Revista GGN

Assine

Veja e a CPI de Cachoeira

Coluna Econômica - 17/04/2012

A tentativa da Veja e do PT de contrapor a julgamento do “mensalão” à CPI de Cachoeira interessa apenas a ambos, não ao conjunto da opinião pública e, principalmente, aos poderes constituídos – Judiciário (incluindo Ministério Público), Legislativo.

O “mensalão” já são cartas dadas. Já houve o impacto político em 2006, as investigações,  um inquérito volumoso que já está no STF (Supremo Tribunal Federal). Provavelmente a maioria dos ministros tem opinião formada e não vai se deixar influenciar pelo noticiário.

Daí o inusitado da capa da revista Veja, insinuando que a CPI de Cachoeira visa jogar cortina de fumaça sobre o “mensalão”.

Na verdade, o que está em jogo é algo suprapartidário e muito mais grave do que denúncias políticas: a parceria entre Veja e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, ao longo dos últimos oito anos.

Na matéria de capa, Veja compara-se ao promotor que propõe ao réu a “delação premiada”. Trata-se de um instituto, previsto em lei, pelo qual o réu tem abrandamento de pena se se dispuser a entregar escalões mais altos da organização criminosa.

No caso de Cachoeira, tal não ocorria. As matérias fornecidas pelo bicheiro serviam para detonar quadrilhas rivais, fortalecendo seu poder. Mais que isso, juntos, Cachoeira e Veja transformaram o senador Demóstenes Torres no político mais influente da oposição. Graças ao prestígio bancado pela revista, Demóstenes conseguia penetrar nos diversos departamentos da administração pública, defendendo pleitos do bicheiro.

A revista sustenta que a parceria com o bicheiro visou levantar denúncias que permitissem limpar o país.

A história não mostra isso.

No caso do grampo sobre a propina dos Correios, houve o claro propósito de beneficiar Cachoeira. O diretor da revista supervisionou pessoalmente o grampo, até julgar que estava eficiente. Depois disso, segurou a notícia por um mês, dando tempo ao esquema Cachoeira fazer o uso que bem quisesse. Publicada a denúncia, conseguiu-se o afastamento do esquema Roberto Jefferson dos Correios, e seu lugar ocupado novamente por esquema ligado ao próprio Cachoeira – que, dois anos depois, foi desbaratado pela Polícia Federal.

No episódio Satiagraha a revista usou os mesmos métodos. Para paralisar as investigações – que levariam inevitavelmente a Daniel Dantas -, a revista soltou uma série de matérias montadas.

Foi assim com a capa “O país do grampo”, \ que juntava um conjunto de informações desconexas, para passar a impressão que a Polícia Federal estaria grampeando meio mundo. Na verdade, a usina de grampos era do próprio Cachoeira.

O mesmo ocorreu com o “grampo sem áudio” – o falso grampo que teria interceptado uma conversa entre o Ministro Gilmar Mendes, do STF, e o senador Demóstenes Torres.

A falta de limites era tal que a revista publicou um dossiê contra o Ministro Edson Vidigal, do Superior Tribunal de Justiça, que havia dado uma sentença contra Dantas.

Era uma armação tão descarada, que a reportagem anunciava uma representação de uma ONG junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), contra Vidigal. A representação baseava-se na própria reportagem da revista – que ainda nem tinha sido publicada.

Sem votos
41 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+41 comentários

Suprapartidários são ambos os assuntos, tanto o mensalão como o tal Cachoeira. Um não pode prejudicar o outro. Mas já sabemos o final disso. P i z z a, entre mortos e feridos salvam-se todos.

 

Dotado de um pragmatismo peculiar associado a um pessimismo, não tenho mtas esperanças nessa CPI. Por mais q alimentemos nossas esperanças, o poder da imprensa é avassalador. E essas "fontes" e "informações privilegiadas" não são utilizadas apenas pela Veja....a união de Globo/Folha/Estadao/Abril já é suficiente p/ abafar qq crise q possa afetar a "classe",
Mas vamos q vamos!!! Existe esperança.......sempre ela.....

