newsletter

TV Trama com Ensaio?

Não estou entendendo. Quase todo o acervo do Ensaio está no canal TV Trama, no Youtube. Coincidentemente, Sayad anuncia o fim de programas musicais e, em seu lugar, João Marcelo Bôscoli, da Trama.

Lembro da proposta da Telefonica de digitalizar todo o acervo da TV Cultura para comercialização conjunta - que foi rejeitada por Marcos Mendonça, ao mesmo tempo em que tentava passar o Cultura Marcas para um grupo do qual ele próprio fazia parte.

Agora, essa história da TV Trama

Alguém poderia explicar o que se passa?

Clique aqui para ir ao canal TV Trama.

Jornalismo

A propósito do jornalismo da TV Cultura, Alexandre Machado foi indicado para editor do Jornal da Cultura - o que ninguém no jornalismo entendeu - e antes de assumir foi "desindicado". 

Poucas vezes assisti a um início tão desastrado de gestão em qualquer empresa, pública ou privada.

Por Edson Joanni

Talvez isto sirva pra esclarecer (ou complicar) o assunto. Notícia publicada no próprio site da TRAMA em 05/09/2006.

Trama lança caixa especial com 5 DVDs do programa Ensaio

Os cinco primeiros títulos da série Elis Regina, Gal Costa, Tim Maia, Tom Zé e Baden Powell serão relançados em um box exclusivo

Resultado de uma bem sucedida parceria entre a Trama, a TV Cultura e a TeleImage, a série de DVDs do programa Ensaio ganha nesse mês uma edição especial. Os cinco primeiros títulos da série (Elis Regina, Gal Costa, Tim Maia, Tom Zé e Baden Powell) serão relançados em um box exclusivo.

Além dos cinco DVDs, a série possui ainda mais dois títulos já lançados: Jair Rodrigues e Amado Batista. E no mês de setembro outros dois chegarão às lojas: Caju & Castanha e Roberto Menescal & Wanda Sá. Todos os DVDs são restaurações de episódios do programa Ensaio, que desde 1970 exibe na TV Cultura um riquíssimo retrato da música brasileira.

O box especial com os cinco primeiros DVDs do programa Ensaio chega às lojas no dia 21 de setembro com preço sugerido de R$ 169,90. 

Sem votos
18 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+18 comentários

Toda essa roubalheira nas transações do patrimônio do programa Ensaio, da TV Cultura,  programa esse que é uma luta que Fernando Faro trava há décadas, desde a antiga TV Tupi, cujo acêrvo ele levou para a TV Cultura-SP, é fruto de uma visão tecnocrata altamente "esperta" e descompromissada com certos valores culturais, aliada a escusos interesses, onde o patrimônio público deve ser "vendido" para grupos privados, onde somente a idéia do lucro prevalece., em detrimento de valores estéticos e espirituais. É um crime tanto a entrega do patrimônio do Programa Ensaio à gravadora Trama como a retirada do mesmo da grade de programação. da TV Cultura. Vamos protestar contra esse descalabro enchendo as caixas de e-mails dos responsáveis por essa aberração.

 

Mouro, parto do pressuposto de que para dirigir um canal voltado à cultura, o cidadão deveria conhecer mais sobre o meio cultural. O seu Jão é de uma ignorância atroz e nao se espera que deste mato saia coelho.  Por estas e por outras é que projetos positivos comandados por gente como o Neschling acabaram sendo boicotados por estes cabeça-de-planilha (copyright by Luis Nassif ).  Qual a inovaçao proposta por ele para o programa Ensaio? Certamente ele deve se basear no modelo global, mudernerrimo, né? Como se diz em Minas: este caboclo tem que comer muito feijao antes de palpitar neste assunto....

 

o Modelo Privatista do PSDB

 

Zero Hora 16 agosto 2010

 

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Geral&newsID=a3007159.xml

 

| 16/08/2010 | 04h44min

 

Projeto de presídio privado em Canoas prevê infraestrutura incomumEdital deve ser lançado nesta semana pelo Estado

 

Projetada para ser a prisão mais moderna do Estado, e talvez do Brasil, a penitenciária que será construída em Canoas abrigará até 3 mil presos, que terão à disposição uma infraestrutura incomum. O projeto, cujo edital deve ser lançado nesta semana pelo governo gaúcho, prevê até o fornecimento de mudas de roupas, como cuecas e meias, e um cardápio com direito a pudim ou sagu de sobremesa.

