Revista GGN

Assine

Dilma ao GGN: privatização, apagão e Estado de exceção

Das primeiras assinantes do jornal GGN, a ex-presidente Dilma Rousseff entra em contato para uma reclamação: a afirmação de que ela era impermeável aos movimentos sociais, embora tivesse implementado várias políticas sociais relevantes.

Dilma apresentou um conjunto de exemplos para retificar essa visão. Aproveitei o contato para uma entrevista maior, onde ela abordou temas relevantes. Previu os problemas que poderão ocorrer no setor elétrico, com a privatização de ativos da Petrobras fundamentais para a manutenção do equilíbrio energético. E manifestou sua preocupação com a caminhada acelerada para o estado de exceção.

Sobre os movimentos sociais

Não é verdade que os movimentos sociais deixaram de participar da formulação de políticas  públicas. Quando houve a tentativa de criminalização de repasse de dinheiro para ONGs, fizemos legislação formalizando. Diziam que queríamos substituir o parlamento pelos movimentos sociais.

No Minhas Casa Minha Vida 2 houve a participação direta dos movimentos populares. O 1 foi feito fundamentalmente com empresas. No 2 houve participação de vários movimentos sociais, como o MTST (Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto), com a União Nacional dos Movimentos de Moradia, com a Confederação Nacional de Moradores. Conseguimos fazer 200 mil residências com os movimentos. Na inauguração do Itaquerão, o Guilherme Boulos (do MTST) me pegou pedindo verticalização dos projetos, proposta interessantíssima para São Paulo. Como há despesas de condomínio e IPTU, ele propõe que se deixasse o térreo para lojas comerciais, para abater as despesas.

O MCMV passou por muitas evoluções. No começo a área social não tinha cobertura cerâmica. Entrou na fase 2.

Essa mesma participação ocorreu no Plano Safra de Agricultura Familiar. No início, havia a participação da Contag. Depois, houve o movimento do Grito da Terra, que apresentou um caderno de reivindicações. Queriam mais dinheiro para custeio, para investimento, programas específicos de educação no campo, incentivo para agroindústria. Às vezes havia de 30 a 40 reivindicações. 

Elas passavam pela Secretaria Geral, que foi dirigida pelo Gilberto Carvalho e, depois, pelo Rossetto, que tinham por obrigação a interlocuação com os movimentos sociais. Eles distribuíam a pauta para todos os ministérios. Depois, o MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrícola) e a Secretaria avaliavam as propostas mais relevantes e viáveis.

Tudo isso era casado com o Abril Vermelho e com a Marcha das Margaridas. As mulheres agricultoras estavam muito interessadas na questão da agroecologia e da agroindústria. É que elas faziam a salsicha, o salaminho, os derivados de leite, as geléias.

Sobre seus equívocos

Cometi equívoco, sim

Erramos ao julgando que as isenções para as contribuições à Previdência, de quase R$ 30 bi, mais as do IPI poderiam resultar em aumento do investimento. Fizemos várias reuniões para discutir se as medidas contracíclicas ampliariam a demanda, neutralizaria o movimento de redução da atividade econômica. 

Tínhamos um problema grave no câmbio. Ele veio de R$ 1,70 e chegou aos R$ 2,00. Aí ficamos mais aliviados. No entanto, nosso comércio com os Estados Unidos estava com déficit. O ajuste dos EUA foi em cima de salários e de benefícios. Decidimos então baixar o custo do trabalho, já que vivíamos uma fase de pleno emprego. Achávamos que melhoraria a atividade econômica. 

A prática comprovou que serviu apenas para recomposição de margem. Fragilizou a gente, quando era mais necessário enfrentar a crise econômica. Perdemos R$ 40 bilhões de receita básica.

A vida mostrou que foi uma avaliação errada. Foi uma quantidade enorme de isenções fiscais.

O segundo equívoco foi achar que daria para fazer ajuste apenas cortando as despesas. Todos os países que saíram da recessão tiveram que aumentar a receita. Só com cortes de despesas, apenas se aprofunda ainda mais a crise. Os cortes fiscais que fizemos significou uma recomposição da receita perdida com as isenções. Nossa força seria a CPMF, que poderia arrecadar R$ 38 bilhões.

Não foi Joaquim Levy que bolou os ajustes fiscais. O Guido deixou quase todas as reformas prontas. Fizemos o aperfeiçoamento do seguro desemprego, resolvemos a questão da pensão-viúva.

Sobre a crise de energia

Quem diz que mentimos a respeito da tarifa de energia desconhece como funciona o setor.

A eleição foi em outubro, mês que começa o sistema úmido no Brasil. Até dezembro as chuvas não tinham chegado. Nesse período ocorreu a maior seca no Sudeste. Não tem previsão de tempo que acerte em períodos tão longos. N o máximo, as previsões são de dez dias.

Todos os reservatórios caíram. O maior deles, o de Furnas, ficou com apenas 9% de água. Não tivemos apagão por causa das térmicas, mas não houve como segurar o aumento das tarifas.

Agora vão privatizar as térmicas. Se entregar as térmicas da Petrobras e os gasodutos, vai haver outro apagão. Ou então vamos ter tarifa de energia explodindo.

Nos montamos um sistema hidrotérmico. A base são as hidroelétricas, com uma rede de segurança das térmicas. Sua energia passa por gasodutos. A crise do apagão ocorreu porque tínhamos térmicas, mas não tenhamos gasoduto. Montamos, então, a maior malha de gasodutos do país, interligando do Ceará ao Rio Grande do Sul. No governo Fernando Henrique já existia a Gasol, mas não havia a interligação, por falta de planejamento. O que garantiu a energia, com a seca, foi a quantidade de térmicas que construímos e a Gasene - o gasoduto do nordeste - feito em parceria com os chineses. Agora dizem que vai vender também o Gasene.

A estrutura de gasodutos é complexa. Além do gasoduto construímos três polos que recebem gás para liquefação. 

Nas privatizações, nunca são estabelecidos claramente direitos e deveres. Para tornar a venda atraente para compradores, flexibilizam as obrigações.

Uma estrutura que garante o fornecimento de energia elétrica para todo o país não pode flexibilizar obrigações.  Aconteceu isso quando FHC levou o país ao apagão. Fui chamada de bolivariana quando diminuímos as tarifas de energia de hidrelétricas amortizadas de 2013 para 2014. Foi para beneficiar o consumidor. As regras de mercado só valem para as concessionárias privadas. Se o setor público quer adotar a seu favor - isto é, do público - não vale. Ora, as usinas já estavam amortizadas. Não havia razão para o consumidor continuar pagando pela depreciação delas. Foi o que o governo fernando Henrique fez com a desregulamentação do setor, que acabou promovendo uma explosão nas tarifas, tirando uma vantagem competitiva que o país tinha. 

Sobre o Estado democrático de direito

Estado democrático de direito é uma teoria. Dentro do Estado tem o estado policial inexoravelmente. O grande tema é discutir o estado de exceção que brota nas democracias latino-americanas.

O maior risco vejo no PSDB, que assumiu uma atitude estruturalmente golpista e de defesa do Estado de Exceção.

É estarrecedora a fala recente de Fernando Henrique Cardoso, de como as reformas liberais produzem igualdade. Tudo o que ela não produz é igualdade. A crise política, que gera Donald Trump nos Estados Unidos, Le Pen na França, é fruto do fato de que o neoliberalismo produz uma concentração de renda absurda.

Acho que PSDB, na volúpia de pressionar Temer a fazer o trabalho sujo, colocou-se na contramão da história. É o que acho mais forte e ameaçador à democracia, porque representa o que pensa a grande mídia, o que você denomina de empresário rentista e representa uma visão de mundo que nem o FMI tem mais ousadia de propor.

O que está ocorrendo diante dos nossos olhos é o uso político de uma investigação policial . A ironia é que eu e Lula criamos os dois únicos mecanismos que permitem o combate: instituições fortes e legislação apropriada. Tivemos visão incorreta de algumas das instituições. Tem que haver freios e contrapesos, porque estamos vivendo no mundo do Estado de exceção.

Muitas vezes o próprio delator quer delatar outros partidos e pessoas e não há interesse nenhum em receber a denúncia. O que pode acontecer de mais grave é que esse tipo de desvio fere de morte o Estado de Direito, cria distorções nas instituições e na Justiça.

Essa história do Ministro da Justiça de dizer em ato político que novas prisões iriam ocorrer é algo gravíssimo, sendo tratada como uma mitomania. Não é por aí. É porque isso mostra a utilização de um instrumento como a PF contra adversários políticos. E o uso dessa informação politicamente.

Fiquei perplexa com o que aconteceu com Mantega, paradeiro certo e sabido. A troco de quê?

Decisão do Supremo de que pessoas só são presas quando representam perigo para sociedade.

Guido já estava completamente derrubado psicologia e emocionalmente com a doença dela no final de 2014.

É de estarrecer.

 

Média: 4.4 (59 votos)
93 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

Está causando um fuzuê dos

Está causando um fuzuê dos pecados essa proposta de fazer com que a Presidenta Dilma estreie como blogueira ou colunista do blog.Nada contra,espero-a de braços abertos,como ja ditto.Duas sugestões a fazer,se me permite o nobre editor.1)Seu imediato cadastramento para que goze de todos os beneficios que a lei faculta aos senhores e senhoras cadastrados;2)A concomitante contratacao do perito Ricardo Bolina ,o que afirmou ser um meteorito proveniente de Netuno, o objeto que atingiu   do inimputavel Jose Serra,quando candidato em 2010..Pra que pergunta o inefavel peru.Ora,para atestar a autenticidade dos artigos.Ja pensou se esses artigos forem escritos por Ze Eduardo Cardoso,Aloisio Mercadante,Giles Azevedo,ou ate Eliane Ribeiro,uma cadastrada inquieta que aporta aqui,escreve as coisas e depois disse que nao disse que disse.Se o SNI dela que comeu mosca no grampo que Moro mandou fazer no gabinete dela,enquanto Presidenta da Republica, as 10:00 horas da manha e ninguem viu,comunicar que aqui tem um nao cadastrado de nome Junior Sertanejo,o diabo em figura de gente,esperando por ela,aqui ela nao vira nem que o blog lhe remunere em euro,dolar e ouro em po.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ânimos acirrados

Votei em Dilma e não em Temer. Não aceito o Golpe e jamais esquecerei os golpistas que traíram o país.

Pouco importam os "erros" de Dilma enquanto no poder. É pauta irrelevante. Ela não caiu, ela foi derrubada, o que é bem diferente.

A luta agora é contra o fascismo judiciário, contra a intervenção norte-americana em nossa soberania, contra os bandidos que assaltaram o poder. É hora de resistência e desobediência.

