Revista GGN

Assine

Na Sala de Visitas com Luis Nassif

Sala: inovação brasileira na odontologia, o controle da mídia por políticos e participação especial de Mafalda Minnozzi e Paul Ricci

Nesta edição do Sala de visitas com Luis Nassif exploramos a evolução do país na odontologia, carregando títulos no desenvolvimento de novos materiais e, ainda, conversamos com a autora de um livro que explora a relação entre mídia e políticos. Para fechar, recebemos a cantora italiana Mafalda Minnozzi  e o guitarrista Paul Ricci apresentado novo trabalho que reúne Jazz e Bossa Nova. Boa programação

Sala: inovação brasileira na odontologia, o controle da mídia por políticos e participação especial de Mafalda Minnozzi e Paul Ricci
 
Jornal GGN - As ciências odontológicas estão entre as áreas onde o país se destaca no mundo, profissionais e tecnologias brasileiras são exportados para vários países. Mas você já se perguntou por que isso acontece, qual é a origem know-haw adquirido por aqui? Nessa edição do Na sala de visitas com Luís Nassif essas questões são esclarecidas com a entrevista de Paulo Francisco Cesar, atual presidente da Academy of Dental Materials e professor da Faculdade de Odontologia da USP onde desenvolve pesquisas na área de biomateriais. A FOUSP é classificada em diversos rankings mundiais como a melhor faculdade de odontologia do mundo, com tradição tanto na formação de clínicos como de pesquisadores.
 
O principal destaque é justamente na área de biomateriais, desenvolvidos para durar o máximo de tempo possível na boca dos pacientes. Em 2011, um dos seus doutorandos, Lucas Hian da Silva, que também participa desta entrevista, ganhou o prêmio Paffenbarger Award da Academy of Dental Materials, concedido para propostas inovadoras na área. E um dos fatores determinantes para o bom desenvolvimento da odontologia brasileira, realizado na USP, é justamente a integração com outros centros de ensino e pesquisa, como explica Paulo Cesar para o nosso apresentador: 
Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Sala de visitas: as ruas e a democracia

Nesta edição, Nassif entrevista cientista social Luis Felipe Miguel, o desembargador Rogério Favreto, com reprise da participação de Ione Papas

Nesta edição, Nassif entrevista cientista social Luis Felipe Miguel, o desembargador Rogério Favreto, com reprise da participação de Ione Papas

Jornal GGN - O programa Na Sala de Visitas com Luis Nassif abre hoje com uma entrevista do articulista do GGN, doutor em ciências sociais pela Unicamp e professor de Ciência Política da Universidade de Brasília, Luis Felipe Miguel, fazendo uma análise do conceito de democracia e o desafio de consolidar o modelo político na atual conjuntura do Estado Brasileiro.

"Se a gente for olhar hoje as democracias, por exemplo, na Europa elas partem de um acordo. As classes populares conquistaram vários direitos políticos, com base no acordo de que alguns espaços de produção igualdade, de condições de aumento do nível de vida seria concedido para o sistema conseguir ser estável. No Brasil, as nossas classes dominantes são tão intolerantes à igualdade, que não aceitam esse acordo, que foi o que esses últimos governos tentaram construir", avalia Miguel que coordena na UnB o Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades. Segundo o professor, uma forma de combater essa visão é com um aumento de pressão da sociedade pelos seus direitos:

"Acho que nesse momento a gente tem uma situação nas instituições muito grave, porque nenhum dos poderes constitucionais está cumprindo o que deveria ser o seu papel, muito pelo contrário. Então, as ruas têm que mostrar pressão, que não vão aceitar esse retrocesso e essa volta à uma situação de profunda desigualdade ", completa. Luis Felipe Miguel também avalia o papel do Ministério Público Federal na crise da democracia brasileira, a necessidade dos centros políticos organizarem um novo pacto para restabelecer a ordem proposta na Constituição Federal de 1988 e, ainda, o papel da figura de Lula no jogo político.
Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Sala de visitas: o que a Lava Jato aprendeu com a Mani Pulite

