Revista GGN

Assine

Artes

Exposição Coletiva de Arte Que a Justiça reine em meu País, por Rosângela Vig

Fotos: Sandra Honors

Do Obras de Arte

Exposição Coletiva de Arte “Que a Justiça reine em meu País”

por Rosângela Vig

Em meio à Arte, tantas foram as manifestações de quem cria, clamando por um país melhor, mais justo e por consequência, com cidadãos mais felizes. Na Escultura, na Pintura e na Fotografia, as cores do Brasil predominaram, falando em alto tom, entremeados de mensagens que falam pela voz dos brasileiros.

No coquetel, ficou claro o sucesso da exposição, com a impecável abertura e entrega de certificados aos artistas participantes. A surpresa da exposição ficou por conta das obras ainda inéditas de cada um de seus autores, feitas especialmente para o evento. Todas cobertas, foram uma a uma, aos poucos descortinadas, iluminando com cores e formas, na OABSP – Jabaquara. O sucesso e o ineditismo se deve à Coordenadora Dra. Cíndia Regina Moraca e à Curadora Dra. Sandra Maria Honorato Silva.

Leia mais »

Sem votos

Paris, os loucos anos vinte, por Jota A. Botelho

Por Jota A. Botelho



Um parêntese de liberdade, um momento mágico entre as duas guerras mundiais, os felizes anos 20 que só durou uma década, numa época que Paris viveu uma intensidade criativa e uma efervescência nunca visto antes. A noite temática da RTV Espanhola investiga esta história da capital francesa no documentário Paris, os loucos anos vinte, onde se vendiam sonhos todos os dias e noites pela Cidade Luz, e que Hemingway a descreveu na sua obra Paris é uma Festa

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Códices Mexicanos em mostra na USP, por Walnice Nogueira Galvão

Códices Mexicanos em mostra na USP

por Walnice Nogueira Galvão

Quem diz que os povos mesoamericanos não possuíam escrita revela uma estreita e preconceituosa visão etnocêntrica: eles só não usavam o alfabeto latino, que é o nosso. Árabes, chineses, indianos, tampouco o usam hoje. E no passado havia a escrita cuneiforme dos assírios e babilônios, a hieroglífica dos egípcios, e assim por diante. Todas, antigas ou modernas, bem ilustres.

Os povos mesoamericanos  incluem os maias e os vários do império azteca: toltecas, otomíes, olmecas, zapotecas, tlascaltecas, chichimecas, mixtecas etc. Esses povos inventaram uma escrita mista, isto é, em parte ideográfica (como a egípcia, com figuras que correspondem a ideias ou conceitos) e em parte  fonética (ou seja, a determinado desenho corresponde um som ou sílaba).

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Casa das Caldeiras abraça toda a família

Imagem: Divulgação
 
Jornal GGN - Encerrando mais uma fase do projeto “Manual da Família – A Arte de Educar no Século XXI”, a Associação Cultural Casa das Caldeiras convida o público para dois dias de atividades lúdicas voltadas para toda família. A Mostra Especial, que pretende estimular o bom convívio familiar, acontece hoje e amanhã, sábado e domingo, dias 6 e 7 de agosto, na sede da associação, em São Paulo. A programação é gratuita. 
 
Durante os dois dias, os visitantes irão participar de diferentes experiências, pensadas 
pela equipe do Manual da Família, a partir do objeto de estudo e pesquisa do projeto. Com as vivências, a equipe pretende  sensibilizar, conectar e inspirar os participantes, que terão o desafio de se perceber e ao próximo, assim alcançando possíveis transformações positivas em suas relações no cotidiano. 

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Um festival de verão, por Walnice Nogueira Galvão

Um festival de verão

por Walnice Nogueira Galvão

Quando o verão chega no hemisfério Norte, a vida se engalana. O sol aquece, as roupas somem, as pessoas se espalham pela praças, as mesinhas migram para as calçadas, a alegria é geral, como uma ressurreição. O que afinal é, uma ressurreição da natureza até então massacrada pelo frio que interioriza, pela morte do mundo vegetal e pela hibernação. Os festivais de arte se instalam por toda parte.

