newsletter

Pular para o conteúdo principal

Ciência

Drone ajuda cientista a obter dados para inventários florestais na Amazônia


Foto: Henrique Lima/Inpa

Jornal GGN
– Uma pesquisa feita pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) está usando drones para obter dados e estimar o nível de carbono da floresta. O trabalho é coordenado pelo cientista Carlos Celes, que realiza pesquisa como parte de seu doutorado no instituto. A pesquisa foi apresentada durante o Seminário Final do Projeto Cadaf (Carbon Dynamics of Amazonian Forest), realizado entre os 27 a 29 de abril, na sede do Inpa, em Manaus.

Em sua palestra de apresentação dos resultados do estudo, o cientista explicou o processo pelo qual obteve as imagens e como as fotos registradas pelo aparelho são convertidas em dados. O modelo de drone usado no trabalho é o Md4-1000, feito de fibra de carbono. O aparelho tem a capacidade de voar durante cerca de uma hora e vinte minutos.
Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

BMW cria garagem ecológica que recarrega carro híbrido



Jornal GGN
– A marca BMW anunciou que, em conjunto com o lançamento do seu novo veículo híbrido i8, em Los Angeles, a empresa também irá revelar o projeto de uma garagem chamada de ISOLAR. Trata-se de uma tipo de garagem específico para o i8 (também serve ao modelo anterior, o i3) que, além de fornecer cobertura, também vai fornecer eletricidade para carregar as baterias do veículo.

A garagem possui células solares no topo da cobertura, resolvedo dois problemas para os proprietários desses automóveis – especialmente aqueles que vivem em locais ensolarados, como os do Sul da Califórnia. Em tais regiões, garagens são caras, já que há muito pouca necessidade de proteger os veículos de gelo, granizo ou neve. Em vez disso, as construtoras têm investido em garagens sem paredes, chamadas “carports”.
Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

NASA quer levar plantas para Marte e testar sobrevivência



Jornal GGN
– A Agência Espacial Norte-americana (NASA) pretende lançar uma missão com o objetivo de levar 200 sementes de uma planta específica para o planeta Marte e testar se elas seriam capazes de sobreviver e se desenvolver após plantadas e regadas. A ideia da missão Mars Plant Xperiment (MPX) é testar as condições atmosféricas e ambientais do planeta vermelho. O plano foi apresentado durante uma conferência pela equipe do Centro de Pesquisa Ames. Os testes poderiam começar quando a próxima sonda exploradora chegar ao planeta em 2021.
Leia mais »

Sem votos

Paleontólogos descobrem parente mais agressivo do Tyrannosaurus rex



Jornal GGN
– Cientistas da Fundação de Ciência Natural da China, National Science Foundation e da Universidade da Escola de Geociências de Edimburgo descobriram uma nova espécie de Tiranossauro considerado “primo” do grande Tyrannosaurus rex, um carnívoro que viveu na Ásia durante o período Cretáceo. O novo animal, da mesma família, foi apelidado de Pinocchio rex, por conta do nariz avantajado identificado pelos pesquisadores. Ele viveu na Terra mais de 66 milhões de anos atrás.

Apesar de ser da mesma família, o predador recém-descoberto era muito diferente da maioria dos outros Tiranossauros. Ele tinha um crânio alongado e dentes longos, embora estreitos em comparação com as mandíbulas mais potentes, mais profundas e dentes mais grossos de um T. rex convencional. Os paleontólogos estavam incertos sobre a existência de Tiranossauros de focinho longo até a descoberta dos fósseis de um dinossauro chamado Qianzhousaurus sinensis, descobertos no sul da China.
Leia mais »

Sem votos

Astrônomos usam “maior telescópio da galáxia” para medir estrela de nêutrons



Jornal GGN
– Uma equipe internacional de astrônomos fez uma medição de uma estrela de nêutrons usando um recurso um milhão de vezes mais preciso do que o melhor telescópio existente. Os pesquisadores usaram o próprio meio interestelar , o espaço “vazio” entre as estrelas e as galáxias – que é composto por partículas carregadas e esparsas –, como uma lente gigante para ampliar e olhar de perto as ondas de emissão de rádio de uma pequena estrela de nêutrons em rotação.

