newsletter

Os nus masculinos

Ontem, dia 16 de abril, subiram com uma postagem intitulada "Cindy Crowford, a Gisele Bündchen dos anos 90". 

A postagem vinha repleta de imagens "sensuais", daquela sensualidade feita por homens, para homens e onde mulheres são objetos. Os comentários que se seguiram foram os esperados: Gisele é melhor por isto, Cindy por aquilo, e assim por diante. Para muitos (talvez a maioria dos homens e também uma minoria das mulheres?) estas fotos parecem singelas, acompanhadas de comentários também singelos. Mas não nos enganemos, porque não o são.

Como seria se eu postasse fotos sensuais de homens? Deixando entreve os pênis? E ainda mais, o que seria se o Gunter, na qualidade de homossexual, postasse fotos sensuais de homens? Todos se sentiriam confortáveis? Talvez para proteger seu sacro direito a dispor do corpo feminino em olhares e discursos, os homens fingissem não o ver. Quem sabe. Mas não é inocente esta miscelânia que faz convergir male gaze - o olhar masculino, e a esfera pública ou a mídia.

Um exemplo hors concours do que falo é a revista playboy. Quantas vezes já não ouvimos que fulano se interessa pela playboy por causa das entrevistas, das matérias?  Reza a lenda que eram realmente boas as matérias e entrevistas. Não posso dizer minha opinião pessoal, porque como mulher eu fui excluída desta esfera do debate público.  Assim como minha mãe estava excluida do bate-boca político que se dava e em parte ainda se dá na boca maldita de Curitiba, onde homens se reunem para falar de mulher e política, ou se quiser inverter a ordem, de política e de mulher. 

E até que ponto não estamos, aqui no blogue, reproduzindo esta lógica de esfera pública hostil às mulheres assim que lhes empresta o papel de seres olhados, e não olhantes? Como caça, mas jamais como caçador?

Antes que me acusem de puritana, o que vai inevitavelmente acontecer, já que deixar-se conduzir por uma ótica feminina é tão difícil para a maioria, deixe-me vacinar-me antes. Não é a sexualidade, dimensão fundamental do ser humano, que eu critico. É seu como, quando e para quem. São seus moldes patriarcais, tão manjados, mas tão reiterados. Travestidos de normalidade eles ensinam gerações qual é o lugar da mulher (no olhar masculino - padronizado pela indústria pornográfica em suas diversas formas), e onde é o lugar do homem : na esfera pública, debatendo com os seus iguais- aqueles do mesmo sexo que ele, e heterossexuais como ele. (A quem possa interessar, não o faço porque pode parecer auto-promoção, posso dar o endereço do meu blogue onde trato de uma sexualidade fora da "ordem mundial")

Eleger uma mulher presidente não é o fim de um processo. É o começo de um processo. De um caminho muito árduo que ainda tem que ser trilhado com fins à igualdade entre homens e mulheres, desde as aberrações mais evidentes que o patriarcado cria, como a mutilação genital feminina, a burca, a prostituição infantil, o estupro, até as coisas mais aparentemente triviais, como a desmiolada comparação entre fotos de Cindy CRowford e Gisele Bündchen.  

Vamos, agora, a uma prova de democracia. Vamos ver se o Luís Nassif sobe com esta postagem. 

Por Juriti do Cerrado

     - Nu Masculino - 

Baarbaaraa, estas são do fotógrafo norte americano Robert Mapplethorpe, há umas que, apesar de serem obras de arte são fortes, melhor não. Escolhi umas leves, mesmo assim 3 pessoas podem denunciar a postagem e, assim, exclui-la automaticamente.

 

 

 

 

 

 

 

Robert Mapplethorpe, Marcus Leatherdale

Por baarbaaraa

olhar


Média: 3.2 (31 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+90 comentários

Ô, post bom pra fugir da real que há.

gente, vamo em frente, essa de machismo, nÚ... etc e tal ,

não podemos mais perder tempo,

pior para quem fica pra trás, tenho pena desses, deles...

o tempo urgi !

Cadê as crianças desnutridas?

educação

cultura

esporte.

deixamos os cios pra depois.y

 

Tenho visto mulheres com músculos portentosos obtidos em academias. Parecem orgulhosas de suas novas imagens. 

