Revista GGN

Assine

Palpites sobre a bala de prata

Por Aton Fon Filho

Nassif,

Li na sexta-feira da semana passada que um dos acusados do seqüestro e morte do prefeito Celso Daniel teria fugido da cadeia.

Conhecendo as relações do Ministério Público da Social-democracia brasileira de São Paulo com a quadrilha demo-tucana, não descarto a possibilidade de que promotores de justiça e policiais apresentem o indivíduo como tendo sido recapturado e como tendo confessado que o crime teria sido cometido a mando de Lula, da Dilma ou de alguém do PT. Os serviços que o MPSDB de São Paulo presta de longa data ao tucanato não me permitem excluir essa hipótese.

Uma matéria na Folha e na Veja, no sábado, repercutiria sobre a eleição e não permitiria que o desmentido chegasse a tempo. E assim que costumam operar a mídia golpista e seus cúmplices.

Assino com meu nome completo.

Aton Fon Filho

Média: 4.2 (12 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+123 comentários

Apenas para constar, hj na Band News, quase 18:00hs, Bóris Casoy (&team) abordaram o tema assassinato do Toninho/Celso Daniel, com muito cuidado para não acusar ninguém e ao mesmo tempo sem deixar de nduzir que há algo estranho impedindo as investigações... sem paranóia, mas voltar a pauta na véspera da eleição é suspeito.

 

Esse Fabiano mal informado e bastante preconceituoso "maria vai com as outras" conseguiu desviar a atenção sobre o assunto principal: o uso das máquinas dos ministérios públicos (estadual e federal) em São Paulo e das polícias (estadual e federal) em São Paulo  para em conluio com facções criminosas que administram o crime organizado e as penitenciárias paulistas, atentar contra a boa informação e a democracia, praticando a luta do poder a qualquer custo, passando inclusive "por cima da própria mãe" como já é do conhecimento do reino mineral também.

 

 

Wiliam Bonner, pode ser a bala de prata; o apresentador deixou o Jornal Nacional, e o que parece ser, está se preparando para o debate, e se conhecendo bem a pessoa, o diretor de jornalismo da Globo, o Ali Kamel; me acho no direito de desconfiar, que o Serra pode estar por trás do sumiço do apresentador do Jornal Nacional.

 

Caros Aton Fon e Nassif

Cabe aos anunciantes impor o padrão "credibilidade" como determinante na escolha da empresa onde vai anunciar. Isso vale também para os governos e estatais.

Ou como se diz: educar pelo bolso.

 

Está mais pra bala de merda, o pedido de vista do processo que dispensa dois documentos para votar, por Vs Excremência Don GilMerDantas após um camarada telefonema do ssERRA,  foi o golpe pra levar a decisão no segundo turno. Vai ser a segunda vez que um candidato vai ter menos votos no segundo turno que no Primeiro!

 

Palpite: teia de mentiras e calunias espalhadas ao vento...

 

Acabei de ver agora na UERJ por exemplo: Estava descendo pelas escadas quando quatro funcionarias passaram por mim. Pegamos material que falava de um candidato. Que indicava 13 para presidente. Uma das funcionarias disse: "Votar no 13? Eu não voto neste número. Esta mulher vai aprovar a lei do acsamento gay! Com ela agente não vai poder falar mal do governo."

Eram funcionarias do serviço de limpeza. Como estou no Rio, me pergunto como o César Maia está conseguindo fazer este discurso se multiplicar nas pessoas que teoricamente mais se beneficiaram no atual governo. Sim, não me venham dizer que talvez ele não esteja envolvido, pois isto é o discurso dele simplificado, aquele que se vê em seu Ex-blog e a tática da difamação é uma arma muita usada (vide o vice do Serra...) pelos membros do DEM... Ou é indicação dele para os cabos eleitorais ou alguém se inspirou em suas lições.

 

A bala de prata que se espera até domingo não é uma... são muitas! A "possibilidade" de 2° turno do Datafolha, devidamente repercutida nos blogões, jornalões e telejornalões, a campanha mencionando Jesus, aborto, assassinato e que tais pela Internet, devidamente repercutida idem, idem, idem, o debate na Globo hoje, cujas repercussões serão devidamente editadas por idem, idem, idem, a solicitação de vista do processo pelo Gilmar Dantas, depois de receber o telefonema do Serra e depois que a matéria já estava vencida por 7x0, esta possível "prisão" referida pela Atom, quem sabe um "terrorista" arrependido que seja entrevistado na Folha, quem sabe um ex-policial que nunca foi torturador, mas assistiu  sobre o depoimento da Dilma quando estava sendo torturada e até, quem sabe?, a adulteração de algumas urnas eletrônicas ...  200 votos aqui, 300 ali, 1000 acolá serão suficientes para levar o pleito para o 2° turno. Só que a Dilma ganhará assim mesmo, não se pode é esmorecer, no 1° ou no 2° turno! A pergunta que precisa ser feita, desde já, é: e daí? Se tudo isso acontecer (as primeiras já estão acontecendo!), passadas as eleições, vai ser feita alguma coisa para que não aconteçam mais? Para que o país caia, realmente, numa democracia?

 

Saiu no PHA!

