTE E UMA CONTÍNUA EDUCAÇÃO DAS CONSEQUENCIAS DE TAIS DESATINOS !.

Certamente  a exigência de ter frequentado um curso de Tiro , regulamentado e fiscalizado  , ter sido aprovado em exames médicos e psicotécnicos são exigências legais a serem cumpridas por todos , mesmo em uma possivel nova legislação estadual de posse e porte de Armas .

Também é muito claro que o desejo  da posse e o porte de armas civis pelos cidadãos  é função direta da eficiência da Segurança Pública das unidades Federativas e da Justiça .Infelizmente, A PM  só aparece  depois de fatos consumados e horas depois  .

Agora é função única   do Estado fazer as legislações pertinentes e de salvaguarda de todos ,dentre as mais inteligentes possíveis .E como conclusão geral , o tema  é  de grande polêmica, todos os argumentos pró e contra são pertinentes  e de profundo caráter CONSTITUCIONALISTA , em minha opinião de cidadão contribuinte independente .

Quanto a observação do Comentarista Arnaldo , O GRANDE PROBLEMA QUE OS DOIS MILHÕES  E DUZENTOS E OITENTA E SETE MIL   REAIS SÃO DE ORIGEM PÚBLICA! , E NÃO DINHEIRO  PRIVADO (PELO MENOS OFICIALMENTE!) COMO O DINHEIRO  DAS OUTRAS GRANDES EMPRESAS .

 

 

  

  

 

 

Dastanhêda

Queria entender; ainda tem gente contra o desarmamento? Mesmo depois da tragédia? 

 

Perfeito, Arnaldo. Isto chama-se dar nome aos bois.

 

Só informando (fonte: http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/referendo_2005/prest_blank.htm): Referendo do Desarmamento (2005) - Prestação de Contas

- Por Um Brasil Sem Armas (SIM) - Receitas Totais: R$ 2.287.000,00

 

- Pelo Direito à Legítima Defesa (NÃO) - Receitas Totais: R$ 5.726.000,00 (150% maiores)

  Maiores Doadores do NÃO (97%): CBC-Cia.Brasileira de Cartuchos: R$ 2.754.000,00

                                                          Forjas TAURUS: R$ 2.828.000,00.

 

A quem mesmo interessa esse "Direito À Arma"?!

 

Se copiamos dos Estados Unidos o direito à arma, por que não esperar os mesmos resultados?

 

É verdade, o massacre de ontem não teve nada a vem com o plebescito. Mas com o resultado do plebescito, o acesso a armas de fogo é maior, tornando mais possível novos massacres.

 

Sou a favor do direito do cidadão possuir armas em casa (mas não possuo), a realidade é que vivemos refem da violencia enclausurados em nossas casas, prefiro que os bandidos tenham a duvida se dentro da casa exista alguma arma que possa feri-los, do que a total certeza que as que eles possuem são as unicas no momento do assalto, por exemplo. Seria inocente demais achar que desarmar o cidadão comum diminuirá a violencia, a violencia parte do indivíduo que pode utilizar um carro, no caso do atropelamento dos ciclistas, ou qualquer outra coisa, nosso maior problema é cultural, onde os "Gersons" sempre estão pouco se importanto com os outros, ou seja, não sabemos viver em "sociedade" no sentido puro da palavra. Lamentável.

 

Sou a favor do desarmamento. Acho que é preciso abortar a mais remota possibilidade de vir a se estabelecer no Brasil uma cultura armamentista, um fetiche, um culto às armas a exemplo do que acontece nos Estados Unidos, com as trágicas consequências conhecidas por todos nós. É preciso deixar claro para a população em geral que armas não foram feitas para nos proteger: armas são fabricadas para matar. E matam. E muito.

Armas matam num momento de descontrole emocional, transformando em tragédia irreverssível aquilo que poderia ter sido apenas um bate-boca ou, na pior das hipóteses, uma troca de socos. Matam por acidente (quantas crianças já não morreram ou mataram coleguinhas ao manusear armas que os pais acreditavam estar fora do alcance dos filhos?). Matam quando alguém acredita ser mais rápido no gatilho do que o bandido, e nem tem tempo de descobrir que a vida real não é como nos filmes de ação. Matam quando a bala perdida encontra no caminho alguém que não tem nada a ver com nada.

