Revista GGN

Assine

Blog de Laura Macedo

Afrobrasilidades em 78 rpm

Nos dias 8 e 9 de fevereiro de 2014, o novo espetáculo especial do projeto Goma-Laca, recebe no SESC Vila Mariana o maestro Letieres Leite, da Orkestra Rumpilezz, e os cantores Lucas Santtana, Juçara Marçal, Karina Buhr e Russo Passapusso em espetáculo especial com recriações de músicas de raiz afrobrasileira gravadas originalmente em discos de 78 rotações, feitos de cera de carnaúba e goma-laca, entre os anos 1920 e 1950.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Francisco Alves cantando/dançando - "Silenciar a Mangueira, não!"

Neste delicioso vídeo o cantor/compositor Francisco Alves canta "Mangueira, não!" (popularmente batizada de “Silenciar a Mangueira, não”), composição de Herivelto Martins e Grande Otelo, em cenas do filme "Berlim na Batucada", 1944. Nas imagens, junto com Francisco Alves, aparecem Procópio Ferreira, Manoel Rocha, Chocolate (Dorival Silva), Delorges Caminha e Pery Ribeiro (criança).  Áudio excerto de "Ponteio" (Edu Lobo e Capinan). Acervo: Rádio Educativa Mensagem (REM) (radiosantos).

Sem votos

80 anos sem Ernesto Nazareth

Ernesto Nazareth (1863-1934) deixou uma obra que, felizmente, transcende gerações. Vamos homenageá-lo com as músicas: “Odeon”, “Brejeiro” e “Apanhei-te cavaquinho”.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Centenário de Hervé Cordovil

Hoje, 3 de fevereiro de 2014, convido a todos para comemorarmos o Centenário de nascimento do pianista, regente e compositor de grande versatilidade, Hervé Cordovil, que compôs canções em vários estilos durante mais de cinco décadas de carreira. Post completo aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

O desabafo de Carmen Miranda - "Disseram que eu voltei americanizada"

Carmen Miranda, já famosa nos Estados Unidos, retornou ao Brasil em 1940 e foi recebida com frieza, no Cassino da Urca, acusada de ter se afastado de suas origens. Um dos sambas que gravou nessa época foi uma espécie de desabafo - “Disseram que eu voltei americanizada”, de Vicente Paiva e Luiz Peixoto. É o escritor/jornalista João Máximo que relata o ocorrido. Post completo aqui.

Disseram que eu votei americanizada” (Vicente Paiva/Luiz Peixoto) # Carmen Miranda. Disco Odeon (11913B), 1940.

Sem votos

Lina Pesce e o seu "Bem-te-vi atrevido"

A paulista Lina Pesce, filha do maestro italiano Giacomo Pesce, ficou conhecida em 1942, quando o seu choro "Bem-te-vi atrevido", então famoso no Brasil, foi incluído na trilha sonora de um filme de Hollywood, "Dupla Ilusão" ("Twice Blessed", no título original). Post completo aqui.

“Lero lero” (Benedito Lacerda/Eratósteres Frazão) e “Bem-te-vi atrevido” (Lina Pesce) # Ethel Smith. (Cenas do filme mencionado).

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Os Aniversários de São Paulo e Tom Jobim

Por Laura Macedo

A cidade de São Paulo completa hoje, 25 de janeiro de 2014, 460 anos e Tom Jobim, se vivo, estaria completando 87 anos. E a homenagem vem com a música “São Paulo”, do nosso eterno Maestro Soberano.

Parabéns São Paulo!

Parabéns Tom Jobim!

 

Média: 5 (1 voto)

Elisa Coelho interpreta "No rancho fundo", de Lamartine e Ary Barroso

do blog de Laura Macedo, no GGN

“No rancho fundo”, um clássico da música brasileira, nasceu como “Este mulato vai ser meu” (com o subtítulo “Na grota funda”) e tinha versos do caricaturista J. Carlos para a melodia de Ary Barroso. Ao ouvir a canção na estreia da Revista “É do balacobaco”, em 1931, Lamartine Babo decidiu sugerir a Ary uma nova letra, como conta o escritor e jornalista João Máximo. Post completo aqui.