Por exemplo, nos links:

http://deekay.delimit.net/frames.html?page=welcome

http://www.femalemuscle.fempoint.net/

 

Baarbaaraa, Juriti e amig@s.

Acabei pensando que talvez um novo post possa ser interessante.

O mais imediato a respeito do post de vocês (muito legal!) coloquei aqui:

http://advivo.com.br/blog/gunter-zibell-sp/o-problema-nao-e-o-nu-masculino-e-o-beijo-gay

 

Se você pode sonhar, você pode fazer. Walt Disney

"Reza a lenda que eram realmente boas as matérias e entrevistas."

Eu li na Playboy uma matéria sobre o grupo de esquerda alemão Baader-Meinhof, em plena ditadura, jornalismo investigativo de alto nível, assunto que NUNCA vi publicado em lugar algum (nem sei se podia publicar), com Dona Solange e tudo na censura.

 

Eu leio a Playboy pelo mesmo motivo que leio a National Geographic: conhecer os lugares que nunca irei visitar pessoalmente. (não sei quem é o autor, mas é ótima).

 

Hoje o Nassif ta com muita paciência, pelo jeito...

 

@DanielQuireza

É, o clima de machismo neste blog é mesmo o fim da picada. Clima de vestiário masculino, em alguns tópicos. Machistas bocós e orgulhosos de ser cretinos. É de uma misoginia e de um cretinismo fora de série. E pena que algumas mulheres participam disso. 

 

Putz, como você é travada.

Se auto-denomina anarquista, mas segue o manual de conduta sexual do PC chinês.

 

Questao de ponto de vista. Eu acho que um homem que tem esse tipo de comportamento com mulheres é que deve ser muito travado. Se nao fosse, seria mais respeitoso e amistoso com mulheres. Nao tenho o menor problema com o nu, tenho contra a mediocridade, o machismo e a cretinice. 

 

Garota De Ipanema
Tom Jobim

Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
No doce balanço, a caminho do mar

Moça do corpo dourado
Do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah, porque estou tão sozinho
Ah, porque tudo é tão triste
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha

Ah, se ela soubesse
Que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo
Por causa do amor

 

Então devemos concluir que uma das músicas brasileiras mais famosas do mundo é obra de um machista cretino?

Garota De Ipanema
Tom Jobim

Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
No doce balanço, a caminho do mar

Moça do corpo dourado
Do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah, porque estou tão sozinho
Ah, porque tudo é tão triste
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha

Ah, se ela soubesse
Que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo
 Por causa do amor  

 

Esquece, pra essa gente qualquer elogio que se fizer à beleza da mulher é machismo.

 

Dito com aquele "conhecimento de causa" que caracteriza o Sanzio, que nao hesita em insinuar que um comentarista do blog é espiao do Rodas sem base nenhuma para isso a nao ser o fato do cara ser de direita, o que nao é sinônimo necessariamente de dedo-duro. Quem tem esse tipo de ética deve ficar mesmo muito incomodado com meus comentários. 

 

Foi um equívoco ter subido a postagem com o título "os nus masculinos", porque não é este o cerne da questão. Guerrinha de sexos. Se não me engano, chamei a postagem de "male gaze e esfera pública", de qualquer forma, teria sido um título adequedo. Na postagem original os nus masculinos foram enviados como resposta como uma forma de exercício do olhar. Por que é tão natural, tão frequente ver mulheres seminuas em posições tidas como eróticas e tão mais raro ver os homens? Pensemos na grande mídia e aqui também. As páginas de celebridades da VEJA, por exemplo, sempre nos brindam com mulheres, e nunca com homens. Por que é tão natural, tão frequente, ver um e não ver o outro? O que está por trás? A relação entre masculinidade e política, ou entre masculinidade e esfera pública. Este é o cerne da postagem. 

 

Barbara,

Concordo absolutamente com você. O que o Nassif fez aqui neste post, hoje, foi (in)digno do que há de mais sórdido no PIG. Criou uma manchete (o nome do post em questão) que não condiz com o seu texto nem com a situação que o originou. Pra piorar, juntou os nús que eram repostas ao seu comentário no FDP como se estes fossem o objetivo em questão, desvirtuando o sentido da sua crítica e dando margem a todo esse deboche e escracho que rolou aqui. Sinto muito, mesmo. Por fim, parabenizo aos homens e às mulheres que não cairam na armadilha, ao contrário da maioria que se deixou levar seja por comodismo - mulheres que fazem questão de se alinhar aos homens para se sentirem aceitas - ou porque, no caso dos homens, são exatamente aquilo que negam: machistas escrotos.

