newsletter

Pular para o conteúdo principal

Os nus masculinos

Ontem, dia 16 de abril, subiram com uma postagem intitulada "Cindy Crowford, a Gisele Bündchen dos anos 90". 

A postagem vinha repleta de imagens "sensuais", daquela sensualidade feita por homens, para homens e onde mulheres são objetos. Os comentários que se seguiram foram os esperados: Gisele é melhor por isto, Cindy por aquilo, e assim por diante. Para muitos (talvez a maioria dos homens e também uma minoria das mulheres?) estas fotos parecem singelas, acompanhadas de comentários também singelos. Mas não nos enganemos, porque não o são.

Como seria se eu postasse fotos sensuais de homens? Deixando entreve os pênis? E ainda mais, o que seria se o Gunter, na qualidade de homossexual, postasse fotos sensuais de homens? Todos se sentiriam confortáveis? Talvez para proteger seu sacro direito a dispor do corpo feminino em olhares e discursos, os homens fingissem não o ver. Quem sabe. Mas não é inocente esta miscelânia que faz convergir male gaze - o olhar masculino, e a esfera pública ou a mídia.

Um exemplo hors concours do que falo é a revista playboy. Quantas vezes já não ouvimos que fulano se interessa pela playboy por causa das entrevistas, das matérias?  Reza a lenda que eram realmente boas as matérias e entrevistas. Não posso dizer minha opinião pessoal, porque como mulher eu fui excluída desta esfera do debate público.  Assim como minha mãe estava excluida do bate-boca político que se dava e em parte ainda se dá na boca maldita de Curitiba, onde homens se reunem para falar de mulher e política, ou se quiser inverter a ordem, de política e de mulher. 

E até que ponto não estamos, aqui no blogue, reproduzindo esta lógica de esfera pública hostil às mulheres assim que lhes empresta o papel de seres olhados, e não olhantes? Como caça, mas jamais como caçador?

Antes que me acusem de puritana, o que vai inevitavelmente acontecer, já que deixar-se conduzir por uma ótica feminina é tão difícil para a maioria, deixe-me vacinar-me antes. Não é a sexualidade, dimensão fundamental do ser humano, que eu critico. É seu como, quando e para quem. São seus moldes patriarcais, tão manjados, mas tão reiterados. Travestidos de normalidade eles ensinam gerações qual é o lugar da mulher (no olhar masculino - padronizado pela indústria pornográfica em suas diversas formas), e onde é o lugar do homem : na esfera pública, debatendo com os seus iguais- aqueles do mesmo sexo que ele, e heterossexuais como ele. (A quem possa interessar, não o faço porque pode parecer auto-promoção, posso dar o endereço do meu blogue onde trato de uma sexualidade fora da "ordem mundial")

Eleger uma mulher presidente não é o fim de um processo. É o começo de um processo. De um caminho muito árduo que ainda tem que ser trilhado com fins à igualdade entre homens e mulheres, desde as aberrações mais evidentes que o patriarcado cria, como a mutilação genital feminina, a burca, a prostituição infantil, o estupro, até as coisas mais aparentemente triviais, como a desmiolada comparação entre fotos de Cindy CRowford e Gisele Bündchen.  

Vamos, agora, a uma prova de democracia. Vamos ver se o Luís Nassif sobe com esta postagem. 

Por Juriti do Cerrado

     - Nu Masculino - 

Baarbaaraa, estas são do fotógrafo norte americano Robert Mapplethorpe, há umas que, apesar de serem obras de arte são fortes, melhor não. Escolhi umas leves, mesmo assim 3 pessoas podem denunciar a postagem e, assim, exclui-la automaticamente.

 

 

 

 

 

 

 

Robert Mapplethorpe, Marcus Leatherdale

Por baarbaaraa

olhar


Média: 3.3 (28 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+90 comentários

Extraio aqui alguns trechos do texto da baarbaaraa pra situar o que acho importante:

"daquela sensualidade feita por homens, para homens e onde mulheres são objetos."

"E até que ponto não estamos, aqui no blogue, reproduzindo esta lógica de esfera pública hostil às mulheres assim que lhes empresta o papel de seres olhados, e não olhantes? Como caça, mas jamais como caçador?"

"...deixar-se conduzir por uma ótica feminina é tão difícil para a maioria..."

E de Juriti do Cerrado:

"...há umas que, apesar de serem obras de arte são fortes..."