Escrevi reportagens sobre o tema. Entrevistei cidadão comum transformado em assassino por causa de uma discussão boba de trânsito - e porque, desgraçadamente, tinha um revólver no porta-luvas. Conversei com um pai cuja única filha foi acidentalmente morta pela babá, com um tiro na cabeça, e que me disse: "Eu tinha a arma escondida em casa para defender meu patrimônio; pois aquela arma levou para sempre o que eu tinha de mais precioso". Falei com agente de operações especiais da Polícia Civil, uma espécie de ninja, que foi categórico: "Apesar de todo o treinamento que tenho, se um assaltante apontar uma arma para mim eu entrego a ele o que tiver de valor e preservo minha vida; a vantagem é toda do bandido, que conta com o fator surpresa e já tem a arma engatilhada e apontada pra vc. Reagir é suicídio".  

Pra que armas? Por que matar? Pra que morrer? 

 

joserezendejr

No inicio desta semana, uma familia, obteve a vitória em segunda instancia de uma ação contra um fabricante de cigarros no valor de (acho) R$ 100.000,00

Quando será que um bom advogado processará os fabricantes de armas brasileiros pela morte por arma de fogo????

Porque não se aplica o mesmo conceito???

 

 

Prezado Marcio F P nascimento

Meu estimado, desculpe-me a franqueza, mas o Inferno está cheio de bem-intencionados .È claro que todos os cidadãos de bem agarram-se a esta quimera que todos devem cumprir as Leis.Mas não é assim no Mundo Real e Humano .Imagine a Polícia ter que investigar  todos os cidadãos de um País com oito milhões e meio de metros quadrado e quase 200 milhões de Pessoas !. Certamente Impossível.E o número de Processos Criminais finalizados a contento e não-arquivados!:Um número mínimo e chaga desonrosa da Sociedade Brasileira!.

Este Estatuto -na presente forma -; é nocivo, não pela sua Filosofia de levar a Paz Social  aos Cidadãos de Bem deste  País continental através da quimera do desarme civil compulsório , mas por  conceder subjacentemente  um meio fácil e profundamente  anti-democrático de Prender Suspeitos de Policiais e grupos Políticos-um poderoso vetor "corrupcional" , não tenha dúvida!.

  .Assim como a criminalização do  porte de Drogas de qualquer quantidade  .Quanto Poder nos primeiros 30 dias foi  concedido a Polícia e aos Forjadores de ProvasCriminais  !. É claro que para os mais abastados existe o Habeas Corpus, Fianças, etc....Mas esta devastadora projeção de poder de retirar o Direito de Ir e Vir  ,através da Prisão por porte ilegal de armas civis é realmente  profunda e intimidadora aos cidadãos de Bem , além de "justificar" criminosas invasões de Privacidade" por parte de Policiais e Terceirizados mal-intencionados !.

Leis, Regulamentos e Estatutos não podem ser idiotamente copilados literalmente de realidades socio-econômicas de Outras Sociedades e burramente transplantadas por força da "Caneta" , para a socialmente complexa Sociedade Brasileira .Exemplo: A PF gastou bilhões de Reais  do erário público, na obtusa certeza que a proibição da venda de armas seria aprovada esmagadoramente pela População (Delegado Lacerda ?) : Não, não foi.Muito Pelo contrário!.E certamente  este dinheiro todo seria melhor gasto no re-equipamento e re-educação dos seus intgrantes , em minha opinião de cidadão contribuinte , do que gastar em Agências de Propaganda do referido Plebliscito-Tudo causando profunda estranheza aos contribuintes !.

A regulamentação do porte de arma pela PF  começou em 2004 .E com prazo inicial de 1 ano para que os proprietários de arma regularizasem as mesmas, sob a ameaça de prisão inafiançável .Os cidadãos  possuidores de armas já regularizadas pelas Secretárias Estaduais transformaram-se instantaneamente em "Terroristas" e "Guântamanos " Prisionais os esperavam  !.

.Outro desastre-Nunca dantes neste País teve-se uma desobidiência Civil de tão grande magnitude !. .Acho que até agora, em  2011-e depois de  mudança completa nas exigências Draconianas anteriores da PF  , menos de 25 % das armas em posse dos cidadãos do Brasil  foram efetivamente legalizadas .

Conclusão .Mais um gigantesco Mercado Negro instarou-se na Nação pós2004 e sob o comando do Crime Organizado (Quartéis e Bases militares ,Milícias, Policiais corruptos, POLÍTICOS CORRUPTOS, etc..).E tudo planejado!.