A “bala de prata” é a maior fraude da história política do Brasil

 

Indivíduos do Capital e da região de Sorocaba, com diversas passagens pela polícia (roubos, receptação, assaltos à mão armada, seqüestros etc.) foram contatados por políticos ligados ao PSDB local através de um elemento intermediário com trânsito mútuo;

 

Foram informados de que “prestariam serviços” e levados até um shopping da cidade de São José do Rio Preto;

 

Lá mantiveram encontro com outras três pessoas, descritas como “muito importantes”, e receberam um adiantamento em dinheiro vivo;

 

Não se tratava de qualquer encomenda de morte, assalto ou ato criminoso tão comum para os marginais recrutados;

 

Imediatamente, tais bandidos foram levados até o Rio de Janeiro, a um bairro identificado como Jardim Botânico, onde ficaram confinados por dois dias;

 

Uma equipe de TV, num estúdio particular, gravou longa entrevista com os bandidos. O script era o seguinte: “somos do PCC, sempre apoiamos o governo Lula e estamos com Dilma”. Não fugiu disso, com variações e montagens em torno de uma relação PCC/Lula/PT/Dilma;

 

Os bandidos recrutados também foram instruídos a fazer ligações telefônicas para diversos comparsas que cumprem penas em penitenciárias do Estado de São Paulo. A ordem era clara: simular conversas que “comprovassem” a ligações entre o PCC e a campanha de Dilma;

 

Tudo foi gravado em áudio e vídeo;

 

A farsa começou a ser desmontada quando o pagamento final pelo serviço veio aquém do combinado;

 

Ao voltarem para São Paulo, alguns dos que gravaram a farsa decidiram, então, denunciar o esquema, relatando toda a incrível história acima com riqueza de detalhes;

 

As autoridades já estão no encalço da bandidagem. De toda a bandidagem;

 

A simulação seria veiculada por uma grande emissora de TV e por uma revista depois do término do horário eleitoral, causando imenso tumulto e comoção, sem que a candidata Dilma Rousseff, os partidos que a apóiam e o próprio governo Lula tivessem o tempo de denunciar a criminosa armação;

 

Essa é a “bala de prata”. Já se sabe seu conteúdo, os farsantes e o custo, além dos detalhes. Faltam duas peças: quem mandou e quem veicularia (ou ainda terá o desplante de veicular?) a maior fraude da história política brasileira;

 

Com a palavra, as autoridades policiais.

A propósito, o amigo navegante enviou essa “nota” extraída da imprensa de Brasilia:

29/09/2010 | 00:00 – www.claudiohumberto.com.brAlmoço globalA Rede Globo oferece em São Paulo almoço vip, nesta quinta, data do último debate presidencial, a Leandro Daiello, superintendente local da Polícia Federal – que anda atarefada com inquéritos de Erenice & cia.

 

Caro Fon,

 

Pena que  seu tópico tenha se transformado num arranca-rabo sobre corrupção. Sua informação é preciosa para num futuro não muito longínquo, possamos entender porque a liberdade de imprensa virou suco. Seu pequeno texto há que se dizer um seguinte: tem uma companheira sua (jornalista) que ficou marcada pelo episódio morte de Celso Daniel. Não vou nominá-la aqui para não piorar sua situação profissional e financeira. Tudo por conta do inferno e maldição em torno que uma questão político-policial explorada até a exaustão pelo binômio PSDB Ministério Público de São Paulo.

 

(*) desculpe-me se confundi você com seu irmão, penso estar me dirigindo ao brilhante jornalista ex-presidente do Sindicato.

 

De resto permanece os mesmos termos.

 

Não sei qual é a bala de prata, mas o telefonema do Serra é a bala reversa.

 

Corrupção é corrupção não importa de que partido.

Aton Fon Filho também estou achando que a bala de prata, forjuda, virá do que você está imaginando.

3 de outubro Dilma na cabeça.

 

Acho alagumas hist´ria sobre a bala de prata fantasiosa e outras com pertinência. Porém acredito que certas estórias apresentadas na net com certeza mesmo não pensada serão aproveitadas pelos golpistas, ou melhor já estão sendo aproveitadas.

 

Não esquecendo que o escandalo dos aloprados foi no dia 29/09, o JN ainda tem tempo para sua bala de prata, como em 2006, que acabou levando ao 2° turno.

 

Para ficar em observação, mas é bastante verossímil.

Deu no PHA:

A “bala de prata” é a maior fraude da história política do Brasil

 

Indivíduos do Capital e da região de Sorocaba, com diversas passagens pela polícia (roubos, receptação, assaltos à mão armada, seqüestros etc.) foram contatados por políticos ligados ao PSDB local através de um elemento intermediário com trânsito mútuo;Foram informados de que “prestariam serviços” e levados até um shopping da cidade de São José do Rio Preto;Lá mantiveram encontro com outras três pessoas, descritas como “muito importantes”, e receberam um adiantamento em dinheiro vivo;Não se tratava de qualquer encomenda de morte, assalto ou ato criminoso tão comum para os marginais recrutados;Imediatamente, tais bandidos foram levados até o Rio de Janeiro, a um bairro identificado como Jardim Botânico, onde ficaram confinados por dois dias;Uma equipe de TV, num estúdio particular, gravou longa entrevista com os bandidos. O script era o seguinte: “somos do PCC, sempre apoiamos o governo Lula e estamos com Dilma”. Não fugiu disso, com variações e montagens em torno de uma relação PCC/Lula/PT/Dilma;Os bandidos recrutados também foram instruídos a fazer ligações telefônicas para diversos comparsas que cumprem penas em penitenciárias do Estado de São Paulo. A ordem era clara: simular conversas que “comprovassem” a ligações entre o PCC e a campanha de Dilma;Tudo foi gravado em áudio e vídeo;A farsa começou a ser desmontada quando o pagamento final pelo serviço veio aquém do combinado;Ao voltarem para São Paulo, alguns dos que gravaram a farsa decidiram, então, denunciar o esquema, relatando toda a incrível história acima com riqueza de detalhes;As autoridades já estão no encalço da bandidagem. De toda a bandidagem;A simulação seria veiculada por uma grande emissora de TV e por uma revista depois do término do horário eleitoral, causando imenso tumulto e comoção, sem que a candidata Dilma Rousseff, os partidos que a apóiam e o próprio governo Lula tivessem o tempo de denunciar a criminosa armação;Essa é a “bala de prata”. Já se sabe seu conteúdo, os farsantes e o custo, além dos detalhes. Faltam duas peças: quem mandou e quem veicularia (ou ainda terá o desplante de veicular?) a maior fraude da história política brasileira;

 

Será o telefonema do Zé ao GM? A eleição está em segundo plano nesta manhã. A ameaça às instituições republicanas, vinda via celular, será maior que o processo democrático?

 

Vira essa boca prá lá,Aton !