 

É o crime da mídia organizada ou mídia organizada do crime ?

Ah...!  Deu a IMPRENSA(ão) da mesma coisa.

 

Falta no relato histórico, o elo Dadá-Protógenes (que embasou a Satiagraha) e Dadá-Pimentel (eleições 2010)....

Quanto a Daniel Dantas, foi o maior beneficiário da lei sancionada por Lula que permitiu (após fechado o negócio) a fusão Oi-Telemar....

 

Fico imaginando, se esses tentáculos do Cachoeira chegarem às privatizações será um Deus nos acuda. Falando nisso, não podemos deixar a discussão da Privataria esfriar, depois dessa CPI do Cachoeira ela saiu de pauta. Alguém tem notícia de como está?

 

Em busca de um Brasil melhor! Fábio Meira

Era uma armação tão descarada, que a reportagem anunciava uma representação de uma ONG junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), contra Vidigal. A representação baseava-se na própria reportagem da revista – que aindaEra uma armação tão descarada, que a reportagem anunciava uma representação de uma ONG junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), contra Vidigal. A representação baseava-se na própria reportagem da revista – que ainda nem tinha sido publicada. nem tinha sido publicada.

Nassif, que ONG é essa?Ela também faz parte do esquema Veja-Cachoeira-Demóstenes?

 

Calada a "boca maldita" do fornecedor de notícias, demóstenes, anteriormente fabricadas pelo cachoeira, só restou à veja passar a editar capas abordando assuntos que dizem respeito ao Santo Sudário, às evanescentes cortinas de fumaça, etc. e tal.

 

Gente, assinem e divulguem a petição pública pela permanência do Protógenes na CPMI do Cachoeira.

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N23400

 

Gostaria de deixar aqui o comentário do Bob Fernandes. É uma pena que ele fale somente na TV Gazeta, se tivesse mais espaço com comentários de boa qualidade ajudaria a mudar o Brasil.

 

<object width="480" height="360"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/cDy32OsfQPk?version=3&amp;hl=pt_BR"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/cDy32OsfQPk?version=3&amp;hl=pt_BR" type="application/x-shockwave-flash" width="480" height="360" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true"></embed></object>

 

Neste final de semana, em BH, trampando...

fui pros botecos da Savassi à noite (sexta e sábado)... Ninguém é de ferro!

É consenso: o PT não quer a CPI do Cachoeira

Na mesa, a moça desferi "uma direita" no meu fígado quando iniciei a defesa:

- Olha, cara, a Dilma tem quase 80% de popularidade. Quem não adora a mulher, pelo menos gosta. Já não a odeia mais. Vc acha que com uma popularidade desta, com o deus Lula por trás, etc etc o PT já não teria emplacado esta CPI??? Não querem e pronto.

Mas pq vc acha que eles não querem, querida? (pergunto eu à publicitária)

- Não querem perder o Agnelo. Querem fuder merecidamente o Perillo, mas querem poupar o Agnelo. Afora isso tem um monte de figurões do PT que amam a Veja, a Globo, a Época.. a Folha. Não querem se indispor com as famílias que comandam estas empresas de comunicação. Cara, não é fácil peitar esta gente. E o PT tinha tudo para fazer, mas não quer.

Mas pq não quer? (pergunto)

- porra, tem medo! Tem interesses... tem um baita jogo de poder por trás disso, Alex. Quer ver esta merda virar vinagre rapidinho? É só a Globo e Abril fazer um acordo com o PT lá na sua cidade pra eleger o Haddad. É tudo que o PT quer. Assumir a Prefeitura de lá. Não seria uma bela troca? Fica tudo como está e o Haddad é o próximo prefeito de São Paulo. É o jogo do poder. Não estou dizendo que vai rolar. Mas se rolar é pra ficar espantado? Não ...

- Alex.. o PT é só um pouco diferente dos outros. Todos partidos querem o poder. Custe o que custar. Vc acha que o PT é diferente? Ele é só melhorzinho ... Eu tenho uma opinião. É muito minha. Ó,  nada me tira da cabeça que o PT está ganhando tempo. Ele está apertando o nó da fôrca bem devagar pra ver se enquanto isso alguém do outro lado pede arrego e chama pro acordo.