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de sergior
sergior

1. Dilma não deu atenção

1. Dilma não deu atenção política às demandas dos movimentos sociais. Basta verificar as audiências ao MST, às lideranças indígenas. Ela não recebeu os reitores das ifes durante seu mandato, ao contrário de Lula, que os recebia todo ano. Não teve diálogo direto com a CUT, com a CTB, com o próprio partido. 
2. Dilma não entendeu até esse momento o erro  que significou a manutenção de Cardoso no MJ. Não entendeu as razões pelas quais foi reeleita. Não percebeu que sua política de ajuste fiscal desarmou e desestruturou sua base eleitoral. Em novembro-dezembro de 2014, se dedicou ao regime alimentar, mas se isolou da política e da luta política de terceiro turno. Não processou a Veja pelas manchetes de outubro de 2014 a respeito da relação entre ela (Dilma) e a lavajato. Não abriu PAD contra os delegados da PF que a insultavam no facebook. Não ocupou rede de televisão e rádio para denunciar as ações de mídia contra a Petrobrás e seu governo. Manteve Graça Foster até o limite do absurdo. Suas incompatibilidades com Franklin Martins, o afastamento de Celso Amorim, de Temporão, até mesmo de Gabrielli ou, porque não, de Jobim, só fragilizaram seu governo. A liberdade dada a Tombini para subir as taxas da Selic a partir de abril de 2013. A fragilidade de seu governo nas ações de direitos humanos. 
3. Dilma é uma personagem menor que o desafio histórico posto para ela. Talvez como sucedeu a Jango. Mas este foi uma grande vítima da guerra fria, em um país de dimensão externa e interna muito menor que o Brasil de 2016. 
4. Mesmo apesar disso tudo, de todos os erros de Dilma e do PT, o golpe é fruto não desses erros, mas dos seus poucos acertos e, pior, e aí sim seu diágnóstico nesse momento é correto: o golpismo do PSDB.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Dilma ainda vai aprender que

Dilma ainda vai aprender que boas intenções e honestidade junto com falta de visão e despreparo não fazem grande a biografia de ninguém, por mais amigo que seja o historiador. Para a história, o que fica são os resultados dos acontecimentos. Um detalhe que é sintomático na entrevista é que nada sobre verbas para a grande imprensa ou projetos de democratização da midia seja citado.

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Edna Baker
Edna Baker

Dilma você deu um " show "

Dilma você deu um " show " enquanto se defendia no congresso. O povo brasileiro e acredito eu mesma nāo lhe conhecia até aquele momento. Ali nasceu nāo uma estrela mas uma guerreira. Contamos com você e Lula pra nós tirar dessa enrascada. Sofri com você  por todos os momentos terríveis pelos quais passou. Obrigada por sua resistência. Estou com você e o Lula e nāo abro.

Seu voto: Nenhum (10 votos)

Aquarius

A revista com temas sociais, politicos e de artes Télérama, produziu um perfil do cineasta Kleber Mendonça Filho ( O cineasta que incomoda a atualidade (o jornalismo) brasileira) nesta semana, na qual o cineasta é absolutamente formal sobre o golpe de estado no Brasil e as perdas de direitos que estamos sofrendo. Quando fala da personagem Clara, interpretada por Sonia Braga, a compara com a presidenta Dilma. Diz ele "Aquarius tornou-se uma radiografia da situação politica atual: essa mulher que se nega a partir - como a Dilma - e que é ultra- pressionada pelos ricos poderosos e corrompidos".

Aquarius esta nas salas de cinema de todo Brasil. Eh um cinema engajado e um filme de alta qualidade. Vamos vê-lo e levar familia e amigos.

http://www.telerama.fr/cinema/kleber-mendonca-filho-le-realisateur-qui-p...

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Orlando Soares Varêda
Orlando Soares Varêda

O DIABO, É QUE CERTOS

O DIABO, É QUE CERTOS EXIGENTES E PUROS, ACABAM SERVIDO DE MONTARIA PARA OS COWBOYS DO NORTE DA AMÉRICA. A propósito, vale bisbilhotar o que os fanfarões falam dos vira-latas.

Mesmo cometendo alguns erros, claro que me salidarizo com a presidenta Dilma. Mulher retada que, a despeito de tudo fez um excelente governo especialmente para aqueles brasileiros que necessitam do apoio do Estado. No mais, é perguntar: qual o filho da puta que não erra ? Provavelmente, são como os corruptos moralistas da fé, vezeiros em apontar o dedo sujo para os corruptos dos outros, enquanto por detrás do púlpito metem a mão no bolso dos abestados.

Orlando

“Às vezes especialistas norte-americanos são bastante sinceros nas suas declarações sobre a intenção dos EUA de manter o domínio global.

Especialmente aqueles que vivem fora dos EUA. Um deles publicou um texto em que afirma que a primeira etapa de destruição do bloco BRICS já se iniciou. Na sua opinião, este grupo é o que coloca maior ameaça à hegemonia econômica norte-americana, hegemonia que Washington e o mundo de negócios leal aos EUA estão prontos a defender por todos os meios possíveis, inclusive de armas na mão.

Trata-se principalmente do Brasil. Foi o Brasil que tentou enfrentar os oligarcas ocidentais no mercado energético brasileiro, mas perdeu esta luta. Washington usou o seu "método de mudança de governos" ligado ao habitual tema da corrupção. Por exemplo, este mesmo método foi usados na Ucrânia e em outros países.

Há tentativas de manipular as pessoas e de provocar protestos em contextos de situação econômica desfavorável, nos países onde o problema da corrupção pode servir de rastilho.”

Matéria completa : https://br.sputniknews.com/americas/20160929/6445029/eua-guerra-nao-declarada-brics.html

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Dilma será sempre a minha presidenta!!!

E, com muito orgulho e certeza, repito o que já afirmei várias vezes: Nunca houve e, jamais haverá, pessoa mais dígna e honesta nessa posição. Brava mulher brasileira que não se deixou chantagear pelas velhas e carcomidas figuras corruptas que há anos e anos vêm se locupletando roubando descaradamente nosso país. Com a ajuda da mídia venal, do judiciário e dos poderosos tramaram um golpe vergonhoso. E muitos brasileiros analfabetos políticos, conseguiram que seus cérebros fossem devidamente lavados e lobotomizados pelo que a TV mostra. Continuo DILMA! VIVA DILMA!  E, ao colega ORLANDO, acho que você está certo. Dilma não conseguiria lutar contra essa conspiração. Vale a pena ver de novo o vídeo:

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Se não estiver censurado...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Manubhz
Manubhz

O que tem de engenherro de

O que tem de engenherro de obra acabada

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Felipe Lopes
Felipe Lopes

Dilma nunca deveria ter sido presidente

Essa onda direitista tosca pode ser colocada em boa parte na conta dos erros grosseiros dela (erros que ela não reconheceu: não foram apenas as desonerações para as empresas amigas - a política energética foi desastrosa, a manipulação dos preços da gasolina descarada e a maquiagem contábil foi picareta). Se a esquerda não destruísse as finanças e a admnistração pública por onde passa, não haveria espaço para a direita na América Latina (exemplos de países que destruíram as finanças: Argentina, Brasil, Venezuela; exemplos de países que não destruíram as finanças: Equador e Bolívia, isso não dá o que pensar???) Em parte a onda direitista também pode ser creditada à posição nós-contra-eles adotada desde sempre por Lula. E por fim, em parte na retórica do PT: um partido que chegou à presidência pelas mãos da classe média passar 13 anos falando mal da classe média está pedindo para perder o poder. Conheço uma pessoa que votou duas vezes em Lula e uma em Dilma, e hoje é fã do Bolsonaro. Uma mudança tão radical deveria fazer nossa esquerda pensar melhor nos erros que cometeu. O principal deles: eleger um poste sem nenhum talento para a presidência (por narcisismo lulista, que não admitiria concorrentes à sua própria liderança, diga-se de passagem).

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Ah a esquerda que destrói

Ah a esquerda que destrói finanças?

Obviamente, que a turma fraudulenta de Wall street, não tem nada haver com a crise global de 2008 que perdura até hoje....que devastou as finanças....de varios paises, independente, do seus posicionamentos economicos e ideólogicos.

Isenção para empresas amigas? Só no EUA o congresso sequetrou 700 bilhões de dólares do povo americano, para entregar na mão dos baqueiros! 

Agora existe uma nova modalidade de culpar o PT, o sujeito é um lesado, cognitivamente limitado e de carater duvidoso, pois são sintomas encontrados, em apoiadores do bolsanaro. Mas ele ama o bolsonaro por culpa do PT!

Tem vergonha de assumir que é de direita?

politica energética desastrosa? tão desastrosa que passamos por uma seca sem precedentes na história, e a politica energética desastrosa, supriu a demanda de uma população de 200 milhões de habitantes, e sua industria....sem recorrer a nenhum racionamento....ou apagão!

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Manipulação dos preços da gasolina e do diesel (uma farsa)

Me obrigo a contestar pela milionésima vez a FARSA do represamento de preços dos combustíveis da Petrobras. Isto é, repito, uma FARSA completa e absoluta.

Me admira que uns e outros insistam em dar guarida para semelhante FARSA criada pela direita que sempre quis e que quer ainda hoje destruir a petrolífera criada em 1954.

Vamos aos números dos governos de Dilma a respeito dos reajustes da gasolina e do diesel:

1. Governos de Dilma Rousseff (05 anos – entre 2011 e 2015)

1.1 Gasolina: reajuste de 43,5% em 05 anos – reajuste médio de 7,5% ao ano

1.2 Diesel: reajuste de 46,7% em 05 anos – reajuste médio de 8% ao ano

A quem interessa essa FARSA de seguir INVENTANDO que Dilma represou os preços dos combustíveis da Petrobras?

A quem interessa, repito, sustentar tamanha e tão escabrosa FARSA a respeito dos reajustes de combustíveis praticados nos governos da legítima presidenta Dilma Rousseff entre 2011 e 2015?

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Diogo Costa

Pois é .... Eu votei na

Pois é .... Eu votei na presidente Dilma. E apoiei firmemente o desejo da presidente de ser tratada por presidenta (embora não goste do termo) e considerei infame a ofensa que a presidenta do STF, Carmém Lucia, lhe dirigiu. Acho o impeachment uma das maiores violências históricas desse país,  Mas a presidente Dilma por muitas vezes teve atitutudes desumanas e autoritárias que, como sua eleitora,  eu nunca consegui entender e muito menos justificar.

- Falta ela explicar porque nos mandou trocar de canal quando nós, que votamos nela, pedimos  a Lei dos Meios ( e de quebra ainda humilhou o Franklin Martins que tinha elaborado a lei). Eu tenho a  minha interpretação para o caso: na época a presidente tinha um índice de aprovação maior do que o Lula e  achava que "lambendo a bota" dos capos da grandes empresas de comunicação iria ser aceita pela elite brasileira. Esqueceu-se de representar na presidência, os sem voz, que votamos nela e que pedíamos reformas nas leis de comunicação do país. Foi seu maior erro e o golpe começou aí.

- Falta ela explicar porque não dirigiu uma só palavra de solidariedade aos petistas condenados injustamente no mensalão. Eu tenho a minha interpretação para o caso: a "honestíssima" presidente não se relaciona com os "sujos petistas" caluniados por procuradores desonestos, juizes que não respeitam a lei e pela imprensa golpista. Ela nunca pediu sequer a apuração do mensalão tucano.