 

Assim fica difícil, se ele não sobe o post, tá errado e o blog não é democrático, se sobe, tá errado também porque teria de ser do jeitinho que vcs querem (ah, o título não ficou bom, o Nassif é um machista!!)

Vale lembrar que  parte dos "nús que eram repostas ao seu comentário no FDP" foram de autoria da própria Barbara. Se ela queria só o comentário, porque diabos postou as imagens? (E detalhe, as que o Juriti postou são muito melhores.)

E depois reclamam quando não são levadas a sério. Tenho uma ideia, faça um blog, aí vc poderá postar tudo como quiser.

 

em tempo, Nassif, o ôminazi, é julgado por seus crimes pelo Tribunal Democrático Progressista, por errar no título do post:

http://www.frequency.com/video/stanley-kubrick-glria-feita-de-sangue/25497597

 

                    Acho que a entendi, cara BAA.

Talvez seja uma questão cultural, vinda de muito longe, nada mais. Ao ler-se como os pintores conseguiam modelos para seus quadros mais ousados, nota-se que, geralmente, tinham que remunera-los. Estes, quase sempre mulheres que não possuíam profissões definidas ou homens saídos da puberdade. Às vzs. conseguiam alguma prostituta que, de bom grado posavam sem exigir pagamento. Hoje, entendo que, nesse pormenor de tirar a roupa, as MULHERES são mais permissivas, veem com mais naturalidade que os HOMENS. Aos poucos eles irão ficar mais à vontade, como já conseguiram ficar mais vaidosos, sem culpa. "Não se avexe não... Que nada é pra já..." Ou definitivo. Abs.

 

Nem sempre. Modelos femininos foram durante muito tempo proibidos. É só pegar o caso do Michelangelo, que vc citou acima. Todos os modelos para figuras femininas que ele utilizava eram homens, repare como as mulheres são musculosas nas suas obras.

Caravaggio, que começou a utilizar como modelos pessoas à margem da sociedade (inclusive prostitutas como Maria) causou bastante polêmica, à época.

Vale lembrar também que os artistas nem sempre usam modelos vivos. O uso de esculturas como modelo para pinturas ou desenhos, por exemplo, é muito comum.

 

Esses nus são belos e de perfeita singeleza. Prefiro-os.

http://www.ocaiw.com/galleria_niah/gallery.php?lang=pt&author=297&id=43&...


 

virgi! Que Chagall estranho, hein.

 

Não é estranho; é belo e inocentemente perfeito. Verdadeira aula de ARTE.

http://www.biografia.inf.br/michelangelo-escultor-pintor-arquiteto.html#...

Davi – Torso ↑

 

Ah, né nada. Completamente diverso da melhor produção dele, além disso, um quadro dos anos 70! Acontece com alguns artistas que eles envelhecem e suas últimas obras ficam meio deslocadas. Achei estranho não pelo quadro em si, mas por ser um Chagall "estranho no ninho".

Boa lembrança do Michelangelo, vou contra-atacar de Bernini, nunca o mármore foi tão carne:

 

Hades e Persephone (detalhe)
 

Uma das contradições que pode ser observada é que muitos dos homens que dizem ver com a maior naturalidade do mundo fotos bastante sensualizadas de mulheres, sejam os mesmos que duvidam da denúncia de uma mulher que tenha sido estuprada usando roupas sensuais, já que nesse caso - segundo eles  - ou ela estaria provocando ou mesmo pode se duvidar do estupro, já que a mulher estava se oferecendo... Em suma, é pra ver e usar quando puder.

Claro que o que eu disse não é regra, mas... se a carapuça servir, pode vestir.

