Revista GGN

Assine

Blog de rdmaestri

Há realmente uma perda global na cultura brasileira?

Há vários artigos em jornais e blogs assim como vídeos no Youtube que reclamam de uma forma e outra da chamada perda de cultura da civilização brasileira, porém esquecem todos que só há perda de algo que existia anteriormente!

Há uma confusão entre a cultura geral de um povo e a chamada cultura clássica cultivada por grupos sociais encastelados em pequenos núcleos mais privilegiados. Conhecer música erudita não é mais nem menos do que conhecer uma música europeia dos salões dos séculos anteriores ao século XX, ou seja, conhecer uma música que tinha um sentido que correspondia a cada desenvolvimento filosófico como, por exemplo, o romantismo.

Os teóricos do saudosismo, ou da perda do que nunca existiu, enganam-se quando citam grandes autores nacionais e estrangeiros do passado imaginando que o conhecimento do trabalho destes era algo presente fora do que se chamava no passado a elite intelectual. Esquecem os teóricos do desastre intelectual dos dias atuais que esta intelectualidade no passado não era mais do que meia dúzia de consumidores vorazes de obras clássicas enquanto a maioria da plebe simplesmente nem sabia ler. Leia mais »

Sem votos

Por que até agora não houve uma intervenção militar no Brasil?

Por que até agora não houve uma intervenção militar no Brasil?

Fico assistindo no Youtube diversos vídeos de pessoas sem visão estratégica que ficam ameaçando a esquerda com intervenção militar, e fico surpreso com outros elementos, que se acham de esquerda, recordando os fatos de 1964 como as coisas possam se repetir, entretanto ao meu julgamento ambos possuem uma visão errada e anacrônica da história.

Nas décadas de 50 a 70 o Império via como aliados as Forças Armadas dos países do terceiro mundo, principalmente baseados numa ideologia anticomunista que era ciosamente encucada na mente dos militares. Mesmo assim na época dos governos militares o General Geisel esboçou uma parcial independência da tutela norte-americana, saindo um pouco da polaridade de Leste-Oeste com o acordo atômico com a Alemanha.

Com a queda do muro de Berlin, com uma Rússia debilitada e com uma China ainda na sua adolescência de grande potência, o imperialismo norte-americano forjou uma nova base para as relações entre o eles e o resto do mundo em que as bases desta doutrina era, eles mandavam e os outros obedeciam. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Duas formas de salvar o Brasil.

Considerando :

1) que diferentemente da oligarquia que sempre explorou o Brasil, porém tinha alguma vergonha em mostrar isto,

2) que a cleptocracia no pais atingiu tanto o setor público como o privado, 

3) que judiciário, ministério público, poder executivo, poder legislativo encontram-se devidamente coptados para participar do saque das riquezas nacionais,

4) que o desejo da população brasileira é totalmente desrespeitado e manipulado pelos grande orgãos de comunicação, 

5) que a cleptocracia dominante não tem a mínima vontade de abdicar de suas vantagens ilícitas em nome do povo brasileiro,

6) que qualquer ação do judiciário brasileiro tem por fim simplesmente abafar não só os crimes como permitir que mais crimes ocorram,

7) que o povo é soberano e todo poder dele emana,

8) que o mesmo povo vem sendo massacrado no seu dia a dia através da miséria, desemprego ou mesmo por assassinato perpectuado por sua polícia e 

9) que a saída democrática está sendo inviabilizada por todas as tramóias e manipulações das oligarquias brasileiras associadas a oligarquias internacionais. Leia mais »

Sem votos

Uma análise perfeitamente equivocada da imprensa alemã.

 

No dia 23 de julho saiu no site da DW (O silêncio das ruas do Brasil) uma análise perfeitamente equivocada da imprensa alemã sobre a ausência de grandes manifestações contra Temer. Esta análise parte de uma visão de quem parece que não entende a sociedade brasileira, ou diria mais, uma análise de quem parece não ver o que ocorre nas cidades e nos campos do Brasil.

Poderíamos dizer que há vários fatores que impedem a saída às ruas da população, e talvez o primeiro e mais forte que passa despercebido por uma análise superficial do país é o MEDO! Jornalistas do primeiro mundo acostumados a liberdade de manifestação e de uma polícia que não mata e morre como a brasileira não pensam que enxergam que qualquer manifestação pública no Brasil é reprimida com os chamados meios não letais utilizados de forma mais agressiva possível e outras manifestações mais individuais de pessoas da periferia ou mesmo o simples dia a dia são reprimidas com balas reais criando uma multidão de mortos que são tratados pela polícia como marginais que reagiram as forças policiais. Leia mais »

Sem votos

Por que Bolsonaro mora num condomínio fechado?