- Falta ela explicar porque limou e humilhou vários ministros do seu governo em inconcebíveis denúncias da imprensa e que, se no momento atingiam a honra de pessoas honestas, tinham por fim desastabilizar o seu governo. Eu tenho a minha versão: eu sou a presidente honesta e tirando minha pessoa, todos podem ser acusados. E naquele momento, menos a imprensa, é claro.

- Falta ela explicar porque deu tanto dinheiro para os grandes meios de comunicação, especialmente a Rede Globo,  e deixou de investir em meios alternativos que a defendiam. Eu tenho a minha versão: não tem explicação. Apanhar e continuar a dar dinheiro para o agressor só pode ser covardia.  Injetar dinheiro na Globo para fritar ovo na Ana Maria Braga está acima de qualquer compreensão. Mesmo porque nós, mulheres, nos orgulhamos de eleger uma presidenta e não uma cozinheira (por falar nisso será que a presidente consegue algum espaço para se manifestar no blog da assessora de imprensa que ela tinha na época?)

- Falta ela explicar essa história de republicanismo. Eu tenho a minha versão: a presidente, para manter a sua biografia de democrata e republicana foi omissa no enfrentamento desses canalhas que deram o golpe: imprensa, judiciário e polícia federal em conluio com o governo americano. O seu republicanismo, que a maioria das pessoas com quem converso classifica de covardia, é responsável em parte pela ação dos golpistas. Maduro, Cristina Kirchner, Putin e Erdogan enfrentaram os agressores do seu país. Resistem e resistiram a destruição dos seus paises sem pensar nas biografias:a nação prevaleceu sobre o individualismo.

 

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Vera Lucia Venturini

imagem de j@iro, de sp
[email protected], de sp

Vera, infelizmente tudo isso

Vera, infelizmente tudo isso que você escreveu é a pura verdade.

"A melhor forma de controle é o controle remoto"; "republicanismo".

Então tá.

Deu no que deu. 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de dudu cartucho
dudu cartucho

Vera,  votei nela nos 2

Vera,  votei nela nos 2 turnos das 2 eleições, (em 2010 com convicção e 2014 por falta de opção)  mas também fiquei decepcionado com essas atitudes da presidente.

O golpe começou em 2012 com a teoria do domínio do fato, ela e o zé cardoso deixaram a coisa desandar. sendo que ela tinha o mais alto cargo do país. A sujeira é toda dos golpistas, mas a pusilanimidade do governo dilma ajudou.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Felipe Lopes
Felipe Lopes

Inúmeras modernizações legislativas pendentes no Brasil......

E a única reforma que o PT propôs foi a das comunicações. Nem de longe essa é a prioridade para o restante do país. Depois não entendem porque tanta gente séria deixou de levar o PT a sério...

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Então...

1. "- Falta ela explicar porque nos mandou trocar de canal quando nós, que votamos nela, pedimos  a Lei dos Meios ( e de quebra ainda humilhou o Franklin Martins que tinha elaborado a lei). Eu tenho a  minha interpretação para o caso: na época a presidente tinha um índice de aprovação maior do que o Lula e  achava que "lambendo a bota" dos capos da grandes empresas de comunicação iria ser aceita pela elite brasileira. Esqueceu-se de representar na presidência, os sem voz, que votamos nela e que pedíamos reformas nas leis de comunicação do país. Foi seu maior erro e o golpe começou aí."

Resposta: Nem mesmo Lula, do alto da sua imensa e estratosférica popularidade, conseguiu fazer a Ley de Medios. Obviamente que Dilma também não conseguiu fazer. E tudo isso por uma razão bem simples e até simplória (embora seja sempre negligenciada): tanto nos governos de Lula como nos governos de Dilma não havia a menor possibilidade de se fazer uma Ley de Medios em função da horrível correlação de forças existente no Congresso Nacional. O PT nunca teve mais de 1/6 dos parlamentares - hoje tem 1/7 - e uma Ley de Medios, para ser aprovada, precisa de pelo menos metade dos votos no parlamento. 

2. "- Falta ela explicar porque não dirigiu uma só palavra de solidariedade aos petistas condenados injustamente no mensalão. Eu tenho a minha interpretação para o caso: a "honestíssima" presidente não se relaciona com os "sujos petistas" caluniados por procuradores desonestos, juizes que não respeitam a lei e pela imprensa golpista. Ela nunca pediu sequer a apuração do mensalão tucano."

Resposta: Dilma repetiu em relação aos réus da AP 470 o mesmo modo de proceder de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. Alguma vez Lula dirigiu solidariedade a estes réus? Lula sempre disse que 'cortaria na carne' para preservar as instituições e para combater possíveis desvios. Dilma fez exatamente o mesmo. 

3. "- Falta ela explicar porque limou e humilhou vários ministros do seu governo em inconcebíveis denúncias da imprensa e que, se no momento atingiam a honra de pessoas honestas, tinham por fim desastabilizar o seu governo. Eu tenho a minha versão: eu sou a presidente honesta e tirando minha pessoa, todos podem ser acusados. E naquele momento, menos a imprensa, é claro."

Resposta: Todo e qualquer presidente da república tem a obrigação de se afastar de pontos de atrito que venham a prejudicar o seu governo. Querer que Dilma assumisse broncas que não eram dela é uma loucura completa. Ou será que já esquecemos que foi exatamente assim que Lula agiu quando estourou o caso do "mensalão" em 2005? Lula tratou de se desvencilhar das denúncias e de tocar o governo em frente (proceder absolutamente correto). Porque Dilma teria que agir diferente de Lula?

4. "- Falta ela explicar porque deu tanto dinheiro para os grandes meios de comunicação, especialmente a Rede Globo,  e deixou de investir em meios alternativos que a defendiam. Eu tenho a minha versão: não tem explicação. Apanhar e continuar a dar dinheiro para o agressor só pode ser covardia.  Injetar dinheiro na Globo para fritar ovo na Ana Maria Braga está acima de qualquer compreensão. Mesmo porque nós, mulheres, nos orgulhamos de eleger uma presidenta e não uma cozinheira (por falar nisso será que a presidente consegue algum espaço para se manifestar no blog da assessora de imprensa que ela tinha na época?)."

Resposta: Dilma deu menos dinheiro para a "grande mídia" do que Lula. Basta comparar os dados e estabelecer as devidas proporções. E deu muito mais dinheiro para a mídia alternativa do que Lula também. Aliás, em 2015 Dilma fez um corte profundo nas verbas publicitárias da "grande mídia", algo que Lula nunca fez em seus oito anos de governo. Não por acaso foi vítima da maior e mais persistente campanha de desestabilização da história do Brasil. 

5. "- Falta ela explicar essa história de republicanismo. Eu tenho a minha versão: a presidente, para manter a sua biografia de democrata e republicana foi omissa no enfrentamento desses canalhas que deram o golpe: imprensa, judiciário e polícia federal em conluio com o governo americano. O seu republicanismo, que a maioria das pessoas com quem converso classifica de covardia, é responsável em parte pela ação dos golpistas. Maduro, Cristina Kirchner, Putin e Erdogan enfrentaram os agressores do seu país. Resistem e resistiram a destruição dos seus paises sem pensar nas biografias:a nação prevaleceu sobre o individualismo."

Resposta: No quesito "republicanismo", Dilma agiu absoluta e rigorosamente igual a Lula. Quem criou esse sistema de nomear sempre o primeiro colocado nas listas tríplices do Ministério Público foi o Lula em 2003. Dilma apenas manteve essa jurisprudência criada por Lula. No quesito Judiciário as nomeações de Dilma para o STF foram similares ou até melhores que as feitas por Lula entre 2003 e 2010. No quesito Polícia Federal Dilma também agiu igual a Lula (só não fez o que Lula fez, por exemplo, em relação à Operação Satiagraha - quando ele e Tarso Genro ajudaram a preservar grandiosíssimos tucanos que foram pegos com a mão na botija). 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Diogo Costa

Obrigada, Diogo!

Gostaria de responder à colega Vera,  principalmente sobre a falta de apoio no Congresso. Mas não teria a capacidade de abordar todos os questionamentos feitos, com respostas contundentes. Não resta  dúvida que foi golpe.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Roxane
Roxane

Encampo a sugestão de dar voz

Encampo a sugestão de dar voz À presidenta Dilma. Além de ter o que falar , penso que não se pode coloca-la no ostracismo como querem os facínoras golpistas. Disseram que a esqueceríamos em questão de dias.Mostremos que não .Acho que é mais uma ação de resistência.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Sugestão

Olá, Nassif.

Convide a Dilma para ser colunista permanente do GGN. Se ela não tiver tempo ou jeito para escrever, prepare umas pautas e faça um bate-bola com ela de tempos em tempos, com fez nesse post. É semper bom ouví-la, por 2 motivos:

1. O Golpe que lhe roubou o poder também tenta lhe roubar a liberdade de expressão. Dar voz a uma pessoa que foi violentada e oprimida como ela, ou como Lula, é um saudável gesto de resistência e desobediência civil.

2. Dilma é a pessoa que hoje melhor entende a complexidade dos desafios de desenvolvimento, infraestrutura e gestão pública do Brasil. É só comparar com a miséria intelectual e mediocridade dos golpistas e das análise do pensamento único da velha mídia. Seríamos estúpidos se não ouvíssemos Dilma sobre o futuro do país.

Quanto ao resto, se foi uma boa gestora ou não, se teve culpa ou não se acertou ou errou, como diria Noel, "isso é conversa de telefone". É irrelevante. Olhar para frente e derrotar o fascismo é o que nos move agora.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Clever Mendes de Oliveira
Clever Mendes de Oliveira

Excelente comentário

 

MCN (quinta-feira, 29/09/2016 às 10:44),

Há certo tempo, talvez no ano passado, pois foi depois que Guido Mantega saiu do Ministério da Fazenda, Luis Nassif disse que Antonio Delfim Netto era o cara que mais entendia do Brasil. Eu devo ter feito um comentário em que dizia que ele era, mas agora quem mais entendia era o Guido Mantega.

Foi uma pena a crítica sistemática que Luis Nassif fez à política econômica do governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Aqui no blog não ficou um só apoiador, salvo que eu me lembro, o Diogo Costa. E quando você faz uma volta no passado e acompanha cada passo do governo com cuidado e avaliando os efeitos de cada passo na economia, sem se preocupar com as críticas que eram feitas, você vai ficando impressionado como um governo podia fazer tanto com um apoio no parlamento que se mostrou inferior a um terço dos representantes. E é de se observar que houve pouca modificação no parlamento da eleição de 2010 para a eleição de 2014.

Se você pesquisar sobre Bolha na Construção Civil você vai observar como o governo agiu com parcimônia para reduzir essa bolha (Aqui vale mencionar que ainda na presidência de Henrique Meirelles, o Banco Central já adotava medidas visando reduzir a possibilidade da Bolha da Construção Civil arrebentar de uma vez).

Há a questão da inflação que o governo conseguiu levar para o patamar de 6% e ai ficar em uma variação mínima (+ ou – 0,5%) durante quatro anos. E para países em desenvolvimento talvez esse fosse o patamar mais indicado. A ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, poderia dizer nunca dantes na história do Brasil houve uma inflação como a nossa.

