newsletter

Pular para o conteúdo principal

O uso do ácido fosfórico na Coca-Cola

Por A Sales

Que eu saiba só a Coca-Cola utiliza o ácido fosfórico na sua fórmula, pois este é um elemento perigoso para a saúde e foi proibido nos refrigerantes mais novos, Por algum truque jurídico a Coca-Cola deve ter obtido a permissão para continuar a usá-lo. Cada copo de Coca-Cola tem aproximadamente duas colheres de açúcar e uma de sal... o ácido fosfórico entra aí para evitar a sensação de excesso que essas quantidades dão no consumidor incauto... Aconselho a leitura do Livro Negro do Açúcar:

http://www.uefs.br/docentes/jmarcia/2007/O_livro_negro_do_acucar1.pdf

Média: 3 (4 votos)

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Dagô
Dagô

elação ácido fosfórico/açucar/sal/água = Coca-Cola

Talvez fosse melhor

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+50 comentários

Simples assim, açúcar é caso de saúde pública. É uma irresponsabilidade médica -- e jurídica -- o uso de uma série de substâncias nocivas em produtos industrializados. Mas a aberração mesmo não fica restrita a isso, pois, o consumo indiscriminado de açúcar é estimulado em todos os lares,  mídia, médicos e outros a despeito de toda a informação científica sobre a implicação direta do uso do açúcar em males que vão da obesidade à hiperatividade, da cárie à pancreatite, dos problemas cardíacos e vasculares às recentes abordagens psiquiátricas relacionando açúcar e depressão. Em suma, continuar tratando coca-cola como um simples refrigerante ou o açúcar como reles alimento diante de tantas informações concretas é mais que drible comercial: é crime!

 

Existem doses moderadas para veneno?? Açúcar e outros refinados sao venenos, acido fosforico então... Este .pdf foi totalmente revisto e esta em livro pela editora Alaude.  Se vc pesquisar já existe extensa bibliografia contra o açucar e refinados, tem o livro do Dr. Alberto Gonzales 'Lugar de Médico é na Cozinha' , 'Sugar Blues' , 'Sem açucar, com afeto' e outros...

Aos pesquisadores de plantão... pesquisem serio e informem o maximo suas conclusoes!!!

 

O problema que vejo é a estúpida linguagem fanática de liberar irrestritamente ou proibir completamente que vi repetida no arquivo. Quando os seres humanos vão parar de teimar em ver o mundo em preto-e-branco?

Que o que vale para o açúcar vale para todas as outras coisas que conseguimos consumir, sejam alimentos ou remédios: Tudo que é em excesso faz mal. Como um comentarista bem lembrou, até água pura faz mal em excesso.

Por exemplo, não há problema algum em tomar mesmo um copo de cola-cola de vez em quando. O problema é quando o sujeito passa a beber cola-cola como se fosse água, o tempo todo. Aí temos mesmo um problema nas mãos. Comer açúcar? A mesma coisa.

O PRINCIPAL problema é que as pessoas na verdade não sabem maneirar, sempre que encontram algo que as agrada passam a consumir a mesma cada vez mais e sem controle até fazer com que o que era agradável se tornar um risco para a sua saúde. Que como bem diziam já na antiguidade, a diferença entre o remédio e o veneno é o tamanho da dose.


 

'Tá explicado: é por isso que o trem dá uma "arrotação" e uma "peidação" do caramba! O organismo rejeita! A gente fica meio que "foseufórico"! 

 

Gostei muito do livro... parabéns ao autor... Infelizmente muitos ainda são alienados em pensar que o açucar não faz mal... Parabéns aos que se conscientizam-se e desalienam-se...

 

Em relação ao ácido fosfórico eu penso que se algo em grande quantidade pode matar, definitivamente não poderia ser usado em pequenas quantidades... é o caso dos agrotóxicos, aspartames e afins...

 

Boa Sorte aos que estão na batalha de se livrar do açucar refinado e que as nossas crianças tenham um novo pensamento!!

