newsletter

System Messages

Could not connect to Mailchimp

SUS fornece remédios a 7,8 mi de diabéticos e hipertensos

Da Agência Estado

7,8 MILHÕES DE DIABÉTICOS E HIPERTENSOS RECEBERAM REMÉDIOS GRATUITOS, DIZ DILMA

Presidente faz balanço do 1º ano do programa 'Saúde Não Tem Preço' e afirma que falta de dinheiro não é mais motivo para pacientes interromperem tratamento

Ao fazer o balanço do primeiro ano do programa 'Saúde Não Tem Preço', a presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda, 13, que 7,8 milhões de diabéticos e hipertensos receberam medicação gratuita no país. Apenas em janeiro deste ano, 3,2 milhões de pessoas tiveram acesso gratuito aos remédios por meio do programa Aqui Tem Farmácia Popular.

“Há um ano, quando o usuário ainda pagava 10% do valor do remédio, esse número era bem menor - eram 853 mil pacientes”, ressaltou, em seu programa semanal Café com a Presidenta. Segundo Dilma, a falta de dinheiro não é mais motivo para que os pacientes interrompam o tratamento. Ao todo, 20,3 mil farmácias em 3,2 mil municípios fazem a distribuição da medicação.

Além de remédios para tratar a pressão alta e o diabetes, os locais oferecem remédios com descontos de até 90% para asma, colesterol alto, osteoporose e rinite. É possível ter acesso também a anticoncepcionais e fraldas geriátricas.

“No ano passado, o Farmácia Popular chegou a 781 municípios que não tinham nenhuma farmácia credenciada no programa. O Ministério da Saúde identificou onde está a população mais pobre, tanto nas grandes cidades como no interior do Brasil, e está estimulando o credenciamento de novas farmácias nesses municípios”, destacou a presidenta.

Este ano, segundo Dilma, a previsão é que sejam investidos R$ 7,7 bilhões apenas na compra de medicamentos. Ela lembrou que o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou, no ano passado, 8,4 mil internações a menos de pacientes com hipertensão e 2,7 mil a menos de pessoas com diabetes.

“Outro resultado importante do programa foi o aumento do controle da distribuição dos medicamentos. Quando uma pessoa pega o remédio, a farmácia tem que tirar uma cópia da receita, com o registro do médico e o CPF do paciente para o controle do Ministério da Saúde”, ressaltou a presidenta.

Sem votos
8 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+8 comentários

O mais interessante, retirada a parte da questão do cidadao, é que o governo acaba economizando ao evitar internacoes, muito mais caras que o preço dos remédios. Alem de diminuir a lotação dos hospitais. Aproveitando o debate do fim de semana, trata-se de medida de gestão que poderá sempre ser ampliada através da pressão da sociedade, pressão essa que se faz através do jogo político.

 

Aproveitando o post e que muito foi dito sobre os possíveis tratamentos dos viciados em crack: até que ponto a autodestruição deve ser motivo de tratamento?

 

Com 368 kg, britânico é o homem mais gordo do mundo

Com 368 quilos, Keith Martin, de 42 anos, ganhou o título de homem mais gordo do mundo.O peso do britânico é mantido com a ajuda de oito cachorros-quentes no café da manhã. Ele também passa o dia devorando bolos, doces e salsichas em frente à televisão.

Para cuidar de Keith, são necessários 18 profissionais de saúde. Todos financiados pelo sistema público de saúde. Quatro enfermeiros vão na casa dele três vezes por semana, para monitorar e dar banho. Quatro cuidadores aparecem na casa do britânico duas vezes por dia, enquanto o pessoal da ambulância tem que estar preparado para carregar o homem para o hospital em caso de emergência e para as frequentes consultas.

Nos últimos dez anos, Keith só deixou a casa dele, em Londres, para ir ao hospital. A última vez em que namorou foi há 20 anos. O peso do britânico pressiona o coração e outros órgãos vitais. Mas para se submeter a uma cirurgia de redução de estômago, Keith ainda precisa perder muito peso, para tornar o procedimento mais seguro.

Mas emagrecer não está nos planos de Keith. De acordo com o documentário produzido pelo Canal 5 da televisao britânica, o excesso de peso de britânico foi desencadeado após a morte da mãe, quando tinha 16 anos. “Eu não me importei com mais nada depois disso – eu comia tudo e qualquer coisa”. “Eu culpo a mim mesmo. Foi minha culpa e eu odeio o que fiz comigo mesmo”, diz ele.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/com-368-kg-britanico-o-homem-mais-gordo-do-mundo-3958443.html#ixzz1mHSwnCU1

 

Dizem que nas cidades fronteiriças entre Brasil e Paraguai, muitos paraguaios também estão tendo acesso ao SUS, e ficam muito admirados não só pela consulta gratuíta, como também pelos remédios grátis. E isso, me parece que vem acontecendo desde 2001, se não me engano.

 

"Just when I thought I was out... they pull me back in"

Esse programa  é um  espetáculo.

A mãe  de uma  amiga recebe remédio para pressão, diabetes e até   o genérico  do  rivotril.

 

Eu sou um dos que consomem remédios para  hipertensão das farmacias populares.

Há oito anos quando descobrir que era hipertenso, gastava algo em torna de R$ 80,00( oitenta reais) por mês com medicamentos para hipertensão. Hoje eu não gasto nada, recebo todos os medicamento gratuitamente, custo zero.

O único "trabalho" que tenho, e ir mensalmente nas farmácias populares com a receita atualizada, identidade e CPF e mais nada.

É feita uma pequena "checagem" das documentações, do prazo de validade do último remédio que você pegou, se tiver tudo ok, você sai da farmacia feliz da vida com medicamentos para um mês.

Conheço pessoas simples, que no passado morreram porque não podiam dar continuidade no tratamento de hipertensão, porque são medicamento de uso continuo, ou seja, para a vida toda.

É isso.

Viva o governo federal, sem ser piegas é claro, se tiver de malhar eu sento o pau.

 

Consagre os seus sonhos e projetos ao Senhor, e eles serão bem sucedidos, creia.

gAS

 


O programa é mesmo um espetáculo!


E pensar que tem tanta gente que desce a lenha no SUS. Não falo de usuários humildes, mas de gente de classe alta a deitar falação sobre um programa desses.


Esse povo que reclama tanto deveria era ver como são tratados os pobres nos EUA ou Europa, pra poderem valorizar e contribuir ainda mais pra que o programa se torne ainda mais abrangente.


A volta de um imposto para a saúde deverá ocorrer, uma outra CPMF, do contrário o SUS não sobreviverá muito tempo.


Tenho um parene médico que trabalha no SUS e que diz que no máximo em 30 anos o sistema ruirá por completo se nada for feito a curto prazo.


O SUS é totalmente socialista dentro de um capitalismo. E vai se arrastando, sempre com muita garra.


 


 

 

É triste o SUS não ser bem compreendido pela esquerda e direita.

Os que querem descontruir este sistema são criminosos.

 

Grande irmão Assis,

Obrigado peça senhora existir, Presidente Dilma Roussef !

Apesar de alguns medicamentos caros, para hipertensos e sobreviventes de HVCH e assemelhados, o governo, ainda. não tenha conseguido incluir na Farmácia Popular  (mas, vai chegar lá, a exemplos dos ADALATs= R$ 100/120,00 e do PRESSAT/10mg R$ 65,00) Por isto digo e repito todos os dias 

AVE DILMA - Enfim uma ESTADISTA !!!

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.