 

O preço da liberdade, é a eterna vigilancia.

imagem de Carlos Mangino Re: Como será a bala de prata na campanha dom, 05/09/2010 - 12:22 — Carlos Mangino

Aposto que vão ressuscitar o "caso" Celso Daniel, junto com o Toninho do  PT, através de inquérito da policia paulista. (usando os "policiais" que nunca precisam fazer greve).

 

Fabiano, meu caro, temos empresas livres, com todo seu poder econômico, para impor informações e visões através de seus meios e de acordo com seus interesses econômicos. Se a "grande" imprensa fosse realmente livre, para toda a cidadania (que outro conceito de "livre" você usa?) o direito de resposta sempre estaria assegurado em todos esses espaços. Nunca está. Uma denúncia sem provas daquele panfleto marrom da editora Abril, por exemplo, sempre fica sem resposta por partes dos atingidos, porque só é possível conseguir o direito de resposta através de um duro processo legal que a empresa quase sempre ganha, com seu poder econômico (já ouviu falar da vara de Pinheiros?).

Então, deixe de lado as frases de efeito bobas e lembre-se que os casos de corrupção no governo anterior são de arrepiar -- a eterna reprodução na vida real da história de um macaco que ri do rabo do outro.

 

Esta pode ser uma bala de prata, também:

ERROA URL solicitada não pode ser recuperada

Na tentativa de recuperar a URL: http://www.advivo.com.br/luisnassif

O seguinte erro foi encontrado:

  • Proibido o Acesso.

    O controle de acessos impediu sua requisição. Caso você não concorde com isso, por favor, contate seu provedor de serviços, ou o administrador de sistemas.

 

 

Generated Thu, 30 Sep 2010 12:57:14 GMT by cache22.xpg.com.br (squid/2.5.STABLE13)

 

Pô , êles já inventaram tantas (balas) que andam "rodando" pela internet, que parece até impossível imaginar algum escândalo novo envolvendo a Dilma e o PT.

Quem sabe: Dilma é amante do Fidel Castro? do  Chaves?.

Eles são tão burros que nem percebem que é um tiro no pé.

 

Contra a Bala de Prata somente a Rosa Vermelha e a antecipação é o seu nome.

 

Região Serrana Fluminense:Vergonha!Vergonha!Vergonha!

o blog está com problemas, não dá para acessar pelo advivo

 

E a informação livre é fundamental para livrar o Brasil da corrupção da imprensa.

 

André Borges Lopes www.bytestypes.com.br

Li no Blog Conversa Afiada... O meu mais novo palpite sobre a possível bala de prata.

 

A “bala de prata” é a maior fraude da história política do Brasil

Indivíduos do Capital e da região de Sorocaba, com diversas passagens pela polícia (roubos, receptação, assaltos à mão armada, seqüestros etc.) foram contatados por políticos ligados ao PSDB local através de um elemento intermediário com trânsito mútuo;

Foram informados de que “prestariam serviços” e levados até um shopping da cidade de São José do Rio Preto;

Lá mantiveram encontro com outras três pessoas, descritas como “muito importantes”, e receberam um adiantamento em dinheiro vivo;

Não se tratava de qualquer encomenda de morte, assalto ou ato criminoso tão comum para os marginais recrutados;

 Imediatamente, tais bandidos foram levados até o Rio de Janeiro, a um bairro identificado como Jardim Botânico, onde ficaram confinados por dois dias;

 Uma equipe de TV, num estúdio particular, gravou longa entrevista com os bandidos. O script era o seguinte: “somos do PCC, sempre apoiamos o governo Lula e estamos com Dilma”. Não fugiu disso, com variações e montagens em torno de uma relação PCC/Lula/PT/Dilma;

 Os bandidos recrutados também foram instruídos a fazer ligações telefônicas para diversos comparsas que cumprem penas em penitenciárias do Estado de São Paulo. A ordem era clara: simular conversas que “comprovassem” a ligações entre o PCC e a campanha de Dilma;

 Tudo foi gravado em áudio e vídeo;

 A farsa começou a ser desmontada quando o pagamento final pelo serviço veio aquém do combinado;

 Ao voltarem para São Paulo, alguns dos que gravaram a farsa decidiram, então, denunciar o esquema, relatando toda a incrível história acima com riqueza de detalhes;

 As autoridades já estão no encalço da bandidagem. De toda a bandidagem;

 A simulação seria veiculada por uma grande emissora de TV e por uma revista depois do término do horário eleitoral, causando imenso tumulto e comoção, sem que a candidata Dilma Rousseff, os partidos que a apóiam e o próprio governo Lula tivessem o tempo de denunciar a criminosa armação;

 Essa é a “bala de prata”. Já se sabe seu conteúdo, os farsantes e o custo, além dos detalhes. Faltam duas peças: quem mandou e quem veicularia (ou ainda terá o desplante de veicular?) a maior fraude da história política brasileira;

 

Com a palavra, as autoridades policiais.

 

A propósito, o amigo navegante enviou essa “nota” extraída da imprensa de Brasilia:

29/09/2010 | 00:00 – www.claudiohumberto.com.br Almoço global A Rede Globo oferece em São Paulo almoço vip, nesta quinta, data do último debate presidencial, a Leandro Daiello, superintendente local da Polícia Federal – que anda atarefada com inquéritos de Erenice & cia.

 

Luis

gostaria de saber porque aparece o seguinte texto na pagina:

ERRO A URL solicitada não pode ser recuperada

Na tentativa de recuperar a URL: http://www.advivo.com.br/luisnassif/

O seguinte erro foi encontrado:

  • Proibido o Acesso.

    O controle de acessos impediu sua requisição. Caso você não concorde com isso, por favor, contate seu provedor de serviços, ou o administrador de sistemas.

 

Generated Thu, 30 Sep 2010 12:12:54 GMT by cache6.xpg.com.br (squid/2.5.STABLE13)

 

Não sei o que foi, mas se continuar, entre aqui pelo brasilianas.org.