 

Desde criança detesto refrigerantes, principalmente a "água negra do imperialismo". Causam uma sensação péssima ao descer queimando a garganta e depois me fazem sentir estufado por dentro, enjoado e com sede de água pura. Verdadeira agressão ao organismo. E tudo em troca de um sabor ridículo.

Não consigo compreender como pessoas adultas desperdiçam saúde ingerindo esse lixo.

 

 ... Pois é digo o mesmo aos fumantes de cigrros charutos cachimbo e assemelhados e também aos degustadores de bebidas alcoólicas, que gosto amargo , como pode alguém conseguir tomar o segundo gole ...   

 

São os 4 cavaleiros do apocalipse: açucar branco, sal, farinha de trigo branca, gordura vegetal hidrogenada.

 

Sem o sal não estaríamos comentando aqui... Sugiro procurar a origem do salário...

 

ANTIFA!

Todos os dias, ou quase todos acesso este blog aqui e também o orkut Açúcar Mata do tal Fernando, posso dizer que aprendo muito, mas muito mesmo acessando ambos.

O Açúcar Mata, recentemente foi lançado como livro , já revisado , com muitas referências bibliográficas e um nome mais dócil para o grande público ( Açúcar- O perigo doce - Ed Alaude ).

Realmente os termos usados pelo autor são um tanto panfletários, bem similares a teoria  da conspiração, que pode ser que não seja tanta teoria assim  não é mesmo,mas este tipo de linguagem afasta muitos leitores e simpatizantes da causa saudável, mas podem ter certeza, existem milhares de bibliografias para serem usadas como referência a tese de que a sacarose está ligada a centenas de problemas de saúde atuais, basta querer pesquisar.   

Falo sem temor , o historiador Fernando Carvalho é hoje uma das mais gabaritadas para discutir sobre assuntos de saúde, indo na raiz de muitos problemas, dando baile em milhares de médicos e nutricionistas.  

Como diz uma certa música : O que vale mais o livro ou a Sabedoria.

 

Putz, parei de ler o texto quando o autor propõe o "açúcar zero"... E diz, humildemente, que só quer que parem de usar uma droga... É um visionário... Mais ainda, um libertário!

Como cozinheiro fiquei embasbacado com a cruzada do amigo... 

E nisso o ácido fosfórico ficou pra escanteio... Um passeio pela wikipedia mostra um estudo de uma publicação séria sobre possíveis danos renais, e uma da Pepsi falando meio ao contrário... De qualquer maneira, todos sabem que o consumo de produtos industrializados em excesso é prejudicial... Tem que saber, não tem desculpa...

Moderação e bom senso é a melhor coisa ainda... E proibir qualquer coisa já é bizarro, querer proibir o açucar refinado então é perder a noção da realidade... Nem os hippies abraçadores de árvores vão concordar com o "Sugar Nazi" aí...

Re: O uso do ácido fosfórico na Coca-Cola
 

ANTIFA!

A linguagem de fanático religioso do sujeito me fez parar de ler também. Tenho o hábito de ignorar TODO e QUALQUER fanático, porquê fanatismo é SEMPRE encrenca. Fanático não raciocina, só consegue enxergar o mundo em extremos de preto e branco e isso sempre dá em problemas.

 

Prezado, DiogojfAraujo.

 O açúcar é um veneno travestido de alimento. Alguns países já  proibiram corantes, gorduras trans, certos conservantes, etc.

 O açúcar sozinho é pior que esses aditivos químicos que citei. Peço que leia o livro todo, de preferência o livro Açúcar o perigo doce porque tem mais conteúdo que o pdf como o tema da reação de Maillard e vai mais fundo no tema da epidemia de cárie dentária.

 O livro foi tambem revisto e amenizado no linguajar panfletário.

 Um abraço.

Fernando

 

Negativo amigo, nenhuma afirmação procede...

Minha opinião é sobre o açucar é irrelevante, mas o defendo cmo se fosse um pedaço de bacon prestes a ser preso...

 

ANTIFA!