Segundo a secretária geral de Governo, Ana Pellini, a concorrência levará em conta os melhores projetos (construção e gestão) e o menor preço. Os candidatos deverão se reunir em consórcios — formados por empresas de construção, vigilância e gestão. A expectativa, considerando prazos para eventuais recursos dos candidatos, é de que o contrato seja assinado até o fim do ano.

O investimento na obra é estimado em R$ 200 milhões, bancados pelo consórcio que vai gerir o complexo e cobrar mensalmente do Estado os gastos com presos a partir da ocupação das celas. A estimativa inicial é de um custo médio de R$ 2,7 mil mensais por apenado. Nesse valor, que corresponde a mais de cinco salários mínimos, também está incluído o pagamento da construção dos prédios.

— Acreditamos que com a concorrência o custo deverá sem bem menor, em torno de R$ 1,8 mil a R$ 2 mil por preso — afirma Ana Pellini.

De acordo com a secretária, o consórcio administrará o complexo por 27 anos e, após esse período, o Estado assume a posse da penitenciária, podendo renovar o contrato ou abrir nova licitação.

A previsão é de que a penitenciária entre em funcionamento em 2013. A base do edital foi disponibilizada pela internet para consulta pública. Esse texto passou por mudanças para atender a mais de cem sugestões.

O complexo, localizado numa área de 54 hectares, terá 11 prédios de, no máximo, dois andares, dos quais sete serão destinados à carceragem. Todas as unidades serão separadas e fortificadas com muros. Cada cela no regime fechado comportará no máximo quatro detentos. No regime semiaberto, cada espaço terá capacidade de até 20 presos. As presas grávidas ficarão confinadas no berçário e poderão permanecer no local até que o bebê complete 12 meses. Depois, passam para a área feminina.

Nas unidades de apoio, estão previstas centrais de serviços, posto de saúde e áreas para a guarda e operações táticas, que ficarão em prontidão 24 horas. A condição dos presos deve ser melhor do que nos presídios atuais. A proposta é recuperar os detentos apostando em educação, recreação, assistência social, aprendizado profissionalizante e trabalho.

Cardápio prevê lasanha e bolo

Será preciso montar quase uma cidade para que os presos sejam atendidos. O complexo terá bibliotecas, salas de aulas e de TV, oficinas, quadras esportivas, cozinhas e lavanderias.

A penitenciária também deverá gerar empregos, com a contratação de vigilantes, médicos, enfermeiros, professores e advogados. A intenção inicial era repassar a vigilância interna e o monitoramento para o consórcio, mas essa possibilidade não foi para frente e o Estado ficará responsável.

Todos os presos serão uniformizados, não tendo, praticamente, pertences próprios. Ao entrar, receberão tudo, desde materiais de higiene, roupas de cama e vestuário completo. Na alimentação, sob cuidado de nutricionistas, as quatro refeições diárias incluem nos cardápios filé de frango, costela, lasanha, bolos e sucos.

O que o consórcio vencedor da licitação terá de oferecer aos presos

ASSISTÊNCIA JURÍDICA
— Cinco advogados plenos
— Dez estagiários de Direito

EDUCAÇÃO
— Educação básica (ensinos Médio e Fundamental)
— Educação profissional
— Atividades desportivo-recreativas e artístico-culturais

SAÚDE
— Seis médicos
— Seis enfermeiros
— 24 auxiliares de enfermagem
— Seis auxiliares de consultório dentário
— Seis dentistas
— Seis psicólogos
— Seis psiquiatras

ROUPAS E ACESSÓRIOS
— Aparelho de barbear
— Sabonete
— Desodorante
— Absorvente íntimo
— Dois jogos de roupa com calça, camisa ou camiseta, jaqueta ou japona e conjunto de inverno (calça e blusão)
— Meias, cuecas e calcinhas
— Tênis e chinelos

ALIMENTAÇÃO*
— Salada (tomate, alface, couve, pepino)
— Prato principal (bifes, costela assada, filé de frango)
— Arroz e Feijão
— Guarnição (massa, lasanha, purê, batatas)
— Sobremesa (melancia, bergamota, pudim, sagu)

*Itens do cardápio

 

 

ZERO HORA

 

Privatização mal disfarçada.