A Baarbaaraa tem toda razão. A indústria do entretenimento e a mídia em geral sempre tratou o corpo feminino como mercadoria. E Baarbaaraa, creio que mercadoria ficaria melhor que objeto. Não vejo problema em usar o substantivo objeto desde que ele venha acompanhado do complemento "de desejo", porque o desejo independe de gênero, é intrínseco à nossa natureza. O desejo, em si, não é dominador, não é repressor, não deve ser constrangedor. E creio que aí está o nó da questão. A sociedade patriarcal incluiu o legítimo desejo masculino na abominável dominação masculina. A tal ponto que, mesmo no discurso feminino, vemos aparecer o contraponto caça/caçador. Do ponto de vista do legítimo desejo, caça/caçador não faz o mínimo sentido. E creio que vem daí a dificuldade de "deixar-se conduzir por uma ótica feminina".

E Juriti tocou em outro ponto crucial: "obra de arte".

Uma das muitas tentativas de definir o que seja uma obra de arte diz que obra de arte é a expressão do belo (não confundir com beleza, um cogumelo atômico é belo, seus efeitos não). E neste ponto, deixo em aberto, não só para nus masculinos, mas para femininos também: quais são os critérios para estabelecer o que é obra de arte e o que não é?

 

Ô Valquiria, pena que só vi seu comentário agora, tarde da noite. Senão poderíamos ter uma bela discussão sobre arte e seu(s) valor(es). Como vc já sabe, sou mais inclinado a valorizar (não no sentido financeiro) a arte da rua, os músicos das ruas, o teatro comunitário, enfim, os artistas amadores (aqueles que fazem arte por amor). Mas sempre haverá uma oportunidade pra gente voltar ao assunto.

Beijão!

 

Edson, você faz a correta diferenciação entre a objetificação e a reificação (acho que Lukács trata disso). A objetificação é impossível de ser excluída das relações humanas. Objeto - em relação a mim - é tudo aquilo (e aqueles) que não sou eu. Outra coisa é a redução do outro ser humano à posição de coisa. Você bem coloca que o outro pode, perfeitamente, ser o objeto do desejo na relação amorosa, sexual, sem ser reduzido a coisa (pelo contrário!). O problema está com a mercantilização dos corpos, do sexo, até mesmo das relações. Ou de outras formas de anulamento da personalidade plena do outro, que ocorrem na reificação, inevitável na condição da mulher sob a ideologia do patriarcado.

 

Só um adendo, não é a sociedade machista que transforma o corpo em mercadoria, é a sociedade capitalista que transforma qualquer coisa (incluindo os corpos de mulheres, homens, crianças, trabalhadores) em mercadoria.

Uma sociedade machista faz com que os corpos das mulheres sejam mais explorados que os dos homens.

 

Somente para ilustrar um pouco o adendo de Maria Utt quanto a parte que o capitalismo explora a relação homem e mulher, aqui vai umas antigas propagandas do país onde, creio eu, começou a reação a essa forma de relacionamento. 

Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
 

Ih, Joani, essa história do que é arte ou não é dá assunto pra mais de milênio, hehe

A definição "expressão do belo" é um pouco limitada e não basta. Abaixo copio um trecho do ótimo texto de Fernandes Dias, "Arte, Arte Índia, Artes Indígenas", de um dos catálogos da Mostra do Redescobrimento:

"Consideramos as duas definições mais frequentemente aceitas e que, embora tenham recebido roupagens novas, vêm dedse a antiguidade clássica europeia: a teoria estética e a teoria comunicacional da arte. E uma outra, a teoria institucional, proposta só recentemente, para poder responder aos desafios de uma boa parte da arte do século XX.

De acordo com a teoria estética, arte será uma atividade orientada para a organização da forma das coisas, de que resulta um objeto com qualidade de apelo visual (a beleza), capaz de estimular no espectador um modo específico de visão - a experiência estética.

As teorias comunicacionais da arte definem-na como uma capacidade particular de usar as imagens para enfatizar a nossa percepção do mundo e transformá-la. Nesse caso, um objeto é artístico à medida que participa de um código visual para a comunicação de uma ideia, de uma metáfora transformadora.

