newsletter

Pular para o conteúdo principal

O terrorismo com a radiação no Japão

Folha de S.Paulo - Há mais radiação no ES que em Tóquio, diz médico - 19/03/2011

Há mais radiação no ES que em Tóquio, diz médico

DO ENVIADO A TÓQUIO

Os últimos dias têm sido um teste de frieza para o neurocirurgião paraense George Ito. Pesquisador da prestigiada Universidade Keio, em Tóquio, ele operava um paciente quando houve o terremoto e tsunami. Esperou o tremor passar e retomou a cirurgia.

Uma semana depois, ele mantém a rotina de trabalho em Tóquio e tenta convencer a alarmada comunidade brasileira de que o risco da radioatividade é mínimo.

"Não tem motivo para pânico, o risco maior já foi", disse Ito, 39. "Mesmo no período mais grave, o risco não era muito alto. E, daqui pra frente, haverá controle total."

Familiar ao tema da radioatividade, dada sua especialidade médica, Ito tem sido bombardeado por e-mails e telefonemas -como voluntário da ONG Disque-Saúde, ele tem um telefone só para atender os conterrâneos.

"A comunidade está em pânico e faz perguntas como que tipo de roupa usar contra a radiação e qual é a chance de Fukushima explodir como a bomba de Hiroshima. É tão sem nexo, parece piada", diz Ito, há nove anos no Japão.

Uma de suas falas preferidas é comparar o nível de radioatividade de Tóquio com o da praia de Guarapari (ES), um dos mais altos do mundo por causa das areias ricas em tório -e, ainda assim, inofensivo para a saúde.

"O raio-X de um dente é 60 microsievert. Em Tóquio, ontem [anteontem], a radiação estava em 0,18. Em Iwaki [30 km da usina de Fukushima], 20. Não posso falar que a radiação é zero. É 0,18", diz.

O sievert é a unidade que mede a quantidade de radiação absorvida por humanos. A exposição a mais de 100 microsieverts por ano pode provocar câncer.

O médico diz que a rede hospitalar de Tóquio sequer tomou uma medida preventiva para tratar casos de contaminação. "A gente não tem absolutamente medo nenhum de que vá acontecer um acidente nuclear lá."

(FM)

Média: 3.5 (13 votos)
10 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+10 comentários

Já está cansando a comparação de níveis radiativos com eventuais exames que fazemos e que emitem radiação.

Tenham a santa paciência! Não faço raio-x de dente o dia todo, nem todos os dias. Os profissionais que trabalham com raio-x utilizam avental de chumbo justamente para evitar o NÍVEL INSIGNIFICANTE da radiação emitida por um raio-x de dente.

Pode estar havendo alarmismo midiático, mas neste caso, com algo tão nocivo à saúde, com as informações oficiais de que realmente há vazamento de radiação, há necessidade sim, de esclarecer os perigos advindos da radiação.

 

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5006080-EI294,00-Japao+...

AIEA adverte sobre riscos de radioatividade nos alimentos
Terra :Notícias/AFP, 19 de março de 2011 • 14h27 • atualizado às 16h11

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) advertiu neste sábado sobre os riscos para os humanos do consumo de alimentos processados contaminados depois que as autoridades japonesas detectaram níveis anormais de radioatividade no leite e no espinafre. O Ministério da Saúde japonês confirmou que foi detectado iodo radioativo em níveis mais elevados que o normal em alimentos perto da usina nuclear danificada de Fukushima 1, no nordeste de Tóquio, disse a AIEA em comunicado.

"Apesar de o iodo radioativo ter uma curta vida, em média de oito dias, e decair naturalmente com a passagem das semanas, existe um risco no curto prazo para a saúde humana caso os alimentos contaminados com iodo radioativo sejam consumidos", indicou a AIEA em Viena.

"Se forem consumidos, podem acumular-se e causar danos na tireóide", completou. "As crianças e os jovens correm um risco particular de danos das tireóides pela ingestão de iodo radioativo", disse.

O consumo de pastilhas de iodeto de potássio pode ajudar a evitar que as substâncias se acumulem nas tireóides, disse a AIEA, completando que as autoridades japonesas recomendaram que as pessoas retiradas dos arredores da usina nuclear tomem essas pastilhas como modo de precaução....
...Não foram encontrados isótopos radioativos em doses fora do normal em outros produtos de consumo, completou.