E essa ação do Banco Central no combate à inflação ao mesmo tempo que se preocupava com o desenvolvimento econômico numa ação conjunta com o Ministério da Fazenda, não foi considerada dentro do contexto da economia internacional com as políticas do QE e com problemas das intempéries climáticas. Havia o dólar desvalorizado que o governo precisava valorizar. Houve a seca no oeste americano entre 2011 e 2012, pressionando o preço das commodities agrícolas que o Brasil exportava (soja, milho) ou importava (trigo) pressionando a inflação o que dificultou o processo de valorizar o dólar para dar mais competitividade ao produtor nacional. Ainda assim, o Brasil foi um dos países que mais conseguiram desvalorizar a sua moeda no período de janeiro de 2011 a dezembro de 2013.

Quantas pessoas aqui no blog de Luis Nassif e fora do blog sabem que em fevereiro de 2014, o blog Beyondbrics, que acompanha os países emergentes, no site do Financial Times, referiu ao Alexandre Tombini como um dos banqueiros guias ou líderes (Guiders), junto com o presidente do Banco Central da Indonésia e de Roghuram Rajan, aclamado economista indiano, e que assumira a presidência do Banco Central Indiano em setembro de 2013, enquanto outros banqueiros eram tidos como reatores (Reactors) ou como não convencionais (Mavericks).

E se a análise se aproximasse mais do período recente vai-se verificar que nunca na história do Brasil, e com mais ênfase no período após o Plano Real, o juro subiu tão pouco diante de uma crise de desvalorização da moeda nacional.

A política de combustíveis tão criticada por Luis Nassif que se esquecia de mencionar que quem não aumentou o preço dos combustíveis foi Lula, mereceria também uma análise mais exaustiva. A ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, fez aumentos, mas tinha que tomar o cuidado com os efeitos não só diretos do aumento do preço de gasolina na inflação como também os efeitos que este aumento provoca no setor do etanol fazendo o etanol bastante competitivo e com isso levando ao aumento da exploração de terras boas com a cultura da cana de açúcar diminuindo as terras disponíveis para a produção de alimentos e assim aumentando indiretamente a inflação.

A política do preço de energia elétrica que não só estava associada com a política de desvalorização do real, isto é, uma política com o objetivo de dar mais competitividade à produção nacional, como também guardava relação com as decisões desfavoráveis ao governo no âmbito do Judiciário, dos Procons e do TCU e que obrigavam o governo a retirar ou devolver para o consumidor o aumento dos preços de energia elétrica que fora adotado no governo de Fernando Henrique Cardoso.

A desonerações da folha de pagamento que teve efeito benéfico como noticiado na época mesmo em jornal de oposição como o Valor Econômico com várias empresas mostrando aumento de contratação, ao mesmo tempo que criava uma modalidade de tributação que incidia mais nas importações daqueles produtos beneficiados com a desoneração da folha. Os importadores com três ou quatro funcionários agora pagavam uma tributação sobre o valor dos produtos e não sobre a folha de pagamentos.

É tanta coisa que a ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, realizou junto com seu ministro da Fazenda, Guido Mantega, que eu ainda poderia mencionar aqui, até para refutar a maioria das críticas que a oposição e também Luis Nassif fizeram a ela, que normalmente quando eu começo relacionar eu pressinto que se eu não esquecer o assunto o meu comentário não teria fim.

Ontem lendo o post de Guilherme Scalzilli “Balanço do golpe II, por Guilherme Scalzilli”, de quarta-feira, 28/09/2016 às 09:16, aqui no blog de Luis Nassif e com um bom texto, eu me deparei com a seguinte frase:

“Politicamente inapta, inflexível e mal assessorada, Dilma não soube (e em boa medida não quis) aplacar as pressões do fisiologismo”.

Não é uma crítica inovadora. Luis Nassif pode não ter sido o primeiro, mas ele já fez essa crítica à ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Eu até concordo em parte com a crítica, mas considero pobre de espírito o conteúdo da crítica e com um sentido que me parece equivocado, pelo menos na minha concepção de democracia representativa.

A essência da democracia representativa que se realiza como um processo e não de modo pontual é o acordo, o ajuste, o conchavo, a barganha, o toma-lá-dá-cá, o é dando que se recebe, em suma, o fisiologismo, aqui tomado como algo legítimo, ou seja, feito dentro da lei. Não querer esse fisiologismo é o grande defeito da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Se Guilherme Scalzilli está falando desse fisiologismo quando diz: “Dilma não soube (e em boa medida não quis) aplacar as pressões do fisiologismo” e se aplacar as pressões é mais do que mitigar as pressões, eu considero equivocada a frase. E se ele se refere ao fisiologismo ilegítimo e que não deveria ter esse nome, pois existe nome próprio para ele no Código Penal, como corrupção, peculato, etc., então a frase está equivocada porque contra esses crimes nenhum governo pode ser complacente satisfazendo-se somente em aplacar as pressões.

E lembrei desse trecho do post de Guilherme Scalzilli, porque você diz no seu comentário que “se foi uma boa gestora ou não, se teve culpa ou não se acertou ou errou, como diria Noel, "isso é conversa de telefone"”. Eu considero que a ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, foi boa gestora e não penso que se trata de conversa de telefone, mas dou razão a você em dizer isso porque você corretamente está dizendo que essas discussões são realizadas sem base e sem fundamento lógico.

Repetindo e detalhando, eu então lembrei do trecho do post de Guilherme Scalzilli que eu transcrevi acima, porque eu ia fazer uma crítica que embora mais longa visava dizer o mesmo que você disse na sua frase que eu transcrevi acima. E para minha crítica eu mencionaria três posts. Um com uma crítica de Marco Antonio Castello Branco que ele enviou quinta-feira, 26/06/2014 às 01:45, para o post “Para entender o desgaste do governo Dilma” de segunda-feira, 16/06/2014 às 16:47, aqui no blog de Luis Nassif e de autoria dele. No comentário Marco Antonio Castello Branco apresenta como crítica a preferência da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, pelo técnico em detrimento do político.

Um segundo post que seria mencionado, porque ele traz um comentário de Luiz Felipe de Alencastro é o post “O raio X da política e o fator Temer” de sexta-feira, 07/08/2015 às 19:45, aqui no blog de Luis Nassif e também de autoria dele. O comentário de Luiz Felipe de Alencastro enviado sexta-feira, 07/08/2015 às 23:56, é apenas o link para artigo dele escrito em 2009 e publicado originariamente na Folha de S. Paulo que dizia que a experiência política da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, perto da experiência política do atual presidente agora em definitivo, à custa do golpe, Michel Temer, era mínima e criava um desequilíbrio na chapa.

E o terceiro post visava apenas indicar algum comentário meu na eleição de 2010 em que eu fazia referência à falta de carisma elocutivo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Não encontrei de imediato um post em que eu tivera um comentário com esse sentido, e assim não vou indicar, mas provavelmente há algum texto assim no blog de Na Prática a Teoria é Outra que está em hibernação ou no blog de Pedro Dória que foi fechado.

A minha intenção era mostrar para Guilherme Scalzilli que tanto Marco Antonio Castello Branco como Luiz Felipe de Alencastro já disseram o que havia que ser dito sobre essa inaptidão da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Quando alguém precisasse referir-se a essa inaptidão bastava fazer referência aos dois comentários. Eles eram mais precisos, profundos e informativos sobre aquilo que a expressão “politicamente inapta” que ele utilizou queria dizer. E para mostrar que apesar da expressão ser dura ela não era muito ampla, eu faria incluir dentro dessa ideia de "politicamente inapta" uma referência à falta de carisma elocutivo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff.

E quanto a dizer que ela era mal assessorada, eu ainda acrescentaria como crítica a essa afirmação de Guilherme Scalzilli que todo mundo é ao mesmo tempo mal assessorado ou bem assessorado, a não ser nos casos fragrantes em que o assessor é um gênio sobre o assunto ou um absoluto ignorante.

Enquanto não houver uma máquina infalível que consiga objetivamente informar a capacidade de assessoramento de alguém, essa acusação pode ser desqualificada com o chiste de dizer tratar de conversa por telefone. O mero título de uma universidade superior ou inferior não é informação suficiente. Então com o intuito de desqualificar a frase de modo mais irônico, era minha intenção dizer para Guilherme Scalzilli que bastaria que quando se fosse fazer uma revisão no texto atentasse para onde se escreveu mal assessorado ou onde se escreveu bem assessorado e sopesando bastante verificasse se o texto não ficaria mais polêmico se se trocasse e onde se escreveu mal passasse a escrever bem.

Não falei sobre o segundo governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Levaria um comentário maior do que o que já escrevi para mostrar que a política do segundo governo, dada a reversão, no terceiro trimestre de 2013, da retomada a partir do quarto trimestre de 2012 dos investimentos a taxas bem expressivas, era a única alternativa que sobrava a ela.

Estava pronto o comentário e já pensava em o enviar quando tive de cuidar de outras coisas. Volto agora a ele e aproveito para indicar alguns posts que servem para complementar o que eu disse sobre os primeiros quatro anos do governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Primeiro indico o post “Uma defesa da política econômica de Dilma” de segunda-feira, 15/12/2014 às 12:06, publicado originalmente em “O Jornal de todos Brasis” e de autoria de Laurez Cerqueira, Gustavo Antônio Galvão dos Santos e Luis Carlos Garcia de Magalhães.

E menciono também o post “A ação do Banco Central contra Schwartsman” de quarta-feira, 10/09/2014 às 10:33, aqui no blog de Luis Nassif e de autoria dele. Lá além de um comentário que enviei quarta-feira, 10/09/2014 às 21:17, para Luis Nassif, há uma troca de comentários entre mim e Alexandre Weber - Santos –SP, a partir do comentário dele enviado quarta-feira, 10/09/2014 às 11:06, em que eu faço a defesa da política econômica do primeiro governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff.

E o cerne da minha avaliação é que o resultado decepcionante do governo decorreu das manifestações de junho de 2013 que teve, em meu entendimento, um efeito paralisante na economia. O efeito político foi notório, pois nunca em tempos de paz e sem nenhum escândalo de corrupção um governante tem uma queda de popularidade em tão pouco tempo como o que ocorrera com a popularidade da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, que caíra de algo próximo de 70% para algo próximo de 40% entre maio e julho de 2013.

Quando ao efeito paralisante na economia, eu reconheço que é mais opinião. Seria preciso fazer uma decomposição do PIB trimestral, em especial dos investimentos, para se descobrir porque depois de três trimestres de crescimentos excepcionais, o investimento sofrera uma queda abrupta e expressiva no terceiro trimestre de 2013.

De todo modo apesar de ser só opinião, eu tenho procurado expressá-la com base nos dados que eu já mostrei várias vezes e que lembro que reproduzi em comentário para Luis Nassif que eu enviei terça-feira, 03/05/2016 às 21:08, junto ao post “Pequenos sinais positivos no horizonte e o fator Meirelles” de terça-feira, 03/05/2016 às 05:10, aqui no blog dele e também de autoria dele.