Para a teoria institucional, arte é o que assim é designado pelos membros do mundo da arte institucionalmente reconhecido. E aqui a definição de um objeto como objeto artístico não assenta em atributos ou qualidades externas do objeto (estéticas, semânticas ou outras), não porque elas não sejam relevantes nos efeitos que os objetos supostamente produzem, mas porque não é possível definir previamente qual a sua natureza, já que ela é função do mesmo consenso social entre os atores do mundo da arte (...). É objeto artístico tudo o que entra no espaço previsto para objetos artísticos no sistema de termos e relações considerados num mundo da arte. O objeto artístico não tem natureza intrínseca, independente do contexto relacional."

 

eu só tomei a que considero mais relevante para o assunto em questão, o corpo humano.

E quanto ao papel do observador, no seu outro comentário, não concordo não. Porque quem fotografa também observa, já é um recorte. Os fotógrafos de revistas masculinas (e femininas também) tem um roteiro pré-estabelecido de como devem ser as fotos, fazem isso "por encomenda" para melhor expor as mercadorias, por mais que se digam "artistas da fotografia". O trabalho (e não arte) deles é puro marketing.

 

Mas o recorte que vc propõe não faz sentido. Analisar só pelo viés do "belo" porque são "corpos" e por sua qualidade de belo decidir se é uma obra de arte ou não? (devemos lembrar aqui que nem corpos são, são representações de corpos, imagens, antes de qualquer outra coisa).

O critério para se considerar uma obra de arte, seja ele qual for, tem de valer pra todas as obras. Esse é o grande problema de se chegar a uma definição de arte.

Quanto ao papel do observador ... continuo não me vendo no papel de olhada.

 

.


Um corpo de homem em leilão,


(Pois antes da guerra vou com freqüência ao empó­rio de escravos assistir à venda,)


Ajudo o leiloeiro, o desleixado não sabe de seu negócio a metade.


.


Cavalheiros contemplam esta maravilha,


Quaisquer que sejam os lances dos licitantes, eles não podem ser altos o bastante para ele,


Para ele o globo repousou preparando quintiliões de anos sem um animal ou planta,


Para ele os ciclos rotativos rolaram verdadeira e esta­velmente.


.


Nesta cabeça o desconcertante cérebro,


Nela e abaixo dela os feitos dos heróis.


.


Examinai estes membros, rubros, negros, ou brancos, eles são atraentes em tendão e nervo,


Estarão nus para que possais vê-los.


.


Sentidos apurados, olhos vívidos, bravura, volição,


Camadas de peitorais, coluna e pescoço maleáveis, físico não flácido, braços e pernas de bom tamanho,


E ainda maravilhas lá dentro.


.


Lá dentro corre sangue,


O mesmo velho sangue! o mesmo sangue rubro-corrente!


Lá dentro dilata e jorra um coração, lá todas as paixões, desejos, alcances, aspirações,


(Achas que não estão lá porque não são expressos em salas e salões?)


.


Este não é um único homem, este o pai daqueles que serão pais por sua vez,


Nele o início de populosos estados e ricas repúbli­cas,


Dele incontáveis vidas eternas com incontáveis encarnações e gozos.


.


Como sabes quem surgirá da prole de sua prole pelos séculos?


(Quem acharias de onde vieste, se pudesses rastrear de volta pelos séculos?)


(trecho Eu canto o corpo elétrico de Walt Whitman)

 

Olha, nessa disputa de fotos sensuais de mulheres versus de homens não entro não, mas vou aproveitar o gancho sobre peladices para comentar outras peladices.

Lembram daquele casal de turistas alemães que foram presos no aeroporto de Salvador por trocarem de roupa num canto do saguão? E olha que eles nem ficaram pelados pelados. Foi um bafafá. A TV não parava de falar no assunto, entrevistaram brasileiros indignados nas ruas, enfim um mafuá.

Fico imaginando o que esse casal de alemães pensaria ao ver uma modelo andar completamente nua, a plena luz do dia, pelas ruas paulistanas para fotografar e promover sua Playboy.

Somos ou não um país de "esquisitos"?

(E antes que alguém me acuse de estar defendendo os gringos, deixo claro que para mim pouco importa as nacionalidades dos envolvidos, mas sim a hipocrisia gritante entre as situações)

Abaixo as duas matérias (a sobre o casal alemão em 2009 e a da garota da Playboy).

http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL984511-5598,00-TURISTAS+ALEMAES+SAO+DETIDOS+APOS+TIRAR+ROUPA+EM+AEROPORTO+NA+BA.html

 

03/02/09 - 13h03 - Atualizado em 03/02/09 - 13h36

Turistas alemães são detidos após tirar roupa em aeroporto na BA

Eles disseram que achavam que a atitude era normal no Brasil.
Indiciados, estrangeiros devem deixar o país nesta semana.

