Revista GGN

Assine

Blog de Laura Macedo

Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito - Que Dupla!

Sérgio Porto considerava os versos iniciais de “A Flor e o Espinho” uma das mais belas imagens de nosso cancioneiro: “Tire seu sorriso do caminho que eu quero passar com minha dor”.

Na verdade, esses versos - que são de Guilherme de Brito - ficaram tão famosos, que se tornaram uma espécie de marca registrada da obra de... Nelson Cavaquinho, que é autor somente da melodia. A parceria da música ainda é dividida com Alcides Caminha. A maioria das composições da dupla, Nelson fez sempre as melodias e Guilherme as letras.

A dupla formada em 1955 foi fundamental para a própria história do samba. Criaram obras primas como “A flor e o espinho”, "Folhas Secas", "Pranto de Poeta", "Quando eu me chamar Saudade" e muitas outras. Que dupla!

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

O Banquete dos Mendigos

Idealizado e dirigido por Jards Macalé vários artistas participaram do “Banquete dos Mendigos”, a exemplo de Jorge Mautner, Edu Lobo, Gonzaguinha, Paulinho da Viola, Johnny Alf. Pedro dos Santos, Grupo Soma, Milton Nascimento, Raul Seixas, Gal Costa, Dominguinhos, Edison Machado, Luiz Melodia, Chico Buarque e MPB- 4. O álbum duplo foi gravado ao vivo em dezembro de 1973, no auge da ditadura militar

É sem sombra de dúvida um clássico da nossa Música Popular Brasileira, tanto pela vertente musical quanto pela ideologia que permeava todo o projeto do show/disco, resultando, assim, em um protesto social sem violência, por meio apenas da inteligência e voz..

Post completo com acesso a todas as faixas do álbum aqui.

Fontes:

- Original Download Cult

- Site Canal Brasil

- Folha de São Paulo/Ilustrada (edição 17/05/2012)

Sem votos

Octávio Dutra - Um Gênio Desconhecido

Enviado por Laura Macedo

Octávio Dutra (3/12/1884 - 9/6/1937) viveu em Porto Alegre no início do século XX. Compôs perto de 500 músicas e criou o conjunto musical mais conhecido do início do século XX, "O Terror dos Facões".

Um dos momentos mais significativos da história de Octávio Dutra foi quando, em 1927, Pixinguinha fez questão de visitá-lo para conhecer sua obra. Ouviu, gostou e adquiriu sete músicas do maestro. Além disso, foi protagonista de uma ousadia para a época: apresentar, em pleno Theatro São Pedro, uma adaptação sua do Guarany de Carlos Gomes para orquestra de violões, bandolins e cavaquinhos. Vale a pena conhecer este talentoso artista. Post completo aqui. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Hoje é o Dia Nacional do Samba!

Conjunto formado no Brasil Colônia e um autêntico batuque na fazenda.

Onde nasceu o samba? Na África? No Brasil? Caso prevaleça a segunda opção, foi na Bahia? ou no Rio de Janeiro?

Seu nome é semba? Mas não existem os que o chamam de zambra, zambo, zamba ou mais ancestralmente de batuque?

Sua família é muito grande e se divide pelo país afora. Será por isso que seja conhecido pelas denominações de lundu, jongo, maculelê, samba-de-roda, maxixe, tambor de crioula, partido-alto e tantos outros? Ou teria surgido no ambiente rural dos terreiros das fazendas, nas raras folgas das senzalas, nas festas religiosas miscigenadas pela força do chicote do feitor?

De que forma esse ritmo transformou-se no retrato musical do Brasil, assumindo o papel de nosso representante mais conhecido dentro e fora do país?

Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Acervo de Fotografia do IMS

Navegando no Blog do IMS (Instituto Moreira Salles), tive a grata surpresa de encontrar o novo site "Busca no Acervo de Fotografia". Nele é possível explorar recortes temáticos do acervo on-line do IMS, através de várias coleções. Entre as pesquisas em destaque: Música e arte brasileira de 1970 e 1990, de David Drew Zingg, e Manifestações da cultura popular brasileira, de Marcel Gautherot e muitas outras. Vale a pena conferir!

 

Sem votos

Uma Rosa para Cartola

Cartola (11/10/1908 - 30/11/1980)

Para quem nos deu tantas ROSAS musicais, a minha homenagem...

