newsletter

Sobre a coleta de lixo em Santos

Atualizado em 13h55

Por Emerson57

como morador em santos sugiro:

a) caçambas nas praias. 

os ambulantes ganham seu dinheiro vendendo seus produtos nas praias e no final do dia o que se vê são montanhas de lixo deixadas por eles, inclusibe os barraqueiros,

b) caçambas nas feiras livres.

idem ao anterior. o feirante deveria deixar o espaço que explora limpo, recolhendo seu lixo às caçambas cuja movimentação ficaria ao encargo da prefeitura.

isso vai mexer com a empreiteira terracon que tem batalhões de garis limpando as praias e os locais de feira.

essa mão de obra poderia ter destinação mais produtiva.

 

Por Nilva de Souza

Do blog Olhar Praiano

Por uma Política Municipal de Gestão de Resíduos 

 

 

 


Sou avesso a críticas antecipadas, portanto, não vou emitir minha avaliação acerca da noticiada implantação de novo sistema de caçambas para coleta domiciliar de lixo, em alguns locais de Santos, sob responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente local.

Contudo, fica difícil entender como este programa se articula com a política municipal de resíduos sólidos, se é que ela existe. Penso que o município tem que aperfeiçoar a gestão do sistema e depois a destinação, nesta ordem, pois somente após a primeira estar definida, é possível saber o que será ou não disposto no aterro sanitário.

Portanto, também desconfio muito de propostas tipo incineração, ou mesmo de estimativas de vida útil do aterro sanitário do Sítio das Neves, sem que se esteja definida a quantidade de resíduos efetivamente resultante de um processo mais amplo de educação ambiental, que garanta efetivamente a redução do que vai para destinação final. Neste ponto está o nó da questão. Sem esta definição, não há como estimar nada. Do contrário, vamos continuar jogando nosso dinheiro no lixo, literalmente.

Portanto, é fundamental que o município construa sua política de gestão de resíduos sólidos, por meio de um processo verdadeiramente democrático como está fazendo o governo federal, que abriu para consulta pública a Política Nacional de Resíduos, que pode ser acessada aqui. Aliás, seria muito interessante se a Secretaria Municipal de Meio Ambiente estimulasse a sociedade a participar desta consulta e depois articulasse este processo com a construção de uma política local. Isto seria avançado e moderno, não a implantação de programas desarticulados de uma concepção geral de gestão.

Por fim, vale comentar que já começam a pipocar algumas manifestações acerca da implantação das novas caçambas, na imprensa local. E no meio destas opiniões, tenho lido coisas que explicam um pouco porque é complicado tratar da questão aqui em nossa terra.

Em Santos, há uma espécie de entendimento generalizado, segundo o qual, a qualidade do serviço se mede pelo número de coletas. Daí fica muito difícil reduzir o custo do serviço, pois há muita rejeição a implantação de um sistema comum em cidades européias ou em algumas cidades brasileiras, onde a coleta não se faz diariamente, pois nestas ninguém nada em dinheiro como aqui.

Também lamento muito a falta de ampliação do programa de instalação de containeres, iniciada pelo governo do prefeito David Capistrano e suspensa no governo de Beto Mansur. Estes equipamentos, instalados no Gonzaga e no BNH da Aparecida, mais adequados ao tamanho de nossos passeios, cuja coleta é feita por meio de equipamento instalado no caminhão coletor, são mais dignificantes para o trabalhador e mais limpos, pois impedem a colocação de sacos de lixo diretamente em via pública.

É absurda a afirmação de alguns munícipes, de que estas caçambas atraem insetos e ratos, pois a higienização das mesmas se faz da mesma forma que no caso de latões de lixo. A diferença, é que elas não passam por manipulação, o que gera mais riscos de contaminação e doenças. O que falta é educação ambiental maciça, para que a população se adeque ao sistema e utilize os containeres corretamente.

Postado por José Marques Carriço às 11:35  

http://olharpraiano.blogspot.com/

Média: 5 (1 voto)
8 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+8 comentários

lixo em Santos é assunto para PHD.  recentemente, via ouvidoria, sugeri que para a liberação mais rapida das vias publicas os feirantes deveriam ensacar totalmente o lixo gerado durante a operação, que por sinal não estava lá quando chegaram.

a prefeitura levou um tempo enorme para responder que temos uma lei que já preve o feirante ensacando ou amontoando seu lixo para em seguida a terracon recolher.  que bom né !! só falta fazer valer a tal lei pois a liberação das ruas dificimente acontece antes da 16 horas.

 

Realmente foi uma tragédia o fim das caçambas no BNH, eram esvaziadas automaticamente pelos caminhões.

Hoje em Santos as políticas de meio ambiente em Santos são Torres enormes tampando a passagem de ar sendo o sistema viário é o mesmo, tudo em nome do setor da Contrução Civil em grande parte a um empresário da Região, e corredores de ônibus em avenidas estreitas pois os ônibus ficam parados minutos já que não tem cobradores e os motoristas tem que dar nó em pingo d'água tudo em nome de uma única empresa de transporte. (pouco importa a mobilidade e os riscos de acidente)

Os poucos vereadores de oposição que existem são cooptados pelo governo municipal. 