Do G1, em São Paulo

Dois turistas alemães foram levados para a Delegacia de Proteção ao Turista, em Salvador, após tirar a roupa no saguão do Aeroporto Internacional de Salvador, na tarde da segunda-feira (2). Um terceiro, que estava com o grupo, também foi conduzido à delegacia para prestar depoimento.

Os três, todos com mais de 60 anos, deveriam embarcar para a Alemanha na noite da segunda-feira, mas foram impedidos de entrar no avião depois que dois deles baixaram as calças no saguão do aeroporto.

Segundo a delegada Maritta Souza, os turistas disseram que não acharam que a troca de roupas incomodaria as pessoas presentes no local. No depoimento, os alemães declararam ter pensado que trocar de roupas em público era algo comum no país, dado o comportamento dos brasileiros nas praias.

Maritta informou que os dois turistas foram indiciados por prática de ato obsceno e liberados na noite da segunda-feira. Eles devem retornar para a Alemanha ainda nesta semana.

http://www.band.com.br/entretenimento/famosos/noticia/?id=100000492830

Ex-panicat posa nua nas ruas de São PauloDiretor de arte divulga foto dos bastidores 

Os motoristas paulistanos que dirigiam pelas ruas de São Paulo na manhã desta quarta-feira, dia 21, tiveram uma grande surpresa.

A ex-panicat Aryane Steinkopf foi vista fotografando para o seu ensaio na "Playboy" no meio da rua.

A modelo andou entre os carros completamente nua, chamando a atenção dos motoristas que passavam. 

Alexandre Ferreira, diretor de arte da Playboy, divulgou algumas fotos dos bastidores em seu Twitter.

"Se você estiver em São Paulo e encontrar uma mulher nua andando pela cidade... Não é sonho! É só a Playboy trabalhando", escreveu Alexandre.

Aryane posou em meio ao caos urbano

 

 

 

Parou o transito? rs..

 

Eu modestamente assumo que gosto do nu maculino , mas exclusivamente de costa , pois alguns dos modelos tem uma bela derriéree , de frente tô fora , sartei de banda , não faz meu genero mas não recrimino quem é adépto ...

 

Nossa Juriti,,.!!!

Se bem que sou hetero..

Só me descontrolei um pouco

Mas já passou

Sou casca grossa até dizer cheg

Viro uma carpaça intransponível

Só assim prá escapar de onça e gavião

 

Amigo Tatu, na verdade não há casa grossa que resita ao amor. 

Nunca vi na minha vida.

O amor supera tudo....rsss

 

Grato, Juriti

>>>> De um caminho muito árduo que ainda tem que ser trilhado com fins à igualdade entre homens e mulheres (...)

Homens e mulheres não são iguais. Uma coisa é igualdade de direitos e oportunidades, para que um homem ou mulher façam sua vida da forma como acharem melhor. O que não da é pra não reconhecer que homens e mulheres são, sim, bastante diferentes: têm interesses diferentes, dão mais ou menos valor a coisas diferentes. Isso não é bom nem ruim, apenas é assim. Exemplos ha inumeros. Sim, é fato que homens gostam de discutir a beleza, ou a "gostosura" pra ser mais exato, de mulheres famosas, que so conhecem de ver em revistas de mulher pelada ou na TV. A beleza masculina, por tudo que ja fiquei sabendo, é um assunto secundario nas rodinhas femininas, por outro lado. Ao que tudo indica, mulheres preferem discutir a performance sexual dos seus parceiros (ou seja, homens bem conhecidos delas). Algo que aterroriza os machos da espécie, por sinal, e um habito que julgo bem mais desagradavel (ficar expondo intimidades) do que discutir quem tem o peito mais bontio, a Gisele ou a Cindy.

 

Nao é verdade que esse seja o assunto dominante nas rodas de mulheres. Mas, ainda que fosse, é muito diferente fazer comentários de mau gosto em privado e em público... Fazer comentários machistas num blog destinado a público misto (pelo menos oficialmente... ) é desrespeitoso com as leitoras. 

