newsletter

União voltará a contratar em 2012

Do Valor Econômico

União prevê contratação de 54,7 mil funcionários

Por Ribamar Oliveira | De Brasília

Ruy Baron/Valor/Ruy Baron/Valor
Ana Lucia Amorim de Brito, secretária de Gestão: contratações definidas de acordo com as prioridades do governo

Depois de suspender a realização de novos concursos públicos este ano, por causa do corte de R$ 50 bilhões no Orçamento, a presidente Dilma Rousseff pretende retomar as contratações de servidores em larga escala em 2012 e colocar em prática algumas das prioridades que definiu. Para isso, o governo programou contratar 54.724 novos funcionários no próximo ano, sendo 33.568 só na área de educação. Até 2014, o Ministério da Educação poderá contratar até 94.032 servidores, de acordo com o planejamento do governo.

Serão professores e técnicos administrativos, que participarão da expansão das universidades federais e da criação de escolas técnicas e profissionalizantes de nível médio, destinadas a qualificar os trabalhadores brasileiros. Até 2014, o governo espera implantar 38 novos campi universitários, o que permitirá criar cerca de 30.100 novas vagas. No mesmo período, o objetivo da presidente Dilma é elevar o número de escolas técnicas de 354 para 555, com o atendimento direto de mais de 600 mil estudantes.

Das 54.724 novas contratações planejadas para o próximo ano pelo governo, 18.905 serão para preencher cargos vagos, inclusive nas Forças Armadas, e substituir trabalhadores terceirizados. Será dada prioridade para a contratação das pessoas que passaram nos concursos já realizados, cuja validade acaba em 2012. A maioria das contratações, no entanto, será para o preenchimento de novos cargos e funções previstos em 21 projetos de lei encaminhados pelo Executivo ao Congresso Nacional e que estão em tramitação.

Desses projetos, apenas sete foram enviados por Dilma. Os demais foram mandados ao Congresso pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, até hoje, aguardam aprovação. Um deles, que transforma o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em autarquia, está no Congresso desde 2004.

Tramitam atualmente no Congresso Nacional 46 projetos de lei que criam cargos e funções, se forem incluídos no cálculo também os pedidos feitos pelo Judiciário e pelo Legislativo. Esses projetos, quando aprovados, abrirão 111.784 novas vagas no serviço público federal. No Judiciário, serão 3.699 novos cargos e funções. No Legislativo, 72 e 107.437 no Executivo. No Ministério Público da União, 576.

Inicialmente, estava previsto aumento de 29.358 pessoas no efetivo do Exército, mas o projeto de lei nesse sentido não foi enviado pelo Palácio do Planalto ao Congresso até o dia 31 de agosto, data limite para a inclusão da demanda no Orçamento da União do próximo ano. A programação do governo para a área miliar, no entanto, prevê a contratação de 1.366 pessoas para preencher cargos vagos na Marinha e 745 na Aeronáutica.

A secretária de Gestão do Ministério do Planejamento, Ana Lucia Amorim de Brito, disse que a definição das contratações em 2012 foi feita de acordo com as prioridades do governo federal, com foco nas área de educação, segurança pública, erradicação da miséria e no programa Brasil Maior - que definiu a política industrial do país -, recentemente anunciado pela presidente Dilma.

"Será uma expansão (do quadro de servidores) nas áreas prioritárias. Haverá um reforço também dos setores com grandes projetos e grandes eventos", explicou, numa referência à realização da Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.

Para o Ministério do Desenvolvimento, um dos principais executores do programa Brasil Maior, o governo prevê a criação de 330 vagas para analistas de comércio exterior, que serão incorporados à defesa comercial do país. Na área de segurança pública, o governo planeja abrir 725 vagas na Polícia Federal e na Polícia Rodoviária Federal. Outros 1.036 cargos de analistas técnicos de políticas sociais serão criados e distribuídos entre os ministérios do Desenvolvimento Social e da Saúde e outras áreas selecionadas, diretamente envolvidas com o programa de erradicação da miséria.

A demanda dos ministérios por servidores era bem maior, informou a secretária de Gestão, chegando a 111 mil novas contratações. Analisando os pedidos, o governo chegou aos 54,7 mil novos servidores que incluiu na proposta orçamentária de 2012. "O exercício que se faz constantemente é como viabilizar o que o país precisa, mantendo o ajuste fiscal", afirmou Ana.

Se todas as 54.724 contratações forem feitas no próximo ano, a despesa anual com a folha de salários do governo federal subirá R$ 3,2 bilhões. O gasto em 2012, no entanto, será de R$ 1,6 bilhão, pois as contratações serão feitas ao longo do ano, o que reduzirá a despesa. A secretária de Gestão lembrou que a mera criação de cargos não eleva a despesa orçamentária. Isso só ocorre no momento do provimento do cargo.

Sem votos
11 comentário(s)

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+11 comentários

Temos cargos de comissão em demasiado no país. Em todos os níveis, federal, estaduais, municipais. No governo federal é muito grande, como já se debateu muito aqui.