 

Dastanhêda

O Brasil ja tem uma das legislações mais restritivas no que se refere à posse e mais ainda ao porte de armas de fogo, o que não impede o pais de ser um dos campeoes  mundiais (se não for o campeão) de assassinatos por armas de fogo. Eu não votei contra nem a favor da proibição do comercio de armas de fogo porque não estava no Brasil na época. Estivesse, votaria convictamente contra. Seria mais uma lei, dentre tantas, cujo unico resultado seria a criminalização do cidadão honesto. O marginal que quiser arma de fogo sera (se ja não é) plenamente suprido pelo contrabando. Tai outra opçao de negocio tremendamente lucrativo pra bandidagem organizada, além do trafico de drogas.

 

Não parece, mas a arma que arma essa chocante realidade, as vezes cruelmente com a de fogo como coadjuvante, é de calibre ímpar, acima da lei.

Wendy Warhol profetizou.

A TV tornou realidade, turbinou a enésima potência e atingiu o ápice com o Big Brother.

Agora estreiamos no Brasil, o suicida midiático, aquele que se retira, mas não mais silenciosamente e solitário, como dantes.

"Alô, Alô, Realengo, aquele abraço!

Alô, torcida do Flamengo, aquele abraço! 

Plim...Plim.

 

Caros, eu só posso imaginar o Nassif colocando em evidência este post com a única intenção de ver os argumentos nele contidos refutados. Então vamos lá:

"1) pra começo de conversa, se a arma usada era roubada, de alguém que morreu a mais de 18 anos, então essa arma não seria influenciada pelo referendo do desarmamento."

Baseando-se nas estatísticas e informes policiais, muito provavelmente esta arma passou por muitas mãos nestes 18 anos. Sabe-se lá quantos crimes foram cometidos com ela e por quantos autores diferentes. Esta observação não é um achismo: é uma observação fundamentada em dados estatísticos.

"2) O Estatuto do Desarmamento continua em vigor (o referendo foi para determinar o banimento de armas de fogo, apenas), e este é extremamente rigoroso para dar o registro de arma, que é diferente de porte. Porte é quase impossível de um cidadão comum ter, então nem vou me alongar nisso. Vou tratar só do registro, que permite que a pessoa tenha a arma em casa, não que saia com ela na rua.

3) Vou informar como funciona, HOJE, o registro e porte de armas. Este registro e porte de arma é regulado pelo Estatuto do Desarmamento(http://pqp.vc/2ulj) e Decreto 5.123/2004. Na prática, nenhum aventureiro tem condições de registrar uma arma, muito menos um doido varrido. Primeiro, porque é caro; segundo, porque é necessário uma série de procedimentos burocráticos. Não é uma coisa rápida. Controla-se a venda de armas e de munições; o Brasil não é EUA, onde é mais fácil comprar armas que álcool."

Depois dos ítens 2) e 3) acima o autor nos apresenta os passos necessários para uma pessoa adquirir uma arma de fogo. Nos dá todas as informações relevante e termina seu texto com a seguinte frase:

"Se alguém me diz que o atirador, que tinha uma arma roubada de uma pessoa cara que morreu a 18 anos (antes do estatuto, antes do plebiscito); que não tinha a idade mínima de 25 anos; que não tinha condições psicológicas, que não tinha REGISTRO DE ARMA, que essa pessoa é a prova de que o referendo é culpado, me desculpe, mas não me convence."

O mais impressionante pra mim é o autor assumir ter tido um grande trabalho para pesquisar, escrever e nos informar algo que, caso ele tivesse lido com mais atenção, entenderia não ter sentido direto com a tragédia:

1) O jovem atirador usou uma arma roubada, ou seja, ILEGAL. O fato de ter sido roubada 18 atrás, como já discutido acima, só aumenta as chances desta arma ser mais criminosa que outra roubada 18 horas atrás;

2) Pouco importa se o jovem atirador sabia ou não que o registro e porte de armas LEGAIS no Brasil é tão difícil e que ele não teria a menor chance de comprar e/ou legalizar uma. Ele usou uma arma roubada, ou seja, ILEGAL. Este simples fato torna o texto do nosso colega totalmente inútil à discussão, visto que ele tratou apenas de aspectos relativos ao porte e registro de armas LEGAIS.