Por que Bolsonaro mora num condomínio fechado?

Inúmeras vezes militantes de esquerda são questionados pela direita “xucra” por que no momento de uma doença vão até um hospital particular para se tratar ou tratar algum membro de sua família?

Esta acusação é repetida inúmeras vezes “ad nauseam” por grupelhos de extrema direita ou mesmo por pessoas que não se colocam nesta posição, mas que na verdade adotam este comportamento, porém dentro da mesma linha de raciocínio pode-se perguntar por que Bolsonaro mora num condomínio fechado com guardas pagos pela comunidade local?

Alguém rapidamente pode responder, porque lá ele tem maior segurança!

Resposta errada dentro da lógica da acusação de alguém de esquerda ir para um hospital privado, pois por enquanto a utilização de uma vaga num hospital privado, por alguém que tem recursos para fazer isto simplesmente não retira do povo em geral a chance de ocupar a mesma vaga. Com um agravante, a pessoa que não tem recursos não tem outra chance do que procurar um hospital público. Leia mais »

Sem votos

Classificação dos governos de FHC como um governo socialdemocrata.

Vários autores de centro ou centro-direita procuram qualificar os governos de FHC como um governo socialdemocrata simplesmente para dar um charme aos governos claramente neoliberais dando uma espécie de tonalidade de esquerda a um governo que primou pela privatização da economia e abandonou por completo qualquer política de esquerda. Porém esta classificação como tal é um erro conceitual grave, uma verdadeira indigência intelectual.

Para não ficarmos somente na desqualificação daqueles que empregam esta notação é necessário se retomar alguns conceitos claros no uso das expressões políticas para não se ficar divagando e falando qualquer coisa sem sentido, uma dessas é o que é a definição e caracterização do que é uma socialdemocracia.

Se nos ativermos à definição corrente empregada por todos que escrevem sobre o assunto na Europa, socialdemocracia não é definida pelo nome do partido, mas claramente pela forma com que o governo se comporta e os apoios em que o mesmo se sustenta. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

O que falta é um evento catastrófico!

 

Um evento catastrófico em ciências da natureza não significa que haja uma evento que instantaneamente surja uma catástrofe, mas sim que disparado o evento, que pode ser de pouca intensidade como a instabilidade da região perto deste gatilho é grande a tendência é que ele se amplifique e venha a causar agora sim, uma situação catastrófica.

Uma situação catastrófica é algo que é irreversível na natureza causando modificações notáveis da situação inicial, ou seja, passada a catástrofe a situação não retorna a condição inicial.

Pois bem, na sociedade brasileira está se chegando ao ponto de instabilidade que pode na presença de um pequeno gatilho gere-se um evento catastrófico, ou seja, qualquer evento notável que tenha capacidade de mobilizar parte da população pode gerar uma situação deste tipo. Leia mais »

Sem votos

As casas legislativas são e sempre foram as casas contra o povo!

As casas legislativas são e sempre foram as casas contra o povo!

Vejo que algumas pessoas bem intencionadas ficam alardeadas quando constatam que o congresso nacional continua votando contra a população. Surpreendem-se as pessoas, pois tem em mente aquela falsa expressão que uma “casa legislativa é a casa do povo”, porém temos que deixar claro que estas casas desde a época do Império sempre votaram contra o povo. Então qual é a novidade e por que só agora se levantam vozes contra os grandes projetos exatamente contra a população? Nada de novidade, é uma pura reprodução do que sempre existiu.

Talvez a grande novidade que aparece de tempos em tempos é que o povo que está mudando e por isto que começam e se dar conta que estas casas simplesmente não o representam, representam sim as oligarquias dominantes. Para entendermos melhor vamos retroceder um pouco na história para compreendermos melhor o que se passa. Leia mais »

Sem votos

O Golpe: O fim para uma novela de um mau autor.

Muitas vezes somos deparados com filmes, seriados de TV, novelas ou mesmo romances policiais onde o autor na ânsia de prolongar o máximo o sucesso da sua obra, que no início causa sensação e lhe dá audiência começa a enrolar o máximo possível colocando cada vez mais atores e mais trama no seguimento da história.