Luis Nassif recebe o cientista político Aldo Fornazieri, o jurista italiano Jacobo Paffarini e o cantor e compositor Lencker

Luis Nassif recebe o cientista político Aldo Fornazieri, o jurista italiano Jacobo Paffarini e o cantor e compositor Ítalo Lencker
 
Jornal GGN - A edição do Na Sala de Visitas com Luis Nassif abre com a entrevista do cientista político e diretor acadêmico da Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP). Para o professor, a desestabilização político-social enfrentada hoje no país não é resultado de uma única crise, mas sim de múltiplos conflitos estruturais e para a classe política se reconectar com a população é necessária a construção de uma nova pedagogia. 
 
"A nova juventude não quer saber de partidos políticos, a [velha] esquerda não fez essa necessária discussão entre verticalidade e horizontalidade e como buscar um caminho do meio que articule essas duas dimensões”, critica. 
 
Em seguida, Nassif recebe Jacobo Paffarini, doutor em Direito Público pela Universidade de Perugia (Itália) e Professor Permanente no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direito do IMED (Faculdade Meridional). Jacobo se especializou no impacto da globalização sobre o poder judiciário dos Estados Europeus. 

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Sala de visitas: como a Lava Jato desnudou fragilidades da democracia brasileira

Luis Nassif entrevista o colunista do Jornal GGN e pesquisador da UnB Fernando Horta e pianista e cantor Breno Ruiz

Nassif entrevista o colunista do Jornal GGN e pesquisador da UnB Fernando Horta e pianista e cantor Breno Ruiz
 
Jornal GGN - Nesta edição do programa Na sala de visitas com Luis Nassif você acompanha a entrevista completa do colunista do GGN, historiador e relações internacionais Fernando Horta fazendo uma análise do impacto da operação Lava Jato na crise política do país, e como todos os processos políticos que se desenrolaram em torno dela, incluindo o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, desnudam as fragilidades da democracia brasileira.  
 
Para o pesquisador da UnB, a Lava Jato é mais do que uma operação para desvendar um esquema de corrupção revelando, desde seu início, um viés de cunho ideológico para conseguir destituir do governo central do país um partido mais correspondente aos anseios das classes populares.
 
 
Em seguida, Nassif recebe o pianista, cantor e compositor paulista Breno Ruiz, que apresenta músicas do repertório do seu primeiro CD - Cantilenas Brasileiras, trabalho composto em parceria com o poeta Paulo Cesar Pinheiro. Breno é considerado hoje um dos melhores compositores jovens da atualidade no Brasil se tornando, nos últimos anos, referência entre os músicos do Rio Janeiro e de São Paulo.
Leia mais »
Média: 5 (4 votos)

Sala de visitas: mercado de artes no Brasil e a educação na gestão Dória

Nesta edição, Nassif entrevista a artista plástica Cris Conde, a pedagoga Sirlândia Teixeira e os músicos Chico Teixeira e Thadeu Romano

Jornal GGN - Nesta edição, Luis Nassif visita o ateliê da artista plástica Cris Conde, carioca radicada em São Paulo e neta do galerista Duda Conde. Autodidata, Cris se destaca pelos desenhos delicados, a sensualidade feminina e a economia nos traços, já tendo apresentado trabalhos na Europa e convidada para a renomada Bienal de Firenze. Nesta entrevista, ela fala das dificuldades e incentivos de produzir arte no Brasil.

Em seguida, Nassif recebe Sirlandia Teixeira, vice-presidente da Associação Brasileira de Brinquedotecas, para avaliar a decisão do prefeito de São Paulo, João Dória, de fechar salas de leitura e brinquedotecas, negando a contribuição de espaços lúdicos para a pedagogia.

Por fim, Nassif recebe o cantor e compositor Chico Teixeira que apresenta o mais recente trabalho, "Saturno", e fala sobre seu projeto de resgate da música sertaneja de raiz. Essa entrevista conta com participação especial de Thadeu Romano no acordeom.

