Revista GGN

Assine

Blog de Laura Macedo

Nelson Gonçalves - O Último Boêmio

Há 17 anos (18/04/1998), partia o cantor Nelson Gonçalves, 78 anos, vítima de uma fulminante parada cardíaca, enquanto conversava com a filha Margareth na casa dela na Gávea, onde esteve hospedado nos últimos seis meses de vida.

Não houve tempo sequer para o recebimento de atendimento médico.Nelson estava se submetendo a uma série de exames de praxe nos últimos tempos, não sofrendo de qualquer doença mais grave.

Entre os sucessos do cantor figuram: "A Volta do Boêmio" (Adelino Moreira), "Folha Morta" (Ary Barroso) e "Deusa do Asfalto" (Adelino Moreira).

Fonte: JBlog - Hoje na História

Imagens

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Nelson Freire homenageia o Bi-Centenário de Franz Liszt

Nelson Freire mostra sua enorme intimidade com o compositor na escolha inteligente do repertório de CD que celebra os 200 anos do músico húngaro Franz Liszt.

Um novo CD de Nelson Freire chega às lojas - e sites de downloads - do Brasil e do mundo na segunda-feira. Contratado exclusivo da Decca, o pianista brasileiro obedece, nesse caso com imenso entusiasmo, ao marketing das efemérides. No ano Liszt - comemoram-se em 2011 os 200 anos de seu nascimento -, pululam gravações das obras mais conhecidas, como as Rapsódias Húngaras 2, 4, 6, 12 e 15, o Sonho de Amor.

Como há décadas Nelson curte enorme intimidade com Liszt, foi rara sua inteligência na escolha do repertório. Seu oitavo CD para a Decca foi gravado entre 26 e 31 de janeiro em Hamburgo, na Alemanha, com cinco peças curtas, duas mais alentadas e o ciclo Consolations. Nelson está mais afiado do que nunca. Personalíssimo, imprime rubatos que encantam, uma fluência já lendária e a incrível capacidade de estabelecer refinadas gradações de dinâmica e expressividade no toque. Leia mais »

Imagens

Sem votos

"Os Cariocas", em Teresina

O show realizado pelo grupo “Os Cariocas”, ontem, 04 de abril/2001, dentro do projeto Artes de Março, encantou a todos. A emoção rolou solta...

1- “Rio que corre” (João Donato / Lysias Enio / Beth Carvalho)

2- “Quero você” (Newton Mendonça)

3- “Futuros amantes” (Chico Buarque)

 

Imagens

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

Sem votos

Tamba Trio

Há exatos 75 anos (03/04/1936) nascia Luiz Eça. Lamentável que tenha partido tão cedo.

Em 1962 formou um dos "Trios" mais charmosos e sonoros da época - Tamba Trio -, com os músicos Bebeto Castilho e Hélcio Milito.

 

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Os Meninos do FENAVIPI

Caio Leon (12 anos) e Leonardo Di Caprio (11) têm histórias distintas e uma paixão comum: o violão.

Caio, filho de professores, estuda numa das escolas mais conceituadas de Teresina; Leonardo, filho de operários, estuda na Escola Extremo, num dos bairros mais pobres da capital. No palco, não se percebe diferença alguma na história de vida dos dois: comportam-se como compenetrados instrumentistas e sonham alto: o primeiro quer cursar música e tornar-se um violonista de sucesso; o segundo pretende ser um concertista famoso para “ajudar” a mãe. Leia mais »

Imagens

Média: 5 (1 voto)

O Retorno da Luluzinha

Pouco mais de 15 anos depois de ter deixado as bancas, Luluzinha está de volta.

A menina criada por Marjorie Henderson Buell, ou Marge, em 1935, retorna aos gibis neste mês (abril) pela Ediouro.

A editora comprou os direitos de publicação após o fim do contrato da Dark Horse/Classic Media com a Devir, responsável pelo lançamento de oito livros dedicados à turma entre 2004 e 2010, em preto e branco.

Agora, as histórias, marcadas pela rivalidade entre meninas e meninos e a décadas de distância de skate ou videogame, vão reestrear em cores, como revistinha. Leia mais »

Imagens

Sem votos

O Casamento de Carlos Drummond com a Companhia das Letras

A editora Companhia das Letras anunciou nesta terça-feira a aquisição dos direitos de publicação da obra completa de Carlos Drummond de Andrade. Hoje editados pela Record, os livros do maior poeta brasileiro passam em 2012 ao catálogo da empresa paulista.

Nenhuma das partes revelou os números envolvidos na transferência, que aconteceu por iniciativa dos herdeiros. Responsável pela negociação, a agente literária Lucia Riff diz apenas que se trata de uma mudança sem brigas, cuja principal motivação é a busca por "um novo perfil editorial".