 

Vânia, minha querida, eu entendi o que você disse no post. Entretanto, gostaria de complementar que, mesmo com a mulher se sensualizando, "se oferencendo" (termo nojento muito usado pelos machistas de plantão), mesmo que ela esteja em um processo de corte com um ou quantos homens ela queira, mesmo com tudo isso, nada justifica o estupro. O que um homem pode, ao meu ver, é ser receptivo ou não a esse processo. Fico estarrecido com a quantidade de pessoas que se valem de um discursinho tosco para defender o velho machismo, homofobia, racismo, xenofobia e outras tantas excrescências!

Todo o meu apoio à luta contra o machismo, Vânia! Um grande abraço!!!

 

Luiz Augusto A. S. Rocha, 28 anos, jornalista (e servidor público), São Francisco do Guaporé (RO).

O corpo humano é um projeto péssimo: consome muito "combustível" pra gerar energia, dura relativamente pouco (o que são 70-80 anos diante da história do mundo?), precisa ser "reabastecido" várias vezes por dia, tem pouco tempo de vida plena, depois começa a dar todo tipo de defeito, etc, etc, etc. É por isso que volta e meia os robôs das histórias de ficção científica tentam se livrar dos seres humanos, porque estes são muito imperfeitos comparados a eles. Então vamos pelo menos aproveitar o lado estético. Tem gosto pra tudo quando se trata de peladas & pelados, mas me incomodam, agridem e ofendem muito mais aquelas fotos que retratam a miséria em alguns países da África, por exemplo. Não vou gastar meu olhar com aquela revista do Vampeta peladão (porque eu tenho mais a ver com aquela música do Ultrage a Rigor "Eu gosto é de mulher"), mas a foto do pinto do Vampeta impressa em papel couchê ofende muito menos do que aquelas imagens de crianças esqueléticas ou de gente inocente trucidada em guerras estúpidas.

Se prestarmos bem atenção, veremos que homens também se prestam ao papel de objetos. O que é aquela propaganda de papel higiênico com o Gianecchini senão a exploração de sua imagem e apelo junto à mulherada? O antigo mordomo que levava o papel não tinha apelo sensual, a propaganda  apenas utilizava o bom humor e tentava criar um bordão para fixar a marca junto ao consumidor. Homens e mulheres tem uma postura meio diferente em relação à imagem de corpos, sei lá, vai ver que é coisa específica do projeto do acaso para cada um e que interferiu com a própria evolução e preservação da espécie.

Além do mais, acho que tem muita forçação de barra e marketing pra que alguém consiga achar uma mulher de 1,80m e menos de 60 kilos mais gostosa do que qualquer chacrete dos anos 70. Viva Rita Cadillac! Viva Carla Peres! Abaixo as top models magricelas! (Para quem prefere, viva o Vampeta!)

 

Voltei ao post para ler os comentários e acho que um deles acerta na mosca: foto de paisagem, pode; foto de onça, leão e jaguatirica, pode; fotos de peixes e aves exóticos, pode; fotos de carros (até mesmo destes horrorosos Formula 1 de 2012) também pode. Uai, porque implicar, então, com fotos de mulher ou homem pelados? Entre os bichos o apelo do cheiro é forte, como nosso olfato é muito menos sensível, o aspecto visual nos afeta mais. Apesar da capacidade de raciocínio, também somos bichos. Juntou uma coisa com outra -somos bichos que raciocinam- e veio a capacidade de fantasiar. Podemos e devemos controlar nossos atos, mas sem necessidade de reprimir nossa herança genética. Já bastam tantas religiões que tentaram negar a natureza, mas aí acabou no que? Padre pedófilo. A Scarlet Johanson, mencionada em outro comentário, é ou não é uma obra de arte da natureza? Vamos fazer o quê, manda-la andar de burca? Vamos censurar a abertura de Encontros e Desencontros? No final das contas é nas burcas e na censura que vamos chegar seguindo esta linha meio vitoriana de pensamento.

Vendem comidas pra matar a fome, porque não venderiam outras coisas que necessitamos, como fantasias? "Compra" quem quer.

 

O Homem Nu

Fernando Sabino


Ao acordar, disse para a mulher:

— Escuta, minha filha: hoje é dia de pagar a prestação da televisão, vem aí o sujeito com a conta, na certa. Mas acontece que ontem eu não trouxe dinheiro da cidade, estou a nenhum.

— Explique isso ao homem — ponderou a mulher.