Ufa!  Ainda  bem que  a  minha  velha Tubaína  tá livre  deste  tal de  fósforo eufórico!!!

 

Tubaína não precisa de ácido fosfórico para te matar rs

 

Deve ser daí que Coca-Cola deixa a gente insone, eufórico, é o tal do ácido kikiki

 

Blog do IV AVATAR

Receita original da Coca-Cola é descoberta 125 anos depois, diz site

Washington, 15 fev (EFE).- A receita da Coca-Cola, guardada sob sete chaves pelos proprietários da empresa durante 125 anos, deixou de ser um mistério, segundo um site que afirma ter descoberto os ingredientes em uma página esquecida de jornal.

PUBLICIDADE

Como publicada nesta terça em seu site pelos produtores do programa de rádio "This American Life", a fórmula original do refrigerante mais popular do mundo estava na fotografia que ilustrava um artigo sobre a história da Coca-Cola, publicado no jornal "Atlanta Journal Constitution" de 1979.

A imagem mostra uma lista de ingredientes escritos de próprio punho em 1886 por um amigo do criador da bebida, John Pemberton, em um livro de boticário passado de geração em geração que atualmente estava com uma mulher em Griffin (Geórgia), conforme "Thisamericanlife.com".

A Coca-Cola, que mantém a versão oficial de sua receita em um cofre em Atlanta que só dois funcionários têm a chave, não confirmou se a composição publicada é a correta.

Da lista publicada, a parte mais reveladora é a que explica como misturar o 7X, uma substância que só representa 1% da bebida, mas que é crucial para dar o sabor característico.

Para a mistura do famoso ingrediente secreto são necessárias oito onças (cerca de 30 ml) de álcool, 20 gotas de óleo de laranja, 30 gotas de óleo de limão, dez de óleo de noz moscada, cinco de óleo de coentro, 10 de óleo de neroli - das flores da laranjeira amarga - e 10 de óleo de canela.

O restante da bebida é elaborado com três onças de ácido cítrico, duas onças e meia de água, uma de cafeína, uma de baunilha, duas pitadas de suco de lima, uma onça e meia de bala para dar cor e uma quantia de açúcar que é ilegível na lista.

A receita original inclui três copos de extrato de fluído de coca, um ingrediente que a companhia retirou do composto no início do século 20 após uma série de críticas.

Resta saber se, além da eliminação desta substância, os proprietários da Coca-Cola aplicaram modificações substanciais na fórmula desde que Pemberton a projetasse.

Para tentar comprová-lo, a equipe do programa radiofônico reuniu um grupo de analistas e amantes da bebida em uma degustação da mistura obtida pela receita.

Segundo o site, a maioria dos que provaram não encontravam diferenças da Coca-Cola comercializada. "Acho que esta é de verdade uma versão da fórmula", disse ao programa o historiador Mark Pendergrast, autor de uma história da bebida. EFE

 

Tem um monte de refri que leva ácido fosfórico na formulação. P.e. a Pepsi, só pra citar uma concorrente [1].

Mentira que haja proibição do uso de ácido fosfórico em refrigerantes. O que existe são normaisque estabelecem limites máximos: no caso, 0,07 g/100 ml [2].

Não é particularmente perigoso - a não ser em sua forma pura, que não é a que está presente nos refrigerantes e alimentos em geral (até aí, o gás cloro em sua forma pura é muito mais perigoso, mas não é assim que ele se apresenta na água tratada). A dose letal 50 (quantidade que provoca morte de 50% dos indivíduos) em ratos por administração oral é de 3,5 g/kg. [3] Se o indivíduo beber uma garrafa de 2 litros, terá ingerido 1,4 g: para uma criança recém-nascido de 3 kg, isso daria 0,47 g/kg; em crianças de 30 kg: 0,05 g/kg; em adultos de 60 kg: 0,03 g/kg.

Há, de fato, bastante açúcar nos refrigerantes, de modo que as pessoas devem consumi-los com moderação - aliás, elas devem tomar cuidado com suas dietas de modo geral, já que a obesidade é cada vez mais um problema de saúde pública no país.