Na mesa estávamos em 6 pessoas. Quatro concordaram. Só eu e uma outra amiga não.

Este papo rolou na sexta. Foi um encontro etílico-trabalhista.

No sábado, uma outra rodada só que com três amigos. Quando rolou o papo de política, a mesma coisa: o PT não quer CPI porra nenhuma, disse um deles na lata.

Ah .. interessante o que eu pesquei nas duas rodadas etílicas:

todos acham que Dilma está fazendo um bom governo. Que a muié é porreta!

 

 

Pois aqui em Brasília a conversa que se ouve é outra: Lula considera Agnelo um preço aceitável a se pagar pela cabeça do Perilo e o esquema Veja-Demóstenes. Até porque hoje é consenso no PT do DF que Agnelo não se reelege, se não der um cavalo de pau na gestão, que anda fraquíssima.

 

Primeiramente: FORA TEMER! E pra encerrar: FORA TEMER!

http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2012/04/16/a-veja-acha-que-tod...

A Veja acha que todo mundo é trouxa

“Com a CPI que investiga o contraventor Carlos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres a caminho, a revista Veja lança uma desesperada ofensiva para tentar desviar a atenção dos crimes cometidos por eles no que foi o maior escândalo de corrupção da história brasileira.”

Só troquei os nomes, mas o parágrafo acima é a abertura da reportagem de capa desta semana da publicação da Editora Abril.

Desesperados, em pânico, os responsáveis pela relação promíscua e suspeitosa que se abateu sobre o tal veículo de comunicação tentam criar uma cortina de fumaça para encobrir o que todos os cidadãos esclarecidos já sabem: a Veja agiu como porta-voz da oposição, e para isso se serviu do que há de pior no mundo da corrupção e da arapongagem neste país.

No caudaloso editorial travestido de reportagem, o semanário inverte todos os sinais para bancar a tese de que investigar as maracutaias do DEM e o envolvimento da Veja com esse pessoal barra pesada é um truque do PT para abafar o julgamento do chamado Mensalão, em curso no Supremo Tribunal Federal.

Perdeu a compostura. Primeiro, porque em nenhum momento a “reportagem” deixa claro para o leitor que a Veja está sendo associada a esse esquema, tanto que será convocada, na figura do seu maior expoente, o Sr. Roberto Civita, a prestar esclarecimentos diante da CPI do Cachoeira.

Covardemente, a Veja dá a entender que diversos jornalistas estão sendo chamados a depor. Seria mais uma ofensiva “stalinista” do governo Dilma contra a liberdade de expressão. Balela. Quem está sob grave suspeição é apenas o panfleto semanal da elite branca deste País. Eles que se virem, não venham com essa conversa furada.

Todos queremos que o Mensalão seja julgado de forma rápida e rigorosa. Ladrão é ladrão, independentemente da filiação partidária. Mas que uma nova casa caiu, ah, caiu.

Agora faz sentido todo o espaço que a revista deu para as bravatas do Demóstenes, todas as “informações privilegiadas” a que tiveram acesso. Na verdade, veicularam as teses que interessavam aos bandidos do lado de lá, se é que me entendem.

Porrada em todos. Ponto final. Nem PT, nem Mensalão, nem DEM, nem Cachoeira. Chega de artimanhas e hipocrisia. Quem viver, verá que de bandidos o Brasil está bem servido. Se há mocinhos nessa história, não sou eu quem vai apontar. Basta não sermos tratados como trouxas. Já é um grande avanço.

 

Eu desconfio realmente que exista o áudio entre GM e DT, até porque os dois celulares eram do CC....

 

Assim como a estratégia de focar na Delta tem finalidade de desviar a atenção de Cachoeira/Demóstenes/Policarpo/Veja, a estratégia de criar essa falácia de "revanche do Mensalão" serve também pra desviar o foco do todo.