Leia mais »

Imagens

Média: 5 (1 voto)

Sala de visitas: o lulismo à luz da crise política atual

Luis Nassif recebe os cientistas políticos André Singer e Adrian Lavalle e, ainda, a cantora Joana Garfunkel 

Luis Nassif recebe os cientistas políticos André Singer e Adrian Lavalle e, ainda, a cantora Joana Garfunkel
 
Jornal GGN – Nesta edição do programa Na sala de visitas com Luis Nassif, você acompanha no primeiro bloco uma entrevista com o jornalista, hoje colunista da Folha de S.Paulo e professor da USP, André Singer, que também se consolidou nos últimos tempos como um dos principais cientistas políticos do país, autor de Os sentidos do lulismo que, apesar de ter sido lançado em 2012, já é considerado um clássico na academia. 
 
Singer avalia o que deu errado no processo de integração lulista e os rumos que a crise política poderá tomar nos próximos meses. No final da entrevista, o professor relembra a importância do sociólogo Antonio Candido de Mello e Souza, falecido recentemente, para a sua formação e a de seu pai, Paul Singer. 
 
Em seguida Nassif entrevista, por Skype, o professor do Departamento de Ciências Políticas da FFLCH-USP e coordenador do Núcleo de Pesquisa Democracia e Ação Coletiva do CEBRAP, Adrian Lavalle para avaliar o divórcio entre a população e a classe política, os vícios da estrutura partidária no país e a clivagem de natureza ideológica que se consolidou no cenário político brasileiro nos últimos anos, dividindo o país entre petismo e antipetismo. 
Leia mais »
Média: 3.7 (6 votos)

Sala de visitas: Edson Cordeiro, Jairo Nicolau e Beth Amin

Nesta edição, Luis Nassif entrevista artista com o repertório mais variado entre os músicos brasileiros e, ainda, discute reforma política com cientista politico 

Nesta edição, Luis Nassif entrevista Edson Cordeiro, Jairo Nicolau e Beth Amin

 
Jornal GGN – Esta edição do Sala de Visitas com Luis Nassif abre com uma entrevista de Edson 
Cordeiro. O cantor com o repertório mais variado entre os músicos brasileiros lança o CD “Fado”, décimo segundo álbum de sua carreira gravado na cidade do Porto, em Portugal.
 
 
Em seguida Luis Nassif entrevista por Skype o cientista político e professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Jairo Nicolau, que faz uma avalição positiva do possível desfecho da crise política e institucional enfrenada hoje no país, considerando que há grandes chances de um novo pacto social ser firmado nas eleições de 2018.
 
Por fim Nassif recebe a cantora, compositora e fonoaudióloga Beth Amin, acompanhada dos músicos Felipe Souza (violino), Sidiel Vieira (contra-baixo acústico), Yaniel Matos (cello) e Dani Domenico (violão), apresentando seu novo álbum Túneis. O trabalho foi realizando em parceria com poetas paulistanos misturando vários gêneros, entre eles MPB, jazz, folk e bolero. 
Leia mais »
Média: 5 (1 voto)

Sala de Visitas recebe Fernanda Takai e Gleisi Hoffmann

Ainda nesta edição, especialistas discutem os desafios comerciais entre Brasil e Oriente Médio

Nesta edição do Sala de Visitas, Luis Nassif recebe Fernanda Takai, Gleisi Hoffmann e os especialistas em relações internacionais, Jorge Mortean e Matheus Borella
 
Jornal GGN – Nesta edição do Sala de Visitas, Luis Nassif recebe Fernanda Takai, Gleisi Hoffmann e os especialistas em relações internacionais, Jorge Mortean e Matheus Borella.
 
No primeiro bloco, o programa discute as possíveis mudanças na relação comercial entre Europa, Oriente Médio e Brasil, com a participação do professor de Relações Internacionais da FAAP e pesquisador das relações diplomáticas entre América Latina e Oriente Médio, Jorge Mortean e do Diretor do Comitê e Jovens Empreendedores da FIESP, Matheus Borella.
 