Em suma, é até melhor não se consumir refrigerantes, mas não por causa de teorias conspiratórias e alarmismos infundados.

[]s,

Roberto Takata

-------------

[1] http://www.ambev.com.br/pt-br/nossas-marcas/refrigerantes/pepsi/pepsi

[2] http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/389_99.htm

[3] http://www.basequimica.com/websitebase/index.php?option=com_content&view...

 

duas colheres de açúcar e uma de sal num copo? 

É por isto que eu tomo Coca Zero rs

 

O refrigerante diet tem 3 vezes mais sal do que refrigerante comum. Basta ver no rótulo a quantidade de sódio em um refrigerante comum e um sem açúcar.

 

pois ai colega voce se deu mal .. a coca zero tem muito sodio faz mal pra quem tem pressão alta....

 

Pois eu considero a coca-cola junto com o chocolate e a batata-frita as maiores invenções do homem... vou agora tomar uma bem gelada que o calor aqui no rio ta de matar

 

Ah ! Meu Deus ! A essa altura da vida ter que parar de tomar uma Coca Cola bem gelada e comer Big Mac com batatas fritas , não dá !

 

Caro Fabio(o outro),

Eu não sei qual é a altura da sua vida, mas creia no ditado que diz:''- Quanto maior a altura, maior o tombo''

Veja, se não viu, o esclarecedor filme ''Supersizing  Me''. Ajuda muito a se livrar deste vício terrível e silencioso. Vai por mim. Bom lanche... 

 

Orra, McMinhoca é irado... Prefiro fanta, mas o Combo do Big Mac + um Cheddar é demais... Só não comer todo dia... E não afeta meu paladar, nem minha capacidade de avaliar um vinho de 200 reais, ou comer trufas, ou qualquer atividade minha dentro da cozinha, incluindo criação... E com moderação não afeta nada em ninguém razoavelkmente saudável...

Moderação galera, ainda mais na comida... 

E sobre os aditivos, estão disponíveis nos rótulos, e é só procurar o que é que vcs acham... só maneirar, evitar usar essas coisas em casa... Congelados, caldos... Sou mais um McFish do que uma Lasagna congelada da Sadia ou coisa que o valha... Em todos os sentidos... Talvez não pelo preço...
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_aditivos_alimentares 

E falando nisso, morreu um chef catalão hoje, que era um grande defensor da cozinha tradicional, em contraponto as espumas e outras técnicas contemporâneas... Vou postar lá no fora de pauta, mas vai aí também:

http://www.publico.pt/Sociedade/morreu-santi-santamaria-um-dos-magos-da-cozinha-actual_1480661

Morreu Santi Santamaria, um dos magos da cozinha actual

16.02.2011 - 17:18 Por José Augusto Moreira

 Morreu hoje ao início da tarde o famoso cozinheiro catalão, Santi Santamaria, um dos mais conhecidos e reputados chefes mundiais da actualidade. Com 53 anos, Santamaria faleceu em Singapura sentado à mesa de um dos seus famosíssimos restaurantes, que é dirigido pela sua filha, onde se encontrava no âmbito dos seus afazeres profissionais.

 

Santamaria faz parte da elite de cozinheiros que nos últimos anos tornou a gastronomia espanhola num referente mundial. Além da reputação dos seus restaurantes, escreveu vários livros sobre temas culinários e era presença incontornável nos mais importantes fóruns e feiras mundiais de gastronomia. Com a publicação de uma das suas mais recentes obras, “A cozinha a nú”, lançou um dos mais interessantes debates sobre a cozinha moderna, ao criticar o uso de ingredientes químicos sem que essa informação fosse dada aos clientes.

As críticas foram vista como dirigidas ao famoso colega do restaurante El Bulli, Ferrán Adriá, com quem manteve espevitada polémica, que entretanto se esvaneceu.