O que nunca falamos, e é uma pena, são os cargos nos governos estaduais ou nos grandes municípios. Alguém tem dados sobre os cargos em comissão do Estadso de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais ? Ou da cidade de São Paulo (como escuto muito na tv, terceiro maior orçamento do Brasil). Ou da cidade do Rio de Janeiro ? Nem mesmo os jornalões tocam muito no assunto quando falamos de estados e municípios.

Seria interessante ver o tamanho do problema.

 

Pelo discurso do governo, a saúde e segurança do trabalhador é de última importância numa escala de prioridades, visto que a autorização das nomeações dos concursados da Fundacentro está sendo postergada indefinidamente pelo governo. Concursos feitos muito depois já tiveram as nomeações autorizadas.

Sabemos que falam em prioridades, mas o que de fato há junto com isso são interesses e politicagem.

 

Excelente notícia...

Demonstrando que o mini ajuste fiscal realizado pelo governo neste ano foi apenas para reequilibrar o orçamento, e dar mais espaço para o corte de juros.

 

Não teve nada haver com adoção de receituário ortodoxo.  

 

Minha esperança é que com o orçamento reequlibrado e forte, possamos a partir de 2012 expandir ainda mais os investimentos públicos e alcancemos juros de um dígito, acompanhado por câmbio mais desvalorizado, tudo dentro dos trilhos. Podemos sonhar até com uma reforma tributária progressiva.

 

 

Em relação a professores das ufs: finalmente. Não tem como tapar tamanho buraco apenas com amor e boa vontade, por mais bacana e legal e honesto e superlegal que seja o ministro do MCT. É preciso, para o bem e para o mal, abrir a carteira.

 

Prioridades, corretíssimo! Mas ............... do "Governo do PT" ou do ESTADO ???

 

Ou eu encontro um caminho ou eu o faço! Philip Sidney.

Não entendi o comentário, estado ou pt? Os cargos são de provimento via concurso público. A partir do governo do ex presidente Lula ocorreram inúmeros concursos públicos por exemplo: policia federal, polícia rodoviária federal ,corregedoria geral da união, auditores fiscais, analistas de planejamento e orçamento, professores de universidades federais, INSS e inúmeros outros que é impossível de se lembrar, que tiveram como objetivo melhorar a gestão pública. Não estou defendendo ou acusando ninguém de nada, me parece que esses são os fatos.

 

 

Do Estado, claro. Por que, qual o ponto que não bate ?

 

@DanielQuireza

Re: União voltará a contratar em 2012
 

- A população em geral não sabe o que está acontecendo, e nem mesmo sabe que não sabe (Noam Chomsky)

Não há, no texto, uma linha sequer que registre a ocupação de cargos comissionados (espaço reservado para o aparelhamento, por qualquer governo que se instale no Estado) para os indicados do PT. Entretanto, o questionamento é devido e oportuno, sempre, por todos os cidadãos.

Mas, ao contrário, o texto registra que será feita a troca dos terceirizados (outro nicho reservado aos cupinchas e claques eleitorais de quaisquer governo que se instale no Estado) por servidores do quadro. A troca desses apaniguados é sempre um alento para nós que vimos em um dado governo terceirizante e, também (como qualquer outro governo que se... etc, etc.), aparelhante um desastre do tipo P-36, no qual o alto grau de terceirização deu azo à incompetência.

Abs,

 

Sou uma confusão de ideias em transe total: de dia declaro guerra a quem finge me amar e de noite a paz invade o meu coração... E, com tudo isso, me considero "perfeitamente quase normal"...

Quê isso, você deve está certissimo o PT deveria mesmo é encher a administração de Demo-Tucanos e seus cupinchas pagos pra ficar na internet espalhando e-mails falso sobre a Dilma, postando videos de profecias apocaliticas ou entao montagens grosseiras alegando (sem provas) que Dilma disse que "nem jesus lhe tirava a vitória".

Pois se o PT governa com seus aliados de decadas só pode ser o tal do "aparelhamento", quando os Tucanos arrumam um boquinha pros pernambucanos dirigentes do PPS no governo de SAMPA, não é "aparelhamneto".

 

Afinal o fato da Gestão petista ser melhor que a dá oposição só pode ser um conluio da KGB, afinal o PT deveria contratar os Troll Tucanos de carteira assinada, aqueles que eram gerenciados por Neo-Nazista fichado, como mostrou o Stanley Burburinho.

E a aí já passou no escritório do Paulo Preto pra receber seu vale??? ou não sobrou dinheiro publico pro caixa 2 já que andaram gastando muito com a Bolsa-imprensa??

 

não entendi o que vc escreveu. E o que escrevi, você entendeu? Por acaso vc está falando comigo ou de mim?

abs,

 

Sou uma confusão de ideias em transe total: de dia declaro guerra a quem finge me amar e de noite a paz invade o meu coração... E, com tudo isso, me considero "perfeitamente quase normal"...