O problema é que o público começa se cansar da trama e começa a se complicar em descobrir quem são os heróis e os vilões, o caso do golpe está virando uma coisa deste tipo, sabe-se desde o primeiro capítulo que o vilão principal é o Temer, também como ator coadjuvante na vilania temos o Aécio, os dois atores bem canastrões que já não conseguem seduzir ninguém para ver o desfecho da história, porém se o autor ficasse restrito aos dois vilões principais poder-se-ia no fim da trama mandar os dois para a cadeia ou se a trama fosse nos Estados Unidos dos anos 50 para a cadeira elétrica. Leia mais »

Sem votos

Brasil pode ter a resposta que todo o mundo procura, por RD Maestri

Protestos em Brasília
Foto: Agência Brasil

Por RD Maestri

A grande discussão das forças democráticas no momento é a forma de combater o neoliberalismo e as concepções pós-democráticas que este tenta induzir.

O neoliberalismo está criando um fosso entre a imensa maioria da população e uma oligarquia reinante, os limites da concentração de renda que com os países que possuíam uma socialdemocracia atuante foram rompidos pela ausência da polaridade entre os países capitalistas e os socialistas reais compostos pela a União Soviética, pois na ausência desta o liberalismo que andava esquecido desde a crise de 1929 que impeliu os países a verdadeiras reformas nos controles financeiros, foi substituído por frouxos controles dos fluxos de capitais. Aliando a multiplicação da moeda pelas mais diversas formas de investimento e com a inexistência de um padrão ouro, levou a criação de interesses planetários de lucros crescentes baseados não mais na produção, mas sim no papel denominado Dólar.

Este fosso que olhando somente para o nosso umbigo, achamos que é algo característico do nosso país é internacional, as outrora economias europeias sólidas e solidárias estão se desfazendo em todos os grandes países, nunca se teve além de um número de desempregados tão grande associados a uma crise que perdura há quase uma década, e pior, sem o mínimo horizonte de saída.
Leia mais »

Média: 4 (4 votos)

Talvez o Gigante que esteja acordando.

Talvez o Gigante que esteja acordando.

No dia que saíram as revelações do Joesley Batista simplesmente uma boa parcela da população que até aquele momento estava dormindo acordou. Estavam dormindo simplesmente porque na verdade o que este empresário revelou foi simplesmente um velho segredo de Polichinelo.

As revelações de Joesley foram mais importantes do que todos os depoimentos dos empresários do setor da construção na Lava-Jato. Quando iniciou tanto o processo das propinas na Petrobras, para muitos estas ficavam restritas ao setor de petróleo e gás estatal, ou seja, uma corrupção ligada diretamente ao governo nas duas pontas, o governo como proprietário da empresa e os beneficiários também pertencentes a coligação governamental. O que se viu foi uma reprodução de alguns esquemas fraudulentos, como a famosa lista de Furnas que não teve a mesma divulgação que o caso da Petrobras, mas para quem sabia colocava na mesma pasta. Leia mais »

Sem votos

Os "coxinhas" ajudam a refundação do "povo brasileiro".

Há um aspecto que todos estão desprezando, a influência da saída para as ruas dos "coxinhas".

Na época do início da era do poder do PT no Brasil, a imagem de Lula era forte, porém a identificação de grande parte da população brasileira com o PT era fraca, o partido era mais sustentado por uma base sindicalizada que aos poucos foi perdendo força pelas diversas manobras da direita, as falsas centrais, os falsos candidatos de centro-esquerda e outras narrativas.

Porém todas estas narrativas serviam somente para dissociar os vínculos da maioria da população com o Partido dos Trabalhadores, porém o que faltava na "recriação do povo brasileiro", não como uma entidade neutra que somasse a todos, mas sim como uma entidade surgida de baixo para cima que de forma hegemônica ocupasse seu lugar na política brasileira. Chamo Recriação e não Criação, pois durante a era Vargas, que poucos entenderam como funcionava, o discurso "Trabalhadores do Brasil" criava uma ideia de povo separado da Oligarquia, que apesar das origens políticas e oligarcas do próprio Getúlio Vargas aos poucos se afastavam do presidente e mais a pequena classe trabalhadora urbana brasileira se identificava. Leia mais »

Sem votos

Temer não cai porque temos um golpe tipo Coitus interruptus.

