Revista GGN

Assine

O processo de escolha do Procurador Geral da República

A Associação Nacional dos Procuradores da República opta pelo nome de Rodrigo Janot e Dilma referenda a escolha.

A opção pelo escolhido na associação de fato soa como eleição de entidade sindical, como apontam alguns críticos da prática.

E entidade sindical, legitimamente, defende interesses corporativos.

Ocorre que a Procuradoria Geral da República não é sindicato. Benefícios maiores, subsídios mais gordos etc, muitas vezes até mesmo desarrazoados, são excelentes para os procuradores da república, porém não se traduzem, necessariamente, em prestação de melhores serviços à sociedade.

Contudo, Rodrigo Janot ainda irá assumir o posto e começar a trabalhar. Aguardemos os resultados. Espero que venham em favor da sociedade, não se limitando a beneficiar os já tão privilegiados procuradores da república, elite da elite do funcionalismo público.

Importa lembrar que quebrar tradições, ainda que contraproducentes, não é um processo dos mais fáceis.

Será mesmo que, a essas alturas do campeonato, seria bom para o governo, ainda de ressaca pelos protestos de junho e pela vertiginosa queda de sua popularidade, comprar uma briga com os poderosos procuradores da república? 

O processo de escolha parece não ser dos melhores. A PGR é entidade de estado, não sindicato. Mas como fazer diferente sem gerar uma crise midiático-corporativa?

Sem votos

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.