Em seguida, Nassif conversa com a senadora pelo PT do Paraná, Gleisi Hoffmann que analisa o Partido dos Trabalhadores antes e durante a Lava Jato e os possíveis caminhos que a sigla deve tomar para reconquistar forças nas eleições de 2018, apontado Lula como a principal opção do partido para concorrer ao pleito eleitoral. 
 
O programa termina com a participação da cantora, instrumentista, compositora e cronista Fernanda Takai. Vocalista da banda mineira Pato Fu, ela também lançou em 2007 carreira solo, chegando a gravar um disco em parceria com o ex-guitarrista do The Police, Andy Summers, em 2012. Em 2001, Takai entrou na lista das 10 melhores cantoras do mundo, realizada pela Time. A mesma revista realizou uma outra lista com as melhores bandas do planeta, onde o Pato Fu foi incluído ao lado de outros grupos, como Radiohead, U2 e Portishead. 
 
Média: 4.6 (13 votos)

Sala de visitas: Para Augusto Aras, reforma política não deveria ser feita em tempos de crise

Nesta edição, subprocurador especialista em política eleitoral avalia os perigos que a reforma poderá trazer para a democracia 

edicao_34.jpg
 
Jornal GGN - Nesta edição, Luis Nassif recebe na sala de visitas o CEO e fundador da CargoX, Federico Vega, empresa que ganhou o título de Uber do transporte de cargas e que apresentou um crescimento médio de 57% desde que foi criada oficialmente, em março de 2016. Nesta entrevista, Federico fala dos desafios da economia do compartilhamento, que se populariza no mundo graças à facilidade dos aplicativos de celulares.
 
Em seguida, Nassif entrevista por Skype Antônio Augusto Brandão de Aras, Subprocurador Geral da República sobre a reforma política, por se tratar de um dos principais especialistas que estudam o tema no Brasil, já tendo presidido uma comissão sobre a reforma na OAB. Aras destaca sua preocupação de a reforma ser debatida em um momento político e social delicado para o país, apontando para alternativas evitem uma quebra ainda maior da democracia brasileira.
 
Por fim, nosso apresentador recebe os músicos Rafael Beck (flauta) e Rafael Schimidt (violão), apresentando choro e Altamiro Carrilho, homenageado no CD produzido pela dupla.
Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Sala de visitas: Física ajuda a explicar desenvolvimento econômico

Nassif entrevista Paulo Gala sobre novo livro que trata de campo interdisciplinar que ajuda a entender o que determina pobreza ou riqueza das nações 

Paulo Gala lança livro que explica o que determina riqueza e pobreza das nações
 
Jornal GGN - Nesta edição especial do programa Na sala de visitas com Luis Nassif, você acompanha uma entrevista com Paulo Gala, economista da Fator Administração de Recursos FAR, e professor da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, que acaba de lançar o livro 'Complexidade econômica: uma nova perspectiva para entender a antiga questão da riqueza das nações', que traz uma visão mais atual para entender o que determina o desenvolvimento em um país.
 
O trabalho se baseia na 'Econofísica', campo interdisciplinar que reuni teorias da física e da economia. A proposta foi gerada no final dos anos 1980, dentro do Santa Fe Institute, por William Brian Arthur, estabelecendo os primeiros passos da ciência dos sistemas de complexos.
 
O que Paulo Gala traz de diferente no seu livro é um novo paradigma das discussões produzidas pelos clássicos, como Rosestein-Rodan e Celso Furtado, que defendiam que o desenvolvimento de uma nação estaria atrelado ao conceito de troca declinante, ou seja, por suas trocas comerciais que, quando baseadas em produtos valorizados no mercada, garantiriam uma posição de ascendência econômica. 
Leia mais »
Média: 4.2 (5 votos)

Sala de visitas: lidando com o fim da vida e a história da Bossa Nova

Edição aborda como aceitar a transição para o fim da vida, com a médica Ana Claudia Arantes, e ainda, as curiosidades da série “7 x Bossa Nova”


 
Jornal GGN - Nesta edição, Luis Nassif recebe Ana Claudia Quintana Arantes, médica do Albert Einstein, que se destacou nos últimos anos pela maneira como compreende e exerce a especialidade de lidar com pacientes na fase final da vida. 
 