 

Deu na folha.com.br

30/09/2010

-

08h31

Após ligação de Serra, Gilmar Mendes para sessão sobre documentos para votar

 

Alguns esclarecimentos sobre o regime-semiaberto

 Talvez, ele não fugiu, mas se evadiu, pois a fuga é somente quando a pessoa transpõe as barreiras de segurança. Não há barreira de segurança em um regime-semiaberto. Não há muros, não há vigilância, portanto talvez ele houvesse pulado o alambrado. Enfim, é uma questão técnica.

 

Pena que a imprensa "livre" não seja livre o suficiente para livrar o Brasil da corrupção demotucana.

O Fabiano "esperto" sabe qual  o percentual de parlamentares demotucanos que estão sendo processados? Muuuito maior que o de parlamentares do PT.

Informe-se rapaz. Larga de ser ingênuo ou mal intencionado.

 

Nassif,

Olha essa matéria que saiu no Terra. Que absurdo, o papel que o ministro Gilmar Mendes desempenha no STF. A materia é da Folha, aliada do candidato tucano, o que dá maior credibilidade. Fica a sensação que o ministro, atendendo ao pedido do candidato tucano, está o favorecendo.

Jornal: sessão foi adiada após conversa de Serra com ministro do STF
30 de setembro de 2010 04h06 atualizado às 06h13

De acordo com reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (30), o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar após receber uma ligação do candidato do PSDB à presidência da República, José Serra. Depois de participar de um encontro com representantes de servidores em São Paulo, Serra teria pedido que um assessor telefonasse para o ministro por volta das 14h segundo testemunho de um repórter do jornal.

Segundo o jornal, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens para falar com Mendes. O tucano o teria cumprimentado como "meu presidente". Ao final da ligação, o presidenciável ainda brincou com os jornalistas, perguntando-os o que estavam "xeretando". A despeito da maioria - sete votos a zero de um universo de dez - o julgamento não foi concluído porque o ministro Gilmar Mendes pediu vista dos autos e paralisou a análise do caso. A votação deve ser retomada nesta quinta-feira e, após o voto e justificativa de Mendes, os demais ministros ainda podem mudar seus votos. Tucanos apontam a obrigatoriedade da apresentação de dois documentos como um fator pró-Serra e contra sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT).

 

Já estão falando na rede sobre o depoimento de bandidos do PCC, que os tucanos negam que existam, com o PT, Lula e Dilma, para que faça associação com o passado de luta contra a ditadura da candidata petista.

O tempo está esgotando, a bala tem que sair hoje ou amanã. Se for no sábado, já não dará mais tempo.

 

A bala de prata será o Zé Ladeira abandonar a candidatura e pedir a todos os seus eleitores que votem no híbrido Marina Serra, a única que ainda tem chances de surrupiar alguns votos da Dilma, e assim levar a eleição para o segundo turno.

 

Em tempo !!

Não incluí como bala nem estalo as pesquisas do Datafraude porque nesta madrugada resolveram não complicar mais a sua situação vergonhosa de descrédito. A empresa não está sozinha nestas eleições para ser a dona da verdade e já percebeu que a reverberação na blogosfera tá minando seu crédito.

 

Nesta noite sonhei com o Parque do Otavinho, o dono da Folha de SP

No Parque do Otavinho serviu a um triste espetáculo

O Otavinho Pessoa, isso

Ele e Ali Kamel, os dois no Parque Otavinho Pessoa tentando derrubar uma pessoa

Uma pessoa que para eles não era uma pessoa mas uma vagabunda, uma vaca, estes termos que a Folha do Otavinho Pessoa usa par se referir a Dilma

Talvez eu esteja cometendo um grave erro ao revelar este meu conteúdo onírico

É que na falta do que apresentar com certeza eles chuparão minha idéia

Pois chupem e façam o que quiser

Derrubem esta mulher antes que o Brasil se liberte de uma vez todas

Derrubem-na amanhã no JN para todo o Brasil transformado no Parque do Otavinho

Movam-se antas, peguem os laços, as algemas, e prendam esta mulher.

Derrubem-na, torturem-na.

Novamente.

Ela é um perigo.

Fechei os olhos e vi

Vi este triste desfecho do "Setembro Negro" esta mega-operação midiática demo-tucana para derrubar Dilma, para eles não uma pessoas mas uma vaca a ser vencida custe o que custar.

Movam-se portanto ilustres senhores do Parque do Otavinho

 

Não acredito mais em bala de prata, já passou da hora. Achei bem esquisito a semana ter começado calma. A bala de prata com ponta de diamante eram os arquivos do STM sobre a Dilma, mas mesmo com mandado de segurança os milicos não soltaram. Isto foi mesmo incrível.

Mas alguns estalos não param. Por exemplo, as manchetes casadinhas d'O Globo e Estadão repercutindo a opinião da Dilma sobre aborto. Tão escancaradas que não pegam.  Mesmo porque houve na TV amplo destaque com seus desmentidos, e não creio que o assunto atinja milhões de votos.

Eu aposto minhas fichas que o Serra deve estar armando alguma novidade (suja, claro) para o debate. E o Kamel + Frias + Civita e + Mesquita cuidam do resto. Isto me dá um pouco de medo.

Tem também boataria sobre uma operação do PSDB com uma TV para forjar ligações do PT com o PCC. Não vai colar também.

Vai ser apertado, mas vai acabar tudo na segunda, logo cedo. E vamos com tudo prá cima do chuchu no segundo turno aqui em SP.

Também assino !!

 

Abaixo, a bala de prata...para o Serra: Folha de São Paulo, hoje:

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice | Comunicar Erros

Após falar com Serra, Mendes para sessão

Ministro do STF adiou julgamento que pode derrubar exigência de dois documentos na hora de votar, pedida pelo PT

Candidato e ministro negam conversa, que foi presenciada pela Folha; julgamento sobre se lei vale continuará hoje

MOACYR LOPES JUNIOR
CATIA SEABRA

DE SÃO PAULO

Após receber uma ligação do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar.
Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo.
A solicitação foi testemunhada pela Folha.
No fim da tarde, Mendes pediu vista (mais prazo para análise), adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.
A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT). A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menos escolaridade.
A lei foi aprovada com apoio do PT e depois sancionada por Lula, sem vetos.