Mencionei opinião que expressei várias vezes e que reproduzir no post “Pequenos sinais positivos no horizonte e o fator Meirelles” porque em meu comentário para Luis Nassif eu faço a transcrição de um comentário que eu enviara sábado, 30/04/2016 às 22:26, para Felipe Lopes junto ao comentário dele de sexta-feira, 29/04/2016 às 14:53, e que ele havia enviado para junto do comentário de Doney enviado sexta-feira, 29/04/2016 às 13:10 lá no post “O pacote Levy deixou a queda da Selic para Temer chutar” de quinta-feira, 28/04/2016 às 09:12, aqui no blog de Luis Nassif e de autoria dele. No trecho transcrito há todos os dados dos investimentos que mostram como havia uma reação favorável da economia à política que fora planejadamente adotada.

E enfatizei o post “Pequenos sinais positivos no horizonte e o fator Meirelles” porque em meu comentário eu procuro justificar a política econômica adotada no segundo governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Aliás a justificativa que eu tenho para a defesa do segundo governo, pelo que eu me lembre de comentários seus, expressam um ponto de vista diferente do seu. Meu ponto é que o governo fez tudo para conseguir a desvalorização da moeda. E é essa a política que eu defendo desde 15 de fevereiro de 1983 quando o Brasil fez desvalorização 30% e já em 1984 a economia crescia a taxa de 4% ao ano.

Foi mais exatamente a partir de 1984, quando eu vi os resultados auspicioso que o país alcançava relativamente ao crescimento econômico, um imperativo para países pobres, que eu passei a defender essa política e nesses 30 anos apenas no governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, eu vi essa política sendo planejadamente tentada.

Em resumo, para entender a política econômica do segundo governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, é preciso saber qual é o norte dessa política e qual era a realidade em que essa política seria inserida.

O norte é a moeda fraca que favoreça a exportação. A realidade mundial que se avizinhava era a necessidade de enfrentar a pressão sobre a nossa moeda tão logo os Estados Unidos começassem a elevar o juro. Enfrentar não no sentido de combater, mas no sentido de administrar. Aliás a política do primeiro governo já foi no sentido de se preparar para a elevação, coisa que já em 2010 se pensava que aconteceria em 2014. No âmbito interno, a política de favorecimento às exportações tem dois problemas: primeiro é concentradora de renda e segundo exige menos gastos públicos ou mais receita pública para que o déficit público não pressione a inflação ou a valorização da moeda.

É uma política de austeridade que foi adotada pelo Japão, depois pela Coreia e outros Tigres Asiáticos e depois pela China. Creio que foi dentro dessa perspectiva que Fernando Nogueira da Costa publicou o ótimo artigo “Tática fiscalista e estratégia social-desenvolvimentista” e que aqui no blog de Luis Nassif foi publicado em post com o mesmo título “Tática fiscalista e estratégia social-desenvolvimentista, por Fernando N. da Costa” de quarta-feira, 03/12/2014 às 16:04. É post obrigatório para entender o que seria o segundo governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, e para entender a escolha de Joaquim Levy para ministro da Fazenda.

E dois pontos ainda relevantes para o entendimento do segundo governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff. Primeiro é preciso reconhecer que uma política de austeridade, acrescida de juro elevado e câmbio favorável às exportações, e que se fazia necessária dado a nova realidade do mercado internacional com a pressão crescente para a elevação do juro nos Estados Unidos, só poderia ser apoiada pela esquerda se houvesse a confiança de que o governo adotaria uma política de maior proteção aos menos favorecidos. A ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff, era uma garantia de uma política assim.

O segundo ponto é que o que o governo imaginava que iria ocorrer de uma só vez acabou se desenvolvendo em três etapas. Houve ainda em outubro de 2014 uma queda nos preços das commodities. Com a queda, esperava-se que o dólar valorizasse bastante e depois ficasse em um patamar de boa estabilidade o que favoreceria a que no segundo semestre de 2015, o Banco Central já iniciasse um processo de redução de juro. No entanto, na passagem do primeiro semestre para o segundo semestre de 2015, houve nova queda dos preços das commodities o que pressionou para nova desvalorização do real. E quando chegou dezembro de 2015, o FED faz um leve aumento da taxa de juro e logo em seguida faz a promessa de quatro aumentos em 2016. Assim no início de 2016 há uma debandada geral de dólares que ficavam à cata de lucro fácil nas economias de periferia, levando a nova rodada de desvalorização das moedas dos países de periferia.

A pergunta que surge é, sendo essa é uma realidade mundial, por que ela teria afetado bem mais o Brasil? Primeiro há outros países que estão sofrendo situação semelhante. O PIB da Rússia caiu em 2015, o mesmo tanto da queda do PIB do Brasil. Segundo, eu creio que o governo ficou em um contrapé imenso com o que aconteceu no terceiro trimestre de 2013. Tudo que o governo havia planejado furou.

E como deveria reagir o governo? Até por falta de dados mais imediatos em 2014, o governo insistiu na política que vinha adotando na esperança que houvesse uma reação da economia. Só que desde o terceiro trimestre de 2013 que os investimentos só fizeram cair. O PB não mais se recuperou e o governo encharcou a economia. Quando se entra em 2015, não havia alternativa que não fosse recolher mais recursos da economia e reduzir as despesas.

Vale observar que se a economia tivesse tido um comportamento normal e reagisse também normalmente ao aumento do juro que foi feito de modo firme, mas com parcimônia e que se iniciou em abril de 2013, o PIB poderia ficar, no final de 2014, cerca de 2 a 3 pontos percentuais acima do que foi alcançado, o que representaria para uma carga tributária de 33% de um PIB de mais 6 bilhões de reais quase uns 50 bilhões a mais de receita. De certo modo sem saber realmente qual foi a influência das manifestações de junho de 2013, o segundo governo da ex-presidenta à custa do golpe, Dilma Rousseff não será bem compreendido.

Clever Mendes de Oliveira

BH, 29/09/2016

Seu voto: Nenhum
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

Respondo a mcn,29/09/2016 -

Respondo a mcn,29/09/2016 - 10:44.Errou feio meu caro,irrelevante uma pinoia."Isso é conversa de telefone",pior ainda.Foi as cordas justamente por onde passou sua irrelevancia.O ex Presidente Fernando Collor,quem diria,foi até ela e a alertou sobre o perigo que corria.Na saida da reunião,deixou com a secretaria da Presidenta uma placa com os dizeres "RUMO AO DESPENHADEIRO".Mandou jogar na lata de lixo.Quanto ao convite de ser colunista permanente do GGN,o editor se sentiria honrado,não tenho duvidas.Advirto.Se escrever como fala,melhor ficar em casa cuidando dos netos.Mesmo assim,a espero de braços abertos.Tenho umas perguntas que Nassif não fez,que por certo,ele teria o maior prazer de me responder.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Cuidado com seu, machismo!

Cuidado com seu, machismo! Dilma, tem o direito como todas as mulheres de exercer o que desejar. Casa e netos também é lugar de homem.

E quanto a qualidade dos textos que Dilma irá produzir, cada  um escolhe seus colunistas ou escritores, favoritos.

Voce pode ser um pessimo comentarista para alguns, mas pelo que me consta ninguém aqui, mandou você deixar de comentar e ficar em casa, "assistido futebol só de cueca no sofá."

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

Respondo a Eliane

Respondo a Eliane Ribeiro,29/09/2016 - 14:07.Assim como o Ministro Luiz Roberto Barroso do STF,desde que se dirigiu a mim,com certa educação,lhe respondo.Não tenho netos,deles ou dele não posso cuidar.A minha casa impera o respeito e a boa educação.No maximo,pijamas.Herdei de berço.Não posso garantir pelas demais.Quanto a qualidade dos textos que você se refere,permita-me,vou lhe respoder com um trecho da musica de Carmen Costa,Tem Bobo Pra Tudo,a depender de sua idade,talvez desconheça de quem se trata,diz o verso "Sempre agrada porque neste mundo tem bobo pra tudo.Camelô na conversa ele vende algodão por veludo".Quanto ao machismo,tô fora.Não é comigo.Talvez o cretino do Ministro Gilmar Mendes possa lhe ajudar a tirar suas duvidas.Espero ser merecedor de sua atenção.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Em nenhum momento, perguntei

Em nenhum momento, perguntei da sua vida pessoal.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

Respondo de novo ou novamente

Respondo de novo ou novamente Eliane Ribeiro,29/09/2016. Se não falou da minha pessoal,deve ter se referido a minha vida extra-pessoal.Nao a tenho querida,sou fiel às leis do matrimônio.

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Entendo sua posição, mas não concordo

Collor, se honesto fosse, ficaria ao lado de Dilma até o final, como Kátia Abreu. Mas, não. Votou pelo Golpe. Golpista é.

Seu pensamento não difere daqueles que culpam a vítima pelo estrupro que sofreram. Para esses, a mulher é sempre a culpada.

Para muitos esquerdistas (o que me causa espanto) e para a totalidade dos fascistas, Dilma caiu porque quis.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

Respondo a mcn,29/09/2016 -

Respondo a mcn,29/09/2016 - 13:50.Já lhe respondi uma vez,desnecessario faze-lo novamente,quando nada pela sua falta de bons modos.Minha intelectualidade não permite que responda picuinhas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

 Quando a Presidenta Dilma

 
Quando a Presidenta Dilma aqui aportar,deve ser recebida com tapete vermelho,rosas brancas,tambores e fogos pipocando,vamos combinar.Peço apenas aos senhores cadastrados,um pouco de moderação.Por precaução,tranquem o bumbo no sotão e joguem a chave no mar,no rio ou no açude,para evitar recaidas.Vai pegar muito mal para o blog,se algum cadastrado daqui,completamente descontrolado,disser que ela escreve melhor que o Prof.Pasquale Cipro Neto. 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Junior Sertanejo
Junior Sertanejo

Tenho uma sugestão a fazer.No

Tenho uma sugestão a fazer.No dia de gala que o editor do blog,oficializar a chegadada Presidenta Dilma,como sua mais nova colunista,proponho,eu e minha querida Analu,a Anarquista Lucida,para comissão de frente,com Da.Lourdes Nassif,por obvio,ao lado do editor do blog,para recebe-la.A passagem,seja em qualquer lugar do Brasil,pago do meu bolso.A de Analu,se for o caso também pagarei.Teria o maior prazer em apresentar-me,tal qual:Senhora Presidenta,sou DD,um velho admirador de sua excelencia.Não,não,não,presidenta,a senhora está fazendo confusão.Daniel Dantas,é meio careca,não usa oculos,é o maior amigo do alheio que conheço.Talvez perca de Eduardo Cunha,um pilantra e seu desafeto.Com sua vossa permissão,trago esse papel com apenas tres perguntinhas,para se achar conveniente,abordar em sua primeira coluna no blog.Tenho a mais absoluta convicção que a coluna vai demorar de chegar.Se chegar.

Seu voto: Nenhum
imagem de Dulce (Madame X)
Dulce (Madame X)

Dilma ao GGN

Apoiadíssimo! 