A técnica rendeu a medição de maior resolução já alcançada – o equivalente a visualizar a estrutura de dupla hélice de nossos genes a partir da superfície da Lua. “Comparado com outros objetos no espaço, as estrelas de nêutrons são minúsculas – apenas dezenas de quilômetros de diâmetro. Por isso precisamos de uma resolução extremamente alta para observá-las e compreender sua física”, afirma Jean-Pierre Macquart, do Centro Internacional para Pesquisa em Radioastronomia (ICRAR).
Leia mais »

Sem votos

Stephen Hawking teme que inteligência artificial possa ameaçar a humanidade



Jornal GGN
– Considerado a maior mente científica da atualidade, o renomado físico Stephen Hawking demonstrou preocupação com o futuro da humanidade por conta do avanço da inteligência artificial. Em carta enviada ao jornal The Independent, Hawking fez algumas considerações a respeito dos potenciais impactos da IA, afirmando que “essa seria a maior conquista da humanidade até então e possivelmente a última”.

Parte das considerações do físico foram feitas em função do filme Transcendence, que trata justamente de um cenário envolvendo a inteligência artificial e sua relação com os seres humanos. “Olhando lá na frente, não há limites fundamentais para o que pode ser alcançado: não há lei da física que impeça partículas de serem organizadas em maneiras que possibilitem computações ainda mais avançadas do que as realizadas no cérebro humano”, afirmou o físico. Leia mais »

Média: 4.6 (9 votos)

NASA revela imagem de dunas “ativas” em Marte



Jornal GGN
– A Agência Espacial Norte-americana (NASA) divulgou, nesta segunda-feira (5), imagens de uma região de Marte conhecida como Nili Patera, considerada uma das áreas de dunas mais ativas do planeta vermelho. O movimento das dunas ajuda os cientistas a determinar o comportamento sazonal dos ventos de um ano para o outro, por isso a NASA permanece monitorando a área continuamente.

Para as observações, a agência utiliza a HiRISE (sigla para High Resolution Imaging Science Experiment), uma câmera abordo da sonda Mars Reconnaissance Orbiter, que faz uma nova imagem a cada seis semanas. A foto recém-divulgada de Nili foi feita no dia 1º março de 2014. Em comparação com a imagem feita em 22 de novembro de 2012, as mudanças são óbvias: as ondulações moveram-se e geraram deslizamentos de terra.
Leia mais »

Sem votos

Nova imagem do espaço mostra dimensão do “Olho da África”



Jornal GGN
– Com 40 quilômetros de diâmetro, a Estrutura de Richat, na Mauritânia, é uma das formações geológicas mais impressionantes e de fácil identificação do espaço – mais fácil que observar da Terra. Situada no deserto do Saara, a formação teve uma nova foto divulgada esta semana, revelando mais detalhes da enorme dimensão de sua formação. A imagem foi registrada e divulgada pela Agência Espacial Europeia (ESA).

Anteriormente, acreditava-se que a estrutura fosse o resultado do impacto de um meteoro contra o planeta, mas agora sabe-se que, na verdade, ela é resultado de um processo geológico natural, em que uma grande cúpula de rocha derretida – num passado remoto – foi moldada pelo vento e pela água. A área escura à esquerda é parte do planalto Adrar de rocha sedimentar a uma altura de 200 metros acima das areias do deserto ao redor.
Leia mais »

Sem votos

A 'Atlântida' entre a Grã-Bretanha e a Europa

Sugerido por Assis Ribeiro

Da BBC

'Atlântida' entre Grã-Bretanha e Europa sumiu sob o mar após tsunami de 5 m




Uma "Atlântida" pré-histórica no Mar do Norte pode ter sido abandonada após ser atingida por um tsunami de 5 metros há 8,2 mil anos, sugere um estudo britânico.

A onda foi causada por um deslizamento de terra de grandes proporções ocorrido debaixo d'água na costa da Noruega.

Analistas acreditam que o tsunami invadiu Doggerland, uma massa de terra que desde então desapareceu sob as ondas.

"Foi abandonada por tribos mesolíticas há cerca de 8 mil anos, que foi quando ocorreram os trêsStoregga slides (os deslizamentos debaixo d'água no limite da plataforma continental norueguesa, que estão entre os maiores deslizamento de terra conhecidos)", disse Jon Hill, do Imperial College em Londres.