"MEU PRESIDENTE"
Ontem, após pedir que o assessor ligasse para o ministro, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens, que o informou que Mendes estava na linha.
Ao telefone, Serra cumprimentou o interlocutor como "meu presidente". Durante a conversa, caminhou pelo auditório. Após desligar, brincou com os jornalistas: "O que estão xeretando?"
Depois, por meio de suas assessorias, Serra e Mendes negaram a existência da conversa.
Para tucanos, a exigência da apresentação de dois documentos pode aumentar a abstenção nas faixas de menor escolaridade.
Temendo o impacto sobre essa fatia do eleitorado, o PT entrou com a ação pedindo a derrubada da exigência.
O resultado do julgamento já está praticamente definido, mas o seu final depende agora de Mendes.
Se o Supremo não julgar a ação a tempo das eleições, no próximo domingo, continuará valendo a exigência.
À Folha, o ministro disse que pretende apresentar seu voto na sessão de hoje.

CONSENSO
Antes da interrupção, foi consenso entro os ministros que votaram que o eleitor não pode ser proibido de votar pelo fato de não possuir ou ter perdido o título.
Votaram assim a relatora da ação, ministra Ellen Gracie, e os colegas José Antonio Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio Mello.
Para eles, o título, por si só, não garante que não ocorram fraudes. Argumentam ainda que os dados do eleitor já estão presentes, tanto na sessão, quanto na urna em que ele vota, sendo suficiente apenas a apresentação do documento com foto.
"A apresentação do título não é tão indispensável quanto a do documento com foto", disse Ellen Gracie.
O ministro Marco Aurélio afirmou que ele próprio teve de confirmar se tinha seu título de eleitor. "Procurei em minha residência o meu título", disse. "Felizmente, sou minimamente organizado."
A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos foi definida em setembro de 2009, quando o Congresso Nacional aprovou uma minirreforma eleitoral.
O PT resolveu entrar com a ação direta de inconstitucionalidade semana passada por temer que a nova exigência provoque aumento nas abstenções.
O advogado do PT, José Gerardo Grossi, afirmou que a exigência de dois documentos para o voto é um "excesso". "Parece que já temos um sistema suficientemente seguro para que se exija mais segurança", disse.

Colaboraram FELIPE SELIGMAN e LARISSA GUIMARÃES , da Sucursal de Brasília

 

Vejam o que li no portal terra! Na folha não encontrei nada, apesar do terra citá-la como fonte! Gilmar Mendes, antes de pedir vista recebeu um telefonema de Serra, e se dirigiu a ele como " meu presidente", depois pediu vista no processo ( dos dois documentos ).

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4708565-EI15315...

 

Eleições 2010 e a Questão Meridional

Por RUDÁ RICCI

Sociólogo, Doutor em Ciências Sociais, do Fórum Brasil de Orçamento e do Observatório Internacional da Democracia Participativa.

Blog: rudaricci.blogspot.com

Chegamos às portas das eleições 2010. Há muito em jogo, principalmente para as intenções do lulismo e para sua oposição. Qualquer que seja o resultado, o Brasil do dia 4 será muito distinto politicamente. Em caso de segundo turno, o lulismo sofrerá um arranhão que dará sobrevida à oposição. Em caso de vitória do lulismo no primeiro turno, a oposição estará desmantelada e as acusações mútuas não serão mais contidas. O lulismo governará como força absoluta por mais quatro anos, podendo influenciar nas eleições municipais que ocorrerão dois anos depois. Projeção do DIAP sugere que as forças governistas terão ampla maioria na Câmara Federal e no Senado.

O tema sociológico mais instigante, contudo, é que esta eleição desnudou a nossa sempre aguda questão meridional. Gramsci é o autor mais citado quando esta divisão nacional emerge na pauta política nacional. Para o autor italiano, a contradição (ou oposição) regional significava mais que uma condição social desigual, mas também uma contradição entre classes. Afirmava que a unificação do território nacional (que foi tardio na Itália em relação aos outros países europeus, com exceção da Alemanha) gerou migração do dinheiro líquido de uma região para outra. Numa elaboração que parece ter como foco o Brasil, Gramsci critica a acusação que a porção menos abastada da Itãlia seria marcada pela falta de iniciativa. Ao contrário, afirma que a desigualdade territorial teria sido fundada nas opções do Estado monárquico e no capitalismo setentrional. Em suma, um assalto do Estado por forças industriais atrasadas politicamente. Chega a afirmar que houve saque da burguesia do norte dos impostos e recursos naturais do sul, explorando mão-de-obra barata e concentrando a riqueza industrial numa porção do território nacional. O Estado teria se constituído a partir de uma burocracia formada por indivíduos capturados dos grupos dirigentes do território conquistado.

Embora caricatural, a descrição de Gramsci dá pistas para entender a questão meridional brasileira, expressa na disputa eleitoral deste ano e que revela, ainda, o motivo da popularidade do lulismo. A questão meridional foi tema de Celso Furtado e Chico de Oliveira, dentre tantos. O que interessa compreender é que desde o governo FHC, houve um lento processo de transferência de pólos industriais para o nordeste e norte do país, tendo na instalação de uma planta industrial da Ford na Bahia como emblema. Assim como foi se consolidando o centro da agroindústria nacional num território peculiar do país que agrega centro-oeste, Triângulo Mineiro e região de Ribeirão Preto. Faltava, contudo, criar condições para a emergência de um mercado consumidor significativo da porção marginalizada do território nacional. O lulismo promoveu este “milagre” da inserção pelo consumo. Lembremos que o Bolsa Família concentra-se no nordeste (47% dos benefícios).