 

Se é verdade ou não, a fonte que tenho são mulheres. :-)

 

Nassif e pessoas do blog

Tenho evitado comentar pq estou em tratamento de saúde e optei por ler os artigos sem me envolver muito,mas hoje não resisti porque me toca particularmente,enquanto ser humano e enquanto mulher!Acho um equívoco imenso a Barbaraaa reagir tão ferozmente a um comportamento que é natural no ser humano e mais particularmente no homem(aqui talvez entre a cultura,as diferenças no cérebro desenvolvidas pelas diferentes atividades que desempenhamos desde que ficamos em pé e passamos a viver em grupos-homem caçador/uso da visão focada,mulheres cuidadoras/vigias/uso da visão periférica),que é o de admirar e ter prazer com a visão do corpo nu,vide desenhos,cerâmicas,artes em geral desde a mais remota antiguidade!Sugiro a leitura da "Cama na Varanda" que traz uma leiga,mas boa síntese antropológica da sexualidade humana e que ajuda a ver que nossa visão e referências são muito limitadas aos últimos séculos!

Acho tão desnecessária e improdutiva essa briga nos tempos atuais!Não vou negar que me revolto enquanto mulher quando vejo mulheres fazendo biquinho e  arreganhando a bunda em propaganda de cerveja e afins,quando vejo mulheres usando o corpo,o sexo,para "ser alguém na vida"!Isso me agride e me causa vergonha!Mas,existe uma diferença-que é individual,admito-entre esse comportamento e o fato de homens e tb mulheres,acharem belo o corpo nu e obviamente,erotizarem as imagens!Honestamente não vejo problema em revistas como Playboy,G Magazine e afins,acho que têm uma especificidade como tantas outras que se especializam em outros temas!

 

Por fim,concordo com o  Roberto Veiga que ao meu ver,sintetiza o que precisamos assumir antes de começar qualquer debate feminista:

"...Homens e mulheres não são iguais. Uma coisa é igualdade de direitos e oportunidades, para que um homem ou mulher façam sua vida da forma como acharem melhor. O que não da é pra não reconhecer que homens e mulheres são, sim, bastante diferentes: têm interesses diferentes, dão mais ou menos valor a coisas diferentes. Isso não é bom nem ruim, apenas é assim..."

Acrescento:somos diferentes na biologia e na moldagem social/cultural,muito provavelmente seremos mais parecidos no futuro devido às mudanças que vivemos atualmente e que têm diminuído as diferenças nos papéis de gênero,mas nunca seremos iguais,ao menos enquanto vivermos num mundo/planeta polarizado-noite/dia,homem/mulher,X/Y...

E devo confessar:adoooroo essa diferença!

abs a todos

 

Pois é , justamente esta diferença complementar ou seja o concavo e o convexo as formas que se fundem é ai que não vejo a mesma complementaridade no relacionamento homo , sempre estara faltando algo . Agora a afetividade pode ate substituir a complemetação física mas acaba não sendo total .. Quanto a beleza do nú não se tem dúvida desde que o modelo em questão esteja em forma , agora para muitos esta forma é subjetiva e ai que se torna interessante  ,pois tem sempre alguem que gosta do que o outro não gosta ....

 

Fátima, melhoras para vc  e  volte logo .

Um beijo.

 

FátimaBahia, vc  disse  exatamente o  que  eu gostaria de  dizer. Muito bacana  sua opinião.

Só  acrescento  que  fui criada numa família muito liberal  no  que  diz respeito  ao nudismo, portanto  encaro  com muita naturalidade o nú  artístico ou não.

Particularmente  eu babo com homens inteligentes , charmosos  e gentis. Beleza para mim não é  fundamental  e homens  musculosos não fazem meu  tipo. Gosto muito  de homens  com uma pitada de feminino. Alma feminina num homem me  encanta.

 

Ele é perfeito para mim:

Re: Os nus masculinos
Re: Os nus masculinos
 

Marcia,

Esse é perfeito pra vc,pra mim e pra quem mais chegar!rrsss

Eu tb não gosto de homem muito musculoso,gosto de homem "definido",mas não desprezo nenhum por causa de uma barriguinha :)

Na verdade,tesão pra mim tem dependência direta da admiração que um homem me desperte, a inteligência e senso de humor.Como a maioria das mulheres não sou visual,sou muito mais tátil,auditiva e gustativa,mas não deixo de admirar um belo corpo masculino ou feminino!

Enfim,temos cada um de nós nossas peculiaridades e se aprendermos a respeitar as escolhas e diferenças,vai ficar bem amis gostoso de se viver!

grande abraço,

 

Exato, Fátima,  nós  somos mais sentimento isso  é  que nos  diferencia  dos homens, até porque  com o tempo    só  fica  aquilo  que  é invisível  aos  olhos.