Onde houver imponentes ruínas gregas ou romanas, esses serão os locais escolhidos para os eventos, sempre ao ar livre. Alguns se especializam: na Inglaterra é Shakespeare pelo país todo, sobretudo nos pátios internos daquelas lindas universidades medievais, como Oxford e Cambridge; Avignon hospeda o festival de teatro; Verona oferece óperas completas, sem faltar a Aída de Verdi, com direito a elefantes no palco.

Leia mais »

Média: 2.5 (4 votos)

Exposição Toulouse-Lautrec em Vermelho, por Rosângela Vig

Imagem: Acervo Masp O Divã, Toulouse Lautrec, 1893

do Obras de Arte

Exposição Toulouse-Lautrec em Vermelho

por Rosângela Vig

" Nos fanados divãs das cortesãs mais velhas,
Pintada a sobrancelha, o olhar langue e fatal,
Num esgar, a fazer das pálidas orelhas
Tombar um retinir de pedra e de metal;

Sobre um verde tapiz, muitos rostos sem boca,
Como bocas sem cor, maxilares sem dente,
Dedos em convulsão pela febre mais louca,
Sondando o bolso roto ou o seio fremente;

Sob os estuques vis, fila de frouxos lustres,
De candeeiros de mal projetados fulgores
Sobre as frontes letais dos poetas ilustres
Quem vem desperdiçar os seus sangrentos suores;

 

Eis o negro painel que num sonho noturno
Vi desdobrar-se a meu olhar claro e curioso.
Eu mesmo, num desvão do covil taciturno,
Encostei-me a tremer, o mais mudo e invejoso."
(BAUDELAIRE, 2006, p.110)

A vida boêmia parisiense do final do século XIX nunca foi tão bem retratada: na Poesia, pelas palavras de Charles Baudelaire (1821-1867), em seus Quadros Parisienses; na Pintura, pelas formas e pelas cores de Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901). De ambos, os mais poéticos retratos de Paris e de suas pessoas. E Lautrec foi além da vida noturna, na cidade francesa; passeou pela forma peculiar com que conseguiu expressar seu traço; divagou pelas cores, pelo movimento e pelos lugares que ele mesmo frequentou.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Laerte e Angeli levam a Era de Ouro para o Sesc Ipiranga

Foto: Divulgação

Jornal GGN - Depois de quase 37 anos, os cartunistas Laerte e Angeli se unem para lançar uma nova revista, a Baiacu. Mas não só isso, o exemplar será produzido pelas mãos de mais dez ilustradores em uma residência artística. E, ao mesmo tempo, o público poderá conferir oficinas, cursos, aula-magna, bate-papos, vivências e uma mostra visual no Sesc Ipiranga, em São Paulo. As inscrições para essas atividades, que acontecem entre os dias 11 e 23 de julho, abrem para todo o público a partir do dia 7. 

A residência artística contará com os artistas Eloar Guazzelli, Fabio Zimbres, Pedro Franz, Juliana Russo, Rafael Sica, Mariana Paraizo, Gabriel Góes, Laura Lannes, Power Paola (Colômbia) e Ilan Manouachse (Grécia). Durante 15 dias, esses ilustradores irão ocupar a Casa do Sol, do Instituto Hilda Hilst, e lá serão coordenados por Laerte, Angeli e Rafael Coutinho na produção da revista, com a participação dos escritores  Bruna Beber, André Sant’Anna e Daniel Galera. A Baiacu chega ao público em novembro, pela Editora Todavia.  

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Meio ambiente por inteiro, por Rosângela Vig

Imagem: Divulgação

Do Obras de Arte 

Meio ambiente por inteiro

por Rosângela Vig 

"Eu sou a terra, eu sou a vida.
Do meu barco primeiro veio o homem.
De mim veio a mulher e veio o amor.
Veio a árvore e veio a fonte.
Vem o fruto e vem a flor.