Dilma é a ÚNICA pessoa com LEGITIMIDADE para dirigir a RESISTÊNCIA, com o Lula. É necessário amplificar sua voz. 

E antes que eu me esqueça... FORATEMER

Seu voto: Nenhum (16 votos)

Estado de exceção

O golpe não acabou. Não é verdade que o golpe foi dado e agora, tudo bem, passou e temos uma nova ordem.

O golpe está em curso e assim continuará até que reconstruamos a ordem democrática.

Seu voto: Nenhum (8 votos)
imagem de Dulce (Madame X)
Dulce (Madame X)

Dilma ao GGN

Sra. Presidente Dilma Rousseff ,

Primeiramente, FORATEMER!

Erros foram cometidos. No entanto, os maiores, não reputo como de vossa responsabilidade. 

1.  Conseguimos fazer um metalúrgico, PRESIDENTE. MARAVILHA. GANHAMOS, e deveriamos ter ABERTO A CAIXA DE PANDORA...não o fizemos em nome da "governabilidade". Hoje nos jogam pecados, às costas, com mais de 20 anos. 

2. Não regulamos a MÍDIA, que está na Constituição "para inglês ver". 

3. Não DEFENDEMOS DIRCEU e GENOÍNO. Mas o "pecado original - bonus de volume", foi legalizado na mesma semana, no congresso para "safar a onça" de quem o intituiu e pagou. A GLOBO. ( vimos isso, posteriormente,  com as "pedaladas que não eram pedaladas, e que foram DESPEDALADAS).

4. QUEBRA de hierarquia. Carreiras de estado, são submetidas à autoridade EXECUTIVA. Quando passaram a ser "...do Brasil", passaram a ser "sem dono, como a "viúva" de sempre". Criou-se estado, dentro do Estado.

5.Em algum momento recuperaremos a Presidência e não acho aceitável que NÃO VÃO A JULGAMENTO os golpistas da CONSTITUIÇÃO em todos os seguimentos que formam o Estado/ou não. 

Duas coisas me afligiram no andamento do GOLPE. "REZAVA A DEUS" (e não sou muito chegada a reza), mas no DESESPERO vale tudo... e como leiga me pergunto se V. Excia não poderia tomar duas providências: 

1. PEDIR CONGELAMENTO de nossas RESERVAS INTERNACIONAIS , que são as maiores de todos os tempos, e evitar que parem em MÃOS GOLPISTAS SEM-VOTOS?

2. PARE O QUE FOR NECESSÁRIO/PUDER, MAS TERMINE os 25% que faltam para operacionalizar a TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO. Hoje, os golpistas pensam em CANCELAR o maior projeto de segurança HIDRICA do mundo, que libertará o povo dos CORONÉIS de sempre. 

Finalmente,  

#FORATEMER

DEMOCRACIA SEMPRE. LEGALIDADE SEMPRE. 

 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Marcelo33
Marcelo33

O problema é: Quanto tempo os

O problema é: Quanto tempo os golpistas ficarão no poder ?

Se levarmos 5 anos para tirá-los, viramos uma grécia

Se levarmos 10, viramos uma Nigéria

Se levarmos 15, viramos um Bangladesh

Se levarmos 20, viramos uma Somália.

O Futuro do Brasil está comprometido. Os contratos lesa-pátria que os entreguistas vão assinar terão que ser cumpridos sob pena de isolamento internacional e até possibilidade de guerra com potências nucleares (E justamente com o país que nossos militares tem fidelidade, vc´s acham que o militares são fieis ao Brasil ?? bobinhos...)

Não adianta nada matar essa corja e depois admnistrar terra arrasada.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de Manu Guitars
Manu Guitars

Dilma..

Lendo os comentarios tenho a impressão que a Dilma é a culpada do impichi.....

Não tenho procuração para defende-la mas como "palpiteiro inconsequente" que sou vou dar algumas opiniões conpletamente subjetivas e nada cientificas..

1-Esta é a pior crise que o pais ja passou....me parece no minimo exagerado, tendo uma certa idade (mas sabe o diabo por ser velho que por ser diabo)lembro de ter vivido um bom tempo com inflação de100% ao ano e ir ao supermercado no mesmo dia que recebia o salario para não perder poder de compra ja que os etiquetadores remarcavam os preços dos produtos todo dia.....as vezes 2 veze por dia....se voce esperasse 2 semanas para comprar, conprava a metade dos produtos........o salario minino não chegava a 80 dolares......multidão saqueando supermercado  era uma coisa muito comun.....o FMI no lombo do Brasil e o pais tomando dinheiro empretado no curtissimo prazo e pagando juros extratosfericos....quando olho pra tras não me parece a pior crise que ja passamos, um pouco de conhecimento do passado me parece importante(conhecer teu passado te ajuda a entender o presente e planejar o futuro).

2-A Dilma cometeu erros......concordo em numero e genero, mas um presidente que comete erros em qualquer pais com forte tradição democratica, é deposto pelo voto, não ganha a eleição seguinte e pronto......outro detalhe besta a ser levado em conta, temos uma tendencia a "personalizar" as decisões, eu não acho que um presidente deva saber tudo sobre todos os assuntos e decida tudo isso numa canetada(e não me parece que seja assim)....num pais de 200 milhões de habitantes  me parece uma tarefa impossivel......evidentemente ele é  asessorado por dezenas talvez centenas de pessoas(direta e indiretamente)

Façamos um exercicio de imaginação:

Se mudarmos o nome da presidente de Dilma para Aecio e esse presidente imaginario  tivesse cometido os mesmos erros que Dima no primeiro e no segundo mandatos, teriamos acabado num impichi do Presidente imaginario Aecio do PSDB?

Certeza?  Eu acho que não

3-Eu acho que os brasileiros em geral subestimam o poder de interferencia no pais do nosso "irmão" do norte  ...

para min o plano era Macri na Argentina e Aecio no Brasil, e assim eles teriam o dois maiores e mais ricos da America do Sul com governos amigos minimizando em muito a ma influencia de paises "inimigos" tipo  Venezuela, Bolivia  etc.

Não deu pra eleger o Aecio?Então vai  na marra.

So minha opinião.

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de WELINTON NAVEIRA E SILVA
WELINTON NAVEIRA E SILVA

Esplêndida era ou o fim da civilização

Apesar da conhecida vitalidade do sistema capitalista, de natureza semelhante a dos seres vivos, predador, violento e egoísta, a falência definitivamente desse sistema está muito perto. Só restando à humanidade perceber a tempo que o capitalismo está exaurindo, entrando em rota de quebradeira terminal de consequências muito mais devastadoras e trágicas que o crash de 1929. Antes que isso aconteça, é necessário dar inicio à perigosa e complexa mudança do sistema capitalista para um novo sistema social, econômico e produtivo. Se isso não for realizado a tempo contando com fortes lideranças mundiais, a eclosão da guerra nuclear fica muito provável. A vida na Terra poderá ser extinta.

A seguir, alguns potentes vetores tecnológicos que serão responsáveis por gigantescos desempregos. Alguns deles, isoladamente, capazes de empurrar o sistema capitalista para a bancarrota final. Vejamos:

  1) Transporte

A empresa Uber, acaba de lançar serviço de carros sem motorista em uma cidade dos EUA. Em breve, em outras cidades e, outras partes do mundo. Ficarão bilionários. Será o fim dos motoristas de taxi. Brevemente, os caminhões de cargas sem motoristas tomarão conta das estradas, viajando 24 horas sem parar, sem conhecidas manobras perigosas e fatais. Será o fim da profissão de motoristas de caminhão. Em todo o mundo, milhares de taxistas e de motoristas de caminhão ficarão desempregados.

    2) Bancos

No outro campo da tecnologia, os bancários continuam “paralisando” os bancos, sem resultado algum, há mais de vinte dias. Os riquíssimos e avarentos banqueiros, não estão nem aí para os trabalhadores. Já possuem tecnologia para mandar os bancários para o olho da rua, a qualquer hora dessas, deixando as agências entregues as máquinas automáticas. Farão isso, tão logo o conhecido grande imoral lucro dos bancos caia abaixo de certo valor.

   3) Alimentação

A gigantesca e importantíssima área da alimentação, dos maiores empregadores do sistema capitalista, passará por profundas modificações, com gigantesco desemprego. Já está a caminho a revolucionária tecnologia de rápidos preparo de alimentos em inteligentes máquinas automáticas de rápido preparo de diversificadas formas e naturezas de alimentações, nutritivas, saudáveis, belo visual e preços reduzidos. Com temperos e componentes nutritivos ao gosto e exigências do consumidor. Essa revolucionária tecnologia, demitirá como nunca antes imaginado, milhares e milhares de trabalhadores ligados direta e indiretamente a sideral complexa malha industrial da alimentação, do campo até ao ponto de consumo. A nova configuração dessa malha passará por drásticas modificações, causando extinções de incontáveis postos de trabalho em todo o mundo. O desemprego será o maior já presenciado no sistema capitalista.

   4) Indústria farmacêutica e da saúde

De há muito observamos, sem compreender, esplêndidos mecanismos naturais de defesas, notadamente, nos animais, aptos a ingerirem diversas imundícies, sólidas e líquidas, sem danos algum para a saúde. Animais submetidos a péssimas condições de higiene se recuperam de ferimentos graves e ou doenças, sem nenhuma assistência da medicina. Até mesmo, a perda de um importante membro por desastre, não afeta sua exuberante saúde. Por exemplo, os pombos perdem pés, gradativamente amputados por fios de cabelos humanos nas calçadas e praias, sem dano algum para sua saúde. Também, certas pessoas são imunes a inúmeras doenças. Muitas, recuperam a plena saúde em pouco tempo, sem medicamento algum. 

A qualquer tempo desses, conseguirão uma tecnologia, apta a ativar os mecanismos naturais de defesas. A conhecida vacina é uma faceta dessa tecnologia. A homeopatia também, mas com limitações, especialmente em adultos. Mas, logo, Dona Tecnologia será capaz de eficiente ativação dos mecanismos de defesa do organismo. Junto com a engenharia genética, deixarão as pessoas e animais, imunes à quase totalidade das doenças. Será uma das mais fantásticas descobertas da humanidade. Entretanto, a muito poderosa e formidável indústria farmacêutica e da medicina, entrarão em colapso. Milhares de profissionais, ligados diretamente e indiretamente a essa sideral poderosa indústria, ficarão sem trabalho, ficarão sem emprego por falta de necessários doentes. O desemprego global produzido será gigantesco. O maior até então. Essa tecnologia, pela sua natureza brutalmente contra o sistema capitalista, possivelmente, deverá ser criada na China ou na Coreia do Norte.

  5) Computadores e Informática

Por volta de 2022, estarão no comércio, computadores aptos a conversar com o ser humano como se gente fosse. Grandes companheiros para as mais diversas áreas do conhecimento, hábeis a todo tipo de conversas, das leves e superficiais até as mais exigentes e intelectualizadas. Serão capacitados à elaboração de diversificados estudos e projetos, nas mais variadas áreas do trabalho intelectual, engenharia, arquitetura, geologia, estatística, medicina, advocacia, contabilidade, economia, ensino, logística, militar, etc.