 

Gilberto  Gil  (com  quem  eu me  envolveria  amorosamente ,  com certeza) diz  tudo nessa música:

 

Vou na linha do Roberto e da Fátima. Acho uma discussão exagerada, beirando a inútil guerra dos sexos, tanto quanto exagerado é o abuso do corpo para fins de marketing.

A Fátima comentou sobre a biologia e acho interessante resgatar que a natureza, tanto no mundo animal quanto vegetal, nos ensina que expor seus dotes morfológicos (da forma) é uma estratégia ancestral e intuitiva de sobrevivência e reprodução. Nos mamíferos e nas aves, são os machos que usam e abusam dos apelos físicos e estéticos como vantagerm competitiva para um melhor sucesso na corte e sedução. A juba do leão e o chifre do touro são exemplos disto, assim como a plumagem colorida dos passarinhos machos em detrimento a cor-sem-graça das fêmeas. O tamanho e a força do macho em todo o reino animal, homens incluso, não é mera coincidência.

Na sociedade humana, as coisas se inverteram, pois a indústria da beleza (uma das maiores do mundo) molda nossos olhares para a beleza feminina, casual ou explícita, em todos os cantos da cidade. E isto não me parece anti-natural. O objetivo é o mesmo: ser mais competitiva na conquista e no sexo. (Algum filósofo ou intelectual disse certa vez que o sexo move o mundo, e eu acho que acredito... rs).

Os homens estão indo no mesmo caminho, cada vez mais se dedicando ao corpo enquanto meio de maior eficiência amorosa-sexual, que já até possui termo próprio - metrossexual.

 

Viver é afinar um instrumento...

#euri (tanto dos argumentos. quanto de algumas fotos...)

Nassif, agora em nome da paz universal e da proteção dos  ursos-panda, você deveria [escreva aqui a sua demanda].

 

Grande parte das mulheres tratam os homens como se todos fossem machistas. E os que não o são como homossexuais. Como eu não tenho nada em comum com nenhum destes dois lados, e tive minha formação sexo-sentimental ilustrada por nus artísticos que fugiam - e ainda fogem - aos padrões, fico tranquilo para me excluir da opinião da Barbara...

Homem tem o órgão sexual convexo e a mulher côncavo. O mesmo poderíamos dizer sobre a excitação baseada na imagem - vulgas revistas de mulher pelada - mulher não se excita com homem pelado? Já tive namorada que se masturbava vestindo lingerie com a qual eu lhe presenteava, e longe de mim. Também já tive as que gostavam de ver bundas masculinas.

O assunto é vasto. Mas acho que o erotismo precisa de inteligência, antes de mais nada...

Re: Os nus masculinos
 

"In dog we trust" (Hilda Hilst)

Essa bolinha amarela cobriu "tudo"?

 

Todas fotos são lindas, as da Crawford e a da Bündchen também


Por isso acho que fotos tratadas no Photoshop deveriam vir com essa ressalva por escrito


O corpo humano nu é uma obra de arte assim como vemos o David de Michelangelo nu há séculos e essa estátua - escultura - segue sendo referência de nu masculino


O sexismo não está na foto, está no observador, qual o problema em ver uma videocassetada com um nenezinho peladinho aprontando pela casa? Mas agora censuram a criança nua em sua nua inocência, ou seja, por conta de uma ínfima minoria de doentes, todo o resto da população normal - que tem filhos e vê criançada peladinha aprontando, brincando pela casa, toda vida e não há mal nenhum nisso - tem de conviver com o foco distorcido e a tarja preta onde NÃO HÁ NADA DE ERRADO


Criançadinha fazendo bagunça no banheiro peladinha na TV não pode; closes genitálicos no Carnaval ao vivo pode? A TV e a mídia em geral seguem dando exemplos reiterados da sua hipocrisia e do seu falso moralismo de gaveta, vamos comemorar como idiotas a cada fevereiro e feriado, tudo o que é gratuito e feio, tudo o que é normal

 

"O corpo humano nu é uma obra de arte"

Desculpe, mas o corpo humano é a coisa mais bizarra que a natureza produziu.

Pense numa pantera negra - linda.

Agora estique suas pernas e a faça andar ereta, apoiada nas patas traseiras.