3) Para que o tempo que ele desperdiçou não seja em vão, sugiro então que ele pesquise e leia (com atenção) as estatísticas oficiais, sejam estaduais ou federais, que demonstram o fato de que a grande maioria das armas compradas legalmente retornam às ruas; em outras palavras, aqueles que compraram, registraram e obtiveram o porte tiveram, em sua grande maioria, suas armas roubadas ou perdidas. Estas armas estão por aí, nas ruas, e dificilmente ficarão 18 anos sem serem disparadas. Em resumo, nosso problema são as armas ILEGAIS, que na sua grande maioria foram LEGAIS e estiveram um dia nas mãos dos tais "cidadãos de bem". O pior, é que estes cidadãos, com suas armas devidamente legalizadas,  nunca deram sequer um disparo na vida; numa situação de emergência, provavelmente não saberiam como destravar a arma ou como recarregar um pente de balas, colocando em maior risco sua família. Acho realmente surreal esta realidade e lamento existirem pessoas que a apóie.

 

Me desculpe

Mas a venda / porte / comércio ou coisa parecida de armas de fogo deveria ser proibida.

Nunca ouvi argumento lógico que justificasse a necessidade de alguem portar arma.

 

E vou mais alem, todos são possíveis assassinos, todas as pessoas, de qualquer raça, religião ou sexo.  A diferença é  o que você vai ter na mão na hora da raiva , na hora que pegar sua mulher na cama com outro, alguem aprontando alguma, ou alguem zoando seu time

Quando você era jovem, por acaso nunca ocorreu de alguem zombar com alguma coisa, tirar aquele sarro, e você ou virar um murro, ou simplesmente empurrar o folgado?  Imagina se você tivesse uma arma de fogo...

 

 

Se vc estiver com muita raiva,precisa de um psicólogo rapidamente;se vc pegar sua mulher na cama com outro ,vc é corno,

e a culpa é sua ( quem tem em casa ,não procura fora) se vc não tiver arma ,vai usar faca,machado ,martelo,enfim ,qualquer 

objeto que vc tenha as mãos para executar o que vc quiser.

Seja sensato ,bandido vai entregar seu fuzil? tem arma registrada? fez teste psicotécnico?

Para com isto meu ,pense com a cabeça fria,não se deixe levar pelo emocional!

 

Este assunto, com raríssimas excessões, suscita apenas a construção de um imenso FEBEAPÁ.

FEBEAPÁ

FEBEAPÁ

FEBEAPÁ

FEBEAPÁ

FEBEAPÁ

A palavra perfeita para definir o que será dito sobre o assunto ARMAS. 

Em nenhum outro assunto que eu saiba, o FEBEAPÁ é tão completo e abrangente. Qualquer pingo de bom-senso, raciocínio, conhecimento, se afoga num oceano de FEBEAPÁ. Comece uma discussaõ sobre armas e ele se agiganta.

 

Caramba, é realmente muito difícil registrar uma arma de fogo no Brasil. Com esses critérios, essa burocracia toda nenhum desequilibrado efetivamente consegue. Só uma pergunta: Essas exigências são aplicadas também às polícias estaduais? Acredito que seja até mais rigoroso, por se tratar de agentes que precisam defender não só a si como também cidadãos...

 

não adianta chorar pelo leite derramado.

muitos brasileiros não concordaram com o "abandonar armas" proposto no plebiscito em 2004.

portanto, cada um por si ..........

 

Até que enfim um pouco de bom senso. Desconfio entretanto que não adiantará nada.

 

Senão fosse com uma arma de fogo seria com uma faca, facão, punhal ou outra arma branca.

Ele queria matar e nada impediria ele disto.

Graças a Deus um policial acabou com a sanha assassina dele.

Sem os tiros talves tivessemos um número maior de vítimas por exemplo, degoladas.

Pensem nisto. Discutir o sexo dos anjos é para querubins.

 

Caro, vc esqueceu o estilingue. Chacinas com estilingues são terríveis...

 

 

Na minha época de criança existiam verdadeiros psicopatas que cometiam chacinas incomensuráveis contra as indefesas pombas.

"Matavam até 50 duma veiz".

 

Mais uma vez: o poder letal de armas de fogo é bem maior que de outras armas ou objetos (por isso a lei corretamente as enquadra em uma categoria diferenciada).