Além da mais alta reputação como cozinheiro, Santamaria era sobretudo um personagem gastronómico. O gosto pela comida, a presença física imponente e a permanente boa disposição faziam-no notado em todas as circunstâncias. Isso foi, mais uma vez evidente no recente “Tributo a Claúdia, o encontro de cozinheiros que reúne a nata da cozinha europeia no Algarve, no requintado restaurante Vila Joya.

Santi Santamaria ganhou fama com o seu restaurante El Racó de Can Fabes, na região de Barcelona, que desde 1994 ostenta as três estrelas do famoso guia Michelin. A noticia do seu falecimento, que está a causar grande consternação nos méis gastronómicos, foi dada pela própria filha, tudo indicado que tenha sido vitima de ataque cardíaco.

 

ANTIFA!

Não li o pdf, mas posso dizer (sou engenheira química) que o ácido fosfórico não é proibido pela Anvisa e em quantidades razoáveis não é prejudicial a saúde, como tudo que ingerimos - até água em grandes quantidades mata. Ele, junto com o ácido cítrico, são os acidulantes mais utilizados na indústria de alimentos.

A função dos acidulantes é abaixar o pH dos alimentos, o que auxilia o não crescimento de bactérias e também dá a sensação "refrescante".

Não é nenhum veneno.

Veja o documento em anexo, da ufrgs

www.ufrgs.br/alimentus/med/2004-01/.../acidulantes.doc

 

Drinds, eu também, como químico que sou, não concordo com você. Quanto ao ácido cítrico tudo bem, mas quanto ao ácido fosfórico, discordamos. Eu te proponho uma discussão mais a fundo trazendo referências sobre o tema. Eu tenho posição de que o ácido fosfórico não deve ser usado nessas bebidas, me parece que vc pensa diferente. Estou falando isso sem qualquer pretensão de se o dono da verdade. Que tal se nós dois nos empenhassemos em conseguir referências fidedignas sobre esse assunto pra poder ampliar a discussão? Quem sabe eu acabo concordando com vc ou, ao contrário, vc acaba concordando comigo?

 

Oi Edson! Bom dia! Bem, sou engenheira química, mas há tempos me bandeei pro lado da produção - o que ainda sei são reminiscências do tempo em que estageei e trabalhei em indústrias de alimentos. Bom, pra dizer a verdade, não tenho uma posição definida de ser contra ou a favor - tudo para mim depende de se estudar seriamente se determinado componente faz mal ou não.  Como eu havia dito no post, consumo em quantidades razoáveis não seria problema - o diabo da história é saber o que seria razoável.

Não tenho referências mais sérias - juro que desenterrei um livro de Ciências dos Alimentos, mas não encontrei nada sobre o assunto, só a descrição genérica do uso do ác.fosfórico e outros fosfatos (que entram como componente de fermento químico, entre outras coisas).

Achei na wikipedia (ok, não é bem uma Nature) um tópico interessante sobre o assunto (que reproduzo abaixo), sobre a controvérsia dos perigos do H3PO4 para a saúde - especialmente sobre cálculos renais e osteoporose - um dos estudos foi feito com foco nas bebidas "cola", concluiu que mulheres que bebiam regularmente colas eram mais suscetíveis a osteoporose, mas que a quantidade de fósforo ingerido não seria mairor que nas mulheres que não bebiam.E sugeriam novos estudos para confirmar os resultados

A Pepsi encomendou outro estudo e advinhem o resultado?

Um terceiro estudo avaliou o efeito sobre a osteoporose, em mulheres que bebiam mais de 680 ml de bebidas cola em média por dia (um exagero, não?) e conclui que o problema maior para a osteoporose é a cafeína.

Bom, minha conclusão pessoal: Sem exagero, não traria problemas.Nem gosto de Coca Cola e quetais, nem as bebo.

O que é uma outra discussão, muito menos técnica é a forma como as empresas de bebidas e outros alimentos "forçam" guela abaixo do povo quantidades cada vez maiores de bebidas como refigerantes, cervejas, doces e etc. Mas aí é outra discussão, menos técnica e mais econômica.