 

Primeiramente: FORA TEMER! E pra encerrar: FORA TEMER!

gente !!!!oposição e imprensa estão desesperado,agora a tática é sair da arapuca,e o unico enrosco que eles tem é o mensalão,mas que não leva a nada,qto a delta o governo só tem a ganhar sendo uma empresa ligada a oposição,concerteza levaram mais tiro no pé

 

Esta deve ser a capa da Veja da próxima semana:

Re: Veja e a CPI de Cachoeira
 

Remindo Sauim

O texto do Nassif está irretocável, e vai na linha do que o Wagner Pinheiro disse em entrevista hoje. CPI do Cachoeira é uma coisa, mensalão é outra, quem está melando a CPI é justamente quem tenta misturar as coisas.

Se investigarem Cachoeira por todos seus crimes inevitavelmente aparecerá seu elo com a Veja por meio de Demóstenes e Policarpo e daí a casa cairá pra revista também. Agora, se tentarem usar os grampos de Cachoeira e Veja para melar o processo do mensalão no STF, tudo o que vão conseguir é fazer a cortina de fumaça que interessa à revista e ao bicheiro. Pois daí vão falar que estão usando a CPI para atacar a imprensa e pressionar o STF. E se tem uma coisa que ministro do STF não tolera é se sentir pressionado.

O pessoal está enfiando os pés pelas mãos, estão tão exultantes com a possibilidade de desmascarar o mensalão que vão acabar é produzindo uma crise institucional pior que aquela. De resto, não custa lembrar que, mensalão ou não, os atos de Dirceu e cia. não foram nem um pouco republicanos, para dizer o mínimo. A revista Veja já vai se estrepar de qualquer jeito por suas ligações com o mafioso, e como ela todas as empresas que se relacionaram com ele. É uma oportunidade única de denunciar e acabar de uma vez por todas com a promiscuidade das relações entre mídia e empresas visando auferir benefícios políticos. Vale a pena arriscar desperdiçá-la e prejudicar irreparavelmente o governo Dilma e o país só para fazer bagunça e assim ajudar o Dirceu e cia. a evitar seu julgamento?

O pessoal do PT de SP está preocupado única e exclusivamente em se livrar de seus processos na Justiça, enquanto Dilma está preocupada com o país. E vocês, de que lado estão?

 

Ai que preguiça..

Sonhando.......


Quem sabe com essa CPI não teremos uma lei de médios que coloque um pouco de freio e qualidade na nossa mírdia (mistura de mídia com merdia).


 


Quem sabe com uma lei de médios não temos uma programação televisiva um pouquinho, mas só um pouquinho melhor que nunca mais exiba programas como o faustão, panico e lixos que tais.


Nem exiba mais telejornais que não noticiam nada como o JN.

 

Essa CPI tem que sair mesmo, precisa ser levado a PÚBLICO TODA ESSA SUJEIRA DESSA REVISTA COM ESSA GANGUE. Creio que tem muita coisa ainda encoberto, inclusive A PARTICIPAÇÃO DO GILMAR MENDES NESTE CASO.

 

Mas interessa tanto ao PT a tal contraposição? Porque tudo a que o texto se refere leva ao entendimento de que o interesse de Veja é bem maior do que o do PT, que aparece na primeira frase em pé de igualdade com a Veja como parte interessada. Até agora, aliás, as declarações dos petistas que tenho lido não corroboram esta tese supostamente lucrativa de contrapor a CPI de Cachoeira ao mensalão.  Não porque ela não possa trazer ganhos políticos ao PT, mas talvez pela sensatez de que validar a tese do revanchismo, neste momento de instauração da CPI, viria a ser interessante à Veja, confirmando a ideia da "cortina de fumaça". Não parece ser uma opção inteligente ao PT, mesmo se pensada somente do ponto de vista do cálculo político.

Além disso, como bem se acompanha aqui neste blog, há muito além dos interesses petistas a serem levados em conta nesta CPI. Além do agora renegado Demóstenes, há a ligação de Veja com o bicheiro. Num contexto  onde qualquer crítica à imprensa é alardeada como atentado à liberdade da mesma, talvez esta seja a parte da investigação que exigirá mais enfrentamento. A tendência é acusarem qualquer um que aponte que parte imprensa está metida no lodaçal como inimigo de uma imprensa livre. O "quarto poder" quererá posar como aquele que se situa acima de qualquer suspeita.