 

Ok Alberto, então relacione uma chacina, uma sequer, que tenha ocorrido com o uso apenas de objeto perfuro-cortante (não estou falando em assassinatos em série, mas chacinas como as de ontem) ou outro instrumento que não seja uma arma de fogo ou uma bomba (que não tem comercialização permitida). Desculpe, não dá para sequer imaginar que com uma faca esse maníaco pudesse fazer tantas vítimas. 

 

Visitem o Blog Ponto & Contraponto. Twitter: @len_brasil Robozinho do blog: @pontoXponto

Polícia busca mais um suspeito da chacina em São Sebastião do Passé

Foragido do sistema penal desde agosto de 2008, Alexcinaldo Santos de Jesus, 35 anos, está sendo procurado por investigadores da delegacia de São Sebastião do Passé (Grande Salvador), suspeito de participação na chacina cometida no último dia 2, na zona rural do município.

O crime vitimou quatro pessoas de uma mesma família, mortas a golpes de facão e outros tipos de arma branca. Também apontados como envolvidos na matança, José Sales Vilar, conhecido como Galego, 38, e Antônio Cardoso dos Santos, o Índio, 54 (que responde a outro processo por homicídio), já encontram-se custodiados na delegacia – por força de mandados de prisão temporária de 30 dias (prorrogáveis por igual período).

Em depoimento, ambos negaram envolvimento no delito. Entretanto, o chefe de investigação da unidade, Márcio Xavier, revelou que duas testemunhas confirmaram ter ouvido de Alex, como é conhecido o procurado, que o crime foi cometido por este último, os dois presos e um quarto homem ainda não identificado. “Segundo as testemunhas, Alex disse não conhecer este quarto envolvido, mas comentou que foi praticar um assalto e acabou perdendo o controle da situação”, emendou Xavier.

 

 

ainda assim é incomparável Alberto, estamos falando de uma chacina com 12 mortos e 12 feridos e em local público, não se trata de um maluco que invadiu uma casa onde as vítimas não podem pedir por socorro. se o homem estivesse com uma faca jamais chegaria a esses números antes da polícia chegar. O poder letal de uma arma de fogo não se compara a de um objeto perfuro-cortante

 

Visitem o Blog Ponto & Contraponto. Twitter: @len_brasil Robozinho do blog: @pontoXponto

 

Len, me diga o seguinte. Se ele amarasse bombas no corpo capazes de destruir aquele prédio inteiro e matar centenas de crianças, estaríamos aqui tendo este debate sobre proibição de armas?

E não me venha falar sobre dificuldade de adquirir. Para um psicopata nada é impossível.

 

Alberto, a comparação não tem nexo, nós estamos falando de armas de fogo que podem ser compradas em lojas desque que devidamente autorizadas. Bombas não vendem em lojas, são feitas de forma clandestina. Bombas não podem ser produzidas quanto mais comercializadas. Nós estamos falando de um instrumento letal cuja comercialização é permitida.

 

Visitem o Blog Ponto & Contraponto. Twitter: @len_brasil Robozinho do blog: @pontoXponto

 O que o Rodrigo escreveu está correto. Eu não consigo entender essa histeria com relação à armas de fogo, como se elas fossem instrumentos dotados de vontade própria. Quanto à afirmação de que sem armas de fogo não ocorrem chacinas, só posso entender que o comentarista é absolutamente desinformado ou tem memória seletiva:

Na China: http://pt.euronews.net/2010/03/23/china-chora-o-assassinato-de-oito-criancas/

No Japão: http://www.ipcdigital.com/br/Noticias/Japao/Homem-mata-sete-a-facadas-em-ruas-de-Akihabara 

No Japão II: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2004/09/040914_takumadi.shtml

E eu poderia continuar postando links de chacinas cometidas sem o uso de armas de fogo ad infinitum.

 

 

 

Querem rediscutir a legitimidade de um cidadão possuir um arma? Tudo bem, vai ser mais uma "lavada".

Mas para aproveitar bem a consulta popular, sugiro mais três temas:

- A favor do casamento de homem com homem?

- A favor de se retirar dos prédios públicos crucifixos?

- A favor do aborto?

 

O resultado apenas vai demonstrar o que todos sabem, que no geral, em sua maioria, a população brasileira é respeitadora dos costumes e temente a Deus. O único que irá perder com isso é o contribuinte que vai pagar a conta para que se confirme algo consabido.

 

Se depender da desinformação que você prega, sim, será uma lavada.