Eu sou a fonte original de toda vida.
Sou o chão que se prende a tua casa.
Sou a telha da coberta de teu lar.
A mina constante de teu poço.
Sou a espiga generosa de teu gado
E certeza tranquila a teu esforço.
Sou a razão de tua vida.
De mim vieste pela mão do Criador,
E a mim tu voltarás no fim da lida.
Só em mim acharás descanso e paz."
(CORALINA, 2004, p.311)

Não são necessárias palavras rebuscadas para se exteriorizar o verdadeiro sentido da vida. Para Cora Coralina, o ser humano está por aqui de passagem, numa breve estadia. A Terra é sua única casa e dela vem sua vida, sua família, seu sustento. Cuidar bem do planeta significa cuidar de nosso futuro e do futuro das próximas gerações. A compreensão dessas palavras entretanto parece árdua a muitos e prossegue a deterioração do meio ambiente, a passos largos, a céu aberto, a despeito de todo o conhecimento que se tem sobre as consequências a todos. Deixar de pensar nisso e de se tomar atitudes, significa não cuidar da grande casa em que vivemos.

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Arte Neoclássica, por Rosângela Vig

Do Obras de Arte

Arte Neoclássica

por Rosângela Vig

"Afirmo, então, que isto me serve de ponto de partida e de base quando admito que existe uma Beleza em si e por si, uma Bondade, uma Grandeza em si e por si, e a mesma coisa ocorre com tudo o mais. (…) Ao seguir esse princípio parece-me que não me arrisco a desviar-me: que segurança responder a outrem que as coisas são belas por causa do Belo! Não pensas também assim?" (PLATÃO, 1999, p. 168)

A Filosofia de Platão transcendeu o tempo, é tão atual quanto profunda. Seu pensamento nos conduz ao Belo do mundo das ideias, é o que se une ao Bem, à Verdade e à perfeição. Na Arte, o Belo é o resultado das cores e das formas, em perfeito arranjo, tão harmonicamente combinadas quanto as notas de uma canção. Ao olhar, o Belo circula pelo campo das sensações, é fonte de infindável deleite e conduz o coração ao êxtase.

Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Fim de semana com festival gastronômico árabe em São Paulo

O projeto “Um dia nas Arábias”, além de promover a cultura árabe usando a culinária como elemento principal, tem o objetivo de apoiar e gerar empregos para os refugiados sírios no Brasil. Com entrada gratuita, os visitantes podem colaborar com a causa doando um 1kg de alimento não perecível ou produtos de higiene

Imagem: Reprodução/Facebook

Jornal GGN - A Vila Butantan, em São Paulo, foi o espaço escolhido para mais uma edição do festival gastronômico “Um dia nas Arábias”, que acontece neste final de semana, nos dias 20 e 21 de maio. Sob a temática “De volta para as Arábias – Despedida do Ali”, o evento contará com 30 expositores, entre refugiados sírios e descendentes árabes, que apresentarão diferentes elementos culturais como: pratos culinários, artesanatos, danças, além de promover debates. A feira será aberta às 11h e vai até às 21h.

A edição, organizada pelo Studio Mock em parceria com a Associação Juventude Armênia, é uma homenagem ao mascote do festival, o ‘Ali’, criado para interagir com o público nas redes sociais e que está se despedindo para ir ao Líbano. O projeto, idealizado por Said El Hajj, além de promover a cultura árabe, tem o objetivo e apoiar e gerar emprego aos refugiados abrigados no Brasil.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

O Rococó no Brasil, por Rosângela Vig

Foto: Museu Aleijadinho

Do Obras de Arte 

O Rococó no Brasil

por Rosângela Vig

"Eu vivo nas tuas igrejas
E sobrados
E telhados
E paredes.
Eu sou aquele teu velho muro
Verde de avencas
Onde debruça
Um antigo jasmineiro,
Cheiroso,
Na ruinha pobre e suja.
Eu sou estas casas
Encostadas
Cochichando umas com as outras.
Eu sou a ramada
Dessas árvores,
Sem nome e sem valia,
Sem flores e sem frutos,
De que gostam
A gente cansada e os pássaros vadios."
(CORALINA, 2004, p.38)