Poderão trocar ideias e informações não só com o homem, mas com outros milhares de computadores pelo mundo todo, buscando dados e informações, necessários a resoluções de problemas, elaboração de projetos, estudos, pesquisas, estatísticas, avaliações, etc. Essa insuperável tecnologia de trabalho, sequer imaginada há 30 anos atrás, demitirá milhares e milhares de trabalhadores intelectuais. Deixarão sem espaço algum de trabalho, outros milhares que estão chegando ao mercado, por mais estudo e capacitação que tenham.  Por todo o mundo, bem antes de 2030, o número de desempregados será gigantesco. 

  6) Robótica e Automatização

Na área do trabalho braçal, também por volta de 2022, estarão no mercado bem à disposição dos consumidores, pessoa física e jurídica, os mais variados tipos de robôs, hábeis, inteligentes, competentes, fieis, incorruptíveis, infatigáveis, prontos a trabalharem dia e noite, inclusive nos fins de semana e feriados, com muito bom humor e sem reclamação alguma. Esses infatigáveis humanoides, modelos “homem” e “mulher”, substituirão com grandes vantagens os trabalhadores humanos, praticamente, em todas as áreas do trabalho braçal. Milhares e milhares de trabalhadores braçais estarão no olho da rua, antes de 2030.

Resumo

Antes da tecnologia da inteligência artificial e da robótica, quando uma surgia uma inovação tecnológica, costumava abrir campos e oportunidades para outras modalidades e especialidades do trabalho humano. De agora em diante, por conta da inteligência artificial, isso não mais acontecerá. As oportunidades criadas decorrentes de cada inovação tecnológica, também ficarão a cargo da inteligência artificial e da robótica, sem espaço para o trabalho humano. Não temos condições alguma de competir com a inteligência artificial e a robótica na quase totalidade das atividades de trabalho. O espaço para o trabalho humano ficará a cada dia mais restrito, dentre eles, pesquisas científicas e desenvolvimentos tecnológicos.

Conclusão

Do muito pouco acima visto dentre infinitas possibilidades de revolucionárias tecnologias que estão surgindo, podemos perceber que a humanidade encaminha para radicais mudanças na milenar forma de trabalhar, produzir riquezas, ganhar o sustento e poder viver em sociedade. A antiga universal maneira de obter alimento, saúde, educação, agasalho, habitação, laser e outros mais, trabalhando, está em extinção.  Em alguns anos mais, 90% da população mundial não encontrará emprego algum, por mais estudo e experiência que tenham. Inevitavelmente, a produção de riquezas ficará entregue a infatigáveis e precisas máquinas, inteligentes e altamente produtivas, se necessário, trabalhando 24 horas por dia, inclusive, sábado, domingo e feriados, sem cobrar adicional algum.

Continuar ignorando essa revolucionária era a caminho, prevista pelo gênio de Karl Marx, não faz sentido algum. Continuar acreditando que a economia capitalista prosseguirá de alguma maneira, de algum modo, poderá levar o mundo para a quebradeira geral, gigantesca e muito mais aterradora que a de 1929.

Independente de diversas contradições do sistema capitalista, a velocidade de erosão do polo consumidor por conta da tecnologia será a cada dia maior. Dona Tecnologia, disputada, altamente produtiva e admirada por todos, definitivamente não se dá bem com o sistema capitalista - prossegue demitindo milhares e milhares de trabalhadores em todas as áreas da produção, intelectual e braçal, destruindo o polo consumidor, inviabilizando o polo produtor de riquezas e de serviços do sistema capitalista.

Sabe-se que polo produtor de riquezas precisa de um sideral polo consumidor, robusto, formado por milhares e milhares de consumidores com poder de compra. Assim opera o sistema capitalista. Gostando ou não, o capitalismo já está com a extrema-unção. Aguardando o fim, em violento estrebuchar, que por certo, levará junto com ele toda a civilização, se nada de inteligente for realizado. Mas, a própria natureza do sistema capitalista, baseado na crença, imediatista, superficial, egoísta e pouco racional, o impede de se dar conta da sua precária saúde econômica e financeira, agravando.

Apesar de todas as evidências desse mundo, os capitalistas continuam acreditando na iniciativa privada. Inclusive, sem perceber que as empresas públicas, estatais e municipais, empregando milhares e milhares de trabalhadores por todo o mundo, continuam dando grande sobrevida ao próprio sistema capitalista. Sem perceber, que não fosse o dinheiro público do mundo todo, cerca de US$ 20 trilhões, direcionados para aos incompetentes e irresponsáveis executivos, salvaram bancos, financeiras, montadoras e outras mais da bancarrota global, decorrente da grande crise atual iniciada em final de 2007.  

Possivelmente, os poderosos integrantes da cúpula mundial do sistema capitalista, continuam acreditando que o capitalismo poderia ser transformado em algo capaz de continuar lhes assegurando todos os privilégios e riquezas, simplesmente, com a implantação de algum tipo de delírio, possivelmente, de férreo controle das massas exercido por governo mundial, padrão fascista, tendo numa das mãos o porrete, na outra, a ração do dia a dia. Semelhantes demências são historicamente insustentáveis, inclusive agora, pela existência da China pró-socialista, economicamente e belicamente, a cada dia, mais poderosa. Também, pelo crescente poder bélico da Coreia do Norte, também pró-socialista.

Entretanto, com a crise mundial sem solução aos poucos se agravando, os desatinados, mundão afora já estão em campo, lutando por manjados e perigosos caminhos para a Europa, EUA, inclusive para o Brasil, visto no truculento golpe judiciário-congressual-midiático iniciado no processo Mensalão passando pelas siderais badernas por todo o Brasil visando destruir a exuberante economia Dilma/PT de até junho de 2013, minando terreno para depor a presidente Dilma/PT - eleita pelo voto, nacionalista e honesta. Um grande golpe sujo.

E, como de sempre, os movimentos fascista fazem uso das velhas esfarrapadas bandeiras de “combate” a antiga conhecida corrupção, usando frases de efeito, violentas badernas, gritos de comandos, bodes expiatórios, explicações e medidas simplistas sem maiores bases, estudos e reflexões, dentre outros cínicos engodos.

Historicamente, grande parte do povo e das elites dirigentes, não consegue perceber a gritante fragilidade desses movimentos.  Só se dão conta do desastre, bem lá adiante, quando as liberdades desaparecem por completo com a chegada das arbitrariedades de todos os tipos, em truculentas prisões, tendenciosos julgamentos e condenações, sequestros, torturas, assassinatos e a inevitável censura aos meios de comunicações e artísticos. Tarde demais. Assim foi na Alemanha de Hitler, na Itália de Mussolini, nas ditaduras na América Latina, no Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Venezuela, Bolívia, etc.

Diante das terríveis possibilidades por conta da indiscutível exaustão do sistema capitalista mundial, mais do que nunca, resta o muito importante papel dos grandes jornalistas, economistas, intelectuais e políticos (antes que as liberdades de comunicação desapareçam) aprofundarem nessa explosiva e delicada questão global, objetivando abrir discussões, despertar inteligências, lançar luzes no equacionamento do complexo problema da montagem de uma arquitetura de transição do sistema capitalista para o sistema socialista, de modo gradual, inteligente e pacífico, caso a humanidade queira evitar um banho de sangue, evitar a guerra nuclear com a extinção da civilização. Ou, dar início à construção de um mundo justo, fraterno, pacífico, limpo e ecologicamente correto, para todos. Verdadeiro paraíso terrestre. Temos que agarrar a essa utopia, a única que nos resta, possível e viável. Sem dúvida alguma.

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de cmc
cmc

Só esqueceu um detalhe! nós

Só esqueceu um detalhe! nós somos humanos e vamos implodir toda sua visão castratrófica em um botão. Vermelho, diga-se de passagem..

Seu voto: Nenhum

Cada coisa que se lê por

Cada coisa que se lê por aqui.....Tem maluco que queria que a Dilma sacrificasse a própria vida na contra o golpe.

Por mais que a Dilma tomasse as atitudes corretas (olhar pelo retrovisor é fácil), o golpe já estava sacramentado.

Tentaram fazer com Lula no mensalão e só não o fizeram porque a economia bombou. Estava claro que na primeira oportunidade o fariam. Assim como fica claro que as medidas econômicas implantadas por Dilma, (revisão das tarifas elétricas, isenções fiscais, baixa do custo trabalhista e queda brusca dos juros) deveriam ter impacto positivo na economia. Explicar porque não tiveram, ou se não foram suficientes, é o que ainda resta  entender. Acho que o longo período de apreciação do real explica boa parte da derrocada econômica. Outra coisa foi combinar com os empresários se eles estavam dispostos a correr riscos. A maioria,acho que preferiu buscar ganhos financeiros via mercado de juros. E temos também a lava jato, que foi a pá de cal em qualquer tentativa de revitalizar o sistema produtivo. As grandes empresas puxaram o freio, preferiram proteger o que já tinham em vez de se expor com mais investimentos.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Impressionante, mesmo. Citam

Impressionante, mesmo. Citam Erdogan como se o que aconteceu na Turquia fosse o mesmo que aconteceu na Brasil. As políticas sociais de Erdogan é, grosso modo, algo entre o PMDB de Eduardo Cunha e o PSDB de Aécio Neves da Cunha, o povo turco tem cultura diferente da do brasileiro, o parlamento turco é alinhado com seu presidente...

Talvez haja fatos de conhecimento restrito mas de onde podemos ver me parece que o que está havendo aqui é a conjunção de diversos fatores:

- Insatisfação dos operadores do capital baseado no dolar com a tentativa brasileira de encontrar alternativa àquela moeda através de acordos inernacionais na América Latina e com o BRICS, por exemplo. É só ver onde a turma de Curitiba vai buscar instrução sobre como proceder na Lava Jato...

- Insatisfação das firmas privadas brasileiras que se dedicam ao ramo da comunicação em massa - Globo, OESP, Folha, Abril e além de outras, também alinhadas com o Instituto Millenium - com o desejo de Dilma de desmontar hegemonia nessa área. E ainda sobre a mídia agigantada, o fato desta se alinhar ideologicamente com o conservadorismo e o coronelismo, inimigos da descentralização democrática dos poderes econômico e político. Por último mas não menos importante, a inconsequência e a vaidade de alguns jornalistas que teriam orgulho de dizer que seu jornal é tão poderoso que derruba governos. Quanto mais populares forem esses governos, maior esse orgulho.

- Inconformismo de Aécio Neves da Cunha com o resultado das urnas em 2013, desapreço desse moço à Democracia. Note-se que desse inconformismo surge Aloysio Nunes Ferreira dando tom e ritmo violentos ao que viria a ser o golpe: "Não quero o impeachment, quero ver Dilma sangrar." Revoltados On Line, MBL e que-tais agradecem a Aloysio Nunes Ferreira pela direção.

- Impulso de Eduardo Cunha para tirar o PMDB da posição de eterno papagaio de pirata e levá-lo ao protagonismo.