- É uma transição tranquila, cheia de agradecimento pela Record.

Procurada, a Record preferiu não se manifestar. Neto do poeta, Pedro Drummond diz que a editora "entendeu a escolha", e que a mudança será importante por permitir, entre outras coisas, um novo trabalho de estabelecimento de texto dos livros de seu avô: Leia mais »

Imagens

Sem votos

Os Novos Heterônimos de Fernado Pessoa

Com apenas 3 anos, Fernando Pessoa já juntava letras que via em jornais e revistas. Aos 4, escrevia frases inteiras. Ainda bastante jovem lia um livro por dia. Aos 18, prometia dobrar essa quantidade: "um de poesia ou literatura, outro de ciências ou filosofia". Foi um escriba compulsivo e ao longo de sua vida - entre 1888 e 1935 - encheu aproximadamente 30 mil papéis, o equivalente a 60 livros de cerca de 500 páginas. Diluiu o excesso de verbo em uma multidão de "autores" e chegou a usar 202 nomes diferentes, sendo 127 heterônimos, embora se acreditasse até agora que esses somavam "apenas" 72, sendo Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis os mais conhecidos.

  Leia mais »

Imagens

Sem votos

VII FENAVIPI - Festival Nacional de Violão do Paiuí

Criado em 2004, o Festival Nacional de Violão do Piauí (FENAVIPI) chega à sua 7ª edição com o patrocínio da Petrobras e com a participação dos grandes nomes do violão contemporâneo. Entre os convidados, figuram: Fábio Zanon, Yamandu Costa, Marco Pereira, Ulisses Rocha, Mário Ulloa e o Argentino Victor Valladangos, entre outros.

Informações complementares no Blog do FENAVIPI

Imagens

Sem votos

VII FENAVIPI - Festival Nacional de Violão do Piauí

Imagens

Sem votos

Suposta fotografia de Chopin é descoberta na Polônia

Especialistas em Chopin estão tentando determinar se uma foto tipo daguerreótipo encontrada na Polônia é mesmo do compositor do século 19. Se for autêntica, a imagem pode ser a terceira foto conhecida de Frederic Chopin, que viveu de 1810 a 1849.

Wladyslaw Zuchowski, fotógrafo e dono de uma galeria em Gdansk, disse nesta quinta-feira que ele comprou o daguerreótipo, primeiro tipo de fotografia, de um vendedor privado na Escócia.

O porta-retrato dourado onde está a foto tem escrito a data 1849, ano em que Chopin morreu, em Paris, e o selo de Luis Auguste Bisson, fotógrafo francês que tirou outra foto de Chopin. Alicja Knast, curadora do Museu Chopin de Warsaw, disse que ela não poderia dizer de imediato se a foto era verdadeira porque ela não a tinha visto.

Como toda espera é chata vamos amenizá-la ouvindo Chopin, que tal?

Maurizio Pollini Plays Chopin Nocturne no.08 op.27 no. 2 Leia mais »

Imagens

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 1 (1 voto)

Recital de Fábio Zanon

Fábio Zanon é um dos principais violonistas eruditos em atividade no mundo. É professor visitante na Royal Academy of Music de Londres e participa, ministrando “Masterclass”, em festivais de violão no Brasil e no exterior.

 O Piauí sente orgulho por sua participação em várias edições do FENAVIPI (Festival Nacional de Violão do Piauí).

Em 2010 foi o vencedor do Prêmio BRAVO! Bradesco Prime, na categoria música erudita.

No próximo dia 18 de fevereiro de 2011 ele fará um recital em Sampa com peças de compositores latino-americanos, entre eles Heitor Villa-Lobos, Marco Pereira, Agustín Barrios e Eduardo Caba. Leia mais »

Imagens

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Carlos Reichenbach e o LP de Russ Garcia

Na seção Arquivo Aberto desta semana, a Ilustríssima apresenta a memória do cineasta Carlos Reichenbach, que conta uma história dos anos 60 ligada ao LP "Fantástica", de Russ Garcia.

ARQUIVO ABERTO

MEMÓRIAS QUE VIRAM HISTÓRIAS

Garcia quase tomou minha casa

1960 e poucos, São Paulo

CARLOS REICHENBACH

 

Não me cobrem a precisão de datas, porque as armadilhas da memória e a distância do tempo já contribuíram para as fantasias dos sentimentos. O certo é que aconteceu em meados dos anos 60. Não sei se já havia iniciado o curso de cinema, mas já nutria interesse obsessivo por um estilo bem específico de música, o "space age pop". Leia mais »

Imagens

Sem votos

A Arte Plural de Luiz Peixoto

 

O bom artista sobrevive ao tempo. Um bom exemplo é Luiz Peixoto que atuou de forma plural nas artes brasileira como Compositor, Teatrólogo, Poeta, Pintor, Caricaturista e Escultor. Se vivo estaria completando 122 anos.