 

Não é hora de aderir aos argumentos fáceis do antipetismo e do petismo.

 

Oswaldo Alves

Na Folha de hoje fica nítida a estratégia de barrar a CPI do Demóstenes, jogando a responsabilidade nas costas do governo Dilma e do PT. Helio Scwartzman a chama de "anomalia política", Eliane Cantanhede diz que o PT e Lula devem se preocupar com as gravações que o bicheiro supostamente tem, e sugere  que Márcio Thomas Bastos, advogado contratado pelo próprio bicheiro, teria dupla função: defender o réu e impedir que ele saia do controle.

No caderno Poder todas as matérias a respeito do bicheiro falam do envolvimento da Construtora Delta com o Governo Federal, com exceção de uma pequena nota na coluna Painel que diz: "Delta Construções, pivô da CPI do Cachoeira, recebeu em contratos com a Prefeitura de São Paulo de janeiro de 2005 até este mês R$ 329.765.040,66." (nenhuma referência e muito menos surpresa com o fato de que esse valor representa quase 10% do total que a construtura recebeu do GF desde 2003).

O empolado Jânio de Freitas faz um contorcionismo verbal para tocar leve e indiretamente no envolvimento da Veja com o bicheiro, numa auto crítica tímida e confusa.

Mais umas três ou quatro matérias sugerindo sempre que é o PT e o governo que querem melar a CPI, para desembocar num tal Comitê Ficha Limpa do DF que pede o impeachment do governador Agnelo Queiroz (PT) e o "grand finale" com uma entrevista do ministro César "Mãozinha" Peluso sobre a necessidade de julgar o mais breve possível o "mensalão".

Eu não leio outros jornais ou revistas do PIG, nem ouço rádio e noticiário televisivo mas, se a Folha servir de amostra, a ordem unida está funcionando direitinho.

Mensalão precisa ser julgado logo, diz Peluso

Prestes a deixar a presidência do STF, ministro afirma que 'a opinião pública' exige que esse caso seja esclarecido

Peluso reclama da falta de ministros na decisão de questões cruciais, mas afirma que nunca pressionou presidentes

 Sérgio Lima/Folhapress  O presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, concede entrevista em seu gabinete

FELIPE SELIGMAN
DE BRASÍLIA

Prestes a deixar a presidência do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, o ministro Cezar Peluso, 69, diz que o caso do mensalão precisa ser julgado rapidamente por três razões: para não interferir nas eleições, não correr risco de prescrição e porque "a opinião pública pressiona muito".

Ele disse que, se fosse o ministro Ricardo Lewandowski, revisor da ação, "procuraria ser o mais expedito possível para me livrar desse constrangimento".

 

Folha - Na presidência, o sr. teve de lidar com a ausência de ministros. Isso atrapalhou?
Cezar Peluso - De algum modo sim, porque a gente em alguns casos muito sensíveis sempre tinha o temor do eventual empate em uma situação que demandasse outro tipo de solução: um impasse que, se resolve de um jeito é ruim, se resolve de outro é ruim também.

O STF não tem como pressionar a presidente a nomear...
Claro. Fica completamente embaraçado. Jamais fiz qualquer gesto, disse palavra alguma que pudesse significar tentativa de induzir a presidente a apressar a nomeação. Seria uma indelicadeza.

Neste ano, dois ministros deixam o tribunal. O sr. e Ayres Britto. Seria recomendável mais rapidez nas indicações?
Eu acho, como mera opinião, sem que seja uma crítica, que o Supremo ganharia muito se as nomeações fossem mais rápidas. Não apenas o Supremo ganharia, mas a sociedade. Porque o STF vai se defrontar com a mesma situação que eu me defrontei.