 

Não pensem que o bjetivo do Golpe era a colocação de Temer para ganhar tempo e com as "reformas" relançar a economia brasileira e posteriormente ganhar as eleições.

O problema deste golpe é que o mesmo está como o método de anticoncepção do tipo Coitus interruptus, ou seja, antes de se chegar ao gozo final estão tendo que interrompê-lo, porém como todo o final do método resta à necessidade de aliviar as tensões resultantes do coito.

Mesmo não querendo ser chato e repetitivo, vou ter que ser chato e repetitivo na posição que mantenho desde mais de dois anos, os golpistas e seus assessores da CIA simplesmente são AMADORES, agora podemos citar os assessores nominalmente com as benesses do General Etchegoyen, que até nos deu o nome dos personagens.

Como amadores em termos de golpes procurando inovar em termos de base de sustentação, tentaram realizar um golpe com uma base no judiciário, com isto os mesmos entraram numa enrascada, pois, como sempre, quando se tenta inovar a chance de erro aumenta em muito.

Vamos aos fatos: Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Por mais que não pareça os golpistas eram e são amadores.

Por mais que as pessoas tenham negado quando escrevi a primeira vez já em 03/03/2015 que:

Mesmo se o apoio das forças armadas do país a ser golpeado for de 100% de seus membros a existência de uma liderança política executiva e não legislativa é necessária para começar um golpe.......” (vide Deem-me um estado de apoio que vos darei um golpe!), acrescento o resumo do resto da opinião no artigo, a inexistência de um forte e predominante apoio político regional para coordenar este golpe é imprescindível, pois só uma liderança política terá a capacidade de organizar as diferenças tarefas de reestruturação do Estado em torno de uma nova posição política. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Engenheiros e técnicos, os proletários do século XXI.

 

Há uma grande confusão conceitual que sociólogos, políticos e demais agentes fazem sobre uma notação técnica que mais por ignorância de todos leva a conclusões antagônicas.

Até o início do século XX era clara uma classificação, o proletariado, o proletário consistia daquele que não tinha nenhum meio de vida exceto sua força de trabalho (suas aptidões), que ele vendia para sobreviver. Pois bem a partir desta definição do século XIX dada por Karl Marx foi expressa pictoriamente pela foice e o martelo, que simbolizavam o proletariado industrial e o camponês.

A imagem foi mais forte do que a própria definição, ou seja, um proletário necessariamente para a maior parte dos teóricos marxistas e mesmo de teóricos que desviaram da linha marxista, sempre era de um proletário da indústria como alguém que com um martelo, uma chave de fenda, ou mesmo outro tipo de ferramenta primitiva produzia bens para serem vendidos pelos capitalistas. Esta visão se reproduzia no campo através da foice, gadanho, enxada e outros equipamentos primitivos. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Uma GUERRA RELIGIOSA?

Há inúmeros questionamentos sobre o porquê da perseguição de Lula pelo Procurador Dallagnol do famoso PowerPoint.

Várias hipóteses estão sendo feitas, pois são necessárias hipóteses não jurídicas para entender todo o processo contra Lula armado simplesmente por provas geradas pelo mesmo através de um processo de tortura psicológica dos delatores que servem como a única prova contra Lula.

Assisti com paciência aos vídeos da imensa maioria das delações que servem de “prova” contra Lula, são simplesmente delações vazias que a elas não é ajuntado nenhum documento que não seja que o apartamento existe e que foi reformado sob as ordens da OAS. Pensei que o Ministério Público estava guardando alguma prova na manga para na sua peça final aparecesse algo, mas como era de se esperar a montanha nem um rato pariu!

Com as alegações finais do procurador continua o verdadeiro enigma:

- Por que da sanha acusatória do mesmo contra Lula? Leia mais »

Sem votos

A consequência da Lava-Jato no descrédito da democracia burguesa brasileira.

Quando se cria um processo produtivo gera-se um produto principal que é o objetivo da criação de toda uma estrutura fabril. Paralelamente a este se pode obter produtos secundários na concepção inicial do empreendimento. Por diversas razões o subproduto passa algumas vezes a ser mais relevante que o objeto principal da produção

Na Lava-Jato o produto principal deveria ser não o combate à corrupção, mas sim a geração do descrédito tanto dos partidos reformistas com nuances de esquerda, como de toda a estrutura partidária. O Partido dos Trabalhadores é uma primeira vítima do esquema, porém enganam-se muitos que pensam que foi casual a desmoralização do PMDB e PSDB. O discurso contra o Partido dos Trabalhadores começa antes dos “escândalos” do mensalão e da Lava-Jato, mostrando que a dinâmica do processo é bem mais ampla do que pensam a imensa maioria dos simpatizantes do partido. Leia mais »

Sem votos

A diferença da atuação da direita liberal brasileira e francesa.

