newsletter

Os livros de Saramago "proibidos" pela Opus Dei

Por MiriamL

Da Fundação José Saramago

Doze livros de Saramago são "proibidos" pelo Opus Dei, revela DN

Doze livros de José Saramago estão entre os classificados com os mais altos níveis de interdição do Opus Dei a nível internacional, num Index que envolve 79 obras de autores portugueses, incluindo Eça de Queirós, Fialho de Almeida, Vergílio Ferreira, Miguel Torga, Lídia Jorge ou David Mourão-Ferreira. Esta é uma das revelações de um extenso trabalho de reportagem feito pelo jornalista Rui Pedro Antunes e publicado no dia 28 de janeiro no Diário de Notícias.

O dossier analisa as formas de financiamento e o milionário património do Opus Dei, organização criada por Escrivá de Balaguer e presente em Portugal em várias áreas do poder político e económico. Inclui uma entrevista com o líder do Opus Dei em Portugal, José Rafael Espírito Santo, e depoimentos de responsáveis da Igreja Católica.

A existência de um Index de livros - de ficção e de não ficção - é outro tema essencial deste conjunto de textos do Diário de Notícias, que entrevista a propósito a presidenta da Fundação José Saramago. "Só me surpreende que não estejam nessa lista todos os livros de José Saramago", diz Pilar del Río, que considera o Opus Dei "uma seita para castrar". Sublinha que José Saramago nunca escreveu sobre a mesma porque "essa seita é uma formiga e por isso não lhe interessava para nada". Os livros de Saramaga que o Opus Dei proíbe aos seus membros são: CaimO Evangelho segundo Jesus CristoManual de Pintura e Caligrafia eMemorial do Convento

Lídia Jorge, cujos livros A Costa dos Murmúrios e O Dia dos Prodígios têm também o nível mais alto de interdição, diz que este Index é "uma vergonha", uma listagem "feita por gente retrógrada e abstrusa". E acrescenta: "São pessoas que desprezo porque se armam em mentores, em guardas morais, quando, no fundo, revelam uma ignorância absoluta sobre o papel da literatura".

De Eça de Queirós, o Opus Dei proíbe, com o nível mais alto, A RelíquiaO Crime do Padre Amaro e O Primo Basílio. Os Maias, A Capital e Correspondência de Fradique Mendes estão no segundo nível mais alto de proibição, isto é, são "livros que não é possível ler exceto com a autorização da Cúria".

Os autores portugueses não estão sozinhos nesta lista que tem seis níveis de interdição, o mais alto dos quais é de "leitura absolutamente proibida". Dela fazem parte 14 dos 15 últimos prémios Nobel da Literatura (apenas se exclui Le Clézio), e Mario Vargas Llosa é o que tem mais obras indiciadas, num total de 17, vindo logo a seguir José Saramago com doze.

Também na não ficção a lista revelada pelo Diário de Notícias é e extensa e variada, indo desde Marx e Freud a Jean-Jacques Rousseau, Charles Darwin e Hitler. Entre as obras portuguesas, estão Portugal Amordaçado de Mário Soares, A Revolução de 1383 de António Borges Coelho e até a História da Literatura portuguesa de António José Saraiva e Óscar Lopes.

Na imagem, ilustração de Helder Oliveira para o DN

Sem votos

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Airton Felix
Airton Felix

Onde está esta Opus Dei Index

Onde está esta Opus Dei Index librorum prohibitorum? Vi o DN ladeando sobre esta lista, mas até agora ela não foi mostrada.

O que eles citam é o site www.almudi.org na qual pessoas fazem uma análise sobre livros diversos tendo em vista a doutrina e a moral Cristã Católica.