— Não gosto dessas coisas. Dá um ar de vigarice, gosto de cumprir rigorosamente as minhas obrigações. Escuta: quando ele vier a gente fica quieto aqui dentro, não faz barulho, para ele pensar que não tem ninguém. Deixa ele bater até cansar — amanhã eu pago.

Pouco depois, tendo despido o pijama, dirigiu-se ao banheiro para tomar um banho, mas a mulher já se trancara lá dentro. Enquanto esperava, resolveu fazer um café. Pôs a água a ferver e abriu a porta de serviço para apanhar o pão. Como estivesse completamente nu, olhou com cautela para um lado e para outro antes de arriscar-se a dar dois passos até o embrulhinho deixado pelo padeiro sobre o mármore do parapeito. Ainda era muito cedo, não poderia aparecer ninguém. Mal seus dedos, porém, tocavam o pão, a porta atrás de si fechou-se com estrondo, impulsionada pelo vento.

Aterrorizado, precipitou-se até a campainha e, depois de tocá-la, ficou à espera, olhando ansiosamente ao redor. Ouviu lá dentro o ruído da água do chuveiro interromper-se de súbito, mas ninguém veio abrir. Na certa a mulher pensava que já era o sujeito da televisão. Bateu com o nó dos dedos:

— Maria! Abre aí, Maria. Sou eu — chamou, em voz baixa.

Quanto mais batia, mais silêncio fazia lá dentro.

Enquanto isso, ouvia lá embaixo a porta do elevador fechar-se, viu o ponteiro subir lentamente os andares... Desta vez, era o homem da televisão!

Não era. Refugiado no lanço da escada entre os andares, esperou que o elevador passasse, e voltou para a porta de seu apartamento, sempre a segurar nas mãos nervosas o embrulho de pão:

— Maria, por favor! Sou eu!

Desta vez não teve tempo de insistir: ouviu passos na escada, lentos, regulares, vindos lá de baixo... Tomado de pânico, olhou ao redor, fazendo uma pirueta, e assim despido, embrulho na mão, parecia executar um ballet grotesco e mal ensaiado. Os passos na escada se aproximavam, e ele sem onde se esconder. Correu para o elevador, apertou o botão. Foi o tempo de abrir a porta e entrar, e a empregada passava, vagarosa, encetando a subida de mais um lanço de escada. Ele respirou aliviado, enxugando o suor da testa com o embrulho do pão.

Mas eis que a porta interna do elevador se fecha e ele começa a descer.

— Ah, isso é que não! — fez o homem nu, sobressaltado.

E agora? Alguém lá embaixo abriria a porta do elevador e daria com ele ali, em pêlo, podia mesmo ser algum vizinho conhecido... Percebeu, desorientado, que estava sendo levado cada vez para mais longe de seu apartamento, começava a viver um verdadeiro pesadelo de Kafka, instaurava-se naquele momento o mais autêntico e desvairado Regime do Terror!

— Isso é que não — repetiu, furioso.

Agarrou-se à porta do elevador e abriu-a com força entre os andares, obrigando-o a parar. Respirou fundo, fechando os olhos, para ter a momentânea ilusão de que sonhava. Depois experimentou apertar o botão do seu andar. Lá embaixo continuavam a chamar o elevador. Antes de mais nada: "Emergência: parar". Muito bem. E agora? Iria subir ou descer? Com cautela desligou a parada de emergência, largou a porta, enquanto insistia em fazer o elevador subir. O elevador subiu.

— Maria! Abre esta porta! — gritava, desta vez esmurrando a porta, já sem nenhuma cautela. Ouviu que outra porta se abria atrás de si.

Voltou-se, acuado, apoiando o traseiro no batente e tentando inutilmente cobrir-se com o embrulho de pão. Era a velha do apartamento vizinho:

— Bom dia, minha senhora — disse ele, confuso. — Imagine que eu...

A velha, estarrecida, atirou os braços para cima, soltou um grito:

— Valha-me Deus! O padeiro está nu!

E correu ao telefone para chamar a radiopatrulha:

— Tem um homem pelado aqui na porta!

Outros vizinhos, ouvindo a gritaria, vieram ver o que se passava:

— É um tarado!

— Olha, que horror!

— Não olha não! Já pra dentro, minha filha!