 

Tem-se uma diferença substancial entre a direita liberal brasileira e a francesa que fica evidente nos últimos dois anos, uma é baseada na improvisação e no amadorismo enquanto é exatamente ao contrário, é extremamente ela é calculista e nada é deixado ao acaso. Isto desnuda outro problema, a falta total de cultura das “elites econômicas” brasileiras.

A eleição de Macron vem sendo tramada e montada há mais de dois anos, e vem sendo trabalhada com uma organização meticulosa, tanto sob o ponto de vista de apoio mediático como na criação de um personagem palatável ao eleitor. Por outro lado o que vem se fazendo no Brasil é uma espécie de mutirão mafioso em que a cada seis meses se lançam um grupo ao poder.

Em termos de objetivo político final, tanto o objetivo dos franceses como dos brasileiros é o mesmo, o desmanche do Estado e a radicalização de políticas que permitam que as grandes corporações internacionais assumam por completo o poder, logo quanto a isto não é necessário nenhuma diferenciação, mas quanto ao método é da água para o óleo. Leia mais »

Sem votos

Desculpe-me, mas todo o caos tem uma lógica!

Há uma tendência a utilizar a palavra Caos de forma imprópria, pois se ela for utilizada de forma correta se vê como algo que segue uma determinada lógica.

Se utilizarmos a palavra CAOS no senso comum este seria uma ausência de organização ou uma desordem, porém se utilizarmos no sentido matemático se verá que a definição é outra e que esta dará mais sentido do estado político e social que estamos hoje.

Caos no sentido matemático significa algo que é regido por uma série de equações que descrevem um sistema dinâmico (que varia com o tempo) rigorosamente determinista (segue a leis matemáticas conhecidas), mas que apresentam na presença de perturbações muito pequenas (instabilidades) que em função das condições que se tem no momento (às condições iniciais) o movimento que pode ocorrer neste sistema apresenta BIFURCAÇÕES. 

Isto é chamado o Caos determinístico, ou seja, se conhecermos as equações, o estado inicial poderemos prever quais são as soluções possíveis. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

TEMER, UM ARQUIVO (a ser) MORTO?

Anthony Garotinho quando foi preso por um crime eleitoral que supostamente havia cometido durante as eleições meses depois desta sem nenhum julgamento, parecia mais de uma das arbitrariedades das prisões ilegais que estão sendo feitas no Brasil, como o suposto delito já não apresentava mais condições de ser realizado, pois a eleição já haviam passado.

Porém na hora que foi preso, Garotinho esperneou literalmente provocando um escândalo que inviabilizou o envio para uma unidade prisional comum, ele logo a seguir explicou seu escândalo, devido a uma possibilidade do mesmo na prisão sofrer um atentado. Bem o mal o julgamento continua, mas Garotinho aguarda em liberdade até o fim do processo, em resumo, ele temia por sua vida.

Pois bem, passando aos dias atuais ficamos surpreendidos com a fantástica cobertura de Rede Globo sobre um pequeno trecho de uma conversa que dura poucos segundos feita por uma gravação de baixa qualidade cheia de ruídos em que é necessário prestar muito a atenção sobre o que está registrado. Leia mais »

Sem votos

Alguém está detectando algo bem mais sinistro!

Começam a causar espécie (que expressão mais antiga!) discursos conciliadores provindo de onde jamais se pensaria que viria como Gilmar Mendes, Reinaldo Azevedo, FHC e outros, que espantam ouvidos que escutavam duras críticas destes mesmos. As interpretações são as mais diversas, porém parece que alguém bem mais em cima destes arautos da direita começa a transmitir a senha que o cuidado deve ser redobrado para evitar que mãos mais impuras toquem no Bolo.

Temos simplesmente que imaginar que o Império tem o seu próprio roteiro, e como o Brasil não é um pequeno país da América Latina ou da África. E talvez o roteiro previsto foi executado com muita velocidade e efeitos colaterais começam a ser detectados.