Se os livros citados acima foram marcados como inconvenientes é porque os leitores que leram estes livros sentiram que estes são antagônicos às suas ideias e convicções. QUAL É O PROBLEMA NISSO TUDO? NINGUEM MAIS TEM O DIREITO DE EXPRESSAR SUA OPINIÃO PARA OUTRAS PESSOAS QUE COMUNGAM DESTAS? SOMENTE MODERNISTAS, PROGRESSISTAS E LIBERAIS POSSUEM O DIREITO DE EXPRESSAR APROVAÇÃO OU REPROVAÇÃO QUANTO AO QUE QUER QUE SEJA???

VOCÊS SÃO TODOS HIPÓCRITAS E FARÇANTES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+25 comentários

A lista promovida pela prestigiosa instituição católica deve ser seguida rigorosamente pelos adeptos e convictos. Não me coloco contra, muito pelo contrário. Acredito na bondade de São Francisco de Assis, que, com ajuda da Opus Dei, terá mais animais para abençoar. Estimular-se-à a baixa leitura ou a leitura de livros fantásticos - apenas um, na verdade -, e, por motivos religiosos, livros de leitura obrigatória para o vestibular não serão lidos; a probabilidade de diminuição da nota de corte é pequena, para a desgraça de infelizes maçons, ateus e agnósticos. A evasão das escolas e das universidades deve ser imediata; nesses antros de obscurantismo racionalista, ensinam que nascemos de espermatozóides e óvulos, fora aquelas pecaminosidades para que o encontro de ambos ocorra. A inseminação artificial poderia ser o fim do pecado por delegação, mas esses homens (não, mulheres não) criaram um monte de ideias para si mesmos. Agora, como estão tão atarefados, não possuem muito tempo para trabalhar, tomar ônibus ou encarar o desemprego - o vinho é razoável, mas a bolachinha é pouca.  Olhar para o ceu deve dar câimbras ou torcicolo e nunca vi padre algum ser patrocinado por gelol. Parece-se cada vez mais com a imagem de um muçulmano criado pela Fox News. Não sou ateu nem agnóstico: sou leitor daquilo que é referência para alguns padres, como Aristóteles e Plotino.

 

Tenho uma maneira interessante para, à primeira vista, ver se algo é interessante ou não;

a) Se for atacado pela Veja. Autores e idéias enxovalhados pela revista na maioria das vezes são bons. 

b) Serem atacados pela Igreja(s) (ou parte bisonha dela(s), como Opus Dei, Universal Reino de Deus, etc...). Respeito o povo das Igrejas, apesar de achar que são instituições bizarras. Só acho complicado quando eles querem impor um mundo de regras e proibir este ou aquele autor. Se a proibição coincidir com a resenha negativa da Veja, pode escrever que o autor ou a idéia são muito bons.

c)Incomodar a direita. Não sou "esquerdista de plantão", confesso que a direita tem até umas idéias bacanas - o capitalismo como Adam Smith ou Stuart Mill sonhavam é muiiito diferente do que vemos hoje - arrisco dizer que se Stuart Mill vivesse hoje, seria tratado por muita gente por aí como comunista, petralha, etc... Mas o que me irrita profundamente é o pessoal que fica  mais à direita de Gengis Khan  (ironic mode on), como muitos comentaristas  e escribas tupiniquins. Se algum autor ou idéia for condenado pela Igreja, pela Veja e também por essas tristes figuras, você tem de ler o homem, pois deve ter umas idéias sensacionais.

 

-Se a vida é conectada, por que não precisamos trabalhar menos e em casa? - Por que a tecnologia é do século XXI, mas a ideologia do século XIX.

-André Dhamer - malvados.

Essa "coisa" é a repaginação do obscurantismo da Espanha pós-Isabel: o uso da fé com finalidades políticas e financeiras. Claro que Napoleão não destruiu tudo na sua passagem por lá; e aí, reaproveitaram tudo o que sobrou; a técnica de dominação pelo medo e pelo fanatismo para recriar o império, como disse, usando a fé católica. E se der mole, conseguirão. Com o uso inclusive de outras ferramentas abomináveis como a "Santa Inquisição". Que não inventaram, mais tanto a aprimoraram e dela tanto abusaram pra roubar os outros, especialmente judeus e ciganos.