Já na presidência do CNJ, o sr. enfrentou uma crise com a corregedora, Eliana Calmon. Como avalia esse episódio?
Acho que, na medida em que aumenta a distância histórica, as coisas vão ficando mais claras, e vai permitindo que a gente tenha um julgamento mais sereno e isento. Tenho consciência de que não concorri em nada para agravar as consequências políticas da crise. Agora, há outros fatos fora do meu controle que acabaram por agravar a crise. Deformaram-se muitos fatos, sem nenhum resultado de caráter prático.

Ficou afetada sua relação com a ministra Eliana Calmon?
Não. Nunca tive intimidade com ela. Continuo não tendo e sempre dediquei a ela, como dedicaria a qualquer outro, o máximo respeito.

Mas o sr. ficou muito incomodado com a expressão "bandidos de toga". O sr. ainda acredita que ela errou?
Foi uma expressão hiperbólica. A generalização sem resposta podia significar assentimento à ideia de que a magistratura toda estava contaminada e passível de certo juízo público de não credibilidade. Era meu dever tomar alguma atitude.

O sr. quer participar do julgamento do mensalão?
Nem gostaria nem desgostaria. Se estiver aqui, participarei, se não, não lamentarei.

Já começou a pensar no voto?
Mais do que pensar.

Pessoas próximas aos réus estão torcendo para que o sr. se aposente antes do julgamento, pois seria um voto pela condenação. Como vê isso?
Ao contrário, acho que minha imagem em questões penais é de um juiz garantista, um juiz liberal. Não sei de onde eles tiraram essa presunção de que sou muito rígido.

O sr. avalia que o julgamento tem que acontecer logo?
Sim. Primeiro, por um motivo político. Estamos em ano eleitoral e não convém que esse julgamento seja próximo das eleições para não interferir no curso da campanha. Também é preciso prevenir o risco de eventual prescrição. Além disso, a opinião pública pressiona muito. É uma demanda de uma boa parcela da sociedade que esse caso seja esclarecido mais rápido.

Então convém ao ministro Lewandowski liberar o voto o mais rápido possível?
Não sei o que convém e o que não convém a ele. Se fosse comigo, procuraria ser o mais expedito possível para me livrar desse constrangimento.

É consenso entre os ministros de que precisa ser logo agora o julgamento?
Sem dúvida. Estão todos de acordo com isso.

 

 

Sanzio,

E eu fico me perguntando: será que eles vão manter a pauta do mensalão até as eleições?

 

essa revista Veja é um caso para a Interpol.

 

Ela é sem limites.

 

Isto que ela pratica é jornalismo democrático?

 

(mas ela e a globo continuam a PAUTAR TODOS os órgão de imprensa brasileiros, inclusive o jornalismo da tv Brasil...)

 

As escutas telefônicas até agora divulgadas permitem concluir o seguinte:

A Veja é o "house organ" da organização criminosa chefiada por Cachoeira.

 

 


Nesta alturas do campionato, só existe uma instituição a ser respeitada pelo povo brasileiro de forma irrestrita, que é a da PF. Os jornalistas, por mais bem intensionados, por mais técnicas de investigação que possam ter, jamais poderiam prever o que Demóstenes estava plantando contra o nosso país; jamais teria matéria para colocar em destaque esse maldito Cachoeira. Tinha que ser a PF, em primeiro plano, para desbaratar essa quadrilha feroz, que, a bem da verdade, vinha, de há muito, formando um governo paralelo, tão bem estruturado que a chance de prosseguir destruindo pessoas e governos poderia não ter fim. Não dá pra imaginar o que seria do Brasil sem a intervenção da PF contra esses bandidos.


Por fim, o que disserem do PT, contra suas ações, assino embaixo. Nunca imaginei que um partido que foi quase execrado pelos mesmos que hoje estão escurraçados da política, não soubesse ao menos falar. Os petistas perderam a voz, e nem estão com câncer de laringe. Estão dando uma prova de muita covardia, ou de muito medo, ou mesmo de muita falta de capacidade política. Primeiramente teve até petista a se declarar a favor de Demóstenes, antes mesmo de conhecerem o canalha que ele é.