Vamos imaginar um cenário, o Império deseja países integrados no grande circuito monetário bombeando recursos e produtos para a matriz, para isto as figuras tradicionais do PSDB eram as ideais, as do PMDB mais enraizada nas oligarquias locais são passíveis de retrocessos na internacionalização do país e de alianças com governos mais progressistas, já o velho PSDB não. Leia mais »

Sem votos

Uberização, Imperialismo e Ludismo Moderno.

Talvez o título pareça um pouco meio sem sentido, porém é um texto que procura dar uma atenção aos velhos, e alguns cansados, militantes socialistas ou comunistas que não entendem porque o Capitalismo e o Imperialismo conseguem sobreviver apesar das previsões mecanicistas que grande parte da esquerda faz, prevendo a extinção do Capitalismo a cada grande crise.

Pois bem, o capitalismo se renova de forma anárquica e pragmática, sem teorias da conspiração ou reuniões de Clube de Bilderberg ou de Illuminati, mas sim pela implantação do Uber, do YouTube, do NetFlix e de mais outros que hão de vir.

O imperialismo cansou de intermediários, e para garantir a sua subsistência e domínio sem controle das inconvenientes leis nacionais e burocracias estatais partiu para a centralização não mais na mãos de 1% da população, mas muito menos ainda. Leia mais »

Sem votos

Quando não for dinheiro em paraísos fiscais será o ouro e os diamantes!

Quando não for dinheiro em paraísos fiscais será o ouro e os diamantes!

Parece que todos estão chegando a uma mesma conclusão, a capacidade de corromper dos grandes capitalistas é imensa.

Se uma empresa em dez anos conseguiu a proeza de gastar US$3,3 BILHÕES (dólares, é claro) se somarmos todas as empreiteiras, os bancos, as multinacionais e mais outros grandes capitais, poderemos sem fantasiar muito chegarmos a valores em torno de US$20 bilhões em suborno aos políticos que estiverem disponíveis para serem subornados. Leia mais »

Sem votos

Na criação de um capitalismo nacional qual é o limite de sua defesa pela esquerda?

Qual é o limite da esquerda na defesa de um capitalismo nacional?

Com a sucessão das delações dos executivos da Odebrecht talvez o que deva questionar muito os esquemas da corrupção como também os valores das propinas caixas dois e subornos propriamente ditos. Também não é de estranhar a capilaridade com que esta verdadeira hidra se espalhou por todos os níveis da política e pela imensa maioria dos partidos. O que é necessário questionar é o Capitalismo no nosso país.

A grande pergunta que deve ser feita é para que serve o capitalismo no Brasil. Temos por um lado empresas estrangeiras que simplesmente trazem indústrias prontas e muitas perfeitamente obsoletas e que na maioria das vezes são financiadas com capital nacional geralmente do dinheiro de impostos. Por outro lado temos milhares de indústrias nacionais que não produzem o mínimo de tecnologia e que pouco a pouco vão entregando o seu mercados aos grandes conglomerados internacionais.

Além das pequenas e médias empresas, sobrevivem de novo através de uso de financiamentos públicos ou diretos ou indiretos através de sobre-preço de produtos e serviços vendidos ao Estado. Leia mais »

Sem votos

Por que os movimentos da direita se esvaziaram tão rápido?

 

As manifestações do dia 26/03/2017 foram enigmaticamente esvaziadas em relação a séries de manifestações realizadas pela direita no último ano, qualifica-las de fracasso ou qualquer outro nome é uma mera questão retórica que serve simplesmente para motivar a militância da esquerda ou mesmo a militância mais progressista alargando o espectro dos que se vão se tornando contra o Golpe.

As 630 pessoas em Brasília, praticamente o mesmo número de policiais destacados seguir os manifestantes somadas com algo em torno de um pouco mais de 2000 pessoas no Rio de Janeiro e uns 20.000 (dados não confirmados) em São Paulo são o que para cidades com mais de alguns milhões de habitantes uma verdadeira não existência destas como um movimento de massa, ou seja, manifestações que não chegaram a agrupar 0,1% das populações destas cidades, como o complemento disto é 99,9% estatisticamente é possível se dizer que elas não existiram. Leia mais »

Sem votos

Os tribunais fascistas nunca antecedem aos governos fascistas.

Os tribunais fascistas nunca antecedem aos governos fascistas.