O professor da Universidade Federal de Alagoas, Cícero Péricles, revelou que nos últimos seis anos mais de 400 mil nordestinos retornaram à sua cidade de origem. Em parte, segundo Péricles, reflexo do Bolsa Família e da Previdência, mas não só. Segundo o PNAD/IBGE, o trabalhador nordestino conseguiu contribuir para a diminuição das desigualdades de renda entre as regiões em 2008, mas ainda segue com o menor salário das cinco regiões brasileiras. A renda média mensal do trabalhador no Nordeste chegou a R$ 685 - pouco mais da metade da média nacional no ano, que ficou em R$ 1.036. No Piauí, que apresenta o pior índice entre os Estados, essa renda foi de apenas R$ 586. Em 2008, o trabalhador da região obteve o maior ganho de rendimentos, de 5,4%, enquanto no país esse aumento foi de 1,7%. Em 2008, a região Nordeste foi a que apresentou a maior redução no grupo de um a três anos de estudo dos trabalhadores (-12,9%) e segundo maior ingresso de pessoas no mercado de trabalho com mais de 11 anos de estudo (11,2%), só perdendo para a região Norte (11,9%). No país, esse crescimento foi menor (8,5%). Mas a pesquisa revela que a concentração de rendimentos entre os que ganham mais cresceu entre 2007 e 2008 no Nordeste, ao contrário do que ocorreu no Sul, Sudeste e Norte.

A mudança do patamar social e prestígio do centro-norte do país ficaram plasmados na figura do Presidente da República. Ocorreu uma identidade de origem e trajetória pessoal. A figura de José Serra como candidato da oposição apenas contribuiu para reforçar a identidade que já era forte entre Lula e a emergência do mercado consumidor interno, de massas e faminto.

O que o centro-sul não compreende é que o centro-norte carrega a mágoa das zombarias infantis que sempre foram desferidas a eles pelo centro-sul: indolência, falta de ambição, atraso, falta de instrução, território do coronelismo e curral eleitoral, baixo processo civilizatório.

A eleição 2010 expressou o troco da mágoa do centro-norte e a revolta da aristocracia política do centro-sul. Por vezes, o discurso dos sulistas me fez recordar o desespero e revolta da aristocracia italiana estampadas nas páginas de O Leopardo, de Tomasi de Lampedusa. No livro, entretanto, Don Fabrizio demonstra sabedoria e resignação em relação ao que lhe parece inevitável, a mudança do perfil social de seu país. No Brasil, estes predicados do velho aristocrata italiano não parecem tão evidentes.

 

 

Bom dia Nassif,  eles vão tentar alguma coisa, só que a maioria da população já esta conciênte no voto, agora você que é um jornalista progressita vai ter que explicar isso através de algum jurista, se isto pode, para mim é um afronta a democrácia e o serra não pade ser candidato.

   

 Notícias » Eleições » Eleições 2010 » Eleições 2010 Jornal: sessão foi adiada após conversa de Serra com ministro do STF
30 de setembro de 2010 • 04h06 • atualizado às 06h03

Comentários
2
  1. Notícia

De acordo com reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (30), o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar após receber uma ligação do candidato do PSDB à presidência da República, José Serra. Depois de participar de um encontro com representantes de servidores em São Paulo, Serra teria pedido que um assessor telefonasse para o ministro por volta das 14h segundo testemunhou um repórter do jornal. A despeito da maioria - sete votos a zero de um universo de dez - o julgamento não foi concluído porque o ministro Gilmar Mendes pediu vista dos autos e paralisou a análise do caso. A votação deve ser retomada nesta quinta-feira e, após o voto e justificativa de Mendes, os demais ministros ainda podem mudar seus votos.

Segundo o jornal, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens para falar com Mendes. O tucano o teria cumprimentado como "meu presidente". Ao final da ligação, o presidenciável ainda brincou com os jornalistas, perguntando-os o que estavam "xeretando". Durante a tarde, Mendes pediu mais prazo para análise, o que adiou o julgamento. Tucanos apontam a obrigatoriedade da apresentação de dois documentos como um fator pró-Serra e contra sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT).  A guardo resposta.

 

 

"a imprensa livre é fundamental para livrar o brasil desta raça..." by Bornhausen

 

Após falar com Serra, Mendes para sessão

Ministro do STF adiou julgamento que pode derrubar exigência de dois documentos na hora de votar, pedida pelo PT

Candidato e ministro negam conversa, que foi presenciada pela Folha; julgamento sobre se lei vale continuará hoje

MOACYR LOPES JUNIOR
CATIA SEABRA

DE SÃO PAULO

Após receber uma ligação do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar.
Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo.
A solicitação foi testemunhada pela Folha.
No fim da tarde, Mendes pediu vista (mais prazo para análise), adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.
A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT). A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menos escolaridade.
A lei foi aprovada com apoio do PT e depois sancionada por Lula, sem vetos.

"MEU PRESIDENTE"
Ontem, após pedir que o assessor ligasse para o ministro, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens, que o informou que Mendes estava na linha.
Ao telefone, Serra cumprimentou o interlocutor como "meu presidente". Durante a conversa, caminhou pelo auditório. Após desligar, brincou com os jornalistas: "O que estão xeretando?"
Depois, por meio de suas assessorias, Serra e Mendes negaram a existência da conversa.
Para tucanos, a exigência da apresentação de dois documentos pode aumentar a abstenção nas faixas de menor escolaridade.
Temendo o impacto sobre essa fatia do eleitorado, o PT entrou com a ação pedindo a derrubada da exigência.
O resultado do julgamento já está praticamente definido, mas o seu final depende agora de Mendes.
Se o Supremo não julgar a ação a tempo das eleições, no próximo domingo, continuará valendo a exigência.
À Folha, o ministro disse que pretende apresentar seu voto na sessão de hoje.