1) "casamento entre homens" = reconhecimento civil da união entre homossexuais para efeitos patrimoniais, especialmente para fins de herança.

2) retirada de crucifixos de repartições públicas = reconhecimento do princípio constitucional do estado laico. Quem quiser levar seu próprio crucifixo, sua estrela de Davi ou sua lua crescente que leve.  Na condição de objetos privados não integrantes do patrimônio público.

3) "legalização do aborto" = deixar de fingir que não ocorrem aos milhares, em condições precárias e que nenhuma ex-gestante será presa por isso.

 

Ocorre que seu objeto básico é confundir e escurecer as trevas.

 

Coloque a pena de morte na sua lista de referendos e irá constatar  que o povo não é tão temente a Deus assim.

 

"Respeitadora dos costumes e temente a Deus", e que usa arma de fogo, muito coerente......

 

Mas a questão não é essa: não se pode ignorar a responsabilidade da indústria das armas na tragédia de ontem. Tragédia é tragédia, aconteceria em qualquer lugar: EUA, Finlândia, Rússia...países com características completamente diferentes, do ponto de vista cultural, social, econômico e político, tiveram o seu Columbine. Falta uma vigilância maior sobre a armas ilegais? É óbvio, ninguém questiona isso. Mas a discussão de fundo é a necessidade do porte de armas: Os bolsonaros da vida, ao votarem NÃO, alegavam que o homem de bem tinha o direito de se armar: até as 8h30 de ontem, não havia nada que dizia que Wellington não fosse um homem de bem. Esse é o problema. Quem é esse homem de bem? (E ainda: a julgar pelas análises da velha mídia, só se destilou preconceito: HIV positivo, nerd, tímido, fundamentalista religioso e por aí vai).

A tragédia poderia até ser inevitável (afinal ninguém está a salvo do imponderável, do surto psicótico de um sujeito), mas negar que poderia ser amenizada e as chances de ter acontecido poderiam ser reduzidas é burrice: o referendo não é culpado por nada, mas certamente, a indústria das armas e a sua não proibição e banimento têm, sim, responsabilidade direta e objetiva sobre o acontecido.

 

Certo dia ouvindo um  "comentarista em seguranca" cujo nome não me lembro (nem em que programa), -- infelizmente, o mesmo  me surpreendeu a dizer que "tememos o que é raro". Esta é a verdade, concordei com ele, imediatamente.

Por mais assustador, aterrorizador, atestado de barbárie que tenha sido o incidente de realengo, trata-se de um incidente muito peculiar, muito particular, muito raro. Quantos casos de malucos invadindo escola e matando criancas tivemos, não só no Brasil, mas no mundo? Quantas criancas morreram? Agora tome isso do total de criancas mortas. Quantas morreram de gripe? Quantas morreram afogadas em piscina? Quantas morreram em acidente de automóvel? Quantas morreram engasgadas?

Não existe justificativa para tanto alarde pelo episódio de realengo. É um episódio muito particular. Horrendo, catastrófico, mas particular. Tem dois efeitos imediatos, um, nos deixar assustados; dois, vender jornal. E só. Criancas morrem em vida todo dia no Brasil, e isso não nos deixa assustados.

Em outros casos podemos constatar os mesmos efeitos. No caso do menino João Hélio, muitos pais ficaram com medo de atar os sintos de seguranca nos filhos (inclusive eu), com medo de, em uma situacão de assalto, passar pela indescritível experiência da família do menino. Mas quantas criancas morrem por estarem sem sinto de seguranca e quantas morrem arrastadas pelo mesmo, como infelizmente aconteceu com o pequeno João Hélio?

No caso japonês, de fato, os acidentes nucleares (ou de petroleiros) têm efeitos trágicos. Mas o petróleo, a energia nuclear, a indústria química, todos representam grandes perigos em potencial. Mas são indispensáveis à civilizacão humana. Acidentes nos alertam dos perigos destas coisas, nos mostram o quanto são perigosas, mas viver sem elas é impossível, ou alguém se habilita a pedir um retorno à idade da pedra? 

 

Vamos aproveitar e proibir facas, carros e tudo que pode matar! Mas eu entendo seus "argumentos". É mais fácil culpar um objeto que uma pessoa. É mais fácil pensar que o assassino provavelmente iria ficar em casa assistindo desenho animado se não tivesse armas de fogo. E mais fácil ainda é criticar algo que ele não possui. Se não houvessem armas licensiadas ele não teria a arma ilegal dele não me parece uma explicação lógica.