“Acontece” / “As rosas não falam” / “O mundo é um moinho” (Cartola) # Cartola.

 

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

O grande Maestro Lyrio Panicali

Lyrio Panicali (26/6/1906 - 29/11/1984) foi um dos grandes maestros da Era de Ouro da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Maestro e pianista da Companhia Negra de Revistas, no início da década de 1920, desenvolveu uma bela carreira de compositor, arranjador e regente. Seus trabalhos no rádio, no disco e, depois, na televisão, foram sempre marcados pela originalidade e bom gosto harmônico.

- “Magia” (Lyrio Panicali/Raimundo Lopes) # Lyrio Panicali e Orquestra.

- “Promessa” (Custódio Mesquita/Evaldo Rui) # Lyrio Panicali e sua Orquestra, 1972.

- “Valsa de uma cidade” (Antônio Maria/Ismael Neto) # Lyrio Panicali e sua Orquestra, 1972.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Uma das mais belas Canções Românticas

Foi em meio a uma barulhenta festa que Luís Reis e Haroldo Barbosa compuseram uma das mais conhecidas canções românticas. "Nossos Momentos”, lançada por Elizeth Cardoso e gravada por muitos outros intérpretes.

Confira o post completo aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 4 (3 votos)

20 Anos sem Grande Otelo

Morre em Paris, em 26 de novembro de 1993, o ator, compositor e cantor Grande Otelo (Sebastião de Souza Prata), nascido, em 18 de outubro de 1915, em Uberlândia (MG). Nesta homenagem destaco algumas de suas composições/interpretações.

- “Praça Onze” (Grande Otelo/Herivelto Martins) / “Laurindo” (Herivelto Martins) # Casuarina.

- “Desperta Brasil” (Grande Otelo) # Linda Batista.

- “Mangueira, não” (Grande Otelo/Herivelto Martins) # Herivelto Martins.

- “No tabuleiro da baiana” (Ary Barroso) # Grande Otelo/Gal Costa.

- “Malvadeza durão” (Zé Kéti) # Grande Otelo/Ângela Maria - Cenas do filme “Rio, Zona Norte”.

 

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 3 (1 voto)

Zé Rodrix e o Rock Rural

Zé Rodrix (25/11/1947 - 22/5/2009), cujo nome de batismo é José Rodrigues Trindade, apareceu para o grande público em 1967, em um festival da Record.

Sua carreira ganhou destaque nos anos 70, quando trabalhou com o grupo Som Imaginário - banda criada para acompanhar uma turnê de Milton Nascimento ao lado dos músicos Sá e Guarabyra. O trio se transformou em ícone do chamado "Rock Rural”. Nas décadas de 1980 e 1990, abandonou a carreira musical para se dedicar à publicidade.

Em 2001, voltou a se reunir com os companheiros Sá e Guarabyra para uma apresentação no "Rock in Rio". No mesmo ano, o trio lançou um DVD ao vivo, reunindo seus maiores sucessos: "Sá, Rodrix & Guarabyra: Outra vez na estrada - Ao Vivo". Faleceu precocemente aos 62 anos deixando uma obra extensa que pode ser conferida no verbete do Dicionário Cravo Albin da MPB aqui.

Fonte: DCA da MPB.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Dia do Músico

Hoje, 22 de novembro, Dia do Músico e da sua padroeira Santa Cecília, presto homenagem a todos os músicos destacando o instrumentista/compositor Waltel Branco (22/11/1929) que está completando 84 anos de excelentes serviços prestados ao universo musical.

- “Prelúdio nº 2” (Heitor Villa-Lobos) # Waltel Branco.

- Documentário “Descobrindo Waltel”, de Alessandro Gamo.

- Entrevista com Waltel Branco.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Centenário de Tomie Ohtake

No apagar das luzes de hoje, dia 21 de novembro de 2013, venho registrar minha admiração pela obra da artista centenária Tomie Ohtake (21/11/1913) que se erradicou no Brasil aos 23 anos, durante a Segunda Guerra Mundial e, em 1968, naturalizou-se brasileira. A artista já expôs nos Museus de Arte Moderna de São Paulo e do Rio de Janeiro, no Museu de Arte das Américas, nos Estados Unidos, e em outros países.