Quanto a essa VEJA, a Globo, e o PIG em geral, não adianta a gente aqui debater tantas safadezas, porque lá no congresso os parlamentarem continuam com esses trapos de papeis debaixo dos braços para argumentarem seus discrusos partindo do que está no lixo.


 

 

As declarações do ex casal Suplicy foram de uma infelicidade mortal.

 

"A ordem é mentir até parecer verdade" (Veja ed. 2265) 

A chave para entender a "matéria" de Veja está na própria legenda à fotomontagem com o Rui Falcão e o Marco Maia.

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/eles-querem-apagar-o-mensalao

 

Nassif, ao avalizar o entendimento de que o PT tenta contrapor a CPI de Cachoeira ao julgamento do “mensalão”  você cai na esparrela da grande mídia ao interpretar (conscientemente) de forma errônea a manifestação de Rui Falcão, já passificada aqui no blog, de que a CPI deixará clara a farsa do mensalão.


Como sabemos que você assim não pensa, seu primeiro parágrafo está muito mal escrito. Daí em diante, para o artigo ficar perfeito, só faltava deixar exposta a grande dúvida: qual o crime maior, a manipulação de pólíticos e vebas públicas pelo esquema Cahoeira ou a manipulação de mentes pelo esquema PiG?

 

Falcão foi bem claro em sua fala. O único "equivocado" nessa estória é ele, cuja fala já rendeu muitos frutos na mídia na forma de "ataque dos radicais do PT contra a liberdade de imprensa". De resto, desde o livro Privataria Tucana muita coisa podre envolvendo esse sujeito na campanha de Dilma veio à tona. Não tenho a menor confiança nele, duvido que Dilma ainda tenha alguma e se o restante do PT seguir sua linha acabará muito mal também.

 

Ai que preguiça..

Depois de ver, ler e ouvir todos os roteiros e enredos dessa trama do olimpo tenho chegado à uma  única conclusão possível, fatalista: é um mal sem cura. Dos pés à cabeça, o organismo que rege a sociedade degenera-se por completo, visto a falência ampla, geral e irrestrita de todos os seus órgãos vitais, acessórios e auxiliares.

"Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem sequer um." Sl 53:3

É visível que, de cachoeira em cachoeira, como organismo social estamos nos convertendo em um dilúvio de tantas maldades que, por fim, se esgarçará e ruirá, como por um juízo d'onde virá um novo recomeço após o assentar das águas e a curtição de todos os detritos.

 

 

Nassif , você não estranhou o súbito desinteresse do JN em dar sequência às acusações contra o Agnelo? Eu também. Acho que a explicação para ele pode ser encontrada nesta matéria da RBA

 

As maracutaias do lixo no Distrito Federal estão nas mãos de Gurgel

Por: Helena Sthephanowitz, especial para a Rede Brasil Atual

A velha imprensa não quer a CPI do Cachoeira e direciona o noticiário para serviços de limpeza urbana no governo petista do Distrito Federal com a empreiteira Delta Construções.

Mas o que podemos ver dos diálogos vazados até agora é a Delta tendo conflitos com a gestão de Agnelo Queiroz, que não atende seus interesses, e tenta infiltrar-se nos escalões inferiores do governo, mas não consegue traficar influência sobre aqueles que tomam decisões.

E essa história está mal contada desde a origem. Em 2006, na transição do governo no DF, da tucana Maria Abadia para o DEM de José Roberto Arruda, os contratos do lixo passaram a ser renovados emergencialmente, sem licitação a cada seis meses. Somente em junho de 2010 foi realizada licitação. A Delta Construções, que nunca atendera o DF antes, venceu o maior lote com menor preço. Agnelo só tomou posse em 2011, e é de extrema má fé o noticiário ignorar os seguintes fatos:

- o contrato com a Delta foi licitado no governo anterior ao de Queiroz;

- a Delta venceu com o menor preço, portanto se tratava de contrato em curso a ser cumprido, licitado pelo menor preço, que não se enquadra em prorrogação emergencial;

Mas tem outros ingredientes nesta história, inclusive conversas sobre pagamentos ao senador José Agripino Maia (DEM-RN) e ao deputado Sergio Guerra (PSDB-PE). Quem pode esclarecer esses fatos é o procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Há farto material sobre os contratos de lixo na Operação Caixa de Pandora (mensalão do DEM), mas lá se vão mais de dois anos e o Ministério Público ainda não transformou as investigações da Polícia Federal em processo no Judiciário...