“No rancho fundo” (Ary Barroso/Lamartine Babo) # Elisa Coelho. Disco RCA Victor (33444A), 1931.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Dia de São Sebastião

Enviado por Laura Macedo

A cidade do Rio de Janeiro comemora hoje, 20 de janeiro, a festa do seu padroeiro - São Sebastião. Das canções que abordam a relação do santo com a cidade escolhi a composta por Nássara e Wilson Batista.

“Cidade de São Sebastião” (Nássara/Wilson Batista) # Francisco Alves e Orquestra Fon-Fon. Disco Odeon (12028A), 1941.

Média: 5 (2 votos)

Nara Leão e Elis Regina - Musas eternas

A data de hoje, 19 de janeiro, está associada a duas grandes intérpretes da nossa Música Popular Brasileira: Nara Leão (19/1/1942 - 7/6/1989) e Elis Regina (17/3/1945 - 19/1/1982). A eterna Musa da Bossa Nova completaria 69 anos de vida e a Pimentinha partiu há exatos 32 anos. Ambas deixaram um grande legado à Música Brasileira.

“Com açúcar, com afeto” (Chico Buarque) # Nara Leão e Chico Buarque.

“Arrastão” (Edu Lobo/Vinicius de Moraes) # Elis Regina.

Média: 5 (4 votos)

Noel Rosa e a musa inspiradora de "Três apitos"

A história de uma das mais famosas composições de Noel Rosa é contada por um dos seus biógrafos, o jornalista e escritor João Máximo.

Post completo aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Centenário de Déo - "O Ditador de Sucessos"

O cantor Déo (10/1/1914 - 23/9/1971) estaria completando 100 anos. Como tudo que gravava virava sucesso ficou conhecido como o “Ditador de Sucessos”.

Era um dos cantores preferidos de Ary Barroso. O auge da sua carreira foi no ano de 1943, quando gravou "Pra machucar meu coração”, de Ary Barroso. Confira o post completo no Portal Luis Nassif.

“Pra machucar meu coração” (Ary Barroso) # Déo. Disco Columbia (55.445A), 1943.

Média: 5 (1 voto)

Ary Barroso: Brasil Brasileiro

Laura Macedo
com informações da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo

Uma excelente notícia para os fãs de Ary Barroso é o lançamento da caixa - “Ary Barroso - Brasil Brasileiro” -, fruto do árduo trabalho, que teve a duração de 12 anos, do pesquisador Omar Jubran (foto abaixo), o mesmo que lançou a caixa “Noel pela primeira vez”.

A concretização deste trabalho de fôlego só foi possível graças ao apoio do Museu da Imagem e do Som (MIS/SP) e da Secretaria de Estado da Cultura. Ao todo são 316 fonogramas originais, totalizando 20 CDs acompanhados das letras, ano de gravação, gravadoras, curiosidades sobre o homenageado e um baita time intérpretes, como Carmen Miranda, Aracy de Almeida, Linda Batista, Sílvio Caldas, Mário Reis, Orlando Silva, Aracy Cortes, entre outros.

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

O Ano Novo em Cenas de Cinema

Por Laura Macedo

Aurora Miranda (intérprete) e os compositores Zeca Ivo e Custódio Mesquita Garimpando no YouTube encontrei um vídeo super interessante com a música "Ano Novo" (Custódio Mesquita/Zeca Ivo), interpretada por Aurora Miranda.
Leia mais »

Imagens

Média: 5 (1 voto)

Aloysio de Oliveira e a antológica parceria com Tom Jobim

Aloysio de Oliveira (30/12/1914 - 20/2/1995) fundou o conjunto Bando da Lua, em 1931, que acompanhou a cantora Carmen Miranda. Sempre trabalhou para fazer a nossa música - o Samba, particularmente - ser aceita nos Estados Unidos. Produziu discos históricos no advento e no desenvolvimento da Bossa Nova. Criou a selo “Elenco”, um marco de excelência e qualidade.