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

51 Anos da Bossa Nova no Carnegie Hall

Sugerido por Laura Macedo

Texto do site Rádio Batuta, do IMS

O show que ajudou a levar a bossa nova aos Estados Unidos foi realizado no dia 21 de novembro de 1962, no Carnegie Hall, em Nova York. Participaram do show, entre outros, João Gilberto, Tom Jobim, Carlos Lyra e Agostinho dos Santos, que ouvimos aqui em "A felicidade" (Tom Jobim e Vinicius de Moraes).

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Brasil Negro, de Caco Velho

Compositor Caco Velho, um dos autores de "Mãe Preta".

A letra da toada “Mãe Preta”, assinada por Caco Velho/Piratini, e gravada pelo Conjunto Tocantins, em 1943, é um doloroso retrato do “Brasil Negro”.

“Mãe Preta” (Caco Velho/Piratini: letra/música) # Conjunto Tocantins. Disco Continental (15107A), 1943.

Velha encarquilhada
Carapinha branca
Gandola de renda
Caindo na anca
Embalando o berço
Do filho do sinhô
Que há pouco tempo
A sinhá ganhou


Era assim que mãe preta fazia
Criava todo branco
Com muita alegria
Porém na lá senzala
Pai João apanhava
Mãe preta mais uma lágrima enxugava
Mãe preta, mãe preta,
Enquanto a chibata
Batia em seu amor
Mãe preta embalava

O filho branco do senhor.

Média: 5 (5 votos)

Ronaldo Bôscoli - um dos ícones da Bossa Nova

O compositor, produtor e jornalista Ronaldo Bôscoli (28/10/1928 - 18/11/1994) fez parte do grupo que, a partir de 1957, reunia-se no apartamento de Nara Leão (de quem foi namorado) para tocar e cantar músicas que mais tarde seriam caracterizadas como bossa nova. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

A Arte de Aleijadinho

Aleijadinho (Antônio Francisco da Costa Lisboa)

* 29/08/1730 - Vila Rica (atual Ouro Preto) (MG)
+ 18/11/1814 - Mariana (MG)

Os trabalhos de Aleijadinho podem ser vistos em Ouro Preto, Congonhas do Campo, Sabará e outras cidades mineiras. Observando-se os traços, as expressões das esculturas, é impossível evitar o sentimento de emoção e respeito que elas despertam. O esplendor e o requinte, as sutilezas e a suntuosidade das dezenas de estátuas, pias batismais, púlpitos, brasões, portais, fontes e crucifixos revelam que o Brasil teve um escultor e arquiteto de primeira grandeza nos tempos coloniais.

“Vida e obra de Aleijadinho” (Juca/Duduca/Bala) - Samba enredo da Escola de Samba Salgueiro, 1961.

Foi genial,
Realizou
Maravilhas sem igual
E de real valor,
Incomparável na escultura nacional,
Empolgando o nosso Brasil colonial.
Ô-ô-ô-ô-ô-ô-ô-ô-ô-ô-ô

Antônio Francisco Lisboa,
Aleijadinho,
O imortal,
Ultrapassou a sua dor
Com a arte escultural. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

A arte de Dick Farney

O exímio pianista Dick Farney (14/11/1921 - 4/8/1987), dono de um refinado estilo jazzístico, cantor de timbre personalíssimo e um dos precursores da bossa nova, escreveu capítulo importante da história da Música Popular Brasileira.

Foi a um só tempo cantor e músico de primeira grandeza e um modelo de intérprete romântico brasileiro, o grande consolidador do samba-canção. O curioso é que até então, aos 25 anos de idade, Dick Farney almejara unicamente projetar-se nos Estados Unidos, como cantor e pianista de música americana (daí o nome artístico adotado). Contratado por uma das mais importantes emissoras de rádio dos Estados Unidos, a NBC, onde lançou para permanente aceitação mundial o sucesso “Tenderly”, uma das páginas que mais identificam a canção americana. Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Os Bambas do Samba - João Nogueira e Paulinho da Viola

João Nogueira (12/11/1941 - 5/6/2000) iniciou como compositor, mas logo seu lado cantor, aflorou. Seria um crime não aproveitar seu timbre maravilhoso. Ao longo da carreira artística os dois lados conviveram harmoniosamente até sua prematura saída de cena.