 

A questão da limpeza urbana em Santos é um assunto mal resolvido. O articulista lembrou a época em que durante a administração do então prefeito Davi Capistrano havia conteineres para coleta de lixo na cidade, naquela época eu morava no conjunto dos Estivadores, na Vila São Jorge, e lá também havia os conteineres, como geralmente a coleta era feita à noite e o número de equipamentos era um tanto reduzido, antes da coleta eles já estavam abarrotados de sacos de lixo, o que atraia sim baratas e até ratos. Por outro lado, considero um erro a suspensão do programa, fruto de um momento politico que a cidade viveu em que imperava o revanchismo.

A coleta de lixo diária é um dos bons serviços que a Prefeitura oferece aos munícipes aliado ao serviço do Cata Treco, que uma vez por semana o lixo limpo é recolhido nos bairros. Ao meu ver, ela falha na questão do recolhimento de entulhos que se acumulam nas esquinas e passeios dos canais, tendo em vista que a empresa que presta o serviço recolhe somente o entulho que é préviamente marcado. Recentemente tive uma experiência neste sentido, por quase um mês alguns sacos de entulhos ficaram ao lado do muro do prédio em que moro. Enviei um e-mail para a ouvidoria municipal, tive como resposta que eu deveria levar meu pleito à Prodesan, liguei para o número que me foi fornecido e marquei a data para o recolhimento dos entulhos. Aproveitei a oportunidade e comentei sobre a grande quantidade de entulhos em vários pontos do meu bairro e, para minha surpresa, fui informado que recolhia-se somente o entulho que fosse préviamente agendado, mesmo que houvesse um outro ao lado recolhe-se apenas o agendado, a alegação era que havia muito abuso por parte dos cidadãos. Aproveitei a oportunidade e fiz rasgados "elogios" ao gênio que implementou tal procedimento. Enquanto isso, os entulhos continuam se acumulando nas esquinas passeios laterias dos canais, evidentemente longe dos bairros da orla.

 

Rogério Barreto Brasiliense Santos, SP

Este blog abrange assuntos nacionais e internacionais.

Não é uma gazeta de bairro ou cidades.

Pra isso temos Anatonio Carlos da rede Globo.( desde as 5 da matina)

Inclusive com programas ao VIVO nas praças de SP e na Grande SP tbm.

Se dirija pra ele,nas suas reinvidicações extemporâneas e suburbanas.

Ou vamos nos ater a problemas bairristas?

O que não falta são periódicos pra cidade de Santos.

Vá lá e exponha seu problema.

Estamos discutindo problemas conjunturais e não focados na sua cidade.

Chau e benção.

 

Então cára pálida: estamos falando de problemas conjunturais, internacionais e cósmicos.

Circunstancialmente, estes problemas estão localizados em Santos.

Mas podem ser observados mundialmente.

Pense globalmente e atue localmente. O Blog possibilita o pensar globar e o atua local.

Chau e bença.

 

 Hoje às 14:30 será realizada uma audiência na Câmara Municipal de Santos sobre meio-ambiente, mais especificamente a respeito do acidente de terraplanagem no Rio Furado, mas todas as autoridades estarão presentes e representadas, sugiro ao amigo Carriço que compareça e aborde o tema do lixo, que desde já lhe digo, foi assunto na primeira seção de segunda-feira agora na Semana do Meio Ambiente que está acontecendo na sub-secção da OAB Santos, eu estava lá junto com o Fabião e discutimos o problema do aterro sanitário e da incineração, esta é usada na Europa em muitos lugares, mas é preciso saber exatamente qual o processo que se têm em vista aqui em Santos.

O assunto é sério, pois a área insular de Santos têm problemas antigos com o lixão, o assunto não pode e não deve ser relegado a segundo plano, precisamos nos mobilizar e estar atentos.

 

Follow the money, follow the power.

como morador em santos sugiro:

a) caçambas nas praias. 

os ambulantes ganham seu dinheiro vendendo seus produtos nas praias e no final do dia o que se vê são montanhas de lixo deixadas por eles, inclusibe os barraqueiros,

b) caçambas nas feiras livres.

idem ao anterior. o feirante deveria deixar o espaço que explora limpo, recolhendo seu lixo às caçambas cuja movimentação ficaria ao encargo da prefeitura.

isso vai mexer com a empreiteira terracon que tem batalhões de garis limpando as praias e os locais de feira.

essa mão de obra poderia ter destinação mais produtiva.

 

O ministro do Turismo acaba de ser afastado.

A presidencia da republica poderia aproveitar a ocasião e colocar alguem para dinamizar essa atividade tão lucrtica em todo o mundo.

Ha muito tempo não temos uma politica seria para o turismo.

Logo abaixo tem um post falando de desmandos da prefeitura na cidade de Salvador.

Centenas de outros pontos de turismo nacionais estão sendo destruidos por falta de um planejamento serio para o turismo.

Essa seria a hora.