Foi parceiro de Ary Barroso, Marques Porto, Almirante, Vicente Paiva, Hekel Tavares, Noel Rosa, Radamés Gnattali e tantos outros.

Suas composições continuam a encantar as gerações de ontem e de hoje, confirmando a tese da perenidade do bom artista na linha do tempo.

1- "Na batucada da vida" (Luiz Peixoto-Ary Barroso), com Dircinha Batista. Odeon, 1950.

2- "Azulão" (Luiz Peixoto- Hekel Tavares), com Paraguassú. Columbia, 1930.

3- "Súplica de amor" (Luiz Peixoto-Radamés Gnattali), com Nuno Roland. Copacabana, 1938.

 

 

 

Imagens

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

You are missing some Flash content that should appear here! Perhaps your browser cannot display it, or maybe it did not initialize correctly.

Sem votos

Discos Projeto Almirante

Comunicador e artista polivalente, Almirante dedicou muito de sua criatividade à divulgação da música popular brasileira da primeira metade do século XX. O projeto que levava seu nome tentava seguir seus passos nesta missão a partir da produção e do lançamento de 20 discos dedicados a compositores e intérpretes que mereciam mais espaço.

 Eis a relação dos 20 discos. Confiram todos eles no Portal da FUNARTE “Brasil Memória das Artes”, que já divulgamos anteriormente. Leia mais »

Imagens

Sem votos

Chega de Saudade do nosso querido Tom Jobim

Nesta tarde de céu escuro e chuva fina (coisa rara em Teresina) a saudade dói mais ainda...

 

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

A Escrivaninha de Noel Rosa

Transcrevo, com algumas adaptações e suprimindo alguns parágrafos, o texto de Carlos Didier publicado no Jornal da Tarde, Caderno de Sábado, 03/05/1997, cujo título preservo na íntegra.

Noel Rosa, compositor popular carioca, faleceu há sete décadas, em 4 de maio de 1937, aos vinte seis anos de idade. Boêmio, rascunhou versos em mesas de botequins, cabarés e onde pintasse a inspiração. Inúmeras são as testemunhas. O que poucos presenciaram foram suas horas de concentração e recolhimento, quando burilava jatos anotados de madrugada até chegarem a forma definitiva. Isso acontecia no silêncio de sua casa, em Vila Isabel, debruçado sobre a escrivaninha, na sala de jantar, bem ao lado do quarto onde nasceu e morreu. Leia mais »

Imagens

Sem votos

Nelson Freire será homenageado na França

O pianista brasileiro Nelson Freire será agraciado, na França, com a condecoração de “Cavaleiro da Legião da Honra na França”.

A homenagem se refere ao conjunto da obra do pianista e é realizada por decreto presidencial que foi assinado em 31 de Dezembro de 2010.

Para conquistar o agraciamento o artista tem que comprovar duas décadas de atividade classificada como “mérito excepcional” dentre as mais variadas existentes. (Fonte: The Music Journal Brazil).

O povo brasileiro aplaude orgulhoso o talento de Nelson Freire.

1- Nelson Freire e Orquestra Filarmônica Brasileira, em comemoração ao Ano Chopin no Brasil. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Inimigos do Batente

O grupo “Inimigos do Batente” completa 10 anos de existência movimentando o mundo do samba paulista.

Surgido das mesas de bares paulistanos no final dos anos 1990, o Inimigos do Batente tem a informalidade, o improviso, a veneração pelas coisas do samba e a alegria de celebrá-lo em cada roda como características mais marcantes.

 Há dez anos ininterruptamente à frente de uma roda de samba semanal, o grupo recebeu a visita de importantes nomes do samba brasileiro como  Germano Mathias, Jair do Cavaquinho, Wilson Moreira, Monarco, Beth Carvalho, Nei Lopes, Jorge Simas, Tia Surica, Toniquinho Batuqueiro, Moacyr Luz, Dorina, Wanderley Monteiro, Dona Inah, Fabiana Cozza, Bandeira Brasil, Diogo Nogueira, Noca da Portela, Tantinho, Gisa Nogueira, Osvaldinho da Cuíca, Carlão do Peruche, Delcio Carvalho, Luiz Grande, entre tantos outros.  Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Cacaso, 23 anos de saudades...

Anjo marginal, poeta, ensaísta e compositor de música popular, Cacaso (1944-1987) faleceu ha exatos 23 anos (27/12/1987), deixando saudades...

 No ano passado sua trajetória foi comemorada no CCBB do Rio, em espetáculos com curadoria da cantora Rosa Emília, viúva e intérprete de Cacaso.