 

Êles não aguentam passar muito tempo sem fazer uma. Dá síndrome de abstinência. É vício incontrolável. Pior do que crack.

 

Nassif,

Demorô heim!

Há tempos venho estranhando a postagem de músicas do Ensaio pela Trama.

Precisamos saber por quanto a TV pública vendeu esses acervos.

Há anos que e TV Cultura alega que não pode comercializar os "Ensaios"

por causa dos familiares que não dão permissão, ou só permitem sob preços absurdos.

Agora pode?

 

 

Acho a Trama bem intencionada, mas mal gerida. Não vejo problema numa parceria da Tv Cultura, com a produção, e a Trama com a distribuição. Acho que o lado manco no tripé está na Teleimage. Quem conhece um pouco das histórias que envolvem o casal Siaretta, dono da Teleimage e Casablanca, desconfia logo que o caroço no angu vem dai.

 

A Tereza Cruvinel manda uma proposta, e leva o acervo e o programa para a TV Brasil.

Como eles gostam de vender tudo o que é público, não se farão de rogados.

O Brasil agradece.

 

faz parte do método de apropriação dos benefícios do estado, no padrão peessedebista. Realmente foi uma trama muito bem entrelaçada, no mau sentido

 

Infelizmente, Sayad, com toda essa estupidez nessa nova edição, só ilustra o pensamento vigente que a economia neoliberal de cultura impôs ao universo cultural brasileiro via Lei Rouanet. Hoje, o racionalismo que não considera princípios indispensáveis a partir de um juizo crítico, atropela, emaga grandes obras, bastando pra isso que elas não tenham importância dentro da cultura de compreensão empresarial.

Infelizmente, Nassif, a única força viva que praticamente baila com exclusividade na principal forma de financiamento da cultura ainda, a Lei Rouanet, vive desta absoluta falta de respeito. Sayad é um oportunista e se associará a tantos outros. Mas sua postura é diariamente garantida pelo conceito de cultura exclusiva de determinado grupo  empresarial.

É lógico que nisso tudo existe má fé. Sayad não quer saber de programas raros herdados de um pensamento amplo sobre cultura. Seu pé direito com uma botina de ferro, quer interromper esse ciclo numa espécie de vingança orquestrada pela estupidez que emplaca imediatamente um muro em qualquer coisa que se pareça com inspiração ou reflexão profunda.

Sayad não gosta de arte, sua fala é desafinada, e ele, num tipo de quadrado, nutre uma filosofia burra e repete bobagens à granel como se fosse um papagaio. Sua arrogância transborda guinchos e mais guinchos, pinotes, coices, na tentativa de impor a ferro e fogo o seu fisiologismo. É desse "caráter civilizado" que a cultura brasileira vem sendo sistematicamente exonarada nessa reengenharia neoliberal de cultura.

Fica aí uma clara imagem do quanto é necessário discutir cultura e as formas de financiamento dela no Brasil, pois diferente disso, toda a expressão de um povo será varrida pelo ambiente de estupidez nobre dominada muscularmente por glutões como Sayad.

 

Talvez isto sirva pra esclarecer (ou complicar) o assunto. Notícia publicada no próprio site da TRAMA em 05/09/2006.

 

Trama lança caixa especial com 5 DVDs do programa Ensaio

Os cinco primeiros títulos da série Elis Regina, Gal Costa, Tim Maia, Tom Zé e Baden Powell serão relançados em um box exclusivo

Resultado de uma bem sucedida parceria entre a Trama, a TV Cultura e a TeleImage, a série de DVDs do programa Ensaio ganha nesse mês uma edição especial. Os cinco primeiros títulos da série (Elis Regina, Gal Costa, Tim Maia, Tom Zé e Baden Powell) serão relançados em um box exclusivo.

