Revista GGN

Assine

Avoa - um pouco de poesia pra enfrentar a adversidade, por Matê da Luz

Avoa - um pouco de poesia pra enfrentar a adversidade

por Matê da Luz

o aviso no pé do peito

é alento, é atento: sai

porque (se) ainda não é a alma
a calma, a brisa,
a brasa
anunciada e já tão pedida
a ponta e o corpo firmes
maleável tempo de pensamento meu

sai

ou fecha os olhos e entrega a arma
o elmo, a lança do teu bem querer
renda os braços e faz fazenda, 
enlaço, laço, nós

traço o passo e aperto o peito
no compasso manso
descanso
aceito, deito, deixo
leito

vem
que esse lugar naonde alguns pintaram
bordado apeia pranto, ai, meu bem, enquanto
- e só por enquanto - 
não é teu manto de amor sem fim.

 

Sem votos
2 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Saudades do mensageiro

Havia um mensageiro 

Um mago talvez

Um sorriso voando numa bicicleta 

As pequenas janelas e portas se abriam

Pois daquele bornal

jamais saiu notícia ruim

Havia  juras singelas de amor,

Mas também explodiam em mensagens aqueles momentos

Tórridos  profundos

Que só quem escreveu compartilhou com quem leu

Sempre de amor, sempre de amor

Havia um mensageiro

Um mago talvez

Pois naquele bornal

As palavras se moviam se mexiam

e se tornavam poesia. 

E jamais saiu notícia ruim, apenas a vida.

E todos o esperavam

Aquele sorriso, 

E aquelas poesias mesmo sem rima,

Mesmo que apenas uma notícia

Mas jamais houve uma notícia ruim

Mesmos os que se iam 

Mandavam notícias apenas dizendo simplesmente que  se foram.

E por onde ia tudo florescia 

Havia um mensageiro.

 

Seu voto: Nenhum

Mantendo o clima

Seguindo nessa toada

Seu voto: Nenhum

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.