A grande ameaça à liberdade em nossos dias não é a Black Water, a CIA, nazismo, golpismo de terceiro mundo... a grande ameaça está plantada no coração de Roma e monitorada desde Navarra. E o mundo se encaminha para o estado que esses urubus gostam: o de insegurança total para que pobres almas desesperadas busquem o refúgio na "Obra de Deus".

 

Como disse alguém aí em cima....agradeço a Deus e a Opus Dei por ampliar a lista de livros que devo ler...

=P

 

 

eu queria ver a lista das religiões "proibidas" por saramago. todas?

 

Graças ao bom Deus, não sou da opus dei. Mas também comecei a fazer meu index de autores, não digo  proibidos,minha lista é de autores descartáveis. Foi rapidinho, fácil, fácil. 

Reinaldo Azevedo, Ricardo Noblat, Merval Pereira, Fernando Henrique Cardoso (especialmente o último lançamento), Arnaldo Jabor.

 

Agradeço a Opus Dei pela lista, alguns eu li, outros não.  As vezes 'A Obra de Deus' serve para alguma coisa!

Certamente serão livros que indicarei de agora em diante, principalmente os do extraordinário Saramago! 

 

Israel: Mosteiro cristão vandalizado


https://www.youtube.com/watch?v=q6E1CZOK-Bk&playnext=1&list=PLA005839A94DF936C&feature=results_main

 

http://www.fundacao-ais.pt/noticias/detail/id/2778/

10-10-2012

Cristãos voltam a ser alvo de vandalismo em Jerusalém

Regressaram os actos de vandalismo contra templos Cristãos em Jerusalém. Desta vez, foram atiradas pedras, garrafas e lixo contra a Igreja Ortodoxa Romena de São Jorge, localizada perto do grande bairro ultra-ortodoxo judaico de Mea Shearim, tendo ficado danificada a porta de entrada do templo.

Nos últimos tempos, vários mosteiros católicos foram profanados, o que provocou protestos de representantes religiosos aos responsáveis políticos do país. Recorde-se que, na semana passada, apareceram inscrições em hebraico com insultos a Jesus na porta de entrada de um mosteiro franciscano em Monte Sião, perto do Cenáculo, um local particularmente importante para os Cristãos na Cidade Santa.

 

Antes, a 4 de Setembro, extremistas israelitas – normalmente jovens conotados com comunidades ultra-ortodoxas e de extrema-direita – incendiaram uma das portas do mosteiro de Latrun, perto de Jerusalém, tendo feito inscrições anticristãs numa das paredes do templo.

Em consequência destes actos, os bispos católicos da Terra Santa expressaram já a sua “profunda consternação com tais acções” e pediram “uma mudança no sistema de ensino de algumas escolas de Israel, onde são ensinados o desprezo e a intolerância”, segundo relata a agência de notícias AFP. Apesar de as autoridades condenaram sistematicamente estes actos de vandalismo, a verdade é que só muito raramente os seus responsáveis são detidos e levados à Justiça.

 

Departamento de Informação da Fundação AIS- info@fundacao-ais.pt

 

 


            Os livros de Saramago proibidos pela


   opus Dei.


 


   E  a opus Dei é permitida?


 


   ou seja: O enrustido que se auto proibe( porque ninguém diz que é da Opus dei) proibe outrem.


 


     Sinceramente,nunca vi disso. 


 


          Fenomenal!!!!

 

Sera que o Geraldinho já leu algum desses livros, se pudessemos provar que sim certamente ele levaria uma surra da Opus dei, e teria muita verba cortada!!!!

 

No final das contas, essa proibição acaba sendo uma baita propaganda.

Tudo o que é proibido parece mais gostoso.

Alguém tem acesso a lista completa?

