Revista GGN

Assine

Literatura Fundamental: As Cidades Invisíveis - Ítalo Calvino

Sugerido por Luiz Neves

A professora Roberta Barni, do Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da USP, fala sobre a vida e a obra do escritor e intelectual Ítalo Calvino, dando destaque para o livro 'As cidades invisíveis'. Roberta comenta a participação de Ítalo no movimento de resistência ao fascismo da Segunda Guerra Mundial e como esse período influenciou suas obras. Além disso, fala sobre a construção dos diálogos entre o imperador Kublai Khan e Marco Polo no livro As Cidades Invisíveis.

Imagens

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 5 (2 votos)
8 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Valeu! Leitura, artes de um

Valeu! Leitura, artes de um modo em geral..........Tudo isso engrandece e sublima o intelecto humano. Mas..........

Se todas as dicas só sugeridas neste blog em termos de literatura, cinema, músicas etc como fundamentais fossem cumpridas  teríamos que possuir sete vidas, tal qual nossos bichanos.  

 

Seu voto: Nenhum

  Legal! Um pouco de

  Legal! Um pouco de literatura, para variar!

  Dentre os (em geral ótimos) livros do Ítalo Calvino, alguns poderiam até mesmo ser sugeridos para leitura em sala de aula: são divertidos, são boa literatura e ainda tocam em temas históricos, caso do "cavaleiro partido ao meio". Sei que existe resistência a sugerir literatura estrangeira mais recente em escolas, mas acredito que incutir o gosto pela leitura nos alunos é mais importante que exigir que se leia um, por exemplo, "Amor de Perdição", obra chatíssima para a esmagadora maioria dos adolescentes e que entra no programa apenas para representar um ciclo literário.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Indicações de leitura - Ítalo Calvino

Oi, André!

Muito pertinente seu comentário. A Literatura precisa ser encarada como cultura universal independente da origem de quem escreveu a obra.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

  Oi, Luiz!   Muitas vezes

  Oi, Luiz!

  Muitas vezes quando se fala em literatura penso em quem não tem o hábito da leitura. Em seguida, penso que no meu caso esse prazer quase foi destruído pela matéria de Português-Literatura na escola, e não por culpa das professoras, mas dos livros... comecei bem novo lendo gibi, daí em diante nunca mais me separei das letras, para minha alegria.

  E isso não precisa parar nos livros. Tem gente muito mais capacitada que eu para falar a respeito, mas às vezes penso que show de aula daria para dar, numa visão multidisciplinar, com uma história em quadrinhos como "V de Vingança". Dá pra falar de democracia, fascismo, arte moderna, etc.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O único porém do livro é que

O único porém do livro é que a tradução é de Diogo Mainardi. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Vera Lucia Venturini

Mas, a tradução é boa? Se

Mas, a tradução é boa? Se for, a gente releva. Pode ser, não estou afirmado, que ele seja mais honesto traduzindo que existindo.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Régis Paiva

Cidades Invisíveis - Tradução de Diogo Mainardi

Oi, Vera Lucia

Esse porém,  faz com que acreditemos, que lá no mais profundo íntimo de qualquer pessoa, há sempre algo grandioso e positivo.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

É um caso que corrobora o ditado italiano

"Traduttore, traitore!".

Não por causa da tradução, no caso de Mainardi...

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Gilberto .    @Gil17

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.