Abraços!!

 

Biological effects on bone calcium and kidney health

Phosphoric acid, used in many soft drinks (primarily cola), has been linked to lower bone density in epidemiological studies. For example, a study[2] using dual-energy X-ray absorptiometry rather than a questionnaire about breakage, provides reasonable evidence to support the theory that drinking cola results in lower bone density. This study was published in the American Journal of Clinical Nutrition. A total of 1672 women and 1148 men were studied between 1996 and 2001. Dietary information was collected using a food frequency questionnaire that had specific questions about the number of servings of cola and other carbonated beverages and that also made a differentiation between regular, caffeine-free, and diet drinks. The paper cites significant statistical evidence to show that women who consume cola daily have lower bone density. Total phosphorus intake was not significantly higher in daily cola consumers than in nonconsumers; however, the calcium-to-phosphorus ratios were lower. The study also suggests that further research is needed to confirm the findings.

On the other hand, a study funded by Pepsi suggests that insufficient intake of phosphorus leads to lower bone density. The study does not examine the effect of phosphoric acid, which binds with magnesium and calcium in the digestive tract to form salts that are not absorbed, but rather studies general phosphorus intake.[3]

However, a well-controlled clinical study by Heaney and Rafferty using calcium-balance methods found no impact of carbonated soft drinks containing phosphoric acid on calcium excretion.[4] The study compared the impact of water, milk, and various soft drinks (two with caffeine and two without; two with phosphoric acid and two with citric acid) on the calcium balance of 20- to 40-year-old women who customarily consumed ~3 or more cups (680 mL) of a carbonated soft drink per day. They found that, relative to water, only milk and the two caffeine-containing soft drinks increased urinary calcium, and that the calcium loss associated with the caffeinated soft drink consumption was about equal to that previously found for caffeine alone. Phosphoric acid without caffeine had no impact on urine calcium, nor did it augment the urinary calcium loss related to caffeine. Because studies have shown that the effect of caffeine is compensated for by reduced calcium losses later in the day,[5] Heaney and Rafferty concluded that the net effect of carbonated beverages—including those with caffeine and phosphoric acid—is negligible, and that the skeletal effects of carbonated soft drink consumption are likely due primarily to milk displacement.

Other chemicals such as caffeine (also a significant component of popular common cola drinks) were also suspected as possible contributors to low bone density, due to the known effect of caffeine on calciuria. One other study, involving 30 women over the course of a week, suggests that phosphoric acid in colas has no such effect, and postulates that caffeine has only a temporary effect, which is later reversed. The authors of this study conclude that the skeletal effects of carbonated beverage consumption are likely due primarily to milk displacement.[4] (Another possible confounding factor may be an association between high soft drink consumption and sedentary lifestyle.)

Cola consumption has also been associated with chronic kidney disease and kidney stones through medical research.[6] The preliminary results suggest that cola consumption may increase the risk of chronic kidney disease.

 

Olá Drinds.

Infelizmente não encontrei literatura confiável sobre o tema aqui na internet. Já não tenho acesso às bases de dados de bibliografia, como as da USP, por exemplo. O que se vê muito na rede são artigos defendendo ou atacando as "colas" em geral. Mas quase sempre não trazem nenhuma referência séria. O artigo que vc colocou parece que confirma minha inquietação quanto ao ácido fosfórico, apesar de dizer que se necessitam estudos mais aprofundados (cá entre nós, essa é uma maneira recorrente em ciência de "tirar o corpo fora" ou admitir que o trabalho não conclui nada). Quanto à cafeína, apesar de não ter também referências aqui, é sabido que desmineraliza mesmo. Nesses artigos de internet li que só a caca cola tem autorização para usar o ácido fosfórico (em refrigerantes, claro), mas tampouco sei se é verdade.