- Judiciário, como bem definiu Lula, senão apenas acovardado e omisso, alinhado com a ideia de que um governo de um país não deve ser exercido senão por elites manipuladores, com planos mirabolantes sussurrados, intenções escusas e protegidos de suas próprias consciências através de messianismo.

- E o povo... ora, aquelas firmas de mídia encarregam-se de dar destaque ao que era uma pequena minoria incomodando-se com a multidão nos aeroportos ao mesmo tempo em que censura a enorme massa dos antes excluídos.

Há outros fatores, sem dúvida, que ajudam a explicar e a entender o golpe em curso, lembrando que estados de exceção são infinitamente mais instáveis que a própria democracia. Ou seja, não é que deu-se o golpe e passou. Enquanto não desfizermos o golpe e reestabelecer a ordem democrática, havera luta.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Marcelo33
Marcelo33

Muito boas as explicações, só

Muito boas as explicações, só que a principal ela não explica !!!

Pq manter o Zé da Justiça no cargo pro 5 anos ??? 

Isso certamente custou o cargo dela !!! 

Outra coisa que senti falta foi ela capitalizar em cima da fala do Temer, que o impeachment foi pela não aceitação da "Ponte para o futuro"

Dilma foi um desastre político. Fico meio constrangido de culpá-la, parece que estou culpando a vítima pelo estupro, mas as ins tituições funcionavam relativamente bem, mas o golpismo ascendeu em todas elas. A operação lava-jato era golpista, o PGR era golpista, era obrigação dela não reconduzir Janot e ter feito um acordo com os corruptos para encerrar a lava-jato, não para poupar corruptos, e sim, para salvar a democracia, uma vez que a operação é golpista até a alma.

 

Seu voto: Nenhum (5 votos)

"Dilma foi um desastre

"Dilma foi um desastre político".

 

Depende do que voce entende por politica.

Se voce entende que fazer politica é fazer "acordo com corruptos", realmente, ela não corresponde ao que voce espera de um presidente.

Ela caiu, estamos numa enrascada, mas uma coisa ela mudou.

Deixou o pais diante da verdade, os corruptos foram desmascarados.

So não os ve quem for hipocrita, desonesto ou muito burro.

Pagaremos caro por ela não ter feito "acordo com os corruptos", mas deixou na politica tudo as claras.

Os que sairam na Paulista em passeata "contra a corrupção", ao não sairem agora, mostram o carater que tem, hipocrisia.

Eu, ao contrario de voce, não a respeitaria, como a respeito, se tivesse feito "acordo com os corruptos".

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Marcelo33
Marcelo33

Ela deixou o golpismo aflorar

Ela deixou o golpismo aflorar nas corporações... deixou as investigações seguirem, e só pegaram gente do PT e ela caiu. Os corruptos na verdade, sempre estiveram seguros desde que do lado do PSDB, que controla a justiça.

O que adianta desmascarar os corruptos com uma população inerte e covarde como a nossa ??

Essa honestidada nos custará o pré-sal, custará direitos trabalhistas e custará investimentos em saúde e educação por 20 anos...

O Retrocesso é GIGANTE, e como vc mesmo falou, pagaremos caríssimo por isso !!! O Preço será o futuro do nosso país !!! O Brasil morreu como país com esse impeachment. 

E os corruptos no final vão se safar de qualquer jeito...

Se Tivéssemos um povo Decente, e não um amontoado de idiotas que fazem tudo o que uma emissora de TV manda, e não adianta mudar o canal pq são todas iguais, o que ela fez teria alguma utilidade.

No fundo, deixar a corrupção as claras só serviu para mostrar que somos um povo de MERDA, e que talvez, mereçamos todos os retrocessos.

Dilma fez uma biopsia, expôs o Cancêr a todos, mas o paciente morreu no processo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

1."Ela deixou o golpismo

1."Ela deixou o golpismo aflorar nas corporações... deixou as investigações seguirem"

 

O grande erro foi do Lula ao colocar um Batman no STF e tirar o Paulo Lacerda do comando da PF.

Seria a unica pessoa capaz de segurar esse boi bravo.

Pobre dela se não "deixasse as investigações seguirem". Teria sido acusada de uma presidente corrupta tentando esconder suas bandalheiras. Teria caido na mesma hora.

 

2."O que adianta desmascarar os corruptos com uma população inerte e covarde como a nossa ??"

 

Talvez o unico caminho para fazer a "população" ser menos "inerte e covarde" seja mesmo mostrar a fetida podridão que existe entre muitos politicos.

 

3"O Retrocesso é GIGANTE, e como vc mesmo falou, pagaremos caríssimo por isso"

 

Concordo inteiramente que o "retrocesso é Gigante", mas a historia dos povos não caminha em linha reta.

 

4."E os corruptos no final vão se safar de qualquer jeito.."

 

Não vão não.

Foram desmascarados e diante do mundo inteiro.

 

5."Dilma fez uma biopsia, expôs o Cancêr a todos, mas o paciente morreu no processo"

 

Não morreu não.

A historia é longa. O futuro nos reserva muitas coisas a acontecer.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Andre Luiz RRR
Andre Luiz RRR

Por que elevou a selic?

Por que elevou a selic?

Seu voto: Nenhum (9 votos)

O processo histórico é

O processo histórico é inflexível...

A Alemanha quando partiu para o ataque ou ela venceria ou perderia, não existe o " copy e past, o pause e o return" num processo histórico - ela perdeu e as consequências todos nós sabemos...

Quando rasgou-se a constituição restou dois caminhos e todos dois dolorosos...

A volta rápida que passa pelo retorno dos valores democráticos numa nova constituição, mas isso passa por uma forte crise interna onde grupos econômicos que arquitetaram o golpe terão que deixar a sanha golpista, ou seja eles vão perder e hoje acho que eles não contam com esta probabilidade.

A volta demorada vai transformar nossa sociedade, não para o lado mais HUMANO, pelo contrário - haverá uma disputa pelo poder, POIS NÃO VIVEMOS MAIS SOB O IMPÉRIO DA LEI, MAS SOB A LEI DO MAIS FORTE e isso graças ao nosso STF e contribuição de valorosos juizes, pois aquele que toma a força, usurpa torna-se o vencedor - essa é a nova lei!

E muitas vezes ela não é negociada, ela é resolvida a bala, a intrigas - NUNCA PELO DIREITO!

Pelo direito não haveria o golpe de 2016!

Não tomaram o poder por amar o povo, mas para se servirem dele...

O interino e seus candidatos não andam no meio do povo...

Seu voto: Nenhum (2 votos)

"O que fazemos na vida, ecoa na ETERNIDADE!" (Máximus - Gladiador)

"Os dois mais importantes dias em sua vida são o dia em que você nasceu e o dia em que você descobrir o porquê... - M

imagem de Marcelo33
Marcelo33

Se os golpistas ficarem no

Se os golpistas ficarem no poder 5 anos, viramos grécia

10 anos, viramos nigéria

15 anos, viramos bangladesh

20 anos, Somália.

A educação e a saúde estarão com o futuro irremediavelmente comprometido se não tirarmos essa quadrilha em 5 anos, mas provavelmente esse prazo é menor.

Parabéns aos envolvidos, Ruim Falcão, Dilma, Zé da Justiça e Mercadante. Tenho admiração enorme pela pessoa física Dilma Roussef, mas politicamente foi um desastre, e pode ter matado o Brasil como nação.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Antônio - Minas Gerais
Antônio - Minas Gerais

Agora

Agora que a canoa virou? Piada. Mas, a meu ver o mais relevante da entrevista é que ela lia e lê o blog do Nassif, portanto os erros cometidos pela dona Dilma foram conscientes. Sim, conscientes sim, pois com o seu olhar apurado e refinado, Nassif foi traçado com maestria como estava sendo montada a narrativa golpista. O que fez dona Dilma? Bem...

Seu voto: Nenhum (10 votos)

A presidente Dilma foi uma

A presidente Dilma foi uma das pessoas mais serias e preparadas que ja houve na politica brasileira.

A sua seriedade, alias, foi uma das razões de sua queda.

Uma mulher com o seu carater jamais estaria talhada para "conversar" com um eduardo cunha, como muitos queriam.

Alguns falam em "inaptidão para a politica", vejo como retidão.

E mesmo que ela tomasse tal atitude não haveria outro fim.

O golpe foi longamente  preparado. Apesar de poucos assinalarem, teve inicio no proprio mensalão, que facilitou o nefasto ex presidente da Camara eleger a sua tropa.

O unico defeito da presidente Dilma é a sua dificuldade para falar, comunicar.

Em entrevista recente ao Bob Fernandes, chegou afirmar que não gosta de falar, prefere a escrita.

Assim, so agora a vemos explicar fatos que deveriam ter sido expostos, muito antes,  a população.

Mesmo no presente não vejo a presidente mostrar com clareza que a queda brutal dos preços dos produtos que exportamos e do petroleo colocou o pais em grande dificuldade.

Somado a isso a ocorrencia da maior seca da historia, que alterou os planos energeticos por ela traçados.

Tal fato ela arrola agora, mas sem conseguir passar a dimensão dessas dificuldades.

A crise, que tantos justificam por consequencia de seu governo, se deveu muito mais as ações nefastas e impatrioticas de um aecio neves.

Naquele momento, diante da crise mundial, qualquer oposição seria deveria se sentar com o governo para apoiar o pais a enfrenta-la.

O irresponsavel derrotado na eleição, resolveu, ao contrario, aproveitar da situação para agravar ainda mais os problemas do governo e em consequencia da nação.

Vejo, todos os dias golpistas que assaltaram o poder afirmarem que a crise que vivemos é decorrencia da "caotica gestão dos governos petistas".

Não vejo a presidente, nem outros petistas, responderem que ate a chegada da crise e das irresponsaveis ações de uma oposição impatriotica, havia pleno emprego e o Brasil era admirado pelo mundo inteiro.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de bonobo de oliveira, severino
bonobo de oliveira, severino

Eh verdade!!

Apesar de todas as suas qualificações e capacidade gerencial, seriedade e honestidade impares e extraordinária disposiçao para o trabalho e enfrentamento de desafios, teve a sua gestão inviabilizada pela força de agentes do judiciário, associados às organizações criminosas controladoras de empresas de rádio, jornais e TVs e outros criminosos eleitos pelos agiotas banqueiros que parasitam o Brasil há décadas.Esses criminosos, transformados em eternos "bandidos de estimação" do judiciário contamnado, cujo maior representante é o Bandido mais destacado, entre milhares, Eduardo Cunha, com 22 processos nas costas se arrastando e prescrevendo há décadas, desde os anos 90.

https://jornalggn.com.br/blog/as-acoes-que-correm-contra-eduardo-cunha

No país em que o judiciário cultiva processos criminais, para usá-los como meio de obtenção de poder político, não tem Dilma, nem Lula, nem Brizola e nem ninguém, que não seja da quadrilha, como o Príncipe da Privataria, que governe esse bordel onde as instituições da suposta República foram transformadas em ambientes de tolerância, a disposição dos interesses e preferências das ma$$onaria$$$.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.