CONSENSO
Antes da interrupção, foi consenso entro os ministros que votaram que o eleitor não pode ser proibido de votar pelo fato de não possuir ou ter perdido o título.
Votaram assim a relatora da ação, ministra Ellen Gracie, e os colegas José Antonio Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio Mello.
Para eles, o título, por si só, não garante que não ocorram fraudes. Argumentam ainda que os dados do eleitor já estão presentes, tanto na sessão, quanto na urna em que ele vota, sendo suficiente apenas a apresentação do documento com foto.
"A apresentação do título não é tão indispensável quanto a do documento com foto", disse Ellen Gracie.
O ministro Marco Aurélio afirmou que ele próprio teve de confirmar se tinha seu título de eleitor. "Procurei em minha residência o meu título", disse. "Felizmente, sou minimamente organizado."
A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos foi definida em setembro de 2009, quando o Congresso Nacional aprovou uma minirreforma eleitoral.
O PT resolveu entrar com a ação direta de inconstitucionalidade semana passada por temer que a nova exigência provoque aumento nas abstenções.
O advogado do PT, José Gerardo Grossi, afirmou que a exigência de dois documentos para o voto é um "excesso". "Parece que já temos um sistema suficientemente seguro para que se exija mais segurança", disse.

 

A imprensa livre com responsabilidade e controle social é fundamental para viver numa democracia e livrar o Brasil da corrupção, ditadura, torturas feitas pela elite escravagista e por uma classe média peconceituosa.

 

Vou ganhar o prêmio, vai ser assim amanhã a bala de prata no JN

Quem matou Odete Roitman, versão 2010

 

Deu chabú a bala de prata com o PCC, se bem que isso não é descartado, pois o chefão da facção, é candidato da base de Alckmin

 

Faço a seguinte sugestão: quem acertar ganha um prêmio

Como vcs viram, a minha aposta foi em "Quem matou Odete Roitman?"

Que Lula coloque desde já o povo de prontidão, pois motivos para disparar nesta 5a. feira a bala de prata fatal o JN tem de sobra,

Nenhum final de novela provocou tanto suspense

 

Por problema durante o pagamento do  cachê, a bala de prata onde seria usado o PCC foi por água abaixo, de forma que agora não faço a mínima idéia do que veremos amanhã a noite no JN para derrubar Dilma no desfecho final do "Setembro Negro"

Os nobres combatentes do "Setembro Negro" continuam apostando, a última novidade foi esta greve dos bancos em pleno dia de votação, os banqueiros parecem ter até inventivado o fechamento dos bancos, quem sabe assim no domingo muita gente não vá votar por falta do dinheiro para pagar a passagem de ônibus pois, sem poder sacar, fazer o que né.

O "Setembro Negro" foi uma operação de grande envergadura desencadeada pela velha mídia para derrotar Dilma.

De tudo no mundo foi tentado até agora, pode ser que os cartuchos tenham acabado. Ou o JN vai exibir velhinhos desmaiando na frente dos bancos? Acabou meu estoque de apostas. Bobagem minha, claro que vai ter a bala de prata sim, o suspense é grande. Quem matou Odete Roitman?  Sempre em final de novela tem isso. Não é agora que será diferente. Afinal de contas está em jogo:

13 razões para votar em Dilma!

A campanha de Dilma Rousseff produziu um folheto contendo 13 razões para votar na candidata do PT à Presidência da República.

Confira abaixo o texto. E aqui o arquivo em pdf.

 

13 CERTEZAS DE QUE O BRASIL VAI SEGUIR MUDANDO

1. FIM DA MISÉRIA – Com Lula, 31 milhões de pessoas entraram para a classe média e 24 milhões saíram da pobreza absoluta. Dilma vai
aprofundar esse caminho e acabar com a miséria no país.

2. MAIS EMPREGOS – O Brasil nunca gerou tantos empregos como agora. Dilma – que coordenou o PAC e o Minha Casa, Minha Vida, programas que levam obras e empregos a todo o país – é a garantia de que o mercado de trabalho vai continuar crescendo para todos.

3. MAIS REAJUSTES SALARIAIS – Com Lula, o salário mínimo sempre teve reajustes bem acima da inflação e houve aumento da massa salarial em geral. Dilma vai manter e aperfeiçoar essa política que tem ajudado a melhorar a vida de tanta gente.

4. MAIS BOLSA FAMÍLIA – Agora, todos os candidatos falam bem do Bolsa Família, mas o brasileiro sabe: só Dilma garante o fortalecimento desse e de outros programas sociais criados por Lula.

5. MAIS EDUCAÇÃO – Lula criou o ProUni, mais universidades e escolas técnicas do que qualquer outro governo. Dilma vai seguir abrindo as portas da educação para todos. Com ela, não haverá um único município brasileiro, a partir de 40 mil habitantes, que não tenha Escola Técnica.

6. MAIS SAÚDE – Lula ampliou o Saúde da Família, criou o Samu 192,
as Farmácias Populares e o Brasil Sorridente. Dilma já garantiu: vai
criar 500 Unidades de Pronto Atendimento – as UPAs 24 horas. E 8.600
novas Unidades Básicas de Saúde – as UBS.

7. MAIS SEGURANÇA – Lula está fazendo um investimento inédito na segurança, com o Pronasci, que tem, entre suas prioridades, o policiamento comunitário, a inclusão do jovem e a parceria com a sociedade. Dilma vai ampliar essa ação, usando como modelo as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que estão livrando várias comunidades do Rio de Janeiro do domínio do tráfico.

8. MAIS COMBATE AO CRACK – Dilma vai combater essa praga com autoridade, carinho e apoio. Apoio para impedir que mais jovens caiam nessa armadilha fatal. Carinho para cuidar dos que precisam se libertar do vício. E autoridade para combater e derrotar os traficantes, estejam onde estiverem.

9. MAIS CRECHES – Dilma quer garantir mais tranquilidade para as famílias que trabalham e não têm onde deixar os filhos. Por isso, já assumiu o compromisso de construir 6 mil creches e pré-escolas em todo o país.

10. MAIS MORADIAS POPULARES – Juntos, Lula e Dilma criaram o Minha Casa, Minha Vida, que está realizando o sonho da casa própria de muita gente. Dilma vai ampliar o programa, garantindo mais 2 milhões de moradias populares para quem mais precisa.