Como eu já estou "aposentado" na profissão e longe do Brasil, sugiro, se vc se anima e tem tempo, verificar esse assunto com os fabricantes daí. Pelo que entendi vc trabalha no ramo de alimentos. Entrei no site do guaraná antártica mas parece que o "fale conosco" deles não está funcionando. De minha parte vou continuar tentando pedir esclarecimentos nos sites de fabricantes de bebidas aqui da Argentina, mas isso vai tardar uns dias, estou sem muito tempo livre agora.

Ah, e obrigado pelas informações que vc passou.

Nós somos químicos mas somos limpinhos.

Um grande abraço

 

Caro Edson e cara Drinds, eu e provavelmente muitos outros colegas freqüentadores do blog gostaríamos muito de saber do desenvolvimento de suas idéias sobre o ácido fosfórico. Se pensarem a sério em aprofundar o assunto, não deixem de pensar em nós como um estímulo. O assunto é relevante e vocês já são nossas autoridades nele. No mais, parabéns pelo respeito mútuo que sabem dar ao apresentar suas opiniões. Ah, como eu queria que algumas pessoas fossem assim às vezes!

 

A Sales, tenho minhas dúvidas. Não basta conferir os componentes no rótulo. Na hora de listar nos rótulos os componentes da mistura as empresas escamoteiam informação, disfarçando os mesmos em denominações genéricas como "acidulante III", "conservante tal" e o escambau. Seria interessante se alguém que trabalha em alguma dessas empresas de refrigerantes se dispusesse a postar aqui.

 

Então quem tem pressão alta não pode tomar coca cola? Se, de fato, procede tal informação, estamos correndo um grande perigo. E  a propósito, quais as pessoas que têm acesso à fórmula no mundo inteiro? Dá uma boa pesquisa. 

 

É por isso que quando tomo Coca-Cola tenho a sensação de que vou explodir

-

efeito do ácido fos´forico

 

Blog do IV AVATAR

Hans Bitje coloca açúcar na cerveja?

 

Depende do estilo da cerveja.

Na Bélgica, os cervejeiros usam "kandijsuiker" em várias receitas, que eu substituí aqui no Brasil por rapadura.

Os fermentos transformam esse açúcar em álcool - as cervejas não ficam doces - e eu gosto muito das "impurezas" das boas rapaduras pelo discreto toque de rum que elas dão à bebida.

É um ingrediente para usar sem exageros. Como diziam os romanos, "a virtude está no equilíbrio", inclusive no caso das cervejas.

 

  Hans, onde encontro as cervejas que você produz? 

 

Para o público em geral, eu costumo fazer cerveja para servir em eventos como o I Encontro dos Blogueiros.

Naquela ocasião, preparei uma cerveja estilo "Dubbel" para comemorar os 40 anos de jornalismo do Luis Nassif.

Se a Conceição Lemes (Viomundo) organizar algo semelhante em 2011, é bem provável que eu repita a dose.

Mande uma mensagem para ela, estou curioso para saber o que a Conceição Lemes está planejando para este ano :-D

De hábito, eu faço cerveja somente para a colônia. É que este leitor da "gringolândia malvada" não quer problemas com o Ministério da Agricultura do Brasil, que já foram relatados aqui no blog: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-boicote-as-cervejas-artesanais

 

  Deixando a brincadeira de lado (espero não ter te ofendido), eu lembro bem daquele post. Maldito Ministério da Agricultura. Vou sim entrar em contato com a Conceição Lemes.

 

André LB

Você não me ofendeu. Na verdade, foi o contrário: me fez lembrar do programa de TV "Man Bijt Hond" ( http://nl.wikipedia.org/wiki/Man_bijt_hond ).

Com tanta coisa boa e divertida na Holanda, eu jamais vou entender porque o pessoal resolveu importar justamente o lixo do país, o formato do programa "Big Brother" da Endemol.

Da wikipedia ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Endemol ):

"Foi fundada em 1994 por John de Mol e Joop van den Ende, derivando o nome da empresa dos sobrenomes dos fundadores (Joop van den Ende, John de Mol). Um dos maiores êxitos da empresa foi o reality show 'Big Brother', que ganhou diversas versões pelo mundo depois da original holandesa."