Além dos cinco DVDs, a série possui ainda mais dois títulos já lançados: Jair Rodrigues e Amado Batista. E no mês de setembro outros dois chegarão às lojas: Caju & Castanha e Roberto Menescal & Wanda Sá. Todos os DVDs são restaurações de episódios do programa Ensaio, que desde 1970 exibe na TV Cultura um riquíssimo retrato da música brasileira.

O box especial com os cinco primeiros DVDs do programa Ensaio chega às lojas no dia 21 de setembro com preço sugerido de R$ 169,90.

 

Na boa, Nassif, isso é golpe cultural. Estão nos roubando.

Duvido que esse pessoal tramatucano faça doações desses "pacotes" para videotecas públicas, escolas, centros culturais, bibliotecas e associações culturais comunitárias. Duvido!

Duvido que eles doem para os inúmeros Pontos de Cultura aqui de São Paulo, criados pelo Ministério da Cultura.

Esses caras estão fazendo dinheiro para fins privados em cima de um patrimônio público.

Para mim, mais uma faceta dos esquemas suspeitos da cultura privada.

Como paulista, me sinto lesado por essa turma tucanatrama.

Isso é roubo.

Duvido que façam doações e que o preço seja baixo  e acessível aos interessados por esses pacotes produzidos com o meu, o seu e o nosso dinheiro na tv pública paulista.

São espertos, não?

 

Gustavo Cherubine

Nassif,

 

a Trama é uma trama de tramas, e onde ela esta tudo deve ser ponderado minuciosamente...ademais, Fernado Faro por JM Boscoli? Choque de congestão...

 

Muito estranho mesmo.

Você encontra na Trama um acervo que é público, mas a Trama é propriedade privada.

Pelo visto, há um esquema sujo, ou sendo mais suave, suspeito, que envolve o "herdeiro" da Elis Regina e a turma tucana da TV Cultura.

O que vai acontecer? O acervo do Ensaio será dominado de acordo com os interesses financeiros desse empresário musical, do seu circulo de amizades, de seus protegidos, dos protegidos da irmã cantora, dos protegidos do irmão músico.

Nassif, uma pergunta: onde está, quem produziu e é legal o contrato que repassa o acervo da TV Cultura para a Trama?

USP, UNESP, UNICAMP e UNICEF, a Universidade Livre de Música, ou outras instituições públicas, não deveriam ser as responsáveis por esse acervo?

Que trama esquisita, para não falar outro nome, não?

Procure a Mariana Aydar na TV Trama, e você não vai achar.

Por quais motivos, hein?

Abraços, Gustavo Cherubine.

 

Gustavo Cherubine

"Nassif, uma pergunta: onde está, quem produziu e é legal o contrato que repassa o acervo da TV Cultura para a Trama?":

Alguem por favor responda essa pergunta!

Eu tambem NUNCA OUVI FALAR DISSO NA MINHA VIDA!

 

ECHELON saiu da internet. ECHELON agora esta no seu proprio computador.

Coloquei no  primeiro post que vi essa semana anúncio de DVD do Caymmi com imagens que são semelhantes às que eram geradas no Ensaio da década de 70, DVD que está sendo vendido pela Biscoito Fino. Pergunto novamente, os tucanos estão doando? o acervo da Cultura? Prá quem já doou a Vale, isso é mixaria.

 

Todo um aparato que poderia criar material didático para ensino a distância e auxiliar professores de São Paulo (e do Brasil) jogado no lixo por pura incapacidade de pensar... Como se a função da TV Cultura fosse ser uma TV Globo...

Coisa de "gerenciadores de planilhas"....  sem visão.

 

É isso que dá entregar revólver na mão de macaco.

Pior: na mão de macaco mal intencionado.

 

O Senac já vendeu os programas Ensaio há um tempo atrás. Vcs se lembram? Pergunte se a Cultura ganhou algo considerável com isso.

 

A TV cultura sempre foi estuprada por esses caras.