Leia mais »

Média: 3 (4 votos)

NASA vai estudar danos causados por uma eventual Supernova perto da Terra



Jornal GGN
– A Agência Espacial Norte-americana (NASA) acaba de receber um financiamento de meio milhão de dólares para iniciar uma pesquisa que vai descobrir, em detalhes, os potenciais efeitos da explosão de uma Supernova próximo da Terra, a pelo menos 30 anos-luz de distância. As supernovas são grandes explosões causadas durante a morte de uma estrela, quando o corpo celeste supera todas as etapas de sua vida e consome todo o seu combustível nuclear, entrando em colapso. O resultado da explosão são massas de gás e poeira conhecidas como nebulosas.
Leia mais »

Sem votos

Austrália terá eclipse parcial ao por-do-Sol

Jornal GGN – Nesta terça-feira (29), a Austrália verá um eclipse parcial do Sol ao fim do dia. Mais de dois terços da luz da estrela serão bloqueados pela Lua. O fenômeno será melhor visto do Sul do país que no Norte, de acordo com astrônomos da Universidade Swinburne de Tecnologia.

O país é um dos poucos que, por sua localização, tem assistido a eclipses quase que anualmente. Mas, segundo o astrônomo Alan Duffy, amanhã será um marco de um hiato em que o país não verá novamente o fenômeno até 2028.

“Eclipses são um dos maiores espetáculos visuais da natureza e um lembrete poderoso de que o nosso Sistema Solar é um lugar dinâmico e em constante mudança. Para os astrônomos, o eclipse é uma grande oportunidade para aprender sobre a corona, as bordas exteriores da atmosfera do Sol, o que faria normalmente ser ofuscado pelo resto da estrela. Embora este seja apenas um eclipse parcial, ainda deve ser um grande show”.
Leia mais »

Sem votos

Atmosfera da Terra teve 26 explosões de asteroides desde o ano 2000



Jornal GGN
– O cinema está cheio de histórias de catástrofes causadas no planeta por conta do impacto de asteroides, o que mostra certo fetiche e interesse das pessoas em relação ao assunto. E não é por acaso. Um novo estudo, divulgado no “Dia da Terra”, no último dia 22, mostra que a atmosfera de nosso planeta foi literalmente bombardeada 26 vezes por asteroides que causaram explosões cujas forças de impacto são similares a de bombas nucleares, variando de 1 a 10; 10 a 20 e acima de 20 quilotons de força.

Os dados são da Fundação B612, um grupo de caça de asteroides com sede na Califórnia, que fez a apresentação como parte de uma apresentação no Museu de Seattle. Os resultados foram coletados por meio da Nuclear Ban Treaty Organization, que usa monitora explosões nucleares ao redor do mundo. Eles captaram mais de duas dúzias de explosões “a mais” em todo o mundo – que não foram de testes de países –, e que variaram, em energia, na faixa de 600 mil toneladas de impacto. Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Os tigres, ursos e vulcões da Rússia

Enviado por Jorge Nogueira Rebolla

Média: 5 (3 votos)

A edição da Physics World sobre os desafios e oportunidades para os físicos no Brasil

Por Frederico Firmo de Souza Cruz

Esta é uma reportagem que provavelmente não vai aparecer na "grande" imprensa

Em vez disso, o último Physics World Special Report examina os desafios e oportunidades para os físicos no Brasil - o quinto
maior país em tamanho e sétima maior economia do mundo.

Você pode ler o relatório completo on-line

http://iop.msgfocus.com/c/112woeDJ5hCJzdPDTwLLiYPh

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Cientistas encontram novos vestígios de água “recente” em Marte



Jornal GGN
– Uma nova pesquisa feita por cientistas da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, mostrou que, até 200 mil anos atrás, havia água líquida em Marte. Os novos resultados foram publicados na Icarus – Jornal Internacional de Estudos do Sistema Solar. A constatação veio da análise do hemisfério Sul do planeta vermelho, onde há uma cratera que contém ranhuras muito bem preservadas que indicam fluxo líquido em tempo “recente”.

“Nós descobrimos uma jovem cratera nas latitudes médias do Sul de Marte que mostra evidências de água líquida no passado recente do planeta”, afirma Andreas Johnsson, um dos pesquisadores envolvidos no estudo. Os cientistas explicam que, quando os sedimentos em uma inclinação tornam-se saturados com a água, a mistura pode ficar pesada para permanecer no local, conduzindo a um fluxo de detritos e água. Leia mais »

Média: 5 (3 votos)