Em seguida, aumente desproporcionalmente sua cabeça. Retire seus pelos, deixando tufos apenas na cabeça e genitália.

Deixe o pênis ou os seios grandes, ostensivos - pendurados na parte frontal do corpo. Tipo a vaca, do  desenho a "Vaca e o Frango".

Putz! A gente é muito feio!


Re: Os nus masculinos
 

Baarbaara,louvavel sua revolta por ver a mulher sendo exposta como uma mercadoria.Mas voçe tocou no ponto de maneira superficial.O grande problema deste país é a educação,a cultura que nos ensinada na infancia,e depois nos é bombardeada,quase subliminar,dirigida por uma casta de conservadores,religiosos.O papel da mulher é secundário,dos negros ,pardos,etc cabe o de serviçais.Gays,então são degenerados,doentes,aberrações.Veja o caso da votação ultima do supremo sobre o aborto de anencéfalos,mulheres com a história da ex senadora HH,e quanta besteira disse,por ser contra a medida,mostrando claramente,que mesmo de onde esperaríamos um opinião mais ponderada,vem todo este conservadorimo cego,xiita.As nomeações de mulheres pela presidente em nada muda o cenário deste pais,que foi claramente exposto nas eleiçoes presidenciais,o quanto de conservadora e hipócrita é nossa sociedade (e em post aqui no Nassif,30% do tráfego na rede é para pornografia),que ainda vive como na Inglaterra Victoriana.

 

" Vamos, agora, a uma prova de democracia. Vamos ver se o Luís Nassif sobe com esta postagem. " Essa frase foi muito infeliz. Ps.: no post ref. a Cindy Crawford, não aparece sugestão velada ao orgão sexual feminino. Ao contrário é de muito bom gosto.

 

ESTE POST É UM ENGODO!

Como ele apresenta um pênis explicito, fui correndo no link que a Baaaarbaaaraaaa colocou da Gisele e Cindy, pensando ver suas vaginas.

Que nada! Não tem nada, só umas fotos pequenininhas e com roupa.

 

Mais um machista bocó todo orgulhoso de ser bocó. Francamente! 

Re: Os nus masculinos
 

Vou explicar detalhadamente, assim até você pode entender.

1o. Uma parte do que escrevi é séria. A autora diz que faria uma contraposição a um outro com mulheres, mas não o fez. Os nus que apresentou são muito mais, mas muito mais explicitos que os do post original, da Gisele e da Cindy.

2o. Uma outra interpretação é que se trata de uma brincadeira. Tô me lixando se se postam nus masculinos, femininos ou caninos.

E tô me lixando se elogiam ou metem o pau (ôps) nos modelos. Prá mim, tudo é válido, menos agressões entre os comentaristas.

 

O que você nao consegue entender é como essas "brincadeiras" sao de mau gosto e ofensivas para as mulheres, nao é? Quem está agredindo é você, apenas reagi. Mulheres tb podem ser agressivas, sabe, quando devido; nao têm que ser "doces e boazinhas" nao. Esse clima de vestiário masculino desmoraliza o blog e afasta as mulheres. 

 

Emilio, não foi a autora do texto que postou os vídeos dos nus masculinos, percebe?

 

Percebi. Essas coisinhas mais simples eu consigo perceber.

Ela postou um post e o post é que tinha os nus. Então...

De qualquer forma, o autor avisa que, se desejaream, podem denunciar.

Alguém denunciou? Ninguém!

Ninguém liga. Ainda mais aqui no Nassif, todo mundo é intelectualizado, resolvido (até o ponto onde um ser humano pode sê-lo).

Parece alguns negros ou judeus, tentando ver racismo em tudo, até onde não há.

Tem gente padecendo de síndrome da vitimização.

-"Vocês são uns porcos chovinistas e estão agredindo a mim. Justo "mim", que sou tão coitadinha".

Não há discussão aqui. Somente entre vítimas auto-presumidas e seus delírios.

 

Haveria um bom debate, se os ânimos não fossem tão acirrados, quando a questão é de gênero. Ao se criticar os estereótipos de gênero (o estopim desta discussão), a coisa quase descamba para os clichês, a zombaria e o desrespeito. Se tantas mulheres aqui do blogue, reclamam do modo como grande parte dos homens do mesmo blogue trata o problema, aí tem uma questão mal resolvida. 

Tudo o que grande parte da esquerda e dos liberais sempre relegou, como coisa secundária, aflora nessas horas...