Muito melhor proibir armas de fogo que educar. Muito melhor combater sintomas que doenças. Minha curiosidade é: se o plebiscito tivesse aprovado a proibição, vc seria tão ávido em cancelá-lo? É fácil falar que gosta da democracia, exceto quando não concorda com as opiniões das pessoas.

A maioria dos seriais killers usam facas porque não tem armas em seus países. Alguns jovens, um tempo atrás, viram uma pessoa que julgaram ser gay e sem armas de fogo não resolveram atacá-lo com uma lâmpada. Porque eram jovens de bem. Porque o problema estava na arma e não na educação que tiveram, que os ensinou que é importante respeitar as opiniões dos outros - exceto quando são contrárias as deles mesmos.

A Suiça tem praticamente uma arma de fogo por adulto, e pouquíssimos crimes. Todas as armas são registradas, inclusive ranhuras. Mas lá não ocorrem crimes. É algo a se refletir.

 

O poder letal de uma arma de fogo é imensamente maior que o de facas. Uma arma de fogo tem a finalidade de ameaçar/matar; um carro tem a finalidade de transportar (qual a lógica do "argumento" de proibir carros ?).

Se o assassino não tivesse acesso a armas de fogo, acesso a informações e equipamentos relativos a armas de fogo, mesmo com os problemas que ele tinha, o dano que ele causaria seria muito menor (ou talvez ele nem causaria nenhum dano, pois com a arma, ele provavelmente se sentiu mais poderoso e mais instado a ter capacidade de matar muita gente, o que talvez não seria o caso se ele tivesse simplesmente se apossado da faca da cozinha).

Temos que educar sim, mas que tal mudar algo a respeito das armas de fogo ? Seja através de melhor fiscalização/punição/cumprimento das leis existentes, ou até de uma lei mais adequada ?

Repetindo mais uma vez (desculpe a insistência): o poder letal de armas de fogo é bem maior que de outras armas ou objetos (por isso a lei corretamente as enquadra em uma categoria diferenciada).

E por favor: não dá para ficar comparando Brasil com Suíça. O Brasil é imensamente maior em território e população, tem uma história totalmente diferente, uma desigualdade social muito maior, corrupção, criminalidade e impunidade muito maiores, problemas sociais, falta de segurança em toda parte, escolas públicas com péssima infra-estrutura, e tantas outras variáveis, que isolando somente uma, ou seja, a quantidade de armas de fogo por adulto versus o nível de criminalidade, não dá para se concluir absolutamente nada, ou seja, o que serve hoje para a Suíça não serve hoje para o Brasil, definitivamente não.

 

Pô, Marcos, proibir o acesso a informações é demais. Vamos agora queimar livros que mencionem armas de fogo ou dêem alguma informação sobre o seu manuseio. É a Idade Média retornando.

Olha, quando a paranóia toma conta da sociedade, quem perde são os cidadãos, porque aí passa-se a proibir tudo em nome da segurança, passa-se a cercear todas as liberdades individuais. Veja o que está ocorrendo nos EUA após o 11/09. O maior símbolo da liberdade do mundo hoje está prendendo sem justificativa e vigiando todos os passos de seus cidadãos (inclusive escutas telefônicas e vigilância da internet). As pessoas, em nome de uma improvável segurança pública, vão aos poucos cedendo suas liberdades ao Estado. Amanhã teremos um arcabouço jurídico prontinho para um ditador assumir o controle de tudo.

Quanto às armas, dou um testemunho: fui policial civil durante quatro anos e, neste tempo, vi pouquíssimos registros de furto, roubo ou desaparecimento de arma legal. Talvez uns dez em quatro anos e depois de passar por várias delegacias. Portanto, o problema da violência com arma não está vinculado às armas dos cidadãos de bem, mas sim ao contrabando e ao mercado negro.

Dificilmente um cidadão porta arma de fogo, porque a legislação, na prática, proíbe o porte. E mesmo a compra é difícil. Portanto, estamos falando de percentual pequeno de proprietários de armas legais e de número mais insignificante ainda de roubos dessas armas.

Armas, de fato, não são legais. Eu não tenho armas. Porém, as armas legais não são o problema e proibi-las não resolverá a violência.