 

 

 

A noticia que vem sendo alardear da pela mídia que o PT e a Presidente Dilma estão querendo não mais

realizar a CPI, é para mim muito grave.

Caso seja realmente verdade, é para todos nós brasileiros sairmos as ruas afim de fazer uma manisfestação contrária.

Sendo no caso uma esquema da mída, o que é bem provável, a direção do PT deve a desmentir

de forma contudente, não só com notas oficias, mas com exclarecimento informado não ser realidade.

Sendo verdade no que se refere aos aliados, o povo brasileiro deverá se manisfestar indo as ruas.

De uma forma ou de outra, nós não podemos nos calar.

 

 

 

 

 

Antonio Lyra Filho

"Diante disso, o blog entrou em contato com o ex-ministro José Dirceu. Ele negou qualquer possibilidade de “operação-abafa” ou que Dilma tenha “medo” da investigação. Pedi a ele uma declaração por escrito, que acaba de chegar por e-mail. Nessa declaração, ele diz que irá se pronunciar oficialmente e afirma que a mídia é que tem medo da CPI."

 

http://www.blogcidadania.com.br/2012/04/jose-dirceu-midia-inventou-a-tal-operacao-abafa-por-medo-da-cpi-2/ 

 

Caro Antônio, este link poderá esclarecer suas incertezas:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/walter-pinheiro-recuar-e-golpe-por-...

 

A noticia que vem sendo alardear da pela mídia que o PT e a Presidente Dilma estão querendo não mais realizar a CPI, é para mim "a verdadeira cortina de fumaça."

 

E ainda tem gente que leva a serio essa porcaria de revista....

 

alexandre toledo

Sabe o que mais me entristece? É que somos uma nação tão grande e rica e sem as liberdades básicas para expressar ou imprimir. Há mais de uma semana a Globo tenta transformar a CPI do Cachoeira na CPI Delta e os brasileiro que desgraçadamente dão audiência à faxão Marinho-Kamel-Civita não estão sequer informados que há um poderoso esquema envolvendo os três poderes da República. Pior, não citam nenhum dos criminosos envovidos na maracutaia. Acreditem, se não houver uma regulamentação da mídia nos moldes do Reino Unido ou EUA o Brasil será governado pelos aiotalás Marinho-Civita-Otávio-Mesquita. É deprimente demais.  Recomendo a todos que orem e peçam a Deus que ilumine a mente de nossos parlamentares para criarem leis que proíbam o crime organizado na mídia brasileira.

Um forte abraço

Manuel Marques  

 

Por mim, os organizadores da CPI deveria se aproximar da Globo e fazer um acordo: a Globo daria apoio à CPI contra a Veja, o que permitiria destruir um dos principais alicerces da máfia político-midiática; e, em troca, não seria diretamente investigada.

Infelizmente é preciso circunscrever a investigação, se quisermos pegar a Veja -- esta sim, envolvida até o pescoço no escândalo Cachoeira.

Na hora em que a Globo der espaço para as denúncias contra a Veja, o restante da mídia vai junto.

 

Foo, pode ir sonhando, pois as Organizações Globo jamais entrarão nesta, porque seria apoiar o governo petista e por fim ao seu (delas Organizações Globo) sonho de ainda ver o Çerra ocupando o Palácio do Planalto.

 

Civita e os irmãos Marinho estão entrelaçados em uma rede com uma única cabeça  que define todas as diretrizes para a Mídia-oposição no Brasil. Não há como separá-los.


Quem é a cabeça? Eu não sei, seguramente não é o Cachoeira, esse é apenas o pistoleiro.

 

Siga o dinheiro, siga o poder.

 

Follow the money, follow the power.