Presto homenagem a este talentoso artista com suas músicas em parceria com Tom Jobim.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Maurício Tapajós e Cacaso

Maurício Tapajós (compositor, cantor, instrumentista, produtor musical) e Cacaso (poeta, letrista, escritor, ensaísta) dispensam comentários.

O que eles têm em comum além das afinidades artísticas?

Resposta: a data 27 de março. Nascimento e morte. Maurício nasceu (1943) e Cacaso morreu (1987) nessa data.

Para lembrar/homenagear os dois talentosos artistas:

- “Tô voltando” (Maurício Tapajós/Paulo César Pinheiro) # Simone e Zélia Ducan.

- “Dentro de mim mora um anjo” (Cacaso/Sueli Costa) # Rosa Emília.

- “Carro de boi” (Maurício Tapajós/Cacaso) # Os Cariocas.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Valzinho e sua importância à Moderna Música Brasileira

Confesso que a primeira vez que ouvi falar sobre o compositor e músico - Valzinho (Norival Carlos Teixeira) -, foi através do multifacetado Hermínio Bello de Carvalho. Seu verbete no Dicionário Cravo Albin, apesar de pequeno, revela sua importância na história da MPB.

O nome de Valzinho está associado a grandes ícones do universo musical brasileiro, como Pixinguinha, Radamés Gnattali, Dante Santoro, Garoto, Zé Menezes e, mais recentemente, Paulinho da Viola, Jards Macalé e a jovem cantora Antônia Adnet que lançará um CD em homenagem ao grande Valzinho.

Em 2014, ano do seu centenário de nascimento, desejo que este talento artista seja festejado a altura da sua obra.

- “Tudo foi surpresa” (Valzinho/Peterpan) # Valzinho (Registro realizado durante uma reunião na residência do Hermínio Bello de Carvalho, em 19/08/1970).

- “Óculos escuros” (Valzinho/Orestes Brabosa) # Zezé Gonzaga e Quinteto Radamés Gnattali, 1979. (Disco só com composições de Valzinho). Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Zé (nem tão) Carioca, eis José do Patrocínio Oliveira

por Laura Macedo 

O paulista e multiinstrumentista (violão/cavaquinho/banjo) José do Patrocínio Oliveira, o Zezinho (Zé Carioca) tocou com grandes nomes como Pixinguinha, Nélson Souto e Garoto.

Em 1941, o músico assinou um contrato com a 20th Century Fox para atuar em filmes com Carmen Miranda e o Bando da Lua. Foi lá que conheceu Walt Disney e acabou por emprestar não só o jeito descolado, mas também sua voz ao papagaio.

No auge do sucesso de Carmen Miranda, Zé Carioca emplacou outros dois filmes em Hollywood: “Três Cavalheiros” (1945), conhecido por aqui como “Você já foi à Bahia?” - em que dança ao lado de Aurora Miranda, irmã de Carmen - e “Cante com a Disney” (1948).

Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Edith Piaf: um rouxinol que faria 98 anos

Com uma das minhas músicas preferidas composta por Edith Piaf - "La Vie En Rose" (c/ Louiguy) registro aqui minha homenagem  a esta talentosa artista que estaria completando 98 anos, hoje, 19 de dezembro de 2013. E você? Quais as suas preferidas? Leia mais »

Sem votos

O carioca Dunga e suas antológicas composições

Dunga - Valdemar de Abreu
* 16/12/1907 - Rio de Janeiro (RJ)
+ 5/10/1991 - Rio de Janeiro (RJ)

Como é vasto o nosso universo musical! Trago, hoje, um compositor que vocês, certamente, já ouviram muito suas músicas, mas talvez não se lembrem dele.

Trata-se do carioca Dunga que compôs com grandes nomes da MPB, a exemplo de Herivelto Martins, Ataulfo Alves, Mário Rossi, Nássara, Haroldo Lobo, Jair Amorim, Claudionor Cruz, Wilson Batista, Luiz Gonzaga, Radamés Gnattali.

Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Ribamar e sua parceria com Dolores Duran

José Ribamar Pereira da Silva iniciou bem cedo os estudos de piano com sua avó. O domínio do instrumento foi rápido, como, também, do acordeom. Vários intérpretes gravaram suas composições, como Carlos José, Carlos Galhardo. Helena de Lima, Elizeth Cardoso, Neusa Maria, Marisa Gata Mansa e Tito Madi.

Assíduo freqüentador na noite carioca, Ribamar, conheceu Dolores Duran e emplacaram uma excelente parceria musical. Confiram algumas pérolas da dupla Ribamar & Dolores Duran. Confiram, também, o post completo aqui.

Ternura antiga” (Dolores Duran/Ribamar) # Clara Nunes.

Ideias erradas” (Ribamar/Dolores Duran) # Nana Caymmi.

 

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Dia Nacional do Forró é sinônimo de Luiz Gonzaga

Hoje, 13 de dezembro, comemoram-se em todo país o Dia Nacional do Forró. A data é uma homenagem ao dia do nascimento do maior sanfoneiro que o Brasil conheceu – Luiz Gonzaga.

Foi instituído pela Lei nº 11.176, sancionada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em 6 de setembro de 2005, e que teve origem no Projeto de Lei nº 4265/2001, de autoria da deputada federal Luiza Erundina.

Em 13 de dezembro de 2012 o Brasil inteiro comemorou o Centenário de Luiz Gonzaga. A música brasileira deve muito a capacidade criativa deste talentoso artista e à sua sanfona de prata, "do povo", como ele mandou gravar certa vez no instrumento.

- "Asa Branca" (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira).

- "Pau-de-arara" (Luiz Gonzaga / Guido de Moraes).

- “Danado de bom” (Luiz Gonzaga / João Silva).

 

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (2 votos)

Noel Rosa - 103 Anos de um Gênio

Há três anos comemorava-se o Centenário de Noel Rosa (11/12/1910 - 4/5/1937). Na ocasião muito foi produzido em forma de textos, shows, concurso de caricatura, depoimentos... Enfim, o nosso querido Poeta da Vila recebeu muitas homenagens. Também registrei em vários posts, publicados no Portal Luis Nassif, a minha. Confira em “Centenário de um Gênio”.

Para comemorar o aniversário de 103 anos de nascimento de Noel Rosa selecionei uma música sua em parceria com Adauto Costa que não é muito conhecida, bem como a cantora que gravou. Trata-se de Ruth Franklin que iniciou sua carreira no final da década de 1920. Chegou a gravar nove discos em 78 rpm, pelo selo Parlophon, cada um constando duas músicas. Garimpei, exaustivamente, por uma foto da cantora, mas não obtive sucesso. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Grande parceiro de Luiz Gonzaga, João Silva sai de cena

Por Laura Macedo

Amigos, uma notícia triste. O compositor João Leocádio da Silva, João Silva, 78 anos, pernambucano de Arcoverde e um dos grandes parceiros de Luiz Gonzaga, foi encontrado morto (hoje, 6 de dezembro de 2013), em seu apartamento no bairro de Boa Viagem. A provável causa foi um infarto. Fonte aqui.

Em 2009 fiz um post onde revelo, até então, meu desconhecimento sobre a importância de João Silva para a música nordestina/brasileira. Veja aqui. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

João do Vale: 17 anos de saudades

O maranhense João do Vale (11/10/1933 - 6/12/1996) já tinha contabilizado mais de 200 músicas quando foi convidado pelo teatrólogo Oduvaldo Viana Filho à participar, ao lado de Zé Kéti e Nara Leão, do show “Opinião”. Nara adoeceu e foi substituída por Maria Bethânia. A interpretação vigorosa que Bethânia deu a “Carcará” (João do Vale/José Cândido) consagrou o autor e a própria intérprete.

Post completo aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 4.5 (4 votos)

Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito - Que Dupla!