 

E essa gente vive em Estado laico, imaginem se tiverem poder geral sobre a sociedade.

Saudações desoladas com a miséria espiritual da humanidade, quão lenta é a evolução.

 

kkkkkkkkkkkk, "O Primo Basílio"???

Uma historinha besta, lida por mocinhas e senhoras do século XIX?

A falta de ridículo desse povo não encontra limites...

 

Justíssima homenagem ao nosso querido Saramago. Mas acho que a organização poderia esclarecer se há algum título que encaminha diretamente à fogueira, sem direito ao STF, mesmo àqueles que não leram os dez? (Quem sabe O Evangelho? Ou Caim?).

 

Valmir Gôngora

Quando é o aniversário do Picolé de Chuchu, vou mandar uma coleção pra ele.

 

Fábio Vieira da Rosa - Floripa

Existe um livro formidável, de autoria de um francês chamado Jean Michel Angerant. O nome do livro é Hitler e as religiões da Suástica. Uma pesquisa séria, sem viés político ou ideológico. No Brasil, foi banida das livrarias e da internet. Forças ocultas pessoal,... forças ocultas.

 

A Igreja Católica até que afastou um pouco do obscurantismo da Idade Média, mas o Papa João Paulo II deu aval ao medievalismo da Opus Dei ao canonizar, em tempo record, José Maria Escrivá, fundador da seita diabólica, sem que ele (Escrivá) portasse um requisito sequer para se tornar santo...

A Opus Dei é uma prelazia da Igreja Católica, mas não se submete a nenhuma regra por ela (Igreja Católica) imposta, salvo o repasse de 60 milhões de dólares por ano aos cofres de "sua santidade".

 

Lourdes Catão, socialite carioca e confessa adúltera, confirmou o que todos já sabemos: “Acho que o AÉCIO É o melhor, MAIS DO NOSSO LADO... Dilma não pode ser reeleita de jeito nenhum’’. 

Por que não proibem a Bibli com seus inúmeros incestos, infanticídios, parricídios, vingança e "chifrescídios"?

Isso exala cheiro das masmorras da Idade Média. E de enxôfre: "sai capeta!"

 

Só de sacanagem, se eu fosse o Haddad comprava todos os livros da lista e dava um por um de presente pro Alckmin, um em cada evento público!

 

No Brasil a única proposta política da Oposição é o golpe.

Índex de livros proibidos. Index librorum prohibitorum, reedição da Inquisição.

Meu Deus, que medievalismo! A própria Igreja Católica é mais moderna que a Opus Dei, pois revogou o Index nos idos anos 1960!

(Preciso conhecer esse índice, deve ter os melhores livros do planeta!)

 

No Brasil a única proposta política da Oposição é o golpe.

Como leitor de José Saramago, um dos maiores da literatura universal, só tenho a agradecer a esta organizaçãozinha putrefata, caricatura de bandinho mafioso autodenominada "Opus Dei", pela involuntária homenagem prestada "post mortem" ao grande autor de "O Evangelho Segundo Jesus Cristo".

Aliás, turminha da "Opus Dei", peguem o Escrivá pra vocês e vão todos dançar lambada no inferno! 

 

A Opus Dei nada mais faz do que reeditar o Index Librorum Proibitorum da Igreja Católica, que vigorava na primeira metade do séc. passado (e nem sei se foi revogado... ou se apenas caiu no esquecimento). Desse índex, além de Marx, Freud, Nietzshe fazia parte -- tchan, tchan, tchan, tchan -- a OBRA INFANTIL DE MONTEIRO LOBATO! Por causa do divórcio da Emília (de um porco!), da nudez em A Chave do Tamanho, e outras alegaçoes mais. A igreja católica sempre foi RIDÍCULA!  

 

Saramago deve estar morrendo de orgulho.

:)

 

são essas as consagrações que enchem de orgulho um artista e/ou intelectual: ser proibido pela Opus Dei, ser atacado pela Veja.