A história está cheia de exemplos de proibições que somente trazem mais violência, como o caso de bebidas alcoólicas e drogas.

Precisamos parar de autorizar o Estado a nos proibir de fazer o que queremos. Chega de tutelas. Se seu quiser me defender e à minha família pessoalmente, não quero que o Estado me proíba.

 

Quanto à velha questão de permitir ou não armas, cai na velha mesma estupidez brasileira de achar que tudo se resolve com leis. Arma só é difícil de ser obtida por cidadão comum, bandido consegue armas facilmente, e um criminoso não vai em lojas idôneas comprar armas.

E supondo que fosse possível fazer com que de fato todas as armas fossem recolhidas, isso iria parar a criminalidade de matar? Simplesmente passariam para facas, facões, armas feitas em casa (não é nenhum mistério produzir um revólver para a pessoa com o ferramental adequado), bandidos JÁ ANDAM DESDE SEMPRE armados por aí e sem porte de arma, estão pouco se lixando se para poder andar armado na rua precisam de porte ou se o porte é proibido.

Em suma, a campanha do desarmamento é simplesmente inútil. Mero carnaval para políticos fingirem que estão fazendo algo a respeito, dado que é impossível na prática desarmar a população E EM ESPECIAL os bandidos.

Então porquê defender o oposto, o armamento da população comum (notem bem, excluindo aqui os bandidos que nunca estiveram nem aí para se é proibido ou não)?

Porquê primeiro é uma escolha, não é porquê você pode andar armado que você vai andar armado. Eu por exemplo julgo que não preciso sair por aí com uma arma na cintura, mas o que eu iria fazer se acontecesse de precisar andar armado?

E segundo porquê a polícia por melhor que seja não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo, ela não têm como lhe proteger o tempo todo e em qualquer lugar e os criminosos sabem muito bem disso. Então o fato da provável "vítima" poder reagir na bala é algo que faz os bandidos pensarem duas vezes antes de tentarem o crime, o que sozinho geralmente já é o bastante para assegurar a sua segurança e sem nem precisar sacar a arma e atirar. Que o bandido em geral é covarde e preguiçoso, só visa as vítimas que ele ache que são "fáceis".

E finalmente, quanto à questão ddos critérios para poder ter uma arma, o artigo acima já diz tudo e não preciso acrescentar nada. conseguir e portar uma arma de forma legalizada não é a mesma coisa que ir na esquina comprar uma vassoura, e a polícia pode e deve apreender armas cujo dono não tenha o porte e/ou o registro da mesma.

 

 

 

O Estatuto do Desarmamento visa tentar reduzir o número de armas em circulação e, consequentemente, o número de crimes/assassinatos cometidos por cidadãos comuns, em momento de descontrole (brigas de trânsito, brigas em bares, etc.). Portanto, há sentido em continuar com a campanha pelo desarmamento.

Já o plebiscito sobre a proibição do comércio de armas visava tentar reduzir a possibilidade de que armas comercializadas legalmente, fossem parar ilegalmente nas mãos de bandidos. Menos armas no mercado legal, poderiam ter como consequência menos armas no mercado ilegal.

Mais uma vez: o poder letal de uma arma de fogo é imensamente maior que o de facas e facões, por isso a lei corretamente as coloca em categorias separadas.

 

Daniel, você desconsidera alguns fatos fundamentais:

1) Não há uma barreira rígida entre o mercado legal e o ilegal de armas. A maioria das armas apreendidas em situação ilegal (na posse de pessoas que não deviam tê-las, em ações policiais etc.) haviam entrado no mercado de maneira legal. Uma das armas que o assassino usou ontem, por exemplo, havia sido roubada.

2) Ainda que alguém se disponha a fazer o que fez ontem com uma faca, você realmente acha que ele teria conseguido matar 11 alunos antes de ser detido?

3) Sua solução é interessante. Já que os bandidos têm armas, é melhor que o cidadão tenha para dissuadí-los e/ou reagir. Só que se não houvesse o comércio de armas, o número de bandidos armados tenderia a cair consideravelmente (segundo o que expus no ponto 1). Ademais, a orientação da polícia é que, mesmo que armado, você não reaja. Isso porque na vasta maioria dos casos o bandido leva a vantagem (mais experiência com armas e situações como essas, fator surpresa etc.). Ademais, uma reação armada de um civil num lugar público, por exemplo, pode colocar outras vidas em risco. E por aí vai.