Em seguida ele recebe o jornalista e produtor de televisão Rogério Brandão, que dirigiu, ao lado de Belisario Franca, a melhor série sobre Bossa Nova já produzida no país e no mundo, a "7 x Bossa Nova", lançada em 2005, e que contou a história do gênero musical da periferia até o centro, quando estoura na voz dos grandes ícones Tom, Vinícius e João Gilberto.
 
Por fim o apresentador do Sala de visitas recebe o Trio Choro Moderno, formado pelos irmãos Pedro (cavaco e violão tenor) e Paulo Ramos (violão de sete cordas) e o baterista Diego Pereira, que acabam de lançar o CD Bolo de Fubá, o primeiro álbum do grupo, com composições inéditas e com participação especial de Sizão Machado (contrabaixo), Vitor Alcântara (sax) e Guilherme Ribeiro (acordeom).  
Média: 5 (4 votos)

Franklin Roosevelt ajudou na criação da Petrobras

História da Petrobras
A revelação é do jornalista e escritor José Augusto Ribeiro que também aponta a morte de Vargas como última tentativa do estadista de manter a petroleira viva 
 
Jorna GGN – Era 15 de agosto de 1954, quando o Brasil vivia uma crise civil e militar que estava levando o país à beira de uma guerra civil. Getúlio Vargas vinha sofrendo uma oposição sistemática do Parlamento, dos militares e da imprensa, esta última, através do seu maior porta-voz, Carlos Lacerda, jornalista e político ligado a União Democrática Nacional (UDN) que tinha total liberdade para falar nos canais de televisão da época, todos controlados por Assis Chateaubriand. O general Mozart Dornelles, subchefe do gabinete militar de Vargas e amigo de Chateaubriand decide perguntar para o rei da mídia por que permitia que seus canais fossem usados para transmitir ódio contra o presidente, num momento tão delicado para o país. A resposta foi surpreendente:
 
“Olha Mozart, eu adoro o presidente Getúlio Vargas. Eu cobri como jornalista todos os acontecimentos da Revolução de 30, então tenho a maior admiração por ele. Tem um jeito de a gente resolver essa coisa toda: é só ele desistir da Petrobras que eu tiro as televisões do Carlos Lacerda e dos outros inimigos dele e entrego as televisões para quem ele quiser, para fazer a defesa do governo dele e atacar os adversários”. Antes de falar com Vargas, Mozart confidenciou o pedido de barganha ao então Ministro da Justiça Tancredo Neves, de quem escutou: “o presidente morre, mas não desiste da Petrobras”. E foi exatamente o que aconteceu, cerca de uma semana depois, em 24 de agosto, Getúlio Vargas estava morto, e a Petrobras continuou. 

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares foi condenado injustamente, afirma Altman


Pela ordem: Delúbio Soares, Ronan Maria Pinto e Enivaldo Quadrado
 
Jornal GGN – Absolvido por Sérgio Moro, na operação Carbono 14, um desdobramento da Lava Jato, o jornalista Breno Altman alerta que outros três réus, no mesmo processo que respondeu, foram injustiçados no inquérito aberto em meados do ano passado por uma denúncia do Ministério Público Federal. São eles o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e os empresários Ronan Maria Pinto e Enivaldo Quadrado, todos condenados a cinco anos de prisão por suposta lavagem de dinheiro. 
 
Em entrevista a Luis Nassif, no programa Sala de visitas, Altman apontou as principais incoerências no processo que nasceu de denúncias feitas pelo publicitário Marcos Valério, como contrapartida de um acordo de delação premiada, que ele propôs em troca de redução da pena que cumpre por participação no esquema do mensalão. Valério afirmou ao Ministério Público Federal ter informações que poderiam ligar o Petrolão ao assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel. 
 