O Japão detectou níveis radioativos mais altos que o normal no leite e no espinafre nas províncias de Fukushima e Ibaraki, próximas à central nuclear acidentada pelo terremoto seguido de tsunami da sexta-feira, dia 11, liberando, dias depois de uma série de acidentes, substâncias radioativas na atmosfera. Também foram detectadas substâncias radioativas na água corrente de Tóquio e outras localidades, mas em níveis inferiores ao limite legal, indicou a agência de imprensa japonesa Kyodo. O governo japonês disse que tanto os alimentos contaminados como a água controlada não representam "uma ameaça imediata".

 

2014---distribuição de renda

http://www3.nhk.or.jp/nhkworld/portuguese/top/news02.html

Funções de resfriamento passam a funcionar em dois reatores nas usinas nucleares japonesas de Fukushima
NHK WORLD > Página principal em português > Últimas notícias em português/Atualizado às 18:40, 19 de março (Hora do Japão

O governo japonês declarou que partes dos sistemas de resfriamento em dois dos seis reatores da usina nuclear de Fukushima 1 foram confirmadas como em tendo entrado em funcionamento.
A Agência de Segurança Industrial e Nuclear disse numa conferência para a imprensa hoje, sábado, que um gerador diesel de emergência no reator número 6 reiniciou sua operação.

A agência também disse que uma bomba para resfriamento, no reator número 5, foi confirmada como podendo ser utilizada, e que os trabalhadores iniciaram o resfriamento do depósito de combustível usado naquele local, às 5 horas da manhã de hoje, sábado.

Segundo a agência, o nível de radiação na entrada oeste da usina, situada a cerca de 1,1 km a oeste do reator número 3, estava relativamente alto, a um nível de 830,8 microsieverts por hora, às 8 horas e 10 minutos da manhã de hoje.
Contudo, ela adianta que esta cifra caiu para 364,5 microsieverts às nove horas da manhã deste sábado.

 

2014---distribuição de renda

Muito bom saber disso.

 

O maior problema da crise pós-terremoto no Japão é a batalha de contra-informações.

Mas cabe perguntar, a quem interessa propagandear o caos no Japão ? Ou doutos da Agência Internacional de Energia Atômica foram lá verificar o nivel de radiação ? Seriam os japoneses tão incompetentes assim ?

Sempre há algum interesse disfarçado de informação, incluindo as técnicas.

• • •

Apesar disso sou a favor do desmonte completo de todas usinas nucleares e também da desativação completa dos armamentos nucleares.

 

Socram pb,

já escrevi em outro comentário nessa eterna novela do Japão. Daqui a alguns meses, vamos "descobrir" q é muito perigoso termos usinas nucleares e q um grupo restrito de países será beneficiado pelo direito/ permissão de dispor desse recurso tecnológico. Daí, vamos lembrar dos terremotos no Irã e dar embasamento para o Conselho de Segurança da ONU invadir o país para evitar q um acidente nuclear em um vagalume persa leve rediação para Israel e Europa.

Com certeza, vão mobilizar a opinião pública japonesa para investir em térmicas à carvão e petróleo. O tsunami q afundou Kyoto.

 

"a quem interessa propagandear o caos no Japão?"

Sou leigo no assunto, mas ouso cometer um palpite: siga o dinheiro. Se os governos resolverem não usar mais energia atômica (acho uma hipótese risível, mas vá lá) teríamos que ter outras fontes. Quais seriam? Hidrelétricas não são viáveis pra todo o mundo. Quais alternativas sobram?

Outra coisa: alguém já se perguntou se essa onda tb não é criar uma espécie de má reputação para os modelos de reatores usados no Japão pra  poder dizer depois "seus problemas acabaram!" e vender modelos diferentes?

 

Não duvido nada que o Japão comece a reivindicar o direito de fazer pesquisas nucleares.

 

Ufa! Que alívio! Agora fiquei sabendo que isótopos de vários elementos produzidos durante as reações nucleares são inócuos - a radiação atômica, principalmente esses tais raios gama, não metem medo em ninguém. Pelo menos no Japão. Mas, então, qual o motivo dessa gente teimosa querer  baixar a temperatura dos reatores? O mais correto seria esperar que eles esfriassem por si mesmos, não é?

 

opa, liberou...essa é uma resposta desconcertante aos especialistas que fizeram previsões catastróficas e nem no japão estavam... esse tipo de irresponsabilidade com a informação deveria ser combatida... se eu fosse morador de Tokio iria a justiça contra os arautos do apocalipse

 

Visitem o Blog Ponto & Contraponto. Twitter: @len_brasil Robozinho do blog: @pontoXponto