 

  Enton non terrrr prrroblema, meu querrrida Hans. Ik non contarrrei a outrrros pessoas.

 

Li o PDF e apesar de fazer sentido, a linguagem de "fanático religioso" da autora me fez parar a leitura depois de procurar avançar alguns trechos e concluir que é tudo igual. Que sei que o consumo em excesso de açúcar faz mal, mas sinceramente o modo como é apresentado pela autora me faz duvidar da palavra dela ou de sua seriedade ao abordar o assunto.

 

Daniel, das três uma: você trabalha para a indústria do açúcar ou você não trabalha para a indústria do açúcar mas tem interesse em diminuir a importância dos relevantes posts do blog do Nassif ou você não leu direito, ou se leu, não entendeu.

Foi um AUTOR, Fernando Carvalho, quem escreveu o livro.

Imagine se vou acreditar em seu comentário...

 

Sobre o autor

Nascido em Recife em 1953 numa família de ferroviários, aos 16 anos mudou-se

para o Rio de Janeiro. Obteve o grau de Licenciatura em História pela Universidade

Federal Fluminense (UFF).

É cartunista, tendo publicado no Pasquim e outros jornais, foi do conselho editorial

da revista Presença, durante a ditadura foi militante do Partido Comunista Brasileirro e

sócio da Livraria João do Rio - tradicional sebo do Rio de Janeiro, e autor do livro

 

Ferdo,

 

pior que Millôr Cartuns que ficaram para a história.

 

Gustavo Cherubine

Eu não trabalho para a "indústria do açúcar", só considero que este tipo de trabalho têm que ser mais "sério" por assim dizer. Tenho a mesma opinião do Athos, parece mais uma "declaração de guerra" do que um trabalho acadêmico sério.

E você pelo que comentou está com a mesma idéia de "guerra total" do autor do PDF: Porquê eu não quis "desdenhar do assunto" ou diminuir a importância, critiquei a forma como ele foi apresentado, por parecer mais um panfleto de propaganda política do que um trabalho acadêmico. Entendeu agora?

 

Uai sô! num tem ninguém aqui querendo diminuir a importância do blog. 

O Nassif coloca os assuntos aqui para discutirmos, apoiar ou criticar.

 

Pelo que me lembro quando fazia laboratório de química analítica em meados dos anos 90, todos os refrigerantes tinham ácido fosfórico, fazíamos experimentos com Coca-cola porque ela tinha mais.

 

Você disse que das três uma... mas enumerou quatro opções (trabalha, não trabalha, leu, não leu)

Devo acreditar no seu comentário?

 

Há estudos que indicam que açucar faz mal, assim como há estudos que indicam que o aspartame(dos adoçantes) também  faz. Neste caso acho que devemos adoçar nossas vidas com o que a natureza nos deu: o mel. O problema é que as abelhas estão sumindo. Acha que daqui a pouco vamos ficar em uma sinuca de bico.

kkkkkkkk

 

Tem estudo que diz que comer Fandangos causa viadagem.

 

Estudo tem para tudo. Um estudo é apenas um indício. Quando algo é provado, aí sim vira assunto.

 

Pô, e só agora você me diz isso?! Fiz compras do mês e trouxe 6 sacos de Fandangos pra casa. Que horror!

 

O Gustavo, que falta de doçura(heheeheh) na sua resposta para o Daniel...

Eu concordo com ele: o livro parte de um pré-conceito :açucar faz mal e ponto. E não apresenta evidências científicas para apoiar a tese. E o autor, pode ser o bam-bam-bam em sua área, mas não é químico, farmacêutico, médico ou qualquer outra coisa a ver com o assunto.

Antes que ue seja metralhada: não trabalho para a indústria do açucar, nem quero acabar com o blog. Apenas sou uma pessoa com bom senso e formação de cientista.

 

 Isso parece panfleto de mobilização para guerra.

 

Nada escrito nestes termos deveria ser permitido em uma universidade. Compromete todo o trabalho da mesma forma que comprometeu o tópico.