Sérgio Porto considerava os versos iniciais de “A Flor e o Espinho” uma das mais belas imagens de nosso cancioneiro: “Tire seu sorriso do caminho que eu quero passar com minha dor”.

Na verdade, esses versos - que são de Guilherme de Brito - ficaram tão famosos, que se tornaram uma espécie de marca registrada da obra de... Nelson Cavaquinho, que é autor somente da melodia. A parceria da música ainda é dividida com Alcides Caminha. A maioria das composições da dupla, Nelson fez sempre as melodias e Guilherme as letras.

A dupla formada em 1955 foi fundamental para a própria história do samba. Criaram obras primas como “A flor e o espinho”, "Folhas Secas", "Pranto de Poeta", "Quando eu me chamar Saudade" e muitas outras. Que dupla!

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

O Banquete dos Mendigos

Idealizado e dirigido por Jards Macalé vários artistas participaram do “Banquete dos Mendigos”, a exemplo de Jorge Mautner, Edu Lobo, Gonzaguinha, Paulinho da Viola, Johnny Alf. Pedro dos Santos, Grupo Soma, Milton Nascimento, Raul Seixas, Gal Costa, Dominguinhos, Edison Machado, Luiz Melodia, Chico Buarque e MPB- 4. O álbum duplo foi gravado ao vivo em dezembro de 1973, no auge da ditadura militar

É sem sombra de dúvida um clássico da nossa Música Popular Brasileira, tanto pela vertente musical quanto pela ideologia que permeava todo o projeto do show/disco, resultando, assim, em um protesto social sem violência, por meio apenas da inteligência e voz..

Post completo com acesso a todas as faixas do álbum aqui.

Fontes:

- Original Download Cult

- Site Canal Brasil

- Folha de São Paulo/Ilustrada (edição 17/05/2012)

Sem votos

Octávio Dutra - Um Gênio Desconhecido

Enviado por Laura Macedo

Octávio Dutra (3/12/1884 - 9/6/1937) viveu em Porto Alegre no início do século XX. Compôs perto de 500 músicas e criou o conjunto musical mais conhecido do início do século XX, "O Terror dos Facões".

Um dos momentos mais significativos da história de Octávio Dutra foi quando, em 1927, Pixinguinha fez questão de visitá-lo para conhecer sua obra. Ouviu, gostou e adquiriu sete músicas do maestro. Além disso, foi protagonista de uma ousadia para a época: apresentar, em pleno Theatro São Pedro, uma adaptação sua do Guarany de Carlos Gomes para orquestra de violões, bandolins e cavaquinhos. Vale a pena conhecer este talentoso artista. Post completo aqui. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Hoje é o Dia Nacional do Samba!

Conjunto formado no Brasil Colônia e um autêntico batuque na fazenda.

Onde nasceu o samba? Na África? No Brasil? Caso prevaleça a segunda opção, foi na Bahia? ou no Rio de Janeiro?

Seu nome é semba? Mas não existem os que o chamam de zambra, zambo, zamba ou mais ancestralmente de batuque?

Sua família é muito grande e se divide pelo país afora. Será por isso que seja conhecido pelas denominações de lundu, jongo, maculelê, samba-de-roda, maxixe, tambor de crioula, partido-alto e tantos outros? Ou teria surgido no ambiente rural dos terreiros das fazendas, nas raras folgas das senzalas, nas festas religiosas miscigenadas pela força do chicote do feitor?

De que forma esse ritmo transformou-se no retrato musical do Brasil, assumindo o papel de nosso representante mais conhecido dentro e fora do país?

Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Acervo de Fotografia do IMS

Navegando no Blog do IMS (Instituto Moreira Salles), tive a grata surpresa de encontrar o novo site "Busca no Acervo de Fotografia". Nele é possível explorar recortes temáticos do acervo on-line do IMS, através de várias coleções. Entre as pesquisas em destaque: Música e arte brasileira de 1970 e 1990, de David Drew Zingg, e Manifestações da cultura popular brasileira, de Marcel Gautherot e muitas outras. Vale a pena conferir!

 

Sem votos