11. MAIS APOIO AO CAMPO – Nossos agricultores nunca tiveram tanto apoio para produzir e crescer na vida. Dilma – que criou o Luz para Todos e beneficiou mais de 11 milhões de brasileiros que vivem no campo – é a certeza de que esse trabalho vai seguir em frente, tanto para o agronegócio como para a agricultura familiar.

12. MAIS CRÉDITO – Lula criou o crédito consignado e facilitou o acesso da população a várias linhas de crédito. É por aí que Dilma vai seguir para continuar beneficiando toda a população.

13. MAIS RESPEITO AO BRASIL – Com Lula, o Brasil pagou sua dívida com o FMI e passou a ser um país respeitado em todo o mundo. Dilma quer o Brasil assim: forte, independente e cada vez mais admirado aqui e lá fora.

 

Qualquer tentativa de interferir no resultado de uma eleição, onde o eleitor deve fazer com livre consciência a escolha do que ele considera o melhor candidato, deveria ser crime mais do que hediondo.

 

Esta manobra diversionista de certos órgãos de imprensa, de baixa qualidade moral e de grande poder econômico, está mais do que decantada em verso e prosa. Se tiverem a coragem de tentar novamente este artifício, deverão ser punidos com todo o rigor da lei. E serem postos inapelavelmente à execração e degradação pública.

 

Assim como nos dias que antecedem a eleição fica proibida a prisão de cidadãos, que não seja em flagrante, fica proibido a propaganda eleitoral, fica proibida a divulgação de pesquisas, é proibida a boca de urna, deveria também ser estritamente proibida a veiculação de notícias de caráter alarmista e que tenha conexão com os candidatos e com o processo eleitoral.

 

Se os que pregam os privilégios e a liberdade de difamar, sem eira nem beira, não sabem se auto-regular, que se aplique imediatamente a dura - Lex nos desmandos deles.

 

Muita atenção senhores novos congressistas que vão elaborar as leis que assegurem a preservação das instituições verdadeiramente democráticas.

 

 

 Meu palpite vai para um dado simples. O tempo de votação vai ser longo demais, com 2 documentos. Os mesários podem segurar a votação, a fila fica enorme e muita gente desiste de votar. Essa é a "bala de prata" para levar a eleição para o segundo turno. Olho nos mesários...

 

Olá Nassif, bom dia!

Parece que esta bala de prata só não foi disparada graças a um problema financeiro. E se tudo tivesse corrido bem, quais seriam as consequencias?

Fonte: Conversa Afiada

A “bala de prata” é a maior fraude da história política do Brasil

Indivíduos do Capital e da região de Sorocaba, com diversas passagens pela polícia (roubos, receptação, assaltos à mão armada, seqüestros etc.) foram contatados por políticos ligados ao PSDB local através de um elemento intermediário com trânsito mútuo;

 Foram informados de que “prestariam serviços” e levados até um shopping da cidade de São José do Rio Preto;

 Lá mantiveram encontro com outras três pessoas, descritas como “muito importantes”, e receberam um adiantamento em dinheiro vivo;

 Não se tratava de qualquer encomenda de morte, assalto ou ato criminoso tão comum para os marginais recrutados;

 Imediatamente, tais bandidos foram levados até o Rio de Janeiro, a um bairro identificado como Jardim Botânico, onde ficaram confinados por dois dias;

 Uma equipe de TV, num estúdio particular, gravou longa entrevista com os bandidos. O script era o seguinte: “somos do PCC, sempre apoiamos o governo Lula e estamos com Dilma”. Não fugiu disso, com variações e montagens em torno de uma relação PCC/Lula/PT/Dilma;

 Os bandidos recrutados também foram instruídos a fazer ligações telefônicas para diversos comparsas que cumprem penas em penitenciárias do Estado de São Paulo. A ordem era clara: simular conversas que “comprovassem” a ligações entre o PCC e a campanha de Dilma;

 Tudo foi gravado em áudio e vídeo;

 A farsa começou a ser desmontada quando o pagamento final pelo serviço veio aquém do combinado;

 Ao voltarem para São Paulo, alguns dos que gravaram a farsa decidiram, então, denunciar o esquema, relatando toda a incrível história acima com riqueza de detalhes;

 As autoridades já estão no encalço da bandidagem. De toda a bandidagem;

 A simulação seria veiculada por uma grande emissora de TV e por uma revista depois do término do horário eleitoral, causando imenso tumulto e comoção, sem que a candidata Dilma Rousseff, os partidos que a apóiam e o próprio governo Lula tivessem o tempo de denunciar a criminosa armação;

 Essa é a “bala de prata”. Já se sabe seu conteúdo, os farsantes e o custo, além dos detalhes. Faltam duas peças: quem mandou e quem veicularia (ou ainda terá o desplante de veicular?) a maior fraude da história política brasileira;

 Com a palavra, as autoridades policiais.

A propósito, o amigo navegante enviou essa “nota” extraída da imprensa de Brasilia:

29/09/2010 | 00:00 – www.claudiohumberto.com.brAlmoço globalA Rede Globo oferece em São Paulo almoço vip, nesta quinta, data do último debate presidencial, a Leandro Daiello, superintendente local da Polícia Federal – que anda atarefada com inquéritos de Erenice & cia.

 

A verdade é que Folha, Estadão, Veja e Rede Globo perderam completamente a noção do que seria uma cobertura minimamente ética das eleições e qualquer coisa é possível. Mas lembremos, novamente, que o grande vilão continua sendo o de sempre, o Sistema Globo de Comunicações.

 

Folha, Estadão e Veja, juntas, não alteram resultado nem de Prefeito de cidade pequena, quanto mais de Presidente da República; são lidas por muito pouca gente - eleitoralemte falando - e que apresentam perfil asnático. Prestam-se a fazer o trabalho de ratos, rasteiro e subterrâneo, para que o Jornal Nacional repercuta nacionalmente. Já tiveram muito mais poder de destruição mas ainda podem ofuscar a vitória da Dilma.

 

Uma coisa é certa; vem baixaria e da grossa no sábado.