Paulinho da Viola (12/11/1942) filho de César Faria, violonista do antológico grupo Época de Ouro, conviveu desde criança com músicos como Pixinguinha e Jacob do Bandolim, mas se manteve sempre antenado às novidades do seu tempo.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

O "Positivismo" de Noel Rosa e Orestes Barbosa

Autor de célebres letras românticas, Orestes Barbosa resolveu juntar amor com filosofia e história em “Positivismo”. Não foi muito fiel aos fatos ao citar Pilatos, Guillotin e Comte, mas fez uma letra engenhosa, que entregou para Noel Rosa. Este demorou a compor a melodia, motivo de irritação para Orestes, que passou a falar mal do Poeta da Vila.

Um dos biógrafos de Noel Rosa - João Máximo - relata que, ao saber, Noel criou a música e ainda acrescentou uma quadra ironizando o parceiro.

Relato completo de João Máximo, letra da música e fontes aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Torquato Neto

Torquato Neto (9/11/1944 - 10/11/1972) atuou, praticamente, em todas as frentes da cultura brasileira com coragem, inventividade, ousadia e sensibilidade. Seu legado está fincado no coração do povo brasileiro e, em especial, do povo piauiense.

Ressaltamos vida e obra de um dos mentores do Tropicalismo, destacando “suas viagens” e músicas. Post completo aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

A Voz de Veludo de Francisco Petrônio

O cantor Francisco Petrônio (8/11/1923 - 18/1/2007) estaria completando 90 anos. Entre os muitos sucessos gravados destaco - “Baile da saudade” (Palmeira/Zairo Marinoza). Para arrasar os corações da velha guarda :-)

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

O Brasil Brasileiro de Ary Barroso

Hoje, 07/11/2013, comemora-se o 110º aniversário de nascimento do compositor, pianista, locutor e apresentador Ary Barroso, ícone da era do rádio e um dos maiores nome do samba-exaltação a exemplo de "Aquarela do Brasil", gravada centenas de vezes em todo o mundo. Quem primeiro gravou foi Francisco Alves com arranjos do maestro Radamés Gnattli.  Outros grandes sucessos do genial Ary: "Na batucada da vida" (c/ Luiz Peixoto) / “Na baixa do sapateiro # Carmen Miranda e "Camisa amarela" # Aracy de Almeida.

Para quem ainda não conhece deixo o documentário sobre a vida e obra do compositor Ary Barroso. Direção de Dimas Oliveira Junior e Luis Felipe Harazim.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (2 votos)

O Violão de Josué Costa

Natural de Teresina (PI) Josué Costa (26 anos) é uma das grandes revelações do violão piauiense. Com apenas 18 anos de idade obteve o primeiro lugar no concurso de interpretação violonística do I FENAVIPI (Festival Nacional de Violão do Piauí), realizado em 2004, cuja banca examinadora foi constituída por Turíbio Santos, João Pedro Borges, Guinga e Alencar 7 Cordas.

Josué atualmente está engajado na divulgação do seu primeiro disco - CD Laundo -, que acaba de sair do forno, totalizando 10 faixas autorais. A divulgação envolve seis capitais brasileiras (Teresina, São Luis, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília).

Que o talento de Josué Costa prospere em sua arte. Post completo aqui.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Dia Nacional da Língua Portuguesa

Hoje, 5 de novembro, comemora-se o Dia Nacional da Língua Portuguesa. Nossa homenagem em forma de música com “Língua”, de Caetano Veloso com o próprio em dueto com Elza Soares.

“LÍNGUA” Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Sem votos

Monsueto - Um que Morou na Filosofia

MONSUETO Campos Menezes (4/11/1924 - 17/2/1973) compôs umas 150 músicas e foi gravado por grandes intérpretes da MPB. Atuou com cantor, compositor, instrumentista, ator de cinema, showman, cômico de televisão e diretor de bateria/harmonia de várias escolas de samba. Vale a pena relembrar alguns de seus sucessos.

- “Me deixa em paz” (Monsueto/Aírton Amorim) # Linda Batista, 1951.

- “Mora na filosofia” (Monsueto/Arnaldo Passos) e “Couro do Falecido” (Monsueto/ Jorge de Castro) # Monsueto.