Porém, após um ano de investigações a justiça de Curitiba encontrou pontos desconexos nas informações relatadas pelo publicitário, uma delas envolvendo Breno Altman, que acabou sendo absolvido por Sérgio Moro. No final das contas, a Carbono 14 resultou em um processo de apenas 36 páginas, onde o assunto Celso Daniel desapareceu por falta de provas consistentes, restando apenas acusações de corrupção e lavagem de dinheiro que determinaram as condenações de Delúbio Soares, Enivaldo Quadrado e Ronan Maria Pinto, além de outros réus arrolados no processo. 
Leia mais »
Média: 4.8 (20 votos)

Nesta edição, Sala de visitas fala de samba, Getúlio e Petrobras

Nassif recebe Lira Neto, José Augusto Ribeiro e a cantora Fabiana Cozza cruzando histórias que remontam trajetória do Brasil moderno 

 
Jornal GGN – Nesta edição, Luis Nassif recebe no Sala de Visitas dois jornalistas e escritores – Lira Neto e José Augusto Ribeiro, e a cantora e compositora Fabiana Cozza, dona de uma das vozes mais surpreendentes que passou pelo programa. 
 
Lira Neto, considerado um dos maiores biógrafos do país, acaba de lançar ‘Uma história do Samba’, pela Companhia das Letras, o primeiro livro de uma trilogia. A narrativa começa no Rio de Janeiro pós-abolição, recontando como o samba carioca nasceu (ou samba urbano). Na obra, Lira faz um mapeamento das origens, a partir dos anos 1890 e conclui a obra em 1930, até chegar no desfile inicial das escolas de samba do Rio.
 
Em seguida, Luis Nassif entrevista, por Skype, o também jornalista José Augusto Ribeiro, segundo colocado na categoria Biografias do Prêmio Jabuti, em 2016, com o livro "Tancredo Neves: a Noite do Destino", pela Civilização Brasileira.  Nesta exclusiva para o Sala de visitas, ele se aprofunda em dois dos seus mais recentes trabalhos como escritor: ‘Getúlio Vargas, a Saga da Petrobras’ e ‘Getúlio Vargas, a Morte com um Sorriso’, os dois livros publicados pela Amazon Books, fazendo uma análise importantíssima que relaciona a luta de Vargas para criar a Petrobras com a origem do desmonte da petroleira nos dias atuais, em consequência da operação Lava Jato. 
Média: 4.2 (5 votos)

Caso Breno Altman e a singularidade da Lava Jato

"O segredo da Lava Jato é transformar cada investigação num show", adverte fundador do Opera Mundi, absolvido pelo juiz Sérgio Moro na operação Carbono 14


 

Jornal GGN – Há pelo menos um ano e meio o GGN vem denunciando a intrigante retroalimentação entre grandes grupos de mídia e a Operação Lava Jato e como, este conjunto de investigações, que potencialmente poderia enfraquecer os índices de corrupção em instituições públicas, acabou se transformando em uma ferramenta para favorecer grupos políticos em detrimento de outros, trazendo sérios prejuízos ao parque produtivo brasileiro, sobretudo da indústria naval, e de gás e petróleo.

A recente absolvição de Breno Altman, fundador e diretor editorial do site Opera Mundi, na Operação Carbono 14, um desdobramento da Lava Jato, corrobora as análises levantadas aqui. Em entrevista para o programa Na sala de visitas com Luis Nassif, publicada na última semana, o jornalista apontou as gritantes falhas da Carbono 14, aberta pelo Ministério Público Federal para apurar o que pensavam ser uma ligação entre um empréstimo feito pelo empresário Ronan Maria Pinto do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares. A tese do MPF e da justiça de Curitiba era que o dinheiro seria um 'cala boca' para abafar provas sobre o assassinato do então prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), ocorrido em 2002.

Leia mais »

Imagens

Média: 4.6 (11 votos)