 

Há determinados conceitos históricos que alguns aspirantes a um judiciário fascista tem que entender que os tribunais fascistas nunca antecedem aos governos fascistas! Talvez seja necessário extrair coisas da história para se entender coisas do presente, e o funcionamento do judiciário é uma delas.

Durante a implantação dos regimes fascistas na Itália e na Alemanha tanto num como no outro caso, se tem uma ordem de fatores que foi sempre respeitada, também em países com governos totalitários em geral, desde as ditaduras mais simplórias até as mais elaboradas sempre a ordem da legalização do que chamamos a perda dos direitos individuais por atos discricionários do judiciário não é a origem de um Estado Fascista ou autoritário em geral. Leia mais »

Sem votos

A evolução do golpe, tentando manter a coerência da análise da política brasileira nos últimos três anos.

Tentando manter a coerência da análise da política brasileira nos últimos três anos.

Para que se possa ter firmeza nas análises do desenvolvimento da política e da luta do PODER no Brasil é necessário ter autocrítica e verificar onde as análises anteriores falharam para poder seguir a diante numa projeção ao futuro.

Nassif nos seus já começando a ficar famosos Xadrezes das diferentes situações do país e todos os imbróglios montados tanto pela grande mídia como pelas gangues que começam a se digladiar de forma explícita, que nem na filmografia pornográfica, ou seja, quanto mais explícito ela o for, mais pobre, mais mal produzido e mais chulo o resultado, tem mostrado um retrato excelente da crise dos golpistas com todos os seus desdobramentos.

Porém como não tenho a formação de jornalista, que deve ser um narrador fiel do presente, e como a minha formação técnica sempre procurou através da análise do passado prever o futuro, tento ajustando os erros da análise do passado afinar a previsão do futuro. Leia mais »

Sem votos

Retribalização ou a volta da tribalização e seu uso para a falência das organizações partidárias (Parte 2).

Parte 2: Uma aplicação do conceito a derrota dos democratas na eleição norte-americana.

As eleições norte-americanas foram um exemplo típico da falência do esquema político montado em torno do conceito de retribalização. Muitos cientistas sociais até hoje não entenderam o processo que ocorre na política atual, a falta de sensação de representatividade de candidatos que se apoiam em esquemas eleitorais baseados em minorias (ou mesmo em pseudomaiorias), que somadas aparentemente dão a maioria nas eleições, são despresados em relação a discursos mais inclusivos inclusive aqueles que não abrem mão da noção de classes sociais por mais anacrônicos que possam parecer Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

A aposentadoria por capitalização é o maior MITO de todos os MITOS.

 

A aposentadoria por capitalização é o maior MITO que por incrível que pareça ninguém dá destaque a sua TOTAL E COMPLETA INVIABILIDADE. Repito o que já disse e é extremamente simples de demonstrar. OS SISTEMAS POR CAPITALIZAÇÃO SÃO INVIÁVEIS E NO MÍNIMO MUITO MAIS CAROS QUE OS SISTEMAS POR SOLIDARIEDADE.

Num sistema por solidariedade quem está trabalhando paga a aposentadoria dos que estão aposentados, num sistema por CAPTAÇÃO QUEM ESTÁ TRABALHANDO, CONTINUA TENDO QUE PAGAR POR OUTRAS VIAS OS APOSENTADOS E AINDA TEM QUE CAPITALIZAR PARA SI MESMO! Leia mais »

Sem votos

Um país esperando Godot.

 

Como na peça máxima do teatro do absurdo de Samuel Beckett estamos num país Esperando Godot. A única diferença que não são duas personagens esperando Godot, mas sim um país em diálogos do absurdo esperam Godot. A peça passa num ambiente minimalista em que os dois personagens ficam falando de forma mecânica coisas sem sentido e ficam nos dois atos esperando Godot.

Nada mais faz sentido na nação brasileira, um executivo que sabendo que não representa mais nada se jacta de sua falta de representatividade, um congresso que mesmo sabendo que o que vota é totalmente ao contrário da vontade de seus eleitores continua com os diálogos do absurdo, um serviço público que começa a falhar exatamente por falta de recursos, um ministro da fazenda que no meio da maior depressão econômica que se tem notícia que fala que há indícios de retomada porque algo passou de um tanto mais um tantinho. Um personagem que tem popularidade, porém que apesar da popularidade a maioria dos espectadores está assistindo para ver se ele será preso ou não. Ou seja, é o cenário legítimo do teatro do absurdo. Leia mais »

Média: 5 (1 voto)