- “A fonte secou” (Monsueto/Marcleo/Raul Moreno [nome de batismo Tufi Lauar]) # Raul Moreno, 1954.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Choro e futebol

Bonfiglio de Oliveira, um dos maiores pistonistas brasileiros, compôs "Flamengo" para prestigiar o time carioca. Jacob do Bandolim homenageou Garrincha com a "A Ginga do Mané" e Pixinguinha compôs "Um a Zero" em parceria com Benedito Lacerda para homenagear a vitória do Brasil contra o Uruguai.

“Flamengo” (Bonfiglio de Oliveira) # Baden Powell / Ronaldo do Bandolim / Silvério Pontes / Marcello Gonçalves, entre outros, numa “roda de choro” maravilhosa.

"A Ginga do Mané" (Jacob do Bandolim) # "Som Brasileiro": Sérgio Napoleão Belluco (violão 7 Cordas), Alessandro Penezzi (violão tenor), Taufik Cury (violão 6 cordas). Derio Lovadino (cavaquinho) e Raul Leite (pandeiro).

“Um a Zero" (Pixinguinha/Benedito Lacerda) # Sérgio Napoleão Belluco /Alessandro Penezzi e amigos do Conjunto Som Brasileiro.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

O Violão de Raphael Rabello

Hoje, 31 de outubro de 2013, Rafhael Rabello completaria 51 anos. Visando homenageá-lo optei pelo Documentário Musical - "Mosaicos" -, produzido pela TV Cultura, em 2008, o qual retrata sua trajetória através de imagens e depoimentos registrados em arquivos da emissora e, também, apresenta vários números musicais feitos especialmente para o programa com as participações de Euclides Marques, Luizinho 7 Cordas, Yamandú Costa, Rogério Caetano, Alessandro Penezzi e Caraí Guedes.

Um aspecto relevante desse Documentário é a lembrança do papel fundamental que Dino 7 Cordas e Jaime Florence, o Meira, tiveram para Rafhael, bem como Baden Powell, Maurício Carrilho e tantos outros.

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (2 votos)

Aniversário de Carlos Drummod de Andrade

Hoje, 31 de outubro de 2013, comemoram-se o aniversário de 111 anos de Carlos Drummond de Andrade, poeta que produziu pérolas como “A rosa do povo”, “Alguma Poesia” e tantas outras que permeiam o nosso imaginário.

Dia D - Dia Drummond foi criado em 2011 pelo Instituto Moreira Salles objetivando que a data integre o calendário cultural brasileiro. Confira as comemorações previstas aqui.

“Canção Amiga” (Milton Nascimento/ Carlos Drummond de Andrade) # Milton Nascimento (voz) / Gilvan de Oliveira (violão).

 

Vídeos

Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Mestre Capiba

CAPIBA (Lourenço da Fonseca Barbosa), se vivo estaria completando 109 anos, hoje, dia 28 de outubro de 2013. Esse pernambucano nascido em Surubim expressou de forma brilhante sua arte, não só através do Frevo, ritmo peculiar da sua região, mas através de outros gêneros a exemplo do Samba e Choro.

Algumas faixas do excelente disco “Mestre Capiba por Rafhael Rabello e Convidados”.

- “A mesma rosa amarela” (Capiba/Carlos Pena Filho) # João Bosco (voz/violão), Paulo Moura (clarinete), Nico Assumpção (contrabaixo) e Rafhael Rabello (violão 7 cordas).

- “Serenata suburbana" (Capiba) # Ney Matogrosso (voz), Rafhael Rabello (violão 7 cordas), Dininho, Trambique e Zizinho (Percussão). Leia mais »

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Sem votos

Oswald de Andrade e a inspiração dos Tropicalistas

O escritor, ensaísta e dramaturgo Oswald de Andrade foi um dos promotores da Semana de Arte Moderna de 1922. Seu nome está associado do modernismo brasileiro, que inspirou os Tropicalistas, como podemos comprovar em "Geleia geral", de Torquato Neto e Gilberto Gil.

Geleia geral” (Torquato Neto/Gilberto Gil) # Zé Renato/Verônica Ferriani.

um poeta desfolha a bandeira

e a manhã tropical se inicia

resplandente cadente fagueira

na geleia geral brasileira

que o jornal do Brasil anuncia

Leia mais »

Média: 3.3 (7 votos)