Maria, a esposa do infeliz, abriu finalmente a porta para ver o que era. Ele entrou como um foguete e vestiu-se precipitadamente, sem nem se lembrar do banho. Poucos minutos depois, restabelecida a calma lá fora, bateram na porta.

— Deve ser a polícia — disse ele, ainda ofegante, indo abrir.

Não era: era o cobrador da televisão.


Esta é uma das crônicas mais famosas do grande escritor mineiro Fernando Sabino. Extraída do livro de mesmo nome, Editora do Autor - Rio de Janeiro, 1960, pág. 65.

http://www.releituras.com/fsabino_homemnu.asp

 

 

 

 

Me percebi certa vez procurando o fotógrafo.

É que num bem cuidado terreno nas proximidades de Lagoa Santa fiquei intrigado com o exibicionismo escrachado de pavões a andar de um lado para o outro num ritual tão bem articulado como se estivessem nalguma rua de São Paulo posando para a Playboy.

Eu os vi ali, e fiquei surpreso por estar muitíssimo mais interessado do que as demais aves presentes que pareciam não estar dando a mínima para o belo desfile.

   

http://thebestimagesbysoniasilvino.blogspot.com.br/2010/10/pavao-lindo-demais.html

http://alinetrielly.blogspot.com.br/2011/05/pavao-albino.html

http://olhares.uol.com.br/pavao-e-pavoa-foto2509420.html

 

Baarbaariidaadee!!

 

 Já não se respeita mais nem a Salomé...

 

Tema interessante, comecei a ler entusiasmado, terminei decepcionado.


Post oportunista, CHANTAGISTA, um verdadeiro engodo.


O que salva, é que aqui no Blog tem muita gente boa e esta fazendo de um limão uma limonada.


Os comentários superam  post em MUUUUUUUIIIIITOOOOOO!!!


 

 

É exatamente o contrário: com raras exceções, os "comentários" são terríveis. Não há argumentação digna do nome. Denegação é a palavra-chave aqui. Quase ninguém entendeu nada e continua na mesma, fazendo chacota do que Bárbara afirmou. Se isso ocorre entre "progressistas", imagine-se em outros setores...

 

O nu não tem problema algum.

O problema é a maldade na cabeça das pessoas.

 

Não consigo entender a razão de tantas críticas à exposição de nus femininos ou masculinos. Só não gosto da exposição de genitálias, que esteticamente não me agradam.  E entendo menos ainda a rejeição aos nus sensuais. Por que a gente pode apreciar a beleza de um animal, a beleza de uma flor, e não a beleza de um corpo ?  E a sensualidade, não é algo que todos gostamos muito ?  E acho também que para que um corpo seja sensual é preciso que a mulher tenha inteligência, charme, porque sem isso não há sensualidade.

É preciso aceitar a sensualidade e o erotismo como coisas positivas e diferenciá-los da pornografia.

Só é lamentável expor os prazeres sexuais de modo a denegrir o ser humano, como algo sujo e pecaminoso.

 

Demarchi

Que podrera. Tem um negão vestido de biquini que nem o Borat, outro com uma oncinha no colo, outro de cinturão de couro, outro segurando uma lebre. Tirando uma ou outra foto que realmente pode ser chamada de artística, o resto é uma versão masculina das piores revistinhas de putas se esfregando em coqueiro com o dedinho na boca.

Mas vamos lá, lanço aqui a ideia deste site. Alguma candidata?

Site arrecada dinheiro para que 'vizinhas' posem nuas

 Divulgação  A apresentadora Pietra Príncipe, 29, pode ser a primeira a tirar a roupa para site

GIBA BERGAMIM JR.
DE SÃO PAULO

No filme "O Pecado Mora ao Lado", uma exuberante Marilyn Monroe interpreta a vizinha que domina o imaginário do morador do andar de baixo. Para três publicitários de Porto Alegre esse tipo de fetiche virou negócio.

Eles concluíram que essa fantasia com "mulheres comuns" -como a vizinha, a professora ou a colega de trabalho- é tão forte que lançaram uma campanha para vê-las totalmente nuas.

Para que a gostosona da casa ao lado ou a musa da academia tirem a roupa, resolveram criar o site nakeit.com. Trata-se de um crowdfunding -site de financiamento coletivo para bancar projetos culturais.