Pode ser que um Brasil ainda antigo esteja vivo em algumas ruazinhas de nosso país. Emoldurado por suas janelinhas, portinhas e igrejas, o tempo permaneceu inalterado nas cidades históricas, em suas ruas, suas vielas, seus becos. É como se a memória insistisse em sobreviver, em meio a telhados, fachadas, esculturas e pinturas. Fechando-se os olhos, é possível ouvir o burburinho de outros tempos, o arrastar de passos e o tropel de crianças em alegres brincadeiras e correrias, pelas ruas. A Arte, assim fala ao pensamento, por meio de preciosos vestígios que a História deixou como pegadas dos séculos.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

TodoDomingo é programa especial da Casa das Caldeiras

unnamed_13.jpg

Jornal GGN - A Casa das Caldeiras abre suas portas, no dia 30 de abril,  para as ações do projeto “TodoDomingo - Especial Ponto de Cultura”, que contará com atividades do “Manual da Família - A Arte de Educar no séc. XXI”, a partir das 10h30. O evento gratuito, em São Paulo, pretende reunir adultos e crianças nas diversas dinâmicas lúdicas e na grande exposição dos trabalhos da residência artística - Obras em Construção.

O TodoDomingo começará com uma ‘Vivência’, das 10h30 às 13h, realizada pela equipe do projeto “Manual da Família - A Arte de Educar no séc. XXI”. No encontro, ocorrerão as atividades propostas no Manual, além de muito bate-papo, com o intuito de que os participantes possam se perceber e perceber ao próximo. Para participar dessa ação, que tem o objetivo de estimular práticas saudáveis para uma boa convivência em família, é preciso que o interessado se inscreva.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

O Barroco no Brasil, por Rosângela Vig

Do Obras de Arte

O Barroco no Brasil

por Rosângela Vig

"O alegre do dia entristecido;
O silêncio da noite perturbado;
O esplendor do sol todo eclipsado;
E o luzente da luz desmentido."
(MATOS in MASSAUD, 2000, p.50)

Em meio ao dizer e ao desdizer, as palavras de Gregório de Matos (1623-1696) perpetuaram as impressões de seu tempo. Sua irreverência e seu espírito, muitas vezes contundente, acabaram por levá-lo ao exílio, em Angola. Mas talvez, ao maior poeta do Barroco brasileiro, nascido na Bahia do século XVII, coube a tarefa de refletir acerca das incertezas de sua época. Sua poesia religiosa descortinou desejos de sublimação espiritual e pedidos de perdão; revolveu emoções; e, acima de tudo, traduziu os ajuizamentos de um período dividido entre o misticismo medieval e o ceticismo renascentista.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

24ª Semana Mazzaropi espalha arte e cultura em São Paulo

Imagem: Museu Mazzaropi 

Jornal GGN - Diferentes pontos de São Paulo recebem atividades artísticas como parte da 24ª Semana Mazzaropi. Até o dia 11 de abril, sob o tema “Mazzaropi, o Brasil e a Felicidade”, espetáculos, palestras e filmes reavivam a memória do artista brasileiro, na Caixa Belas Artes, no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, entre outros lugares.

A atividade desta quinta-feira, dia 6 de abril, discutirá a influência da tradição do cômico caipira em Amácio Mazzaropi e sua passagem pelos picadeiros. O encontro, com o Professor Doutor pela Universidade de São Paulo Walter de Sousa Junior e Tiago Gonçalves, acontece no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, a partir das 19h.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

O pintor José Antonio da Silva na Galeria Almeida & Dale, por Walnice Galvão

Por Walnice Nogueira Galvão

José Antonio da Silva surgiu na voga da descoberta dos artistas naïfs ou primitivos. Sua exposição em São Paulo, em 1948, realizou-se na Galeria Domus, alcançando extraordinário sucesso. Inaugurada um ano antes, a Domus foi a primeira galeria de arte moderna no Brasil, computando 90 exposições entre 1947 e 1951, o que é um número fantástico para tão curto intervalo de tempo.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)