No palco, o repertório do poeta e parceiro de grandes nomes da MPB, como Tom Jobim, Edu Lobo, Toquinho e João Bosco, ganhou vida na voz de Geraldo Carneiro, Zé Renato, Nelson ângelo,Chico Alvim, Olívia Byington, Ulisses Tavares, Carlito Azevedo e Sueli Costa.

 1- “Dentro de mim mora um anjo” , de Cacaso e Sueli Costa, com Rosa Emília.

2- “Face a face”, de Cacaso e Sueli Costa, com Simone.

3- “Lero lero”, de Cacaso e Edu Lobo, com Edu Lobo.

 

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Diego Figueiredo e as lágrimas de George Benson

Nascido em Franca (SP), em 1980, Diego Figueiredo estudou violão erudito, jazz e música popular, em conservatórios de Franca, Ribeirão Preto e Tatuí.

Quem o conhece apenas pelos seus primeiros trabalhos pode ter ficado com a errônea impressão de que ele é apenas um excelente guitarrista, mas Diego é também produtor, arranjador e multiinstrumentista, dominando com competência a arte de tocar guitarra, violão, cavaquinho, viola, bandolim e contra-baixo. Além do trabalho como instrumentista ele lançou o livro "Novos Padrões" (New Patterns), cujo foco é a improvisação, pela Editora Irmãos Vitale.

Seu talento começou a despontar quando exibiu-se em importantes festivais pela América Latina, a partir de 1999.

Já apresentou-se em vários países, como Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Suécia, Bolívia, Dinamarca, Espanha, Argentina, Portugal e Suiça. Na Bolívia foi convidado pelo governo de La Paz para a realização de um show em homenagem a Tom Jobim, intitulado "Jobim de los Andes", e para gravação de um CD/DVD. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Biblioteca online de Fernando Pessoa

Toda as obras que integram a Biblioteca Particular de Fernando Pessoa estão disponíveis, na íntegra, permitindo o acesso online gratuito a este importante legado de um dos ícones maiores da Cultura Portuguesa.

O espólio inclui 1.142 livros que pertenceram a Fernando Pessoa, mas também manuscritos, ensaios e poemas, anotados pelo próprio nas páginas dos livros.

 A Biblioteca Digital pode ser acessada a partir do site Casa Fernando Pessoa. Mãos à obra. Leia mais »

Imagens

Sem votos

Música de Chico Buarque inspira cineasta

A música "Olhos nos olhos", de Chico Buarque, inspirou o novo longa-metragem do cineasta cearense Karim Aïnouz, que começou a ser rodado no Rio de Janeiro.

"Pensei em filmar em São Paulo. Mas 'Olhos no olhos' é Chico, né? E Chico tem o perfume do Rio". (O Globo / edição de 31/08/10).

Olhos nos olhos de Chico Buarque é mesmo um baita colírio...

"Olhos nos olhos" - música e interpretação de Chico Buarque.

 

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Dom Um Romão - 85 Anos

O baterista, percussionista e compositor Dom Um Romão, se vivo, estaria hoje (3 de agosto de 2010), completando 85 anos de idade.

Entre as inúmeras façanhas, acompanhou Elizeth Cardodo na histórica gravação do LP "Canção do Amor Demais" (1958)e do LP "Francis Albert Sinatra & Antônio Carlos Jobim", de Frank Sinatra e Tom Jobim (1967).

No video abaixo ele conta com o "auxílio luxuoso" da cantora Ithamara Koorax e cita os grandes nomes da música brasileira e internacional.

 

 

 

 

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Edu Lobo e Ithamara Koorax

"Canção do Amanhecer", de Edu Lobo e Vinicius de Moraes.

A crítica considera "Canção do Amanhecer" uma das composições mais poéticas e originais de Edu Lobo, casando-se de maneira perfeita com os versos de Vinicius .

"A Mulher de cada Porto", de Edu Lobo e Chico Buarque.

Ambas interpretadas pelo voz de cristal de Ithamara Koorax.

 

 

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

O Piano e a Voz de Ary Barroso

Ary Barroso (1903-1964) encontrou no esporte e na música a base para a sua plena realização artística. Inovou como locutor esportivo e compositor. Foi um intransigente divulgador dos nossos ritmos, e na batida do Samba criou obras memoráveis.

Suas primeiras composições foram feitas para revistas musicais, seu trampolim para a fama.

Estabeleceu parcerias musicais com grandes compositores de sua época, entre os quais os mais assíduos foram Luiz Peixoto, Lamartine Babo e Alcir Pires Vermelho.

Vocês estão com saudades de ouvir Ary Barroso falando, cantando e tocando seu piano? Se positivo, acessem o playing das faixas selecionadas abaixo, e... matem as saudades do velho Ary Barroso.

As músicas constam do CD duplo “Ary Barroso – 100 Anos”.

 

“Trapo de Gente”

  Leia mais »

Sem votos