No caso dos publicitários Daniel Mattos, 25, Rodrigo Nery, 23, e Ricardo Dullius, 25, o interesse é mesmo bancar ensaios sensuais, pagando as modelos e a produção.

O site já arrecadou R$ 75 mil para o ensaio da apresentadora Pietra Príncipe, do canal Multishow.

A doação mínima é de R$ 10, mas já houve quem contribuísse com até R$ 300.

"Escolhemos a Pietra, que não é uma figura conhecida como atores de TV aberta. Mas já recebemos vários e-mails sugerindo que a colega de trabalho seja a próxima escolhida", disse Mattos.

Se os R$ 300 mil fixados para que Pietra possa tirar a roupa e ficar mais à vontade não forem arrecadados nos próximos 20 dias, não haverá ensaio e o dinheiro será devolvido para cada doador.

Ainda é cedo para saber se os R$ 300 mil serão atingidos. Mas a apresentadora adianta que suas fotos serão inspiradas em Milo Manara, italiano que fazia histórias em quadrinhos sensuais. "Gostei da ideia pelo pioneirismo. Mas não terá nada de dedinho na boca. Será arte."

 

Nem as fotos masculinas, nem as femininas. Nenhum nu me incomoda. Essa generalização, achando que fotos de homens nus chocam a todos os homens heterossexuais, é besteira. Eu não faço parte da polícia puritana da moral e dos bons custumes.

 

Barbara,


Fiquei com uma dúvida. Em sua opinião, deveria haver menos fotos de mulheres nuas, ou mais fotos de homens nus?


O mercado tentou vender para as mulheres o nu masculino em um passado recente, mas as revistas foram fracasso de público, ou mudaram para o público gay. As mulheres não se interessaram, pelo menos na mesma medida que os homens têm interesse pelas revistas masculinas.


Homens e mulheres são diferentes.


Cobrar dos homens um comportamento que é padrão para as mulheres seria um novo sexismo, seria agora condicionar o homem a um mundo feminino.


 

 

Nao se trata disso. A questao é o machismo dos comentários, que é uma espécie de bullying. É algo que inibe a participaçao de mulheres neste blog. É indelicado e desrespeitoso com as leitoras, o blog é misto. Quer ver foto de mulher nua, compre a Playboy e veja em casa. 

 

só para eu entender:

qual a celeuma?

seria o "direito" das mulheres (ou dos que gostam) também postarem fotos de homens nús assim como é feito com mulheres de forma recorrente ou é reinvidicação para que não sejam publicadas ou exploradas fotos nem de homens e nem de mulheres peladas?

eu ficaria com a primeira opção. que mostrem tudo! e de todos.

 

"Vamos, agora, a uma prova de democracia. Vamos ver se o Luís Nassif sobe com esta postagem."

hehehe o discurso se armava na suposição de que o Nassif não subiria o post, mas ele subiu. É muito desagradável usar ameaças (mesmo que veladas) num argumento. Então se o post não fosse publicado o blog não seria mais democrático? Mesmo contando com um espectro de comentaristas que vai, por exemplo, de AA ao Gunter, do HC Paes a um coronel de exército aposentado? Sem o SEU comentário, não há democracia, é isso? Lembrei do Millôr agora: "Democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim."

No mais, acho engraçado como há uma espécie de projeção automática no argumento, como se toda mulher, ao ver as fotos da Crawford, fosse obrigatoriamente levada ao papel de olhada. Agora somos uma massa homogênea, em que uma decide como as outras devem se comportar? A Sra. Crawford não diz absolutamente nada sobre mim, nem qualquer foto que ela possa fazer, muito menos a tal da Bündchen. O papel de olhante depende muito mais do observador (ou observadora) que das imagens. Aquele post foi absolutamente irrelevante, dá a impressão que foi usado como pretexto só pra encaixar certo discurso pronto.

Ah, a compilação do Mapplethorpe, como já comentei no outro post, tá bem levinha, tem coisa bem mais interessante, como o? a? Juriti apontou.

Aliás, que tal uma fotinha da Louise Bourgeois? Ou uma colagem de Hamilton? Vamos exercitar então o papel de olhante ou aquilo é só retórica? O que me dizem sobre essas imagens?

Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
 

Quando da polêmica, ontem, postei essa divertida paródia russa do uso do corpo feminino em peças publicitárias, no caso, do principal objeto do desejo masculino: o automóvel, não a mulher... Aí, colegas, vejam o tanto que são ridículamente sexistas as fotos publicitárias em "pose-sexy-de-mulheres-padrão". Quem nunca ouviu falar em reificação e fetichismo da mercadoria, deve prestar atenção nos usos que a mídia corporativa faz do corpo feminino, e começa a fazer do corpo masculino, mas de outra maneira.

http://englishrussia.com/2007/09/12/parody-car-photoset/

 

Lembrei dessa crítica bem humorada do desenhista Kevin Bolk ao cartaz do filme dos Vingadores e ao fato de que a personagem da Scarlett Johansson ser a única com a bunda virada para o espectador.


Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
 

Quero ver agora se o Nassif tem coragem de exibir as fotos a seguir.

Contra a mercantilização do corpo dos animais!

 

Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
 

O porquinho eu comia...

(mas só com mostarda)

 

Esse texto mostra que boa parte dos politicamente corretos de plantão passa a maior parte do tmepo odiando e criticando o que existe no lugar de propor algo concreto. Não vejo problema nenhum na mercantilização do corpo. É um mercado como qualquer outro. É lícito, inclusive. E acho que Cindy, Gisele e as mulheres frutas estão muito bem com o dinheiro que ganharam. E qual o problema de sensualidade de homens para homens? Isso é mercado. Assim como há lugar para a pornografia gay, lésbica e tudo o mais. O produto deve ser feito de acordo com as preferências do mercado consumidor. Da mesma maneira, se alguém ficar ofendido com fotos de homens nus é pq tem sérios problemas psicológicos. A nudez pura e simples não deveria ofender ninguém.


Vamos começar a focar no que realmente importa? Nas mulheres que apanham em casa, nas que são forçadas a se prostituir, nas donas de casa que não têm direitos trabalhistas nem previdênciários, na discriminação no mercado de trabalho, nos estupros etc. E não em fotos pudicas da Cindy Crowford e meia dúzia de fotos de homens.


Quem consome pornografia não quer arte, não quer uma pessoa, não se importa com sentimentos. Quer sexo, excitação. Simples assim. O raciocínio é simples: estou consumindo um produto lícito? Tem menores de idade? A pessoa foi coagida de alguma forma ou se expôs voluntariamente? Enfim, não sendo criminosa a produção da pornografia, não há razão para gritaria. No máximo, pode-se achar aquilo vulgar, feio e sem apelo algum (como achei as fotos dos homens aqui postados).

 

Você quer decretar o que é que ofende as mulheres ou nao? Vai ser autoritário assim... 

O machismo é ofensivo, incomoda, é um tipo de bullying a que a gente está sujeita desde a infância. Nao tem graça nenhuma para as mulheres. E este é um blog misto. Comentários machistas diminuem a participaçao das mulheres no blog, aborrecem as mulheres (salvo aquelas que querem mostrar que sao muito compreensivas para com os homens... ). Fazê-los é indelicado e desrespeitoso. 

 

Cara Bárbara, infelizmente(ou felizmente ?) essas damas vendem o que possuem. O Millor ao ser entrevistado pela Playboy cobrou. O saber era o que tinha para apresentar. FAto semelhante se dá com música: o que toca nas rádios? A mídia infelizmente "impõe" o que quer. E a maioria das vezes da pior qualidade (não que as damas o sejam, embora tenham algumas....).

 


Parabéns por colocar o debate de forma tão clara e precisa, Baarbaaraa.



Está no texto mas penso que vale ressaltar que, mais do que o direito ao female gaze, a crítica se dirige sobretudo ao patrimonialismo que ainda hoje caracteriza as relações sociais no Brasil e que tenta se perpetuar usando o disfarce de uma suposta naturalidade de certos ohares -  naturalidade inexistente já que se trata de mero exercício de poder, deliberadamente construído.


 

Juriti, as fotos não tem nada de forte. São compatíveis com várias fotos de mulheres diariamente expostas em anúncios da mídia.

Até parece que os homens daqui nunca se veem no espelho ou nunca viram outros homens nus em vestiários de clubes...